Inhotim

Guia de Inhotim

Como visitar Inhotim

Horários e preços

O ingresso custa R$ 44. Crianças até 5 anos não pagam. Estudantes identificados, crianças de 6 a 12 anos e maiores de 60 anos pagam meia. Na última 6ª de todo mês, a entrada é gratuita para todos (exceto em feriados, quando há cobrança de ingresso).

Para visitas em dias consecutivos (que não envolvam o dia gratuito de 4ª), compre um passaporte. O de 2 dias custa R$ 76. O de 3 dias, R$ 106. O passaporte para 4 dias custa R$ 154. Todos os passaportes saem pela metade do preço para estudantes identificados, crianças de 6 a 12 anos e maiores de 60.

Comprando ingresso online, você imprime um voucher e troca num guichê exclusivo, evitando filas maiores.

É importantíssimo ir com calçados usados e confortáveis. Leve também uma mochilinha para carregar água e guardar o blusão ou casaquinho que você queira tirar depois de começar a caminhar.

Transporte interno no parque

Inhotim

Uma frota de carrinhos elétricos roda por cinco rotas, com pontos de parada fixos e sinalizados.

Visitantes com dificuldade de locomoção podem usar o transporte gratuitamente: basta pedir uma pulseirinha na recepção (com direito a um acompanhante).

Os demais visitantes pagam R$ 30 pelo serviço (grátis crianças até 5 anos acompanhando pagantes). O transporte pode ser comprado online (selecione a data da visita e aparecerá também a opção transporte).

Para ir de Belo Horizonte ao Inhotim, leia a página Como chegar.

Inhotim em 1 dia

inhotim6

Uma visita é insuficiente para explorar todo o complexo. Se você só tem um dia e está na neura de não perder o essencial, o melhor é (1) estudar previamente as obras, para definir quais você faz mais questão de ver e (2) comprar o passe de transporte interno para conseguir chegar às galerias mais distantes.

As obras e galerias podem ser pré-visitadas virtualmente pelo Google Art Project. Sabendo o nome do artista, você pode pesquisar também no próprio site do Inhotim. O mapa oficial pode ser baixado do site para planejar a sua visita. Não deixe de pegar o mapa físico na recepção ao entrar.

Como não existe uma hierarquia entre as obras expostas, tampouco uma lógica para a distribuição das obras pelo parque, não há um percurso-padrão unânime para o visitante que não queira perder nada do ‘best of Inhotim’. A verdade é que cada pessoa terá seus próprios favoritos.

Tendo apenas um dia, eu privilegiaria as galerias de um artista só, que são mais espetaculosas e demandam menos tempo de visita. Galerias que expõem muitos artistas (como Lago, Fonte, Praça) funcionam como minimuseus e requerem um tempo maior de contemplação.

Caso você queira ir atrás do meus favoritos, aí vai um roteirinho circular com paradas nas obras que mais me impressionaram (acompanhe pelo mapa):

Inhotim
  • Pegue o carrinho da linha 1. Ele leva até o Galpão Cardiff & Miller (G11 no mapa). Antes ou depois do galpão, você pode almoçar na pequena hamburgueria anexa. Ainda na área, não perca o caleidoscópio de Olafur Eliasson (A13); aproveite que está pertinho para entrar no salão de baile de Valeska Soares (G14).
  • Na rua de trás, pegue o carrinho da linha 2. Ele leva até a Galeria Psicoativa Tunga (G21 no mapa).
  • Volte pelo carrinho da linha 2 e pegue o carrinho da linha 3. Ele deixa você em frente à piscina de Jorge Macchi (A15). Por ali, caminhe até a instalação participativa de Marilá Dardot, onde você pode plantar flores em vasos com as letras do seu nome. Volte à rua principal e suba até o pega-varetas de vigas de ferro de Chris Burden.
  • Pegue o carrinho da linha 4. Ele leva até os fuscas de Jarbas Lopes, que são o ícone-mor do Inhotim (A6 no mapa). Se ainda der tempo, visite a Galeria Cosmococa, de Hélio Oiticica e Neville d’Almeida.
Inhotim
  • Vá descendo pela transversal do circuito amarelo e, antes de sair, despeça-se de Inhotim na Galeria Lygia Pape (G20, circuito laranja).

Tenha em mente que, numa visita tão esquematizadinha pá-pum como essa (ou qualquer outra que você venha a planejar), você até consegue ver o máximo de galerias, mas abre mão de surpresas e também do ritmo mais relaxado que o parque oferece para quem visita a pé.

Uma estratégia alternativa para curtir o parque em 1 dia sem neuras: (1) tirar a manhã para flanar e fazer descobertas ao acaso; (2) depois do almoço, ainda vai dar para ir (usando o transporte dos carrinhos) a três ou quatro obras/galerias que estejam no topo da sua lista e que não tenham aparecido no seu caminho da manhã.

Inhotim em 2 dias

Tendo dois dias para visitar, você consegue zanzar por todo o parque sem se esbaforir. A visita pode ser menos planejada — o que é ótimo, porque quanto menos informação prévia você tiver sobre as obras, maior o seu potencial de encantamento.

Vejo duas estratégias possíveis para uma visita em dois dias. A primeira é cartesiana: siga os circuitos rosa e amarelo no primeiro dia (veja no mapa), e percorra o circuito laranja no segundo dia.

A segunda estratégia é aleatória: tire o primeiro dia para se perder no parque e ir visitando as obras e galerias ao acaso, à medida que se apresentem no seu caminho. Depois da visita, veja no mapa por onde você andou e, no segundo dia, faça uma visita mais dirigida, passando pelas áreas não-visitadas do dia anterior.

Inhotim em 2 dias com criança

Veja um roteiro completo neste post.

Receba a Newsletter do VNV

Serviço gratuito

    33 comentários

    Boa tarde!
    Sou supervisora na Escola Estadual Carlos Drummond de Andrade localizada no Bairro Floramar em BH.

    Já levamos vários alunos para visitar o museu e desta vez gostaria de agendar uma data para que pudéssemos levar novos alunos para conhecer o espaço.
    A maioria de nossos alunos são carentes e por este motivo queria confirmar a possibilidade de fazermos a visita sem custo para os alunos.

    A ultima visita de nossos alunos a visita foi numa terça-feira com alunos do fund. 1.
    Desta vez pretendemos levar alunos do 1º ano do Ensino Médio.
    Seria possível um numero de telefone para contato?

    Desde já agradeço a atenção
    Adriane

      Olá, Adriane! Somos um blog independente. Por favor entre em contato com o INstituto Inhotim.

    Ricardo, quando preparo uma viagem para qualquer lugar no mundo não diexo de o consultar. Suas dicas são funcionais e facilitam na organização e descobertas. Parabéns! Em fevereiro ou março planejo uma ida a Inhotim em 2 dias. Li numa de suas respostas que vc indica dormir em BH no primeiro dia. Como chegarei pela manhã tipo 6h, penso em engrenar direto. Vc orienta buscar um tour idas e vindas em 2 dias ou há acomodações em Brumadinho no centro? E será fácil transporte até o parque? Tanto na ida como na volta do parque? Vc teria esta experiência? Obrigado!

    Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.

    Assine a newsletter
    e imprima o conteúdo

    Serviço gratuito