Manaus

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Manaus: onde ficar

A melhor localização, para quem vem turistar, é o Centro Histórico. Mas há hotéis também nos bairros de Adrianópolis (que tem restaurantes e o melhor shopping da cidade, o Manauara) e Vieiralves (também um pólo de restaurantes e bares, com dois shoppings). Já a praia de Ponta Negra tem a estrela (apagada) da hotelaria manauara, o decano Tropical. Para uma experiência mais completa, divida sua viagem entre um hotel na cidade e alguns dias num hotel de selva ou cruzeiro fluvial.

Hotéis no Centro Histórico

Há três bons hotéis que deixam você perto de todas as atrações do Centro: você vai estar a passos do Teatro Amazonas, vai poder ir a pé aos museus centrais e, se não se importar com uma caminhadinha de menos de 15 minutos, até o Mercado Adolpho Lisboa. Você vai encontrar também ótimos restaurantes e agências de passeios.

Villa Amazônia

Manaus onde ficar: hotel Villa Amazônia

Villa Amazônia

O Villa Amazônia fica na rua lateral do Teatro Amazonas. Dos mesmos donos do Anavilhanas Jungle Lodge, é a melhor novidade na hotelaria de Manaus -- abriu no final de 2016. Um casarão centenário restaurado serve como área social e restaurante. Os apartamentos, amplos e decorados com toques rústicos, se distribuem por um anexo moderno. A arquitetura quase escandinava encontra um belo contraponto na piscina supertropical, rodeada de vegetação. Se cabe no seu bolso, não pense duas vezes: reserve. Nota 9,3 no Booking (novembro/2018).

Go Inn

Manaus onde ficar: Go Inn

Go Inn

O Go Inn está a uma quadra e meia do teatro, também centralíssimo. É um hotel de padrão equivalente a um Ibis Budget, mas com o café da manhã incluído nas diárias. Os quartos são compactos mas o ar condicionado funciona -- e o mercadinho junto à recepção faz as vezes de loja de conveniência para quem está exausto demais para sair. Ah, sim: tem também uma brinquedoteca, algo raro em hotel econômico. Se tudo o que você quer de um hotel é uma boa cama, um chuveiro quente e um ar que funcione, você vai economizar com prazer. Nota 8,1 no Booking (novembro/2018).

Boutique Hotel Casa Teatro

Manaus onde ficar: Casa Teatro

Casa Teatro

A meia quadra do Largo de São Sebastião, onde está o Teatro Amazonas, o Boutique Hotel Casa Teatro tem ambientes sociais charmosos, incluinido um terraço com a melhor vista para o cartão-postal de Manaus. Os quartos eram originalmente 'pods', com dois beliches e banheiro compartilhado. Foram reformados, e hoje os melhores apartamentos são os 'quartos família', de 20 m², com uma cama de casal e um beliche. Os quartos 'família superior' têm três beliches. A 'suíte' é minúscula: cama de casal e um banheiro dividem 10 m². Fique aqui se o Villa Amazônia for muito caro para o seu bolso e o Go Inn muito sem-graça para o seu gosto. Nota 7,9 no Booking (novembro/2018).

Hotéis em Adrianópolis

Adrianópolis é o bairro mais nobre -- e verticalizado -- da área central de Manaus. É o preferido pelos viajantes a trabalho, mas também pode ser conveniente para turistas que queiram se hospedar em hotéis com padrão business e aproveitar a estrutura do melhor shopping de Manaus, o Manauara. Adrianópolis também tem alguns bons restaurantes fora do shopping e está a uma curta corrida de táxi ou Uber dos restaurantes e bares de Vieiralves.

Quality Manaus

Se você estiver precisando de um critério de desempate para escolher seu hotel em Adrianópolis, o Quality Manaus tem uma vantagem concreta: está na mesma calçada do shopping Manauara, a 3 minutos de caminhada. Nota 8,3 no Booking (novembro/2018).

Mercure Manaus

O Mercure Manaus está a uma quadra e meia do shopping Manauara. Originalmente era um flat da rede Parthenon, e por isso todos os apartamentos são equipados com uma cozinha compacta. Nota 8,5 no Booking (novembro/2018).

Adrianópolis All-Suites

Com estrutura de flat, o Adrianópolis All-Suites oferece a melhor relação preço x espaço da cidade -- os apartamentos têm pelo menos 40 m², com saleta e cozinha equipada. Está a três (longas) quadras do shopping. Nota 8,6 no Booking (novembro/2018).

Blue Tree Premium

Manaus onde ficar: Blue Tree Premium

Blue Tree

A quatro quadras do shopping, o Blue Tree Premium tem quartos confortáveis e oferece o ótimo padrão da rede. Nota 8,3 no Booking (novembro/2018).

Intercity Manaus

Manaus onde ficar: Intercity

Intercity

Dos hotéis de padrão business de Manaus, o Intercity Manaus é o mais novo: faz parte da leva que abriu para a Copa de 2014. Os apartamentos são arejados, com decoração sóbria. Está na ponta do bairro mais próxima do centro, a 1,5 km do shopping Manauara. Nota 8,6 no Booking (novembro/2018).

Hotéis em Vieiralves

Junto com o vizinho Nossa Senhora das Graças, o bairro de Vieiralves é o mais bem-servido da cidade no quesito restaurantes e bares. Tem também um pequeno shopping, o Millennium.

Express Vieiralves

Manaus onde ficar: Express Vieiralves

Express Vieiralves

Os lugares para sair à noite em Vieiralves são espalhados por todo o bairro. Mas se existe uma rua que possa ser chamada de corredor de botecos, essa rua é a Rio Branco, onde está o Express Vieiralves. Os quartos são compactos mas bem-apessoados. O café da manhã, cobrado à parte, é um dos melhores de Manaus. É vizinho de um Subway, que fica num prédio residencial do mesmo complexo. Está a 300 metros do shopping Millennium. Nota 8,1 no Booking (novembro/2018).

Hotel Millennium

A maior vantagem do Hotel Millennium é estar num complexo médico-corporativo que tem um pequeno shopping nos andares de baixo, com praça de alimentação. Restaurantes e bares de Vieiralves estão a corridas curtas de táxi ou Uber. Nota 8,2 no Booking (novembro/2018).

Ibis Budget Manaus

Manaus onde ficar: Ibis Budget

Ibis Budget

Aberto em 2016, o Ibis Budget Manaus é o mais novo dos hotéis econômicos da cidade. Os quartos, compactos, obedecem à configuração-padrão da rede, com um beliche acima da cama de casal. Os ambientes sociais têm uma pegada millennial. O café da manhã é pago à parte. Nota 8,3 no Booking (novembro/2018).

Hotéis em Ponta Negra

A 15 km do centro histórico, Ponta Negra é a praia de Manaus. Apesar de estar no limite da floresta, nas últimas décadas se tornou um bairro residencial. A orla ganhou um skyline de arranha-céus residenciais, enquanto em outros pontos do bairro brotaram condomínios horizontais isolados por muros. A beira-rio foi transformada num parque -- e a praia, aterrada há alguns anos, hoje tem areia o ano inteiro, e não apenas na época da vazante (mas o banho ali se tornou perigoso, porque o aterro parece ser poroso e abre buracos inesperados).

Para quem está em Manaus a passeio, a vantagem de se hospedar em Ponta Negra está na proximidade de atrações como o Museu do Seringal Vila Paraíso, a Praia da Lua e a Praia Dourada. O centro histórico, porém, está longe -- e o encontro das águas, longíssimo. O pólo de bares e restaurantes da região não está à beira-rio, mas na av. do Turismo, que leva ao aeroporto. O Ponta Negra Shopping, o mais novo de Manaus, está a 5 km da praia.

Tropical Manaus

Manaus onde ficar: hotel Tropical

Hotel Tropical

Inaugurado em 1976, quando Ponta Negra ainda era predominantemente selvagem, o Tropical Manaus carregou por anos a fama de ser um hotel chique. Nunca foi. Enorme (abriu com 350 quartos, hoje são 600), cavernoso, construído num estilo neocolonial que já não fazia sentido nos anos 70, o Tropical encantava pela ilusão de estar cercado pela selva. Com a urbanização do bairro, foi reduzido a um resort menos atraente do que a média da categoria. Pontos positivos: todos os quartos são supergrandes, e há um pequeno zoológico dentro da propriedade. Os apartamentos da categoria 'deluxe' são os mais renovados -- os da categoria 'superior' ainda têm móveis datados. Caso você queira aposentos de luxo, cacife a categoria 'premier'. O hotel tem atuação forte no segmento de festas e eventos voltados ao público local, de boi-bumbá a Halloween. Os táxis que operam dentro do hotel seguem a tabela do aeroporto -- chame um Uber para baratear suas corridas. Nota 7 no Booking (novembro/2018).

Tropical Executive

Manaus onde ficar: Tropical Executive

Tropical Executive

Uma torre construída originalmente para ser a ala 'business' do hotel Tropical, o Tropical Executive já passou por diversas redes hoteleiras. Hoje é um hotel independente (com algumas unidades funcionando como flat). Suas maiores qualidades são a vista dos apartamentos mais altos, e a piscina mais impressionante de Manaus, debruçada no Rio Negro. Nota 7,8 no Booking (novembro/2018).

Hotéis de selva e cruzeiros fluviais

Manaus onde ficar: hotéis de selva e cruzeiros

Expedição Katerre

Hospedar-se num hotel de selva (ou fazer um cruzeiro fluvial) é a maneira de viver a experiência amazônica completa.

Daí você pergunta: mas não é muito caro? De fato, barato não sai. Mas há justificativa para os preços aparentemente salgados: as diárias incluem traslado, alimentação (em alguns hotéis e barcos, as bebidas também) e todos os passeios. São dois passeios por dia (três, quando há passeio noturno). Organizar esses passeios por conta própria sai caríssimo.

O pacote básico começa em duas noites nos hotéis e três noites nos cruzeiros. O repertório de passeios, seja nos hotéis de selva, seja nos cruzeiros, é bastante parecido.

Manaus onde ficar: hotéis de selva e cruzeiros

Pousada Uacari

Normalmente estão incluídos passeio de lancha ou canoa pelos igarapés, caminhada na selva (na época da vazante), focagem noturna de animais, pescaria de piranha, interação com botos, visita a vilarejo ribeirinho.

A cada saída para a selva os guias identificam peculiaridades da mata e apontam aves e outros animais pelo caminho.

O encontro das águas em Manaus às vezes está incluído no traslado (verifique no programa).

Alguns hotéis oferecem a possibilidade de passar uma noite numa rede no meio da selva, num quiosque com telhado mas sem paredes, protegido por tela, para ouvir os sons da floresta.

Já me hospedei em três hotéis de selva e fiz dois cruzeiros. Meus comentários sobre essas experiências estão logo abaixo. Ao final, listo outras opções de hotéis e cruzeiros para você incluir na sua pesquisa.

Hotel de selva x barco, eis a questão

O que é melhor: hotel de selva ou barco?

Tanto hotéis quanto barcos entregam a experiência amazônica que você busca ao sair de Manaus. No fim das contas, vai da sua preferência em viajar embarcado ou dormir em terra firme.

Há diferenças, claro, de conteúdo (dependendo da localização do hotel ou do itinerário do barco) e de estilo (do super-rústico ao nada rústico). Os preços também variam, mas não dá para dizer que uma modalidade é mais cara que a outra. Há barcos mais caros que hotéis, e vice-versa.

Analise os programas (incluindo os de duração mais longa) e esteja aberto às duas possibilidades: hotel ou barco. A estrela da sua viagem é a selva. Hotéis e barcos são apenas plataformas de exploração.

Iberostar Grand Amazon (barco)

Cruzeiros de selva: Iberostar Grand Amazon

Iberostar Grand Amazon

Outras experiências amazônicas podem oferecer mais autenticidade ou mais charme, mas nenhuma bate a o cruzeiro do Iberostar Grand Amazon no quesito comodidade. Você sai e chega pelo porto de Manaus, dorme em cabines amplas (e com varanda!), aproveita o sistema all-inclusive e faz todos os passeios essenciais, culminando com o Encontro das Águas, no dia da volta. O Iberostar é um pequeno resort flutuante -- se você curte resort, vai adorar. (Se não curte, examine as outras opções.)

Toda semana, o Iberostar faz dois roteiros distintos. Da noite de sexta à manhã de segunda, o barco navega pelas águas barrentas do Solimões. Da noite de segunda à manhã de sexta, viaja pelas águas escuras do Negro. A diferença entre os dois circuitos? O Solimões, por ser mais rico em nutrientes, permite que sua várzea seja cultivada na vazante -- e por isso, suas margens são mais povoadas, permitindo que você observe tanto a floresta quanto a vida do homem amazônico. O rio Negro tem margens menos férteis, e por isso é pouquíssimo habitado. Veja a minha resenha sobre o Iberostar Grand Amazon.

Iberostar Grand Amazon
  • É para você:
    • que quer visitar a Amazônia com o mínimo de rusticidade possível
  • Não é para você:
    • que busca uma experiência de selva mais intensa

Anavilhanas Jungle Lodge (Novo Airão)

Hotéis de selva: Anavilhanas Jungle Lodge

Anavilhanas Jungle Lodge

O Anavilhanas Jungle Lodge está localizado em frente ao arquipélago fluvial das Anavilhanas, um dos tesouros da Amazônia, com 400 ilhas absolutamente preservadas. Parece remoto, não? Nem tanto: o hotel está também nos arredores de Novo Airão, a 180 km de Manaus, aonde se chega por via rodoviária, saindo da capital pela ponte estaiada e continuando por estrada asfaltada. 10 km antes de Novo Airão, você sai da estrada por um caminho de terra pela mata que leva até o hotel. A facilidade de acesso não é conveniente apenas para os hóspedes. Permite um padrão superior de construção e de manutenção, sem os problemas que afligem hotéis mais isolados, com acesso exclusivamente fluvial.

Uma vez dentro do hotel, você se sente na floresta -- e quase todos os passeios são feitos nas Anavilhanas. Os apartamentos ficam em cabanas cercadas por vegetação. Os mais caros têm um paredão de vidro que faz você se sentir dentro da floresta. As refeições, servidas no buffet, dão a chance experimentar pratos e ingredientes regionais, mas oferecem alternativas mais, digamos, neutras. O hotel faz parte da associação Roteiros de Charme. Veja a minha resenha sobre o Anavilhanas Jungle Lodge.

Anavilhanas Jungle Lodge
  • É para você:
    • que procura uma hospedagem charmosa como as da África do Sul na Amazônia
  • Não é para você:
    • que acredita que confortos muito urbanos não combinam com selva

Pousada Uacari/Reserva Mamirauá (Tefé)

Hotéis de selva: Pousada Uacari

Pousada Uacari

Você voa a Tefé, 500 km a oeste de Manaus (1h de jato ou 1h30 de turboélice), e então viaja mais 1h30 de barco por um emaranhado de canais de um afluente do Solimões. Ao fim do périplo você chega a um hotel de selva com jeito de ONG: a Pousada Uacari (ou Uakari Lodge, no material em inglês). A pousada está situada na Reserva Mamirauá, de desenvolvimento sustentável -- aqui, o turismo faz parte da estratégia de conservação. E como os apartamentos são distribuídos em cabanas flutuantes, a Pousada Uacari é o único hotel brasileiro em que você pode se hospedar num bangalô sobre a água.

A rusticidade faz parte da experiência: não há ar-condicionado nos quartos, e a comida é supercaseira. A maioria dos passeios é feita de canoa: em vez de barulho de motor de lancha, você ouve os sons da floresta e as explicações precisas e repletas de cor local dos guias, todos nativos da região. Veja a minha resenha sobre a Pousada Uacari.

Pousada Uacari
  • É para você:
    • que procura uma experiência de selva autêntica e com bom custo x benefício
  • Não é para você:
    • que faz questão de ar condicionado e hotelaria profissional

Mirante do Gavião (Novo Airão)

Hotéis de selva: Mirante do Gavião

Mirante do Gavião

Design na floresta! Por que não? O Mirante do Gavião é um hotel como nenhum outro, na selva ou na civilização. A marca registrada do hotel é a madeira curvada -- uma solução estética que aproveita a mesma técnica usada localmente na construção de barcos. Bangalôs, restaurante e até área de descanso na piscina são envolvos por um arco com formato de casco de barco invertido. Os arcos são vazados, permitindo controle natural de luz e temperatura. Todos os bangalôs (amplos, de 30 m²) são refrigerados -- mas o restaurante, que também funciona como sala de estar do hotel, não. A comida é de chef, assinada por Debora Shornik, que também toca o ótimo restaurante Caxiri em Manaus.

O Mirante do Gavião tem outra peculiariade: é um hotel de selva que fica... na cidade. O arquipélago das Anavilhanas está em frente, mas o Mirante não procura disfarçar o fato de estar localizado dentro do perímetro 'urbano' de Novo Airão. Pelo contrário: um city-tour (de bicicleta, se o hóspede preferir) está incluído no programa. Em frente ao hotel o Mirante mantém o Flor do Luar, um típico flutuante da Amazônia, que faz as vezes de 'bar de praia' -- e que também serve comidinhas de Debora Shornik. O Flutuante dos Botos, pioneiro na interação com botos cor de rosa no Rio Negro, fica a uma curta caminhada do hotel. E antes de serem levados de volta a Manaus, os hóspedes dão uma passadinha na Fundação Almeirinda Malaquias, uma ONG apoiada pelo hotel que oferece escola e treinamento em marcenaria (com madeira reciclada) aos jovens da região.

Veja os diferentes pacotes de hospedagem e passeios no Mirante do Gavião aqui.

Mirante do Gavião
  • É para você:
    • que é fã de design, gastronomia e sustentabilidade
  • Não é para você:
    • que quer se sentir o tempo todo enfurnado na floresta

Expedição Katerre (barco)

Cruzeiros de selva: Expedição Katerre

Expedição Katerre

Se o cruzeiro Iberostar tem DNA de resort, a Expedição Katerre é uma pousada de charme flutuante. Os barcos são pequenos -- levam, no máximo, 16 passageiros, confortavelmente instalados em cabines refrigeradas com banheiros privativos. A comida é deliciosamente caseira -- e pode ser adaptada às restrições alimentares dos passageiros.

A maioria dos programas tem Novo Airão como ponto de partida, mas há dois roteiros com saídas de Manaus (píer do hotel Tropical). Os itinerários exploram pontos diferentes do sistema do Rio Negro e são pensados para aproveitar os atrativos tanto da cheia (passeios pelos igapós) quanto da vazante (praias, cachoeiras, petróglifos). E mesmo nos roteiros que chegam aos pontos mais remotos da selva, a vida dos homens e mulheres amazônicos continua em foco. Pelo tamanho das embarcações, as expedições da Katerre são ótimas para famílias ou grupos de amigos que queiram viajar juntos (é possível inclusive fretar saídas exclusivas). Veja um quadro-resumo da diferença entre os roteiros aqui. E leia a minha resenha sobre a Expedição Katerre.

Expedição Katerre
  • É para você:
    • que procura ecoturismo de primeira qualidade
  • Não é para você:
    • que prefere resort a pousada

Mais hotéis de selva

  • Amazon Ecopark -- o mais próximo de Manaus (30 minutos de barco)
  • Juma Amazon Lodge -- um dos maiores hotéis de selva, a 3h30 em carro + barco (o Encontro das Águas está incluído no percurso)
  • Manati Lodge -- pequenino, é como uma pousada na selva. Fica a 1h45 em carro + barco

Para comparar programas e preços, dê uma olhada no site da agência Viverde, especializada em Amazônia.

Mais cruzeiros fluviais

  • Clipper -- pioneira em cruzeiros amazônicos regulares. Tem roteiros de 3 dias/2 noites pelo Rio Amazonas e 4 dias/3 noites pelo Rio Negro. Os barcos têm estilo regional; os da linha Premium são mais confortáveis que os da linha Amazon
  • M/Y Tucano -- faz roteiros de 4 e 6 noites em barcos de três decks, muito confortáveis

Para comparar programas e preços, dê uma olhada no site da agência Viverde, especializada em Amazônia.

Leia mais:

2 comentários

Marina Figueiredo

Passando para comentar que UACARI É O MELHOR LUGAR DO MUNDO! Apenas VÁ!

Kátia
KátiaPermalinkResponder

Fui para Manaus em julho/2018 e, como sempre, segui as dicas do VnV. Go Inn é uma excelente opção de hospedagem no Centro. Super bem localizado. Dá pra ir a pé a tudo o que é importante no Centro. Atendimento ótimo. Restaurante com opção de comida a quilo (horários limitados) e lojinha de conveniência ao lado da recepção. Loja do receptivo Amazon Explorers também na recepção, caso queira comprar passeios. Ponto de táxi em frente ao hotel. Depois, fizemos o cruzeiro de 3 noites no Iberostar pelo Rio Solimões. Excelente! Cabines muito confortáveis, comida boa, bons drinks (com e sem álcool). Piscina pequena, mas não chega a comprometer, já que o ponto alto são os passeios em pequenos barcos. Inesquecível contato com a natureza. Guias experientes. Iberostar é sinônimo de qualidade! Vai por mim: siga sempre as dicas do Ricardo Freire, que não se arrependerá! wink

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar