Lugano, Suíça à italiana

Lugano

Estive em Lugano rapidamente durante o meu périplo suíço do ano passado. Nosso grupo dormiu lá uma noite, entre duas viagens de trens panorâmicos: o Bernina Express (falei dele aqui) e o Wilhelm Tell Express (aqui).

Lugano

A permanência foi curta, mas deu pra ter um gostinho do Ticino, a Suíça italiana. Em um fim de tarde e uma noite, o lugar se mostrou exatamente como o anunciado pelos clichês: mais caloroso e relaxado do que o resto do país. Naquele dia de fim de setembro, porém, não dava para ser diferente: a temperatura estava quase quinze graus mais elevada do que em St.-Moritz, no alto da montanha, onde tínhamos começado a jornada. O Bernina Express nos levou das geleiras ao verão.

LuganoLuganoLugano

Ficamos num hotel (falo mais sobre ele daqui a pouquinho) que não poderia ser melhor localizado: está na porta do funicular que leva da estação ao miolinho do centro histórico. Caminhando duas quadras eu já estava à beira do Lago Lugano.

Lugano; Monte San Salvatore ao fundoLuganoLago Lugano

Saiba que os luganesi acham que o Monte San Salvatore parecido com o Pão de Açúcar — obrigado por terem avisado, senão eu não perceberia, hehe. Adorei um quiosquinho de inspiração tropical à beira-lago.

Lago LuganoVocê está aqui: Lugano

Curti sobretudo o copo de cerveja, que traz marcações de três níveis: “Você está aqui”; “Você está aqui?” e “Estava!” (acho que é isso, se não for me corrijam, prego).

Lugano

Pena que chegamos tarde demais para pegar o passeio de barco. Toda cidade lacustre suíça tem passeios de barco, e taí um programa que vale a pena sempre.

Mas voltando ao hotel em que fiquei, o Lugano Dante. Foi um dos hotéis que mais me impressionaram no tour pela Europa (e olha que ao todo troquei de hotel 41 vezes). Não fui eu que escolhi; esta era a penúltima etapa de um tour inteiramente organizado pelo Sistema de Transporte Suíço. Mas eu adorei o hotel justo porque eu dificilmente teria feito essa escolha por conta própria. É um três estrelas bem caretinha; qualquer outro hotel na mesma faixa de preço com uma decoração mais clean me ganharia fácil na hora da reserva. Só que esse Lugano Dante é sen-sa-cio-nal. Totalmente focado na satisfação do hóspede. Do wifi grátis (o único que peguei em toda a Suíça) ao café da manhã pantagruélico, o hotel é puro mimo e gentileza. O cúmulo da fofura é um patinho de plástico que eles dão de presente — e que você encontra boiando na pia ao chegar, junto com um cartãozinho que diz “Um dia sem sorriso é um dia perdido”. Owwwnnnnnn.

Hotel Lugano DanteHotel Lugano DanteHotel Lugano Dante

Pois bem. Todo mundo diz que a outra cidade beira-lago do Ticino, Locarno, é mais charmosa e gostosinha. Se eu já simpatizei tão à primeira vista com Lugano… O fato é que o Ticino tem muitos fãs, que curtem a ordem suíça com jogo de cintura italiano.

Daqui pra onde?


Visualizar Lugano em um mapa maior

Lugano é uma peça importante na montagem do quebra-cabeças do roteiro de viagem pela Suíça. No eixo norte-sul, está no corredor que liga Milão (a 1h de trem) a Lucerna ou Zurique (2h30/2h40 adiante).

Chega-se a Lucerna também pelo Wilhelm Tell Express, um passeio que combina trem panorâmico com travessia de lago (falarei dele no próximo post da série).

Querendo comparar Ticino com Itália sob as mesmas condições, basta pegar um trem e em meia hora você está em Como (San Giovanni), ponto de partida para os passeios do Lago de Como.

Já o eixo leste-oeste é servido por duas rotas panorâmicas. Uma vai até Lugano só sazonalmente: é o Bernina Express, um trem panorâmico que funciona o ano todo entre Tirano, na Itália, e Chur, na Suíça (passando por St. Moritz), mas que só nos meses quentes oferece continuação de ônibus até Lugano (veja meu relato aqui).

O outro trem panorâmico que permite a circunavegação da Suíça pelos trilhos é a Ferrovia Centovalli, que parte de Locarno (a 1h de trem de Lugano) e em duas horas chega a Domodossola, na Itália, passando por nada menos que 81 pontes (sim, o nome da ferrovia é “Cem Vales”). De lá é possível seguir, com baldeação em Brig, a Montreux (2h), Lausanne (2h20), Zermatt (2h25) ou Genebra (3h15).

Ricardo Freire viajou à Suíça a convite do Swiss Travel System.

Leia mais:

73 comentários

Estou indo agora dia 28 para Milão e dia 4 estarei em Veneza e gostaria de saber qual a cidade mais próxima para ir de carro para a Suiça.

    Olá, Wal! Se você quer ver paisagens alpinas, suba à região da Cortina d’Ampezzo, que fica na Itália mesmo.

Ola…. Passarei duas semanas na suiça. Estava pensando em ficar em zurique e genebra como Base, fazendo a partir de zurique bate e volta em Berna, e interlaken (com pernoite) seguindo para lucerna, voltando para zurique. Na semana seguinte pensei em ir para Genebra com bate e volta em Lausane e Lyon (com pernoite). Oq acha? Estarei com uma criança de 1 ano e dois meses, por isso nao queria rodar muito. Oq acha desse roteiro? Obrigado.

Tem algumas empresas tipo zani e viator que fazem estes passeios mas achei bem caro.

Existe promoção de bilhetes de trem como a trenitalia, pois parece que tudo na suiça é bem mais caro que na itália.

Abcs.

Olá,

Estou pensando em conhecer a Suíça de carro (em outubro), porque parece mais barato do que usar o swiss pass. Serão 8 dias, iniciando em Zurique, passando por Berna, Lucerna, Interlaken e Lousanne, e terminando na Basileia. É uma boa ideia ou a chance de me perder/atrasar/gastar mais que o previsto é grande?

Obrigado…

Eu e minha amiga iremos p/ Suíça em junho. Ficaremos 8 dias. Escolhemos visitar Lugano, Lucerna, Berna, Lausanne, Zurique e por último Genebra, pois voltaremos por Genebra p/ o Rio de Janeiro. Gostaríamos de uma orientação em relação ao tipo de passe de trem que deveríamos escolher e a melhor localização para um bate-volta.
Grata,
Angela

    Olá, Angela! Sua viagem está picada e repetitiva. Você está visitando cidades que são muito parecidas umas com as outras, só muda o idioma. A única cidade que não é beira-lago é Berna.

    A fórmula do Ricardo Freire é combinar uma cidade beira-lago (ou duas, mudando de cantão) com uma cidade de montanha, pegar um trem panorâmico e fazer um bate-volta a Berna.

    O Swiss Pass é o passe mais recomendável.

    Um bom roteiro é: base em Lucerna (3 dias) com bate-volta a Berna; base em Interlaken (3 dias); base em Lausanne (2 dias), com bate-volta a Montreux, ou então Lugano no lugar de Lausanne.

    Leia mais sobre a Suíça:
    https://www.viajenaviagem.com/category/suica

oi boia,preciso de sua ajuda.pretendo ficar 3 dias em londres 4 em amsterdam 4 em paris 3 em veneza 4 em sorrento e 2 em roma,so nao sei por onde começar.ja conheço paris e roma os 4 dias em paris farei o que nao deu pra faser na ultima viagem,e em roma ficou faltando a capela cistina,quero muito ir a londres gostaria de manter este roteiro vc pode me enviar dicas.abços e obrigado.

    Olá, Ana! Leve em consideração que cada dia de deslocamento é um dia praticamente perdido. O roteiro mais prático seria ir a Londres, então voar a Amsterdã, ir de trem a Paris, de avião a Veneza, de avião a Nápoles, de trem a Sorrento, de trem a Roma, voltando por Roma.

    Mas saiba que é uma viagem que vai ficar bastante cara pelo deslocamento.

    Leia mais:
    https://www.viajenaviagem.com/2012/02/roteiro-viagem/

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.