São Paulo

Aberta 24 horas
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

“São Paulo não pode parar”, diz o ditado. “Vambora vambora, tá na hora, vambora”, canta a musiquinha do radiojornal. O trânsito de vez em quando empaca, mas a cidade não pára de se mover em velocidade vertiginosa.

São Paulo é uma usina de oportunidades para todo mundo que queira criar, realizar, consumir. Trabalho e prazer se confundem. Mas uma coisa é certa: quem vem de visita acaba aproveitando a cidade muito mais.

De uns anos para cá, a proibição de outdoors e letreiros revelou uma beleza que a própria São Paulo não imaginava ter. “Fique mais um dia”, recomendava a campanha da secretaria de turismo aos viajantes apressados. Excelente idéia.

Quando ir

O outono e o inverno são mais secos, com dias agradáveis e noites frias; a primavera é chuvosa e o verão registra trombas d’água no final de tarde.

Fins de semana e feriadões são perfeitos para visitar a cidade: as diárias dos hotéis baixam e a fluidez do trânsito barateia as corridas de táxi. Janeiro e julho também são meses em que o deslocamento pela cidade é mais tranqüilo.

Dezembro é a época mais conturbada, por causa das compras de Natal.

Os dois eventos turísticos mais importantes são a Fórmula 1, em novembro, e a Parada do Orgulho Gay, que é realizada no feriado de Corpus Christi. Em abril acontece a festa mais importante da cidade: a Virada Cultural, com 24 horas de shows e eventos.

Como chegar

Chega-se a São Paulo por dois aeroportos, três rodoviárias e, se não me falham as contas, umas nove auto-estradas.

O aeroporto de Guarulhos (ou Cumbica) fica a 26 km do centro, na direção leste. Os táxis são tabelados e custam acima de R$ 150. Há também um ônibus executivo com seis linhas (R$ 50) e um ônibus comum que faz a conexão com a estação Tatuapé do metrô.

Chegando por Congonhas você estará a 10 minutos (se não houver trânsito) da região empresarial da Berrini, ou 20 minutos (e pelo menos R$ 30) da avenida Paulista. Os ônibus de linha 675I e 675J levam à estação São Judas do metrô.

Todas as rodoviárias estão conectadas à rede do metrô.

Onde ficar

São Paulo renovou completamente a sua rede hoteleira na última década. A oferta de acomodações, porém, já está insuficiente para os dias de semana e grandes eventos.

Os hotéis nas imediações do cruzamento entre as avenidas Paulista e Consolação são perfeitos para quem vem visitar: há metrô e corredor de ônibus na porta, e chega-se em corridas curtas de táxi ou mesmo a pé a vários pontos de interesse. Veja minha seleção de hotéis nesta área.

A avenida Berrini tem a melhor coleção de hotéis voltados para executivos. Mas para quem vem a trabalho e quer aproveitar também a vida noturna, Vila Olímpia e Itaim são mais convenientes: não ficam longe da Berrini e têm diversão na porta.

Há hotéis nas imediações dos dois aeroportos: Congonhas e Guarulhos.

Veja aqui 50 hotéis em São Paulo comentados pelos leitores.

O que fazer

Alguns dos passeios mais interessantes da cidade estão no Centro: a Pinacoteca do Estado, o Museu da Língua Portuguesa e o Mercado Municipal podem ser combinados numa mesma saída. Vale a pena contemplar o espigão da Avenida Paulista de dois mirantes opostos: o Terraço Itália e o hotel Unique.

As experiências de compras vão de A a Z – dos shoppings mais sofisticados às ruas especializadas em pechinchas, como José Paulino, 25 de Março e Santa Ifigênia.

O eixo Itaim-Jardins tem mais restaurantes, mas Higienópolis é uma opção central e paulistaníssima. Na vida noturna, a rivalidade Vila Madalena x Vila Olímpia ganhou um concorrente: o Baixo Augusta, o preferido dos alternativos.

São Paulo no Viaje na Viagem

116 comentários

eve porto
eve portoPermalinkResponder

Olá, Chego sexta tipo 22 hs em Guarulhos e vou ficar no Mercure jardins, qual melhor opção taxi, uber ou ainda tem o onibus até congonhas ?volto domingo as 22:00 e queria saber se ainda existe um onibus que passa no hotel e vai ate Guarulhos... as informações de passeios do site estão atualizadas? Uber é seguro de usar ? obrigada Eve Porto

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Eve!

Veja os horários -- a sua linha é a da Paulista:
http://www.airportbusservice.com.br/site/images/linhas/HORARIOS.pdf

Everaldo Soares da Silva

Cara, melhor ir de trêm até a estação, depois você pega um taxi ou uber, isso vai lhe custar 1/10 do valor do ônibus executivo, com mais ou menos o mesmo tempo de translado. Abraços e divirta-se.

Erika Feitosa
Erika FeitosaPermalinkResponder

Oi Ricardo, teria alguma dica de cidade no estado de SP para passear com criança e vovó que adora passear para conhecer artesanatos, peças de decoração e etc...? Seria um passeio de 5 dias.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Erika! Quem responde é A Bóia. Campos do Jordão tem de tudo para todos os públicos.

https://www.viajenaviagem.com/destino/campos-do-jordao/

Cunha também é uma boa opção.

Ricardo Hariki

Uma dica pra quem curte e compra até visuais é a Galeria Calixto 36. É uma galeria coletiva onde o forte é a fotografia mas Tb tem lindos trabalhos com desenhos e gravuras Tb. É tudo a vida bem camaradas.
Praça Benedito Calixto, 36 Pinheiros

ANDREA NISTA RICHTER

Olá! Pq não sugere os passeios ao parque PETAR nesta época do ano?? Fui com meu marido e duas filhas de 17 e de 9 anos, ficamos dois dias para os passeios às cavernas e cachoeiras. Amamos, é maravilhoso!!

gisele
giselePermalinkResponder

Olá! Gostaria de passar o Reveillon em São Paulo, sei que a cidade fica mais vazia, o que me grada, mas tenho receio que muitas atrações estejam fechadas. O que acham? Algum post sobre informações da cidade nesse período?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar