Cartões de crédito terão que usar cotação do dia da compra (mas só em 2020)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Cartão de crédito quando usar

O Banco Central modificou hoje a regra de cobrança dos gastos feitos no exterior com cartão de crédito. A partir de março de 2020, todos os gastos serão convertidos para o real pela cotação do dólar do dia da compra.

A proposta não é nova -- desde novembro de 2016, os cartões já podem oferecer essa opção ao cliente. Os grandes bancos, porém, não mexeram um músculo sequer para implementar essa alternativa. Dos grandes bancos, só a Caixa tem cartões com opção de conversão pela cotação do dia da compra.

Pois agora os bancos terão 1 ano e 4 meses para finalmente implementar a nova modalidade de cobrança, que será obrigatória.

Por que a cobrança pela cotação do dia da compra é melhor?

Cobrar pela cotação do dia da compra traz uma maior previsibilidade para quem usa cartão de crédito no exterior. Hoje (e até março de 2020), quando fazemos um gasto no cartão no exterior, estamos assinando um cheque em branco. Só saberemos o valor da conta em reais na data do vencimento da fatura, quando a conversão será feita. E mesmo essa conversão ainda será ajustada no dia do pagamento -- se o dólar subir ou descer, a diferença será cobrada ou devolvida na fatura seguinte.

Em suma, o sistema atual é uma grande maluquice. E com isso, o cartão de crédito, que é a maneira mais moderna, prática e evoluída de fazer compras no exterior, deixa de ser um meio de pagamento utilitário para se tornar uma espécie de 'dinheiro de luxo'.

Eu realmente não entendo como os bancos não conseguem ver o quanto o sistema de cobrança pela data de vencimento afasta as pessoas dos cartões. É impossível que a loteria cambial seja mais rentável para os bancos e administradoras do que atrair mais pessoas para o uso dos cartões no exterior.

Tomara que a obrigatoridade de mudança de sistema traga alguma competição para ver quem sai na frente. Banco Tal, o primeiro grande banco que converte seus gastos no exterior pela cotação do dia compra. Quem se habilita? Hein? Hein?

Mais transparência nas cotações

Um ponto da nova regulamentação divulgada pelo BC é bastante positivo: os bancos serão obrigados a tornar pública a cotação do dólar praticada a cada dia. A cotação será definida na véspera e valerá para o dia seguinte inteiro -- ou seja, não haverá variação da cotação ao longo do dia, como acontece nas casas de câmbio.

Se você tiver cartões de bancos diferentes, poderá escolher qual cartão usar de acordo com a cotação do dia, sem surpresas.

"Ah, mas agora não vai ter mais devolução quando a cotação baixar"

É impressionante a capacidade que alguns têm de só valorizar o que pareça negativo.

A função de devolver a diferença cambial -- em caso de queda do dólar entre o vencimento e o pagamento da fatura -- sempre existiu.

Eu mesmo já cansei de me beneficiar disso, sobretudo na longa trajetória de valorização do real entre 2010 e 2011, quando TODAS as faturas vinham com crédito de diferença cambial, mês após mês.

Mas essa característica dos cartões nunca foi vista como uma vantagem. Pelo contrário: todo mundo só pensa na possibilidade de ocorrer o oposto -- o dólar subir e a gente pagar mais caro.

É óbvio que a previsibilidade do gasto fechado é muito melhor do que a possibilidade de ganhar na loteria cambial.

O que muda nos cartões de débito e pré-pagos?

Os cartões de débito direto da conta corrente já têm seus gastos convertidos pelo dólar do dia da compra.

E os cartões pré-pagos (tipo travel money) nunca tiveram esse problema do câmbio. O câmbio é feito no momento da compra da moeda, pela cotação do dia, obviamente. O IOF também é cobrado na hora do carregamento do cartão. Quando você faz gastos num país com outra moeda (por exemplo: usa um cartão pré-pago carregado com dólares para fazer compras em pesos chilenos no Chile), o gasto é convertido pela cotação do dia entre a moeda do cartão (no caso, o dólar) e a moeda local (no caso, o peso chileno).

Leia mais:

12 comentários

gabriela
gabrielaPermalinkResponder

O Nubank já faz assim. Isso é respeito.

Ricardo Freire

À Gabriela, e a outros clientes do Nubank, tenho uma dúvida: os cartões do Nubank estão integrados aos sistemas Verified by Visa e MasterCard SecureCode?

celso
celsoPermalinkResponder

Se faz assim eu não sei. Só sei que comprei um celular de 112 USD na Black Friday e me cobraram 572 reais no cartão, um cambio absurdo.

Danilo
DaniloPermalinkResponder

R$ 5,10???!
Esse "spread" do USD dos cartões é um absurdo! Isso também deveria ser objeto de atenção do BC, pois é algo totalmente discricionário por parte do banco. Deveriam fixar, para todos, algo bem próximo do dólar comercial.

Pablo
PabloPermalinkResponder

R$ 4,80, pois faltou o IOF no seu cálculo. E na verdade deve ser mais baixo ainda, pois faltou acrescentar as comissões do cartão.
Mas não deixa de ser um roubo.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Pessoal, o Nubank tem uma página em que divulga o valor do dólar do dia. Hoje o dólar Nubank está a R$ 4,27, com IOF. Teve algum gasto embutido nessa compra que não está computado -- R$ 5,10 não faz o menor sentido.

https://dolarnubank.github.io/

Anna
AnnaPermalinkResponder

O "normal" é taxa ptax + 4 spread. Eu sei que BB e Nubank trabalham com essa taxa. Agora, perguntei pro nu sobre a conversão no dia e eles me responderam com a mesma regra dos outros bancos: converte no fechamento. Já deu certo para alguem no Nu?

Flavio
FlavioPermalinkResponder

Sempre deu certo pra mim. Uso o nubank praticamente todo mês em compra internacional. Esta considerando sales tax?

Katia Segala
Katia SegalaPermalinkResponder

Alguém sabe me dizer qual é a taxa atual do IOF que é cobrado nas compras com cartão de crédito? Me recordo que na época do governo Dilma houve um reajuste!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Katia! É 6,38%.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Costumo usar o do Banco Inter, que cobra PTAX+1%.

https://ajuda.bancointer.com.br/9-funcao-credito-do-cartao-multiplo/qual-e-a-conversao-do-dolar-nas-transacoes-internacionais

Mas como é difícil encontrar informações sobre as cotações usadas pelos cartões...

Liliane Reis
Liliane ReisPermalinkResponder

Sou cliente da Caixa e possuo cartoes de crédito deste Banco e tenho está opção há tempos, eu posso escolher a cotação da data da compra ou cotação futura no fechamento, diretamente por aplicativo no celular por exemplo. Por isso sempre que necessário utilizo cartão de crédito no exterior, assim posso evitar surpresas. Posso dizer que estou muito satisfeita com esta opção e me sinto valorizada e respeitada enquanto cliente.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar