Antelope Canyon, o lugar que a internet descobriu

Heloísa Dall'Antonia
por Heloísa Dall'Antonia

Antelope Canyon, Arizona
A esta altura do campeonato, todo mundo reconhece a importância da internet no planejamento de viagens (até porque, oi, você está no Viaje na Viagem!). smile Antelope Canyon, uma das várias formações rochosas do Arizona, também. Foi uma visitante que ficou completamente fascinada pelo lugar (leia-se “postando fotos em tudo que é rede social”) a responsável por colocar a área no mapa do turismo mundial.

Localizado dentro da reserva dos índios Navajo próxima à cidade de Page, Antelope Canyon se formou pelo trabalho da força das águas que corriam por ali, milhões de anos atrás. Ainda é possível ver nas rochas as marcas que mostram a que altura elas chegavam. Os tons de vermelho e marrom das pedras, unidas a como a luminosidade entra pelas aberturas superiores em diferentes momentos do dia, criam desenhos fantásticos no interior do cânion.

Antelope Canyon, Arizona

É bem verdade que você só se dá conta deles quando o guia mostra, em um celular, fotos para conduzir o olhar. Mas a partir daí, é impossível não se encantar (e ficar abstraindo a todo momento “parte” e “todo” das rochas, para tentar encontrar sozinho outros). Há um urso, um coração, e mesmo outras formas que, embora não lembrem nenhuma imagem em específico, ganham um tom surreal graças à luminosidade.

Antelope Canyon, Arizona

Na primeira foto, à esquerda, a singela entrada do atrativo. Dá pra imaginar que dentro dessa abertura há todas essas formas?

Antelope Canyon, Arizona

Flash-floods, inundações que acontecem muito rápido, podem ocorrer no local, o que explica o tronco de árvore no alto da última foto à direita. Fique tranquilo: parte da função dos guias é ficar de olho na previsão do tempo 

O estreito interior do cânion não é extenso (deve ter, aproximadamente, uns 500m), e tem tempo certo para cada “leva” de visitantes (normalmente 90 minutos), que só chegam ali se estiverem com guias autorizados. Meu passeio foi organizado pela Antelope Canyons Tours. Os valores mudam conforme o horário escolhido para a visita, mas nunca são menores do que 40 dólares por pessoa (crianças pagam menos).

Lake Powell
Outra opção de passeio, mais molhada, é conhecer o Lake Powell Resorts & Marinas (100 Lakeshore Drive, tel. 1-800-528-6154), numa área que produz energia para diversas cidades do Arizona.

Lake Powell, Arizona

Lake Powell, Arizona

Glen Canyon

Ali é possível fazer um cruzeiro de 90 minutos, passando pelo meio de formações rochosas que eventualmente parecem que vão arrancar uma parte do barco, que tem bancos tanto internos quanto externos. A embarcação sai de Wahweap Bay, seguindo o curso original do rio Colorado. O custo do passeio é de 45 dólares por pessoa.

O Lake Powell Resorts & Marinas também oferece hospedagem e restaurantes (com lindas vistas para o lago). Mas para quem quer ficar mais tempo na área (e esticar ao Monument Valley, por exemplo), a cidadezinha de Page também é uma boa opção.

Como chegar
Para chegar a Page de carro, siga para norte pela Highway 89 e depois entre na Highway 89T, também chamada de Navajo Route 20.

Antes de escolher a companhia com a qual fará o passeio, o Slackers (Elm St., 635 – tel. 1/928-645-5267) é uma lanchonete gostosa, com porções generosas, e que fica pertíssimo de onde estão as agências.

Heloísa viajou a convite do Escritório de Turismo do Arizona.

Leia mais:

12 comentários

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

O post, aparentemente, confundiu algumas coisas.

O local visitado é o Upper Antelope Canyon. A foto da entrada não deixa dúvidas. Não é o Lower, como sugerido no texto ao indicar que as formações rochosas estão no Lower.

O Lower Antelope Canyon existe e é um cânion com formações rochosas semelhantes às do Upper. Fica do outro lado da estrada, a 3 minutos de carro um do outro.

Na verdade, o que difere um cânion do outro é o estilo da visita. O Upper é mais famoso, é mais largo, cabe mais gente dentro. O Lower, apesar de maior, é mais estreito. Enquanto no Upper o ideal é ir entre 11:00 e 14:00 para ver os raios de luz entrando pelas frestas e tocando o solo, no Lower o bacana é ir no passeio das 8:00 (para ver tons de dourado e ênfase na textura do cânion) ou no das 15:30 (para ter tons violetas, algo raro e difícil). Mas ambos são passeios "por dentro da pedra", ou seja, dentro do cânion.

Esse passeio molhado aí não tem muito a ver com o Upper nem com o Lower Antelope Cânion, não. Talvez a confusão se deva ao fato de que um dos passeios no Lake Powell (dentre vários existentes) sai de uma marina chamada Antelope Point, ou seja, o nome é parecido. Não sei de onde o passeio mencionado no post saiu, mas os verdadeiros Upper e Lower Cânion são programas em terra, não tem muito a ver com programas de barco no Lake Powell, não.

Normalmente, eu não escreveria nada disso. Mas é que as pessoas normalmente vão a Page por somente um ou, quando muito, dois dias, então algum desencontro de informações eventualmente pode gerar uma não otimização do tempo.

Minhas dicas são:

- visite os dois cânions. São experiências diferentes;

- mas, se só tiver tempo ou dinheiro para um, vá no Upper;

- vá no horário certo em cada cânion (mencionei acima). A experiência é bem menor quando feita fora deles;

- se for um entusiasta de fotografia, vá no tour fotográfico. A duração é maior (e por isso é mais caro) e você sairá de lá realizado com suas fotos. Os guias do tour fotográfico seguram as multidões para que elas não atrapalhem suas fotos, permitem o uso de tripé e ainda dão dicas de configuração da câmera para que suas fotos realmente retratem a beleza daquele lugar único;

- para os melhores horários (os mencionados acima) reserve com bastante antecedência (duas semanas); e

- pertinho dos dois cânions (Upper e Lower) está o Horseshoe Bend, uma formação rochosa bem interessante, cartão postal de Page. A visita é rápida. De carro, está a uns 15 minutos de Page e a uns 10 dos cânions. Se for um entusiasta de fotografia, vá entre 9:00 e meio dia, por conta da posição do sol. Estar lá na hora nascer do sol também é bom, mas aí já implica acordar bem cedo.

Heloísa
HeloísaPermalinkResponder

Oi, PêEsse! Vou checar com o pessoal com quem fiz a visita porque o passeio de barco era considerado do Upper. Descobrindo corrijo aqui. Obrigada por avisar!

Heloísa
HeloísaPermalinkResponder

Corrigido, PêEsse! Obrigada de novo! smile

Daniel
DanielPermalinkResponder

Muito obrigado pelas ótimas dicas! Muito útil! Abraço!

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Voces sabem se o filme 127 Horas foi rodado lá?

wagner
wagnerPermalinkResponder

Eu gostaria de saber se é preciso contratar uma tour com agencia para visitar o Antelope canyon ? Vi que essas tours são para principalmente fotografar e estarei com familiares que querem apenas contemplar .....sem maiores expectativas.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Wagner! Não é preciso ir com tour de agência, mas uma vez no canyon você precisará contratar um guia no local para acompanhar no passeio.

Daniel Conceição

Parece Muito bonito!
Já fui a Page, mas só de pernoite e nem sabia da existência dessas atrações. Mas mesmo que soubesse, não daria pra ir, pois o tempo tava bem curto. Uma pena...
Agora sei que tenho que voltar lá!

Belo post!
Abraços

Boya
BoyaPermalinkResponder

Próximo a Page ainda tem o Horseshoe Bend... vale a pena visitar...

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Alem do filme 127 horas, tambem o Gravidade foi filmado no Lake Powell ...

Patrícia
PatríciaPermalinkResponder

Amei a riqueza com que descreveu os passeios. Penso em ir conhecer esses lugares no próximo ano e vou utilizar seu comentário como dica.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar