Torres del Paine, dia 2: passeio de barco ao Glaciar Serrano

Glaciar Serrano

Texto e fotos | Lu Malheiros, enviada especial

No segundo dia no Tierra Patagonia, acabamos fazendo um passeio que não estava no cardápio de atividades do hotel. Por causa do incêndio no parque nacional de Torres del Paine, naquela semana o passeio ao Glaciar Grey ainda não estava operando (hoje já está). Um grupo de hóspedes resolveu por fazer um passeio terceirizado — e por isso não-incluído — ao Glaciar Serrano, de barco.

A saída de Puerto Natales

Saímos do hotel às 6h, sem café da manhã — o motorista da van nos deu cookies, barra de chocolate e damasco — em direção a Puerto Natales. Paramos numa agência de turismo para comprar os ingressos para o passeio (67.000 pesos chilenos/US$ 134 para adultos; crianças pagam meia). Eles aceitam pesos chilenos, dólares e cartão de crédito ou débito. Havia uma única atendente para as quase 40 pessoas que já estavam no local. Foi um pouco tumultuado, mas nada que tirasse o bom humor.

Zarpamos às 8h. Não há lugar marcado e dá para circular pelo barco sem problema. Só o vento, às vezes, bate forte na proa.

Durante toda a viagem a tripulação serve chá e café de graça umas quatro ou cinco vezes. E vendem batata frita, chocolate, amendoim e outras guloseimas.

Fiorde Última Esperanza

A viagem pelo fiorde Última Esperanza é bonita e o barco pára em diversos pontos do trajeto. O melhor é se guiar por um folheto explicativo (gratuito) indicando as paradas. Elas são anunciadas pelo alto falante, mas o som não é bom e nem sempre se compreende o que está sendo dito.

Cormorões

A colônia de cormorões estava bem animada!

Glaciar Balmaceda

O barco chega bem pertinho do Monte e Glaciar Balmaceda.

O barco no Puerto Toro

Puerto ToroCaminho ao Glaciar Serrano

Depois de 4h de viagem, atracamos em Puerto Toro.  Caminhamos por 1,2 km por uma trilha fácil até avistarmos o glaciar Serrano.

Glaciar Serrano

Fiorde Última EsperanzaGlaciar SerranoGlaciar Serrano

Ele não me pareceu tão imponente quanto havia imaginado, mas gostei da paisagem que ficou ainda mais bonita com a presença de uma nuvem de formato peculiar.

Estância onde acontece o almoço

Sopa de tomateParillada

Na volta – já eram 14h30! – o barco atracou na Estância Perales para almoçarmos. As opções eram parillada (tinha pedaços de peito de frango) com batatas cozidas ou omelete de queijo. O cordeiro e a omelete receberam elogios, mas o peito de frango não agradou. De entrada, sopa de tomate, salada de alface com tomate e, de sobremesa, uma metade de pêssego em calda. O almoço já está incluído no preço do passeio.

Barco na estância

Chegando a Puerto Natales tivemos pouco tempo para ver a cidade, estávamos cansados e ainda teríamos 100 km pela frente até chegar ao hotel. Jantar era melhor que passear!

Na hora de decidir o passio seguinte, o grupo se dividiu: parte optou por fazer a caminhada até a base das Torres del Paine (dia inteiro) e parte faria o passeio da Lagoa Azul pela manhã e cavalgada à tarde.

Após bombardear os guias com perguntas (Tem alguma parte de escalada? Minha bota é adequada? Será que chove amanhã?!), optei por fazer a caminhada até a base das Torres. Gostei da forma como o Felipe, guia do Tierra Patagonia, nos apresentou o passeio e de como ele se comprometeu a nos levar. Eu seria a mais velha do grupo.

[E agora? Como terá sido a caminhada da Lu? Resposta amanhã!]

Viagem a convite do Tierra Patagonia.

Leia mais:

29 comentários

Nooossa Lu, que paisagens lindas !!! Dá vontade de pegar o avião e ir amanhã :mrgreen:
Cada glaciar mais bonito que o outro.
E que fotos, hem 😉

Lindo!!!

Esse serie não vai prestar.. 😀
Eu adoro parques nacionais e Torres del Paine esta digamos no meu Top 10…

Parabéns Lu

Sempre tive vontade de fazer uma mochilada pelas Torres Del Paine.
É muito bom ter esse tipo de informação.
O lugar é muito bonito.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.