Comer: 5 clássicos em Miami

Joe's Stone Crab, Miami

É oficial: os brasileiros já são o segundo grupo mais numeroso de visitantes em Miami. Os dados foram divulgados no Pow Wow, a mais importante feira de turismo dos Estados Unidos. Em 2010 o Brasil enviou 555 mil turistas a Miami, sendo superado  apenas pelo Canadá, e por muito pouco. Em compensação, somos os atuais campeões de gastos na cidade: no ano passado deixamos U$ 1,1 bilhão por lá — sobretudo em compras.

Mas nem só de shoppings e outlets é feita Miami. Entre uma comprinha e outra há uma cidade fascinante a ser descoberta e curtida. A cena gastronômica é movimentada; a cada estação aparecem novos restaurantes em evidência. Alguns lugares, porém, são ícones da cidade, e nunca saem da moda.

Joe’s Stone Crab

Joe's Stone Crab, Miami

O mais famoso restaurante de Miami é cheio das pegadinhas. Seu prato principal — o fabuloso caranguejo gigante do Alaska servido com molho secreto de mostarda e acompanhado por uma legítima salada cole slaw — só é servido na temporada do crustáceo, entre outubro e maio. O lugar não aceita reservas (você enfrenta fila até para colocar o seu nome na fila de espera). E os habituês claramente gozam de, digamos, privilégios de admissão. Ainda assim, o king crab vale todos os perrengues: vem fresquíssimo, com as patas pré-marteladas — e depois de experimentar a cole slow do Joe’s, as outras passarão a ser meras saladinhas. A dica para não pegar fila é abrir o restaurante na hora do almoço: chegue perto do meio dia e será só prazer. Onde: 11 Washington Ave., tel. 305-673-0365. Abre para almoço apenas na temporada do stone crab, de outubro a maio. Site oficial: aqui.

 

Jerry’s Famous Deli

Jimmy's Famous Deli, Miami

Pertinho do badalado calçadão da Lincoln Road, esta deli gigantesca serve o que você quiser, à hora que tiver vontade: o restaurante funciona 24 horas e seu menu tem 600 — SEISCENTOS — itens, esgotando todo o repertório de delicatessens, lanchonetes e diners. É um ótimo lugar para aparecer naquela noite em que você não quer esquentar a cabeça nem com restaurante, nem com a produção. Aproveite para provar algum clássico americano que você ainda não tenha tido a oportunidade de pedir. Quando eu fui, mandei baixar um singelo maccaroni & cheese. Onde: 1450 Collins, esquina Española; tel 305-532-8030. Site oficial: aqui.

Versailles

Bolo tres leches, Versailles, Miami

Aos seus ouvidos o nome deve evocar um palácio nos arredores de Paris — mas, em Miami, Versailles é a Confeitaria Colombo da comunidade cubana. Quer dizer: o lugar, com todos os seus candelabros kitsch, é um restaurante de verdade, conservando toda a história culinária da ilha pré-Fidel. Mas o melhor do pacote são os doces. Entre na fila (sempre haverá cubanos comprando caixas de guloseimas para levar para casa) e experimente o bolo tres leches, deliciosamente úmido. Antes ou depois, dê um rolê pela Calle Ocho, que é o coração da Miami cubana. Mas se não tiver tempo de se abalar até Little Havana, então experimente o seu tres leches nas filiais da Versailles no… aeroporto! Onde: 3555 SW 8th St., à altura da 35th. Ave.;  tel. 305- 444-0240. Site oficial: não tem (o que você vai achar no Google é das franquias em Los Angeles).

Prime 112

Diga: Prime One Twelve. E reserve. E não ache estranho se, mesmo com reserva, precisar esperar um pouco no bar. Você está na steakhouse mais disputada da cidade — apesar dos preços, bem mais salgados do que a carne (que vem temperada no ponto certo). A pedida mais extravagante? O hot dog com salsicha 100% bife de Kobe, que custa 30 dólares e deve ser o mais caro do mundo. Como atrativo extra, sempre existe a chance de você topar com uma celebridadezinha… Onde: 112 Ocean Drive (no comecinho dela), no hotel Brown; tel. 305-532-8112. Site oficial: aqui.

News Café

New Café, Miami

Sim, a Ocean Drive já foi bem mais descolada. Hoje a beira-mar de South Beach é como qualquer beira-mar de balneário (com uma arquitetura muito melhor, claro). Um lugar, porém, permanece idêntico aos tempos em que SoBe ganhou esse apelido: o News Café.

Pegue uma mesa na calçada, peça qualquer item do cardápio do breakfast (que é servido o dia inteiro) e aprecie o movimento.

Tudo o que você precisa para disfarçar é de um jornal ou revista emprestado do rack (ou comprado na excelente banca do lugar) — ou então um bom par de óculos escuros espelhados. Onde: 800 Ocean Drive, à altura da 8th. St.; tel. 305-538-6397. Site oficial: aqui.

E você? Qual programa clássico de Miami recomenda?

Leia mais:

33 comentários

Gostaria do endereço de um restaurante que eu possa comer camarões (bem grandes) rsrsrsr
Obrigada desde já

    Olá, Fernanda! Vamos compartilhar sua pergunta no Perguntódromo. Havendo resposta, aparecerá aqui.

    Red Lobster, assim como o Oliver Garden, Outback, etc, são restaurantes de redes, quase fast-foods (tipo um Spolleto melhorado), que só vale a pena quando se está em uma road trip ou para aqueles momentos em que vc só quer comer não importa onde (tipo chegando em um país tarde e cansado ou saindo com fome de um parque da Disney).

    Não creio que seja o caso da Fernanda que quer comer camarões bem grandes, os quais eu sinceramente não encontrei no Red Lobster. Eu fiquei imaginando um restaurante tipo o Stone Crab lá de cima, só que com camarões.

    Desculpe, Thiago, com todo o respeito, mas a Fernanda está indo para Miami, não para um destino mais gastronômico ou sofisticado como a Toscana ou a Provence. O Red Lobster é uma ótima opção custo/beneficio, em especial porque acabaram de lançar o Big Shrimp Festival. Se Big Shrimp não é camarão graúdo, o meu inglês está bem ruim…Abraço!

    Aí tenho que discordar de você Neftalí (risos). Eu acho que Miami tem sim restaurantes bem bacana e sofisticados.
    Os restaurantes de rede pode ser uma facilidade pra quem gosta e conhece, mas geralmente não tem o charme de vários restaurantes da cidade esperando pra ser descoberto. Eu costumo evitar os de rede, e vou somente quando não tenho tempo pra pesquisar.
    Acho que foi nesse sentido que o Thiago falou que o Red Lobster talvez não se enquadraria no que a Fernanda perguntou 😉 .
    Abs

    Oi Mirella. Sim, talvez eu esteja sendo meio radical na minha defesa ao Red Lobster…É que eu adoro aquele pãozinho da entrada! Abraço!

    Oi Neftalí, não estava sabendo desse festival. Talvez seja uma opção. Mas é como a Mirella falou, tem muita opção gastronômica (principalmente em Miami) que supera os restaurantes de rede (que eu frequento mais do que eu gostaria quando estou nos EUA, rs). Em todo caso, é apenas uma opinião. Acho que as redes tb tem seu espaço e (principalmente em Orlando) são uma opção muito utilizada. 🙂

    Você tem razão Thiago. Eu conheci bem a Miami do começo dos anos 90, era tudo bem decadente, estilo “Scarface”. Voltei no ano passado e é outra cidade, muito mais bonita, cheia de vida e com muito mais opções (e hotéis caríssimos).
    Em relação ao Red Lobster, se bobear, esse “Big Shrimp” é maior que as mini lagostas que eles servem…Abs!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.