Europa no inverno: impressões (e dicas) de um recém-chegado

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Praga

Fazia tempo que eu não passava a virada do ano no frio. Depois de dois anos seguidos com viagens ao hemisfério norte no inverno (2000/2001 Réveillon em Paris, 2001 carnaval entre Londres e Nova York, 2001/2002 Natal e Réveillon entre Andaluzia e Portugal), nunca mais tínhamos nos aventurado voluntariamente por temperaturas abaixo dos 10ºC. Você conhece o meu lema: nem sempre que eu tô feliz eu tô de Havaianas, mas sempre que eu tô de Havaianas eu tô feliz.

Em 2007, quando subi um post-enquete sobre Europa no inverno, tive que puxar pela memória para fazer minhas recomendações (que mais eram desrecomendações: "não vale a pena torrar uma grana que nos faz falta para brigar com as condições atmosféricas"). E, claro, pedi a opinião dos trips. Muitos contra-argumentaram dizendo que amam viajar no frio. Outros ainda vieram dizer que não têm outra alternativa; só podem tirar férias grandes em janeiro.

Pois bem. Acabo de chegar de 11 dias de inverno europeu (10 deles debaixo de neve). De maneira geral, mantenho a minha opinião de dez anos atrás. Adorei ter tido a sorte de viver um Natal Branco -- e desejo isso a todo mundo; foi mágico. Mas não gostaria de repetir isso todos os anos, não.

Se mantive minha opinião, por outro lado trouxe mais insights e dicas testadas para que você que não pode viajar em outra época (e mesmo você que adora frio) possa aproveitar ainda mais esta época no Hemisfério Norte.

Praga

As vantagens

Sim, até eu que não curto viajar no frio consigo enumerar algumas vantagens (até porque são evidentes).

- Menos turistas disputando espaço com você. O frio espanta as massas (e, no caso da Ponte Carlos em Praga, até mesmo os vendedores de bugigangas!). Isso é menos válido na semana entre Natal e Réveillon, que é semana de férias em todo lugar. Mas em dezembro antes disso, e depois em janeiro e fevereiro... pista livre.

- Hotéis menos caros. Com exceção da virada do ano, as diárias de hotel costumam ser sensivelmente mais baratas no inverno (a não ser, claro, em estações de esqui).

- Comer e beber com gosto e sem culpa. O inverno vem sempre forrado de coisas gostosas -- e sazonais -- para comer e beber. Mais do que em qualquer época do ano, comer é programa.

As desvantagens

- Aquelas que você já está desprovido de cabelos de saber. Dias curtíssimos (dezembro é pior, março menos). Os dias nublados parecem ainda mais cinzas e tristonhos do que no resto do ano. A Europa das mesas na calçada desaparece da vista. Longas caminhadas deixam de ser um prazer para virar um suplício. Nevascas podem trazer o caos aéreo (e às vezes até ferroviário) sem aviso prévio. Dirigir exige mais paciência e destreza (e, em algumas regiões, correias).

O que fazer

- Mantenha os pés secos e as extremidades aquecidas. Calçados impermeáveis são o item mais importante do seu vestuário. Meninas, arrumem um jeito de se sentir elegantes vestindo botas de trekking -- pés molhados e gelados são uma tortura (e uma porta aberta para a gripe). Luvas e gorro também são essenciais. E seu casaco precisa ser impermeável. Não exagere na estratégia cebola, ou você vai ter que se livrar de várias camadas sempre que entrar nos ambientes fechados, que são aquecidos. (Roupa de baixo colada no corpo, suéter de lã e um bom casaco devem ser suficientes, desde que você use luvas e gorro.)

- Privilegie cidades grandes. Pense que a sua viagem vai ficar mais confortável quanto maior for o número de atividades em ambiente fechado que você possa fazer. Lembre-se que, com exceção das estâncias de esqui (e de cidadezinhas com feiras natalinas), as cidades pequenas estarão hibernando (sobretudo à noite).

- Vai viajar em dezembro? Inclua lugares em que o Natal seja especial. A Europa Central comemora o Natal com mercados natalinos gostosíssimos. É o tipo de experiência sazonal que redime todas as dificuldades de viajar nesta época.

- Considere cidades que ficam abarrotadas no verão. No inverno elas oferecerão uma densidade demográfica bem mais palatável. Os melhores exemplos: Veneza e Praga. (De novo: na semana entre Natal e Réveillon a diferença será menos gritante.)

- Invista um pouco mais em hospedagem. Você vai ficar mais no quarto. Ou pelo menos vai querer um pouco mais de aconchego sempre que voltar. Para estadas a partir de cinco dias, alugar apartamento é ideal.

- Saia do hotel sabendo onde vai comer. O inverno rigoroso não é uma época apropriada para escolher restaurante ao acaso, na base da intuição. Faça o seu dever de casa e estude onde vai fazer as refeições e como se chega: ninguém merece rodar ao léu no frio e com fome.

- Vá devagar. O inverno deixa você naturalmente mais lento. Vá com tempo sobrando e usufrua da preguiça que o frio traz. Sua viagem fica muito mais gostosa quando você não abusa do organismo e segue o ritmo da estação.

Praga

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

626 comentários

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Hehe Riq, adorei o lema Havaianas!!!
Concordo plenamente.

Claudia Beatriz - Aprendiz de Viajante

Eu me prometi não viajar pra lugar com mesmo ou mais frio do que em DC. Pra congelar, eu fico aqui mesmo e no quentinho de casa.. smile Queria mesmo era hibernar no inverno e só sair de casa na primavera e eu quero fugir de Havaianas! Vou lá olhar os posts de Resorts e praia pra me inspirar! E ah.. essas esculturas de bundinha de fora são a pura distração. De onde são?

Ignacio Barreto

As esculturas estão em Praga. O artista chama-se David Cerny.

Oscar
OscarPermalinkResponder

Muito bem colocado Riq. White Christmas é lindo mágico e tudo mais.. Mas não algo que funciona para todo o ano não... No revellion o negócio fica ainda mais complicado..
Aproveito para desejar muita saúde, paz, felicidades e obviamente muitas viagens gostosas em 2011.

Grande Abraço e até a VnV NY2011 grin

Fabíola
FabíolaPermalinkResponder

Riq,
Perfeito, como sempre! =) Natal com neve é mesmo mágico e ver as celebrações em alguns países da Europa, como a Alemanha ou a Áustria, é uma experiência que vale a pena. Eu só acrescentaria uma observação: a tolerância ao frio costuma ter "prazo de validade". E não estou falando apenas ao longo do dia, mas também ao longo do período. Explicando: eu evitaria ficar um mês em regiões de inverno rigoroso e optaria por períodos mais curtos (no máximo 2 semanas). Ter de se encasacar toda para sair (todos os dias!) é algo que perde toda a graça, depois de um tempo... Além disso, evitaria visitar muitas cidades. O ritual de trocar de hotel e pegar aviões e trens é consideravelmente mais penoso abaixo de zero. O ideal é centralizar em "poucas e boas", com muitos museus e atividades em ambientes fechado. E, claro, a dica da comida é preciosa: as tortas austríacas têm muito mais apelo, quando você está com os pés enfiados na neve. A parada para um café é quase irresistível! wink
Feliz Ano Novo a todos!
Beijos

Marcia Kawabe
Marcia KawabePermalinkResponder

Uma vez eu li que o Canadá é o país que tem os dias mais ensolarados durante o inverno e quando estive lá por duas vezes nessa época, não me decepcionei. E amo dias frios, mas ensolarados smile

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Concordo com você, Ricardo. É cansativo viver os dias do inverno europeo. Produze melancolia. Olhar neve está bem, mas sofrer o frio é terrível (e mais para mim que gosto do sol e do mar azul bebê)

Feliz 2011!

Fabio
FabioPermalinkResponder

Uma boa eh comprar umas roupas de frio na Decathlon... empacotei termicamente minha namorada com 20 Eur em Barcelona... com meia pra esquiar e tudo o que se tem direito!

Carlos Henrique Loyo

Oi Riq, sou do time dos que amam viajar no frio e estamos em plena viagem de fim do ano na Alemanha. Chegamos em Frankfurt e já fomos a Munique, Salzburg, Nurnberg, Leipzig e estamos em Berlin, tudo feito de carro! As estradas daqui, como a Angela do Alemanha por que não? disse, são maravilhosas mesmo no inverno e pode-se viajar tranqüilamente! Se quiser posso fazer um relato completo (e com fotos) dessa jornada.

Abraços e um feliz 2011 cheio de viagens para todos!

Neusa
NeusaPermalinkResponder

Olá Carlos !

Seria ótimo compartilhar seu relato !!! Estamos indo para a Alemanha em Fevereiro (Frankfurt / Floresta Negra / Munique (Fussen, Salzburg) / Rothenburg ob der Tauber / Berlin).
Dicas de onde comprar roupas térmicas por lá ? Já comprei uma por aqui (caríssima), mas gostaria de comprar mais por lá !

Feliz 2011 !!!

Lelio
LelioPermalinkResponder

Bom, vou passar por Londres, Paris e Roma a partir do dia 12 de janeiro. Já estou com frio só de pensar!

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Adorei o lema das Havaianas também!!!!Vc devia estar em alguma publicidade delas...
Vou incorporar!Agora, entao, vc deve estar felicíssimo!!Bjo.

Tweets that mention Dicas para viajar à Europa no inverno | Ricardo Freire | Viaje na Viagem -- Topsy.com

[...] This post was mentioned on Twitter by Ricardo Freire, Dica Informação. Dica Informação said: Dicas para viajar à Europa no inverno | Ricardo Freire | Viaje na ... http://bit.ly/gLIple [...]

Regis
RegisPermalinkResponder

Eu acrescentaria mais uma desvantagem de viajar no inverno: mais volume nas malas por conta do excesso de roupas pesadas... Faço o possível e impossível para não viajar para o hemisfério norte entre dezembro e fevereiro.

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Não é bem assim, também. O problema é o pensamento de se preparar para o inverno europeu com a estratégia usada para inverno brasileiro - muitas volumosas roupas de lã ou outros tecidos pouco eficientes.

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

E não é que é...

Estive com minha irmã em Bruges em Dezembro de 2008. Chegamos à cidade às 18h, e achávamos que era uma cidade fantasma! Todos já entocados. Só fomos descobrir vida na pracinha central, com pista de patinação, baraquinhas vendendo vinho quente e várias guloseimas.

Lu
LuPermalinkResponder

É, Riq, e vc ainda foi "premiado" neste fim de ano, pq acho que "nunca antes na história desse mundo" nevou tanto assim nessa época, e inclusive nas cidades grandes!!
E, como "habitué" do inverno ñ tão rigoroso(prefiro sempre esquiar em março por ñ ser tão frio,em tese), assino embaixo de todas as suas dicas, em especial a de dar um jeito de ficar chique c/botinhas de trekking, e de fugir da estratégia cebola!
Definitivamente, o frio ñ é convidativo p/turismo! Mas, como diz a Sylvia, a melhor época prá gente ir a determinado lugar é aquela que a gente pode ir.
Bjs,
Lu

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

O lema das havaianas é perfeito prá mim. Sou mesmo um bicho dos trópicos. Ai, que saudades da Rota...e olha que fui prá Noronha esse mês!
Um ótimo fim de ano quente e ensolarado prá vcs, Ricardo.

Leila Azevedo
Leila AzevedoPermalinkResponder

Adoro viajar no frio, passei um dezembro em NY e um janeiro em Londres, foram dias ótimos. Frio vc resolve usando a roupa certa e tomando muito chocolate quente e vinho. Detesto viajar no calor, já basta o calor eterno de Recife.
Este ano vou fugir da neve pq não quero ficar presa em aeroportos,
dia 18 de jan estou indo para a Espanha, vou passar por Barcelona, Valência, Madri ( com bate e volta para àvila, Toledo e Segóvia), Granada, Sevilha e Córdoba. Acho que só vou pegar frio de verdade em Madri e arredores.

Virginia Lucia

Riq, também acho que não curtiria muitos dias na neve, não. Quando fui a Madri/Paris pela 1ª vez e só podia ir no inverno, por conta de férias, fui no finalzinho, 2ª quinzena de março. Era um frio bem suportável, foram poucos os dias em que a temperatura se aproximou de zero (e só em Paris)e achei a paisagem linda. Acho o finalzinho do verão, ou mesmo o outono, a época ideal, porque bater perna com calorzão também é um horror, né? Feliz 2011 pra você e pro Nick e para todo o povo da bóia.

Leila Azevedo
Leila AzevedoPermalinkResponder

Adri,
Eu estive em Bruges em junho e 18h tb estava tudo fechado. Inclusive em Bruges eu passei por uma situação que nunca imaginei, estava numa loja escolhendo chocolates, com várias outras pessoas, e a dona de repente avisa que a loja estava fechada e pediu para sairmos. sad

Mauro Mattos
Mauro MattosPermalinkResponder

Concordo com as observações pró e contra os rigores do frio. Mas o fato é que gostamos muito, minha mulher e eu, de viajar no inverno. É claro que temperaturas muito baixas não são desejáveis. Sempre que viajamos alugamos carro e saímos dirigindo pelo(s) país(es) escolhidos. Desta vez vamos passar 4 dias em Paris e, por causa, das precárias condições nas estradas (principalmente na parte mais setentrional da Europa), vamos para Reims e logo depois rumamos para o sul da França (pelo lado oriental do território francês) em direção à Provence e à Côte d'Azur. Daí seguiremos pela Itália (pela costa ocidental) esticando até Roma (e dando um pulinho em Nápolis). Por mais de uma vez deixamos de ir à Nápolis "orientados", até mesmo por italianos, a não nos arriscarmos (é uma cidade perigosa, roubam carros até mesmo dentro de garagem ou estacionamento, etc.). Alguém poderia me dizer algo encorajador sobre Nápolis?

Érico Maia
Érico MaiaPermalinkResponder

Uma coisa que muita gente não leva em consideração no inverno é que o custo da viagem aumenta consideravelmente... Embora hotéis e restaurantes tenham preços mais acessíveis, depois de ficar algum tempo no frio da rua o jeito é entrar em algum lugar aquecido. Em geral locais assim são para gastar dinheiro. No auge do inverno simplesmente não dá para usufruir paisagens ou o movimento da cidade comendo algo ao ar livre. Tem que estar dentro de algum lugar comendo ou comprando. Mas poder andar sem ter uma multidão em todo lugar é ótimo!

Sandrissima
SandrissimaPermalinkResponder

Eu fui iniciada nesse blog justamente preocupada com uma viagem de 31 dias para a França, com esticada aconselhada e normatizada por Riq para Londres, em dezembro de 2008 e janeiro 2009.
Foi um outono frio e com geadas, além de muita neve na ultima semana, mas com maravilhosos dia ensolarados... Muitas discussões aqui sobre o gosto-não-gosto de viajar no frio, o que usar, até que as fotografias ficavam ruins (as minhas estão maravilhosas e copiadas pelos amigos franceses, após aprender algumas técnicas e edições) e etc. Não gosto mais de sair à noite, prefiro emendar e voltar, após o jantar, para o hotel de vez. Existem as dificuldades: de andar, toda hora entrava em um café, o anoitecer muito cedo nos fazia sair cedo (em Londres às 16 horas era noite total e fiz fotos com tripé e etc) e outras coisitas. Mas tudo era uma novidade extraordinária para uma soteropolitana - se tiver oportunidade, agora volto na primavera, óbvio.
Os conselhos de vestir do Riq podem se juntar a outros femininos da Maria Lina no http://www.conexaoparis.com.br/category/roupas-de-inverno/ Meninas, podem manter a elegancia (bota impermeavel - sola de borracha) e colocar um saco de plástico por cima da meia e dentro da bota... riso.

Gabriel Dias
Gabriel DiasPermalinkResponder

Já passei o Natal e o Ano Novo em Park City. O frio chegava a -30 graus... desesperador! Mas nesta época do ano é muito legal curtir o inverno, principalmente o Natal, com neve.
O Natal combina com neve, não com o calor infernal do Rio de Janeiro, por exemplo.
E no inverno as pessoas se vestem melhor.

Fabio Ferreira

Curtir um Natal com neve pode até ser maravilhoso... mas na boa, a Europa não merece ser visitada no Inverno... o Verão europeu é sensacional... e tem cidades que não combinam com o frio !!!!

Danilo
DaniloPermalinkResponder

Seu um pouco suspeito p/ falar pois eu adoro o frio. Ja passei um white christmas em Aspen, e apesar da temperatura absurdamente baixa, é uma experiencia que todo mundo deveria ter, é fantastico.
Sempre preferi viajar no inverno, acho que o pessoal exagera um pouco em relação aos "contras" de viajar no frio. Pessoalmente, a úinca coisa que eu acho ruim é que os dias são muito curtos, fora isso não vejo problemas em andar nas ruas de Berlim a -10 graus celcius, basta estar bem vestido.

Clara
ClaraPermalinkResponder

A quem interessar possa:em Estocolmo, no início de *novembro*, 4 horas da tarde já é noite fechada. Anos atrás entrei numa loja por volta de 15:30, estava claro, e quando saí às 16 horas, dei de cara com a escuridão da noite, luzes de postes e interiores. Uma surpresa bem desagradável.

ana flavia pimenta braasch

Olha, passei o último reveillon em Paris e achei que seria memorável, positivamente falando... Mas nunca vou esquecer porque foi a viagem mais "micada" da minha vida! Programa de Indio classificação 5 machadinhas: nada de fogos na Torre... Nada de champanhota na rua (proibidíssimo bebida alcólica e vidro na noite do reveillon em Paris.. O Trocadero estava lotado, um frio de rachar os ossos, briga de foice para conseguir entrar em qualquer restaurante e ainda pra pagar um absurdo!

Pra compensar este ano estou aqui na cidade maravilhosa pra mostrar pro meu maridão europeu o que é um reveillon de verdade: shortinho branco e camiseta, "havaianas" no pé, oferendas para Yemanjá e muita caipirinha!!!

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Amei conhecer Roma no inverno. Não é muito frio e a cidade fica vazia. Delicioso!

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Eu sou muito do contra, porque sou do time que ama mesmo viajar no inverno (tenho uma aversão quase ao estilo Marcie ao calor). E, claro, concordo super com as vantagens e desvantagens citadas aqui. O bom mesmo é quando a gente revisita um lugar querido no invernão - sem a obrigação dos lerês, os dias curtos deixam de ter importância e viram até um charme a mais na saga wink

Marcie
MarciePermalinkResponder

Nem preciso comentar, né? wink
Mas passei mesmo para desejar tudjibom pra turma da Bóia !

Maria das Graças

Mari Campos, não tenho nenhuma experiencia com frio extremo e neve. Mas no ano que vem estou programando estada em Paris nesta época. O marido não gosta. Mas prometi a ele que ele ficará no quentinho, vendo a neve através da vidraça do nosso apto alugado em Paris. E eu na rua, em frente de casa, curtindo a neve. Voce pode imaginar o que essa experiência significará para mim, nordestina, moradora do Rio? Canicule como passei em Paris no último mês de junho tentarei evitar no futuro. A sorte foi que não foi no mês inteiro, somente nos últimos quinze dias.

Felipe
FelipePermalinkResponder

Semana passada passamos 6 dias em Istambul. O clima estava perfeito: sol e frio todos os dias. Ótimos para fazer turismo. O único porém é que o dia durava pouquíssimo mesmo: das 10 hs as 15 hs aproximadamente.

Aliás, quero deixar aqui um agradecimento, Ricardo.

Essa minha viagem a istambul fui na volta de Dubai-Abu Dhabi. Literalmente uma viagem na viagem, em que vivi momentos mágicos ao lado da minha mulher e de mais de dez mil colorados.

E muito disso devo ao seu site e as contribuições dos trips. Antes de conhecer o VnV, eu era um empacotado!!!!!

Aliás, aquele teu texto em que fechaste a caixa de comentários, que li lá em Abu Dhabi mesmo, foi o primeiro que me levou as lágrias após a derrota na estréia do mundial.

Vida longa a você e ao seu VNV!

Feliz 2011 a todos,

Felipe.

Ana
AnaPermalinkResponder

Eu adoro viajar no inverno: nem sempre que eu estou feliz estou de cachecol, mas sempre que estou de cachecol eu estou feliz! wink
E adorei as variações sobre o mesmo tema com as esculturas de bundinha ao relento!

Junior (JRviajando)

Eu adoro viajar de todo jeito... só tenho restrições mesmo ao calor exagerado (talvez pela minha condição de "lipodescendente"...rs).
No momento estou em Paris com temperatura negativa e tá tudo ótimo!
Engraçado foi o número de vezes que eu pensei numa das melhores vantagens citadas pelo Riq: "comer e beber com gosto e sem culpa"... ô delícia!

Abraços e um grande 2011 a todos os viajantes!

Jr.

Gisele
GiselePermalinkResponder

Muito bom o post sobre fim de ano na neve!
Mas ao contrário de vc, eu prefiro sempre o white christmas e esta época na Europa é única!
Dos 4 últimos Natais (incluso 2010) passei 3 na Europa...já Reveillon é outra estória, e por isto já estou de volta também smile
Feliz 2011 a todos!

Manddy
ManddyPermalinkResponder

Muitooo bom!!!
Fazia mtooooooooooooooo tempo - coloca mto nisso - que eu não passava inverno na Europa. Ano passado fomos... para minha alegria, nevou em Amsterdam, mas para minha tristeza fiquei congelando - a bota não aguentou o frio nem com aquelas palmilhas e meias especiais! Foi um sacrifício caminhar com aquele tanto de neveeeee pelas calçadas e ruas; encontrar alguém nas ruas para nos dar informações e depois que o sol surgiu: não escorregar na neve derretida e suja! hahahaha
Em Paris foi mais tranquilo mesmo com neve. Realizei meu sonho lá no inverno, apesar de rezar algumas noites para fazer um dia de sol e subir a torre! rs
O pior dia foi qdo fomos a EuroDisney! Jesus, que frio anormal era aquele? Como aquele parque funcionou com aquela temperatura?? Eu era mais do que uma cebola e desejava muito minhas Havaianas! (muito bom esse seu lema!) rs
Bem, Feliz 2011 para vc e todos aqui!
Manddy (http://tourdubaiguide.blogspot.com)

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Não é muito fashion, mas para andar por aí, um tênis/bota com GoreTex resolve tudo isso smile

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Gore tex?

Eduardo Galvão

Eu viajo para o exterior sempre no inverno. Calor, temos aqui o ano todo.... o frio é bom demais... e não há nada melhor do que chegar em outro país, tudo diferente, incluindo o clima.

deborah
deborahPermalinkResponder

Da pra aproveitar o roteiro madri-barcelona-roma-veneza-budapeste-praga-berlim-amsterda-paris do final de janeiro ao inicio de fevereiro de 2011 ou o frio e os dias curtos vao tornar a viagem impossivel e pouco produtiva

Tania Janin
Tania JaninPermalinkResponder

Conheci Paris e Londres em nov/dez de 2010 debaixo de neve. Sou friorenta e nunca pensei que fosse à Europa nessa época do ano, mas foi o que deu e garanto que adorei. Da próxima vez espero poder ir na primavera mas se a oportunidade chegar no inverno,vou do mesmo jeito. E agora, já bem mais abastecida de roupinhas mais apropriadas.

Riq concordo com você quanto as vantagens e desvantagens.Em relação ao frio, peguei 8 negativo e e vivi meu momento cebola de forma gloriosa, claro, aproveitando para comprar luvas, goros e cachecois para incrementar os modelitos e ficar um pouco mais fachion. As botas forradas de pele ( no Marais comprei uma de cano longo numa lojinha despretenciosa por apenas 49 euros) mais uma boa meia de lã, resolvem.
Para quem for à Londres não deixem de ir na Primark, calças e camisetas térmicas por 4 libras, para usar como a primeira folha da cebola ajudam infinitamente, servem de pijama e você já está meio vestida pra maratona do dia seguinte. É bem verdade que não é nada sexy, mas, há que se privilegiar algumas coisas, rsrsrs e nada que um bom vinho não dê conta.
Poder entrar em qualquer museu sem enfrentar nem um tiquinho de fila não teve preço. Cheguei a conclusão que prefiro o frio a fila. Frio tem jeito e fila, às vezes nem com museu pass, pelo que já li em alguns relatos. Fila só pegamos em restaurante que fomos de teimosos, sem reserva, acho que no inverno só tem fia em restaurante.
Como o dia escurece pelo menos 2 horas mais cedo a estratégia foi não fazer almoços demorados. Esse prazer deixamos para o jantar. Aí só nos restou comer sem culpa tudo que víamos nas lojas de comidinhas, sanduiches e doces com suas vitrines maravilhosas, muito bom. E depois flanar na rua com neve mesmo, o que pra carioca que nunca viu neve ao vivo e a cor, foi bárbaro.

Nossas roupas de inverno realmente são grossas e ocupam espaço. Procurei levar as mais quentes e menos volumosas que tinha, mas não tem jeito, casacão de lã, casaco impermeável e botas ocupam espaço mesmo, empacotei tudo em sacos grandes do tamanho da mala, que fecham a vácuo, solução acertadíssima. Sobrou espaço pra todas as comprinhas da volta.
Embora o espírito não fosse compras, pra mim nunca é, difícil não se encantar com algumas coisas. Ainda mais que nevou o tempo todo, e com o Natal batendo na porta,as vitrines estavam de deixar crianças e adultos extasiados. Então, entrar nas lojas sempre era uma boa pedida nem que fosse pra dar uma esquentada e aí o bicho da compras te pega!

Riq como você pode notar ainda me encontro sobre o efeito do prazer que em grande parte só foi possível graças a todas as informações que peguei viajando nas suas viagens e nas dos trips.

Que em 2011 você possa dar muito chão para as suas havaianas.

Beijo grande.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

É importante lembrar que este ano o frio e a neve foram mais fortes que nos últimos 10, 20 anos ou até mais em dezembro, ou seja, quem vai à Europa no natal (fora das montanha) esperando encontar neve vai se frustar pos 9 a cada 10 anos simplesmente não tem nem cheiro de neve no chão (do leste da Alemanha para o leste é um pouco mais freqente, memso assim não é todo ano). Londres e Pais são duas cidades onde a neve chega a ser rara e memso nesta onda de frio a intensidade do frio não foi nada absurda (para os padrões da latitude), o mais frio que cheogu em Paris foi -3/-4ºC e em Londres a -4/-5ºC com predomínio de temperaturas de 0/1ºC, quase um dia normal de inverno em Nova York, a própria neve nestas cidades foi pouca (5/10 cm no máximo), mas como normalmente neva muito pouco a infraestrutura para lidar com a neve é quase inexistente, por isso pequenas quantidades de neve causam grandes transtornos principalnete no transporte. Uma neve mais forte, como a que atingiu Nova York logo depois do natal (50 cm), seria o fim do mundo em Londres e Paris, as duas cidades sofreriam colapso total. Para terminar, a tendência para janeiro é de temperaturas maiores

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Para começar, é fundamental lembrar que em dezembro 2010 fez mais frio e nevou mais que nos últimos 20, 30 anos em grande parte da Europa, foi até o dezembro mais rigoroso em mais de 50 anos em áreas como o norte da Inglaterra e Irlanda. Quem vai para o oeste europeu no natal esperando encontrar neve tem enormes chances de se decepcionar pois em 9 de cada 10 anos não vai ter nem cheiro de neve no chão (fora as montanhas, claro, onde a neve é praticamente uma garantia). Do leste da Alemanha para o leste as chances de ver neve aumentam, mas ainda assim ter neve no chão durante o natal é menos frequente que não ter na maioria das cidades. Em Lugares como Londres e Paris, por causa da Corrente do Golfo, o inverno é muito ameno comparado à média da latitude, tanto que mesmo neste dezembro muito mais frio que o normal a temperatura mais baixa nestas cidades ficou pelos -3/-5ºC, e em média entre 0/1ºC, praticamente um dia normal de inverno em Nova York (no interior do Canadá, na mesma latitude, pode chegar a -30/-40ºC em dezembro). Como o inverno é tipicamente ameno, a infraestrutura de Londres e Paris para lidar com a neve é bastante ruim, tanto que até quantidades de neve modestas como as que foram verificadas neste dezembro (máxima acumulação de 5/10 cm nas cidades) foram capazes de criar grandes transtornos principalmente na rede de transportes. Uma queda de neve realmente forte, como os 50 cm depositados em Nova York em menos de 24 horas depois deste natal, levaria Londres e Paris ao colapso total. Felizmente as chances de nevar tanto nestas cidades tende a zero. Para terminar, janeiro deve ser menos frio que dezembro na maior parte da Europa, e no oeste (menos nas montanhas...) a chuva vai derreter qualquer neve que tenha sobrevivido ao recente aumento das temperaturas. Portanto, quem está com medo de um frio siberiano ou detesta escorregar na neve, viaje sem medo.

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Começa agora uma campanha - um Natal branco para Cristina! Post encorajador. Depois de -3C em Paris em 2009, acho que estou preparada. Esse post vai para uma amiga que tá querendo aproveitar umas passagens baratas no final do mês para a Europa.

Vinícius
ViníciusPermalinkResponder

Acabei de voltar do reveillon em Paris/Londres. Realmente estava muito frio, os dias são curtos e as cidades ficam "acinzentadas". Mas é lindo ver o chão branquinho, ainda mais quando a vista pode ser apreciada de um café na St. Michel, onde olhando para a Torre Eiffel.

Priscilla Ochoa

tb adorei o Lema Havaianas.. devia divulgar pelos Europeus, e assim eles entenderão o amor de todos ao Brasil (no meu caso em particular com o RJ)
Estou voltando pra lá (Londres) em Março, o qual estará BEM mais agradável de se viver, assim espero. hahaha Eu estava até Outubro o que é o meu "aguentável" razz

bj!

Ivana
IvanaPermalinkResponder

Riq, realmente você entende de viagem!!! Concordo plenamente com seu post. Acrescentaria o caos nos aeroportos nesse período de neve. Acabei de chegar de uma viagem que eram 15 dias entre Alemanha e Londres. Acabou aumentando para 19 por causa dos problemas de Heatrow devido a neve. Da próxima vez, se puder, evito o inverno, mas nem sempre é possível...

Alice
AlicePermalinkResponder

Essa da Havaianas vai ficar para sempre na minha cabeça. A Alpargatas tem que te pagar por isso!

Luiz
LuizPermalinkResponder

Olá. Viajo para Lisboa, Roma e Veneza em fevereiro. Alguém já esteve nestas cidades durante o inverno? Faz muito frio? Neva? Gosto do frio mas realmente não tenho ideia das situações que talvez enfrente por lá (pelo que vi no noticiário o inverno, este ano, está bastante rigoroso). Tenho um casaco grande, luvas e cachecol que usei no inverno argentino - não foram necessários outros adereços para aguentar o frio. Será que este mesmo vestuário será suficiente para o inverno europeu? Obrigado a todos, abraço fraterno, feliz 2011.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luiz! Respostas no texto smile Veja os pitacos da tripulação nesta caixa de comentários.

Carlos Henrique Loyo

Oi Luiz, nessa época do ano já fui a Lisboa e Roma. Nas duas cidades peguei frio, mas não peguei neve, apenas chuva em Roma! No meu caso utilizo um casaco impermeável (tipo para esquiar) junto com botas impermeáveis durante o dia e um casaco longo de lã com um sapato mais arrumado a noite. O que me ajuda, em situações abaixo de 0º, é uma ceroula de algodão por baixo da calça jeans. Essa fórmula para mim resolve totalmente o problema do frio!

Abraço e boa viagem!

Luiz
LuizPermalinkResponder

Muito obrigado pelas respostas. Creio que preciso apenas de alguns complementos para rechear um pouco mais o casaco que já tenho, além de uma bota adequada. Nada de trabalhoso ou caro, imagino smile

Luiz
LuizPermalinkResponder

A viagem a Veneza de que falo no comentário anterior tem um significado muito especial: é lá que terminarei um livro que venho escrevendo há alguns anos e que se passa em - Veneza smile Vejam: escrevo um livro cujo cenário é uma cidade onde jamais estive mas obviamente baseado nas emoções, sensações e outros sentimentos emanados de fotos, vídeos e filmes sobre Veneza. Completo 60 anos de idade em fevereiro, mais ou menos a idade do personagem principal do meu livro. Viajarei só, levando exclusivamente uma pequena mala com o essencial (detesto bagagem) e, exatamente como o meu personagem, quero vivenciar uma experiência aventureira que pode até parecer loucura mas, na minha idade, as loucuras são essenciais para dinamizar a vida. Quero chegar a Veneza sem ter a menor ideia de onde me hospedarei, arrastando atrás de mim a mala com rodinhas e tentando hospedar-me no hotel que me for o mais simpático e agradável. Obviamente, toda aventura necessita de certa cautela. Por isso, pergunto aos experimentados viajantes deste site: minha aventura tem chances de ter sucesso ou me arrisco a morrer congelado no meio da rua? smile(um certo drama é adequado a uma boa viagem literária...)

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Luiz, estive nas 3 cidades citadas em dezembro de 2009. Em Veneza estava muuuito frio. Fazia tempo que não nevava na cidade e nevou quando eu estava lá. Até o aeroporto fechou. Caso vc não queira andar muito com a sua malinha dê uma olhada no Hotel Best Western Olimpia, que fica coladinho na Piazzale Roma. Se vc vier de onibus do aeroporto vai chegar nela. Se vier de trem de Roma, vai chegar na estação Sta Lucia e terá que atravessar a ponte (à direita de quem sai da estação)sobre o grande canal e chegará na Piazzale Roma. Cuidado com os malandros que ficam na ponte e levam a sua mala "para te ajudar" e exigem dinheiro no final. Boa viagem!

Luiz
LuizPermalinkResponder

Obrigado, Georgia. Seguirei rigorosamente suas instruções. Os malandros não terão a menor chance comigo smile

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar