Conte sua viagem insana e concorra a duas noites no Beach Park

Insano, Beach Park

Como vocês devem estar lembrados, fui recebido no Beach Park Acqua Resort com um desafio: se eu descesse no brinquedo mais radical do parque, o Insano (41 metros — 14 andares! — de queda praticamente livre) eu ganharia duas hospedagens de duas noites com pensão completa e acompanhante para o povo da Bóia.

Insano, Beach Park

Então bolei o seguinte concurso. Você vai lá na caixa de comentários e conta a viagem mais insana que você já fez, ou a maior insanidade que você já cometeu durante uma viagem. (De preferência com final feliz, vai.)

Ao contar a sua viagem insana, fazendo o comentário com um email válido, você estará automaticamente inscrito.

Depois de encerrado o prazo de inscrição, eu vou atribuir um número a cada comentário, seguindo um talonário de senhas comprado na papelaria.

O sorteio será público, com testemunhas, e transmitido pelo Twitter.

Pá-pum:

Valem as viagens insanas contadas entre hoje e a meia-noite de 20 de novembro, um sábado.

O sorteio será feito num happy hour no Rio de Janeiro, na noite do dia 22, uma segunda-feira, em lugar a ser combinado.

O prêmio não inclui passagem aérea nem gastos extras. Consulte as regras do prêmio clicando aqui. Ao participar você sinaliza que concorda com as regras.

E bora relembrar o meu momento insano?

219 comentários

Riq, quando tiver o local do sorteio definido é só avisar que eu tô dentro. Abraços!

    Vou pôr em votação! Tô pensando num lugar central (Lapa ou Centro ou Belmonte do Flamengo), porque devo ficar num dos hotéis perto do Santos Dumont pra no dia seguinte cedinho ir pra Búzios…

Acho que já devo ter comentado aqui a passagem mais insana de minhas viagens. Foi no reivellon de 1999 para 2000 em Paris. Perdemos o horário de metrô e onibus para voltarmos para o hotel. Nenhum taxi parava. Tivemos que caminhar até nosso hotel, porém ele estava muito, mas muito distante da onde estávamos. E não tinhamos nenhum mapa. Acabamos “pegando emprestado” um mapa da rota de onibus que levava até o hotel e foi graças a essa rota que conseguimos chegar depois de 7 horas de caminhadas sem parar pelas ruas de Paris. A calça da minha irmã chegou puida entre as pernas e no dia primeiro ficamos todos deitados tentando reabastecer as energias.Foi uma insanidade mas com certeza inesquecível.

Você concorre com o número 1628

Minha viagem insana foi quando ainda estava na faculdade e alugamos um ônibus para ir do Rio até Gramado para assistir a um congresso. O problema é que a viagem durou 24 horas e ônibus so parou somente 1 vez, pois o motorista não conhecia direito o caminho. Agora você imagina o estado do ônibus (e do banheiro) após uma viagem de 24 horas com um bando de adolescente bebendo cerveja o tempo todo e fazendo a maior zona. O cheiro era insurpotável e obviamente ninguém conseguia dormir.

Você concorre com o número 1627

Viagem insana é qualquer uma que se faça sem antes dar uma passada aqui. Tá, ficou igual resposta de concurso de shopping, mas é isso mesmo. ; )

Você concorre com o número 1626

Minha viagem mais insana foi à Valle Nevado! O que tem de insana nisso? Acontece que eu tenho (e não sabia) uma doença genética chamada Anemia Falciforme, que me impediria de chegar a altitudes elevadas resultado: no meio da primeira descida tive um infarte no baço (coisa que nem sabia que poderia ocorrer), com muita dor fui hospitalizado em Santiago (nem plano de saúde internacional tinha feito) e sou o primeiro caso relatado dessa doença no Chile (pois é virei estatística)! Depois de uma semana de testes para descobrir a doença e um mês inteiro de internação, voltei para o Brasil para descobrir que essa doença, por aqui, é mais comum do que imaginava. Viagem insana com final feliz!

Você concorre com o número 1625

Minha maior insanidade foi cancelar uma viagem para passar o Ano Novo com uma pessoa X nos EUA para ficar com uma pessoa Y no interior de Minas. Pessoa esta que eu havia acabado de conhecer há coisa de um mês.

Um ano depois, estamos planejando a próxima viagem 😉

Você concorre com o número 1624

Minha viagem insana foi para Berna na Suíça. Uma das práticas dos suíços, durante o verão, é nadar no Rio Aare. O rio tem uma correnteza fortíssima e a água é geladérrima (15ºC). Eu não sabia nadar, mas mesmo assim, queria experimentar! Me joguei em um ponto do rio, fui boiando (pois a correnteza proporciona isso) até outro ponto do rio onde uma amigo estava me esperando para me tirar da água. Saí roxa de tanto frio! Mas valeu a experiência! 😉

Você concorre com o número 1623

A minha maior insanidade foi fazer um mergulho em Ushuaia. 5 graus! Quando resolvi fazer achei uma graça enorme, mergulhar de roupa seca etc…mas é uma insanidade sim!
Imagina que sua roupa de mergulho vai por cima da sua roupa. E vc tem que confiar que não molha. Imagina agora que o capuz não tem assim uma mega vedação, então entra água pela cabeça! E a luva não faz parte do macacão então também entra um pouco de água.
E para chegar ate o point de mergulho é de lancha! Lanchinha! Com muito vento! A temperatura externa é menor que da água!
Ok…vc fez todo o seu mergulho, toma um chá pra aquecer e reza pra não perder as mãos (achei que tivesse congelado).

Agora a parte engraçada, vc ta com sua roupa de mergulho toda inflada igual ao “os incríveis” e salta um barco do seu lado, cheio de turistas, cheio de máquinas fotográficas…e adivinha o que é a atracão!!!
Vai dizer…insano!!!

Você concorre com o número 1622

Trinta e um dias de férias, sem estresse, sem motivo para pressa. Aí eu e o Jc descemos as escadarias de uma das estações de metro de Paris, o aviso de partida já tinha sido dado, ele me agarra a mão, pula do ultimo dos degraus, me arrasta junto e pulamos dentro do vagão. A porta fecha imediatamente às nossas costas. Um senhor negro, bem vestido, com rosto traquilo e sábio, nos olha e balança levemente a cabeça reprovando-nos.
Não precisavamos cometer uma insanidade dessas, que poderia ter nos custado a vida…

Você concorre com o número 1621

São tantas insanidades!!!
Mas provavelmente minha maior insanidade foi largar um emprego de altíssimo nível no Brasil e passar uns meses nos Estados Unidos viajando, estudando inglês e de quebra fazendo algumas entrevistas para trabalho… Aí você diria, não tem nada de muito insano… até eu te contar que eu estava gastando todas as minhas economias quando o dólar estava carissimo… mais de 3.50!!! Tem noção do que é fazer conta a cada coisinha que se compra e ver sua conta bancária só minguando. :)Dá-lhe escolher programas for free!
A família e os amigos queriam internação assim que eu pisasse em solo brasileiro. 🙂
Mas a insanidade valeu, porque algumas semanas depois de voltar ao Brasil, uma empresa que eu fiz uma entrevista quando estava em DC me ligou, ofereceram visto, trabalho e salário em dólar(que claro, desde aquela epoca, vem caindo vertiginosamente, já que eu estou aqui né?)… e aqui estou(em DC mas não mais na mesma empresa!), até hoje! 😉

Você concorre com o número 1620

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.