Moinhos de vento sem muvuca: Kinderdijk, a dica do A. L.

Kinderdijk, Holanda

Ontem o A. L., que mora na Holanda, trouxe uma dica recém-testada: os moinhos de vento de Kinderdijk. Como o assunto ‘bate-voltas de Amsterdã’ é bem pedido aqui no site, achei que tinha tudo a ver transformar o comentário — que na verdade é um guia completo! — em post. Você vai ver moinhos e de lambuja ainda vê o melhor de Roterdã. Passo o microfone ao A. L.:

Muita gente vai ver moinhos em Zaanse Schans. É legal, é arrumadinho e tal, mas entope de gente no verão, dada a proximidade de Amsterdã, os tours organizados e os prédios kitsch que estão construindo lá perto, do outro lado da ferrovia.

Moro aqui, e para quem quer fazer uma day-trip diferente e muito interessante, fica a minha sugestão (só dá certo de abril a setembro): ao invés de Zaanse Schans, vá para Kinderdijk (diga: kinderdéik — N. do E.). Os moinhos são maiores, e estão em um estado mais natural, por assim dizer, espalhados por uma área mais extensa e muito agradável para andar com temperatura acima de 15 graus, e com muvuca pequeníssima.

A forma mais interessante de fazer essa day-trip é em um passeio de barco que parte de Roterdã às 10h e às 14h15, em um roteiro de 3h15 (€ 13,50). Os passeios partem do cais perto da Erasmusbrug, aquela ponta famosa que é o símbolo de Roterdã, e no caminho até Kinderdijk passa por vários pontos famosos da cidade, que é única na Europa em seu aspecto moderninho e arrojado (foi toda destruída na II Guerra).

Antes ou depois, dá pra conjugar esse passeio com o Maritiem Museum, o mais completo museu sobre o assunto que fica a 10 minutos de caminhada da Erasmusbrug, e dá pra atravessar a famosa ponte e tirar várias fotos (do outro lado tem uma ilha famosa pelo prédio da Holland America Line e vários cafés descolados).

Outro ótimo complemento em Roterdã é o Euromast (€ 8,90), uma torre de observação nas proximidades de um parque urbano de 185m, com um mirante giratório no topo. Parece programa pega-turista, mas garanto que não é: Roterdã não atrai multidões, lá em cima raramente é muvucado e a vista é linda de qualquer forma (dá pra ver a Alemanha em dias muito limpos, toda a cidade, o porto, as pontes móveis os canais etc.). Lá tem um restaurante bom (e no parque ao lado outro melhor ainda), com vista panorâmica – cheque antes de ir pois às vezes o restaurante é fechado para eventos.

Para chegar, pegue um trem desde Amsterdã até Rotterdam Centraal (compre um ‘dagretour’ – ida e volta – por € 25, 1h03 de viagem, ou um trem rápido Fyra, € 39 ida-e-volta, 41min de viagem). Assim que chegar em Rotterdam Centraal, compre um ‘dagkaart’ (passe diário) nas máquinas automáticas da RET (menu em inglês), que opera os metrôs em Amsterdam (€ 6).

A estação de metrô da Erasmusbrug e do barco para Kinderdijk é Leuvehaven. A estação mais próxima do Euromast é Colhaven, mas dá pra ir andando da Erasmusburg até o Euromast (20 min) pelo Het Park.

Bom, tá aí a minha dica “insider” para quem quiser um programa incomum e moinhos sem muvuca.

Valeu, A. L.!

Como o André esqueceu de levar a câmera, a foto do post foi gentilmente surrupiada daqui.


Atualização

    Veja o passo a passo deste passeio neste post:

Leia mais:

70 comentários

Não é longo não Alan. Testei e aprovei, é bem tranquilo. Em relação ao preço, é relativo, o valor maior fica no trem, os trechos de barco são baratos e a entrada do parque é grátis. De Amsterdã Centraal para Roterdã Centraal são entre 40min e 1h,a depender do trem que você pegar. Eu voltei do passeio em Kinderdijk, fui no Het Park e na Euromast, jantei no Markthal e estava no meu hotel em Amsterdã por volta de 21h. Achei o bate e volta bem redondo. Aliás, recomendo os dois bate e volta que fiz, tanto este, quanto o que fiz a Haia. Nesta, não deixe de conferir o museu Panorama Mesdag, diferente de tudo que tinha visto na vida.

Estive há poucos dias em Amsterdã e decidi por Zanch Saans mesmo. Achei o roteiro proposto muito longo e meio caro. Haviam muitos turistas sim, mas chegando cedo se evita a muvuca. Além disso o lugar é lindo. Na próxima vez programo alguns dias em Roterdã e de lá fica mais viável.

Acabei de testar e aprovar a dica do A.L. Estive em Roterdã dia 25/09. Peguei um trem com menos escalas da Intercity, chamado Intercity Direct, só parava em Schipol e depois na Roterdã Centraal, com última parada em Breda. Acho que o trem era de alta velocidade, a viagem foi bem rápida, cerca de 50 min. Na máquina que comprei na Centraal Station de Amsterdã, não vi opção do Fyra, mas apenas um intercity com mais paradas e esse Intercity Direct, que era um pouquinho mais caro (poucos euros a mais mesmo) e nos garantia um bom ganho de tempo. Chegando em Roterdã, resolvemos, eu e minha esposa, caminhar até a Erasmusbrug, com um pequeno desvio para ver outros marcos da cidade, estávamos com um chip local da Lebara, então, coma utilização do Google Maps, ficou fácil transitar. No caminho pudemos apreciar a cidade, realmente diferente das demais cidades europeias. Em razão de ter sido bombardeada na 2ª Guerra, Roterdã foi reconstruída e é uma cidade bem moderna, com arquitetura diferente e interessante de se apreciar. Fomos até as Casas Cubo, a única estrutura medieval que sobreviveu à 2ª Guerra (St. Laurenskerk) e fizemos uma boquinha, tanto no almoço, quanto no jantar, no Markthal Rotterdam http://markthalrotterdam.nl/, um mercado lindo, ultramoderno e com muitas opções de comida, dos Stroopwafles de Gouda a uma filial do Jamie’s Italian. Do mercado partimos para a Erasmusbrug, onde é possível, como bem disse o A.L., bater fotos lindas da cidade e de seu skyline. O barco para Kinderdijk sai do porto e é operado pela empresa Waterbus. Ao menos nesse período em que fomos, saiam barcos de 30 em 30 min para lá. Há opção de pegar um barco direto, acho que n° 202, ou então de fazer uma conexão. Como chegamos já com o barco de conexão prestes a sair, optamos por ele, mas voltamos direto para a Erasmusbrug. O valor de cada passagem no Waterbus é de 4 euros por pessoa, se pegar a conexão, tem de pagar mais 1,70 para o “barquinho” que te leva até Kinderdijk. O parque é realmente muito bonito, os moinhos estão muito preservados, mas nada parece fake, o lugar, inclusive, é patrimônio mundial pela Unesco, havia turistas, mas não era aquela horda insana e foi possível aproveitar muito bem o passeio, até porque tivemos sorte e estava um lindo dia de sol, acompanhado de uma brisa fria, mas gostosa. De volta a Roterdã, seguimos a dica do A.L. e fomos na Euromast, passando pelo Het Park. Realmente vale à pena, o parque é lindo no outono, inclusive achei mais bonito que o Voldelpark de Amsterdã. Na Euromast, não havia uma multidão lá em cima, e foi possível aproveitar muito bem o passeio. A entrada da Euromast saiu 19 euros para duas pessoas, com o detalhe de que o complexo (entrada e lojinha), não aceita dinheiro em espécie e foi um dos momentos em que tive de usar o velho e bom cartão de crédito. Antes de voltar à Roterdã Centraal, mais uma parada no lindo Markthal, onde comemos em um restaurante chinês de qualidade, na parte superior do mercado. Aqui está meu complemento ao post do A.L., que foi testado e aprovado com louvor. Aproveito também para agradecer a ótima dica insider. Não fui a Zaanse Schans, meus bate e volta de Amsterdã foram Haia e Roterdã, mas acho difícil que seja mais impactante do que Kinderdijk.

Olá! Estou montando um roteiro pela Bélgica, passando pelas cervejarias trapistas e incluí duas noites em Roterdã, antes de chegar a Amsterdã, de onde parte meu avião de retorno. Alguma dica de hotel?

    Olá, Juliana! Para dicas de hotéis, pesquise sites como o Booking. Lá você pode ler as resenhas dos ex-hóspedes de cada hotel para ajudar na sua escolha. 😉

Olá, em março esse passeio nos moinhos é viável? Estarei na Holanda entre 13 e 26 de 2015.

Só duas coisinhas: a RET opera os metrôs em Rotterdam, e não Amsterdam como está no texto. E o preço do trem pra R’dam, saindo de A’dam, é de 30 euros, ida e volta no mesmo dia (sendo que, por esse preço, a viagem pode demorar de 1h15 se vc pegar o intercity ou sprinter, ou 40 minutos se vc pegar o intercity direct. A passagem da direito a pegar ar trem na estação central de A’dam).
Rotterdam é demais e vale muito o passeio (mais que Kinderdijk, na minha humilde opinião)

Será que a dica vale para a primeira semana de outubro??????? Diz aí André.

    Olá, Alan! Este ano, os passeios de barco vão até o dia 12 de outubro. 😉

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.