Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 1

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 2

Os colonizadores portugueses começaram a chegar à região de Canavieiras no início do século 18. Demoraria quase 200 anos para ser alçada a cidade, em 1891. Um fato pouco divulgado da história canavieirina, porém, foi a primazia de receber o primeiro pé de cacau do Sul da Bahia, plantado na Fazenda Cubículo.

Mas se Ilhéus hoje aproveita os tempos áureos do cacau como atrativo turístico, em Canavieiras é do mar que vêm os principais atrativos: o caranguejo (pièce de résistance da culinária local) e o marlim-azul (é no litoral da cidade que está um dos melhores pontos de pesca esportiva da espécie no mundo).


catedral são sebastião jorge amado ilhéus
A Ilhéus de Jorge Amado

E é justamente nos arredores do antigo cais do porto, por sinal muito utilizado na época do cacau, que fica o Sítio Histórico Governador Paulo Souto — uma área em que diversos casarões antigos foram restaurados, preservando as linha arquitetônicas originais de outros tempos.

Estacione o carro e siga a pé para conhecer os vários prédios históricos onde hoje funcionam serviços urbanos, lojas e restaurantes.

Fachada e interior da biblioteca de Canavieiras

A biblioteca Afrânio Peixoto, por exemplo, foi em outros tempos a cadeia da cidade. Seu interior preserva as celas, que hoje oferecem livros e locais de estudo.

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 3

A Prefeitura, a Câmara e outros órgãos municipais da cidade também fazem uso de alguns desses casarões.

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 4

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 5

Um dos acessos para o porto é o Beco do Fuxico, onde nos idos dos coronéis ficavam lojas, cafés e um importantíssimo banheiro público. Por ser um ‘point’, era também ali que nasciam as fofocas, talvez originando assim o nome do lugar. Por ali também está a Ponte do Lloyd, sobre o rio Pardo, importantíssima no passado para o escoamento dos grãos de cacau.

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 6

Próximo de onde saem os barcos de pesca na época dos torneios, encontra-se um dos prédios que funcionava como centro de comércio de escravos. Hoje com a fachada pintada de verde, ainda conserva os detalhes trabalhados e as grades.


Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 7
Delta do Jequitinhonha

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 8

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 9

Um calçadão arborizado, com coreto e mesinhas ao ar livre é o centro da agitação na época de eventos típicos da cidade, como a festa junina, o Carnaval Cultural e o Festival do Caranguejo (em setembro), além de outros encontros gastronômicos.

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 10

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 11

Outras construções de frente para o porto também mantiveram sua arquitetura original, entre as quais a loja/museu Galeria do Porto, que tem entre os itens em exposição a foto de quando o presidente Juscelino Kubitschek esteve na cidade.

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 12

Fora do centro histórico, residências também mantiveram traços das construções centenárias. Ainda que modernizadas no conforto, é possível ver estátuas, frontispícios e outros detalhes graciosos das construções.

Praia deserta em Canavieiras, na Bahia

Um passeio pelo fotogênico casario histórico de Canavieiras, na Bahia 13

A faixa litorânea oferece diversas opções de restaurantes, como o Tijolinho (Av. Beira Mar, 660; aberto diariamente das 8h às 18h). Mas se a ideia for apreciar o centro, aposte no colorido ambiente do Frutos do Mar (Praça Eduardo Campos, 18).

O Viaje na Viagem viajou a convite do Transamérica Comandatuba e com o apoio da EVC Turismo.

Leia mais:


Ilhéus

3 comentários

Já fui lá. Vale a pena. Para continuar a viagem em direção ao sul da Bahia, não há estrada pelo litoral.
Contrate o serviço de uma lancha que lhe deixa em Belmonte, navegando pela foz do rio Jequitinhonha. Essa travessia já vale o passeio.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.