Serra do Rio do Rastro: a nuvem e o passageiro

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

mirante-serra-rio-do-rastro

Esperei a névoa se dissipar em São Joaquim para pegar a estrada.

À medida que eu avançava pelo caminho (são 53 km da cidade até o início da descida da serra), o tempo só fazia melhorar.

Até que... faltando pouquíssimo para chegar, percebo o paredão de neblina lá adiante.

Tinha uma nuvem estacionada bem na beira do mirante.

Fui visitar o Eco Resort, que fica na outra margem da estrada (e estava todo visível), na esperança de que aqueles 45 minutos fariam a névoa se dissipar.

Que nada...

serra-rio-do-rastro-1

Este quati, por exemplo, não está na frente de um parede branca. Ele está na mureta do mirante. A parede atrás dele é a neblinona, mesmo.

Bastava descer um pouquinho, porém, para ficar embaixo da nuvem.

Os mirantes já não ofereciam a clássica vista "aérea" da estrada, mas ainda assim o caminho era impressionante. 

O vale é bem estreito e a gente desce por bastante tempo rente a um poderoso paredão verde.

serra-rio-do-rastro-2

Esta é a visão do último mirante, já no final da descida:

serra-rio-do-rastro-4

Depois de descer a serra, porém, é difícil achar bonita a continuação da estrada até a BR 101 (à altura de Tubarão, bem no sul do litoral catarinense).

Se você não vai combinar esta serra catarinense com uma visita a Laguna ou uma estada na Praia do Rosa, é mais bonito dar meia volta e regressar a Floripa por Urubici e pela BR 282, que é belíssima.

36 comentários

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

LIIIIIIIIIIIIIIIIIINDO !!!

Arnaldo - Fatos e Fotos de Viagens

Sem querer parecer pretensioso, me lembrei de quando NÃO vi o Monte Fuji. Que decepção....

Marcela
MarcelaPermalinkResponder

Ufa!
Imagina o meu susto ao entrar no site do viajeaqui e não achar o blog!! Não sou de escrever, mas sou leitora, fã e falo pra todo mundo do Ricardo Freire, pra comprar o livro (os), para ler o blog.... estou escrevendo só para parabeniza-lo pela nova etapa e, depois de muitas pesquisas com TODAS as dicas do "Riq" e cia, vou para Europa mês que vem e espero ajudar com boas dias na volta. Boa sorte e sucesso!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Mas ainda bem que ao longo do caminho o bom tempo deve ter ajudado uma ou outra foto... wink Também me lembrei de um fato que aconteceu comigo: fiquei 3 dias hospedada de frente pro Lago Llanquihue, em Puerto Varas, na cara do vulcão Osorno - mas a neblina era tanta que eu só sabia que o vulcão estava ali por causa dos cartões postais... razz

Jurema
JuremaPermalinkResponder

A cidade de S. Joaquim e seu povo moram no meu coração desde sempre... Mais precisamente, desde a minha pré-história. Meus pais, quando eram jovens e aventureiros, sem lenço nem documento nem filhos, estavam viajando pelo sul do país, indo a Caldas da Imperatriz, quando se depararam com uma plca indicando o caminho de São Joaquim. "Ei, não é lá que é frio? Nós estamos no inverno... Que tal mudar de planos?" E lá foram eles encarar subir a serra e acampar de barraca no CCB de S. Joaquim, em pleno inverno. E nevou, e minha mãe apareceu embrulhada em cobertor no Jornal Nacional, e eles acabaram dormindo as noites gelada na cantina do camping, com lareira e a companhia da família do guarda-camping (será qeu ainda tem hífen?). Não sei se foi coincidência, mas eu nasci nove meses depois wink Surgiu uma grande amizade entre meus pais e essa família, e passei muitos invernos (alguns com neve) na casa deles, depois que eles saíram do camping. Festa da Maçã, bailes com roupa de prenda, CTG, muito churrasco, carreteiro, matambre, biscoitos... Ainda vamos para lá, de vez em quando. É uma linda região, um povo muito acolhedor, e uma das estradas mais incríveis do mundo!

Renata Marques

Decepção e tanto. Me lembrou eu acordar na manhã que ia conhecer o Beto Carrero com um quase dilúvio.
Mas tenho certeza que pelo menos o caminho rendeu boas fotos.
Estamos no aguardo!

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Riq e tripulação, sei que o assunto é batido mas será minha primeira vez em BsAs. Irei dia 30 de maio com meu marido e filhos de 17 e 12 anos, e ficaremos 4 dias. Estou em dúvida entre o Hotel Madero em Puerto Madero e o CasaSur na Recoleta. Pensei tbém no Art Hotel, mas o site não mostra muita coisa. Alguém conhece ou já se hospedou num destes?

Ricardo Freire

Ana, o Hotel Madero é muito bacana, mas a localização é ruim (só dá pra sair de táxi).

Recoleta nunca tem erro. E esse Casa Sur, que eu não conhecia, parece sensacional, mesmo http://www.casasurhotel.com/Hotel-Buenos-Aires-Argentina/Home.

O Art Hotel é um hotel beeeeeem mais simples do que esses. Do povo aqui da comunidade, o Beto gostou muito (porque ganhou um upgrade para os quartos maiores) e a Rosa não gostou nada (achou os quartos standard pequenos demais).

Na mesma categoria do Casa Sur, mas talvez um pouco mais em conta, considere este também: http://www.urbanrecoleta.com/home-p.htm.

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Riq, passei algumas vezes pela porta do Casa Sur agora em fevereiro.
É chique, cheio de seguranças na porta e só a recepção já dá a entender o que se espera.
Muito bonito mesmo!

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Riq, quase que eu escolho o Madero!!! Obrigada pela dica, achei que desse para sair a pé a partir dele. Depois que a gente vê o site do CasaSur fica tão difícil gostar de outro...Mesmo o quarto king do Art Hotel é beeeemmmm mais em conta que o executivo do Casa Sur. Vou contar as bala$$ da carteira,hehehe.
Mais uma vez obrigada, viu?

Ricardo Freire

O Madero é bem pertinho do Faena, Ana.

Eles ficam num canto mais afastado do Puerto Madero propriamente dito. É um lugar que se pretende badalado (o Faena é, pelo menos com gringos), mas ficando por lá a gente perde a experiência mais bacana da cidade, que é curtir a pé, como a Zona Sul do Rio.

(Nada, claro, que um taxizinho de 8 reais e menos de 10 minutos não resolva. Mas esse Casa Sur parece ser mesmo o máximo.)

Hugo
HugoPermalinkResponder

Ana, uns tempos atrás estava olhando uma viagem para BAs e cheguei a ver o Casa Sur. Ele parece bem interessante, mas o preço é alto. A localização é ótima e entre ele e o outro em Porto Madero, eu sugiro o Casa Sur.

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Gente, só uma passadinha para desejar uma boa Páscoa smile

Leonardo Luz
Leonardo LuzPermalinkResponder

Isso me faz lembra época da faculdade em 2005...Serra da Graciosa com a galera do 4o ano do Turismo. Foi com tanta neblina que ficou na lembrança por esse motivo. Bom demais.

Leonardo Luz
Leonardo LuzPermalinkResponder

Riq...vamos nos falar muito. Retomando meu blog ainda esse mês. Uma fase maravilhosa de experiências está chegando. Mara! Os amantes da boa hospedagem e hospitalidade vão curtir...eu mais ainda. Ueba! Abs.

Gi
GiPermalinkResponder

Amo Santa, minha familia esta em Chapeco.... O Sul é otimo, infelizmente aqui na Italia poucos conhecem..... tenho que ficar fazendo propaganda desta regiao...rssss

Tanti saluti...
Gi, Roma
(Dia de luto pela tragedia de Abruzzo)

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Riq, se não me engano, são 11km a estrada para a descida de cerca de 1000 metros (no mirante são 1600 e pouco e no fim da estradinha 600).
Concordo com vc que não vale a pena descer a SRR. A volta por Urubici é linda mesmo! Apenas sempre digo aos meus amigos que vão para lá para segurarem no acelerador, pois ela engana um pouco.
Me deu saudade de lá, eu passava a cada 3 meses, indo de Floripa para Passo Fundo.

Ricardo Freire

Eu gostei de ter descido, Mô; mas se tivesse tempo/paciência subiria de novo e voltaria por Ubirici/Bom Retiro.

Se bem que o mais esperto mesmo é ficar uns três dias ali no hotel, descer e subir num dia bonito, fazer todos os passeios e voltar de lá de cima mesmo...

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

É um bom teste para os freios! grin
Ah, dei sorte uma vez, pois cheguei em Laguna com o por-do-sol. Lindo, lindo!
Mas não faria de novo não...

Ernesto o pato.

Se voce der sorte, no fim de semana tem trem a vapor em Tubarão.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Eu penso que a bruma é bem bonita e misteriosa. Gosto de fazer excursãos as montanhas e que despois de uma névoa espessa surja o sol. A natureza aparece com numerosos tons verdes graças a umidade do ar.

Despois de ver essas fotos, penso que a Serra do Rio Rastro é uma beleza! Gostaria conhecer. Seguro que tem milhares de cores diferentes.
Um saludo

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Ai meu Deus, sou doida para conhecer esses lados do país!

Simone Lobo
Simone LoboPermalinkResponder

Olá Ricardo e trips, sou visitante assídua, comentarista nem tánto e agora preciso de uma ajuda.
Estou pensando em passar 1 semana no Sul com a família (marido, filha de 16 e bebê de 1 ano), de Floripa a Porto Alegre, e gostaria de saber se alguém já fez o mesmo (se não me engano vi um relato da Praia do Rosa à Serra do Rio do Rastro, voltando depois para Ponta dos Ganchos, mas não encontrei o link).
O roteiro é: 2 dias em Floripa, seguindo para Urubici por mais 2 dias, passando por São Joaquim e indo no mesmo dia para Itaimbezinho. Neste último, 1 noite e depois mais 2 dias em Gramado. Voltamos à SP de Porto Alegre.
Será que é muito corrido? Férias do tipo que o Riq não recomenda, tentando ver de tudo? Estou indecisa, help!!!!
Dicas são muito bem-vindas! Abraços.

Ricardo Freire

O desvio a São Joaquim é para visitar a Villa Francioni? Porque é a única coisa que vale passar por lá; senão continue no outro sentido pela serra do Rio do Rastro.

Digamos que é um roteiro intenso, que seria melhor aproveitado inteiro em Santa Catarina ou na Serra Gaúcha. Mas dá pra fazer.

Simone Lobo
Simone LoboPermalinkResponder

Não Riq, seria por curiosidade em conhecer a cidade mais fria do Brasil. Vou continuar pela serra do Rio do Rastro sim, vi fotos lindíssimas!
Obrigada pelo retorno e pelo link!
Abraços

Ricardo Freire

São Joaquim não tem a mínima graça. A Villa Francioni é sensacional. A Serra do Rio do Rastro é linda.

Carol/SC
Carol/SCPermalinkResponder

Oi gente!

Passamos, eu e o maridão, um fim de semana prolongado na serra do Rio do Rastro e foi um passeio muito gostoso. Para quem está indo, ou pensando em ir até lá, algumas impressões:

Rio do Rastro Eco Resort: o hotel fica bem em frente ao principal mirante da Serra do Rio do Rastro. Ficamos no Chalé do Lago, com pensão completa. O Chalé da Mata oferece ainda Jacuzzi e lareira (para quem quiser cacifar, pois tem uma boa diferença de preço). Não espere refeições fartas, com grande quantidade de opções, como nos tradicionais hotéis fazenda. Pelo que eu vi, não é essa a proposta. Mas a comida, em geral, era muito boa (farofa de pinhão...hmmm!). O quarto era bem gostoso, banheiro com toalheiro aquecido. O visual do hotel é bem bonito, muito verde, e o interior do restaurante e do casarão principal são bem charmosos. Praticamente todas as atividades são pagas, como a pescaria (R$10,00), a cavalgada (se eu não me engano, R$30,00), trilhas longas e visitas aos cânions (não lembro quanto). À exceção de nós e de mais um casal, todos os outros hóspedes do hotel vieram com crianças.

Vinícola Villa Francioni: o hotel oferece o passeio até lá a R$125,00 por pessoa. Preferimos ir por conta própria. Liguei no sábado de manhã e agendei a visita para a tarde (15:30). Levamos uma hora do hotel até a vinícola. Lindíssima! Toda planejada e decorada, um charme. A palestra tem uma duração ótima, nem longa nem curta, assim como a degustação. Cada um paga R$30,00 para a visita, e pode utilizar esse valor para desconto na compra de vinhos. Leve a câmera fotográfica. Pessoalmente, achei a vinícola muito muito muito mais bonita que a Concha Y Toro, no Chile. Vale a pena. (Obs: para quem for à visita neste horário e tiver que voltar para a Serra do Rio do Rastro, volte assim que acabar a palestra: demoramos um pouco e pegamos muuuuita neblina no caminho tortuoso até o hotel).

Beijos!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada pelo relato, Carol!

Nora Stein
Nora SteinPermalinkResponder

Olá Ric. Lendo estes comentários acima, resolvi colocar o meu, fresquinho, de uma passagem por estas bandas neste mês de junho. Resolvemos este ano fazer nossa viagem ao sul de carro(sempre vamos pois meu sogro mora em Porto Alegre). Ficamos de domingo a quarta-feira, de 3 a 6 de junho, num Hotel muito simpático e aconchegante em Bom Jardim da Serra, chamado Hotel Rota dos Cânions. Eu e meu marido adoramos! O hotel, o frio, a lareira, o café da tarde servido no hotel, que no frio é sempre bem vindo, e a paisagem que nos deparávamos ao acordar, tudo branquinho da geada. Com a gente aconteceu o mesmo que com vc. O paredão de neblina nos impediu tbm de ver a beleza do mirante, mas voltamos e fomos conhecer Urubici. Optamos por não visitar a Vila Francioni, pois ano passado estivemos em Mendoza e visitamos algumas vinículas, e além disso, seguimos viagem de lá, da Serra Catarinense, para Bento Gonçalves, onde passamos o feriado de Corpus Christi na Pousada da Vila Valduga(excelente!) Concorco com vc de que São Joaquim não tem mesmo muito pra se ver, mas achei ótima a nossa passagem pela serra Catarinense, até porque pra quem gosta de frio, lá é tudo de bom e o Hotel colaborou pra que gostássemos do lugar. Agora estamos em Montevidéu (viemos de avião saindo de PoA) e apesar da chuva, passear é sempre bom. Estivemos aqui no ano passado e resolvemos voltar. Depois colocarei as minhas impressões no post de Montevidéu. Sempre me valho das suas dicas e até agora, sempre me dei bem.

aracy
aracyPermalinkResponder

parece ser maravilhosa ,qtos. km. tem p/ descer e é pista dupla???
existe algum socorro se a pessoa precisar??
transita ônibus, caminhões??
fiquei curiosa em desfrutar essa aventura, .
qto. tempo a pessoa demora p/ descer??

terminando a serra , vai dar ligação em q. cidade catarinense??

no aguardo.,
grata, acoty

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aracy! A estrada tem duas mãos, uma para ir, outra para voltar. O trecho panorâmico tem 20 km até Lauro Müller. Continuando chega-se a Tubarão, na BR 101, 60 km adiante de Lauro Müller.

aracy
aracyPermalinkResponder

gostaria de esclarecimentos acima.
são paulo - brasil
grata,acoty

JOEL RIBEIRO DA LUZ

já conheço a serra do rio do rastro mas jamais deixei de apreciala pela internet. É linda charmosa e encantadora nos mostra a paz que queremos alcançar com sua beleza.

Bárbara  Schiemann

Oi, gente. Gosto muito da serra catarinense, e como moro próximo, vou com frequência. Esse episódio da neblina é frequente, nunca peguei uma tão densa quanto da viagem do Riq , mas uma bem dinamica que se vê subindo pela encosta e aflorando na beira do canion . Foi lindo! Uma dica útil é que ela ocorre quando a diferença de temperatura entre o vale e o topo é grande. Então para ter visibilidade vá nos meses frios . Aconselho sempre a ir ao mirante da serra do Rio do Rio Rastro por volta das 10h30. Chegando nesse horário você vê a serra com a melhor luz. Mais cedo e você ficará ofuscado pelo sol ou atrapalhado pela neblina. Lá pelas 11h da para ver a neblina se dissipar e ter a vista panorâmica. Em seguida vá ao Canion da Ronda, ao lado do mirante e antes de começar a descida da serra. Fica na área dos geradores eolico, paga-se R$ 10,00 por carro. Uma subida de 300 m leva a beira do canion, onde pouca gente vai , e é mais calmo e mais propício. contemplar o relevo e a vegetação. Daí, inicie a descida da serra. Se gosta de museu ao ar livre há um bem interessante em Orleans. Com esse timing dá para almoçar em Lauro Müller, no final da descida

Bárbara Schiemann

Vídeo da descida, gravado em junho de 2013. Feito com câmera amadora posicionada sobre o teto do carro, às cegas. Ficou bacana.

https://www.youtube.com/watch?v=4tP1r3uOne0&feature=youtu.be

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar