10 razões para viajar slow

Passei as últimas semanas revisando o 100 dicas para viajar melhor, que vai ganhar uma edição atualizada ainda neste semestre. A editora me pediu 10 dicas extras para esta edição. Peguei o mote e resolvi fazer 10 listas de 10 diquinhas; são como se fossem 100 dicas a mais :mrgreen:   Nessas 10 listas, misturo algumas dicas objetivas com pensatas. Esta listinha foi uma das que eu mais gostei.

slow

10 razões para viajar slow

1 É mais barato. O deslocamento é um dos fatores que mais encarecem uma viagem. Quando você vai devagar, o seu escasso tempo e o seu precioso dinheiro são melhor aproveitados.

2  Você não precisa voltar. Uma coisa é voltar a um lugar porque adorou. Outra, bastante diferente, é voltar porque não deu tempo para ver o que precisava.

3 É mais gostoso. Acordar num horário civilizado, não ter hora para dormir, poder esperar o tempo abrir para fazer esse ou aquele passeio – tudo isso é privilégio de quem viaja sem pressa.

4 Você deixa espaço para a surpresa. Todo lugar é muito mais do que os cartões postais. Mas se você vai com horário cronometrado, só tem tempo para o city-tour.

5 Você faz suas próprias descobertas. As melhores lembranças de viagem são  de coisas que você descobre sozinho, depois de algum tempo no lugar. (E quanto mais informado você viaja, melhores são essas descobertas.)

6 Você vira um expert. A principal diferença entre um turista comum e um autor de guias é que o autor de guias fica mais tempo nos lugares do que o turista comum.

7 Você aproveita a estrada. Não dá para aproveitar a paisagem a 130 ou 200 por hora – até porque as auto-estradas e trilhos rápidos não costumam ser panorâmicos. Sempre que possível, pegue a rota mais lenta – e pare ao menor indício de que vai valer a pena.

8 Você tem insights. Se você parar para pensar, vai ver que durante uma viagem é sempre gostoso parar para pensar.

9 Serendipity. Sem equivalente em português, esta expressão designa o acaso sereno que nos abre os caminhos mais interessantes. Só quem tem tempo está sujeito a seus (bem-vindos) caprichos.

10 O tempo é o maior dos luxos. Você nunca teve inveja dos vagabundos, que não têm hora para voltar? Pelo menos nas suas férias, seja senhor do seu tempo, e você vai se sentir rico.

57 comentários

Ricardo, vou tentar resumir.
O Livrinho já virou presente para muitos amigos (todos, sem exceção, fizeram suas malas e usam os termos como bate-e volta, etc. nas conversas). Ano passado você me respondeu dando dicas de uma viagem à Europa. Pois bem. Juntei o Livrinho, Dicas do blog, da Silvia, Zé… Rodei França, Suíça e Itália com o meu maridinho em maio (que mês bom pra viajar)… TODAS as dicas foram importantes e não entramos em furadas.
Então, gostaria de agradecer mais uma vez, reafirmar que sou sua fâ de carteirinha e pedir mais uma dica: a viagem foi tão boa que encomendamos um bebê no caminho!!! Agora gostaria de saber de lugares legais para sair por aí de barrigão!
Obrigada mais uma vez e muito sucesso!
Marcela

    Hahahaha! De barrigão, nesse momento, só lugares quentinhos, longe de gente que espirre :mrgreen:

De tudo que eu li aqui, concordo que acordar cedo é slow, que nem sempre dá pra ser slow o tempo todo por conta de grana e dias de férias no trabalho, mas nas minhas correrias, me permito uns dias de slow…e nos meus findis na serra carioca, é sempre slow…esse post me deu uma paz… coincidentemente decidi hoje que não vou reservar os 2 últimos dias da minha viagem em Portugal rsrs

Riq, já fiz os dois opostos “speedy” e “slow”.
É claro que é muuito mais gostoso “slow”. Vc curti muito mais o lugar e as descobertas sempre acontecem!
Já estou doida pra conferir o novo “100 dicas para viajar melhor”! :mrgreen:

Eu tenho um tipo de viagem particular que eu gosto muito de fazer aqui na Europa, e é (relativamente) slow. Consiste em alugar um carro, montar uma base e ir explorando lugares pequenos e médios, estradas que passam por canyons e montanhas, cidadezinhas perdidas no mapa e lugares isolados. No final das contas, a quilometragem costuma sair bastante elevada, pois acabo, sempre, dirigindo mais que o previsto. Mas não troco essas viagens exploratórias que tanto fiz na Itália e, em menor escala, na França por nenhuma sequência urbana do tipo Londres-Paris-Madri em 1 semana. Mas não, mesmo.

Riq,

Como sempre expessando em palavras os pensamentos de seus tripulantes… viajar slow, slow food, sempre sloow quando se trata de lazer é bom… o mlehor do viajar slow sao as paradinhas nao planejadas.. sao nestes momentos que paramos para dar mais valor a todo cenário e contexto…
Demais, Riq!
Bjs

Ana

Bruno Costa … já q vc contou boa parte de sua viagem … qual hotel vc ficou em Paris ? Um abraço

    Oi Thereza! Em Paris não fiquei em hotel não. Pois tenho um tio que mora lá 🙂

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.