Quer fazer seus reais renderem mais em viagens? Compre dólar aos poucos

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Que moeda levar para 50 países

Em novembro de 2017, o dólar-turismo era vendido a R$ 3,41 (+ 1,1% de IOF). Todo mundo achava o dólar muito caro.

No fim de maio de 2018, o dólar-turismo era vendido a R$ 3,87 (+ 1,1% de IOF). Todo mundo achava o dólar muito caro.

Agora, faltando uma semana para fechar agosto de 2018, o dólar-turismo bateu em R$ 4,33 (+ 1,1% de IOF). E todo mundo, claro, acha o dólar muito caro.

(Usei dados do histórico de cotações do dólar-turismo do Uol.)

Sim, comparado ao que já custou em reais, o dólar está caro. Mas não há escapatória. Tentar fugir do dólar é como ignorar a lei da gravidade: é impossível não sentir os seus efeitos.

O dólar funciona como o marco regulador entre as moedas. Quando o real desvaloriza sozinho frente ao dólar, desvaloriza na mesma proporção frente às outras moedas.

Exemplo prático

Em novembro, quando viajamos ao Chile, um dólar valia 630 pesos na calle Agustinas em Santiago. O real, 195 pesos.

Hoje, 27 de agosto, 1 dólar vale 660 pesos na calle Agustinas (valorizou 5% frente ao peso, inclusive). E 1 real é comprado a 152 pesos -- acompanhando exatamente a desvalorização do real frente ao dólar nesse período. (Fonte: Cambios Santiago)

Mas não é melhor comprar moedas mais baratas, então?

Spoiler: não compre moedas "baratas" no Brasil. Todas elas são vendidas com um sobrepreço absurdo. Acredite, a casa de câmbio tem margem maior vendendo peso mexicano do que dólar. Leia aqui.

A melhor estratégia: compre dólar aos poucos

Como eu disse, não dá para escapar do dólar. (Ou do euro, ou da libra.) Por isso, a melhor estratégia para fazer render seu dinheiro em viagem é comprar dólar aos poucos.

Veja só: se você tivesse comprado dólar em novembro do ano passado, quando estava "caro" a R$ 3,44 (já incluindo o IOF), seus R$ 3,44 valeriam hoje, no Chile, 660 pesos. Como você não comprou dólar em novembro, porque estava "caro", seus R$ 3,44 valem hoje 522 pesos.

A mesma coisa acontece com todos os países que você pode querer visitar. O dólar (ou o euro) é a única maneira de preservar o seu poder de compra mundo afora.

Faça uma poupança em dólar para viajar, comprando aos poucos, e você vai diminuir os efeitos nocivos das desvalorizações abruptas do real.

E se o dólar cair?

Se nem os economistas conseguem prever ao certo, não será um blogueiro de viagem que terá a resposta.

Há dois fatores sempre em jogo: a economia do país e a conjuntura mundial. Se a economia do Brasil vai bem -- ou se ao menos tem perspectiva de melhora -- a tendência é o real valorizar. Mas se a economia vai mal, ou se não existe nenhuma perspectiva de melhora, o real pode desvalorizar ainda mais.

Mesmo se tudo aqui estiver nos trilhos, podemos sofrer o contágio de crises internacionais. Qualquer outro país emergente que và à lona (já aconteceu com o México, com os tigres asiáticos, com a Rússia, agora a Turquia) faz com que os investidores se refugiem no dólar, enfraquecendo moedas fracas como a nossa.

Aliás, notou essa frase? Nos momentos de crise, os investidores se refugiam no dólar.

Tá, mas... e se o dólar cair?

OK, não respondi essa. Caso o dólar venha a cair depois que você comprar, você terá feito um mau negócio em reais, mas não terá feito um mau negócio em dólar. 1 dólar vale sempre 1 dólar. Quem poupa dólar para viajar tem que comprar e esquecer o valor que pagou.

No longo prazo, porém, é muito difícil perder dinheiro em dólar.

Considere poupar dólar num cartão pré-pago

Caso você vá viajar para um país cuja moeda não seja dólar nem euro, considere fazer um cartão pré-pago. Eu sei, tem os 6,38% de IOF. Mas com um cartão pré-pago você garante a cotação mais favorável da moeda local para o dólar carregado no cartão. Se você levar dólar vivo, vai ter que trocar em casas de câmbio, e daí vai precisar ter uma estratégia de onde e quando trocar (dependendo de onde e quando você trocar, pode perder mais dinheiro que os 6,38% de IOF do cartão).

Leia mais aqui.

Leia mais:

11 comentários

Adene Muniz
Adene MunizPermalinkResponder

Eu sempre faço isso. Vou comprando euros ao longo do ano e, quando quero viajar, parcelo o aéreo e a hospedagem.

Elaine
ElainePermalinkResponder

Eu também faço isso. Quando chega a hora da viagem, já paguei a passagem e hospedagem (parceladas anteriormente) e já tenho a moeda comigo, que comprei ao longo do ano. Quando retorno, restam as lembranças da viagem e uma fatura pequena de cartão (das lembrancinhas físicas) rs

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Muito bem Elaine. Isto chama-se planejamento financeiro. Também costumo fazer isto e sempre aconselho meus amigos a fazerem o mesmo. Quando chega o momento da viagem, me perguntam como consigo viajar com o dólar/euro tão alto. Simples, com planejamento.

Aline da Rocha Souza

Iremos viajar em Fevereiro para Argentina devo cobrar logo dólares??? Muitíssimo Grata pela informação.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aline! Se você quer manter seu poder de compra sem prestar atenção nas oscilações do câmbio, compre dólares aos poucos.

Anabela Manuel

Olá,
Em relação a uma viagem de Portugal para o Brasil no proximo mês...é melhor levar euros daqui e trocar por reais ai, ou usar cartões de crédito???
E falam em cartões pré-pagos, algum em especial que possam sugerir??
Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Anabela! Cartões de crédito e de débito são aceitos em todo lugar. Você pode também retirar dinheiro em caixas eletrônicos.

Esse tema 'cartão de crédito' é problemático para brasileiros porque aqui temos um imposto de 6,38% sobre gastos no cartão no exterior. No seu lugar, não pensaria em vir com dinheiro vivo, não.

Não sei se existem cartões pré-pagos em Portugal; é um tipo de cartão que você carrega com dinheiro, como se fosse um desses cartões de transporte. No Brasil são populares porque não estão sujeitos à variação cambial entre a data da compra e do pagamento da fatura. Mas isso não afeta vocês.

Pedro
PedroPermalinkResponder

Voltei recentemente de Portugal e vi algo que nunca vi em lugar nenhum: alguns lugares só aceitam compras em cartão de crédito português (por exemplo, a cia de ônibus que leva até Fátima).

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Pedro! São pouquíssimos esses lugares, não mostre como se fosse regra. Em outros países isso também pode acontecer. O Ricardo Freire acabou de passar 25 dias em Portugal e pagou quase tudo em cartão. (E comprou passagens de ônibus a Fátima pela internet, com o cartão dele, sim senhor).

marcia brito
marcia britoPermalinkResponder

Li que os EUA irão substituir as notas de U$S100 e que diversos países já não as estão aceitando. Isso é verdade?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Márcia! Já substituíram há muito tempo e continuam válidas nos Estados Unidos e no mundo inteiro. Algumas casas de câmbio, porém, podem aceitar apenas as novas.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar