o que fazer em barcelona casa batllo

Guia de Barcelona

O que fazer em Barcelona

Veja nesta página o que fazer em Barcelona, num roteiro para 4 ou mais dias na cidade.

Ajudamos você a organizar os seus dias entre a Sagrada Família, a praia da Barceloneta e o Park Güell, com tempo para visitar os edifícios modernistas de Gaudí e de seus contemporâneos.

Exigências de entrada na Espanha – veja as regras do país para viajantes brasileiros

Serviços de transporte podem ter sido suspensos ou apresentarem horários e preços diferentes em função da pandemia da Covid-19. Atrações como museus, teatros, parques e outros podem estar temporariamente fechados. Consulte os sites oficiais indicados aqui para informações atualizadas.

A Bóia recomenda

Quantos dias em Barcelona?

o que fazer em barcelona park güell

Quanto menos cronometrada a sua visita a Barcelona, melhor. Tenha tempo para andar a pé e curtir o que a cidade oferece entre uma atração e outra.

O ideal é ficar 4 dias em Barcelona, dormindo 5 noites na cidade. Nesse esquema você consegue visitar todas as atrações principais. Veja o que fazer em Barcelona em 4 dias.

Com mais dias em Barcelona você pode passar um dia em Montjuïc, fazer bate-voltas ou aproveitar mais a praia.

Não tem tanto tempo? Então fique 3 dias em Barcelona, mas saiba que algumas das atrações principais vão acabar ficando de fora do seu roteiro.

Fura-filas em Barcelona

La Sagrada Família em Barcelona

As atrações de Barcelona são super concorridas, e algumas trabalham com horário marcado para visitas.

Por isso, compre antecipadamente os seus ingressos. Todas as atrações mais visitadas de Barcelona têm bilheteria online.

Para a Sagrada Família e o Park Güell, é recomendado garantir os bilhetes uma semana antes.

Aproveite e já deixe comprados os ingressos para a Casa Batlló e para La Pedrera (Casa Milà), que têm sempre muita fila. O tour no estádio do Barcelona e o Museu Picasso podem ser disputados, também.

No caso do Palau de la Música Catalana, comprar a entrada com antecedência serve para garantir a visita guiada no melhor idioma para você.

A maioria das atrações oferece descontos para compra antecipada, o que compensa o IOF do cartão de crédito.

O Barcelona Card vale a pena?

O cartão de descontos Barcelona Card inclui transporte público e descontos para atrações de Barcelona.

Como deixa de fora a Sagrada Família e o Park Güell, e oferece apenas pequenos descontos para as demais atrações de maior peso, é um cartão que acaba não valendo a pena.

Em vez de comprar um Barcelona Card, combine um cartão de transportes + ingressos garantidos com antecedência.

Saiba como escolher o seu passe de transporte em Barcelona.

Segurança em Barcelona

Rambla, Barcelona

Em Barcelona, turistas distraídos são um alvo fácil para batedores de carteira. Por isso, tenha atenção ao passear pela cidade, especialmente na área da Rambla, no Bairro Gótico e no transporte público.

Não fique com medo de passear — só tenha um cuidado extra com os seus pertences. Os roubos são discretos e sem violência, mas podem atrapalhar todo o resto da sua viagem.

Veja como se precaver contra furtos em Barcelona, e em toda a Europa:

Como evitar problemas com batedores de carteira

  • Não carregue passaporte no bolso, na bolsa ou na mochila. Nunca. Deixe no cofre do hotel ou, se não confiar no cofre do hotel, leve com você numa doleira.
  • Não descuide da bolsa, de sacolas ou do celular em mesas e cadeiras de bares/restaurantes. Os caras são muito rápidos.
  • Coloque dinheiro e cartão no bolso mais apertado da calça. De preferência, saia apenas com um cartão de cada vez. Deixe os outros no cofre do hotel ou na doleira.
  • No transporte público, leve a bolsa ou a mochila trespassada na frente, não nas costas. Não é incomum o uso de estilete para cortar a bolsa e pegar carteira ou celular.
  • Não dê bobeira com o celular na calçada perto da rua, onde possa ser pescado por um ciclista ou motociclista.
  • Se for usar o cofre do hotel, faça o teste antes. Veja se o cofre abre com o código 0000, que é a programação de fábrica. Se abrir, leve passaporte e cartões na doleira.

Roteiro de 4 dias em Barcelona

Dia 1: A pé pela Rambla, Bairro Gótico e Barceloneta

Comece a caminhada na Plaça de Catalunya. Se precisar chegar de transporte público, desça na estação Catalunya do metrô (L1, L3, L6, L7).

Siga pela Rambla até o animado Mercado da Boqueria.

Depois das compras, continue até o Bairro Gótico, para passear e almoçar.

Faça um zigue-zague entre a Plaça del Pi e a Plaça de Sant Felip Neri, e siga até a Catedral de Barcelona.

Visite a Catedral de Barcelona e o claustro, e depois passe no lindinho Carrer del Bisbe para fotos.

Desça até a Plaça de Sant Jaume, onde estão a sede do governo da Catalunha e a prefeitura de Barcelona. Continue pelo Carrer del Call, parte do antigo bairro judeu.

Termine o circuito pelo Bairro Gótico na Plaça Reial.

Desse ponto, você pode passar no hotel para uma troca de roupa rápida, ou seguir direto à praia da Barceloneta.

Se não quiser ir caminhando (25 minutos a pé da Plaça Reial), pegue o ônibus 59 na Rambla (direção Poblenou).

Feche o dia na Barceloneta, com uma caminhada no calçadão ou relaxando na praia. Há vários restaurantes e bares por perto.

Dia 2: Sagrada Família e modernismo no Eixample

Tenha ingressos comprados antecipadamente para a Sagrada Família, Casa Batlló e La Pedrera (Casa Milà)

Pegue o metrô e salte na estação Sagrada Família (L2, L5).

Visite a extraordinária Basílica da Sagrada Família. Siga o audioguia para não perder nenhum detalhe.

Saindo de lá, tome o metrô até a estação Passeig de Gràcia (L2, L3, L4).

Dê uma primeira voltinha de reconhecimento pela avenida Passeig de Gràcia e vá almoçar nos arredores.

Tire fotos na ‘Quadra da Discórdia’, o trecho da Passeig de Gràcia onde estão a Casa Amatller, a Casa Lleó Morera e a Casa Batlló.

Visite a Casa Batlló, a La Pedrera (Casa Milà) ou ambas.

Se for visitar as duas casas, compre os ingressos com hora marcada calculando passar 1h30 em cada uma, e mais 20 minutos na caminhada entre uma e outra.

À noite, saia para tapas no Born.

Dia 3: Park Güell e Gràcia

  • Tenha ingresso comprado antecipadamente para o Park Güell

Vá ao Park Güell combinando metrô e ônibus. Salte na estação Joanic do metrô (L4) e pegue o microônibus 116 (direção Gràcia) no Carrer de l’Escorial. Salte em frente à entrada principal do parque.

Visite o Eixo Monumental do Park Güell e caminhe pelos espaços verdes. A casa-museu Gaudí não é uma visita obrigatória; prefira passar tempo ao ar livre.

Na saída, pegue novamente o ônibus 116 (direção La Salut).

Logo você vai chegar até o miolinho de Gràcia, um bairro bem autêntico de Barcelona. Salte na parada Sant Salvador-Verdi.

Almoce e dê uma volta pelas ruas pitorescas do bairro, como o Carrer d’Astúries.

Depois vá visitar a Casa Vicens, mais uma obra de Gaudí.

À noite, saia para tapas no Eixample.

Dia 4: Born a pé

Comece com uma passadinha para fotos no Arc de Triomf. Se precisar chegar com transporte público, salte na estação Arc de Triomf do metrô (L1).

Depois, siga até o Palau de la Música Catalana e faça uma visita guiada ao teatro.

De lá, passe no Mercado de Santa Caterina, que é uma Boqueria menos turística.

Almoce no Born e siga a pé para o Museu Picasso.

Explore o Passeig del Born e ruelinhas do entorno. Você vai estar bem no centro do Born, que é um charme.

À noite, saia para tapas entre Poble-sec e Sant Antoni.

Mais dias

Veja o que fazer em Barcelona ficando mais dias na cidade:

Barcelona, atração por atração

Barceloneta e Port Vell

Praia da Barceloneta, em Barcelona

Barceloneta é a praia mais famosa da orla urbana de Barcelona. Fica no bairro de mesmo nome — uma antiga zona de pescadores muito bonitinha.

Caminhar pelo calçadão, ver o Mediterrâneo e tomar alguma coisinha à beira-mar é um ótimo jeito de fechar o dia.

Se quiser pegar sol, o trecho de praia conhecido como Bogatell é o mais sossegado.

Com crianças, uma visita ao Aquário (L’Aquàrium), que fica vizinho no Port Vell (velho porto), é um bom programa. Tem oceanário com túnel de vidro, área de peixes tropicais e pinguins.

Informações práticas

Camp Nou Tour (FC Barcelona)

Tour no Camp Nou, estádio do Barcelona

Na visita ao Camp Nou, estádio do FC Barcelona, você vai conhecer a história de um dos maiores times do mundo.

Uniformes antigos, bolas e muitos troféus estão em exposição, assim como as Chuteiras de Ouro de Lionel Messi. Num painel interativo, você pode rever lances históricos do Barça.

O circuito pelo estádio continua por espaços como as cabines dos locutores, as arquibancadas e pela beiradinha do gramado — você vai poder até sentar no banco de reservas.

No final, uma megastore da Nike garante o souvenir.

Informações práticas

Casa Amatller

Casa Amatller em Barcelona

A Casa Amatller foi desenhada pelo arquiteto Josep Puig i Cadafalch e faz parte da chamada Quadra da Discórdia, na avenida Passeig de Gràcia.

Entre os edifícios modernistas de Barcelona convertidos em museu, é o que exibe mais mobiliário e peças originais de época.

E como o negócio da família Amatller era o chocolate, você recebe uma caixinha de chocolates na visita, como brinde.

Informações práticas

Casa Batlló

Casa Batlló em Barcelona

A Casa Batlló é uma das principais criações de Antoni Gaudí. O arquiteto teve total liberdade criativa na reforma, e o resultado foi algo mágico.

Em que outro edifício você já viu decorações que lembram ossos, escamas de peixe, ou as costas de um dragão?

A visita à Casa Batlló inclui uma experiência de realidade aumentada. Você recebe um tablet e fones, que fazem os cômodos vazios ganharem vida.

A inovação combina com a casa, onde mesmo os detalhes reais já parecem fantasia.

Para visitar a Casa Batlló, não deixe de comprar ingressos antecipadamente. As filas das bilheterias são sempre longas!

Informações práticas

Casa Vicens

Casa Vicens em Barcelona

A Casa Vicens foi a primeira residência desenhada por Antoni Gaudí — e a última a abrir para visitação, apenas no finalzinho de 2017.

Quando foi construída, Gràcia ainda era uma vila separada de Barcelona, e a Casa Vicens serviria aos proprietários como um lugar de veraneio.

Repare no uso do azulejo e do ferro forjado. Esses são elementos decorativos que se repetiram em outras casas feitas por Gaudí, com técnicas cada vez mais impressionantes.

Aproveite sua visita à Casa Vicens para dar uma voltinha pelo bairro de Gràcia.

Informações práticas

Castell de Montjuïc

Castelo de Montjuic em Barcelona

Aposentado de suas funções militares, o Castell de Montjuïc foi convertido de fortaleza a mirante.

Ainda há equipamentos de guerra em exibição, e uma pequena exposição sobre o tema.

Mas o ingresso vale mais pela vista panorâmica que se tem de Barcelona. E também pelo próprio castelo, uma construção interessante do século 18.

Informações práticas

Catedral de Barcelona

Catedral de Barcelona

A Catedral de Barcelona tem o nome completo de Catedral de la Santa Creu i Santa Eulàlia.

Também chamada de La Seu (‘a Sé’), a catedral é uma igreja gótica, construída entre os séculos 13 e 15. Foi dedicada a Santa Eulàlia, uma das padroeiras da cidade.

Procure pela cripta da Santa, embaixo do altar principal, e também pelo claustro. É o recinto mais bonito da igreja, e uma das jóias do Bairro Gótico de Barcelona.

Informações práticas

Fundaciò Joan Miró

Fundação Joan Miró em Barcelona

Nascido em Barcelona, Joan Miró viveu por 90 anos — pintando, esculpindo e fazendo gravuras durante a maior parte desse tempo.

A Fundació Joan Miró faz uma boa retrospectiva da carreira do artista. Foi idealizada pelo próprio Miró, que doou obras da sua coleção para o acervo.

O museu é uma das principais atrações do Parc de Montjuïc. Fica num edifício curioso, desenhado pelo também barcelonês Josep Lluís Sert.

Informações práticas

La Pedrera (Casa Milà)

La Pedrera, Casa Milà, em Barcelona

Gaudí foi muito criticado pela fachada pesadona que criou para a Casa Milà. A opinião geral era de que o edifício parecia uma pedreira.

O apelido acabou pegando — e virou, décadas mais tarde, o nome desta atração.

A visita a La Pedrera começa pelo terraço. É lá onde estão as famosas chaminés esculpidas como guerreiros, que formam um jardim de esculturas de outro planeta.

O circuito continua por outros espaços do edifício, incluindo um apartamento decorado como no tempo dos primeiros inquilinos.

Por falar nisso, mesmo aberta a turistas, em La Pedrera há moradores até hoje.

Compre seu ingresso online para garantir vaga, não precisar entrar em fila e pagar 3 euros a menos do que na bilheteria. As visitas a La Pedrera são com hora marcada.

Informações práticas

Mercado da Boqueria

Mercado da Boqueria em Barcelona

Barcelona é cheia de mercados municipais. De frente para a Rambla, o Mercado da Boqueria é o mais animado deles.

Turístico, mas super autêntico, vale a parada para compras e até para almoçar. Leia mais sobre o Mercado da Boqueria na seção Onde comer.

Informações práticas

Mercado de Santa Caterina

Mercado de Santa Caterina em Barcelona

Você jamais suspeitaria que o Mercado de Santa Caterina foi o primeiro de Barcelona — uma reforma recente deixou o espaço tinindo.

Amplo, bem arrumado, e menos badalado que a Boqueria, é um bom lugar para comprar frutas, fazer um lanche ou escolher produtos locais para levar de lembrança.

Informações práticas

Montanha de Montjuïc

Vista desde Montjuic

Montjuïc é uma montanha cheia de espaços verdes, mirantes e atrações culturais. Fica dentro de Barcelona mesmo, mas o passeio até lá vale como uma escapada.

A forma mais divertida de subir o Montjuïc é de funicular e teleférico. Também há acesso por ônibus.

Comece o seu dia em Montjuïc subindo até o castelo. Terminada a visita, desça até a área verde onde está o Mirador de l’Alcalde e os Jardins de Mossèn Cinto Verdaguer.

Depois, escolha entre visitar a Fundaciò Joan Miró ou o Museu Olímpic i de l’Esport. Tire fotos do Palau Nacional, e se ainda tiver pique, entre para visitar a coleção do Museu Nacional D’Art de Catalunya.

Nesse dia, tome um bom café da manhã no hotel, e leve um lanchinho na mochila.

Como chegar em Montjuïc

Como chegar a Montjuic em Barcelona

A maneira mais prática é ir com o metrô (L2, L3) e saltar na estação Paral·lel. Ali você pega o funicular de Montjuïc. A baldeação metrô-funicular é gratuita.

O funicular leva até o ponto de embarque do Telefèric de Montjuïc, que deixa você no castelo.

Se não quiser subir de teleférico, vá de metrô até Plaça de Espanya (L1, L3, L8) e ali pegue o ônibus 150, que leva até o castelo também.Museu Nacional D’Art de Catalunya (MNAC)

O MNAC é um gigante. Está instalado no Palau Nacional, e tem um acervo que cobre 1000 anos de arte catalã.

Você vai ver desde pinturas murais românicas até fotografias do século 20, passando por telas de Dalí.

O museu também tem ‘convidados’ de fora da Catalunha, como El Greco, Velázquez e Picasso.

Informações práticas

Museu Olímpic i de l’Esport

O Museu Olímpico de Barcelona serve como memória afetiva do evento esportivo que mudou a cidade — as Olimpíadas de 1992.

Lá estão a flecha que acendeu a pira olímpica, os tênis de Michael Jordan e os bonequinhos do mascote Cobi.

Cartazes e tochas das edições passadas dos Jogos Olímpicos também fazem parte da exibição.

Informações práticas

Museu Picasso

Museu Picasso em Barcelona

Antes de se mudar para a França, Pablo Picasso passou alguns anos de sua juventude em Barcelona.

Muitas das obras de destaque do Museu Picasso são desse período, e ao passear pelas salas você acompanha a evolução técnica e criativa do artista.

Não vá embora sem visitar a lojinha. Repare também no bonito conjunto de edifícios do museu, que fica no Born.

Aliás, por ali você não estará muito longe dos endereços onde Picasso viveu e trabalhou na cidade.

Informações práticas

Palau de la Música Catalana

Palau de La Música Catalana em Barcelona

Não é de hoje que as salas de concerto estão na vanguarda da arquitetura. Em Barcelona, Lluís Domènech i Montaner fez do Palácio da Música um dos melhores exemplos do modernismo catalão.

Durante a visita guiada você descobre detalhes da execução do projeto, e vê mais de perto os vitrais, mosaicos e esculturas que ornamentam o lugar.

Reservando com antecedência dá pra conseguir um bom desconto no valor da entrada e escolher o idioma do tour.

Espie também a programação da sala, que tem espetáculos quase todos os dias. Alguns deles com a participação do coro Orfeó Català, residente da casa.

Informações práticas

Park Güell

Park Güell em Barcelona

Projetado como um condomínio por Gaudí, e depois transformado num parque, o Park Güell é uma das atrações ao ar livre mais bacanas de Barcelona.

O parque tem duas áreas de visitação: uma zona de acesso grátis e uma zona paga — o Eixo Monumental.

Todos os ícones do Park Güell estão na zona paga, como a fonte da salamandra e a Plaza de la Naturaleza, famosa pelo seu banco de mosaicos.

Os ingressos para esta área têm hora marcada e devem ser comprados antecipadamente.

Fora do Eixo Monumental, você pode curtir os espaços verdes e os mirantes.

A casa-museu onde Gaudí morou, com entrada paga à parte, é também uma atração do Park Güell, mas não é tão imperdível.

Atenção: o Park Güell tem passado por obras de restauro. Consulte o site da atração para saber de eventuais interdições.

Informações práticas

Passeig de Gràcia

Casa Amatller no Passeig de Gràcia, Barcelona

O Passeig de Gràcia é uma avenida que corre entre a Plaça de Catalunya e o bairro de Gràcia. Um endereço conhecido pelas lojas de luxo e pelos edifícios espetaculares do início do século 20.

O trecho mais famoso da avenida ganhou o nome de Quadra da Discórdia. É onde ficam a Casa Batlló, a Casa Amatller e a Casa Lleo i Morera, obras de arquitetos ‘rivais’.

Dessas, a Casa Batlló, projetada por Gaudí, e a Casa Amatller, por Puig i Cadafalch, estão abertas a visitantes.

Mais adiante, La Pedrera é mais um edifício-museu que pode ser visitado na mesma avenida.

Salte na estação de metrô Passeig de Gràcia (L2, L3, L4) para explorar o melhor da região.

Rambla

Miró na Rambla, Barcelona

A Rambla é o calçadão mais popular de Barcelona. Vai da Plaça de Catalunya até o Port Vell, a área do porto antigo, com pouco mais de 1 quilômetro de uma ponta à outra.

Ao longo do caminho você vai encontrar lojas de grandes marcas e de lembrancinhas, bancas de flores e sempre muita gente.

O trecho mais bacana da Rambla é o entorno do Mercado da Boqueria. Lá estão o mosaico de pedras portuguesas de Joan Miró, a fachada oriental-kitsch da Casa Bruno Cuadros, e o Gran Teatre del Liceu.

Evite os restaurantes da Rambla; a maioria é pega-turista. E como é uma área de muita circulação, tenha atenção à sua bolsa ou mochila.

As estações de metrô Catalunya (L1, L3, L6, L7), Liceu (L3) e Drassanes (L3) levam à Rambla.

Recinte Modernista de Sant Pau

O Recinte Modernista de Sant Pau é o maior conjunto arquitetônico modernista de Barcelona.

Com projeto de Lluis Domenech i Montaner, foi construído para abrigar o Hospital de la Santa Creu i Sant Pau, ou ‘de Santa Cruz e São Paulo’.

Depois de se mudar para instalações mais novas, o hospital deu lugar a um ‘recinto modernista’. É um museu e espaço cultural, que inclui uma ala de pacientes montada como na década de 1920.

Informações práticas

Sagrada Família

Sagrada Família, Barcelona

A Basílica da Sagrada Família mudou o panorama de Barcelona. Antoni Gaudí deu à cidade um monumento como a Torre Eiffel, o Cristo Redentor, a Golden Gate.

É a atração mais visitada da Espanha, com filas sempre grandes na bilheteria. Por isso, compre o seu ingresso com antecedência.

Para uma visita mais completa, baixe o audioguia que é oferecido com o ingresso. A narração conduz você a todos os espaços, e explica os significados por trás dos ornamentos da basílica.

Termine o percurso no museu da Sagrada Família. Você vai descobrir de onde veio a inspiração de Gaudí para o projeto, e entender o desafio técnico que vem sendo essa construção.

Subir na torre da Sagrada Família vale a pena?

Há ingressos especiais que permitem a subida numa das torres da Sagrada Família. Você escolhe entre subir uma torre da Fachada do Nascimento (assinada por Gaudí) ou da Fachada da Paixão (desenhada pelos seus sucessores).

Se você não estiver num itinerário folgado, é melhor dedicar o seu tempo só à parte ‘baixa’ da basílica mesmo. A experiência não acrescenta tanto à visita.

Tenha em mente que a subida é feita por elevador, mas a descida é numa escadinha em caracol.

Informações práticas

Telefèric de Montjuïc

Teleférico de Montjuïc, Barcelona

O Telefèric de Montjuïc é um teleférico de cabine fechada na Montanha de Montjuïc.

O percurso tem 3 estações. Parc de Montjuïc é a primeira, e a mais baixa. Castell é a segunda, e a mais alta. Mirador é a terceira, e a intermediária. Em qualquer uma delas é possível embarcar e desembarcar.

Um bom uso do teleférico é comprar um bilhete simples, embarcar na estação Parc de Montjuïc e desembarcar na Castell. O resto do passeio, você pode fazer a pé.

Se preferir, compre um bilhete ida e volta para poder embarcar duas vezes no teleférico. O bilhete ida e volta pode ser comprado antecipadamente no site oficial ou com nossa parceira Musement.

Como chegar ao Teleférico de Montjuïc

Vá de metrô até a estação Paral·lel (L2, L3). Faça a baldeação gratuita para o Funicular de Montjuïc, que leva até a estação de embarque do teleférico.

Informações práticas

Receba a Newsletter do VNV

Serviço gratuito

44 comentários

Bom dia!
Uma amiga irá para Paris dia 23/10 até 31/10.
Quero conhecer o que puder em Barcelona+ ou – 3 a 4 dias, e depois 2 dias em Ibiza ou 2 dias em Palmas e até 3 dias em Lanzarote.
Essa época do ano vale a pena Ibiza e Palma?
Ou seria ideal Barcelona e Lanzarote (por ser mais quente)? Em lanzarote tem mais opções de lugares para conhecer? E depois ir encontrá-la em Paris dia 23/10.
HELP😞

    Olá, Aline! Pense em ilhas entre junho e setembro. Não gaste seu dinheiro e seu tempo visitando praia no frio, é baixo astral.

Boa noite Bóia ! Eu, minha esposa e dois filhos adultos iremos ficar 8 dias em Barcelona (5 na cidade e mais 3 bate-voltas: Girona, Montserrat e Terragona). Nas dicas sobre bate-voltas vc sugere o uso de trens como transporte. Como estarei vindo de Madri de carro, vc me aconselha a entregar o carro, logo ao chegar na cidade e fazer os bate-voltas de trem ou, usar o carro para fazer os bate-voltas nos primeiros dias e depois entregá-lo ? Pergunto isso pois creio não ser viável usar o carro em Barcelona. Agradeço antecipadamente sua orientação. Abs

    Olá, Leonardo! Entregue o carro ao chegar. Tudo feito de trem é mais rápido, mais simples, mais europeu. Use carro em deslocamentos por estradinhas regiões panorâmicas, sem entrar nem sair de cidades grandes. Se você quer usar o carro na região, vá para a Costa Brava, sem voltar para Barcelona todo dia.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.