20 passeios em St. Maarten e St.-Martin (incluindo escalas de cruzeiros)

Mercado de Marigot

Na minha opinião, não há passeio melhor em St. Maarten e St.-Martin do que ir a uma praia diferente todos os dias. Para isso, basta alugar um carro e seguir o post das praias. Pessoalmente, eu só pegaria passeio de barco se fosse para mergulhar (em corais afastados da orla, ou na îlet Pinel) ou ir a Anguilla. (Se bem que, para quem sonha em velejar, participar de uma simulação de uma regata da America’s Cup deve ser muito bacana.) Os outros passeios eu deixaria na manga para dias nublados (toc toc toc).

ST. MAARTEN (lado holandês)

Passeios para escala de cruzeiros

Se você alugar carro (ponha como ponto de retirada o porto de Philipsburg), o programa mais bacana é dar um pulinho no Sunset Beach Bar até ver um ou dois jatos passarem rente à areia, seguido por uma sessãozinha de praia em Mullet Beach e um almoço num lollo em Grand-Case.

Sem carro alugado, você pode pode comprar um dos passeios vendidos no navio ou um dos tours pensados para passageiros de cruzeiros — como o passeio de meio dia a Orient Bay e a Maho Beach, a volta à ilha por terra, o safári pilotando barco inflável motorizado ou o passeio para fazer snorkel em Sand Dollar.

Sunset Beach Bar

Aterrissando em MahoEste bar funciona como camarote para ver os jatos aterrissarem rente à areia da praia — o cartão-postal máximo da ilha. Uma lousa pintada numa prancha de surf enterrada na areia traz o horário previsto dos próximos pousos, para você não perder nenhuma foto.

Para chegar, dê a volta na rotatória que fica entre o aeroporto e o vilarejo turístico de Maho; você vai pegar uma estradinha que passa entre a cerca do aeroporto e a praia de Maho.

Pode estacionar no Caravanserai Resort, passando o bar. Leia mais aqui.

Passeios de barco, com ou sem mergulho

A maioria dos passeios de barco sai do lado holandês.

Saindo da marina Dock Maarten em Philipsburg você pode fazer snorkel na ilha Tintamarre e na Creole Rock, com almoço em Grand-Case ou então com almoço na ilhota Pinel. Ao entardecer sai de lá um passeio de catamarã ao pôr do sol, com direito a um brinde com champagne.

Das marinas de Simpson Bay, perto do aeroporto e das praias mais calmas do lado francês, saem diversos passeios. Você pode fazer um passeio de barco a Anguilla ou à sua ilhota-satélite Prickly Pear. Se estiver com crianças, pode fazer o passeio a Anguilla incluindo interação com golfinhos na Dolphin Academy de lá. (Mas se você fizer questão de ir a Shoal Bay, a mais bonita das praias da ilha, pegue este passeio.)

Um passeio diferente, que sai de Simpson Bay, é o Rock’n Roll Snorkel Safari, em que em no meio do passeio você pilota um barco inflável motorizado.

Querendo fazer seu batismo de mergulho, há passeios saindo de Little Bay pela manhã e de Simpson Bay à tarde.

St. Maarten 12-metre Challenge (America’s Cup Yacht Racing)

É um dos programas mais interessantes de todo o Caribe: o operador arrematou uma frotilha de cinco veleiros de 12 metros que disputaram a última America’s Cup disputada por barcos deste tamanho. Quatro vezes por dia (a última, às 13h30), realiza uma regata simulada, em que os participantes, depois de passarem por uma pequena aula, ganham funções de tripulação no veleiro. Cada veleiro zarpa com três tripulantes de verdade. As saídas são da Bobby’s Marina (ao lado do porto). Dá para reservar aqui.

História e compras em Philipsburg

Fórum (Courthouse), St. MaartenA beira-mar da capital do lado holandês concentra os predinhos coloniais preservados da ilha. O mais bonito é o Fórum (Courthouse), que fica bem no meio do quarteirão histórico. Por ali (e na rua de trás) também estão instaladas as lojas duty-free do lado holandês.

O forte são jóias (não vá esperando nenhuma vantagem em eletrônicos). O comércio abre em função dos navios de cruzeiro, que normalmente saem no fim do dia. Movimentado de dia, de noite o lugar morre (sobretudo quando não há navios ancorados).

St.-Barth de ferry-boat: Great Bay Express

Para quem não quer encarar o teco-teco, esta é uma maneira rápida de chegar desde o lado holandês: a travessia leva 40 minutos. Só não é totalmente indolor porque o mar costuma ser encrespado no caminho. Você desembarca no porto de Gustavia, a capital, onde pode (1) pegar um carrinho alugado e passar o dia saracoteando pela ilha — recomendável; ou (2) ficar pelo centrinho, pegando praia em Shell Beach (dá pra ir a pé) — não é ruim, mas é pouco. (O melhor mesmo é passar uma ou duas noites.) Sai da Bobby’s Marina em Philipsburg. Horários e reservas aqui.

St.-Barth de teco-teco

Aterrissando em St.-BarthÉ o jeito mais emocionante de ir a St.-Barth. O vôo dura menos de 15 minutos e a aterrissagem é digna de montanha russa — só indo para saber. Chegue já com um carrinho previamente alugado te esperando; você vai precisar dele para zanzar pela ilha.

Cote preços pela Winair (que opera apenas do aeroporto holandês) e pela St.-Barth Commuter (que tem vôos partindo dos aeroportos holandês e francês).

St. Maarten Park

Mistura zôo com jardim botânico. Os ambientes tentam reproduzir os habitats naturais dos bichos. Fica em Madame Estate, no sertão de Philipsburg, atrás do Salt Pond. Abre das 9h às 17h. Ingresso: US$ 10. Leia mais aqui.

ST.-MARTIN (lado francês)

Mercado de Marigot

A beira-mar da capital do lado francês abriga um mercado que funciona todos os dias com stands que vendem artesanato e roupas. Mas o bacana mesmo é ir nas manhãs de quarta-feira e sábado, quando se realiza a feira — e o lugar ganha o colorido das feiras francesas, só que com os aromas das Antilhas.

Forte St.-Louis

Poderia estar muito mais bem conservado, mas ainda assim está em muito melhor estado do que os fortes do lado holandês. Fica no alto de um morro no canto direito de Marigot (atrás do shopping). Abre das 8h às 12h e das 13h às 18h.

Semi-submarino Seaworld Explorer

É um jeito de mergulhar sem se molhar: os passageiros são instalados numa área envidraçada que fica o tempo todo submersa, proporcionando — em dias de mar parado — uma visão bastante próxima dos corais. As saídas são de Grand-Case. Mais informações aqui.

Lollos de Grand-Case

Lollô em Grand-CaseNenhuma experiência oferece tanta cor local quanto uma refeição num lollo (diga: lolô), restaurante que prepara comida caseira. Muitos lollos começaram funcionando em carros. Há vários funcionando por toda a ilha.

Em Grand-Case há uma espécie de praça de alimentação de lollos num deck à beira-mar. Abrem para almoço e jantar.

Îlet Pinel

Ilhotazinha muito próxima da ponta nordeste de St.-Martin, com natureza virgem e uma praia excelente para snorkel. Para chegar lá sem passeio organizado, vá de carro até French-Cul-de-Sac, deixe o carro no estacionamento e pegue o barco, que cobra 5 euros/6 dólares ida e volta. Há dois restaurantes na ilhota. O mais interessante é o Karibuni..

Fazenda de borboletas

No caminho entre Orient Beach e Le Galion, esta fazenda revela o ciclo completo da larva à borboleta, em tours guiados. Os visitantes ganham um ingresso grátis para retorno válido por uma semana. Abre das 9h30 às 15h30. Maiores informações aqui.

St.-Barth de ferry-boat: Voyager

O Voyager opera travessias desde dois pontos. Da capital do lado francês, Marigot, a viagem leva 60 minutos. Do outro lado, de Oyster Pond (próximo a Dawn Beach, na divisa), leva apenas 30 minutos — mas só acontece na alta temporada. Reservas aqui.

83 comentários

Melhor mergulho da ilha, com brasileiros, e fazendo o mergulho mais radical que tem, com tubaroes!

oi ricardo, tenho acompanhado suas sugestoes, gostaria de uma informaçao, dia 18 vou para st maarten,queria saber como faço para ir para st barths? obrigado

    Compre uma passagem no aeroporto (há guichês de várias companhias) ou na marina de Marigot para ir de barco.

    Caro Eliseu, se sua opção for voar, você pode dar uma olhada aqui: http://www.fly-winair.com
    Você pode pesquisar os horários de vôo, fazer reservas, comprar e etc. E a Winair tem um special service que pode ser contratado para facilitar seus procedimentos de imigração e trâmite de bagagens nas conexões entre St. Barths e St. Maarten. Abs

Obrigada, eu já havia lido tudo sobre o destino, porém minha dúvida era muito específica com relação à estrutura de cada hotel, já que a maioria não fala sobre recreação. Já estou pesquisando outros destinos no teu blog, como Barbados. Obrigada, mais uma vez.

    Não espere grande estrutura de recreação em nenhum hotel que não seja um resort à la Iberostar ou Club Med. Se você quer grande estrutura de recreação no hotel, procure pelos lugares onde há essas bandeiras, mais Riu, Gran Bahía Príncipe, Grand Palladium.

Olá Ricardo,
Seguindo teus excelentes comentários, resolvi ir a Punta Cana, pois tenho 2 crianças. Mas as passagens estão esgotadas, então pensei em St Maarten, pois também gostamos de agito e praia. Achas que é recomendável ir com crianças (6 e 10 anos)? Sabes se alguns hotéis possuem estrutura de recreação? obrigada!

mais uma duvida….qual a moeda + usada: dolar ou euro ???
abs

    O dólar é aceito em toda a ilha. Em alguns lugares do lado francês — nos pontos que mais recebem turistas americanos, como Orient Beach e os lollôs de Grand-Case — há uma paridade entre dólar e euro. Usar euro é furada.

    Por favor leia todos os posts e todos os comentários. Você vai aprender tudo sobre a ilha.

    https://www.viajenaviagem.com/category/st-maartenst-martin

Para quando uma guia/livro das 100 dicas para viajar melhor pelo Caribe? Certamente, o livro seria um sucesso.
Boas dicas de St. Martin. Vou levar em comta!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.