Rota Ecológica

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

A Rota Ecológica é uma mina de pousadas charmosas à beira-mar. Escolha a pousada como o seu destino para esquecer da vida.

Do sul para o norte:

Barra de Camaragibe

Infinito Mar

Infinito Mar

O trecho litorâneo da Rota Ecológica começa no vilarejo de Barra de Camaragibe, que fica na barra do rio. A meio caminho entre a vila e a Praia do Marceneiro estão duas pousadas. A nova Pousada Marceneiro, com quartos dispostos numa casa de dois andares plantada num gramado à beira-mar, e a Infinito Mar, com apartamentos arejados e uma bela piscina junto à praia, num trecho isolado por pedras, que funciona como uma praia particular (não recebe crianças).

Vilas do Paru

Villas do Paru

A Praia do Marceneiro, uma das mais bonitas da Rota, ganhou uma pousada pé-na-areia: a Villas do Paru, com chalés de um ou dois quartos com cozinha equipada, dispostos em duas villas de dois andares. O Bar da Praia, que funciona durante a semana do réveillon Milagres, ocupa uma parte do terreno.

Praia do Riacho

Pousada Riacho dos Milagres

Pousada do Riacho

Já no município de São Miguel dos Milagres, a Praia do Riacho é uma das mais bonitas e tranqüilas, mesmo com um ponto de receptivo na única entrada pública para a praia. Num ponto longe dali, a Riacho dos Milagres costuma oferecer uma das melhores relações custo x benefício da região. Os apartamentos ficam na sede da pousada, e não em bangalôs isolados. Tem piscina e mirante -- e aceita crianças.

São Miguel dos Milagres

Pé na areia junto à muvuquinha da praia de São Miguel dos Milagres, a pousada Encanto das Águas leva jeito de casa de sítio. Os quartos, compactos, se abrem para uma varanda em meia-água comum a toda a casa.

Praia do Toque

Num ponto deserto da Praia do Toque, a Villas Taturé ocupa a porção junto ao mar de uma fazenda de cocos. Alguns dos bangalôs têm cozinha completa. Na temporada, o aluguel é por temporada de 1 semana.

Pousada do Toque

Pousada do Toque

A pousada que imprimiu à região a marca da hospedagem de charme é a Pousada do Toque, dos meus queridos amigos Gilda e Nilo. Os apartamentos são amplos e bastante confortáveis: o maior (Bem-Te-Vi), tem 160 m², piscina, sauna e sala de massagem privativa; mas mesmo os mais básicos oferecem mais conforto do que pousadas de luxo da mesma faixa de preço, em outras latitudes. Dos 16 apartamentos, 6 ocupam bangalôs individuais. Quatro deles vêm com piscina privativa e outros seis têm ofurô e jardim de inverno. Não passa ano sem que a pousada inaugure um novo ambiente -- hoje o Toque tem sushi bar, cozinha gourmet (onde o hóspede pode cozinhar, recebendo os ingredientes necessários, como parte da meia-pensão), loja, um pequeno spa com sauna, sala de fitness, um elegante living com biblioteca e mesa de sinuca e um charmosíssimo restaurante de praia (inaugurado há dois verões). Mesmo com toda essa estrutura, a pousada conserva as características que me fizeram me apaixonar pelo lugar, 14 anos atrás: a total falta de afetação, a cozinha deliciosa do Nilo e a simpatia da equipe, estrelada pelo garçom-figuraça J.R., autor de uma magnífica caipiroska de limão, gengibre e manjericão. Crianças são aceitas, mas há uma limitação de vagas.

Casa Acayu

Casa Acayu

Antiga Pousada do Caju, a Casa Acayu prima pelo capricho e pelo serviço esmerado. Os donos, os dedicados portugas Zé Carlos e Alírio, aplicam padrões de grande hotelaria numa pousada pequena e de ótimo custo x benefício. Os apartamentos mais em conta são pequenos e ficam na sede, construída antes da dupla comprar a pousada. Com os anos vieram os bangalôs de luxo (todos com banheira integrada a um jardim de inverno), uma ótima piscina (com bar molhado e cascatinha) e um restaurante com mesas que podem ser postas no jardim (não deixe sua estada acabar sem provar o bacalhau). A última adição é uma suíte elevada com vista total do mar. A pousada fica a menos de 5 minutos de caminhada da praia, mas não deixa de ser pé na areia: no caminho do portão ao mar não há nenhuma construção; você anda sob o coqueiral. Funcionários montam guarda-sol e cadeiras na praia e levam pedidos feitos pelo celular. Não aceita crianças.

Pousada da Amendoeira

Pousada da Amendoeira

A Pousada Amendoeira é uma graça e tem uma energia especial. Você pode filmar um comercial da Natura aqui -- ou fazer uma capa de "Vida Simples": essa é a vibe do lugar. Os donos atuais, o israelense Tsachy (diga: Tsárri) e a paulistana Gessy, respeitaram o DNA de juventude e comprometimento com a sustentabilidade da pousada, e acrescentaram conforto e charme. Os bangalôs têm luxo onde importa: colchões, travesseiros de pena de ganso, roupa de cama, ar condicionado, mas não há nada supérfluo. Ah, sim: três bangalôs têm ofurô (um deles fica num jardim privativo). A culinária é saudável e sem frituras -- e inventiva e gostosa, garanto. A ausência (proposital) de piscina leva a aproveitar a paz dos gazebos da praia ou usar as bicicletas, caiaques e equipamento de frescobol que a pousada oferece sem taxa. Não há restrição para receber crianças.

A Pousada Origami tem gostosos chalés dispostos ao longo de um gramado bem-cuidado. Não tem piscina e aceita crianças.

abaetetuba

Pousada Abaetetuba

Aberta em soft-opening no verão de 2014, a Pousada Abaetetuba tem três espaçosíssimos chalés de boa arquitetura e ótimo astral, num terreno amplo, sob a sombra de coqueiros altos. Os donos são o Vittorio e a Luisa, um casal de italianos que freqüenta a praia há quase 15 verões e resolveram lançar âncora por aqui. O iogurte do café da manhã é orgânico e as massas são veramente italiane.

Porto da Rua

cote-sud

Côté Sud

Um pouquinho antes do vilarejo, num trecho sossegado da praia, está a Pousada Côté Sud, uma das pioneiras da região. Tem a maior frente de praia entre as pousadas ao sul do rio Tatuamunha, com espaço suficiente para espalhar seus bangalôs pelo coqueiral. Os donos, Corinne e Roger, são belgas. A cozinha, a cargo de Corinne, é bastante elogiada, com um pé na Europa e outro em Alagoas. A piscina, debruçada na praia, é a única da região com borda infinita. Das espreguiçadeiras vê-se de esguelha os barquinhos da praia central do povoado de Porto da Rua, que está a cinco minutos de caminhada. Oferece bom custo x benefício. Não aceita crianças.

Depois de passar alguns anos ameaçada pela erosão, a Villa Pantai viu o mar devolver em dobro a areia que tinha roubado de sua frente. Hoje seus sobrados de dois andares não agridem mais a paisagem como eram antes. Tem piscina e um bonito deck. Aceita crianças.

Já a caminho da foz do rio Tatuamunha, a Pousada do Sonho é a mais rústica das pousadas à beira-mar -- e por isso costuma ser a mais em conta. A praia em frente ganhou bastante areia, escondendo um pouco a pousada. Há duas suítes com capacidade para cinco pessoas; a mais bacana fica praticamente pé na areia. Não tem piscina, mas oferece caiaque e equipamento para stand-up paddling. Aceita crianças.

anga

Angá Beach

Depois de muitos anos fechado, o antigo resort Costa dos Corais está reabrindo neste verão de 2015 como Angá Beach Hotel. Tem um prédio de apartamentos e duas dúzias de bangalôs a caminho do mar. Um rio passa dentro da propriedade. As áreas já reformadas revelam um belo upgrade do que eram. Prefira os apartamentos térreos, chamados "superiores", que ganharam grandes portas na varanda que deixam mais luz entrar. (Mas mesmo os apartamentos do segundo andar, "standard", estão com mobiliário e equipamentos novos). Os bangalôs ainda não foram reabertos: serão ampliados e reformados depois do verão. O trecho de praia em frente é deserto; a foz do Tatuamunha está a menos de 10 minutos e caminhada.

Praia de Tatuamunha

Passando o rio Tatuamunha, começa o município de Porto de Pedras (que c e r t a s publicações pensam, erroneamente, pertencer a São Miguel dos Milagres). É uma gafe se referir a essas pousadas como sendo de São Miguel.

O trecho de Tatuamunha é desabitado e tem densidade demográfica mínima: a única entrada pública para a praia é junto à foz do rio (onde há uma farofa algo barulhenta nos domingos e feriados). Na frente da sua pousada, porém, não passará viv'alma.

borapira

Borapirá

A Borapirá está num amplo terreno à beira-mar, todo gramado, e tem duas piscinas -- uma para adultos, outra infantil. É a pousada mais amigável para famílias com crianças: na temporada, tem recreadora. Os bangalôs são suuuperespaçosos.

Já a Villa Tatuamunha tem só dois anos e leva jeito de casa de praia; não tem piscina e, na maré alta, fica rente à água. Aceita criança.

Praia da Laje

Também conhecida como "das Lajes", "do Lages" e "do Lage", mantém-se sossegadíssima pelo difícil acesso público e pela fama da vizinha Patacho, que atrai a atenção dos curiosos e da especulação imobiliária, deixando quieto esse cantinho.

Aldeia Beijupirá

Aldeia Beijupirá

A Aldeia Beijupirá deixa você pé na areia na praia mais bem desenhada da Rota. As áreas sociais são puro charme, decoradas com objetos que remetem às navegações portuguesas e móveis de design clássico recriados com materiais autóctones. A piscina tem um gazebo gostosíssimo; o restaurante segue o cardápio consagrado do Beijupirá de Porto de Galinhas -- mas agora ganhou a companhia de um segundo restuarante, esse externo, o Uí. Os bangalôs (aqui chamados malocas) fazem a linha rústico-clean; o astral é de Grécia em Alagoas. Não aceita crianças.

Sem acesso direto à praia, a pousada Villages tem cinco chalés branquinhos e uma piscina bacana. Entre a pousada e a praia não há construções, só coqueiros. O restaurante Uí e o bar Balai de Gatos ficam nos fundos, do outro lado da rua.

Praia do Patacho

Reserva do Patacho

Reserva do Patacho

A novidade de 2015 no Patacho é a pousada Reserva do Patacho, com quatro bangalôs embaixo de um coqueiral à beira-mar. A piscina -- muito bonita -- fica do outro lado da mureta, no restaurante Cokoloko, dos mesmos donos, que também pode ser usada por day-users.

Pousada Patacho

Pousada Patacho

Primeira pousada a se instalar no pedaço, a Pousada Patacho é a mais fotogênica de toda a Rota. Se uma equipe da Elle Décor francesa chegar a qualquer momento sem aviso prévio, não precisará fazer nenhuma produção para realizar sua matéria. (Explica-se: Christian, o dono, é um diretor de arte francês há muitos anos no Brasil, com passagens por Paraty e Santana de Parnaíba.) São apenas cinco apartamentos -- dois na casa principal, três em chalés individuais no caminho da praia. Em todos, o bom gosto não se separa do aconchego. A cozinha, desde 2014, está a cargo da chef Patricia Possas -- que, a pedido, também cria jantares-degustação. Não tem piscina e não aceita crianças.

Pousada Xuê

Pousada Xuê

A Pousada Xuê abriu há dois anos. Os bangalôs praianíssimos ficam enfileirados no gramado a caminho do mar, onde há um deck de madeira sobre a areia. O restaurante, comandado pelo chef italiano Guido Migliorini (de passagens pelo D.O.M. e Emiliano, em São Paulo), combina peixes e frutos do mar frescos com ingredientes locais e sazonais. Não tem piscina; aceita criança.

Vila do Patacho

Vila do Patacho

A supersimpática Vila do Patacho é composta por casinhas completas com cozinha e chalés sem cozinha construídos na lateral do terreno, para não desobstruir a linda vista do mar. Todas as unidades têm café da manhã e limpeza incluídas. O restaurante funciona para almoço e jantar. O preço em conta faz da Vila do Paacho uma ótima opção para famílias e para temporadas mais longas do que aquela semaninha-padrão na praia. Não tem piscina; aceita criança.

Japaratinga

Nos 9 km que separam a balsa do rio Manguaba da vila de Japaratinga, apenas dois trechos têm maior densidade de construção: a praia do Pontal, onde há um loteamento de casas, e o entorno da Praia das Bicas, que se tornou um povoado. Dali até a entrada da vila as pousadas ficam em trechos desertos de praia.

Les Terrasses

Les Terrasses

Praticamente na esquina do mar com o rio está uma das novidades de 2015: a pousada Les Terrasses, que marca o retorno de Jérôme Pérez, um dos proprietários originais da Pousada do Caju, à Rota. A estrutura já existia e foi inteiramente reformada. Dos cinco quartos, três são chalés branquinhos que ganharam portas envidraçadas e móveis leves e contemporâneos; os banheiros foram ampliados. A praia em frente só não é totalmente deserta no domingo. Tem piscina.

Um pouco adiante, o hotel Igarakuê tem dois andares, apartamentos básicos, piscina (de fibra) e boa frente de praia.

Humaitá

Humaitá

Próxima à praia das Bicas, a Pousada Humaitá tem apartamentos caprichados e uma piscina com mobiliário de qualidade. Para acessar o deck da praia é preciso atravessar a rua.

Mais à frente, na isolada praia de Bitingüi, a Vila Cobé tem um gostosíssimo gramado com redes e quartos com charme rústico. A Estalagem Caiuia tem quartos compactos praticamente sobre a praia e um ótimo restaurante. Já o veterano Hotel Bitingüi tem estrutura de pequeno resort.

Pousada do Alto

Pousada do Alto

Pertinho da vila, no topo de um morro, a Pousada do Alto é um camarote para a mais bonita vista da Rota Ecológica. De sua piscina de borda infinita você aprecia o vaivém radical da maré, que torna a praia lá embaixo diferente a cada hora do dia. Originalmente o lugar era uma casa (mansão!) de praia. Adaptado para pousada de luxo, não perdeu o flair burguês. O dono, o afável Leopoldinho, mantém tudo no maior capricho. Obras de artistas alagoanos e pernambucanos estão espalhadas pela propriedade; o jantar é à luz de velas. O cardápio é tão sofisticado quanto a casa. É preciso ir de carro à praia, mas... com essa piscina, é provável que você só desça quando for passear de barco ou de jangada... Não aceita crianças.

Para quem faz questão de ficar no centrinho da cidade, o hotel Albacora é a melhor pedida. Sua estrutura é conveniente para famílias.

Leia mais:

33 comentários

Denise Mayumi
Denise MayumiPermalinkResponder

Oi Riq, estivemos em São Miguel em novembro/2014, e queria deixar minhas impressões aqui sobre a hospedagem na Cóte Sud, na praia Porto da Rua. Quando escolhemos qual pousada ficar entre esta praia e a praia do Toque, esta me pareceu o melhor custo x benefício da região. Não nos arrempedemos: a praia é linda, a pousada é uma graça, e a piscina de borda infinita consegue nos fazer ficar com preguiça de ir para a praia...
As refeições muito caprichadas, e os funcionários são atenciosos, prezando o atendimento personalizado chamando os hóspedes pelo nome, etc. (como o resto das pousadas prezam por lá). Porém tiveram algumas falhas, como colocar a gente num chalé errado, e descobrir isto depois que já havíamos desfeito as malas, o cardápio do frigobar não tinha os preços (e considerando que tínhamos de consumir tudo na própria pousada, a conta final seria surpresa), e por fim a d. Corinne ter inventado "que é melhor vocês fazerem check-out cedo, porque vocês pegarão trânsito para Maceió" (?!), ainda que soubesse que nosso vôo era somente as 16hrs, e que chegaríamos lá em uma pouco mais de 1h30 de carro...
Acho legal mencionar que a região realmente sobre com a infra da cidade, como você bem disse. Durante dois dias, a energia ficou indo e voltando, e os chalés, idem. O chato é que a bomba que leva a água para os chalés, depende de energia elétrica. Sabe o que é ficar na praia, calor de 35C sem ar-condionado, sem poder dar descarga, e sem usar a pia, e banho nem pensar?! Acredito que somos viajantes não muito exigentes, porém nesta situação, qualquer pousada de charme perde seu CHARME!
Além disso, um dos motoristas que fez nosso transfer comentou sobre o aumento de assaltos à turistas nas estradas do trecho Maceió - S. Miguel, e que eles têm evitado utilizar carros marcados como táxi. É preciso estar atento.
Bom, mas de qualquer forma, ainda acho o litoral alagoano têm as praias mais bonitas do Brasil, e esta região VALE A PENA conhecer, mas é preciso estar OK com estes problemas de falta de infra da região, que independente a pousada que escolher e o preço a pagar, o turista terá de passar. Abs!

Renaud
RenaudPermalinkResponder

Prezada Denise,
E com muita tristeza e desprazer que eu lhe novamente o seu comentário, o mesmo que o Tripadvisor, aqui no Blog.
Fico sempre triste e abalado de ter retornos como esses a mais de um ano depois da estadia e nunca no momento da saída, antes de se despedir com nosco.
Pega a oportunidade de retificar algumas coisas aqui, desde já que você deixa esse comentário em vários site de viajem....
Teve sim um erro de chalé da parte dos nossos funcionários, mas a Dona Corinne, chegou em menos de 10 minutos da sua chegada para lhe avisar do erro é até pedi para saber se as suas malas estavam abertas porque não queria lhe incomodar com isso.
Elas não estavam abertas.
Retificando também que NUNCA impedimos que os hóspedes, uma vez que desocupou o quarto, de ficar na pousada e aproveitar as instalações.
Acho que a Dona Corinne, quis lhe dar um conselho para não perder o seu voo de volta.
Infelizmente, parece que você o não gostou o não entendeu.
Os cardápios dós frigobar estão com os mesmos preços do que o restaurante da Pousada, basta se informar.
Sei que você ficou bastante chateada porque não permitimos bebidas e comidas de fora nas áreas comuns da Pousada.
É mesmo que na época, a uma ano atrás, tivemos bastantes problemas com a energia, no memento que a EletroBraz assumiu a distribuição aqui na região.
Tentamos sempre fazer de tudo para não prejudicar os nossos hóspedes é ajudar em qualquer maneiras possíveis.
Lembrando que quanto temos faltas de energia, somos nos os primeiros a ser incomodado e impedido de trabalhar, mas infelizmente faz parte do Brazil e do Nordeste.
E para terminar com o comentário do motorista sobre aumento de assaltos à turistas na Rota Ecológica, a Pousada está aberta a 17 anos e nunca tivemos hóspedes nos, o de qualquer outras pousadas, assaltados, nunca!
Gostaria de lembrar que todos os pousadeiros, funcionários de pousadas, e outros terceirizados, estão aqui recebendo todos vocês e fazendo conhecer a região com o maior orgulho e prazer.

Atenciosamente
Renaud

Elen
ElenPermalinkResponder

Olá,
Fiquei uma semana hospedada na Pousada Villages, na Praia de Lages. É uma pousada que foge do alto padrão em geral divulgado aqui. No entanto, ela é uma pousada em que aconchego e hospitalidade são prioridades. É talvez uma das melhores relações custo-benefício da região, já que oferece quartos por preços bem mais em conta do que as "pousadas de charme". Os proprietários Didier (suíço) e Lisa (mineira) são responsáveis pelo acolhimento dos hóspedes, com enorme simpatia a atenção. Lisa prepara um café da manhã delicioso e farto, que é personalizado de acordo com o gosto do hóspede. O fato de a pousada não ter acesso direto à praia (há um terreno com coqueiros na frente, que não impede a vista do mar), há um caminho curtinho até as areias da deliciosa Praia de Lages -- de onde, aliás, em alguns minutos de caminhada podemos chegar à famosa Praia do Patacho. Os bangalôs são amplos e confortáveis, com uma limpeza impecável. É uma pousada, enfim, em que os hóspedes são tratados sempre de modo especial, como parte de uma família.

Didier
DidierPermalinkResponder

Ola Elen....muito obrigado pelo seu comentário... Abraços.... Lisa, Didier, Filou, Neguinho, Melody e Pipoca

Patricia Santos

Acabei de chegar da rota ecológica e adorei, segui as dicas de vcs e foi maravilhoso. Fiquei na Pousada Villages, embora tenha ficado preocupada com informação de que não tem acesso direto a praia, mas pelos comentários no Trip Advisor, segui minha intuição e fui. Não poderia ter sido melhor, a pousada é muito charmosa, novinha, com jardins impecáveis plantados e cuidados pessoalmente pela Lisa e Didier. A decoração é delicada e suave, cortinas de lessie dão um ar romântico aos quartos. Café da manhã personalizado, pães e iogurte feios pela Lisa, cereais trazidos de Mg, frutas da região, geléia da Suíssa, enfim, adorável. O fato é que a pousada está num coqueiral, de frente para o mar, há menos de 300 mt da areia, acesso mais que direto, há poucos passos da praia mais linda e calma da região. O Villages esbanja charme e romantismo, num ambiente criado por uma mineira que viveu 25 anos na Europa e seu marido que ama nosso país! Fui para ficar 3 noites, mas acabei passando a semana, foi inesquecível!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada pelo relato, Patricia!

Patricia Santos

Corrigindo, o país é Suiça!

vanessa alves
vanessa alvesPermalinkResponder

olá,
gostaria de saber qual sua indicação para uma viagem de 5 dias na rota ecológica, partindo de macéio com 2 crianças (3 e 6 anos)?
Não gostaria de ficar utilizando carro, ja que sairemos de salvador (voo para maceio)

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Vanessa! Sugerimos escolher uma pousada e descansar, é para isso que serve a região.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/o-que-fazer-rota-ecologica

Valeria Destefani

Ficamos, eu e marido, na pousado Acayu. Mais que PERFEITO!
Amamos!

Cristina L
Cristina LPermalinkResponder

Ficamos na Pousada do Sonho em janeiro de 2013, com uma menininha que ainda não tinha 2 anos e foi perfeita! Um alento para pais cansados - e o pessoal da Pousada foi extremamente solícito em nos ajudar. Recomendadíssima e com um valor super adequado.
O nosso resumo da viagem está aqui:
https://cuorecurioso.wordpress.com/2015/07/03/sao-miguel-dos-milagres-casal-cuore/

Maria Antônia Ribeiro

Para quem viaja com criança essa rota do charme fica um pouco restrita, pois várias pousadas NÃO ACEITAM crianças. A pousada Villages por ex não aceita. Vou pra lá em novembro e estou com dificuldade de encontrar uma pousada pé na areia que tenha uma infra legalzinha e restaurante bom, de preferência com piscina e disponibilidade de caiaque, stand-up paddle e outros.

ANDRÉ
ANDRÉPermalinkResponder

Maria Antônia, procure a pousada Borapirá, do grupo Beijupirá...Você e sua família vão adorar, pé na areia e um mar pra chamar de seu ali na frente...

Dani
DaniPermalinkResponder

Ric, Boia, leitores, me ajudem. Estou em dúvida entre me hospedar na Praia do Toque ou nessa região entre Porto da Rua e o Rio Tatuamunha. Esta última região me parece uma ótima opção porque os preços estão bem mais em conta - e eu preciso economizar rs. Mas tenho receio que o mar nessa altura não seja tão bom para entrar na água devido à proximidade com o rio. Nas fotos, parece ser mais turva e escura. É verdade? Nesse caso, eu faria um esforço para pagar mais em um local com água melhor - que é o que eu mais amo em praia smile O que vocês acham?

Ah! Amo todos vocês <3 Vocês fazem nossas viagens muito mais gostosas.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Dani! No verão as águas do rio são azuis e, pela ausência de chuvas, não carregam resíduos de terra ou vegetação.

Andrea Doti
Andrea DotiPermalinkResponder

Passamos o Natal na Praia do Toque, hospedados na Abaetetuba Pousada, e foi fantástico! A pousada é sensacional! Tudo muito cuidado e cheio de delicadezas. A comida ótima, o ambiente fantástico e a acolhida dos proprietários um diferencial! A hospedagem foi tão bacana que conseguiu rivalizar com as praias e as paisagens. Um gol!

Lili
LiliPermalinkResponder

A Rota foi o destino da minha lua-de-mel em agosto de 2015. Simplesmente amei! As dicas aqui do VNV foram ótimas. Como ficamos vários dias dividimos a estadia entre a Praia do Patacho e a do Toque. No Patacho nos hospedamos na Pousada Patacho e só tenho a dizer que é um daqueles lugares que a gente quer manter em segredo de tão bom que é. Só elogios para a equipe toda. Sem contar que o lugar é lindo, simples e charmoso. Pequenininha. A gente até esquece que tem outros hóspedes por lá. E o cardápio da Patrícia e de suas fiéis escudeiras é de primeiríssima. No segundo dia eu já estava quase invadindo a cozinha. Eu e o marido ficamos fãs e planejamos voltar.
No Toque ficamos na Casa Acayu e, sinceramente, decepcionou um pouco. A pousada é bonita (apesar de achar que a decoração dos bangalôs não combina com o clima praiano grin ), confortável, tem uns jardins lindos, uma infinidade de serviços e funcionários extremamente gentis. Mas falta "alma". Acho que pra quem gosta de serviço de hotelzão cinco estrelas deve ser um paraíso. Nesses casos, recomendo.

George
GeorgePermalinkResponder

Ola Riq e Boias. Estou hospedado na Pousada Cote Sud e gostando entre outras coisas, do espaço entre os chalés, do café da manha, das refeições. Só queria esclarecer , até para corrigir na descrição da Pousada: a d. Corinne é francesa, da cidade de Chantilly, e a piscina NAO TEM borda infinita.

Marina Maria
Marina MariaPermalinkResponder

Pessoal, preciso de uma dica! Me hospedei na Pousada Acayu (que na época ainda era do Caju rs) na minha lua de mel e foi incrível, uma experiência que lembramos com saudade até hoje. Estamos procurando uma praia para ir em maio e queria muito retornar pra lá, mas como é uma mês mais chuvoso, estamos com receio. Daí queria saber qual praia vocês indicam no sul da Bahia que tem esse mesmo esquema de pousada com praia na frente (ou bem pertinho), bem sossegada, dessas sem barracas, sabe? Espero uma luz de vocês! Muito obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marina! Santo André, perto de Porto Seguro, tem pousadas pé na areia e tempo mais firme que o resto do Nordeste em maio.

https://www.viajenaviagem.com/onde-ficar-santo-andre-ba

Marina Maria
Marina MariaPermalinkResponder

Ótima dica, Bóia, já estava de olho lá. Muito obrigada!

Telma Regina Rodrigues

Olá, gostaria de saber se a Pousada Vila do Patacho fica logo nas proximidades da Xue e da do Patacho ou fica distante.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Telma! Dá para ir a pé.

Alexandre Calado

Como se diz aqui "eita post arretado". Rota Ecológica sempre presente no VV e com descrições perfeitas e atuais.

Pedro Dantas Lodi de Araujo

Estive na Pousada do Toque na expectativa de encontrar um local conforme descrito aqui. No entanto, relato que a pousada se encontra em estado de aparente abandono. É evidente a falta de manutenção e cuidado, desde o chalé até as áreas comuns. Os jardins estão feios e mal cuidados. O banheiro do quarto sujo nos cantos. O jardim de inverno uma mata sem qualquer sinal de manutenção, podendo inclusive oferecer risco de transmissão de doenças. As estruturAs em madeiras em mau estado, precisando de reparos, verniz. Os acessórios em metal enferrujados. O cardápio com preços elevados em contraste com uma comida de mediana a ruim qualidade. A falta de transparência na contratação de transfer, pelo qual há cobrança de 10% sem informação . Foi uma grande decepção, péssimo custo benefício. Sugiro rever o estado do local e atualizar as dicas.

FERNANDA PICCINA

Fui duas vezes com meu marido para a pousada do Toque e era, realmente, um paraíso.... A ultima vez foi há sete anos. Por esse motivo sugerimos a pousada para dois casais de amigos, que foram em duas ocasiões distintas. Para a minha decepção ambos disseram que a pousada estava abandonada e suja, a comida não estava gostosa e até mesmo a caipirinha decepcionou. Uma pena... Voltarei para milagres, agora com meus dois filhos, mas infelizmente não iremos mais ao Toque

Lena
LenaPermalinkResponder

Fiquei sabendo da existência da Pousada Patacho, em Porto de Pedras, em 2016, aqui pelo blog e foi surpreendente. Acabo de voltar de uma segunda estadia, de quatro noites mo local.O que te leva a voltar para a mesma Praia, um ano depois, em um país com um Litoral com tanta diversidade e opções? No meu caso, retornar para a Pousada Patacho, na Praia de mesmo nome, no município de Porto de Pedras, AL, foi o desejo alimentado ao longo de 12 meses e a certeza da escolha perfeita.
O mar de cor inigualável e águas mornas e transparentes, o nascer do sol bem cedo permitindo aproveitar um longo dia e as cores intensas, são fundamentais. Mas tudo isso acompanhado de acomodações impecáveis, um staff eficiente e sempre com o melhor sorriso e uma cozinha primorosa, tornam o pacote perfeito.
Na Pousada Patacho, o Christian usou seu talento de design para dar forma e cores na decoração que parece saltar de uma página de revista francesa, não por acaso, a nacionalidade do proprietário. Não há pressa para o café, almoço ou janta. Você escolhe o horário para qualquer uma das refeições, até as 21h.
Desta vez fiquei na cabana Luna (R$ 650,00), uma das três situadas no jardim a poucos metros do mar. Há também opções para a suíte Jasmim (mesmo valor) ou a suíte Colibri, para três pessoas, (R$ 800,00), ambas localizadas no segundo piso da construção principal. Há opção de dois lofts, do outro lado da estradinha de areia, em frente à Pousada, com mais privacidade e piscinas privativas.
Nas cabanas pé na areia não tem piscina, mas você não vai nem perceber com o mar que é uma verdadeira piscina verde à sua disposição, onde você pode beber drinques (sugiro a caipirosca frozen de tangerina com gengibre) antes do almoço na varanda aberta e sob o pergolado repleto de flores e verde.
O restaurante está aberto à não hóspedes, mediante reserva, e é um dos pontos altos do local. Cardápio autoral com supervisão de um chef experiente torna cada refeição um momento de prazer e deleite. Como não amar um lugar assim?.

SIMONE FRANCEZ BOMFIM

Oi Boa tarde. Estou planejando ir em setembro de 2018 e tenho uns 15 dias, pensei em fazer base em Barra, Patacho, São Miguel dos Milagres e Maragogi, e ai ir conhecendo as praias próximas, faz sentido?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Simone! Sim, é tudo pertinho.

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Graças à primeira reportagem que você escreveu na revista,a quinze anos atrás fomos conhecer de perto a Pousada do Toque e nos encantamos com a beleza do lugar.Voltamos rapidamente após alguns anos e tivemos a grata surpresa de observar que tudo só tinha melhorado .O capricho de Gilda e Nilo são imbatíveis. Obrigada pelas dicas de viagem!

Thiago
ThiagoPermalinkResponder

Bom dia Bóia!
Gostaria de saber se é uma boa aproveitar São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras da seguinte forma: 3 dias em São Miguel e 4 dias em Porto de Pedras.
Parabéns pelo site, jamais vou viajar sem antes conferir as dicas do VnV.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thiago! Só se você estiver na super dúvida entre duas pousadas e queira experimentar as duas. Não existe diferença significativa entre as praias. Não viaje a essa região na pilha de 'conhecer'. Essa região serve para descansar. Relaxe.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar