Perguntas de primeira viagem: PASSAGENS AÉREAS 1

Perguntas de primeira viagem: PASSAGENS AÉREAS

Ilha Grande vista da Ponte Aérea

Aqui no Viaje na Viagem aparecem muitas perguntas sobre passagens aéreas. Este post lista — e responde — as mais freqüentes (e certamente ganhará muitas adições ao longo do tempo).

Tenha sempre em mente que passagem boa é aquela que você compra para o lugar que quer visitar, numa época em que vale a pena ir para lá. Passagem baratinha para viajar na época desfavorável é uma passagem cara.

Cuidado, portanto, com compras de passagem aérea por impulso. Se você não nunca estudou o destino que está em promoção, estude antes de comprar. A melhor compra por impulso é para o destino que você já vem namorando há tempos — e que sabe as épocas certas para viajar.

1 | Com que antecedência se deve comprar a passagem?

Não é uma ciência exata. Só existe uma certeza: em cima da hora é mais caro.

Para aumentar a chance de conseguir boas tarifas em passagens nacionais, compre com 4 a 8 semanas de antecedência. Compre passagens internacionais com 2 a 4 meses de antecedência. Mas o melhor mesmo é aproveitar as promoções.

Para épocas em que todo mundo quer viajar no mesmo dia (Natal, Réveillon, Carnaval) aumente a antedência: 3 a 6 meses para qualquer destino. Mas pense que você vá encontrar pechinchas em férias escolares ou Carnaval: se você conseguir alguma tarifa que não seja exorbitante, já estará no lucro.

2 | Quando acontecem as promoções?

As promoções (feirões, megapromos) de passagens nacionais são bastante freqüentes: acontecem em fins de semana e valem para períodos fora de férias e feriadões. De vez em quando também aparecem promoções para vôos no meio do feriado, fora das datas que as pessoas querem ir e voltar.

Já as promoções de passagens internacionais costumam acontecer no início da baixa temporada (depois do carnaval ou das férias de julho), e são repicadas ao longo da baixa temporada por cias. que precisem melhorar sua ocupação.

Uma ótima oportunidade de encontrar pechinchas é no lançamento de novas rotas, que sempre têm tarifas promocionais nas primeiras semanas de operação.

3 | Existe promoção que é roubada?

Desconfie quando o preço é barato demais para destinos sul-americanos. Sempre aparecem megapromoções para Cusco na época da chuva (novembro-março), para Cartagena e San Andrés na época mais chuvosa (outubro, novembro), para Bariloche antes da neve (você só vai encontrar neve entre julho e setembro), para a Patagônia no auge do inverno (quando só Ushuaia, que tem esqui, está funcionando a toda).

Muita gente também põe os pés pelas mãos comprando passagens para lugares que não quer visitar (confiando em achar outra passagem baratinha deste lugar até o destino realmente desejado) ou partindo de uma cidade que não é a sua. Ambas situações são fonte segura de gastos imprevistos e perrengues práticos.

4 | Quero visitar Madri e Roma na mesma viagem. Compro passagem ida e volta a Madri ou a Roma?

Nenhuma das duas. Compre passagem com ida a Madri e volta de Roma. Em viagens picadas, sempre compre sua passagem saindo do Brasil até o primeiro destino que você vai efetivamente visitar, com volta do último destino que você vai efetivamente visitar.

Qualquer outra solução envolve custos e riscos. Os custos são óbvios — não existe passagem grátis, e os vôos extras vão diminuir (e possivelmente até anular) a economia que você acha que está fazendo ao comprar passagem só até o meio do caminho. E o risco está programar conexões entre vôos que não estão vinculados. Se o vôo avulso atrasa e você perde o vôo de volta ao Brasil, terá que comprar outra passagem na hora.

Orce também quanto fica incluir os vôos internos na sua passagem Brasil-Europa. Na maioria das vezes, vale a pena — e você mantém seu limite de bagagem internacional nos outros vôos.

Como fazer? Use a função “várias cidades”, “vários destinos” ou “múltiplos destinos” nos sites das cias. aéreas ou em buscadores com o Kayak.

Já comprei minha passagem errado, e agora? Se você vai precisar retornar ao destino de chegada apenas para pegar o vôo de volta ao Brasil, programe esse vôo interno para a véspera da viagem. Em casos assim, de vôos desvinculados, sempre durma na cidade de onde parte seu vôo de volta, para reduzir o stress e os riscos de perrengue.

5 | Que cia. aérea voa do Brasil a Veneza? Que cia. aérea voa do Brasil a San Francisco?

Muita gente deixa de comprar passagem aérea do Brasil até o destino que quer realmente visitar porque acha que só é possível comprar passagens em vôos diretos ou para as capitais. Não é não.

As cias. aéreas que voam do Brasil para a Europa ou a América do Norte vendem passagens a todos os destinos não-servidos por vôos diretos do Brasil. É para isso que existem as conexões.

Assim, se você quer começar sua viagem por Veneza, não precisa comprar a passagem só até Milão ou Roma. Compre até Veneza. Qualquer cia. que vá para a Europa levará você até lá, com uma conexão.

A mesma coisa com San Francisco. Não é porque nenhuma cia. tem vôo direto do Brasil a San Francisco que você precisa ir só até Miami ou Atlanta.  Todas as cias. americanas deixam você em San Francisco.

6 | Por que as passagens com conexão são mais baratas do que os vôos diretos?

Porque o conforto do vôo direto é um benefício pelo qual as cias. aéreas conseguem cobrar mais. Por isso o vôo direto São Paulo-Orlando da Latam sempre será mais caro que o vôo São Paulo-Panamá-Orlando da Copa. E por isso você verá rotineiramente as cias. européias cobrando mais caro por vôos a suas capitais de origem do que a outros países. Por exemplo: voar com a KLM para Paris com conexão em Amsterdã normalmente sai mais barato do que voar só até Amsterdã; isso costuma acontecer com todas as outras cias. do continente.

7 | Achei uma passagem baratinha a Atlanta com conexão em Miami. Posso descer em Miami e ficar por lá?

Não pode não. Ao abandonar a rota que originalmente comprou você perde as reservas e a classe tarifária dos vôos seguintes.

8 | Achei uma passagem baratinha aos Estados Unidos saindo de Manaus, mas eu moro em Goiânia. É uma boa?

A economia proporcionada por uma passagem que sai de um lugar onde você não está sempre é relativa. Lembre-se que o trecho entre a sua cidade e a cidade de onde sai e aonde chega o vôo nunca será grátis e diminuirá (em casos extremos, anulará) a economia que você acha que está fazendo. E que se o vôo interno atrasar, você pode perder a sua passagem internacional. (A mesma coisa na volta: se o vôo internacional atrasar, você pode perder sua passagem nacional avulsa.)

9 | Vale a pena combinar trecho com milhas com passagens avulsas?

O melhor uso para milhas é na emissão de passagens até o destino que você quer efetivamente visitar. Usar milhas só para abater parte do custo normalmente é um mau negócio; você continuará pondo dinheiro para voar e correrá o risco de perrengues na conexão entre o vôo com milhas e o vôo comprado, já que não serão vôos vinculados.

10 | Vale a pena voar com cias. low-cost?

Quem aproveita melhor as cias. low-cost é quem mora nos países em que elas atuam e assinam os alertas que informam quando abrem as vendas dos vôos. Quem compra no comecinho das vendas consegue aquelas tarifas ridículas que fazem a fama das low-costs. Depois das vendas engatilhadas, as tarifas ficam parecidas com as das cias. convencionais.

Leve em consideração também o limite de bagagem. As low-cost são rígidas na pesagem e cobram uma fortuna (mais de 10 euros) por quilo de excesso.

Tente viabilizar sua viagem com cias. convencionais (incluindo os trechos intra-europeus na sua passagem Brasil-Europa-Brasil). Caso seja muito mais econômico incluir low-costs, viaje leve — e não marque nenhuma conexão entre vôos não-vinculados.

Leia mais:

198 comentários

Vamos viajar e minha filha tem 17 anos, e na passagem está denominado q abaixo de 18 e criança, mas no meio da viajem ela vai fazer 18. Devo colocar na passagem que ela tem 17 ou 18?

Olá estou querendo comprar uma passagem de Goiânia para Maceió ida e volta, está dizendo que tem uma conexão em Salvador na ida e outra em Brasília na volta quero saber o que significa. Terei que pagar mais além do preço mostrado? Outra coisa está dizendo também escala não vinculada o que é isso. Desculpa primeira viagem de avião muitas dúvidas 😁

    Olá, Elane! Você não precisará pagar nada além do que está mostrado. A conexão significa que você vai ter que trocar de avião, porque não existem voos diretos entre Goiânia e Maceió.

    Evite essa passagem com “escala não-vinculada”. Significa que os dois voos não estão relacionados; provavelmente são cias. aéreas diferentes que fazem os dois trechos. Se o primeiro voo atrasar e você perder a conexão, pode perder o resto da passagem.

    Comprando uma passagem em que os dois trechos são feitos pela mesma cia. aérea você não corre esse risco.

Ricardo, sobre a experiência de ampliar o período de estada no destino para além da data da volta, tem Cia aérea mais indicada? Que dicas tem pra nós? Pretendo passar de dois a três meses viajando por Portugal. Grato. Sérgio

    Olá, Sérgio! Quem responde é A Bóia. Toda passagem tem restrições tarifárias. Para alterar a volta, você sempre pagará alguma multa e diferença tarifária, a não ser que compre na tarifa cheia. Algumas tarifas superdescontadas não permitem nenhuma alteração.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.