Roteiro para Machu Picchu | Primeira viagem ao Peru

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Machu Picchu e Cusco: Machu Picchu

Este post com roteiro para Machu Picchu é o quarto e último de uma série para você planejar sua primeira viagem ao Peru. Não deixe de ler também:

Roteiro para Machu Picchu

Recomendo ler o post na ordem em que está escrito, porque as informações vêm encadeadas. Mas caso você queira, também pode clicar para ir direto ao tópico:

Aguas Calientes (Machu Picchu Pueblo)

Verdes Andes

Inkarail

Uma das diversões a bordo do trem de Ollantaytambo e Aguas Calientes (oficialmente rebatizada Machu Picchu Pueblo) é observar a mudança de paisagem: à medida em que o trem avança, a vegetação vai ficando mais densa. Suavemente, sem nenhum declive perceptível, vamos descendo dos 2.800 metros de altitude de Ollanta para os 1.900 de Aguas Calientes, já na transição do Peru andino para o Peru amazônico.

Aguas Calientes

Ao contrário de todos os outros povoados que você visitou até agora, Aguas Calientes não tem parte histórica nem resquícios incas. O vilarejo nasceu em função dos andarilhos que chegavam pela trilha inca e precisavam pernoitar antes de prosseguir a Machu Picchu. A ocupação foi acontecendo de forma caótica, com construções enjambradas, sem planejamento viário. A energia, porém, é das melhores: Aguas Calientes é um lugarzinho animado, cheio de gente compartilhando a alegria de estar na ante-sala de Machu Picchu.

Aguas Calientes

Dormir em Aguas Calientes é um privilégio: os micro-ônibus que levam ao santuário de Machu Picchu começam a sair às 5h30 e fazem o percurso em 25 minutos. Quem está na vila tem condições de curtir o parque em condições físicas ideais -- sem o cansaço de quem sai de Cusco ou de Ollantaytambo em esquema bate-volta.

Passagens mais baratas para Lima no nosso parceiro Kayak

Onde ficar em Aguas Calientes

Isso que eu falei da ocupação desordenada... infelizmente vale também para os hotéis. Prepare-se para um downgrade de conforto (e para pagar mais caro do que num hotel da mesma categoria em Cusco). Os hotéis mais em conta, mesmo que ofereçam quartos duplos, normalmente oferecem padrão hostel. Mas não é grave: é só por uma noite.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Mondial Assistance

As notas dos hotéis foram apuradas em janeiro de 2019

Casa Andina Classic Machu Picchu

Casa Andina Classic

Se você busca um hotel confortável na faixa de melhor relação custo x benefício, despontam dois destaques das redes de sempre: o Casa Andina Classic Machu Picchu (nota 8,4 no Booking), que está na rua paralela à estação de trem, e o Terra Viva Machu Picchu (nota 9 no Booking), na saída para Machu Picchu. Um nadinha mais caro, o Ferré (nota 8 no Booking), vizinho do Casa Andina Classic, também merece ser considerado.

El MaPi

El MaPi

Com um pouco mais de folga no orçamento, dá para pensar no El Mapi by Inkaterra (nota 8,7 no Booking), é o intermediário entre os funcionais e os hotéis de luxo. É uma construção moderna e ainda assim discreta, visto que está em pleno calçadão da Pachakutec; os quartos têm algumas bossas de hotel-design e a diária inclui o jantar.

Inkaterra

Inkaterra

Se grana não for o problema, então a escolha em Aguas Calientes tem que ser o Inkaterra (nota 9,3 no Booking), cujos bangalôs estão à beira-rio, praticamente na mata (e a uma quadra da estação de trem).

Sumaq

Sumaq

Seu concorrente é confortável, mas não é charmoso: o Sumaq (nota 9,1 no Booking) tem ambientes pesados, rebuscados demais (mas um ótimo serviço).

Sanctuary Lodge

Sanctuary Lodge

Querendo (e sobretudo podendo) deixar a bagunça de Aguas Calientes para os reles mortais, cacife uma noite no Belmond Sanctuary Lodge (nota 8,7 no Booking), o hotel que fica colado ao portão de entrada do parque arqueológico de Machu Picchu. O edifício foi construído pelo governo peruano e concedido à luxuosa rede Belmond (antiga Orient-Express Hotels, dona do nosso Copacabana Palace) -- que, sem poder mexer na estrutura física do prédio tombado (os quartos são bastante compactos), capricha no conforto e no atendimento. Nenhum mimo, porém, será maior que estar a dois minutos da porta da cidadela perdida e poder entrar às 6 em ponto, quando o santuário abre. Jacuzzi ao ar livre, massagens e a vista da cidadela desde a piscina distraem os hóspedes quando não estão no parque.

Como chegar a Aguas Calientes

Repassando as maneiras de chegar a Aguas Calientes:

InkaRail

De trem, vindo de Ollantaytambo

O trajeto é feito em 1h30 pela InkaRail ou pela PeruRail (clique nos links para ver horários e preços; é necessário comprar a passagem com antecedência).

Você pode ir de Cusco a Ollantaytambo com as vans, conhecidas como colectivos, que saem da calle Pavitos (12 soles/4 dólares; 1h45 de trajeto); pode contratar um trânsfer privativo de Cusco direto a Ollantaytambo (55 dólares por carro na Real Inka, 37 dólares por carro na TaxiDatum; 1h30 de viagem); pode ir de Cusco a Ollantaytambo num tour privado guiado passando por Chinchero, Salineras de Maras e Moray (170 a 200 dólares nas agências por seis horas de passeio); e pode ir de Cusco a Ollantaytambo em tour com motorista mas sem guia, passando igualmente por Chinchero, Salineras de Maras e Moray (80 dólares por carro na Real Inka, 65 dólares por carro na TaxiDatum pelo passeio de 6 horas). Veja detalhes deste roteiro com paradas na parte 3 desta série.

Sempre lembrando que só dá para embarcar nos trens com uma mochila pequena. Se você não deixou sua mala grande no hotel de Cusco, pode usar os guarda-volumes oferecidos tanto pela Inca Rail quanto pela PeruRail para seus passageiros (leia mais sobre onde deixar sua mala).

Caso você opte por deixar a mala no guarda-volumes de Ollantaytambo, vai ter que voltar de Machu Picchu/Aguas Calientes por Ollantaytambo, para poder retirar a mala. Se você comprar a volta a Poroy ou San Pedro, não vai ter tempo de descer em Ollanta para pegar a mala.

De trem, vindo de San Pedro ou Poroy (Cusco)

Sim, é possível visitar Machu Pichu como um bate-volta desde Cusco. Os trens saem das estações de San Pedro (no centro de Cusco), ou da estação Poroy, a 25 minutos de táxi da Plaza de Armas. O trajeto até Aguas Calientes (também conhecida como Machu Picchu Pueblo) é feito entre 2h50 e 3h50 pela Inca Rail e pela Peru Rail (clique nos links para ver horários e preços; é necessário comprar a passagem com antecedência).

Para ir de Cusco a Poroy, um táxi de rua vai cobrar entre 20 e 30 soles (menos 10 dólares). A TaxiDatum cobra 40 soles (13 dólares). Não há guarda-volumes em San Pedro ou em Poroy. Você necessariamente precisará deixar sua mala maior no hotel em Cusco (todos guardam sem problema nenhum).

Leia mais sobre a compra da passagem de trem no post-introdução desta série.

Vale a pena fazer Machu Picchu como bate-volta de Cusco?

Desde 1º de janeiro de 2019, os ingressos para Machu Picchu têm hora marcada para entrar. Isso diminuiu a desvantagem de quem não dorme em Aguas Calientes. Basta coordenar direitinho os horários do trem e do parque, e você não terá que disputar a entrada com todo mundo que já estava em Aguas (só com as pessoas que compraram para o seu horário).

Continuo achando, porém, que dormir em Aguas faz você aproveitar melhor o ápice da sua viagem ao Peru. Enfrentar uma viagem de quase 4 horas desde Cusco faz você chegar cansado a Machu Picchu -- lembre-se de que, lá dentro da citadela, serão 3 horas de caminhada. (Fazer o bate-volta a partir de Ollantaytambo é menos mau, já que a viagem leva apenas 1 hora e meia.)

Vai por mim: investir numa noite em Aguas Calientes, mesmo com os hotéis sendo mais caros do que os de Cusco, vale muito a pena. Começar o seu passeio a Machu Picchu fresquinho e descansado faz toda a diferença.

Providências práticas ao chegar

Passagens de ônibus

Depois de fazer check-in no seu hotel, aproveite logo para comprar as passagens de ônibus para Machu Picchu. Assim, no dia seguinte, você pode ir para a fila do ônibus entre 90 e 60 minutos antes do horário de entrada para Machu Picchu, sem perder tempo extra na bilheteria do ônibus.

As passagens são vendidas no quiosque da Consettur no ponto inicial/final do ônibus, no entroncamento das duas "avenidas" do povoado, a Hermano Aydar e a Imperio de los Incas. Cada trecho custa 12 dólares; compre a ida e a volta (24 dólares). Espera-se que estrangeiros paguem em dólar. Em último caso, aceitarão soles, mas farão um câmbio ruinzinho.

Caso você ainda não tenha comprado o seu ingresso para o parque (não faça isso! Compre com a maior antededência possível no site oficial!), ou precise fazer qualquer modificação, passe no posto do Ministério da Cultura, no início do calçadão da Pachakutek, junto à praça Manco Capac. O posto funciona diariamente das 5h20 às 20h45.

Leia mais sobre a compra do ingresso a Machu Picchu no post-introdução desta série.

Banhos termais!

Depois de se instalar no hotel e comprar os bilhetes do busão, que tal uma relaxada nas águas termais que deram o nome original do lugar (Aguas Calientes)? É só subir o calçadão da Pachakutek até o final. Leve roupa de banho na mochila! Abre diariamente das 5h às 20h (ingresso para estrangeiros: 20 soles; aluguel de toalha à parte).

Onde comer em Aguas Calientes

Todos os restaurantes parecem ter o mesmo cardápio ítalo-peruano e as mesmas técnicas de caçar o passante na rua. Os preços, tanto de comida quanto de comida, são entre 30% e 50% mais elevados do que em Cusco.

Incontri del Pueblo Viejo

Incontri del Pueblo Viejo

Em três dias na cidade (em duas ocasiões diferentes), minha melhor experiência foi no Incontri del Pueblo Viejo (av. Pachacutec, 6ª quadra, tel. 084 21-1072), que faz boas pizzas e massas num ambiente bastante charmoso.

Indio Feliz

Indio Feliz

O restaurante mais folclórico do pedaço é o cavernoso Indio Feliz (Lloque Yupanqui, 103, tel. 084/21-1090), famoso por suas paredes revestidas por bilhetinhos deixados pelos clientes. A comida mistura as montanhas da Suíça com as do Peru.

Inkaterra

Café Inkaterra

Os dois hotéis top da cidade têm bons restaurantes, que servem não-hóspedes. O Café Inkaterra, do hotel Inkaterra, não aceita reservas, mas vale a pena entrar na fila. Para almoçar ou jantar no Qunuq, passe para reservar na recepção do hotel Sumaq.

Passagens mais baratas para Lima no nosso parceiro Kayak

Machu Picchu

Gran finale

Machu Picchu

Chegou o dia mais esperado. O lugar que, muitos anos atrás, inspirou você a viajar ao Peru, agora está a meia hora de microônibus. Haja ansiedade.

Mas pense no seu percurso até aqui. Aquela foto-clichê da cidade perdida dos incas acabou levando você por uma viagem muito além daquele cartão-postal.

Nesta última semana você experimentou ceviche de verdade, passeou pelos jardins dos penhascos à beira-mar de Lima, se surpreendeu com os encantos de Cusco, entendeu a diferença entre lhama, alpaca, guanaco e vicunha, aprendeu sobre técnicas incas de construção e agricultura e talvez até já seja capaz de dizer "Ollantaytambo" sem gaguejar.

Bora subir a montanha?

De Aguas Calientes a Machu Picchu

Embarque a Machu PIcchu

Não existem táxis ou nenhum tipo de transporte privativo para chegar a Machu Picchu. Ou você vai a pé (montanha acima) ou pega um dos micro-ônibus que saem do entroncamento das avenidas Hermano Aydar e Imperio de los Incas a partir das 5h30 da manhã, e levam 25 minutos até a entrada da cidadela.

Apesar dos ingressos ao parque agora serem vendidos com hora marcada, não há hora marcada para embarque nos ônibus. A recomendação é comprar a passagem ao chegar à cidade (veja aqui) e ir para a fila do ônibus entre 90 e 60 minutos antes do seu horário de entrada em Machu Picchu.

Muitos hotéis começam a servir o café da manhã às 5h (pergunte no dia anterior). Se você comprou ingresso com entrada para Machu Picchu nos primeiros horários (6h ou 7h), pode valer a pena fazer o check-out antes do café. Caso você precise cabular o café da manhã para não perder um dos primeiros ônibus, não se preocupe. Tem um café que funciona junto ao ponto de ônibus, onde você pode comprar café, sanduíche e pão doce.

Os ônibus saem à medida que vão lotando. Para entrar, além da passagem, você precisa apresentar um ingresso para o parque válido para o dia. (Leia aqui sobre ingressos a Machu Picchu.) Não é possível comprar ingresso no próprio parque.

O que fazer com a mochila depois do check-out?

Os hotéis top da cidade enviam a sua mochila para a estação. É só passar no posto indicado meia hora antes do seu trem de volta e recuperar sua mochila.

Os outros hotéis guardarão a sua mochila gratuitamente até a volta de Machu Picchu. Se você precisar passar no hotel para pegar a mochila, procure voltar a Aguas Calientes até 1 hora antes do horário de embarque do seu trem.

Machu Picchu: como é a visita

Entrada a Machu Picchu

As novas regras de visitação a Machu Picchu estabelecem que só é permitida a entrada ao sítio arqueológico quando acompanhado por guia. Mas não se preocupe. É fácil contratar um guia no local. Os guias credenciados ficam disponíveis na entrada, e cobram de 120 a 150 soles para grupos de até 4 pessoas. Viajantes avulsos se encaixam em grupos sem dificuldade. Apesar da regra, há relatos de leitores que visitaram sem guia.

Caso você esteja se encaixando num grupo, saiba antes por qual circuito o guia planeja circular. Hoje existem três circuitos fixos de visitação:

  • Circuito 1: mais completo, e o único que leva até o promontório de 240 metros de altura de onde se tem a vista clássica (e mágica) da cidadela. Dura 3 horas. É o mais recomendado.
  • Circuito 2: leva a um promontório menos alto para a vista geral e cabula a parte agrícola da cidadela. Dura 2 horas e meia.
  • Circuito 3: indicado para quem tem dificuldade de locomoção. Toma 2 horas.

Tenha em mente que não há certezas absolutas sobre nada do que se refere a Machu Picchu. Cada guia oferecerá uma teoria. A maior utilidade dos guias é apontar para detalhes que nos passariam despercebidos. Existe um momento, porém, em que o guia atrapalha: quando você está lá no alto do promontório, vendo a cidadela pessoalmente pela primeira vez. Nesse momento, meu conselho é: não deixe que ninguém estrague esse momento blablablableando fatos históricos, arqueológicos ou mitológicos antes da hora. O contato inicial tem que ser entre você e Machu Picchu, sem intermediários. Leve fones de ouvido para desligar a voz do guia nesse momento.

Machu Picchu

Optando pelo circuito 1, você vai passar pela roleta, seguir em frente e, ao chegar ao primeiro muro, vai pegar a trilha à sua esquerda, que leva à Porta do Sol. Então você vai ziguezaguear por 10 a 15 minutos até alcançar um platô. Lá em cima, o grupo vai virar à direita. É a hora de desligar a voz do guia. Em poucos passos você vai chegar amirante que vai proporcionar a primeira visão de Machu Picchu daquele ângulo que você tem na cabeça.

Machu Picchu

Não se contente com essa altura. Vá pela esquerda até a quina do platô. Ali você vai encontrar uma escadaria que leva a platôs mais altos. Minha experiência, que anotei aqui:

"Fui galgando os mirantes mais altos e me senti virando a página de um livro pop-up para crianças, as figuras todas saltando na minha cara: aquela cidadela de brinquedo ao pé do seu próprio Pão de Açúcar, isolada das montanhas ao fundo por um fosso natural que não seria mais impressionante se tivesse sido construído. A primeira vez em Machu Picchu a gente nunca sutiã."

Machu Picchu

Nesse momento, não queira saber de solstício, equinócio, Pachacuti, El Niño, Hiram Bingham, pedreiras, sacrifícios, rituais, o escambau. Desencane de entender ou de saber. As provas de que os incas eram avançados em astronomia, engenharia, agricultura e logística estão por toda parte em Cusco e no Vale Sagrado. Mas a beleza hipnótica de Machu Picchu eleva a civilização inca a outro patamar. Existe obviamente uma motivação estética para a cidadela ter sido construída ali. E é isso que, nesse primeiro instante, vale a pena absorver.

Machu Picchu

Quando se cansar de contemplar -- ou quando a crescente densidade demográfica cortar o barato entre você e a cidadela -- restabeleça o contato com o seu guia.

Machu Picchu

Machu Picchu

Machu Picchu

O tour vai descer cidadela abaixo, passando pelo Templo das 3 Janelas, o Templo principal, o Relógio de Sol, a Pedra Sagrada, a praça principal, o Templo do Sol, os terraços agrícolas... Você ficará a par de todas as suposições mais aceitas sobre esse lugar sobre o qual não há nenhuma certeza para além da beleza estonteante. Retiro da família real? Universidade inca? Laboratório agrícola? Lugar cerimonial auspicioso, porque cercado por apus, montanhas cultuadas como divindades? Seja lá o que tiver sido, supõe-se que foi abandonado em meio à epidemia de varíola, e mantido escondido dos espanhóis pelos deslizamentos de encostas da estação chuvosa e pelo rápido crescimento da vegetação -- fatores que contribuíram para fechar as trilhas existentes.

Machu Picchu

Em 1911, quando o arqueólogo americano Hiram Bingham se tornou o primeiro forasteiro em séculos a entrar na cidadela, seu guia foi um agricultor da região, que só falava quêchua, e sabia da existência das ruínas no topo da velha montanha ("machu picchu").

O camponês se chamava Melchor Arteaga. Vou gastar todo o meu quêchua para mandar um muito obrigado ao primeiro dos guias de Machu Picchu:

- Sulpayki!

Machu Picchu: manual do visitante

O que levar

Os itens mais importantes para usar numa visita a Machu Picchu não são de vestuário. Filtro solar e repelente são essenciais -- mesmo em dias nublados, e mesmo no inverno. Existe uma lojinha lá em cima, mas esses produtos estão freqüentemente em falta.

Banheiro: vá antes

Antes de entrar no parque, use o banheiro, que fica na área externa. Não existem banheiros dentro do parque arqueológico. Pelas novas regras, não é possível sair para ir ao banheiro e voltar.

Água: leve squeeze

Teoricamente não é permitido entrar com garrafas d'água descartáveis. Na minha visita fizeram vistas grossas, mas na sua vez pode ser diferente. Por isso é bom ter um cantil ou um squeeze.

Use o guarda-volumes

Não carregue nada pesado: há muito sobe-desce e você vai se cansar ainda mais. Existe um guarda-volumes na área externa do parque, junto ao banheiro. Evite deixar objetos de valor; as mochilas ficam armazenadas numa estante aberta.

Calçados e agasalho

Use calçados confortáveis e evite casacos que sejam difíceis de carregar (de manhã cedo estará bastante frio, mas lá pelas 10h você talvez esteja em mangas de camisa, mesmo no inverno).

Carimbe seu passaporte!
Machu Picchu

Para passar pela roleta, você precisa ter o documento que informou na compra do ingresso. Mas não deixe de levar também o seu passaporte. A partir das 9h, junto à entrada, você vai encontrar uma mesinha com um carimbo (com uma fila de gente na frente, hehe). Use o carimbo para estampar Machu Picchu numa folha inteira do seu passaporte.

Permanência máxima

As novas regras, em vigor desde janeiro de 2019, limitam a permanência na cidadela a 4 horas. Ainda não está claro como isso é (ou será) controlado, mas tenha isso em mente. Quem compra ingressos combinados com alguma montanha (Huayna Picchu ou Montanha Machu Picchu) tem de 3 a 5 horas extras.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Mondial Assistance

Onde comer em Machu Picchu

Não há nenhum bar, lanchonete ou quiosque dentro do parque arqueológico. Leve barras de cereal, frutas e cantil ou squeeze com água (e não descarte nenhum rejeito, nem mesmo orgânico; leve um saquinho para o seu próprio lixo).

Do lado de fora, não espere nenhuma feira de ambulantes. Toda a alimentação está a cargo do Belmond Sanctuary Lodge, concessionário do espaço. A lachonete vende lanches, bebidas (incluindo cerveja) e sorvetes a preços que podem causar mal de altitude em mochileiros.

Sanctuary Lodge

Posso sugerir uma última extravagância? Nesse contexto, o melhor, aham, custo x benefício está no buffet do restaurante Tinkuy, com entrada pela pracinha em frente às roletas. Custa 40 dólares, mas é um senhor buffet, com ingredientes 5 estrelas e muita variedade entre pratos peruanos e 'internacionais'. A seção de sobremesas é a recompensa a que deveria ter direito todo mundo que camelou três ou quatro horas sob o sol de Machu Picchu.

A volta: de Machu Picchu a Cusco

Saída de Machu Picchu

Ônibus da volta

Para não dar nenhum chabu, procure entrar na fila do ônibus para descer a Aguas Calientes pelo menos duas horas antes do seu trem de volta. Lembre-se de que a descida leva meia hora e que você ainda vai precisar pegar suas malas no hotel antes de ir para a estação.

Relembrando as alternativas para voltar a Cusco:

Vans de Ollantaytambo

Vans em Ollantaytambo

De trem até Ollantaytambo

O trajeto é feito em 1h30 pela InkaRail ou pela PeruRail (clique nos links para ver horários e preços; é necessário comprar a passagem com antecedência). Se você deixou sua mala maior no guarda-volumes da Inka Rail ou da PeruRail, não esqueça de pegar. Você pode ir de Ollantaytambo a Cusco com as vans da Real Inka, conhecidas como colectivos, que saem da garagem à sua direita, a meia quadra da saída da estação (12 soles/4 dólares; 1h45 d etrjeto); as vans saem depois da chegada de cada trem, e não requerem reserva. Você também pode contratar um trânsfer privativo de Ollantaytambo a Cusco (55 dólares por carro na Real Inka, 37 dólares por carro na TaxiDatum; 1h30 de viagem); ou pode negociar um táxi ali no entorno da garagem, também (negociando, dá para conseguir por uns 80 soles, algo como 25 dólares).

De trem até Poroy (Cusco)

O trajeto leva 2h50 pela InkaRail e 3h20 pela PeruRail (clique nos links para ver horários e preços; é necessário comprar a passagem com antecedência). Para ir de Poroy a Cusco, um táxi de rua vai cobrar entre 20 e 30 soles (menos de 10 dólares). A TaxiDatum cobra 40 soles (13 dólares).

Leia mais sobre a compra da passagem de trem no post-introdução desta série.

Cusco: a despedida

Cusco

Dormir a última noite em Cusco evita o stress de coordenar horários para voltar a Machu Picchu direto para o aeroporto. Você merece um fim de viagem mais descansado -- ainda imbuído da energia de Machu Picchu.

O ideal é reservar essa última noite no mesmo hotel em que você se hospedou antes (veja nossas recomendações de hotéis em Cusco). É prático também com relação à mala: se você tiver deixado a mala no hotel ao sair de Cusco, ela vai estar à sua espera na volta.

À noite, comemore o sucesso da viagem repetindo o restaurante de que mais gostou -- ou quem sabe fazendo uma extravagância (recomendo o Chicha ou o Cicciolina; veja nossas recomendações de restaurantes em Cusco).

Dependendo do horário do vôo de volta no dia seguite, você ainda vai ter tempo para passear de dia. Não deixe nenhum programa fundamental para esta volta -- curta a cidade com a intimidade de quem está voltando. Tome um chilcano no Museo del Pisco de saideira por mim, pode ser?

Chilcano Museo del Pisco

Museo del Pisco

Peça para a recepção combinar um táxi com hora marcada para levar você ao aeroporto. Deve custar no máximo 15 soles.

Até a volta!

Mais Primeira Viagem ao Peru:

281 comentários

Ana Luisa
Ana LuisaPermalinkResponder

Li tudinho: maravilhoso!!!!!

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Se o comandante vê o lugar em que me hospedei(com 2 caras que conheci pela internet e que fizemos parte da viagem juntos) em Águas calientes, se assustava. Mas... depois de 4 noites em barraca na trilha inca, só o fato de ter um chuveiro e uma cama já valeram demais.

E vai:na mesma mochilagem em La Paz fiquei em um quarto onde eu não podia trocar a camiseta de pé pois ao levantar as mãos batia no teto - e para tomar um banho(frio) tinha que subir 2 lances de escada. Há pouco mais de 3 dólares a diária, o que espera?(nada como a idade para perder a coragem de fazer isto novamente hehe)

Agora tenho que voltar para lá. Minha filha ainda tem 4 anos e talvez não curta muito o passeio, mas assim que ela crescer um pouco mais(e estudar um pouco de geografia na escola, para entender os lugares) eu volto.

Machu Picchu é incrível - não sei se pela nostalgia ou o que, mas até hoje é um dos lugares favoritos que já fui.

Bruna
BrunaPermalinkResponder

Nossa, o melhor roteiro que já li na vida sobre o Peru. Muito, muito bom, sem desprezar qualquer perfil de viajante, dando opções pra todo mundo, sugerindo "extravagâncias" boas (um bom jantar, uma vista inesquecível). Fiquei muito agradecida pelo roteiro tão cuidadoso e com muito mais vontade de conhecer o Peru. Vou ficar esperando o tal roteiro de três semanas, tenho certeza que vai ser fenomenal!

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Riq,
Só vc pra dar mastigadinho um roteiro que ainda ambiciono fazer (deixa a meninada crescer um pouquinho...) Agora ninguém mais tem desculpa pra não ir ao Peru wink
Brigadim!

Dadi
DadiPermalinkResponder

Riq, caiu um cisco aqui no meu olho viu.
Orgulho danado de ter feito essa viajem sozinha, há dois anos atrás, com 40 anos, realizando um sonho de debutante, ( sim, queriam me mandar pra Disney e eu pedi Machu Picchu, ainda lembro a cara do meu pai: Onde!?Claro que no fim,eu ganhei uma festa com valsa né), estudando muito o SundayCooks e sua filosofia de viagem, fiz do meu jeito e foi assim...a sua cara!!!!
Fiz o dever de casa direitinho...
Obrigada viu comandante, um beijo.
Dadi ( como meu pai me chamava! ; ))

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

smile

Isadora
IsadoraPermalinkResponder

Arrasaraaam nas dicas, ja me senti lá!

Miriam Vianna
Miriam ViannaPermalinkResponder

Estive lá em 2014, e o meu roteiro foi exatamente esse, maravilhoso tirando pequeno tremor que teve, foi top.

Eliana Lattuca

Olá. Acabei de voltar de 9 dias no Perú, sendo 4 (úteis) no circuito Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu. Volto aqui, onde li tudo o que encontrei e peguei dicas valiosas, para AGRADECER. Visitei também o SundayCooks, por indicação de vocês. De todas as dicas, a mais incrível foi o guia, Marco Escalante (marescalante@askmetravelorganizer.com). Marco é peruano, fala Português perfeitamente, e passeou conosco todos os dias. Viajamos em família, eu, meu marido e duas filhas, de 16 e 20 anos, e o Marco foi uma unanimidade. Excelente companhia, inteligente e agradabilíssimo, ajudou-nos a voltar ao Brasil muito mais conectados com a América Latina e orgulhosos de pertencer a esse continente. Recomendo fortemente que economizem no que for necessário, mas não na contratação de um bom guia: essa é uma viagem que sem isso, fica muito comprometida, e o Marco é O guia.
MUITO obrigada!
Lili Lattuca

Melina
MelinaPermalinkResponder

Queridos,

Estou um pouco perdida na compra de ingressos a Machu Pichhu. Seguindo as dicas de vocês dormirei um dia em Ollanta, e no dia seguinte pego o trem para Aguas Calientes.

No dia de minha chegada gostaria de já visitar o parque pela 1 vez (irei no dia seguinte cedinho também - outra dica de vocês! ) e tenho dúvidas:

- Qual ingresso comprar? vi a opção ¨Machupichhu horário vespertino 13:00¨ e eis a dúvida: o único horário para entrar no parque a tarde seria as 13:00? ou posso comprar o ingresso ¨Machupicchu¨ simples e entrar em qualquer horário a tarde? (respeitando o horário de funcionamento do sitio, claro, que lhes pergunto também qual é).

Muito obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Melina! Com este ingresso você pode entrar em qualquer horário a partir das 13h.

Erika
ErikaPermalinkResponder

Estou planejando minha viagem para setembro, e esta série está incrível!! sem saber do post vamos realmente ficar o tempo sugerido e seu post ajudará muito! acho q até lá, vou ler até decorar tudo para não perder nenhum detalhe da viagem e poder aproveitar ao máximo.
Parabéns pelo post e já agradeço a ajuda. dp eu volto para dar o feedback, mas por eqto já foi muito útil td q escreveu.

Thiago Barata
Thiago BarataPermalinkResponder

clap clap clap!
Sensacional essa série, Comandante! Como não poderia deixar de ser.
Estou a ponto de comprar as passagens para fazer essa viagem em agosto/setembro. Mas felizmente vou ter mais do que os 9 dias recomendados. Então, a dúvida é: vale a pena uma segunda subida a Machu Pichu na mesma viagem? E estender um dia em Cuzco e Lima?
Estou avaliando Nazca, Titicaca e Cordilheira Branca também... se o tal guiazinho de 21 dias saísse por agora... pense num leitor assíduo feliz! smile
Obrigado e parabéns mais uma vez!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thiago! Quem responde é A Bóia. Estender mais uma noite em Aguas Calientes ou voar de Lima a Juliaca, ficar duas noites em Puno e ir de ônibus ou trem de luxo a Cusco são opções.

Um roteiro para três semanas aumentaria duas noites em Lima (uma na chegada, outra na volta), três noites em Ica (para Ilhas Ballestras, destilarias de pisco e oásis de Huacachina), uma noite em Nasca, três noites em Arequipa, duas noites em Puno.

Thiago Barata
Thiago BarataPermalinkResponder

Opa! Muito obrigado pelas sugestões! Vou avaliá-las com carinho.

Daniella
DaniellaPermalinkResponder

Gente, segui as recomendações de compra do ingresso para Machu Picchu através desse site e tive êxito logo na primeira vez. Basicamente fiz o seguinte: liguei no cartão para efetuar o desbloqueio para compras internacionais, abri o internet banking do BB no pc, e entrei no site para comprar o ingresso. Ele me direcionou para uma página de confirmação do BB, coloquei a senha do cartão e pronto. Logo depois apareceu o esperado "pagamento exitoso". Muito obrigada pelas informações!!

cristina
cristinaPermalinkResponder

Olá Riq, muito boommm seu post, Parabéns! Partindo dia 08 de junho para viver este momento especial. Quando voltar lhe dou um retorno pois vou seguir suas orientações

Tayana
TayanaPermalinkResponder

Vi que dá pra comprar antecipada a passagem de bus pra subir em Machu Picchu, pelo site da Consettur. Vale a pena? Ou é tranquilo comprar lá? Corre o risco de ter esgotado? Vou subir dia 31 de julho (domingo).

Indo pro Peru nesta sexta agora (22/7), ansiosa demais! Organizei tudo por conta própria. Bóia, não sei o que seria dessa minha viagem sem o Viaje na Viagem! Obrigada! grin

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tayana! Tentei em três navegadores e não funciona a compra para mim, só a reimpressão de tickets. Os ônibus não esgotam. O parque tem número limitado de visitantes por dia e a frota está dimensionada para atender a todos. Se os ônibus esgotassem, a gente avisaria, como avisou que os ingressos para o parque podem esgotar e como avisou das passagens de trem podem esgotar. Basta entrar na fila de embarque e uma hora chega a sua vez; os ônibus levam passageiros entre 5h30 e 15h30. Se você chegar a Aguas Calientes na véspera, faça como indicamos e já passe no guichê para não precisar enfrentar a fila da bilheteria no dia da subida.

eva
evaPermalinkResponder

Oi Tayana,
Se vocë chegar no dia, saia rápido do trem e siga direto para a fila, grande parte dos passageiros têm um guia esperando por eles e esse encontro atrasa um pouco os grupos.

JORGE LUIZ DE OLIVEIRA DA SILVA

Excelente matéria...uma das mais completas sobre Machu Picchu. Bóia....tenho uma pequena dúvida sobre logística. Eu e minha esposa estaremos em viagem ao Peru em setembro. Irei pernoitar em Aguas Calientes para viabilizar a ida ao Santuário bem cedinho. Minha dúvida é a seguinte: indo para Machu Picchu bem de manhãzinha....é viável realizar a visitação ao Santuário, sem atropelos, e pegar o trem de retorno para Cusco....à tarde? Fico agradecido.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jorge! Sim. É exatamente o que está sugerido no texto, por favor leia com atenção.

Silvia Levy
Silvia LevyPermalinkResponder

Querido Ricardo Freire,
Estou voltando de uma maravilhosa viagem ao Peru, com meu marido e um casal de amigos e gostaria antes de tudo de agradecer as suas ótimas dicas, que, com certeza, tornaram nossa viagem ainda melhor! Você foi nosso guru e seguimos suas orientações quanto à compra de bilhete de trem, entrada para o parque, van e guia para Machu Picchu. Sem falar nos passeios e restaurantes em Lima e Cusco.
Se me permite, gostaria de fazer apenas alguns comentários, que poderão ajudar seus leitores que fizerem esta viagem, a título de complementação:
1 - atenção na hora de escolher o hotel em Aguas Calientes, pois alguns ficam simplesmente em cima da linha do trem, o que significa um barulho bastante constante..
2 - o tempo de viagem entre Poroy e Aguas Calientes pela Peru Rail é de 3 horas e 45 minutos
3 - importante: trens da Peru Rail (foi o que utilizamos) recomenda levar apenas bagagens pequenas, com peso até 5 quilos. Isso está escrito pequenininho no bilhete e quem nos chamou a atenção foi o funcionário da empresa, quando fomos pegar os bilhetes (já comprados com antecedencia). Claro que dá prá se organizar e levar pouca coisa, mas é preciso logística prá isso. A outra opção é enviar email para a Peru Rail informando que vai levar malas maiores. O email é o equipaje@perurail.com. Aí te respondem dando o OK, mas dizem que o eventual desconforto fica por sua conta, pois não há realmente muito espaço no trem para malas.
4 - Quanto aos restaurante: em Lima, adoramos o Pescados Capitales, mas o arroz de pato (assim como o pisco sauer) do Punto Azul foi uma decepção! E em Cusco, o Incanto (fica embaixo do Organic Green) foi uma ótima surpresa! Ambiente agradável, comida ótima, bom serviço e preço em conta (quando se trata de Cusco, evidentemente), foi uma boa surpresa.
É isso... Mais uma vez,recomendo seguirem à risca as dicas do Viaje na Viagem para terem uma feliz viagem !
Grande abraço!
Silvia e turma

Mayra Galdino
Mayra GaldinoPermalinkResponder

Adorei o roteiro, vai me ajudar muito na viagem. Passarei seis dias em Cusco e deixei para resolver a questão do ingresso de Machu Picchu somente agora (o que não recomendo para ninguém). Bom, os ingressos comuns para a entrada no parque estavam esgotados. Eu já estava pronta para pagar o dobro ou mais do valor para alguma agência quando vi a opção "Machupicchu horário vespertino 13:00 horas", depois de verificar a disponibilidade de ingressos para a opção estrangeiros, eu comprei. Problema, ao emitir o ticket veio a mensagem que o bendito ingresso é somente para cidadãos peruanos e estrangeiros residentes no Peru sad No site não tem nenhum alerta para essa situação, e não sei se em algum linha minúscula das condições da compra tinha esse alerta. Resultado, mandei email para eles (do site) perguntando sobre a possibilidade de cancelamento, mas estou sem esperanças. Vi que essas situação é pouco explorada nos blogs de viagem (ou só eu caí nessa). Bom, se alguém souber de alguma dica sobre o cancelamentos das compras no site oficial, eu agradecemos muito.

Rafaela
RafaelaPermalinkResponder

Puxa... Estou cada vez mais animada a cada linha que leio... Repito o que já escrevi na primeira parte: post fantástico!!!!
Pergunta: a vista do hotel Sanctuary é realmente da cidade?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafaela! É uma nesguinha, mas é smile

Silvia balsani

otimas dicas , estou planejando para novembro !! valeu !!

Iara
IaraPermalinkResponder

Parabéns!
Um roteiro mais que perfeito.
Alto nível!
Incrível , Riq, a sua capacidade de ser "empático " com as dúvidas que povoam as cabeças do turista.
Segundo uma jornalista inglesa, especialista em viagens, Peru é o país que guarda mais possibilidades de encantar os turistas: seguro, comida excelente, preços decentes, gentileza do povo, belezas naturais, cultura e história ...
Viva o Peru e a sua ideia deste guia excelente!

franklin
franklinPermalinkResponder

parabéns pelos comentários e referências, estarei indo em julho-17 o que chamo de expedição Peru - Bolívia com meu filho de 11 anos

Aparecida Defavari

Caro Ricardo, bom dia! Em um evento de secretárias, ganhei 2 diárias no Novotel em Cusco... Por conta disto, gostaria de saber quais as dicas que vc. me daria para esse período tão curto. Muito obrigada, Aparecida

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aparecida! Quem responde é A Bóia.

As dicas de Cusco estão neste post:

https://www.viajenaviagem.com/2016/04/roteiro-cusco-e-vale-sagrado

Miriam K
Miriam KPermalinkResponder

Olá Ricardo
Estou planejando uma viagem bem nos moldes da sua, mas daí bateu uma dúvida: vale a pena pernoitar novamente em Aguas Calientes depois de ir a Machu Picchu ao invés de voltar direto para Cusco? Encontrei somente uma possibilidade de voltar de Aguas Calientes para Ollanta pela Inka Rail num horário compatível, que sai às 10.32 chega às 12:09 em Ollantaytambo. De lá pegaríamos uma van ou coisa parecida pois não encontramos nenhum trem pela manhã de Aguas Calientes até Cusco (Poroy). A ideia surgiu porque o check out em Cusco é cedo e o nosso voo sai de Cusco às 17 horas. Um abraço, Miriam

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Miriam! Quem responde é A Bóia. Sim, esse esquema funciona perfeitamente. Na verdade pouca gente vai de trem desde ou até Poroy, já que Poroy envolve outra pequena viagem para chegar a Cusco. Ollanta é mais prático e tem vans com saída coordenada com a chegada dos trens de Aguas Calientes.

Thiago Rodrigo Pereira da Silva

O ideal é voltar direto de Cusco para o Brasil então?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thiago! Sim, com conexão em Lima. Veja como comprar a passagem no primeiro post da série.

César Hansen
César HansenPermalinkResponder

Excelentes dicas neste roteiro proposto por vocês. Bóia, minha única dúvida é sobre as bagagens. Ficaremos dois dias inicialmente em Cusco, iremos a Ollanta ficando uma noite lá e após, uma noite em Machu Picchu Pueblo e mais uma noite em Cusco. Quase como o indicado por vcs. Sugeres ficar no mesmo hotel em Cusco as primeiras duas noites e a última? Deixar as bagagens maiores neste hotel num guarda volumes para não pagar mais diárias? Ou levar tudo para Ollanta e deixar no hotel de lá para ir a Águas Calientes, visto que o trem não comporta bagagens grandes. Desde já obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, César! Está recomendado no texto que você deixe a bagagem no hotel em Cusco e leve apenas bagagem de mão. Os hotéis em Cusco estão acostumados.

Elizabeth Rocha Ponte

Gostei muito das dicas dadas!Anotei algumas e creio que muitas delas irão facilitar o meu passeio!

Mauricio Moraes de Souza

Caro Ricardo !!!
Parabéns pelo roteiro, o qual está tudo muito bem explicado.
Irei, com a minha família, na 1ª quinzena de julho, e faremos o roteiro de 9 dias.
Já comprei as passagens de trem. Porém, no site de venda dos ingressos para o Parque de Machu Picchu está informando disponibilidade 0, e há disponibilidade somente até o dia 31/06. Fica minha pergunta: Eles disponibilizam a venda a partir de uma determinada data, ou será que já está tudo esgotado ?
Agora estou preocupado. Pois, já comprei passagem aérea, passagem de trem e reservas dos hotéis.
O que será que acontece ?
Grato.
Maurício Moraes

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maurício! No dia 1º de julho a visitação vai mudar. Será feita em dois turnos, um das 6h às 12h e outro das 12h às 17h30. Há um aviso na capa do site oficial de ingressos que explica que a venda desses novos ingressos de 1º de julho em diante começará apenas no dia 1º de junho deste ano. Ou seja, volte para comprar no dia 1º de junho.

Rose
RosePermalinkResponder

Mauricio, preciso de sua ajuda, como vc fez para comprar suas passagens de trem para Machu Picchu? Não consigo entrar na Peru Rail de jeito nenhum, estaremos hospedados em Cusco e faremos bate-volta para M.Picchu, o trem saindo de Poroy para nós seria o melhor, porém não consigo abrir nem para ver horários. Se vc puder me ajudar, agradeço muito.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rose! Use o navegador Chrome. Para mim abre perfeitamente.

Milena Alves
Milena AlvesPermalinkResponder

Olá!
Vou a Machu Picchu no mês que vem e uma das minhas primeiras providências foi olhar os tickets do Parque, inclusive porque quero subir uma das montanhas, além do passeio básico.
Muitas pessoas falaram dos problemas com o pagamento, mas, no meu caso, não estou conseguindo sequer acessar o site oficial. Há mais de uma semana só dá mensagem de erro e não abre.
Alguém de vocês sabe se o site mudou ou saiu do ar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Milena! O site está abrindo normalmente, mas necessita de Flash instalado. Se o seu computador é Mac, não vai funcionar. A partir de julho o esquema de visitação muda para dois turnos estanques. Os ingressos para de julho em diante começarão a ser vendidos no dia 1º de junho. Durante o mês de maio só será possível comprar ingressos para maio e junho.

jacqueline sloma

Minha filha vai fazer 15 anos. Deixei a seu critério escolher entre festa e viagem. Para minha alegria, porque adoooooro viajar, ela escolheu viagem. Mas impôs uma restrição: ela escolheria o destino! Imaginei Disney....mas não, escolheu Machu Picchu!!! Não sabia quase nada sobre o Peru, mas virei "expert" lendo seu site. Obrigada por compartilhar seus relatos!! Viajaremos em julho...

Luiz Carlos dos santos

Olá estarei em setembro m Cusco macho Picchu mas não consegui comprar o ingresso p entra no parque será que consigo comprar lá vou ficar duas semanas??????

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luiz! As vendas para datas a partir de 1º de julho de 2017, quando mudam as regras de visitação do parque, começam a ser feitas no dia 1º de junho.

Rodrigo Valim
Rodrigo ValimPermalinkResponder

Estamos indo ao Peru seguindo quase exatamente o roteiro sugerido. Só que vamos visitar Lima depois de ir a Cusco (não resistimos à conexão de 1:30 minutos para ir direto).
Mas a grande dúvida que ficou foi: seguindo esse roteiro, é possível deixar a mala maior no guarda volumes de Ollanta e pegar na volta, sendo que pretendemos voltar com o trem Machu Picchu - Poroy? Ou seja, sair do trem, ir no guarda volumes e voltar para o trem em direção a Poroy?
Grato!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rodrigo! Não dá não. Você vai ter que deixar sua mala no hotel em Cusco.

Rosana Zouain
Rosana ZouainPermalinkResponder

Bom dia. Alguém conseguiu comprar ingressos antecipados de estudante para Machu Picchu? Iremos em julho e temos dois adolescentes no grupo, um de 12 e outro de 13 anos. Estou com medo de comprar o ingresso dos adultos pelo site oficial e, como não vendem de estudante, não conseguir comprar para a mesma data lá. Alguém tem uma dica? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rosana! No seu lugar, eu compraria ingressos de adulto para todo mundo.

Milton
MiltonPermalinkResponder

Caro Ricardo, estaremos (eu e minha esposa) em Cusco em meados de julho e pretendemos fazer um bate volta para Machu Picchu, Sei que vcs recomendam madrugar, mas a minha esposa não é muito adepta a isto em plena férias. Vi que temos um trem (Vistadome) que sai de Ollanta às 10:15 que chega lá às 12:15 e poderíamos sair de Cusco por volta das 8:30 para Ollanta. Como nesta época já estaremos sob novo regulamento (12:00 às 17:30), poderíamos aproveitar este período. O que me intriga é que todos (95%?) madrugam para chegar lá e passar a manhã e ninguém recomenda ir à tarde, que aparentemente seria mais vazio. Qual é o motivo? O calor? (estaremos numa época fria!), o sol? a falta do frescor da manhã? a incidência do sol mudando a paisagem? A magia? Gostaria de uma opinião. Desde já agradeço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Milton! A questão de madrugar no parque é para chegar antes do pessoal que vem de Cusco. É o privilégio que justifica dormir em Aguas Calientes. Mas sempre houve também quem defendesse ir à tarde e ficar no sítio até próximo de fechar, quando também estaria mais vazio.

Com o início da visitação em dois turnos a dinâmica vai mudar, e quem vier de Cusco ou Ollanta deve optar pelo turno da tarde. Resta ver também se a obrigatoriedade de visitar com guia realmente será implentada, o que também vai mexer bastante com o fluxo.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Comandante!!!! Se pudesse lhe agradeceria de joelhos! Fiz com meu marido o seu roteiro é tudo foi perfeito!!!! Estamos no momento aguardando o trem em Águas Calientes, tomando uma Cusquena, para voltar para Cusco, depois de um dos dias mais incríveis de nossas vidas! Subimos para Machu Picchu as 06:00 horas e o dia estava lindo! Lugar mágico para agradecer por nossas vidas e pela oportunidade de estar ali!!! Agradeço imensamente todas as preciosas dicas que fizeram nossa viagem perfeita! Um beijo, Fernanda

Neide Daia
Neide DaiaPermalinkResponder

Caro Bóia,
Como fica o roteiro do Ricardo no caso de visitação a Machu Picchu a tarde? Devemos dormir em Ollanta e ir de manhã? Na volta dormimos em Aguas Calientes para sair no dia seguinte de manhã para Cusco? Fiquei um pouco perdida com essa mudança e tenho medo de julho estar muito frio para ir de manhã cedinho.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Neide! Se puder, durma em Aguas e vá de manhã. Seu dia vai ser melhor aproveitado chegando a Cusco no fim da tarde. Se você for a Machu Picchu à tarde e voltar a Cusco no mesmo dia, vai chegar tarde e exausta a Cusco.

Sandra
SandraPermalinkResponder

Oi Rosana ! Também vou para MP em julho com meus filhos de 18 e 15 anos e comprei ingressos de adulto para os dois. Existe um aviso no site de compra de ingressos, informando não ser possível a compra de ingressos para estudantes pelo site, apenas nas lojas físicas no Peru. Eu não deixaria, de forma alguma, para comprar ingressos lá, especialmente em julho. Um abraço.

neide
neidePermalinkResponder

Oi Bóia, agradeço sua resposta. Só fiquei em dúvida de ir de manhã cedinho porque algumas pessoas disseram que no inverno pode ter muita neblina e só por volta das 11h a vista fica limpa. Não vi nada sobre isso nos posts do Rick, você tem informação sobre neblina atrapalhar as visitações matutinas?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Neide! 'Algumas pessoas me disseram' não é um método científico muito rigoroso, concorda? Se você consultar todos os guias disponíveis para Machu Picchu, verá que a possibilidade de pegar o parque vazio de manhã cedo é uma vantagem apontada quase de maneira unânime. Note que, se você pegar névoa, e não for exagerada (ou seja, houver visibilidade, com a névoa se imiscuindo nas ruínas) o clima será ainda mais mágico.

Agora: se você daqui até a sua viagem vai dormir todas as noites preocupada com chegar em Machu Picchu e não ver nada porque a névoa vai estar espessa e só vai se dissipar na hora de você sair do parque, então não vá de manhã e adapte o roteiro à sua preocupação. Este roteiro é apenas uma sugestão, um indicativo, um plano, e todo dia aparece alguém aqui pra agradecer. Mas não é uma imposição, você pode fazer a adaptação que você quiser, não paga nem para seguir as dicas, nem para não seguir.

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

Olá Bóia, eu e minha esposa iremos ao peru em Julho, vi que vocês recomendam comprar o ticket do trem seja qual for o trajeto antecipadamente, porém pretendemos fazer um tour pelo vale sagrado para ficar em Ollantaytambo para tomar o trem e ir até Águas Calientes, em todos os lugares que vi recomenda-se a compra deste passeio lá mesmo, por ter competitividade de preços e tal, e como não tenho certeza de que horas acabará nosso tour, gostaria de saber se há a possibilidade de comprar o ticket do trem depois de comprarmos o passeio, ou até mesmo em Ollantaytambo, seria possível isso? Forte abraço!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leonardo! Compre um dos trens do fim da tarde. Se você chegar em Ollanta e não houver mais tickets, e freqüentemente não há mais tickets, você perde sua viagem a Machu Picchu, ponto.

Roberto
RobertoPermalinkResponder

Bóia. Com a mudança do horário de visita ao parque. O que achas de visitar à tarde, dormir em águas calientes e no dia seguinte voltar para Cusco?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Roberto! Vamos ver como vai funcionar. Mas a tendência é que a entrada ao meio-dia seja bem conturbada, com o represamento de quem for chegando a Aguas Calientes desde Cusco desde as nove ou dez da manhã. Esse pessoal chegaria e já entraria no parque, agora deve comprar ingresso só para o segundo segundo turno. Deve ser um estouro da boiada. Mas, de novo: é tudo suposição.

Roberto
RobertoPermalinkResponder

Obrigado

Leo Umberto Barbosa

Olá! Vou comprar o ingresso para a visita matutina à Machu Picchu. Vi um trem que parte às 14:50. Estou com medo do tempo ser muito apertado e correr o risco de perder esse trem. A volta de Machu Picchu para Aguas Calientes é enrolada ou saindo de lá 13:00 (+/-) eu chego 13:30 com tranquilidade em Aguas Calientes?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leo! A descida leva meia hora, mas os microônibus têm capacidade limitada, normalmente tem fila de embarque, e até onde sabemos não há privilégio para quem tem hora marcada no trem. Para que a sua visita seja tranqüila, é recomendável reservar um trem mais tarde, que você possa pegar depois do lanche/almoço. Se for pegar nesse horário das 14h50, tente sair do santuário antes das 11h, para não pegar o fluxo dos que vão esperar até o último instante para sair.

Leo Umberto
Leo UmbertoPermalinkResponder

Ihhh, em sua resposta, me identifiquei mais com aqueles que vão esperar até o último instante para sair. Quero aproveitar tudo que essa manhã puder me oferecer, rs. Seguirei sua dica e garantirei um trem mais tarde. Muitíssimo obrigado!

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Olá! Gostaria de saber se algum de vocês fez o roteiro Lima-Cuzco-Puno. Procurei aqui no Blog mas não encontrei nada! Chego em lima em no dia 07/07 e fico no Peru até 20/07 (volta cuzco-lima-sp), portanto acho que da tempo de conhecer o Lago titicaca! alguém pode me ajudar? obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Guilherme! Se é só a Puno que você vai, tem que voar de Lima a Juliaca, que é o aeroporto mais próximo de Puno. De Puno você segue a Cusco de ônibus.

Ute Rasp
Ute RaspPermalinkResponder

Amo seus roteiros!!! Com base neles encontrei uma opção que é pernoitar em Ollantaytambo sair dia seguinte cedinho no trem vistadome, chegar em Águas Calientes, comprar a passagem do onibus, deixar mochilas no hotel e subir para a cidadela na entrada do segundo turno. Na volta passamos a noite e Águas Calientes e saímos cedinho de trem para Ollantaytambo. O que você acha? Isso já dentro das novas regras. Você tem alguma dica para melhorar esse roteiro? Obrigada !!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ute! Muita gente superestima o Vistadome, é só um trem com área à vista, mas a paisagem não é do outro mundo. É bastante provável que a entrada para o segundo turno seja mais conturbada do que a do primeiro turno, porque vai ter muita gente já esperando desde o meio da manhã para entrar primeiro. Mas é um chute.

dca2@sjc.sp.gov.br

Lindo.

Cafu
CafuPermalinkResponder

Dona Boia, boa noite! Vocês já conseguiram averiguar como anda a implementação das novas regras para visitar Machu Picchu?? Como está a escolha e agrupamento com os guias na entrada?, a divisão da multidão entre os 3 circuitos?, se somos livres para passear sozinhos dentro do horário do turno após o circuito guiado?, se podemos sair ao banheiro e retornar?, etc, etc...
Grande obrigado a vocês pelo incrível trabalho e respostas... com personalidade!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cafu!

A situação está conturbada em Cusco/Machu Picchu, não por causa das novas regras de visitação, mas por conta de greves e manifestações contra a privatização do futuro aeroporto.

No front de Machu Picchu, as únicas coisas que estão sendo observadas são aquelas mesmas que a gente achava: os novos horários e os circuitos.

Os Sundaycooks estão no Peru e gravaram um ao vivo ontem, contando como foi a experiência de voltar a Machu Picchu sob as novas regras:

https://www.facebook.com/sundaycooks/videos/1614059225295309/

Ute rasp
Ute raspPermalinkResponder

Estive no último dia 10 lá e foi dentro das novas regras. Entramos no segundo turno dentro do horario de 12h as 17:30. Saímos cedo da estação de Ollantaytambo no vistadome (incrível por sinal). Ao chegarmos em Águas Calientes fomos direto para o Hotel deixar a bagagem e seguimos para o ônibus que vai até a cidadela. Lá existe a opção de 3 circuitos. Optamos pelo menos trabalhoso por 30 soles/pessoa e fomos num grupo de 7 pessoas. Após terminar o circuito saímos compulsóriamente, fizemos um lanche e depois entramos novamente, sem guia, mas o caminho era outro com uma subida bem sinuosa mas que dá exatamente no ponto onde se vê a vista clássica da cidade. Essa entrada todos podem fazer sem guia. Não é obrigatorio contratar. Porém, só se tem acesso a algumas partes das ruínas com os guias. Bem, não houve tumulto nenhum e nem fila pegamos. Banheiro custa um soles por pessoa/vez. Particularmente não ousaria subir de Água Calientes até Machu Picchu sem ônibus pois é extremamente sinuoso. Vi a garotada se acabando pelo caminho...para mim foram 24 dólares (ida e volta) muito bem pagos. Falam que descer é fácil, mas é um engano....acaba com as articulações por causa dos altos degraus....Durante o trajeto vi muita gente descendo com cara de arrependimento. Ah, na volta de Águas Calientes para Ollantaytambo nossa viagem de trem foi interrompida por causa da greve dos professores que fizeram vários bloqueios em estradas e nos trilhos (arrancaram um trecho) de modo que tivemos de ser resgatados por ônibus da empresa Perurail. ...foi tenso. O pau quebra mesmo nas greves por lá! Depois disso interromperam mesmo os acessos até MachuPicchu e muitos turistas foram prejudicados por não conseguiram chegar dentro da programação. Perderam dinheiro e não viram nada....muito triste. No aeroporto de Cusco se via muita gente indignada. Pior que até o aeroporto os grevistas tentaram tomar (chegaram a quebrar o muro de acesso a pista de pouso)...saímos de lá embaixo de uma caos por conta da greve geral que deflagraram um dia antes. Nosso vôo para Lima esrava marcado as 12h e tivemos que chegar às 6 para evitar os bloqueios de acesso ao aeroporto. Ficamos no aeroporto gelado em torno de 0°C. A sorte é que encontramos uma sala VIP por 22 dólares por pessoa e pudemos esperar sem transtornos. Vimos muitos mochileiros esperando sentados ou deitados no chão gélido. ...o aeroporto é relativamente pequeno e todos os que conseguiram se adiantar foram muito cedo pra lá de modo que congestionou o local. Bom, dentro do quadro tivemos muita sorte pois conseguimos completar nosso roteiro por lá.

Marcelo Gentil

Pessoal, estou indo em outubro com minha esposa, estilo mochileiro, mas não vi ninguém dizer nada sobre a minha dúvida: os locais pré-machu picchu (aguas calientes + entrada) aceitam cartão de crédito numa boa ou apenas o famoso dólar/soles??

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcelo! Cartões são bem aceitos no Peru, mas quanto mais 'mochileiro' (ou seja, barato) o lugar, aumentam as chances de trabalharem só com dinheiro. O ingresso deve ser comprado pela internet, com cartão. Já o ônibus AguasCalientes-Machu Picchu só aceita soles ou dólares.

Reiron Ruan de Oliveira Lopes

Tive o prazer de conhecer esse blog quando citaram o meu roteiro de Budapeste no #Linkódromo Quando estava mergulhando nas minhas pesquisas de viagem, citaram o blog de vocês como base, e imediatamente corri para ver o que vocês tinham escrito sobre e me surpreendi com a riqueza de detalhes e dicas. Mal comecei as pesquisas e já me sinto bem mais preparado depois de ler tudo isso. Meu estilo de viagem é um pouco mais low cost, e ainda vou dar uma procurada na seção de hostels para estudantes falidos, confesso.

Enfim, estarei indo em Outubro por aquelas bandas e com certeza esse roteiro maravilhoso de 9 dias vai influenciar bastante nas decisões. Obrigada por esse serviço maravilhoso de compartilhar experiências com os viajantes do mundo todo.

PS.: Depois vou me voluntariar para escrever um roteiro melhor sobre João Pessoa, porque nossa cidade é tão maravilhosa que vocês podem trazer quem sabe ainda mais destaque para ela. <3

Abraços,

Reiron Lopes.

Mariana Videira

Olá ! Vou para Machu Picchu no final de setembro e pretendo pernoitar em Águas Calientes após um tour por Pisaq,Ollantaytambo e Chincheros. Minha dúvida é que horas devo comprar o trem de Ollantaytambo para Águas Calientes após o final deste tour ? Quanto tempo ele dura geralmente ? Vi em alguns posts que as pessoas que optam por descer em Ollantaytambo neste tour perdem Chincheros que usualmente seria feitos após Ollanta. É verdade esta informação ? Caso sim, é viável deixar para ir a Chincheros num outro dia juntamente com Maras e Moray ? Ou as agencias podem fazer Chincheros antes de Ollantaytambo a fim de que nenhum passeio fique para tras ?
Uma outra dúvida é se eu precisar trocar o horário da passagem de trem e tiver vagas, é possível ?
Parabéns pelo blog, muito completo e esta me ajudando muito !!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mariana! O Ricardo Freire montou este roteiro de modo que Machu Picchu seja o gran finale. Qualquer coisa que você visite depois de Machu Picchu vai ficar bem menos interessante do que é. Chincheros, coitado, fica irrelevante depois de Machu Picchu. Maras e Moray também perderão parte do seu encanto.

O roteiro está construído para que o passeio a Ollanta seja feito na manhã seguinte ao deslocamento pelo Vale Sagrado via Chincheros, Moray e Maras. Assim você visita o sítio de Ollanta no seu melhor momento, favorecido pela luz do sol e sem as multidões que vêm à tarde. Isso está descrito com detalhes no post 3 desta série.

Recomendamos então que se pegue qualquer trem vespertino de Ollanta a Aguas Calientes.

Caso você queira fazer de outra maneira, não tem problema nenhum. Só não se beneficiará dessa seqüência pensada para criar um gran finale.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar