2 semanas de curso e passeios em Montpellier: a viagem da Carla

Fête de la Musique, Montpellier

A trip de carteirinha Carla Z. pegou as duas semanas de férias que precisavam ser usadas e traçou um ótimo plano: fazer um curso de francês num pedaço da França em que pudesse fazer viagens depois das aulas, sem precisar esperar o fim de semana. Escolheu Montpellier, uma cidade universitária no Languedoc (entre a Provence e a Catalunha) e aproveitou bastante. Deixou esse comentário no post sobre cursos de idiomas e viagens paralelas — um relato tão pedaçudo que tinha que virar post. Vai pela Carla:

Passei duas semanas em Montpellier para estudar e passear e queria deixar aqui minhas impressões:

Escola de francês: Accent Français
Apart : Goelia Sun City (reservado pela escola)

Escolhi uma escola sem referências de pessoas conhecidas, mas bem popular nos sites que pesquisei e onde fui super bem atendida; tive todas as respostas dos meus questionamentos, tudo muito rápido, gostei da atenção. Mas tem dezenas de outros cursos de francês por lá. Uma vantagem era quase não ter brasileiros, e os brasileiros não se juntavam, ou seja, não falei português por lá.

Faço aula de francês no Brasil e lá acabou sendo uma revisão, não aprendi de verdade, mas fiquei apenas duas semanas e só tinha aula de manhã, conheci gente que estava estudando por 6 semanas lá, de manhã e de tarde, tinha chegado sem saber nada e já falava tudo. As aulas são com muitos jogos, brincadeiras e minhas turmas foram meio lentas, mas os professores são bem atenciosos.

As turmas eram pequenas, 5-6 alunos, mas os professores falaram que em julho/agosto aparecem muitos alunos a mais; mesmo assim as turmas chegam no máximo a 10.

As instalações são bem caidinhas, prédios velhos, escada, sem ar condicionado, vizinhança barulhenta. Mas o curso é exatamente no ponto principal da cidade, a Place de la Comédie.

A média de idade, pelo menos em junho, deve ser de uns 20 anos, mas tinha pessoas mais velhas sim, uns poucos.
Gostei muito da localização do meu apart, mas não do apart. Horrível. Não recomendo. Todas as pessoas da minha turma estavam em casas de família e adoravm, isso ajuda muito no progresso do francês.

Não tem como ficar entediado, é um bom lugar pra passar um tempo. E com muitos bares, restaurantes, cafés. O centro histórico é bem bonitinho e fechado pra carros, a Place de la Comedie, com aquele ar bem turistão ( e onde fica o posto de turismo, pessoal bem atencioso ), restaurantes pra todos os lados, artistas de rua…

A cidade tem praias a 10 km e dá pra chegar de tram, ônibus e até bicicleta, dependendo da praia. E são boas, com areia fininha e a água numa temperatura bem agradável, fria sim, mas no Rio é mais.

Praias próximas:
Carnon : fácil acesso, tram e caminhada.
Palavas: possível chegar de bicicleta por uma ciclovia.
Espiguette: mais difícil de chegar, melhor ir de carro, praia de kite surf, com vento e muita areia, dunas baixas e nenhuma construção ao redor.
Le Grau du Roi: cidade mais charmosinha, o centrinho tem cafés na beira da praia. Ônibus desde Montpellier.
La Grande-Motte: clubes de praia e resorts e tal. Dá pra ir de ônibus também
Sète: 20 minutos de trem, centrinho histórico, mirante, orla bem legal e bonita

Vale lembrar que fui no verão, mais de 30 graus todos os dias e dias longos, escurecia 22h.

Praia nos arredores de Montpellier

Se for em junho, pegar a Fête de la Musique (21 de junho) é bem especial. E outras festas e festivais rolam o verão todo. Super animado

Ao redor de Montpellier tem várias cidades fáceis de ir, de trem ou de ônibus, essas eu conheci:
Carcassonne: De trem dá entre 1h30 e 2h
Avignon: 1 hora de trem
Nîmes + Pont du Gard: Nîmes, menos de 30 minutos de trem. E para Pont du Gard ônibus de Nîmes, pegar o horário dos ônibus na internet ou no escritório de turismo de lá (ou de Montpellier mesmo)
Marselha: 1hora e meia de trem
Saint-Guilhem-le-desert: cidadezinha fofa , caminho de peregrinos de um dos caminhos de Santiago. 1 hora de ônibus a partir de Montpellier. Nos finais de semana, e em julho/ agosto dá pra passear melhor por lá, tem ônibus de turismo entre a cidade, a ponte du Diable e uma gruta próxima.
Aigues Mortes: cidadezinha murada com ruína de um castelo,lojinhas fofas de decoração, cafés, restaurantes. Vale a pena, perto de Montpellier.

Todas as escolas de francês organizam grupos pra esses passeios pra quem prefere ir com guia e tudo organizado.

Montpellier tem aeroporto, então é possível chegar direto lá, mas não recebe muitos voos, apenas Air Frances e alguns de low cost. Chegando por outros aeroportos na França é só pegar um trem pra Montpellier (Paris: 4 horas;  Marselha: 1 hora e meia;  Lyon: 2 horas;  Toulouse:  2 horas).

Valeu, Carlinha! Chapeau, chérie!

Leia mais:

Cursos no exterior e viagens paralelas: os relatos dos leitores

Patagônia e Buenos Aires por Carla Z., no Filigrana

Rota Ecológica alagoana por Carla Z., no Matraqueando

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email

37 comentários

Carla, estou entre Nice, Montpellier e Paris para passar 2 meses estudando Francês. Já estudo aqui no Brasil. Você teria alguma familia conhecida pra eu ficar? Alguma sugestão? A escola seria essa mesma.
Obrigada
Paula

    Olá, Paula! A experiência da Carla está relatada no texto, é só seguir seus passos.

    Oi Paula, particularmente eu recomendaria cidades pequenas, Paris é linda, mas, para aprender a língua e socializar acredito que seja mais difícil…no meu blog fiz um relato de um curso de francês de Montpellier, o mesmo que a Carla fez se te interessar…abraços!

    Paula,
    Como não fiquei em casa de família não tenho nenhuma para sugerir. As meninas da minha turma que ficaram em casa de família se deram super bem. Todas foram bem receptivas, muito mais que um simples alojamento, incluindo na vida da família mesmo.
    Já quanto as cidades é realmente difícil. Escolhi Montpellier por ser uma região da França que eu não conhecia e também porque não teria medo de ficar sozinha, sair sozinha. Mesmo assim fiquei com dúvida, porque passar uma temporada em Paris é super atraente. Não me arrependo, foi uma boa escolha. Montpellier é bem legal, tanto a cidade quanto os arredores.

Pretendo, no meio do ano, passar quatro semanas na Franca, duas em Montpellier e duas em Nice. Petendo estudar e gostaria de ficar acomodado em um apart com acmomodacoes para um casal. O que vcs indicam, curso e acomodacoes?
Obrigado

Em janeiro de 2010 fiquei um mês em Montpellier para estudar francês e adorei! Fiz o curso na Aliança Francesa de Montpellier, onde o preço era bom e eles me ajudaram a encontrar uma host family, que não foi lá grandes coisas mas o preço era bom.
Fora isso aproveitava os finais de semana para conhecer melhor a região, fui a Carcassone e a Nimes, todas muito lindas! Fui também de onibus a Barcelona, acho que foram em 2h e 3h de Eurolines.
A cidade é muito linda, pena que como fui em janeiro não pude aproveitar as praias. Mas super recomendo!

    Minha pergunta e para a Flavia que estudou em Montpellier em Janeiro. Vou em janeiro de 2013 e queria saber se o clima e mesmo como os sites da cidade dizem, entre 10 e 19 graus ou o frio e mais intenso?

Que legal! #wishlist

Em 2008 fiz um curso de 2 semanas em Nice e também recomendo: o nome do curso é France Langue. Fiquei em casa de família no centro da cidade, ótimo! Não era verão, mas mesmo assim os bate-voltas possíveis são muito variados, a no máximo uma hora: Cannes, Monaco, Antibes..

Carlinha, muito bem aproveitadas suas férias, mesclando com curso de francês. Melhor maneira de aprender rápido uma língua, é in loco. E, que bom que os brasileiros se distanciaram para não correrem o risco de falar português entre si.
Você explorou bem a região, hem menina 😉

Post jóia, Carlinha! Sou doida pra fazer um intercâmbio assim curtinho e agora to achando Montpellier uma ótima opção, quem sabe próximo ano, rsrs!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.