De madrugada na Feira do Açaí (e de lá ao Ver-o-Peso)

Ilustração: Daniel Kondo

Ilustração | Daniel Kondo

Belém é a cidade mais incrível que você ainda não pensou em visitar. Eu ia guardar essa frase para o fim, mas quanto mais cedo você ficar sabendo disso, melhor.

Estive agora pela segunda vez. Uma das coisas que eu sabia que precisava fazer era acordar cedinho para pegar a área de peixes do mercado Ver-o-Peso em pleno funcionamento. Mas meu amigo Lafa tinha planos ainda mais madrugadores.

– Passo às cinco no hotel pra pegar vocês.

Feira do Açaí

[Feira do Açaí]

O que eu não sabia era que o primeiro espetáculo do dia acontece uma quadra adiante do Ver-o-Peso. Ali, na Feira do Açaí, a partir do meio da noite barcos vindos das ilhas da Baía do Guajará descarregam um mar de cestos de açaí recém-colhido.

Feira do AçaíFeira do Açaí

[Feira do Açaí]

Feira do AçaíFeira do AçaíFarinha na Feira do Açaí

[Feira do Açaí]

Durante o dia, as sementinhas terão sua finíssima película extraída por máquinas manejadas com precisão de modo a acrescentar a medida exata de água para produzir o açaí “do fino” (para beber), “do médio” (para comer com peixe frito e farinha grossa) ou “do grosso” (para cair da mesa direto na rede).

Feira do AçaíFeira do AçaíFeira do Açaí

[Feira do Açaí]

Estávamos escoltados pelo Belenâmbulo, intrépido blogueiro que ainda faz foto com película. Mas a hora é ingrata para o fotógrafo café-com-leite como eu: assim que a primeira luz aparece, a maior parte do açaí já se foi e os cestos são empilhados de cabeça para baixo.

Região do Ver-o-Peso

Ver-o-Peso

Ver-o-PesoVer-o-Peso

[Ver-o-Peso]

Lá pelas sete é hora de contornar o portinho e entrar no pavilhão de peixes do Ver-o-Peso.

Ver-o-Peso

Ver-o-Peso

Ver-o-Peso

Ver-o-PesoVer-o-PesoVer-o-Peso

[Ver-o-Peso]

Nas bancadas das peixarias, filhotes, cavalas, dourados e toda sorte de criaturas amazônicas, expostas de um jeito tão bonito que você pensa num novo significado para a expressão “peixes ornamentais”.

Ver-o-PesoVer-o-Peso

[Ver-o-Peso]

Ver-o-Peso

Ver-o-Peso

TucupiCastanhaMacaxeira

[Ver-o-Peso]

Ver-o-PesoVer-o-PesoVer-o-Peso

[Ver-o-Peso]

Os outros ingredientes fundamentais da dieta paraense nos esperam cinco minutos mais à frente, cada um no seu setor: as farinhas, o tucupi, o jambu, a castanha – aberta e descascada nas próprias banquinhas.

Dona Lúcia

[Dona Lúcia]

Aberto o apetite, deve-se procurar a banca de dona Lúcia, para provar a tapioca à moda paraense: enroladinha, fofa e ligeiramente besuntada de manteiga de garrafa. Onde eu estava com a cabeça que comi só quatro?

Tapioca

[Tapioca paraense]

Pronto. Agora você pode ir até a área dos perfuminhos, ervas e garrafadas. Pode turistar.

Ver-o-Peso

Ver-o-PesoVer-o-PesoVer-o-Peso

[Ver-o-Peso]

Belém é a cidade mais incrível que você ainda não pensou em visitar. Já disse isso? Não vou cansar de repetir.

Leia também:

Belém: o Círio de um não-devoto

Um dia no Marajó

Alter que enfim!

De Santarém a Manaus de barco

72 comentários

Vou para Belém em janeiro de 2019 e queria duas dicas: qual o melhor bairro para se hospedar em AirBnB? E se vale a pena alugar carro, considerando que estaremos em cinco pessoas e provavelmente teremos que usar sempre dois táxis para nos locomover. Obrigado!

Acabei de voltar de Belém e gostaria de agradecer as dicas preciosas do blog.
Gostaria de dar minha contribuição.
Confesso que, depois de ler o relato de uma leitora, fiquei muito receisa em conhecer a feira do açaí, mas a vontade de vê-la como foi muito bem descrito pelo Ricardo Freire bateu mais forte.
Chamamos um Uber a 5h da manhã – destino digitado no aplicativo “Feira do Açaí” – ao chegar ao local o motorista, um pouco sem jeito, foi bastante insistente em perguntar se era realmente ali que queriamos ficar, pois o local era “sinistro” e seriamos assaltadas, com certeza.
Acabamos achando melhor não descer e pedimos para que nos levasse ao mercado de peixe – aquele ao lado do ver-o-peso? Sim, não é aqui?
Aí entendemos o equivoco, ao escolher o destino, selecionei a Feira do Açaí do Juruna, que fica proxima ao Portal da Amazonia. Realmente Sinistra.
Talvez tenha sido a mesma situação da outra leitora, mas tivemos msis sorte.
Tudo esclarecido, fomos à feira fo açaí ao lado do mercado. A experiencia foi fantástica, rendendo fotos magnificas e permitindo contato com os locais, muito empenhados em nos mostrar os diferentes tipos de açaí (normal, especial, branco) e explicar as diferenças com o bacoba (agora está fira de época). E seguindo as recomendações deste artigo, seguimos pelo mercado de peixe e encerrando com um café tradicional local no mercado ver-o-peso. Nessa região, tomando as devidas precauções, não sentimos insegurança em momento algum.

Muito lindo ,surpreendente a Cultura,acabamos de chegar.Adorei!

Ricardo, sempre seguimos suas dicas e sempre são excelentes. Somos viajantes muito antes da internet ou seja temos experiência e estamos sentindo a obrigação de relatar a horrivel experiência que tivemos em Belém, para alertar outros viajantes.
Hoje ao tentarmos fazer o passeio do açai/ver o peso logo de madrugada, fomos assaltados de forma violenta .
No momento nem mesmo os feirantes puderam nos ajudar para evitar danos maiores.
Quando os marginais sairam eles vieram nos ajudar e disseram que não existe segurança no local nem para eles e que não deve ser sugerido passear por lá que a situação melhore.
Representantes deles vieram conversar conosco e disseram que a realidade é esta, não existe segurança e que não existe boa vontade publica para mudar o cenário, nem eles estão seguros.
Após passado todo o nervoso, já no final da manhã, fomos procurar a policia de turista para saber se poderíamos voltar com mais segurança por ser durante o dia, e a própria polícia nos mostrou que infelizmente não existe horário melhor. A situação está insuportável e perigosa. Assim sendo, e como gostamos muito de suas dicas, sentimos necesdidade de reportar aqui este fato para que outros não sejam vitimas como nós.
Um feliz Natal para todos!

Não vejo a hora de chegar a minha vez de conhecer essa cidade e todas as outras que vou agora em julho, viagem super inspirada nos posts mais do que inspirados do Mestre Ricardo Freire. Vou primeiro para Manaus e Iberostar Grand Amazon, depois Alter, Marajó, Belém, São Luiz e Lençois, com bases em Santo Amaro, Barreirinhas e Atins, tudo do jeitinho que ele recomendou! Obrigada por compartilhar essas experiências maravilhosas em textos deliciosos de ler!

Quero muito ir visitar , mercado ver o peso, mas gostaria muito de saber o horário de funcionamento do mercado ? alguém pode me dizer ?

    Olá, Carla! Funciona desde o início da madrugada. Nâo vá sozinha, leve algum amigo local.

Sigam meu canal no YouTube Que viagem e meu insta que_viagem que tenho lindas fotos de muitos lugares belos em Belém pra se conhecer. Vcs vão se surpreender com a cidade morena.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.