Inhotim

Diversão e arte
  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

"O melhor passeio que você ainda não fez": foi assim que eu defini Inhotim na minha primeira visita, há alguns anos. De lá pra cá, porém, Inhotim deixou de ser um mero passeio, para se tornar um destino em si.

Com o crescimento do parque e a impossibilidade de ver tudo numa visita só, viajar a Inhotim agora envolve a tomada de mais decisões. Quantos dias visitar? Onde ficar -- em Belo Horizonte ou nos arredores do instituto? Qual é o melhor roteiro para dar conta das galerias mais importantes? Aposto que, da última vez que você precisou planejar tanto a visita a um parque, você estava na Flórida grin

Vai por mim: a melhor estratégia é ir com muito tempo (dois dias, se você for um leigo em arte como eu) e pouco roteiro. Quanto menor for o seu conhecimento prévio das obras e galerias, maior será a sua surpresa e o seu encantamento. (Há boas descrições do background de cada obra e artista, além de monitores a postos para dar todas as explicações que você possa querer.) E quando você não está focado apenas em ir atrás do artista X ou da galeria Y, você percebe melhor o que há no caminho -- um jardim botânico que já valeria a visita mesmo sem toda essa arte.

Ainda estou para encontrar alguém que se diga decepcionado com Inhotim. Todo mundo vai com expectativas altíssimas e volta deslumbrado. Inhotim se comunica tanto com o connaisseur de arte contemporânea quanto com o mais por-fora dos leigos (presente!). Você sai do parque com apenas uma dúvida: eu estava mesmo no Brasil?

31 comentários

Jucelene Rocha

O que dá pra fazer nas cidades históricas de Minas Gerais em 8 dias? Queria conhecer também Inhotim, será que dá?
Espero que me responda pra eu poder viajar nesta viagem!
Bjos

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jucelene! Alugue o carro em Belo Horizonte, passe duas a três noites em Ouro Preto, visite Congonhas a caminho de Tiradentes, passe de duas a três noites em Tiradentes, siga para Brumadinho, passe duas noites, devolva o carro em Belo Horizonte.

Eduardo Nasi
Eduardo NasiPermalinkResponder

Oi.

Que bom que Inhotim virou um destino. O guia tá bem claro. Fico aliviado porque tou enrolando pra fazer um e agora ganho mais uma folga.

Se me permitem uns pitacos:

1. Acho dois dias pouco pra quem tem um interesse grande em arte contemporânea e no parque - e ainda quer comer nos restaurantes, que são bem bons. Hoje em dia, eu não recomendo menos de quatro dias pra quem quer o pacote completo. Mas calma lá: meu pacote completo inclui ver tudo com calma e até nadar nas piscinas do Oiticica e do Macchi (lembrando que o Inhotim tem toalhas e estrutura pro banhista na do Oiticica, mas tem que levar roupa de banho).

2. Eu fiq

Eduardo Nasi
Eduardo NasiPermalinkResponder

Ops, fiz algo errado. Continuando...

2. Eu superconcordo que tem que ficar em Brumadinho. BH e outros arredores é roubada. Nos arredores, além de escurecer, algumas estradas alagam quando chovem, e você tem que disputar espaço com os caminhões das mineradoras. Não é legal.

3. Na última vez, fiquei na Dona Carmita. E sim, o restaurante é uma chatice. E eu tentaria pedir pra ficar o mais distante possível da BR.

4. No caso de quem é ligado em arte e não tem quatro dias, eu priorizaria as galerias, porque é o acervo que é trocado de tempos em tempos. Os galpões de artistas são permanentes, então vão estar lá na próxima visita. O acervo do Inhotim é pelo menos o dobro do que está exposto, então tem muita coisa guardada que pode demorar pra reaparecer. (Por exemplo: eles têm a série Tulsa, do Larry Clark, que até onde sei nunca chegou a ser exposta.)

5. Também no caso de quatro dias, eu pegaria a pulseira do carrinho num único dia, que ficaria reservado às obras que ficam no topo dos morros.

6. Carnaval enche muito. A terça de Carnaval, gratuita, costuma ser o recorde do ano. Espere encontrar filas nos blockbusters. Não conte como um dia comum de visita.

Enfim, é isso. Qualquer coisa eu volto.

Maíra
MaíraPermalinkResponder

Inhotim é puro amor. Fui a primeira vez a 6 anos, pouco conhecido mesmo pelos belorizontinos. Desde então voltei várias vezes e é bacana ver como muitos amigos/parentes leigos em arte inicialmente não queriam conhece-lo. Eu insistia e quase arrastava e, felizmente, todos voltavam deslumbrados! Sempre digo: Não precisa entender. Vc vai gostar e achar bonito. E se tudo der errado, vc deita na espreguiçadeira, aprecia a vista e vai curtir do mesmo jeito! grin

Hugo
HugoPermalinkResponder

Fico muito feliz em ver Inhotim tendo o reconhecimento que merece.

Janaína Bandeira Pires

Inhotim é a sensação de estar no paraíso, trás calma e muita paz, fiz minha primeira visita a 1 mês e no próximo final de semana estarei fazendo novamente para conhecer o restante, mas acho muito interessante ir uma terceira vez para apenas contemplar o lugar, sem sentir necessidade de conhecer nenhuma obra, apenas admirar o encanto do inhotim.

isolda maciel couto

Ricardo, lutamos com unha e dentes para promover o turismo da região no entorno de Inhotim. Seu comentário não nos reconhece. Somos da encosta da serra, região que você desqualifica por não termos estradas descentes. A culpa não é nossa, das pousadas e restaurantes (que garanto que você não desfrutou e não pode falar com propriedade - se desfrutasse teceria bons comentários, tenho certeza). Nossa secretaria de turismo em Brumadinho não nos contempla na nossa reivindicação de melhorias das estradas e sinalização turística. O Inhotim merece como nunca ser valorizado pelo que representa como destino turístico. É um dos maiores museus a céu aberto de arte contemporânea do mundo. Mas nós, da encosta, não merecemos esta sua desvalorização!

isolda maciel couto

Caro Ricardo,
eu de novo. Falo em nome dos empresários de turismo da região da encosta da serra e do sopé do Parque Estadual do Rola Moça. Temos aqui vários atrativos e nos empenhamos em desenvolver mais e mais turisticamente. Concentramos número maior de hospedagem do que a sede de Brumadinho. Cabe pontuar que quase 85% das nossas ocupações são visitantes de INHOTIM. Concentramos, também, maior número de restaurantes com uma variedade gastronômica que atende todos os gostos e oferecendo ambientes que variam do refinado ao típico mineiro despojado. Todos com muita qualidade. Eu diria assim para o visitante do Inhotim: " Qué conhecer minerim? Uai, vem prá cá!" Estradas de terra podem ser bucólicas pois as paisagens são impares. É questão de ponto de vista.

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Oi Isolda, você tem algum link/site onde eu posso encontrar informações de hospedagem perto de Inhotim em seu entorno? Obrigado.

Marina
MarinaPermalinkResponder

Somos um casal jovem de São Paulo- SP que decidiu Inhotim como destino principal das férias. A dúvida é como podemos aproveitar melhor a viagem. Não sei se vamos de carro e ficamos uns dias em Monte Verde, ou se aproveitamos um pouco BH e cidades históricas. Tem passeios ecológicos em alguns destes destinos? Adoro seu site, usei várias dicas em minha viagem pro Hawaii e pro Chile!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marina! Navegue pelo guia acima para montar a sua viagem smile

Miriam
MiriamPermalinkResponder

Eu gostaria de fazer uma visita guiada com alguém conhecedor de arte. O parque oferece esta opção? Em caso negativo, vcs podem me indicar se alguém faz isso?

Grata

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Miriam! O parque oferece monitores em todas as obras e galerias. Há também uma visita mediada de 1h30, que acontece às 11h e às 14h, para até 25 pessoas. Mas é uma visita que apenas apresenta o parque; não é uma visita guiada tradicional.

http://www.inhotim.org.br/visite/visitas-orientadas/

viajes a India

Viajes a India
Buenas días, escritor. Me llamo Seema y soy mujer de la India, Tengo titulo maestra en Turismo. Estoy leyendo su artículo de viajes y turismo, y después de leer su artículo yo puedo decir que hay muy bien informaciones sobe viajes y turismo. Hay muchas informaciones sobre cultura de viajes también. Estoy pensando a viajar a su país por ver cultura desfrutar comida. Realmente según de este blog su país es muy interesante. Cuando yo estaré en su país podemos dar información sobre viajes a India a usted. Finalmente quiero decir que su blog va a ayudar mucho a los viajeros que quieren viajar a su país

Emily
EmilyPermalinkResponder

Estava passando uns dias em BH e tinha definido que: iria a Inhotim (com uma ideia bem básica sobre o que era) e que voltaria pro ES de trem (uma aventura a parte!).
O encantamento com Inhotim é uma sensação da qual quero me lembrar sempre!! Principalmente pra poder programar uma nova visita. Fiquei quase 40min perdida sem saber o que fazer rsrs E depois engatei um roteiro improvisado. Utilizei o carrinho de transporte pq tava (ainda está!) um calor desumano na região e foi graças a ele que encontrei uma das minhas obras favoritas: Sonic Pavilion, do artista Doug Aitken.
Fiquei maravilhada com tudo que vi e senti, com o cuidado com tudo, com tanta natureza e beleza.
O ônibus que sai/volta da rodoviária de BH é um adianto ótimo!

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Acabei de voltar do Inhotim. Fui com marido e 2 filhos de 7 e 10 anos. Todos AMAMOS a experiência. É realmente um lugar surpreendente que vale a pena ir sem muito conhecimento prévio, como disse o Ricardo.
Sugiro que você contrate o carrinho, porque é meio puxado para as crianças andar tanto.
Fiz um post no meu blog http://atravessarfronteiras.blogspot.com.br/2014/11/inhotim-melhor-do-que-o-esperado.html

Izabel Schneider

eu apenas acrescentaria aos dois dias de Inhotium, todos os museus novos e mais antiguinhos na praça da Liberdade em BH. O Mermorial Minas Gerais Valle, em BH, o Cais do Sertao Luis Gonzaga em Recife o o da Lingua Portuguesa em Sampa sao o que de melhpor e mais moderno há nessa terra em matéria de museus.

Felipe Crispim

Compensa ir no réveillon?

Felipe Crispim

se n, existe algum post com dicas para uma viagem de última hora para o réveillon? rs

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Felipe! Inhotim estará fechado nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro.

Leia nossa página de Réveillon:
http://www.viajenaviagem.com/reveillon-2015

Cyro Ribeiro
Cyro RibeiroPermalinkResponder

Estivemos 18 e 19 deste dezembro em Inhotim, dois dias de sol, sorte em uma época de chuvas de verão.
São realmente 2 dias para se ter uma boa noção da grandeza do local e da beleza das obras de arte. Vá preparado para andar. No primeiro dia fizemos o passeio gratuito com guia, pelas obras principais e andamos nas demais. No segundo dia, compramos o transporte pelo carrinho (R$ 20,00) o que ajuda muito para visitar as obras mais distantes.
Só o Restaurante Tamboril estava aberto. Muito bom, mas caro, na faixa de R$ 150,00 para o casal.
Ficamos hospedados em Brumadinho o Estrada Real Palace Hotel. Recomendamos por ser perto (10 min - isso é importante devido ao cansaço ao final do dia), ter bom restaurante, piscina e instalações, mas só se você não se importar com trânsito de caminhões na frente de todos os aptos. A prefeitura de Brumadinho deveria resolver esse problema, já que os caminhões desviam de outras estradas em reforma que nunca acabam e grande parte da receita de lá vem dos visitantes do Inhotim.
Ao ir embora, a rota para a BR-040 passa por um desses espetáculos do interior de Minas, uma serra que só de 1ª marcha para subir os 1400 mts!

Renato
RenatoPermalinkResponder

O que vale na viagem a Inhotim é a vegetação, parte dela feita de plantas exóticas (trazidas da África), e os bancos que foram feitos de troncos.
As artes visuais (como esses fuscas coloridos) são o retrato da decadência da sociedade contemporânea.
Só gostei mesmo foi do salão onde, no escuro, ouvimos diversos tipos de som.
Foi uma viagem que não farei outra vez, e que não recomendo.

Cristian
CristianPermalinkResponder

Inhotim é mais um destino overhyped: muita pretensão e pouco conteúdo.
Falar de artes plásticas no Brasil é uma piada e em Inhotim não é diferente: instalações preguiçosas e sem originalidade alguma.
Talvez seja interessante pela vegetação, mas prepare-se para MUITAS filas: para comprar ingresso, para ir ao banheiro, para comer, para comprar água, para andar no carrinho. E atendimento bem brasileiro: demorado, arrastado é caro.
Fui, não irei novamente e não recomendo.
Mas, se você quiser cair nesse engodo, não vá de ônibus: apertado, sem ar-condicionado, sacolejando em estrada cheia de lombada e corcovas.
E não esqueça o repelente.

Beatriz
BeatrizPermalinkResponder

Olá, estou pensando em ir para Inhotim nas próximas férias de carro, saindo de São Paulo. Qual a sugestão de vocês de paradas em cidades próximas (sem aumentar muito a distância) para ficar uma ou duas noites no caminho da ida e da volta?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Beatriz! O eixo é a Fernão Dias. Atibaia, Monte Verde, Poços de Caldas e Tiradentes não ficam longe da estrada.

MARIA DO CARMO

Sou amiga benfeitora do INHOTIM , ja fui 38 vezes estou a disposição para te ajudar.

Junio César
Junio CésarPermalinkResponder

Olá meu nome é Junio Cesar trabalho de Guia Especializado para Inhotim, há visita acontece o dia todo com foco em Arte Contemporânea e botânica mais todo histórico de Inhotim, baseado em minha vivência de 10 anos com parque trabalhei em Inhotim de 2002 há 2012 quatro anos antes de abrir ao público, uma visita sensorial, o Inhotim não da mídia ! Morei 4 anos com Bernardo Paz por isso essa vivência! Meu contato é (31)9 96600164 ou email: juniocesar.guia@gmail.com

Luciana G N
Luciana G NPermalinkResponder

Realmente Inhotim é surpreendente. Passamos um dia bem agradável e minha filha e meu sobrinho, ambos de 4 anos aproveitaram muito o passeio. Almoçamos muito bem no restaurante por quilo e conseguimos percorrer o parque inteiro em um dia. Apenas não entramos em todas as galerias.
A única ressalva é o mapa, que na grande maioria das vezes não condiz com a rota.
Passeio que vale a pena para quem está na região de BH.

Livia
LiviaPermalinkResponder

Fui neste fim de semana. Sim, é sensacional. Todo mundo deveria ir uma vez na vida.
Consegui fazer tudo em 2 dias, peguei o carrinho só no 2º dia para agilizar porque tem galerias que realmente são muito distantes, anda-se muito, mas é uma delícia caminhar por lá. Achei muito organizado, staff educado e prestativo. O paisagismo é muito bem feito, lindo!
Fiquei com uma impressão de atmosfera de sonho, ora se caminha por uma vegetação exuberante, ora se encontra numa galeria cheia de coisas malucas, às vezes da medo, às vezes euforia. Viagem doida essa...
Só caí na besteira de ir no restaurante Tamboril, caro (79,00 por pessoa) e comida fraca.
Os dias que fui só peguei fila para comprar / trocar o passaporte na recepção. Muito tranquilo.
Fiquei numa pousada em Conceição do Itaguá, 10 min de carro do Inhotim, chama Pousada Alta Vista, uma graça.
Amei tudo!

Rosi
RosiPermalinkResponder

Quase sem palavras pra este lugar!
Inhotim é só amor!
Lugar lindo e cheio de surpresas!
Adoramos muitoooo!
Voltaremos logo ??

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar