Dinheiro para viagem: que moeda levar? Quando usar cartões?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Dinheiro no exterior

Não existe meio de pagamento perfeito no exterior. Todos tem prós e contras.

Levar dinheiro vivo faz você evitar os 6,38% de IOF (o imposto baixa para 1,1%). Mas tem que levar a moeda certa, senão você pode perder bem mais do que isso nas operações de câmbio.

Usar cartão pré-pago (tipo "travel money") é bem mais seguro do que levar dinheiro vivo. Mas você paga 6,38% de IOF.

Tirar da carteira o cartão de crédito é cômodo, seguro e pode render milhas. Mas além dos 6,38% de IOF, você está sujeito à variação cambial: se o real desvalorizar entre o momento da compra e o momento do pagamento da fatura, você tem gastos extras.

Veja as peculiaridades de cada um dos meios de pagamento para montar o seu mix.

Dinheiro no exterior

DINHEIRO VIVO

O IOF de 1,1% é cobrado no momento da compra da moeda.

Para países de moeda forte: leve a moeda do país

Compre dólar para viajar aos Estados Unidos, euro para a zona do euro e libra para o Reino Unido. Parece óbvio, mas com a desvalorização do real tem gente comprando dólar para levar para a Europa só porque está mais barato do que o euro, ou levando euro para o Reino Unido só porque está mais barato do que a libra.

É um erro: do mesmo jeito que o euro vale mais que o dólar no Brasil, também vale mais do que o dólar na Europa, na mesma proporção. Ao trocar o seu dólar por euro na casa de câmbio na Europa, você vai pagar a diferença que achou que estava economizando, e ainda vai perder mais uns 3 a 5% na operação cambial. (Já reparou como o câmbio tem sempre duas cotações, uma mais alta e outra mais baixa? Funciona assim: na hora que a gente compra, paga a cotação mais cara; quando vende, recebe pela cotação mais barata.)

Levar dólar para os Estados Unidos, euro para a zona do euro e libra para a Inglaterra apresenta duas vantagens insuperáveis: você compra no Brasil por uma cotação justa (é alta, mas, acredite, é o que vale) e durante a viagem pode usar o dinheiro diretamente no comércio, sem passar novamente por uma casa de câmbio.

Teoricamente, o mesmo raciocínio valeria para outras moedas fortes, como franco suíço, dólar canadense, dólar australiano, dólar neo-zelandês e yen japonês. Mas muitas dessas moedas são vendidas por uma cotação mais cara do que deveriam; normalmente valem mais a pena no cartão pré-pago do que como dinheiro vivo (provavelmente porque não há muito dinheiro em espécie dessas moedas em estoque por aqui).

Quer saber como determinar se a cotação é justa ou não? Veja a diferença entre as cotações de compra e venda. Se a diferença estiver entre as duas cotações estiver em torno de 10% (pode passar um pouco), a cotação está OK. Se a diferença entre as duas cotações estiver na faixa de 20%, então a moeda aqui está cara demais. Nesse caso, valerá a pena comprar dólar e trocar pela moeda local no país.

Para países de moeda fraca: leve dólar ou euro (ou use cartão!)

Com o dólar alto, muita gente passou a achar que é vantagem comprar peso argentino, peso chileno, peso uruguaio, peso mexicano, peso colombiano, nuevo sol peruano aqui no Brasil. É tudo tão baratinho, não? Custa centavos (o peso chileno custa milésimos de real!).

Ilusão, gente. TODAS (repetindo: TODAS) essas moedas estão supervalorizadas no nosso mercado. Se você for ver a diferença entre as cotações de compra e venda, dá 20%, 30%, chega a 40%! (O dólar e o euro mantêm uma diferença de 10% entre as cotações.) É um mau negócio. Até cotação de casa de câmbio de aeroporto, que normalmente é ruim, consegue ser mais vantajosa do que as cotações dessas moedas aqui no Brasil.

(Exceção à regra: em lugares de fronteira, a cotação da moeda do país vizinho fica vantajosa. Por exemplo: vale a pena comprar pesos argentinos em Foz do Iguaçu. Ou em lugares com colônia argentina, como Búzios e Bombinhas.)

Se você vai para país de moeda fraca, leve dólar ou euro. Do mesmo jeito que dólar e euro valem muito aqui, valem muito também no Peru, no México, na Hungria, na Turquia, na República Tcheca, na África do Sul. Mesmo fazendo duas operações de câmbio (para comprar o dólar ou o euro aqui, e vender no país da viagem), você ainda perde menos dinheiro do que se comprar a moeda fraca aqui.

Quando precisar trocar seu dinheiro, evite as casas de câmbio de aeroportos e próximas a atrações turísticas: essas oferecem as piores cotações. Nos fins de semana também a cotação baixa; troque o estritamente necessário. Na Europa, descubra as agências de banco que têm setor de câmbio; elas oferecem cotações mais vantajosas que as casas de câmbio.

Mas se você não quer esquentar a cabeça e perder tempo de suas férias fazendo cálculos e procurando casas de câmbio com cotações justas, use cartão de crédito. Garanto para você que, na média, por oferecer sempre uma cotação justa, a qualquer hora do dia e em qualquer dia da semana, o cartão pode fazer você perder menos dinheiro do que a troca em casas de câmbio.

Não leve reais. Você vai fugir do dólar alto mas vai encontrar uma baixa cotação do real em praticamente todo lugar, com exceção desses três do próximo tópico (e olhe lá).

Leve reais somente para Buenos Aires, Santiago e Uruguai

O real é pouco valorizado fora do Brasil. Ao levar reais pensando em economizar 6,38% de IOF e driblar a alta do dólar, você pode acabar vendendo sua moeda com um prejuízo de 10 ou 12%, muito maior do que o imposto que quis evitar.

Os únicos lugares onde o real encontra cotação razoável são o Uruguai (Montevidéu, Punta del Este e Colonia del Sacramento), a cidade de Buenos Aires e a cidade de Santiago. Para outros destinos da Argentina ou do Chile, leve dólares.

CARTÃO PRÉ-PAGO / TRAVEL MONEY

O IOF de 6,38% é cobrado da carga ou recarga de moeda. A cotação que vale é a do momento da compra. Não há tarifas para gastos no comércio. Há tarifas para saque em caixa eletrônico (US$ 2,50 por operação, mais as taxas do uso do equipamento, que variam de rede para rede). O cartão pode ser recarregado à distância, por internet banking (em dias úteis, durante o horário de funcionamento do mercado de câmbio no Brasil.)

Faça o cartão na moeda do país

O melhor desempenho do cartão pré-pago é quando a moeda carregada no cartão é corrente no país que você vai visitar. Se o seu cartão pré-pago for carregado com dólar, você não perderá nada ao fazer gastos em dólar nos Estados Unidos. Se o seu cartão pré-pago for carregado com euro, você não perderá nada ao fazer gastos em euro na zona do euro.

Mas se você usar seu cartão pré-pago carregado com dólar num país onde a moeda é o euro, você vai perder de 3 a 5% de conversão cambial. Exatamente como se você pegasse dólares vivos e fosse trocar por euros vivos numa casa de câmbio.

Além do dólar, do euro e da libra esterlina, existem cartões pré-pagos carregáveis em dólar canadense, dólar australiano, dólar neo-zelandês, franco suíço e yen japonês, que podem ser boas alternativas para quem vai viajar para esses países. Se a diferença de cotação de compra e venda estiver próxima, ou ligeiramente acima, de 10%, o cartão vale a pena. Se a diferença estiver em torno de 20%, você vai perder menos se levar cartão em dólar.

País de moeda fraca: tanto faz dólar ou euro

Em país de moeda fraca, é indiferente levar cartão pré-pago em dólar ou em euro. As duas moedas conservam cotações justas no mundo inteiro.

Todos os gastos e saques, porém, ocasionarão uma nova operação cambial, na qual você vai perder de 3 a 5%, como se levasse o dólar ou o euro numa casa de câmbio para trocar pela moeda local. A diferença com relação ao dinheiro vivo é que a cotação será a mesma em qualquer lugar, sem risco de ser engambelado por uma casa de câmbio espertinha, e sem variação entre dia da semana e fim de semana.

Dinheiro no exterior

SAQUE DA CONTA CORRENTE EM CAIXA AUTOMÁTICO

O IOF de 6,38% é cobrado a cada saque; a cotação que vale é a do momento do saque.

Essa costumava ser a minha forma preferida de obter dinheiro no exterior. Basta habilitar a função saque internacional antes de viajar, e dá para tirar moeda local em caixa automático aonde você for.

Porque "costumava" ser a minha forma preferida? Porque ultimamente as tarifas de saque e de uso do equipamento inflacionaram demais. Isso, combinado com o baixo limite de operação de muitas redes, faz com que a cotação final acabe bastante desvantajosa.

É uma opção que vale a pena quando você não paga tarifa de saque ou de uso de equipamento no exterior (alguns bancos internacionais oferecem isso a clientes de contas premium), ou quando consegue sacar acima de US$ 300 de cada vez.

Se você conseguir sacar 250 euros ou 300 dólares (ou o equivalente a isso em países de moeda fraca), vai fazer um bom negócio. Menos do que isso, sacar moeda local no caixa automático será apenas um luxo (e um luxo caro).

Dinheiro no exterior

CARTÃO DE CRÉDITO

O IOF de 6,38% é cobrado a cada gasto. A cotação que vale é a do momento do pagamento da fatura.

Por estimular o descontrole de gastos, o cartão de crédito já é normalmente tido como o vilão das viagens. Em situação de instabilidade cambial (ou terremoto cambial, como estamos vivendo em 2015), então, o cartão de crédito vira o pária dos meios de pagamento no exterior.

Mas veja bem. Um dia -- um dia -- teremos novamente uma moeda estável. E quando esse dia voltar, saiba que o cartão de crédito não é esse bicho-papão todo, não.

A comodidade e a segurança que o cartão de crédito proporciona, na minha opinião, supervalem os 6,38% de IOF. E ainda rendem milhas, que ajudam a compensar a diferença.

A exceção uruguaia

No Uruguai o cartão de crédito barateia a ida a restaurantes: pagamentos em cartão internacional têm direito a 18,5% de desconto do IVA – o que compensa largamente o IOF e o risco de desvalorização. A mamata começou há três anos e tem validade garantida até pelo menos 30 de outubro de 2017.

Leve o seu cartão, mesmo se não for usar

Ainda que usar cartão de crédito não esteja nos seus planos, não esqueça de levar na carteira, devidamente desbloqueado para uso no exterior.

Primeiro, porque um cartão de crédito no bolso é o melhor plano B para qualquer emergência.

E depois, porque um cartão de crédito internacional é indispensável em todas as operações que exijam caução (ou "bloqueio", no jargão do meio). Você não vai conseguir alugar carro sem um cartão, e alguns hotéis também vão fazer um bloqueio preventivo para cobrir diárias e extras.

Sem cartão de crédito você tampouco conseguirá comprar ingressos e tours antecipadamente online.

Leia mais:

637 comentários

geo macedo
geo macedoPermalinkResponder

Caros Bom dia

Estou indo para o Peru passar 7 dias agora em novembro, qual a melhor opção em relação a moeda, levo em dólar, real ou cartão ??

Grato

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Geo! Na ponta do lápis, o melhor é levar dólares. O mais confortável e prático é usar cartão de crédito, com as desvantagens financeiras que você conhece. Não compensa levar reais nem comprar soles no Brasil.

Rodrigo Rezende

Bom dia! Querendo usar o cartão pré-pago na Suíça, compensa levar reais para solicitar o cartão lá, evitando assim o IOF de 6,38%? Compensa a provável desvalorização do real que (provavelmente, mas eu não sei se) ocorre em comparação com a cotação do real aqui?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rodrigo! Leve euros ou faça um cartão pré-pago em franco suíço aqui. Não adianta inventar, amigo. Nâo há escapatória. Se o real não vale nada no Brasil, você acha que vai valer na Suíça?

Rodrigo Rezende

Entendi, melhor levar o cartão pré-pago daqui, já em francos.
Mas em caso de dinheiro vivo, então vale mais a pena levar euro do que a própria moeda suíça? Porque parece que nas casas cambiais do Brasil também tem oferta de francos.... Desde já agradeço a paciência pra me tirar essas dúvidas, amigo, me ajudou muito!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rodrigo! A cotação em papel moeda dificilmente será boa para francos suíços. Compare a diferença entre as cotações de compra e de venda. Se for de 20%, melhor levar euros.

Camila
CamilaPermalinkResponder

Olá, eu vou para Foz e Puerto Iguazu em Fev.2016. Vale mais levar o dólar mesmo para os dois lugares, ou parte do dinheiro em real e parte em dólar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Camila! Foz, por ser fronteira, é exceção. Troque reais por pesos no centro da cidade:

https://www.viajenaviagem.com/2015/10/o-melhor-cambio-de-puerto-iguazu-esta-em-foz-do-iguacu

Gilmar Bergamin

Boa tarde.
Ainda continua IOF de 0,38% para quem tem conta no exterior?

Grato.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gilmar! Sim, acrescido de eventuais encargos bancários.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Bom Dia!

Amigo, estou indo a Suíça em Dezembro, e enfim, vi seu comentário acima e você está indicando o Rodrigo Rezende a levar Euro ao invés do Franco Suiço. Poderia explicar? Vi que o Franco Suiço hoje está cotado em 3,72 já o Euro está em 4,00. vi nesse site (http://chf.pt.fxexchangerate.com/) que 1 Euro compra 1.0870 de Franco Suiço. Outra coisa, acredito assim como existe taxas cambiais para trocar real pelo euro, deverá ter taxa para troca do euro pelo franco suiço não é?

Desde já agradeço pelas informações, fica com Deus!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Eduardo! Uma coisa é a cotação interbancária, que é a que você pesquisou. Outra é a cotação efetivamente oferecida pelas corretoras na compra de papel-moeda. Veja por que preço você efetivamente consegue comprar o franco suíço e o euro e aí sim veja se a relação 1 euro para 1,08 franco se mantém.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Certo, irei fazer cotação essa semana, qualquer coisa deixo um feedback... Obrigado pela dica!!

Sérgio
SérgioPermalinkResponder

Tenho alguns travellers cheques em euro que sobraram de uma viagem há 6 anos. Sabe se terei dificuldade de trocá-los na Europa, atualmente? Grato pelo retorno!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sergio! A dificuldade é só a de ir até o local de troca do emissor do seu cheque.

Zelia
ZeliaPermalinkResponder

Oi gente! Mandei uma pergunta ontem, não sei se vcs não receberam ou se é do tipo de pergunta que vcs não respondem, de toda forma, perguntarei novamente, as notas antigas de dólar (as de "cara pequena") são aceitas normalmente em Orlando e Miami? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Zélia! Valem. Não há o menor fundamento em boatos que não valeriam.

Zelia
ZeliaPermalinkResponder

Muito obrigada! =)

Gabrielle Resende

Olá !
Vou viajar para a Colômbia em lua de mel em abril de 2016 e estou em dúvida sobre qual moeda levar. Algumas pessoas tem "buzinado" nas nossas cabeças dizendo que é melhor levar real e trocar por pesos lá do que compra dólar aqui para trocar por pesos lá.
Até que, graças a Deus vi este post.
Mas... afinal, é mesmo melhor fazer duas operações de câmbio no caso da colômbia?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabrielle! Leve dólar.

Thiago
ThiagoPermalinkResponder

Gente, e o cartão de débito? Ele não é aceito na Europa, por exemplo de bancos conhecidos na Europa como HSBC e Santander.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thiago! O que determina a aceitação de um cartão não é o seu banco emissor, mas a bandeira do cartão. Se o cartão for Visa, será aceito nos estabelecimentos que aceitem Visa. Se for MasterCard, será aceito nos estabelecimentos que aceitem Mastercard. É mais garantido que compras no débito sejam realmente feitas nesta função quando o cartão for exclusivamente de débito. Muita gente se queixa de tentar fazer compras no exterior na função débito com cartões múltiplos (débito e crédito no mesmo cartão) e os gastos acabarem sendo computados na função crédito.

Fabio Covaleski

Fui agora em novembro, levei um pouco, bem pouco mesmo, pois tinha pesquisado e a melhor opção era sacar da conta corrente nos caixas colombianos, pois já saía na moeda local. Na saída da imigração em Bogotá minha esposa estava agoniada e fez eu trocar numa casa de câmbio, dae discutimos e ela pediu pra cancelar o câmbio e procuramos um caixa eletrônico no segundo piso. Na casa de câmbio era 550 pesos colombianos por 1real, no caixa com a taxa deu 730 por real mais ou menos. Ou seja é muito melhor. Mas veja se seu banco faz isso, a Caixa Federal não faz. Meu banco é ITAU, Santander e banco do Brasil tbém fazem.

Alexandre Almeida

"Se a diferença de cotação de compra e venda estiver próxima, ou ligeiramente acima, de 10%, o cartão vale a pena. Se a diferença estiver em torno de 20%, você vai perder menos se levar cartão em dólar."
Como faço a conta? Cotação de compra e venda do papel moeda ou compra e venda do cartão? Essas cotações são referentes à casa de cambio que estou pesquisando?
Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alexandre! Se vai comprar cartão, veja a diferença de cotação entre compra e venda no cartão. Se for comprar papel-moeda, veja a diferença de cotação entre compra e venda no papel-moeda. Diferenças superiores a 20% (em moedas sul-americanas chegam a 30%) indicam que a corretora está cobrando uma margem alta demais. Neste caso, compre o dólar ou euro mais em conta que você encontrar.

Fernando
FernandoPermalinkResponder

Boa noite, em janeiro devo ir a Miami e tenho notas de SU$ 100 (dólares) antigas, estas notas são aceitas em Miami?

Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernando! São.

Patrícia
PatríciaPermalinkResponder

Bom dia! Uma amiga está indo passar um ano na Turquia e estou ajudando ela na organização. Estamos com dúvida se é melhor ela levar dólar ou euro, mas já li no post que o dólar está melhor. Minha dúvida é pra mandar dinheiro do Brasil para ela. Qual a melhor opção? Depositar na conta dela e ela fazer saque por lá ou tem alguma opção mais vantajosa?
Amo esse blog, tem me ajudado desde a minha primeira viagem internacional quando fui para o Chile em 2011! Aproveito o comentário para deixar aqui minha gratidão! =)

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Patricia! Tanto faz levar dólar ou euro para a Turquia.

Daniel
DanielPermalinkResponder

Bom dia!!
Irei para El Calafate (Argentina) em fevereiro/2016 e os pesos argentinos desvalorizaram bastante em relação ao real nos últimos dias, mais de 30%.

Ainda vale a regra de levar dólares nesse caso, ou já compensaria levar reais para realizar a troca na cidade?

Muito obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Daniel! Já dá para levar reais e trocar no Banco Nación. Hoje a cotação do dólar está 13 pesos e o real, 3,50 pesos.

Edmur
EdmurPermalinkResponder

Boa noite.
Eu tenho dolares em papel moeda e irei para a Itália. O que é melhor? Vender estes dólares aqui e comprar Euros ou levar os dolares para lá e trocar por Euros?
Grato

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Edmur! Leve seus dólares.

Hugo
HugoPermalinkResponder

Excelente post parabéns. Vou para San andres na Colômbia e estou levando alguns dólares comigo mas não quero levar tudo em dinheiro. Passei na casa de câmbio para perguntar sobre o vtm e a moça disse que além dos 6,38% de iof que irei pagar agora ao depositar o dinheiro irei pagar mais 7% ao usar o cartão lá, e se quiser sacar o dinheiro ainda irei pagar mais 2,50 dólares. Fico pensando se vale a pena mesmo usar esse vtm ou devo arriscar e ficar no cartão de crédito. Vi que você tem vasto conhecimento no assunto e gostaria da sua opinião. Desde já agradeço!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Hugo! Conforme está escrito no texto, e a única coisa que eu posso fazer é repetir aqui, porque não há nada a acrescentar, a vantagem do pré-pago é apenas congelar o dólar no momento em que você comprou. Para países onde ainda haverá outro câmbio, a escolha só se justifica prefere perder dinheiro a correr risco de desvalorização. Se você não quer pagar imposto, leve dólares vivos.

Milliana Henrique Devilla

Boa noite! Estou indo para Uruguai e Argentina semana que vem e gostaria de saber quanto de "propina" deixar nos cafés e restaurantes para não passar feio....! Grata!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Milliana! 10%. Na maior parte das vezes, não vão deixar incluir no cartão; tem que deixar em dinheiro.

Daniel Brum
Daniel BrumPermalinkResponder

Olá! smile Vou para a China continental semana que vem, 15 dias em Pequim, Xangai e arredores. Levo dólares ou Yuanes? Quanto % levar em dinheiro vivo e qto sacar nos ATMs?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Daniel! Leve dólares.

Isadora
IsadoraPermalinkResponder

Caros, post muito claro, completo e elucidativo. Passarei 40 dias na Espanha a partir do fim deste mês. Compensa financeiramente levar quase totalidade do que pretendo gastar em euros, em espécie, trocados no Brasil? Considero que euro segue em alta e topo correr os riscos sobre segurança. Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Isadora! Não leve reais para a Europa. Se for para países onde o euro é corrente, compre euros no Brasil. Está claríssimo no texto, não há por que ter dúvidas.

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Olá!
Quero passar o Natal em Buenos Aires e o Réveillon em Montevidéu. Porém meu marido tem medo da instabilidade financeira que se encontra aqui e na Argentina. E me pede para esperar e ver como vai ficar.
De acordo com sua experiência, o que devemos fazer?
Grata.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Juliana! É muito cedo para comprar viagem de fim de ano para qualquer parte do planeta, instável ou estável economicamente.

Leilane
LeilanePermalinkResponder

Olá! Vou viajar para a Bulgária e estou na dúvida quanto ao que devo fazer. É melhor comprar euros aqui no Brasil e trocar por lev já na Bulgária, ou sacar em caixa eletrônico lá?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leilane! Não sabemos qual é o saque máximo por operação na Bulgária. Atualmente paga-se taxas demais nesse tipo de operação que acabam prejudicando o consumidor. Além do quê, o limite diário/semanal para saques internacionais costuma ser baixo em todos os bancos. Se não levar euros suficientes, use cartão de crédito.

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Olá, irei para Santiago em junho, e estou na dúvida se compensa fechar o hotel pela agência de viagens pagando antecipado, ou acertar direto com o hotel pagando no cartão de crédito ou em dólares.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luciana! A única maneira de descobrir isso é comparando o que a agência está cobrando com a tarifa que você consegue nos sites online.

Vinícius Xavier Marino

Olá, tudo bem?
Vou para o México em Maio e estou no momento de decidir a melhor forma de levar dinheiro.
Pelo que entendi do seu post, a melhor opção é comprar dólares aqui no Brasil e trocar por pesos lá no México. Mesmo com o real tão desvalorizado em relação ao dólar, essa "regra" continuar?
Em relação ao Travel Money, é uma boa opção carregar um cartão aqui no Brasil com dólares para garantir certa segurança?
Agradeço desde já!

Att,
Vinícius

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Vinicius! Como está no texto, quando o real se desvaloriza sozinho frente ao dólar, se desvaloriza contra todas as outras moedas. Quando a desvalorização é generalizada, as outras moedas desvalorizam também. O dólar é a referência de valor entre as moedas do mundo.

Se o real desvalorizou frente ao dólar de ontem para hoje no Brasil, também desvalorizou frente ao peso mexicano de ontem para hoje. Não leve reais para o México. Nâo há procura por reais no México, a cotação é ruim.

Como está escrito no texto, o cartão pré-pago apenas congela a cotação do dólar. Se você acha que o real vai desvalorizar mais até a sua viagem, fazer um pré-pago é uma estratégia válida. Mas se você não aposta em mais desvalorização do real, o cartão de crédito oferece mais comodidade do que o pré-pago, além de milhas.

Não há novidades. Tudo o que falamos no texto continua válido. O dólar pode subir 100%, e manteremos o que está escrito.

Fabricio
FabricioPermalinkResponder

Estou comprando passagens de trem para a Europa e alguns sites oferecem a opção de comprar em Euro ou em Libras! Não tenho como escapar do cartão de crédito! Neste caso o que compensa mais? Pagar em euros ou em libras?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fabricio! Dá exatamente na mesma.

Carine
CarinePermalinkResponder

Oii, por favor, uma dúvida, desculpe se for boba demais!! mas é minha primeira viagem internacional, então, prefiro o certo pelo duvidoso. Sei que o limite para não declarar na receita é R$ 10.000, mas como vou levar em dólares, qual cotação uso para converter e saber o valor exato? dólar turismo ou comercial? Mto obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carine! Use o dólar-turismo.

Gessica
GessicaPermalinkResponder

Olá! Irei fazer meu primeiro intercâmbio em Setembro para o Chile- Santiago e tem uma dúvida que me tira o sono, como passarei 6 meses lá, gostaria de levar uma quantia superior a declarável pela Receita Federal, você aconselharia colocar o restante do dinheiro em um cartão pré-pago? Em qual moeda? Considerando o fato que não terei cartão de crédito. Desde já agradeço muito sua resposta. Grata.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Geisa! Nosso blog é de turismo. Não há limite para declarar quantias; há um limite para quantias que não necessitam de declaração (R$ 10.000)

LAURO TADEI NETO

Tem um post bem legal explicando como conseguir economizar ate 20% na escolha da corretora de cambio... Achei bem legal.. segue o link..http://leveviagem.com/como-escolher-seu-cartao-vtm/

Natalia Bregano

Boa tarde,

Estou indo pra Nova Zelândia agora em Fevereiro. Estava pensando em levar toda a quantia em um cartão pré-pago multi moedas, e no caso eu já compraria em NZD. Mas se eu levar em espécie eu economizo muito no IOF.
O que vc sugere?

Muito obrigada desde já pela ajuda!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Natalia! Eu sugiro que você pesquise a cotação que você consegue em papel-moeda e a cotação que você consegue em VTM e faça as contas incluindo o IOF. É o único meio de decidir com base científica.

PATRÍCIA GUERREIRO

Boa tarde! Vou viajar em julho para a Eurupa e, com a nossa péssima situação econômica, estou pensando em levar, além de euros e libras em espécie para o dia a dia, cartão pré-pago para pagar as diárias de hoteis em Lisboa, Roma, Florença, Veneza, Londres e Paris, realizadas via Booking.com, pois não quero andar com dinheiro em espécie (segurança). Gostaria de saber se a aceitação é total ou se há alguma restrição. Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Patricia! Nem sempre é conveniente pagar hotéis com cartão pré-pago. Alguns hotéis, sobretudo de redes, por segurança, fazem bloqueios de valores acima das diárias no check-in, ou bloqueiam algum valor a mais na saída, até que o quarto seja revistoriado e dado como OK. Isso não acontece com hotéis menores mas, se acontecer com você, vai ocasionar um bloqueio temporário do saldo do seu cartão.

PATRÍCIA GUERREIRO

Muito obrigada pela presteza em responder. Então, para fugir da variação cambial, só mesmo levando dinheiro vivo. Abraço.

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Oi, Patricia
Voce pode levar seu cartão pre-pago para pagar as diarias dos hoteis no check-out.
E, para não cair no problema que A Boia te alertou, use o cartão de credito no check-in, para o tal bloqueio, sem cobrança posterior.

Joselia
JoseliaPermalinkResponder

Levando dinheiro vivo,10.000,00 em outra moeda é muito pouco, com o valor do momento; alguém aqui já fez a declaração à receita (edbv) do excedente e como foi? Obrigada por compartilhar.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Joselia! Vamos compartilhar sua pergunta no Perguntódromo. Havendo resposta, aparecerá aqui.

Fabio
FabioPermalinkResponder

A solução é Bitcoin. O governo não tem como pegar.

Nahiana
NahianaPermalinkResponder

Oi! Vou para o México no final do mês e tô completamente perdida quanto a forma de levar dinheiro. Alguns sugeriram sacar no caixa eletrônico lá mesmo. Outros, trocar aqui e outros trocar lá. O que a maioria tem falado é que parece ser mais vantajoso é levar dólar e trocar lá por pesos. Mesmo com o dólar valendo em site de câmbio R$4,07?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Nahiana! Leve dólares. E use diretamente no comércio.

Lucas Souza
Lucas SouzaPermalinkResponder

Olá, estarei indo para Bogotá na Colombia semana que vem ,e estou totalmente perdido, com o dolar turismo valendo U$ 4,20 sera que vale a pena trocar REAL X DOLAR X PESO COLOMBIANO, ou fazer a troca direta REAL X COP ? Desde já grato.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lucas! Pesquise a melhor cotação e compre dólares no Brasil.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Olá. Estou fazendo minha primeira viagem internacional. Estou um pouco confuso. O peso colombiano é muito desvalorizado por aqui. Ao comprar no cartão de crédito, que cotação será usada? O valor que gastei em pesos colombianos será convertido em dolares de acordo acordo com qual cotação? A da bandeira do meu cartão? Caso eu divida em parcelas a cotação ficará fixa já na primeira fatura a ser paga?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafael! Seus gastos serão convertidos de pesos para dólar pela cotação interbancária (1 dólar vale hoje 3.350 pesos colombianos) e então para real, pelo dólar-turismo do seu banco. Caso parcele a fatura, as parcelas serão fixas em reais.

Anddré
AnddréPermalinkResponder

Olá. Irei no meio do ano para África do Sul. Gostaria de saber sobre o cartão travel money. Sei que toda carga ou recarga é cobrado 6,38% de IOF, mas a minha dúvida é na hora de usar o cartão lá..o saque em caixa eletrônico e o pagamento de lojas com o cartão apresentam alguma taxação? Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Anddré!

A cada saque o cartão desconta o equivalente a US$ 2,50 de taxa, mais a tarifa de uso do equipamento, que varia de rede para rede, mas pode chegar a outros US$ 5. Os limites por operação de saque costumam ser baixos, o que faz com que essas taxas pesem bastante.

Não há nenhuma taxa suplementar no uso do cartão como meio de pagamento em estabelecimentos comerciais.

Natália Grandi

Oi, Ricardo! Seu post foi muito útil, um dos melhores posts sobre o assunto que li até agora. Me ajudou a entender melhor algumas questões smile Eu fiz um post sobre isso no meu blog, citei você lá e coloquei um link para esse post! Caso queira ler, o post é esse aqui: http://bit.ly/1QLgKSN

Obrigada pelas dicas úteis!

Bruno Zambon
Bruno ZambonPermalinkResponder

Olá Ricardo,

Seu site é muito bom. Parabéns pelo conteúdo oferecido!

Estamos indo para a República Checa. Vi um site recomendando não levar euro e sim efetuar o saque lá em Praga.

Isso realmente é uma vantagem?

obrigado! um abraço

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bruno! Quem responde é A Bóia. O problema com trocar euro é que as casas de câmbio costumam enrolar os clientes, atraindo com cotações que só aplicam em grandes quantidades. Por outro lado, o saque em caixa eletrônico costuma ter limite baixo por operação, e como há três tarifas que incidem sobre cada saque (os 6,38% do IOF, a tarifa do seu banco e a tarifa de uso do equipamento), o câmbio obtido acaba sendo bastante desfavorável.

Todas as alternativas têm suas desvantagens. Se levar euros, tente trocar em agências bancárias com departamento de câmbio e também usar diretamente no comércio quando for aceito.

Cartão de crédito costuma oferecer uma boa cotação nesse contexto. O problema é o risco de desvalorização entre o gasto e o vencimento da fatura.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bruno! Quem responde é A Bóia. O problema com trocar euro é que as casas de câmbio costumam enrolar os clientes, atraindo com cotações que só aplicam em grandes quantidades. Por outro lado, o saque em caixa eletrônico costuma ter limite baixo por operação, e como há três tarifas que incidem sobre cada saque (os 6,38% do IOF, a tarifa do seu banco e a tarifa de uso do equipamento), o câmbio obtido acaba sendo bastante desfavorável.

Todas as alternativas têm suas desvantagens. Se levar euros, tente trocar em agências bancárias com departamento de câmbio e também usar diretamente no comércio quando for aceito.

Cartão de crédito costuma oferecer uma boa cotação nesse contexto. O problema é o risco de desvalorização entre o gasto e o vencimento da fatura.

Vanessa Cacciaguerra de Lucena

Excelente artigo, agradeço!
Só faltou falar dos cartões de débito.
Eu viajo para a Europa, mas além da zona do euro também passarei pela Hungria e Polônia.
Para complicar, parte do meu dinheiro só vai cair enquanto eu estiver viajando, e por isso estou em dúvida se levo um cartão pré-pago e faço a recarga no caminho ou se uso diretamente o débito do meu banco (HSBC). Complicado, né? Você teria alguma sugestão?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Vanessa! Ambos sofrem incidência de 6,38% de IOF. O limite para saques é baixo. A não ser que a sua conta seja isenta de tarifa de saque no exterior, as tarifas de saque e de uso de equipamento não compensam. Cartão pré-pago com recarga à distância será mais útil.

Carol
CarolPermalinkResponder

Olá, obrigada pelo artigo, muito util e esclarecedor!
Eu vou pra Tailandia e estava pensando em levar dolares e trocar pela moeda local (toda a quantidade que será necessária durante a viagem toda). Mas estou considerando levar so metade e sacar do meu cartão multipla função Santander Free (isento de tarifas de saque internacional). Alguém possui esse cartão e poderia contar como foi a experiencia?
Obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carol! Verifique se a isenção é válida em países onde o banco não atua. Normalmente essas facilidades são para saques em equipamento próprio dos bancos que oferecem a isenção.

nayama
nayamaPermalinkResponder

Ola, estou indo para Nova Zelandia em abril, qual q melhor opcao, VTM ou dinheiro?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Nayama! O dólar da Nova Zelândia vale hoje R$ 2,63 segundo o Uol.

http://economia.uol.com.br/cotacoes/cambio/dolar-da-nova-zelandia-nova-zelandia/

Compare com a cotação que você encontrar para papel ou VTM. Se estiver 15% mais cara do que isso, já vale a pena comprar dólar americano e trocar por lá, ou usar cartão de crédito.

Jessica
JessicaPermalinkResponder

Boa Noite!! Estou precisando de um help.... Já fui 2 vezes para a Europa levando metade em dinheiro vivo e metade no VTM. Uma amiga minha foi para Berlim em 2013 e falou que eles não aceitam muito cartão. Até mesmo o Mc Donalds não aceitava cartão!!! E agora em maio vou para a Alemanha fazer a rota romântica... Cidades menores. Vcs saberiam me disser se a aceitação de cartão aumentou? Se eu for com o VTM do Banco do Brasil vou encontrar caixas eletrônicos para sacar? Desde já muito obrigada!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jessica! Não é preciso encontrar caixas automático do Banco do Brasil para fazer saques. Se o seu cartão pré-pago for VTM, você poderá fazer saque em qualquer caixa automático ligado à rede Plus, da Visa. A maioria é.

Kiara
KiaraPermalinkResponder

Bóia - para quem vai passar uma longa temporada no exterior e tem conta no BB no Brasil, é viável fazer retiradas em algum BB no exterior onde existe agência??? Vc saberia dizer???? Agradeço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Kiara! Informe-se com o seu gerente. Pelas novas regras de remessas internacionais, gastos com viagem têm imposto de 25%. Já saques comuns, de conta corrente, têm 6,38% de IOF e podem ser feitos em praticamente qualquer caixa automático.

Barbara Ferragini

Oi pessoal! Muito legal o post de vcs! Realmente, viajar com esse dólar alto tá tenso! Mas mesmo assim, to indo pra nossa vizinha Bolívia e Peru! Minha dúvida é - vou trocar boa parte dos reais por pesos bolivianos (a cotação ao menos na internet está R$ 1 = 1.75 BOB), e pensei também em levar real para trocar na fronteira com o Peru ou em Cuzco mesmo em soles. O que vcs acham? Não to nem um pouco animada em trocar os reais aqui no BR por dólar mesmo sabendo que o dólar lá vale mais. Aguardo contato. Obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Barbara! Leve dólares.

Selma Bernardes

Ameiiiiiiiiii!!!!!!! Vou reler tudo, com calma, inclusive os comentários.

Tenho viagem marcada para Irlanda, precisamente 15 de abril. Já habilitei cartões débito e crédito Banco do Brasil, por segurança.

Agora, estou escolhendo um cartão pré-pago.

Muito boa sua orientação. Se puder me dar dicas, agradeço. Sei que me ajudarão a fazer uma ótima escolha.

Muitas felicidades.
Obrigada
Selma

Rafaela Cruz
Rafaela CruzPermalinkResponder

Vou em maio para a Rússia. Ficarei 10 dias. Qual a melhor moeda para comprar, dólar ou euro? Levo em espécie ou travel money?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafaela! Tanto faz dólar ou euro. Se não quiser se incomodar com casas de câmbio, leve em travel money. Se você trocar mal o dinheiro vivo (ou seja: se não encontrar casas de câmbio que ofereçam a cotação justa, sem enganar com falsas promessas, o que é bastante difícil em todo o Leste Europeu), pode perder mais do que os 6,38% do IOF. Pelo menos o travel money (ou o cartão de crédito) não atrapalha o seu dia a dia de turista.

Jose luiz
Jose luizPermalinkResponder

Olá. Posso alugar um carro no exterior com um cartão pré?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, José! Por segurança, as locadoras bloqueiam um valor bem maior do que o da locação. Você ficaria com uma parte do seu dinheiro indisponível até alguns dias depois da locação.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Carol,
Já fiz esse saque em Bahts, no aeroporto de Bangkok, e funcionou perfeitamente. Não me lembro do limite dos caixas eletrônicos, mas em fóruns da internet vc descobre qual é o que te deixa sacar o máximo. Geralmente é na faixa que a boia falou, de uns 300usd. Alguns te permitem mais, mas é melhor checar. Pesquise por atm visa ou Mastercard Bangkok que vc vai descobrir.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Boia, vc sabe qual é o IOF cobrado nesses caixas eletrônicos de aeroportos que permitem saque em dólar aqui no Brasil? Santander e BB têm caixas em GRU e eu queria saber sobre IOF e o valor cobrado pelo USD (se mais para comercial ou mais para o dos cartões de crédito) já que os saques internacionais do Santander pela rede plus geralmente eram muito próximos da cotação oficial... Obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leandro! IOF de 6,38 0,38%. A taxa de câmbio deve ser compatível com a praticada pelo banco para venda de moeda cash. O único banco que tem cotação mais para o comercial que para o turismo é a Caixa.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Apenas a título de esclarecimento sobre saques no exterior:
Na Suíça, provavelmente não haverá problemas com valores. Saquei 2000fr e o caixa eletrônico liberou sem problemas.
Nos EUA os do bank of América geralmente liberavam 800usd
Na Europa os limites são menores. Na Itália foi um caos para sacar. Em Berlim, idem. Uns 300 ou 400 euros no máximo. A dica é chutar alto no caixa, tipo uns mil e ver se ele mesmo indica o limite dele. Tudo isso diminui os prejuízos.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Vc tem certeza disso? Hoje o melhores destinos fez uma matéria dizendo que é 0,38%, o que me parece razoável.
A Caixa é isso aí na função crédito. No débito o Santander sempre foi bem próximo da cotação oficial. Seria bom fazer um teste in loco para saber. Amanhã talvez eu tente...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leandro! Na pressa de responder, errei. O imposto é o mesmo de dinheiro vivo, 0,38%.

Tamara Couto
Tamara CoutoPermalinkResponder

Olá eu e meu pai vamos viajar para o Líbano em julho de 2016, nunca fizemos uma viagem internacional e estamos na dúvida qual seria a melhor opção levar o cartão de crédito internacional, travel money, trocar o real por lira aqui e levar o dinheiro mesmo???

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tamara! Leve dólares ou euros ou use cartão de crédito. Não faça a suprema besteira de comprar liras aqui. Leia o post, por favor.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar