Gripe nos Estados Unidos: precisa vacina? Onde tomar?

Antigripais

Guest blogger | Marcie Grynblat Pellicano, do Abrindo o Bico

Quando começaram a aparecer perguntas sobre a estação de gripe nos Estados Unidos e as vacinas disponíveis, perguntei à Marcie, dona do excelente Abrindo o Bico (o mais descolado dos blogs sobre Nova York), se estava pensando em escrever sobre o assunto. Só que em vez de escrever e publicar lá no AoB, ela embrulhou com papel de presente e mandou pra minha caixa postal. Estou abrindo na frente de vocês:

Vacina ou não, eis a questão…

Começo dizendo que nunca tomei a vacina da gripe. Por dois motivos: primeiro, porque nunca me resfrio; gripe, então, a cada morte da barata. Segundo, porque — tolamente que seja — me recuso a aceitar que faço parte dos grupos de risco: anciões em geral e pessoas com problemas respiratórios em particular. O problema é que me encaixo perfeitamente nesse último contingente. Do primeiro, ainda estou longe. Tá bom, medianamente longe. 😉

De qualquer maneira, vamos aos fatos: a acreditar nos jornais, que há duas semanas não falam de outra coisa, a coisa aqui está preta. Estatisticamente, dizem eles, é o pior virus dos últimos anos. Quer dizer, o que provocou mais mortes e internações. E os “tele-médicos” de plantão continuam a recomendar a vacina. Apesar de já estarmos quase na metade do inverno, eles afirmam que o shot ainda pode ser importante.

Só que a recomendação é para quem mora aqui, não para quem esteja de passagem. Por que não? Bom, na minha opinião, pelo seguinte: a vacina demora duas semanas para fazer efeito. E a eficácia dela está em torno de 62%. Portanto, a não ser que você esteja vindo para uma longa temporada, a picada vai ser inútil. Sem falar de uma eventual reação, que também pode atrapalhar sua viagem: mal estar, resfriado, essas coisas.

Dou uma informação concreta: minha filha, que teve um problema recente de saúde, está aqui comigo. Por precaução, consultei o médico pra saber o que fazer quando ela pegar minha gripe. Ah, sim, tinha esquecido de dizer: escrevo estas mal traçadas linhas em plena flu. Na cama! Bem, ele recomendou não tomar a tal da vacina. Nem ela nem eu nem ninguém. Segundo ele, o medicamento é baseado no vírus do ano passado e, portanto, ineficaz para este novo inimigo.

Pegando carona no mantra de nosso Comandante (na CNN é sempre pior!) o que eu recomendaria aos viajantes é tomar algumas precauções: por exemplo, um prudente Tamiflu na mala. A rigor, não poderia, mas pode. Mesmo porque por aqui está em falta. Exato, em falta. Ou vocês pensam que o problema só acontece no Bananão?!?. Além do Tamiflu, ou no lugar dele, sugiro você trazer também seu analgésico preferido. Ou comprar aqui. Além, é claro, de litros de Purell.

Mas se, mesmo assim, você decidir tomar a vacina, nenhum problema: qualquer Duane Reade ou Walgreens da vida pode aplicá-la. O shot, que é no braço, custa 30 obamas e dispensa receita.

Minha recomendação final: divida por 10 tudo o que você tem lido ou ouvido sobre a flu e venha tranqüilo. Cabeça concentrada no que de fato interessa: aproveitar esta cidade maravilhosa e tudo o que ela tem a oferecer. Ignore a gripe! Assim, quem sabe, ela também ignore você.

Obrigado, Marcie! E melhoras pra você e pra pimpolha!

Leia mais no Abrindo o Bico:

Times Square vai ganhar barricadas anti-terroristas

Chelsea, agora com wifi grátis em todo o bairro (um oferecimento Google)

Restaurant Week de Nova York vai até 8 de fevereiro; veja onde aproveitar

Campbell’s Apartment, um bar que funciona num apartamento

Rá! Dos 12 restaurantes do ano do NY Times, 5 foram citados no Abrindo o Bico!

Funciona: um app para chamar táxi

Até março: Matisse no Metropolitan (e em fevereiro entra o Impressionismo)

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


64 comentários

Eu sempre me lembro do exemplo do Canadá, que debelou a gripe aviária em 2003 com muita higiene das mãos. Acho que é o caminho mais seguro para evitar que os germes sigam das mãos para o nariz, os olhos e a boca.

É como a Marcie disse: “divida por 10 tudo o que você tem lido ou ouvido sobre a flu”. O noticiário, não se sabe por que (interesse político, econômico?) sempre aumenta as notícias.
Nunca tomei a vacina da gripe aqui no Brasil e – advinhem! – nunca fiquei gripado… Além do mais, qualquer loja de conveniênia de posto de gasolina dos EUA tem bons antitérmicos!

Vou para San Diego em Maio para ficar 2 meses. É aconselhável tomar a vacina ou até lá, como já está chegando o verão, a gripe dá uma trégua?

Estou no aeroporto de Curaçao aguardando vôo para Orlando com 2 filhos adolescentes e meu cunhado não para de mandar SMS nos alertando da tal gripe. Respondi pra ele o que aprendi aqui no VNV: Brasileiro só tem medo de feriado! Hihi

Eu também fujo da vacina, sempre.
E gosto de saber que tenho companhia nessa fuga, e, mais ainda, aval médico para isto.
Melhoras, Marcie!

Aqui na California, a coisa está um pouco menos pior que no resto do país, talvez por conta da temperatura não tão baixa aqui. Estava tentando escapar da vacina, mas o P. tá falando tanto, que acho que vou tomar, apesar de odiar vacina de gripe, nunca acho que funciona.Obrigada pelas informações Marcie.

    Maryanne, tenho passagens pra dia 24, tudo reservado para LA, Carmel e São Francisco, sendo que algumas coisas, como o jogo dos Lakers do dia 25, já estão pagas e não são reembolsáveis. Estou um pouco preocupada, como a Marcie disse vacina é besteira (vou ficar exatos 15 dias) e, mesmo que raramente, tenho asma. Mas acho que vou encarar, ainda mais que a situação por aí está mais tranquila. Vamos ver… beijos.

vou pra Orlando no Carnaval com minha filha de 4 anos… alguém sabe se lá também está com surto de gripe?
obrigada! abraços
erika

    obrigada! Vou vacinar a minha filha por segurança (ainda que a proteção esteja longe de ser uma garantia…)