Irlanda do Norte: desvendando Belfast 1

Irlanda do Norte: desvendando Belfast

Muros de Belfast

[Belfast]

Enviada especial | Mô Gribel

Antes de tudo, preciso dizer que não havia mais conflitos entre católicos e protestantes desde 1990 na Irlanda do Norte.

Em dezembro de 2012 eles voltaram por causa da decisão de não mais hastear a bandeira britânica todos os dias. A partir de agora, só em datas comemorativas, decisão essa apoiada pelos católicos e abominada pelos protestantes, orgulhosos de fazerem parte do Reino Unido.

Para nós que vivemos em um país multi religioso-cultural-político é difícil compreender que em uma cidade as pessoas se odeiem por isso. Por lá existem os bairros católicos, os protestantes e o Centro da cidade, onde todos vivem em paz e os muros não são pintados a favor dos ideais deste ou daquele grupo.

Dito isso, pode ‘desarregalar’ os olhos e vir comigo porque a cidade vale e muito a pena! Eu voltei apaixonada e lá nem é terra de Bono Vox, tá?

Belfast faz parte do Reino Unido e a moeda lá é a libra esterlina, o que faz dela ser um tiquinhozinhoico mais cara que Dublin. E porque estamos falando de Dublin? Oras, porque juntar as duas numa única ida à Irlanda é essencial, gente!

As duas cidades estão a 170 km de distância e a viagem de trem leva cerca de 2 horas. Você parte da Connolly Train Station em Dublin e desce na Belfast Central Train Station. São 10 saídas diárias e as passagens podem ser compradas do Brasil diretamente no site TheTrainLine.com. O trem é confortável e entre Dublin e Belfast estão os campos irlandeses com a grama mais verde que você vai ver nessa vida.

Agora vamos passear!

Os murais de Belfast

Há muros separando bairros católicos dos protestantes que tem a promessa de serem demolidos até 2023. Mas antes disso ainda há muito o que discutir e acordar sobre tolerância, religiosa e política. É um longo caminho.

Falls Road, Belfast

Falls Road, Belfast

[Falls Road]

Nós vimos um pequeno exemplo na Falls Road: um dos mais famosos, o ‘Gernika’, que agora estampa em seu centro um ‘Adiós, Amigo’ e uma pintura de Hugo Chávez (!!!).

Os muros têm pinturas que falam sobre tudo, de política à economia. O conflito está lá, em forma de grafitti e arte, como uma forma de protesto pacífico, mas também provocativo.

Belfast City Hall

Belfast City Hall

[Sede da prefeitura]

É a magnífica sede da prefeitura. Iluminada, à noite, é uma visão imponente. Esta iluminação muda de cor nove vezes neste ano, em datas comemorativas.

Belfast City HallBelfast City Hall

Mármores, vitrais, salões de festa e uma escadaria linda são algumas das atrações.

Ah, e tem uma cópia do prédio em Durban, na África do Sul.

Visitas:
De 2ª a 6ª feira, das 8h30 às 17h, com tours guiados gratuitos às 11h, 14h e 15h. Aos sábados, o tour sai às 14h e 15h.

The Crumlin Road Gaol

Crumlin Road Gaol

[Prisão Crumlin Road Gaol]

A Crumlin Road Gaol foi fechada em 1996 e então restaurada após 150 anos de reclusão, conflito e execuções. Passaram por lá homens, mulheres e crianças que viveram dentro de suas paredes por causa da segregação política de prisioneiros republicanos. É um tour para os fortes.

Lá dentro você passa pelo túnel que ligava o Tribunal às celas, visita as celas agora restauradas e ambientadas como uma prisão do século XIX e também a cela pré-execução. E então vê a forca onde morreram 17 condenados (o último em 1961). Eu já disse que era um tour para os fortes?

Crumlin Road GaolCrumlin Road Gaol

Saí de lá com a sensação de ter sido mastigada e pisoteada por cangurus. Mas o prédio é lindo, a restauração foi impecável e só não compreendi por que nosso guia sorria tanto. Não me pareceu adequado, sabem?

Aberto todos os dias, com o 1º tour às 10h e o último as 16h30.

Preços em outubro 2013: adultos – £7.50, grupos com mais de 8 pessoas – £5.00 por pessoa. Há pacotes familiares (2 adultos e 2 crianças) por £22.00, mas acho altamente recomendável não levar crianças com menos de 16 anos. Eu já falei que é um passeio para fortes? Fiquei tão impressionada!

Ulster Museum

Ulster MuseumLocalizado no Belfast’s Botanic Gardens você pode imaginar os lindos jardins que estão no quintal deste museu? O Ulster é o maior da Irlanda do Norte, passou por uma reforma e foi reinaugurado em 2009.

Moderno, bacanudo, com muito vidro e em um prédio pra lá de arrojado, ele reúne arqueologia, etnografia, história local, botânica, geologia e uma exposição de vestuário desde o período georgiano até os dias atuais.

De 3ª feira a domingo, das 10h às 17h. É grátis.

SS Nomadic

SS Nomadic

[SS Nomadic]

Os irlandeses se referem ao Nomadic como ‘she’ todo o tempo. A irmãzinha do Titanic é a única sobrevivente da White Star Line e está toda formosa, restaurada e linda, na histórica Hamilton Dock, de frente para o Titanic Experience.

Nomadic foi construído em 1911 nos estaleiros de Belfast e tem ¼ do tamanho do RMS Titanic, mesmos materiais e luxo e os dois foram lançados ao mar no mesmo dia. Ele levou passageiros da 1ª e 2ª classe do cais raso em Cherbourd para o Titanic. Nomadic era uma embarcação auxiliar.

SS Nomadic

Essa foi a parte glamourosa da história dessa simpática embarcação. Daí em diante, esteve em 2 guerras mundiais, voltou a transportar passageiros para navios luxuosos e por fim foi restaurante em Paris por 30 anos. Quando ia ser desmontado e virar sucata, voltou a Belfast num esforço da National Historic Ships para ser restaurado.

De outubro a março, das 10 às 17h. De abril a setembro, das 10 às 18h. Abre de 3ª a domingo.

Preços em outubro 2013: adultos – £6.50, crianças (5-16) – £4.00, estudantes e aposentados – £5.50. Menores de 5 anos não pagam. Há ingressos familiares: 2 adultos + 2 crianças – £17.00

Titanic Belfast

Titanic Experience

[Titanic Experience]

Chamado de Titanic Experience e não Titanic Museum, esse grandioso tributo ao Titanic é uma experiência espetacular.

Ao custo de £97 milhões (Gente, são libras! Ó o caminhão de dinheiro que isso custou!), em um prédio lindo de morrer que te faz ter a sensação de estar de frente com o navio, este museu (espaço, experimento, tributo, chame como quiser) reúne 4 andares e 9 galerias de tudo relacionado ao Titanic.

Titanic Experience

Tem camarote da 1ª classe, vídeo com o lançamento do navio, bote salva-vidas, as plantas do navio, a última foto antes do desastre, um tour com vídeo em 3 telas gigantescas desde os porões até o deck superior e mais a vida no início do século XX, os cartazes da White Star Line, etc. Um passeio que pode levar uma tarde inteira e um pouco mais se você se sentar e contemplar a vista, que também é linda.

Incrível!

De outubro a março, das 10h às 17h. De abril a setembro, das 9h às 19h. Aberto todos os dias.
Preços em outubro 2013: adultos – £14.75, crianças (5-16) – £7.25, sênior (60+) 2ª a 6ª feira – £10.50, sênior (60+) sábados e domingos – £12.50. Pacote familiar – £37.00. Menores de 5 anos não pagam.

Causeway Coastal Route e Giant’s Causeway

Causeway Coastal Route

[Causeway Coastal Route]

Foi disparado o melhor passeio que fiz na(s) Irlanda(s). Um sonho que vou tentar contar para vocês, mas multipliquem várias vezes meu entusiasmo.

Avisaram que ventava e que o tempo era meio instável na região. O que eu não esperava era passarmos do temporal ao dia de sol com nuvens e arco-íris que insistiam em brotar a cada 10km, muitas vezes em aparições duplas.

Causeway Coastal RouteCauseway Coastal Route

Mas o vento era de pré-furacão (exagerei, mas era quase isso) e uma rajada balançou nosso ônibuszinho deixando todo mundo apreensivo.

A Causeway Coastal Route é uma estradinha liiiiiiinda que vai ao lado do mar e que uma hora está no nível dele e pouco depois está em cima de um platô de onde se vê falésias. Então ela volta para o interior e você passa por lindas e pequeninas cidades com casinhas de contos de fadas e campos de verde irlandês e quando já está quase morta de tanto amor por esse local, ela põe um castelo no seu caminho, o Dunluce.

Castelo Dunluce

[Castelo Dunluce]

São 90 km de Belfast a Bushmills pela costa e pouco mais de 60km pela entediante autoestrada expressa cheia de pistas. Por isso vá pela costa e volte pela autoestrada. 🙂

Não pudemos ir na Carrick-a-Rede, aquela ponte de cordas que os pescadores construíam para observar salmões. Ela liga uma falésia a uma ilha de rocha e está a 30m do mar e tem 20m de comprimento.

Carrick-a-Rede

[Carrick-a-Rede]

Lindo, mas agradeço ao deus grego Bóreas, responsável pelo vento frio e violento que não permitiu que nossa travessia fosse feita. Eu ia morrer de medo!

E então chegamos na Giant’s Causeway, que possui um centro de visitantes muito bonito, com uma lojinha ótima (mas não exatamente barata) e um café e restaurante para lanchinhos rápidos.

Giant's Causeway

[Giant’s Causeway]

Do centro sai um ônibus que percorre cerca de 1,5km e deixa você na entrada de onde se começa a ver as formações. São cerca de 40 mil colunas de basalto que formam um dos cenários mais bonitos que já vi nesse mundinho.

Giant's Causeway

A lenda irlandesa diz que um gigante irlandês queria brigar com um gigante escocês, porque é perto, a Escócia tá logo ali, sabe como é, eu tô achando que ele era ariano ou leonino que arrumam briga mesmo sem motivo (heheh). Como não havia barco grande o bastante para atravessar, o irlandês construiu a calçada que ligava os dois com colunas de pedras.

Aí o escocês valente aceitou a briga e partiu pra Irlanda, até que a esposa do irlandês viu que o homem gigante escocês era maior e mais forte que o marido. Ela mandou ele calar a boca e deixar de bobagem (ok, é possível que isso não tenha acontecido também) e o disfarçou de bebê.

Quando o escocês chegou na casa dos dois pensou: se o bebê é desse tamanho, imagina o pai!!! E fugiu correndo, destruindo a calçada. A outra ponta da calçada fica na ilha escocesa Staffa que é desabitada e não se vê gigantes por lá há muitos e muitos anos.

Giant's Causeway

É um lindo lugar, imperdível e um dos melhores passeios da Irlanda do Norte. Quero muito voltar e fazer os 90km em 3 dias. Apesar de todo o vento!

Preços em outubro 2013: adultos – £8.50, crianças – £4.25, família – £21.00.
Aberto todos os dias. Fica na 44 Causeway Road, Bushmills.

Esse passeio fechou com chave de ouro nossa visita à Irlanda. Descobri uma Dublin desencanada e festeira na alma e uma Belfast mais séria, competente, organizada. Amei as duas, cada uma do seu jeito, mas ambas encantadoras.

E pra finalizar:

Fiquei hospedada no lindão Ten Square Hotel em Belfast, que possui diárias a partir de £95.

Almoçamos, jantamos e recomendo:

Robinson & Cleaver Terrace – em frente a City Hall, comi o melhor papardelle da vida lá. Fica na 1-3 Donegall Sq North.

The Bar and Grill – uma carne que desmanchava na boca, couvert com pãezinhos, manteiga e azeitonas muito acima da média.Fica na 21 St James South.

The French Rooms – mistura de loja, empório, bistrô e jardim. Uma fofura, eu perderia horas explorando a lojinha. Fica em 45 Main Street, na fofa Bushmills.

Coppi – bonitão, descolado, cheio de gente bonita. Saint Anne’s Square, Cathedral Quarter.

The Crown Liquor Saloon – um pub lindo e totalmente diferente de todos que fui. Desde 1885 na 46 Great Victoria Street.

Mô Gribel viajou a convite do Tourism Ireland.

Leia mais:

35 comentários

Eu tive o prazer de conhecer a Irlanda do Norte…conheci todos os pontos turísticos e muito mais. Passei 9 meses por lá…tudo maravilhoso, ameiii😘😘

Já visitei Belfast no mês de outubro de 2016 e adorei a viagem e estou retornando agora setembro de 2017

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.