Nannai, Porto de Galinhas

Resorts: as 9 reclamações mais comuns (e como dar um jeito)

Pulseirinha de resort

As reclamações dos brasileiros sobre resorts

Se você ler resenhas de resorts feitas por brasileiros, vai encontrar uma quantidade desproporcional de reclamações. É cultural: ainda vemos a internet como um veículo para dar vazão a críticas; raramente nos lembramos de usar esse canal para elogiar.

Muitas críticas a resorts, evidentemente, são procedentes e se referem a falhas evitáveis. Algumas, porém, têm a ver com a natureza desse tipo de hospedagem, e dificilmente são contornáveis. E há também as críticas que refletem uma expectativa errônea do freguês quanto àquilo que comprou.

Vou destrinchar as 10 críticas mais frequentes e propor soluções, paliativos ou banhos de água fria 😀

1. “O check-in é lento e só me deixaram entrar no apartamento hoooras depois de chegar”

Fato. De todos os tipos de acomodação, os resorts são os mais difíceis para liberar quarto antes do horário oficial do início da diária (14h ou 15h). É uma questão estrutural. A maioria dos hóspedes espera até o último minuto para desocupar o quarto, e muitas chegadas acontecem em grupos. Na alta temporada, em dias de má conjunção astral, pode acontecer de você ocupar seu quarto só no fim da tarde. Em compensação, dá para deixar as malas no depósito e usar as áreas de lazer do hotel desde o momento da chegada.

Meu pitaco: vá preparado para não ocupar o quarto imediatamente. Preparado, mesmo: leve na bolsa de mão tudo o que você vai precisar para aproveitar o hotel desde o primeiro instante — roupa de banho, protetor solar, brinquedos. Leve também seu entretenimento pessoal para o caso de mau tempo.

Alguns resorts all-inclusive cobram uma taxa extra para já aproveitar o hotel antes de poder ocupar o quarto. Agora que você já sabe disso, se acontecer, pague: é melhor do que ficar emburrado no saguão com o sol brilhando lá fora.

Cuidado para não se deixar tomar por um mau humor tamanho que ponha você naquele modo em que a gente só sabe achar defeito — isso pode estragar suas férias.

2. “A comida é sem graça”

Outro ponto em que o freguês pode até ter razão, mas que esbarra na questão estrutural. Buffets são feitos para não ofender o paladar de ninguém. Pratos exóticos, pratos difíceis ou pratos originais demais não têm saída. Nenhum gerente de alimentação vai manter no buffet pratos que encalham: é contra a lógica industrial e a segurança alimentar. Buffets de resort não refletem necessariamente a criatividade do chef, mas a experiência com as aversões alimentares dos hóspedes…

Meu pitaco: garanta-se nas saladas e sobremesas, que geralmente são muito boas. E se quiser comida sofisticada no buffet, cacife resorts top de linha como o Nannai e o Tivoli Praia do Forte. Também gostei muito da comida do Transamérica Comandatuba, Arraial d’Ajuda Eco Resort e Portobello.

3. “Os buffets são repetitivos”

Uma parte do buffet sempre será comprometida com os básicos: arroz, feijão, macarrão, batata frita — que são os itens que contentam até os mais chatos para comer. Então é preciso abrir espaço para uma carne, um peixe, um frango. E legumes. E salada. Se o buffet for pequeno — como é o caso dos hotéis da Costa do Sauípe ou o Gran Oca Maragogi — sobra ainda menos espaço para originalidades.

Meu pitaco:se você precisa de muiiiita variedade para escolher, considere resorts com buffets quilométricos, como Iberostar, Grand Palladium, Vila Galé Cumbuco, Costão do Santinho, Beach Park Suites. Evite os resorts mais baratos.

4. “Não tem garçom para servir” [all-inclusive]

Essa já foi uma reclamação mais generalizada com relação aos all-inclusives brasileiros. De uns tempos para cá, porém, a maioria dos resorts de primeira linha (os mais caros) têm garçons que circulam pela área da piscina anotando e levando pedidos.

Ainda assim, a lógica dos all-inclusive é: o hóspede vai atrás da comida e da bebida. (E sempre vai encontrar, mesmo que precise pegar uma filazinha.)

Meu pitaco: se o seu all-inclusive não tiver garçons suficientes, rode toda a propriedade. Você vai descobrir bares, buffets (e horários) com menos fila.

5. “O buffet de aperitivo só tem hamburger e fritura” [all-inclusive]

Os all-inclusive são uma mão na roda para quem não quer pôr a mão no bolso ao sair do hotel — mas não pense que será automaticamente um upgrade ao que você estava acostumado. Pelo contrário: os ingredientes mais nobres aparecerão esporadicamente ou desaparecerão nos mais baratos. O buffet da piscina, especialmente, costuma ter foco nos adolescentes e crianças: vai ser hamburger, batata frita, cachorro quente, minipizzas, iscas de peixe.

Todos os resorts all-inclusive de primeira linha, porém, servem um camarãozinho ao alho e óleo no buffet da piscina. Fique de olho: costuma chegar perto da hora da almoço.

6. “O restaurante à la carte é muito fraco” [all-inclusive]

Outra reclamação procedente. Eu costumo prevenir aos que optam por all-inclusive que os restaurantes à la carte existem para criar uma ilusão de programa diferente; você faz de conta que vai a um restaurante (no exterior exige-se calça comprida dos homens). Mas não há como comparar com restaurantes normais de cidade; normalmente os buffets são melhores.

Meu pitaco: faça reserva para o primeiro horário; se não gostar do jantar, sempre há a segunda chance do buffet. E querendo um restaurante à la carte de resort que poderia se estabelecer no centro da cidade, escolha o Costão do Santinho, onde o menu gastronômico do Nossa Senhora da Vitória é muito bom.

7. “Não há o que fazer num dia nublado”

É um saco ir para um lugar de praia e não fazer sol — mas acho exageradas as reclamações de falta do que fazer. Boa parte da estrutura dos resorts está sempre ociosa por falta de interessados em se afastar da piscina…

Meu pitaco: no primeiro dia, separe um tempinho para explorar todo o resort e descobrir o que oferece. Isso vai ser útil quando não der praia (ou piscina). Querendo garantia de atividade o tempo todo, o Club Med é uma ótima opção, já que sua ênfase é em esportes.

8. “Não há o que fazer à noite”

Realmente, não é o forte dos resorts. Mas a coisa vem melhorando: com a chegada das redes internacionais de all-inclusive e a concorrência dos cruzeiros, mais resorts estão investindo na programação noturna. Não tenha, porém, grandes expectativas quanto às boates: a animação vai depender do número de jovens e avulsos hospedados naquela semana.

Meu pitaco: os shows noturnos dos Club Med, do Iberostar e do Grand Palladium são excelentes. Mas se as noitadas são uma parte indispensável das suas férias, então um cruzeiro será mais indicado do que um resort.

10. “O trânsfer é muito caro”

Concordo — mas mesmo se você negociar fora dos resorts, o preço do traslado do aeroporto ou para visitar praias próximas não refresca muito não.

Meu pitaco: se você quer fazer passeios, vale a pena alugar um carro e sair com ele do aeroporto.

Leia mais:


Nannai, Porto de Galinhas

55 comentários

Minha esposa foi a responsável pela criação e execução dos shows do Grand Palladium e Enotel!!😁😁

4. “Não tem garçom para servir” [all-inclusive]
Tenho uma divergência em relação a esse quesito,
Estive no Ibero Praia do Forte entre os dias 15/12a22/12 de 2019 , fui servida por garçons que simpaticamente passavam para perguntar o gostaria de beber , e eventualmente , eram servidos petiscos e caldinhos também .
Abraços ,
Simone

Ja fui em salinas de maragogi achei impecavel o serviço muito variado a alimentacao todo dia cardapio diferente voltarei denovo

Fomos do dia 20 a 23 de dezembro no hotel Royal Palm Beach em Miami, a única coisa boa foi a localização pois hotel deixa a desejar além do que fui roubada, cheguei em casa e 03 blusas foram tiradas da gaveta e me dei conta aqui! Não indico para ninguém!!!

Estive no Summerville em 2016 e a internet lá não era paga e era um espetáculo. Funcionava maravilhosamente em todo o complexo, super rápida, e no quarto era tão boa que dava pra acessar o netflix no fim de noite.

Primeiro explicar que estamos no Club Med desde do ultimo sábado. Vamos embora amanhã dia 29/07/17.

Outra tema é a minha opinião aqui relatada, que tento ser o mais imparcial possível, e recomendo quem quer outras opiniões, olhe esses links no site do Ricardo Freire que estão muito bacanas.

https://www.viajenaviagem.com/2010/10/club-med-trancoso-um-med-quase-zen
https://www.viajenaviagem.com/2016/01/melhores-resorts-de-praia-brasil
https://www.viajenaviagem.com/2012/10/resorts-10-reclamacoes
https://www.viajenaviagem.com/2012/04/all-inclusive-como-funciona-onde-funciona-pra-quem-funciona

Bom, alem dos links acima tem muita coisa para pesquisar na Internet e não se assustem com reclamações bobas como “acabou a agua de coco durante a tarde em um hotel como esse”….esse tipo de coisa realmente não é importante….Na nossa casa com todo luxo e conforto acaba alguma coisa e depois compramos…ou seja, tudo bem. Na minha opinião leia sim os comentarios dos públicos que possuem similaridade com sua familia e as opiniões “na média”….esse sim é o termometro correto.

Digo isso porque aqui mesmo ouví algumas reclamações e elogíos, então a média é o importante. Se a grande maioria do público que tem necessidades como a sua elogía, pode apostar que é bom para você.

Sobre a época. estamos em Julho, o tempo está ótimo (dias lindos e agradáveis), mas como em qualquer inverno baiano, o tempo muda e tem o vem e vai da chuva. Pelo que me lembro o responsavel pelo tempo não é o hotel, é São Pedro (comento isso porque tem gente que reclama da chuva na avaliação do Hotel).
Nós pegamos um dia de chuva e a estrutura do hotel comportou bem a criançada, e o mais importante, havia um painel com a programação diferenciada para esse dia.

Sobre os quartos: São bons, espaçosos, limpos e sim, tem sempre um pequeno cheirinho de mofo nas almofadas…. Um dia alguem inventa um produto melhor que o sol que resolve isso. A internet gratis do hotel como qualquer resort é ruim, mas se você pagar 100 reais por uma semana (o que considero justo) realmente terá uma internet muito boa.

Estrutura do hotel é excelente e funcional, o tema dos mini clubs é fantastico. Tenho um filho de 10 e outra de quase 2 anos (falta 1 mês), que não foi aceita (corretamente no petit club por temas do seguro e responsabilidade dos GOs sobre as crianças). Aqui você vê que eles foram sérios… Eu contratei uma babá particular (25 reais a hora) e recomendo sempre alguem que o hotel já tenha histórico. A babá Riva nos atendeu durante toda a semana e foi tudo bem. Além dos 25 reais (que se paga direto para a babá em dinheiro ou transferencia bancária o hotel cobra 40 reais por períodos de 6 horas para uma taxa de almoço da babá.
O mini clube é um show….tem criança que não gosta no primeiro dia (muitas vezes timidez) mas se rende com o passar dos dias…ontem teve um show de cinema com as crianças representando cenas curtas de filmes, e foi realmente bem feito. Destaque para o chefe do mini club, Tio Feba, sempre bem humorado e coordenando o time de GOs super bem.

Comida e bebidas: Os links do site do Ricardo Freire são ótimos e explicam sobre expectativas de um all inclusive e de outras coisas. Aqui no club Med Trancoso existe um restaurante extra chamado LUA que comporta 60 pessoas por noite e tem menu a la carte. É necessário marcar sua reserva na recepção (modelo parecido e processo comum em resorts all inclusive fora do Brasil).
No geral a comida regular é muito boa e servida no restaurante principal, onde a equipe se esforça para deixar tudo limpo e organizado apesar da quantidade de pessoas servidas. As comidas são frescas, eu gosto e conheço bem peixes, e sempre vi a comida in-natura (antes de ser preparada) muito bem apresentada e depois de preparada com bom sabor. Também é verdade que itens como macarrão, saladas e hamburgueres não tem nenhum sabor diferente do tradicional, ou as vezes até menos sabor que o tradicional, mas entendo que são exatamente pra gente que não pode comer nada diferente. O chefe Claudio prepara churrascos muito bem feitos 3x por semana direto em uma estrutura muito bacana na própria praia.

Por falar em praia (e vou incluir o tema bebida junto). A praia é linda, tem boa estrutura de banheiros e tem acesso que respeita a natureza e a tipologia do lugar (Falésias). Além de escadas existem um confortavel elevador. Vi comentários absurdos que existiam barrancos em frente a praia….kkkkk É claro que existem, são as falésias….Uma natureza bem preservada aqui do sul da Bahia.
A praia conta com um bar bem estruturado e que possui vinho branco, espumante, vinho tinto, chopp Brahma, refrigentantes, agua e agua de coco. Não espere um super vinho tinto, porque não é (e por ser all inclusive está bem razoável….eu fiquei no espumante 7 dias e tudo bem….sem problema algum).

Animação para os adultos: Aqui é um lugar pra descansar e estamos a 2 horas de Porto Seguro. Sempre tem alguma coisa para fazer, mas se você vem só de casal, eu acho que poderá aproveitar, mas eu pensaria bem e iria ler bem os posts para ver se bate com seu perfil, porque tem muita criança.

Por fim falar do Johnny, o General Manager do Hotel. O cara está em todo lugar, todo dia, de cedo até altas horas da noite olhando se tudo está funcionando. Muito educado, prestativo e atencioso, assim como a equipe do hotel, que em cada atividade se esforça para agradar (minha esposa gostou muito da atenção na Yoga, Academia, etc). Sempre existe alguém mais bem ou mal humorado, mas usando a teoria da média, e baseado na minha experiencia, são todos muito bem treinados.

Eu contratei o pacote direto com o hotel em suas centrais de atendimento e comprei bilhetos aéreos por fora (valeu muito a pena e eu comparei bem os preços) e não deixe de contratar o transfer do hotel (300 por pessoa…preço caro eu sei) para não ter dor de cabeça, porque o aeroporto de Porto Seguro é uma feira livre.

Espero te ajudado e boas férias.

Um resort que não sei se você tem conhecimento, mas não foi citado aí e é tudo incluso, tem Wi fi gratuita, tem camarão a vontade e garçons lhe servindo é o mussulo da Paraíba

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.