Um cruzeiro na selva: como é o Iberostar Grand Amazon

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Iberostar Grand Amazon

Semana retrasada embarquei no Iberostar Grand Amazon para um cruzeiro de três dias pelo rio Solimões – que é como o Amazonas é chamado a oeste de Manaus. Meu objetivo era conferir algo que já intuía havia muito tempo: que esta é a maneira mais confortável (e menos aventureira) de visitar a floresta. Encontrei exatamente o que imaginava: conveniências de hotel urbano, bom serviço all-inclusive, passeios enxutos que não exigem demais do passageiro.

Uma noite no Centro

Sugiro que você faça como eu e chegue na tarde anterior ao embarque. Hospede-se no Centro, onde a pedida é o Go Inn, um hotel básico-moderninho que está situado a uma quadra e meia do Teatro Amazonas. (Mais perto ainda abriu um hotel tipo pod, o Casa Teatro).

Arredores do Teatro Amazonas

Manaus: arredores do Teatro Amazonas

Teatro Amazonas: Peri e Ceci

Ingresso para o Teatro AmazonasTeatro Amazonas

Hospedar-se por ali permite que você veja o melhor da Manaus histórica a pé – e com toda a segurança, já que a área próxima ao teatro é bastante policiada. Só o Teatro Amazonas merece duas visitas: uma para fazer o tour guiado (R$ 7,50, última saída às 17h) e a outra à noite, para assistir a um espetáculo (compre na bilheteria ou no site da BestSeat).

Eduardo RibeiroMuseu-Casa de Eduardo RibeiroMuseu-Casa de Eduardo Ribeiro

Quase todas as atrações do Centro estão ao redor da praça do teatro. O belíssimo Palácio da Justiça fica nos fundos; uma quadra adiante você visita o singelo solar onde morou Eduardo Ribeiro, o governador que concluiu o Teatro Amazonas e fez as obras que tornaram Manaus a Paris dos trópicos.

Praça do Teatro AmazonasTacacá da GiselaTacacá da Gisela

Dentro da própria praça você vai encontrar o Tacacá da Gisela (autêntico, saboroso e preparado com toda a higiene, ideal para o estômago dos turistas), o buffet de sorvetes amazônicos da Glacial e o sanduíche de pernil do Bar do Armando, um sujinho que é perfeito para a saída do teatro (abre no fim da tarde).

Bar do Armando, Manaus: sanduíche de pernilBar do Armando, Manaus

Sugiro que, no dia seguinte, você volte à praça para fazer compras com calma na Galeria Amazônica, que tem uma seleção fantástica de peças de artesanato indígena com origem detalhada – e preços que não espantam.

Galeria Amazônica

Feche a conta no hotel, deixe mala e compras guardadas, e pegue um táxi para almoçar num restaurante regional inventivo, como o Banzeiro, em Vieiralves, a uma corrida de R$ 15 de táxi (R. Libertador, 102, tel. 98/3234-1621).

Porto de ManausIberostar Grand Amazon no porto de Manaus

Hora do embarque

Apesar de estar muito mais organizado e limpo do que quando estive lá pela primeira vez, há mais de 10 anos, o porto de Manaus pode intimidar o visitante. Seu táxi vai deixar você em frente ao burburinho da rampa de acesso. Você deve ser imediatamente assediado por carregadores – mas não é caso para se assustar. Um funcionário do Iberostar, usando crachá, estará ali para indicar o carregador (também identificado) que vai levar suas malas e acompanhar você até o barco.

Porto de Manaus

O embarque acontece entre 15h e 16h30. Ao chegar, o buffet do lanche da tarde estará servido no convés. Aproveite o fim de tarde na piscina. Depois, peça um espumante para contemplar o sol se pôr por trás da nova ponte sobre o Rio Negro. É nesse momento que, ao som de música clássica, o barco zarpa.

Iberostar Grand Amazon: hora da partida

O barco

Iberostar Grand Amazon

Construído especialmente para este percurso, e em operação desde 2005, o Iberostar Grand Amazon é um intermediário entre as embarcações regionais amazônicas e os grandes navios de cruzeiro que operam no litoral. Com 75 cabines, transporta no máximo 150 passageiros (se você já tiver feito um cruzeiro num meganavio, vai se sentir num iate).

Cabine do Iberostar Grand Amazon

Iberostar Grand Amazon: a varanda da cabine

Iberostar Grand Amazon: o banheiro da cabineJanela da cabine: Iberostar Grand Amazon

Espaço é o que não falta nas cabines: elas têm 23m2. São bastante confortáveis: todas são externas, têm varanda, armário e banheiro amplos e ar condicionado split; a TV, pequena, pega dois canais abertos (Globo e Bandeirantes) e passa filmes e programas da BBC nos demais canais em circuito fechado.

Escadarias do Iberostar Grand Amazon

Iberostar Grand Amazon

Iberostar Grand Amazon

A correnteza do rio não afeta a estabilidade do barco, que não balança nem um pouco. O acabamento não é acintosamente luxuoso (o que combina com o entorno e o percurso). Todas as refeições são servidas em bufê. Senti falta de mais especialidades regionais.

Camarões no jantar de galaIberostar Grand Amazon: pirarucuSorvete de açaí e tucumã

Ainda assim, sempre há sucos de frutas amazônicas no café da manhã, pelo menos um peixe local a cada refeição e sorvetes exóticos de sobremesa. Bebidas, até mesmo as alcoólicas (peça o espumante!), também fazem parte do sistema all-inclusive.

Jantar de gala

Nascer do sol no Solimões

Solimões x Negro

A cada semana Iberostar Grand Amazon cumpre dois roteiros: um de quatro noites pelo rio Negro (saídas às segundas-feiras), seguido por outro de três noites pelo Solimões (saídas às sextas). Os dois percursos oferecem atividades semelhantes, em paisagens sensivelmente distintas.

Iberostar Grand AmazonIgapó no SolimõesNum igapó do Amazonas

Escuras, as águas do rio Negro são quentes, ácidas e pobres em nutrientes; por isso, suas margens são mais preservadas e quase não há mosquitos (não é à toa que a maioria dos hotéis de selva está para aqueles lados).

Iberostar Grand Amazon

Já as águas barrentas do Solimões são frias e cheias de vida, possibilitando a pesca e o cultivo das áreas de várzea na época seca. Para minha surpresa, o contato com o modo de vida dos caboclos ribeirinhos foi tão interessante quanto as excursões para o interior da floresta; nas fotos mais bonitas que trouxe para casa vêem-se as palafitas e as embarcações que apareceram no caminho.

No Solimões

Quanto aos mosquitos, embarquei com um estoque de repelentes esperando um massacre, mas ao menos nesse período do ano (até novembro é época seca) a mosquitada parece estar de férias...

Saída ao amanhecer

As atividades

São bastante semelhantes às dos hotéis de selva; a diferença é que o navio permite que se explore pontos diferentes da floresta. Em alguns horários há mais de um passeio oferecido; na véspera você se inscreve nos que quer participar. O grupo é então dividido em lanchas menores, que se dirigem a pontos distantes uns dos outros; não haverá outra lancha no seu igarapé.

Passeando pelo igarapé

Entre os programas estão caminhadas interpretativas pela selva, passeios de barcos pela selva inundada, pescaria de piranhas, focagem de jacarés, contemplação do nascer do sol no meio do rio, visita a uma família de ribeirinhos, visita a um lago de vitórias-régias.

Lago de vitórias-régiasNo lugar das vitórias-régiasLago de vitórias-régias

Entre um passeio e outro há palestras no barco sobre aspectos da Amazônia.

Palestra no Iberostar Grand Amazon

Show de encerramento

À noite sempre acontece um show; o mais produzido é o da última noite, apresentado por uma trupe de bailarinos vindos especialmente de Manaus.

O gran finale do cruzeiro acontece às seis da manhã do dia do desembarque, quando o barco passa pelo encontro das águas barrentas do Solimões com as águas escuras do rio Negro.

Iberostar Grand AmazonEncontro das águasBandeira do Amazonas

Quanto custa?

A operadora Viverde, especializada em Amazônia, combina o cruzeiro de 3 dias pelo Solimões ou 4 dias pelo Negro com duas noites em Manaus. O pacote de 6 dias (cruzeiro pelo Solimões + duas noites em Manaus) sai R$ 2.400 para a primeira pessoa e R$ 1.320 para a segunda pessoa na cabine; o pacote de 7 dias (cruzeiro pelo Negro + 2 noites em Manaus) sai R$ 3.100 para a primeira pessoa e R$ 1.670 para a segunda pessoa na cabine. A passagem aérea não está incluída.

Publicado originalmente na minha página Turista Profissional, no suplemento Viagem & Aventura do Estadão.

Iberostar Grand Amazon

Leia mais:

152 comentários

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Excelente post. Um cruzeiro de médio porte realmente parece a forma mais interessante de explorar a área sem ficar "preso" apenas ao entorno de um hotel.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Eu não sei como você faz isso, Ricardo, mas qualquer destino que você descreveu se torna um destino super-tentador para conhecer!

Wanessa
WanessaPermalinkResponder

Carmen, tenho exatamente essa impressão! Nunca tive a menor vontade de conhecer essa região e nem de fazer nenhum tipo de cruzeiro. Mas esse pareceu tão agradável para uns dias de descanso, e a paisagem, tão linda...

Luca
LucaPermalinkResponder

Luca curtiu este comentário.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Adorei que a mosquitada parece estar de férias, em essa época do ano, porque a mosquitada é muito pesada e desagradável

Ernesto, o pato

Com as fotos ficou bem mais interessante do que no jornal.

RosaBsb
RosaBsbPermalinkResponder

Quando eu conseguir realizar esse cruzeiro, (entrou na minha wishlist porque não provoca enjôo) eu quero uma foto semelhante a última que ilustra o post, ficou bárbara!!!

Helder
HelderPermalinkResponder

Muito rico o relato, Ricardo, ficou muito bom. Mas eu fiquei com uma dúvida. E o quando ir ? Qual a sua impressão ?

Obrigado, e parabéns !

Pedro
PedroPermalinkResponder

Helder, a melhor época pra ir é quanto tem vontade, tempo e dinheiro. Por lá é sempre quente e chove o ano todo. A chuva faz parte da paisagem.

Fernanda Reali

Odeio navio e cruzeiro, mas confesso que este me deu água na boca. Já entrou pra listinha. Amo os Iberostar da Bahia.

As imagens ficaram perfeitas!

Claudia Sakuraba

Ficou lindo o post, parabéns! Fiz o roteiro Rio Negro em 2008 com meus pais e adorei essa viagem. O Arquipélago de Anavilhanas é fantástico.

Elaine Cuencas Santos

Belíssimo post! eu, avessa desde sempre aos cruzeiros, fiquei com água na boca!

Thiago Augusto

Essa é a única forma que eu vejo de "conhecer" a Amazonia. Sou urbano assumido. Pena que ainda não consegui convercer a urbana cética com quem casei. Talvez agora, com seu destaque para o espumante, eu consiga.

Paulete
PauletePermalinkResponder

Parece ser bem legal. Já fui pra Manaus e região 2 vezes, mas quero voltar pra levar meu marido e essa parece uma boa opção.

Camila
CamilaPermalinkResponder

Nossa, essa foto do ribeirinho com o barco em movimento está sensacional.... Ric, e o passeio em que se nada com botos, era oferecido nos dois trechos?

Maria Helena
Maria HelenaPermalinkResponder

Camila, no cruzeiro da Iberostar q fiz pelo Negro há um ano havia a opção de ir visitar a "encantadora de botos" ( http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2010/10/conheca-encantadora-de-botos.html ). Mas ninguém podia entrar na água, nem nadar com eles. E o trabalho q ela faz me pareceu muito correto.

Camila
CamilaPermalinkResponder

Ahhh, só para complementar, eu cotei esse cruzeiro com a CVC em julho,somente para o passeio pelo Solimões, para saída em 14/10/2011 e estava saindo a R$ 1.896, em cabine dupla, com varanda externa, parcelável em 10x no cartão.

Eu particularmente não gosto muito da CVC, mas enfim, não tem como negar que algumas tarifas que eles conseguem são imbatíveis, pra Bonito foi a mesma coisa, sabe lá como rs

Pedro
PedroPermalinkResponder

Eu tbm não gosto da CVC, mas se observar o preço da operadora consultada pelo Ricardo tem tarifa melhor que a CVC

Essencial Hotéis by Litoral Verde

O Iberostar Grand Amazon é realmente incrível. Um dos passeios oferecidos é conhecer uma tribo indígena, onde você poderá ver de perto como eles vivem. Uma dica bacana para quem vai fazer essa viagem é levar de presente para as crianças material escolar (cadernos,canetas, livros etc). Na própria tribo há uma escola e toda ajuda em educação é sempre bem vinda.

Destaque também para o encontro das águas dos rios Negro e Solimões com o nascer do sol.

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Eu acho BEM piegas, ofensiva, essa história de visitar tribo indígena que provavelmente se trasveste com roupas que não usam mais no dia-a-dia e construções que abandonariam não fossem por turistas. É o equivalente de imorais e ofensivas excursões "visite a casa de um favelado" no Rio de Janeiro. É a exploração da pobreza, eu jamais faria um tour desses sem me sentir como se estivesse perpetuando o atraso de vida ao valorizá-lo. Mas cada um é livre para visitar o que quer, isso é o que torna viagens de todos nós interessantes.

Irene
IrenePermalinkResponder

André,

Desculpe, mas equiparar favela com aldeia indígena é que é desrespeitoso. Certamente favela é "atraso de vida". Já uma aldeia indígena é simplesmente uma cultura diferente da nossa, e deve, sim, ser mostrada com orgulho. Não é exploração da pobreza, simplesmente porque em seus próprios termos os índios não são e nunca foram pobres. Vivem há milenios em nosso país em harmonia com o meio que os cerca, com simplicidade porém com muita dignidade, saúde física e mental, valores sociais e familiares sólidos e uma visão do mundo que celebra a convivência e a alegria. Não os julgue sob a ótica dos nossos valores "civilizados": ganância, stress, pressa, violência, desagregação social e familiar, corrupção, doenças crônicas físicas e mentais, desrespeito à natureza. Temos muito a aprender com eles, os verdadeiros brasileiros.

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Irene, sem assistência da "medicina ociental" e outros serviços, a expectativa média de índios é de menos de 30 anos. Morrem de apendicite, febre e infecções básicas se não fossem coisas modernas do "homem branco" (sic).

Essa ideia de assumir que civilização tecnologicamente atrasadas não tem problemas quaisquer é ignorar que a condição humana, provavelmente desde o tempo das cavernas, traz conflitos pessoais, depressão, crises, desentendimentos. É algo universal do homo sapiens, e eu não me iludo um milímetro achando que tribos indígenas, esquimós e aborígenes estejam imunes às mesmas.

Beto
BetoPermalinkResponder

Para acreditar e concordar com as palavras da Irene uma pessoa precisa ter fé e evolucao espiritual, gracas a Deus eu estou nesse grupo, parabens Irene por suas palavras, os indios em sua essencia sao como o sol, como a agua, como a terra, sao seres muito naturais e equilibrados com o ecosistema.

Sut-Mie | Viajando com Pimpolhos

Já tinha muita vontade de fazer esse passeio, agora entrou de vez na minha listinha!

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Maravilha! O tipo de passeio amazônico que eu faria.
Faria não, farei. Se não estivesse tudo pago prá umas férias
na Rota agora em setembro, eu iria já!
Obrigado, Ricardo, por esse lindo post. Abraços.

Lilian Vicente

Olá Ricardo! Amei a reportagem!! Eu e meu marido embarcaremos para o cruzeiro pelo rio Solimões no dia 23/09, e ficaremos alguns dias em Manaus. Achei muito útil suas dicas e com certeza vamos adorar tudo. Obrigada pelo excelente artigo.

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Como disse dois posts aí atrás, voltei da Rota e já providenciei meu cruzeiro, em novembro, pelo Rio Negro.
Uma dúvida: é preciso levar o comprovante de vacinação de febre amarela para o embarque a Manaus?

Lilian Vicente

Olá Marcelo! Voltei do cruzeiro pelo Rio Solimões dia 26/09, e não pediram o comprovante da vacina de febre amarela. Ficamos alguns dias no Blue Tree Premium Manaus e gostamos bastante do hotel. Tenho certeza que vc vai adorar a viagem, como nós também.
Abraços.

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Obrigado pela resposta, Lilian!
Também estou certo de que a viagem será ótima, estou contando os dias. Abraços.

Pedro
PedroPermalinkResponder

Lilian, a vacina de febre amarela e tétano é recomendada e não obrigatória. Contudo se chega ou parte de Manaus para fora do Brasil a apresentação da carteira de vacinação (com as vacinas) é obrigatória).

Lilian Vicente

Acho que a dica é boa: No cruzeiro Iberostar Grand Amazon o 2º passageiro maior de 60 anos tem desconto de 50% no valor da viagem.
Abraços aos viajantes!!

Pedro
PedroPermalinkResponder

E não é só isso Lilian, para a viagem de 21 a 28/maio/12 o acompanhante para só uma taxinha. Encontrei isso hoje em viverde.com.br/grand_amazon.html.

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Fiz semana passada o cruzeiro pelo Rio Negro e, para resumir, acho que é a receita ideal para quem quer um pouco de aventura com muita mordomia e um show de organização. Toda a equipe daquele navio está de parabéns!
Aproveitei e fiz depois do desembarque um passeio pelas cachoeiras próximas a Presidente Figueiredo, com um guia interino do navio.
Simplesmente sensacional!
Agradeço ao Ricardo por mais esta excelente dica. Depois que passei a acompanhá-lo na net, minhas viagens tiveram um baita upgrade. Te devo mais esta.
E que venham as viagens nacionais no próximo ano, como já prometeu!
Grande abraço.

Karina L Costi

Oi Ricardo!!! Mais uma vez consegui um norte para minhas férias com teu post!! Fui no Iberostar Grand Amazon pelos rio Solimões!! A viagem é excelente!! Chega a ser confortável demais até!! E o navio é exatamente como descreveste!!! A equipe de bordo é muito simpática!! Falta uma programação noturna mais ativa... A boate ficava aberta até tarde, mas não tinha ninguém!!! Fiquei morrendo de vontade de fazer a parte que navega pelo rio Negro, que tem direito a ver índios e nadar com boto!!! Por mais que tenha tentado, não consegui uma foto igual a do final do post!!! E olha q tentei hein!!! Bj

Debora
DeboraPermalinkResponder

Ola ricardo! Estou pensando em fazer esse cruzeiro em dezembro mas gostaria de saber o q vc acha de fazer os dois pacotes ( negro+solimões)? Acha q vale a pena ou ficará um poco repetitivo? Outra duvida eh com relacao aos passeios...eles ja estao incluídos ou o paganenro eh a parte? Muito obrigada pelas dicas! Bj

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Débora! Os passeios estão todos incluídos, está bastante claro no texto.

O Ricardo Freire não fez os dois passeios seguidos, então não pode opinar sobre se fica repetitivo ou não.

Virginia Marcelino Lacorte

Ricardo, sobre o cruzeiro de 3 dias no Rio Solimões você acredita que seria um interessante com crianças de 7 e 9 anos (estão acostumados a viajar)? Qual a época do ano mais indicada para evitar os tais mosquitos e período de chuvas?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Virginia! Aqui quem responde é A Bóia. A época menos chuvosa vai de maio a outubro. Querendo evitar mosquitos, pegue o cruzeiro do Negro. É uma viagem interessante para crianças que não estejam acostumadas apenas com resorts e parques de diversão.

Aline
AlinePermalinkResponder

Se não estou enganada o Ibero so admite crianças a partir de 12 anos.

dejair orçai
dejair orçaiPermalinkResponder

Gostaria de saber se no período do carnaval tem vaga para 4 ou 5 pessoas no Cruzeiro saindo de Manaus? Tem algum pacote saindo do RJ?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Dejair! Reserve pelo site do barco, está linkado no texto.

giuliane barcelo

Gostariamos de saber o preco de um cruzeiro para um casal e uma crianca de 4 anos saindo de manaus dia 07/0713 ate dia 11/07/13.
Muito obridado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Giuliane! Entre no site do Iberostar ou fale com um agente de viagem.

jose ribamar igueiredo silva

É um passeio inesquecível. Quem fizer não vai se arrepender, estou voltando a agora em outubro de 2013, só que vou fazer o circuito completo pois na primeira vez fiz o Rio Negro 4 dias, o completo inclui o Rio Solimões que são 7 dias. minha agencia de viajem é a CVC. Amigos viajantes, um grande abraço.

jose ribamar figueiredo silva

Amigos viajantes, já fiz esse cruzeiro e posso afirmar que é um passeio inesquecível,gostei tanto que em outubro de 2013 vou fazer de novo, só que agora vou fazer o circuito completo que são de 7 dias, pois o 1º fiz só o Rio Negro 4 dias. Tudo nesse cruzeiro é de 1ª, alimentação, bebidas,tripulação etc. meu agente de viajem é a CVC.

Diná Dantas
Diná DantasPermalinkResponder

Oi, amigos que gostam de viajar. É uma boa opção esta viagem pelo Ibero star no Amazonas. Foi tão maravilhoso que estou retornando para curtir aquela natureza linda, e digo mais: Vou curtir a cidade, que na viagem anterior só participei da viagem do Cruzeiro.No próximo mês estarei curtindo a Cidade, tudo que tem direito e..... a caminho Dos Rios: Negro e Solimões. Aproveitem. Vale a pena. Meu Agente de viagem, claro é a C V C.

Anna Francisca

Acabei de chegar do passeio e não gostei muito. Se eu tivesse optado por um hotel na selva, acredito que teria sido melhor. Achei que faltou legitimidade ao navio. A comida é sofrível. Poucos pratos regionais, peixes, frutas, sucos que são características legítimas e esperadas por quem visita a amazonia. No buffet tivemos ofertas de peru e cordeiro assados e o peixe - pirarucu - estava fora de ponto. No último dia, o jantar era "surf and turf" - um pedaço de lagosta sobre um pedaço de filé e fatia de torrada.... Um navio que navega pelo Amazonas 7 dias por semana, 365 dias por ano, teria que ter mais atenção à cultura amazônica. Na programação aconteceu uma palestra sobre frutas sem nehuma degustação e no show de encerramento, um "indío" tocava "Imagine" de John Lenon, Paul Simom e o Condor Passa enquanto um vídeo passava cenas da Amazonia. O show final misturou "flashs" de samba, frevo, capoeira, bumba meu boi ciranda... Creio que uma companhia de dança/teatro local poderia apresentar danças mais legítimas, representar e contar detalhes da festa do Kuarup. Fiquei no hotel St Paul; fazia parte do pacote da Viverde. Por causa do horário do navio, o hotel concedia um late check out e early check in o que é positivo, mas as acomodaçõoes sao fracas. Fomos duas vezes ao restaurante Banzeiro. Ótimo. Acho que eu não soube fazer opções melhores. Nem a cidade e nem o rio me impressionaram. Depois de Manaus, fui a Belém...que é uma outra história.

Lee
LeePermalinkResponder

Nossa Anna, que desolador o seu depoimento! A vida assim é muito triste

norberto bastos

Meus caros;
fiz um passeio no rio negro no iberostar gran amazon, foi tudo lindo.
os guias são otimos. o atendimento é personalizado.
as pessoas são amigaveis e atenciosas
os proprios hospedes estavam no clima de viagem, sem preça.
a comida no navio foi de muito boa para otima.
o jantar do comandante foi excelente.
o guia wenscelau foi muito atencioso, parabens.
espero voltar
nossa agencia foi a viverde

Adilson Brunelli

Gente, acabei de chegar de um cruzeiro no Iberostar Grand Hotel Amazon pelas águas do Rio Negro e Solimões e fiquei maravilhado com que pude ver e desfrutar no navio e os passeios por ele oferecido, quanto a natureza, não tem explicação para tanta beleza,coisas de Deus, e quanto ao navio uma maravilha, vale a pena conhecer e desfrutar dessa aventura nas águas dos Rios Negro e Solimões e a grande selva amazonica.Obrigado Deus.

Eliene
ElienePermalinkResponder

Estou na maior expectativa pois viajo amanhã. Reservei o navio + diárias extras em Manaus através do contacto com Ricardo da VIVERDE.COM.BR que esclareceu-me absolutamente todas as dúvidas.em vários emails, prontamente respondidos. O contacto com a agência foi super profissional e atencioso. Volto aqui quando voltar da viagem amazônica

sonia braga
sonia bragaPermalinkResponder

Comprei um pacote com a Viverde para o passeio pelo Rio Negro. Faltando 10 dias para viajar quebrei a perna, que está engessada. Liguei para a Viverde e eles foram muito solícitos e me aconselharam fazer o passeio assim mesmo (de muletas). Ainda estou um pouco insegura, o barco oferece acessibilidade para pessoas com dificuldade de locomoção?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sonia! Não há informações sobre acessibilidade no site do Iberostar Grand Amazon. É possível que você consiga ficar bem instalada no navio, mas os passeios ficam mais complicados de fazer com a perna imobilizada.

Claudia Wischansky Amado

Prezados,
Embarco no Iberostar Gran Amazon com minha família no Carnaval e gostaria de saber qual é o traje exigido para o jantar do comandante. Vcs poderiam nos informar? Ficaremos no aguardo... Aproveito a oportunidade para parabenizar pelos posts
Abs.,

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Claudia! Apesar de ser um jantar de gala, você pode usar um vestido simples. Já tivemos uma leitora falando que usou um vestido de algodão, aqui:
https://www.viajenaviagem.com/2011/08/exclusivo-como-os-gringos-pegam-piranhas-no-brasil/comment-page-1#comment-154750

Ivany Calmon Ribeiro

Estou interessada nessa viagem. Pode ser comprada qquer agência? Somos mais velhos mas estamos acostumados com esse tipo de passeio. Qual as próximas datas?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ivany! Os passeios saem toda semana, duas vezes. Qualquer agência de viagem venderá o pacote.

Ivany Calmon Ribeiro

OK. Vou me informar

Wander
WanderPermalinkResponder

Bóia, li algumas dicas aqui sobre o que mulheres podem vestir no jantar de gala do navio. Mas, e os homens? Em outros cruzeiros, veste-se terno e gravata geralmente. Mas isso serve para a Amazônia também? Por favor, diga que não! hehehe Sei que à noite tem que usar no jantar normal calça e sapato fechado. Mas, e o no jantar de gala? Serve uma camisa de manga cumprida? Vou fazer o cruzeiro no carnaval.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Wander! Calça comprida e camisa já está ótimo.

Diogo Pedrotti

Pessoal, em que horário aproximadamente se desembarca em Manaus no retorno do cruzeiro? Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Diogo! Você desembarca antes das 10h da manhã.

Ricardo Carvalho

Janeiro é boa época para realizar esse cruzeiro?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ricardo! As chuvas já terão voltado, proporcionando elevação do nível da água do rio, o que é bom para os passeios.

elaine
elainePermalinkResponder

Realmente muito bom seu post. Obrigada por nos mostrar que existe este cruzeiro algo que não sabia.

Severina Aquine

É muito bom este cruzeiro para quem gosta de natureza ,tem todo conforto de um navio de selva fui em novembro com meu marido fizemos o rio Solimões pretendo voltar na época da cheia que é no mês de junho ou julho.

Tania
TaniaPermalinkResponder

Boa tarde Ricardo. Qual dos dois passeios vc acha mais bonito, Rio Negro ou Solimões. Estou querendo ir em julho com meus filhos. Abs

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tania! Quem responde é a Bóia. O roteiro do Negro tem mais natureza, o do Solimões permite espiar a vida ribeirinha.

Thaís Cunha
Thaís CunhaPermalinkResponder

Boa Tarde, gostaria de saber se nesse cruzeiro é necessário roupa mais arrumada nas apresentações noturnas, tipo paletó e vestido longo. Nunca fui num Cruzeiro e quem já foi me disse uma vez que é assim que as pessoas se vestem.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thaís! Este é um cruzeiro bastante informal. Se você quiser se arrumar para os jantares, fica a seu critério.

Thaís Cunha
Thaís CunhaPermalinkResponder

Obrigada pela dica Ricardo. Estarei embarcando nesse fim de semana. Assim que voltar dou um retorno.

Cecília
CecíliaPermalinkResponder

Olá. Boa noite, Bóia. Existe uma época melhor, para ir? Penso em ir no mês de novembro. Vale a pena? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cecília! É um mês de nível baixo das águas, interessante para ver as plantações ao longo do Amazonas, mas desfavorável para passeios pelos igapós, que estarão secos. Para pegar os rios com nível alto e a selva inundada, vá entre abril e agosto.

LÍgia maria Castelo Branco

Gostei muitíssimo dos posts. Farei em breve este cruzeiro e me foi muito útil. Excelente fotografia. Já estou viajando em Viaje na viagem.

Fausto Prieto
Fausto PrietoPermalinkResponder

Bom dia. Parabéns pelas informações que são muito importantes para os novos viajantes. Gostaria de saber se vocês tem informações sobre os outros cruzeiros oferecidos, em embarcações menores, como por exemplo o "Amazon Clipper Premium". Qual a melhor opção? Embarcar no "Iberostar Grand Amazon" ou nessas outras embarcações que parecem mais "privativas", que também constam do site "Amazonas by Viverde"?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fausto! Pense no barco do Iberostar como um pequeno resort flutuante, e o barco da Clipper como uma pousada de charme flutuante. A diferença é mais ou menos essa.

Fausto Prieto
Fausto PrietoPermalinkResponder

Muito obrigado pela pronta resposta!
Pretendo viajar na segunda quinzena de janeiro e fazer um cruzeiro de cinco dias (quatro noite) pelo Rio Negro e ficar dois dias em Manaus. Vou viajar com minha esposa e dois filhos (17 e 13 anos). Já temos alguma experiência em roteiros de ecoturismo e cruzeiros em grandes navios, mas será a primeira vez no Amazonas. O diferencial agora é que minha esposa está com um problema de saúde que dificulta bastante sua caminhada. Ela não precisa usar cadeira de rodas, mas usa uma bengala e para caminhar sempre anda apoiada em mim ou em algum dos filhos. Assim sabemos que alguns dos passeios ela não poderá fazer, como as caminhadas pela mata. Mas poderá nos acompanhar naqueles em que poderá permanecer embarcada ou em desembarque em terra que não precise caminhar.
Assim, minha única dúvida agora seria o tipo de "cruzeiro". No navio ou numa embarcação menor que talvez pudesse ter uma melhor flexibilidade ou exclusividade nas atividades.
Ah, esqueci de perguntar sobre os passeios em terra. Normalmente é necessário usar alguma roupa especial para caminhar na mata, como botas, tênis, calças compridas, ou podemos fazer de bermudas e chinelos?
De qualquer forma, novamente muito obrigado pela atenção e gentileza da resposta.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fausto! Dá para fazer de bermuda e chinelos, mas você fica mais protegido contra insetos e folhas cortantes com calça e mangas compridas e tênis. É possível que a acessibilidade seja maior no navio do que no barco pequeno. Ligue para os operadores (ou use um agente de viagem para isso) e explique o seu caso. O barco do Iberostar é pequeno, quase um barquinho comparado aos grandes navios de cruzeiro. Não há confusão nenhuma para descer e subir, o número de passageiros não é grande.

Fausto Prieto
Fausto PrietoPermalinkResponder

Muito obrigado.Suas informações foram de grande valia e nos ajudaram muito. abraços

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar