Primeira viagem ao Peru: Lima, Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu (roteiro para 9 noites)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Primeira viagem ao Peru: hotel Unaytambo, Cusco

Esta é a primeira parte de um roteiro prático para sua primeira viagem ao Peru: 9 noites entre Lima, Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu.

Recomendo que você leia o post inteiro. Mas se preferir, clique para ir direto ao tópico:

Primeira viagem ao Peru

Por que 9 noites? Não dá para ser menos?

Primeira viagem ao Peru: Lima

Lima

9 noites de viagem ao Peru permitem rentabilizar ao máximo uma semana de férias -- saindo na sexta e voltando no outro domingo. Com oito dias inteiros (já que o primeiro vai ser consumido na viagem de ida), dá para visitar com bastante proveito Lima, Cusco, o Vale Sagrado e Machu Picchu, num roteiro intenso mas sem correria.

Quer incluir outras escalas?

Caso você queira fazer o circuito completo do sul do Peru nesta viagem, acrescente 3 noites em Ica (uma tarde para Huacachina, 1 dia para tour de pisco, 1 dia para Islas Ballestras), 1 noite em Nasca (para sobrevoar as linhas de Nasca na manhã seguinte), 2 noites em Arequipa (acrescente mais 1 noite no Valle del Colca, se quiser visitar o vale) e 2 noites em Puno (para ter um dia inteiro livre para o passeio pelo Titicaca).

Para incluir apenas Nasca entre Lima e Cusco, veja aqui.

Primeira viagem ao Peru: itinerário para 9 noites

Este é o resumo do roteiro. Cada etapa (Lima, Cusco + Valle Sagrado, Machu Picchu) é detalhada em posts separados.

3 noites em Lima

Com 3 noites em Lima você resolve as questões práticas (chip, câmbio, eventualmente passagens de ônibus), tem tempo para passear pela cidade, saborear a culinária peruana e aproveitar as duas horas de fuso horário atrasado (a seu favor) para se recuperar da viagem de vinda e chegar descansado em Cusco.

3 noites em Cusco

Com 3 noites em Cusco você tem dois dias para explorar a cidade sem pressa, e mais um dia para passear fazer um bate-volta a Pisaq. E ainda ganha três noites para curtir os restaurantes e bares do centro histórico.

1 noite em Ollantaytambo

Dormindo 1 noite em Ollantaytambo, você visita a vila de Chinchero, o sítio arqueológico de Moray e as salinas de Maras no caminho desde Cuco. Na manhã seguinte, passeia pelo arqueológico de Ollantaytambo livre de turistas. E à tarde segue a Aguas Calientes (Machu Picchu Pueblo).

1 noite em Aguas Calientes (Machu Picchu Pueblo)

Você vai chegar a Aguas Calientes (ou Machu Picchu Pueblo), a base mais próxima de Machu Picchu, ao entardecer. Instale-se e durma cedo, para no dia seguinte cedinho pegar um dos primeiros ônibus a Machu Picchu.

Visita a Machu Picchu e noite final em Cusco

Depois de fazer o gran finale da viagem em Machu Picchu, você volta a Cusco e capricha no jantar de despedida do Peru.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Machu Picchu antes de Cusco não seria melhor por causa da altitude?

Primeira viagem ao Peru: Machu Picchu

De fato, Machu Picchu, a 2.400 metros do nível do mar, é bem menos elevada que Cusco, que está a 3.400 metros. Por isso, o soroche, ou mal de altitude, é menos comum em Machu Picchu do que em Cusco. Saindo direto do aeroporto de Cusco para Machu Picchu é possível não sentir os efeitos da altitude na chegada.

O problema dessa estratégia é que ela apenas adia o mal-estar para quando você vier de Machu Picchu para Cusco -- o fato de sair já de 2.400 metros não anula o impacto da altitude de 3.400 metros de Cusco.

Ir a Machu Picchu antes de Cusco também estraga a seqüência do itinerário -- é como iniciar o jantar pela sobremesa. No nosso roteiro, Machu Picchu funciona como o gran finale de uma viagem gradual ao passado. Você começa no Peru moderno (Lima), passa pelo Peru colonial (Cusco), visita resquícios de sítios arqueológicos (em Pisaq, Moray, Ollantaytambo) e termina na mais majestosa cidadela preservada (Machu Picchu).

Quando ir ao Peru

Primeira viagem ao Peru: mercado de Surquillo, Lima

Mercado de Surquillo, Lima

Lima pode ser visitada o ano inteiro.

A região de Cusco e Machu Picchu, no entanto, tem uma época desaconselhável: no verão, entre dezembro e fevereiro, chove muito. Nos anos mais chuvosos, a estrada de ferro chega a ficar interditada.

Para aproveitar melhor o seu tempo e o seu investimento, programe esta viagem entre abril e setembro. Nesses meses, vá preparado para temperaturas abaixo de 10ºC à noite e de manhã cedinho; mas nos dias de sol, que são maioria no meio do ano, as máximas podem chegar perto dos 20ºC no início da tarde.

Dentro da alta temporada, os meses mais disputados em Machu Picchu são julho e agosto, por conta das férias escolares na Europa. Maio e setembro são um pouco mais tranqüilos.

Machu Picchu num feriadão. É possível?

Possível é -- mas não é recomendável. O dia da ida e o da volta são praticamente perdidos (sobretudo quando você vai ou vem direto de Machu Picchu). Complicando mais as coisas, tem o fator altitude, que sempre compromete o dia da chegada a Cusco. Se você quer mesmo usar um feriadão para viajar ao Peru, vá a Lima -- é possível até encaixar uma (supercansativa!) esticada a Nasca. Mas só vá a Cusco e Machu Picchu se você dispuser de cinco dias inteiros -- idealmente, 6 -- para explorar o essencial da região.

Como comprar a passagem aérea

Primeira viagem ao Peru: Andes

Compre uma passagem única, na modalidade "múltiplos destinos" ou "várias cidades", com três trechos:

  • Trecho 1: Brasil-Lima
  • Trecho 2: Lima-Cusco
  • Trecho 3: Cusco-Brasil

Isso pode ser feito com um agente de viagem, em agências online e buscadores, como o Kayak, ou diretamente nos sites da Latam e da Avianca.

A modalidade "múltiplos destinos" ou "várias cidades" rentabiliza todo o percurso e vincula os dois vôos que compõem a volta (Cusco-Lima e Lima-Brasil), garantindo a conexão ou, no caso de atraso do primeiro vôo, a assistência da cia. e reacomodação num outro vôo sem custo extra (leia mais aqui). Isso é muito importante, porque o aeroporto de Cusco fecha com freqüência, por qualquer problema meteorológico. Se o aeroporto fecha, seu vôo atrasa e sua passagem não é vinculada, você vai ter que comprar outra passagem (ou no mínimo pagar multa e diferença tarifária) para conseguir um novo vôo em Lima.

Além disso, a modalidade múltiplos destinos/várias cidades rentabiliza ao máximo a tarifa paga -- na maioria das vezes, você incluirá Cusco praticamente pelo preço de uma passagem Brasil-Lima-Brasil.

Por isso, resista a comprar passagem ponto a ponto Brasil-Lima-Brasil (sem Cusco), mesmo que esteja em promoção. Os trechos internos Lima-Cusco e Cusco-Lima podem sair bem mais caros do que você imagina, e a conexão da volta vai ser super estressante -- já que os vôos não estarão vinculados no mesmo bilhete, e se o primeiro vôo atrasar, você pode perder o segundo, tendo então que remarcar a passagem com multa e diferença tarifária (mesmo que o segundo vôo seja feito pela mesma cia. do primeiro).

Normalmente, quando há promoções a Lima, as mesmas condições valem para Cusco. Sempre pesquise na modalidade múltiplos destinos/várias cidades.

Da mesma forma, não emita passagem com milhas só até Lima. Emita com ida a Lima e volta de Cusco, e veja se consegue emitir também Lima-Cusco com milhas.

Vai passar por Ica, Nasca, Arequipa e Puno?

Se quiser fazer o circuito inteiro do sul do Peru, continue a passagem aérea na modalidade múltiplos destinos/várias cidades, mas apenas dois trechos:

  • Trecho 1: Brasil-Lima
  • Trecho 2: Cusco-Brasil

Faça os trajetos internos de ônibus (com a Cruz del Sur).

Quer ir apenas a Puno antes de Cusco?

Para incluir apenas Puno neste roteiro, compre a passagem aérea na modalidade múltiplos destinos/várias cidades, com 3 trechos:

  • Trecho 1: Brasil-Lima
  • Trecho 2: Lima-Juliaca (o aeroporto mais próximo de Puno)
  • Trecho 3: Cusco-Brasil

Faça o trajeto Puno-Cusco de ônibus (com a Cruz del Sur).

Os melhores vôos para cumprir este roteiro

As dificuldades da Avianca

Depois de ver falir a sua subsidiária brasileira, chegou a vez da Avianca internacional (ou Avianca Holdings) enfrentar problemas contábeis. Grandes prejuízos têm obrigado a cia. a cortar rotas e se reestruturar -- inclusive com mudança de gestão. Há rumores de que a cia. vá entrar em recuperação judicial (uma medida extrema que evita a falência).

O porte da Avianca (é a cia. aérea mais importante tanto da Colômbia quanto do Peru) e o fato de ser proprietária de muitos aviões, que podem ser vendidos para cobrir dívidas, tornam mais difícil uma eventual falência.

Mas não dá para desconsiderar a situação da Avianca na hora de comprar sua passagem. Se você não quer precisar acompanhar o noticiário para se informar da situação da cia. com que vai voar ao Peru, escolha a Latam.

Saindo de São Paulo

Se puder sair na sexta, escolha o vôo Latam com saída de São Paulo às 19h35 (chegada em Lima às 22h55). Siga a Cusco na segunda-feira no vôo Latam das 10h44 (chega ao meio-dia em Cusco). Volte a São Paulo no Latam das 9h30 de Cusco a Lima (chegada às 10h57), com conexão para o vôo Latam que sai às 13h29 e chega em São Paulo às 20h30.

Caso só possa sair no sábado, pegue o vôo Latam das 7h20 (chegada em Lima às 10h50); os outros vôos permancem os mesmos.

Voando Avianca, saia no sábado no vôo das 6h (chegada em Lima às 8h55). Na segunda-feira, siga a Cusco no vôo Avianca das 14h (chegada em Cusco às 15h20). Volte no domingo no vôo da Avianca das 16h15, que faz conexão com o vôo Avianca que sai de Lima às 21h10 e chega em São Paulo às 5h20 da madrugada de segunda. (Leia sobre as dificuldades da Avianca.)

Saindo do Rio de Janeiro

Para sair na sexta, você precisa matar o serviço à tarde e pegar o vôo Latam que sai às 15h30 do Galeão para São Paulo e faz conexão com o vôo Latam São Paulo-Lima das 19h35 (chegada em Lima às 22h55). Siga a Cusco na segunda-feira no vôo Latam das 10h44 (chega ao meio-dia em Cusco). A volta também é bem chata, com saída de cusco no vôo Latam das 5h32 (que chega às 6h59 em Lima), continuando a São Paulo no vôo que sai às 9h14 (e aterrissa às 16h25), para por fim pegar o terceiro vôo ao Rio de Janeiro que sai às 18h35 (e chega ao Galeão às 19h40).

O melhor esquema com partida do Rio de Janeiro é voando Avianca, a única cia. que tem rota direta a Lima e vai também a Cusco. Saia no sábado no vôo Avianca das 5h50 (chegada em Lima às 9h15). Prossiga na segunda a Cusco no vôo Avianca das 14h (chegada às 15h20) e volte domingo no vôo Avianca Cusco-Bogotá das 16h05 que faz conexão com o vôo direto da Avianca Bogotá-Rio das 21h15, direto ao Rio, chegando às 5h30 da madrugada da segunda. (Leia sobre as dificuldades da Avianca.)

Saindo de Porto Alegre

Quem sai de Porto Alegre também deve aproveitar a rota direta da Avianca. Saia no sábado, no vôo Avianca das 6h25 (chegada em Lima às 9h15). Siga na segunda a Cusco no vôo Avianca das 14h (chegada às 15h20) e volte domingo no vôo Avianca das 10h05, que permite que você passeie à tarde por Lima e volte no vôo das 22h50 direto a Porto Alegre, chegando às 5h35 da manhã de segunda. (Leia sobre as dificuldades da Avianca.)

Precisa vacina contra febre amarela para ir ao Peru?

Por enquanto, não precisa.. O Peru é um dos únicos países da América Latina que não exigem a vacina de brasileiros. Mas isso pode mudar a qualquer momento. Se você tem intenção de viajar a países latino-americanos nos próximos anos, consulte seu médico e veja se você pode ser vacinado. Se puder, meu conselho é vacinar-se -- tanto para estar protegido da doença no Brasil como para não ter problemas nas viagens. Se você não puder se vacinar por razões de saúde, seu médico pode emitir um certificado internacional de isenção da vacina.

Lembre-se que a vacina só vale depois de 10 dias; se o Peru passar a exigir a vacina amanhã e a sua viagem estiver marcada para dali a oito dias, não será aceita no dia da viagem e você precisará remarcar. Veja como vacinar-se e tirar o certificado internacional (ou o de isenção) .

Como comprar o ingresso para Machu Picchu

Desde 2011, obedecendo a determinação da Unesco, a cidadela de Machu Picchu passou a receber no máximo 2.500 visitantes por dia. Por isso é importante comprar seu ingresso com antecedência, pelo site MachuPicchu.gob.pe.

O site foi reformulado em janeiro de 2019 e não tem mais versão em português. A versão em inglês costuma aparecer automaticamente para estrangeiros. Se você preferir comprar em espanhol, configure o idioma na barra do alto, à esquerda.

Para iniciar o processo, você precisa escolher uma data. O site vende ingressos para o mês corrente e para os cinco meses seguintes.

A partir de 1º de janeiro de 2019, os ingressos estão sendo vendidos com hora marcada. Há 9 horários disponíveis: a primeira entrada e às 6h, e a última, às 14h.

Os ingressos para estrangeiros custam 152 nuevos soles (algo como US$ 45). Há outras novidades nas regras de visitação; leia aqui.

Além do ingresso simples, há dois outros ingressos disponíveis (com lugares ainda mais limitados) para combinar o circuito da cidadela com o trekking por uma das duas montanhas do complexo. O ingresso Machu Picchu + Montanha Huayna Picchu custa 200 nuevos soles (US$ 60), mesmo preço do ingresso Machu Picchu + Montanha Machu Picchu.

Definido o ingresso, você vai precisar preencher a ficha dos visitantes. No campo de documento, informe o que você vai levar no dia -- pode ser RG ("DNI", em espanhol) ou passaporte.

O pagamento tem uma pegadinha: é preciso usar um cartão de crédito internacional Visa participante do sistema Verified by Visa, ou cartão de crédito internacional MasterCard participantes do sistema MasterCard SecureCode. Estes sistemsa remetem a uma verificação do seu banco emissor (por senha ou token) antes da compra. (Saiba mais sobre esse sistema neste post). Se você ainda não tem um cartão Verified by Visa ou MasterCard SecureCode, vale a pena fazer um -- cada vez mais sites internacionais estão usando o sistema.

Se você estiver no Peru, pode anotar o código da reserva e terá três horas para pagar por boleto numa agência do Banco de La Nación ou em postos específicos em Cusco e Aguas Calientes. Esta alternativa não é recomendável porque é bastante arriscado deixar para comprar o ingresso ao parque só no Peru (sobretudo na alta temporada entre maio e setembro).

Uma vez comprados, imprima os ingressos e leve com você.

Vale a pena incluir a Montanha Huayna Picchu?

A Machu Picchu que está na sua cabeça pode ser visitada em sua plenitude com o ingresso simples. O passeio com calma, percorrendo toda a cidadela, requer três horas, com subidas e descidas, muitas vezes debaixo do sol. É um passeio maravilhoso, porém naturalmente exaustivo.

Quando você inclui uma subida a uma das montanhas -- seja à Huayna Picchu, seja à Montanha Machu Picchu -- você acrescenta de três a quatro horas de esforço físico à sua visita. Sinceramente, não acredito que a relação sacrifício x benefício seja boa.

De todo modo, há três casos de visitantes que devem considerar comprar o ingresso com trilha:

  • Trekkistas, andarilhos, fãs de turismo-aventura
  • Quem gostaria de ter feito a Trilha Inca mas não tem tempo ou fôlego para tanto
  • Quem vai fazer a visita em dois dias consecutivos

Leia mais sobre isso, incluindo opiniões divergentes de leitores, neste post.

Como comprar a passagem de trem

A não ser que você chegue a Machu Picchu pela Trilha Inca, vai precisar pegar o trem até Aguas Calientes (oficialmente, Machu Picchu Pueblo), a cidadezinha de onde partem os microônibus que levam ao santuário de Machu Picchu.

Há três pontos de partida do trem:

  • San Pedro, uma estação em Cusco, que foi reativada em maio de 2019
  • Poroy, uma estação a 25 minutos de táxi de Cusco, de onde saem trens da Peru Rail
  • Ollantaytambo, uma cidade do Vale Sagrado a 2h de carro ou van de Cusco

Saindo de Cusco, a viagem até Aguas Calientes vai levar em média 4 horas, por qualquer uma dessas rotas (táxi a Poroy + trem a Aguas Calientes, ou van a Ollantaytambo + trem a Aguas Calientes).

Se você seguir o meu roteiro, vai pegar pegar o trem em Ollantaytambo. O percurso de ida de Cusco a Ollantaytambo vai ser aproveitado para fazer paradas pelo Vale Sagrado (como você verá neste post).

Duas cias. operam na ferrovia: a PeruRail, do grupo Belmond (antigo Orient-Express) e a Inca Rail.

As duas cias. oferecem vagões com diferentes níveis de conforto. Os preços são por trecho (só ida ou só volta) e variam conforme dia e horário da viagem.

Primeira viagem ao Peru: trem PeruRail Expedition

PeruRail: trem Expedition

Na PeruRail, o vagão menos caro é o Expedition (US$ 75 Poroy-Aguas Calientes, desde US$ 70 Ollanta-Aguas Calientes). Na Inca Rail, a classe mais barata é a The Voyager, que tem tarifas a partir de US$ 70 (Ollanta-Aguas Calientes).

Primeira viagem ao Peru: trem Vistadome PeruRail

PeruRail: trem Vistadome

Os vagões mais panorâmicos da PeruRail (e com melhor serviço de bordo) são os VistaDome (desde US$ 115 San Pedro-Aguas Calientes, US$ 105 Poroy-Aguas Calientes, US$ 95 Ollanta-Aguas Calientes). A classe equivalente da Inca Rail seria a The 360° , desde U$ 115 (San Pedro-Aguas Calientes), US$ 105 (Poroy-Aguas Calientes) e US$ 85 (Ollanta-Aguas Calientes).

Primeira viagem ao Peru: Inca Rail First Class

Inca Rail: vagão First Class

A Inca Rail também tem uma First Class com serviço de luxo desde US$ 208 (San Pedro-Aguas Calientes) e US$ 195 (Ollanta-Aguas Calientes).

Se você está achando tudo muito caro, preciso informar que as duas cias. também têm classes AAAA gargalhantes: a PeruRail tem o Sacred Valley Train (desde US$ 195 Ollantaytambo-Aguas Calientes), o Hiram Bingham (desde US$ 540 Poroy-Aguas Calientes) e a Inca Rail, a The Private Machu Picchu Train (um vagão que pode ser fretado entre Ollanta e Aguas Calientes, com preço sob consulta).

Caso você queira seguir este roteiro que eu sugiro, compre da seguinte maneira:

  • ida: Ollantaytambo-Aguas Calientes num trem do início da tarde, com saída entre 13h e 14h. Você chega a Aguas Calientes a tempo de dar uma descansada à tarde (dá para aproveitar as águas termais).
  • volta: Aguas Calientes-Ollantaytambo, Poroy ou San Pedro, também num horário vespertino, com partida umas duas horas depois do horário em que você calcula terminar sua visita a Machu Picchu.

É melhor comprar a volta a Ollantaytambo, Poroy ou San Pedro?

Dá certo dos dois jeitos. San Pedro está no centro de Cusco e garante uma volta mais confortável. Poroy deixa perto de Cusco, mas ainda envolve pegar um táxi para ir ao seu hotel. E a volta por Ollanta não tem perrengue, não: uma frota de vans estará à espera dos passageiros para transportar até Cusco, por 15 soles por pessoa. O tempo de viagem acaba sendo parecido, porque as vans levam ao centro de Cusco (Poroy está a 18 km da cidade).

Que moeda eu levo para o Peru?

Primeira viagem ao Peru: 100 nuevos soles

Não compre soles peruanos no Brasil

Não compre moedas fracas no Brasil em geral. Os valores parecem pequenos, mas na verdade a cotação é bastante desfavorável; a margem de lucro das casas de câmbio nessas moedas é maior do que as margem que auferem ao vender dólar ou euro. Um exemplo: no momento em que escrevo este post, tendo o dólar como parâmetro, o sol está valendo cerca de 15% a mais do que o real. Só que tem corretora vendendo sol 40% mais caro que o real! Os valores podem mudar, mas a diferença nunca compensa. Se você quer ter soles peruanos no bolso desde a chegada, troque 100 dólares na casa de câmbio do aeroporto, junto às esteiras de bagagem. Mesmo com a cotação fraquinha de casa de câmbio de aeroporto, você vai perder menos dinheiro do que comprando soles no Brasil.

Não leve reais para o Peru

Infelizmente essa cotação da regrinha de três entre dólar, sol e real não se confirma na prática, quando você leva seus reais para trocar numa casa de câmbio no Peru. Durante a minha última viagem, meus reais compravam sempre 10% menos soles do que se eu tivesse usado a mesma quantia em reais para comprar dólares no Brasil e trocar por soles no Peru. Sem falar que o real em espécie sofre do mesmo problema do cartão de crédito: pode desvalorizar durante a sua viagem. Os mercados são interligados, e uma desvalorização do real frente ao dólar no Brasil se reflete imediatamente no Peru (ou qualquer lugar do mundo).

Prefere levar dinheiro vivo? Leve dólares

Da mesma maneira que o dólar vale muito no Brasil, vale muito no Peru também. O dólar que você compra aqui mantém o seu poder de compra lá. Apenas tome o cuidado de pesquisar a cotação do dólar aqui, para comprar o dólar menos caro que encontrar. Tome cuidado também para trocar bem o seu dinheiro no Peru. Troque o mínimo possível em aeroportos, nos fins de semana e fora do horário bancário. A melhor cotação é obtida durante em dias de semana, durante o horário bancário. Evite casas de câmbio muito informais; o risco de receber uma nota falsa é bem maior nesses lugares. Por outro lado, seus dólares podem ser aceitos diretamente por vários operadores de passeios, sem precisar ser trocados em casa de câmbio.

Cartões são menos vilões do que parecem

Todo mundo conhece de cor os problemas do cartão de crédito e do cartão pré-pago: ambos sofrem a incidência de 6,38% de IOF, e o cartão de crédito ainda sujeita você à desvalorização do real entre o dia do gasto e o do vencimento da fatura. Permita-me, porém, lembrar as vantagens dos cartões -- sim, elas existem. A maior delas é garantir o câmbio mais justo do sol peruano para o dólar. Usando cartão você não precisa camelar entre casas de câmbio comparando cotações; e a cotação usada para converter os seus gastos não vai variar entre cidades, horários ou dias da semana, e vai ser bastante superior à cotação de qualquer casa de câmbio (com a incidência do IOF, a cotação do cartão acaba entre igual e ligeiramente inferior às melhores casas de câmbio). Outra vantagem é evitar o risco de receber notas falsas. Uma nota de 100 soles falsa que você receba significa mais de 100 reais.

O cartão pré-pago congela o dólar no momento da compra da moeda, mas dá um pouquinho de trabalho para carregar e controlar o saldo. Mas se você tem medo de desvalorização do real, ou tem limite baixo no cartão de crédito internacional, o pré-pago é uma ótima alternativa.

O melhor cartão de crédito atualmente é o da Caixa, porque oferece uma cotação próxima ao dólar comercial e faz a conversão para reais na data de cada compra (o valor não varia até o vencimento da fatura).

Vale a pena fazer saques em caixas automáticos?

O problema dos saques em soles é que, além do IOF de 6,38% brasileiro, você ainda precisa pagar a tarifa de saque do seu cartão e a tarifa de uso do equipamento. Como os valores máximos de saque são baixos, essas tarifas acabam pesando demais no total. Se você for fazer retiradas, a melhor rede é a BCP, que permite retirar até 700 soles (pouco mais de 210 dólares) e cobra 13,50 soles de tarifa (4 dólares -- 2% no saque máximo). A GlobalNet é a pior: deixa retirar no máximo 400 soles (uns 120 dólares) e cobra 14,50 soles de tarifa (4 dólares -- 3,5% no saque máximo). A rede Scotiabank permite retirar até 500 soles; BBVA e Multired, 400 soles. Clientes Santander Select e Citibank, porém, fazem saques isentos de tarifa (mas com IOF de 6,38%), desde que usem as agências próprias desses bancos.

Um bom mix

Divida sua verba para a viagem ao Peru entre dólares vivos e cartão pré-pago ou cartão de crédito. Use os dólares para trocar dinheiro miúdo para o dia a dia e para pagar diretamente pelos passeios. Pague os hotéis com cartão. Dessa maneira você evita precisar trocar grandes quantias em casa de câmbio (diminuindo o risco notas falsas e o volume de dinheiro vivo a transportar).

Cusco

Boa viagem!

Mais Primeira viagem ao Peru:

733 comentários

florencia tolkachier

Olá Ricardo !!! Estou indo pela primeira vez para Peru agora no mês de junho.
No día 25 partirei de Cusco para pernoitar em Ollanta. Minha pregunta é: Dá para fazer Pisac (mercado e sitio arq.) e Valle Sagrado (Chinchero-Moray- Salinas Maras) todo no mesmo día ??? Eu não tenho pressa de horário para chegar em ollanta, pois no dia seguinte vou conhecer a cidade com calma .
Muito Obrigada pelas suas informações, estão sendo muito uteis para montar o nosso roteiro.
Obg !!!! Florencia

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Florencia! Quem responde é A Bóia. Nesse caso você teria que negociar um passeio que fizesse Chinchero, Moray e Maras até Urubamba e de Urubamba fosse a Pisaq e voltasse na direção oposta a Ollanta. Impossível não é, mas é puxadíssimo se você quiser visitar o sítio arqueológico de Pisaq.

Mauro
MauroPermalinkResponder

DÚVIDA SOBRE HOSPEDAGEM: No roteiro "Primeira viagem ao Peru, itinerário para 9 noites", a hospedagem na região de Cusco: 3 noites em Cusco; 1 noite em Ollantaytambo; 1 noite em Aguas Calientes e retorno p/1 noite em Cusco.
A reserva de hospedagem p/Cusco deve ser feita para o total do período nessa região, 6 noites, o que permitiria deixar a bagagem no hotel em Cusco e fazer Ollantaytambo e Aguas Calientes somente c mochila leve, ou encerra-se as 3 noites em Cusco, carregando toda bagagem consigo e depois fica a noite final em Cusco?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mauro! Só é preciso reservar as noites que você vai efetivamente dormir no hotel. Qualquer hotel de Cusco guardará suas bagagens até você voltar de Machu Picchu, até mesmo se você não dormir uma noite na volta.

Marcelo Fernandes

boa noite, estou usando as dicas, no site de compra do ticket para Machu-Pichu, para mes de julho e os meses seguintes as disponibilidades estão todas zeradas.
sabem por que?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcelo! Porque vão mudar as regras de visitação. Os ingressos para julho em diante serão vendidos a partir de 1/6.

Marcelo Fernandes

boa noite, eu só fico preocupado caso comece a fazer as reservas, voo, hotel, trem, sem saber se vou conseguir reservar a vista no parque nas mesmas datas.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcelo! As entradas vão começar a ser vendidas com 30 dias de antecedência para a primeira data. Não tem como não conseguir.

Maria Fontes
Maria FontesPermalinkResponder

Ola!! Boa Noite. Por gentileza alguém sabe indicar se em Peru. Tem internet q se compra um Chip 3G ilimitado?
Obg!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria! Não conhecemos planos de 3G pré-pago ilimitado em lugar nenhum. Você terá que adquirir pacotes de 1, 2 ou 3 gigas. Se esgotar, pode comprar outro.

luiza dalle zotte carvalho

Olá, Desde já agradeço pelas informações que disponibilizam no site, nos ajudam muito a definir nosso roteiro!

Por favor, Gostaria de saber se por acaso vocês tem informações a respeito de uma taxa a ser cobrada para não residentes do Peru em certos trechos..Achei estranho não ter lido sobre esta taxa em nenhum dos blogs de viagem ou até mesmo genericamente no google... Talvez seja algo recente.

Muito obrigada, atenciosamente, Luiza.

(seguem relatos que fiz em outros sites-->wink

1ª Etapa da Saga x Avianca
Pessoal, comprei minha passagem no site da avianca em março... E na época não apareceu a seguinte mensagem (que vi agora, qnd fui verificar preço das promoções para amigos):
"Lembre-se
Nas seguintes rotas, as opções tarifárias Promo e Econo aplicam-se só para residentes no Peru portadores de DNI ou cartão de estrangeria:
- Entre Lima, Cusco e Puerto Maldonado.
- Entre Lima e Juliaca.
Caso o passageiro não apresentar os documentos de residência acima, deve pagar no aeroporto uma taxa de USD 178,5 (IGV incluído). O embarque será denegado no caso de descumprimento destas condições.
ContinuarFechar"

Telefonei na Avianca e eles confirmaram que ainda que para mim não tenha aparecido na hora da compra o aviso, ainda que eu tenha informado minha nacionalidade, ainda que meu endereço de fatura era do brasil, que não apareceu nenhuma taxa acrescentada no valor total a pagar, ainda que não apareça de forma explicita , EU TEREI QUE PAGAR!
Paguei 1360,00R$ nos 3 trechos e agora haverá um acréscimo de 550 reais , a ser pago no guichê do aeroporto em LIMA, antes de partir para cusco.

2ª Etapa da Saga
Fiz a reclamação pelo facebook e eles entraram em contato comigo por telefone. Me informaram que esta taxa é do governo peruano e não da avianca, que eles recebem e repassam o valor e que a taxa é para pessoas que "abrem" a viagem em lima, estrangeiros não residentes. Vou para lima, fico 2 dias e só então vou para o cusco, devendo pagar 178 usd de taxa para este trecho. No caso da minha volta, em que só tenho escala em lima, sem sair do aeroporto, não precisaria pagar.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luiza! Quais foram os trechos em que as taxas foram cobradas? Essas passagens estavam vinculadas à passagem internacional com saída do Brasil ou você comprou à parte?

Luiza!
Luiza!PermalinkResponder

Oi, Bóia! Obrigada pela pronta resposta!!! Comprei as passagens na modalidade multi-trechos, diretamente no site da avianca internacional. A passagem é a seguinte: Guarulhos/Lima, onde fico 2 noites, depois Lima/Cusco, onde fico 5 noites. Finalmente retorno, com trecho Cusco/GRU, tarifa super economo. Valor final foi 1368,00 com as taxas aeroportuárias.

Aos poucos, fui pesquisando e entendendo melhor a situação, portanto o meu relato tem alterações, bl?

Conforme o call center da AVIANCA me explicou, a taxa é cobrada para passageiros estrangeiros não residentes no Peru que compraram as tarifas Super Promo e/ou Econo entre lima/Cusco (tbm entre Lima, Cusco e Puerto Maldonado.
- Entre Lima e Juliaca). Ou seja, as tarifas Super Promo e Econo são apenas para residentes e peruanos, porém a informação não é nada explicita. Inclusive, qnd eu comprei, não apareceu em nenhum momento. Numa segunda oportunidade, fui verificar os preços da passagem e abriu uma janela pop up informando a restrição da tarifa economo.

Então liguei no call center e me informaram que pagarei apenas uma vez, que é a ida a cusco, já que desço em lima e fico 2 dias. Na volta, como eu apenas faço conexão em lima, não sera cobrado. O pessoal do call center me mandou um email, informando o seguinte: "Bom dia Sra. Luiza:

Acordo com nossa conversa lhe informo:

Inicialmente fazendo a solicitação dos itinerários no portal do Brasil, após aparece o pop up sobre a taxa que só e cobrada uma vez na cidade de Lima, no retorno não e cobrado. Esta taxa e um imposto que o governo do Peru cobra."

Achei poucos relatos de brasileiros...
http://www.reclameaqui.com.br/cH2XTLAM9Nz_4VJt/avianca-taca/cobranca-indevida/

http://www.mochileiros.com/post1277355.html#p1277355

Finalmente achei relato em inglês sobre a tal "Gringo tax" .. parece que apenas a Lan e a Avianca que cobram ...

https://www.lonelyplanet.com/thorntree/forums/americas-south-america/peru/re-flight-from-lima-to-cusco-best-airline

bem, agradeço o apoio e as prontas respostas... Vou seguir com a viagem, pois a tarifa que comprei não permite reembolso e porque já planejei tanto que vou engolir o sapo. Retorno ao site para contar qualquer novidade a respeito! Viajo só em agosto.

atenciosamente, L. C.

Mariana
MarianaPermalinkResponder

Luiza, estou no mesmo problema que você. Na verdade eu vi a mensagem e imediatamente liguei para a Avianca Brasil questionando isso. Na primeira ligação solicitaram que eu falasse diretamente com a Avianca.com, mas se disseram que eu podia comprar com eles tb.

E foi o que fiz, mas no dia seguinte. Comprei por telefone (pagando cerca de 100 reais mais caro que no site) para ter a segurança de não ter problemas. Porém antes de fechar a compra eu questionei novamente sobre esse trecho interno, já que estava falando com outro atendente. Por incrível que parece o atendente nunca tinha ouvido falar nisso. Eu insisti e ele foi checar. Garantiu que não haveria cobrança por parte da Avianca e que se houvesse cobrança seria por parte das autoridades do Peru. Eu já tinha pesquisado e achei relatos que a Avianca que fazia essa cobrança. Confiei e fechei por telefone, mas essa falta de info clara me incomoda demais. Minha passagem não foi barata, pois foi de última hora. Acrescentar mais 177 dólares por pessoa será um baita prejuízo. Enfim, volto para contar também, mas estou torcendo para nada acontecer...

Luiza!
Luiza!PermalinkResponder

Oi, Mariana! Entre aqui neste fórum e conta sua experiência tbm!!! Pensei em tentar uma causa coletiva no reclame aqui ou algo assim...

http://www.mochileiros.com/post1279919.html#p1279919

Me chateia muito a falta de informação a respeito disso. Atendentes da avianca me falaram que é uma taxa do governo, mas não explicam o que é a taxa, pra que serve, pq não cobram na hora da compra mas somente no aeroporto...
porém em blogs muitas pessoas falam que isto é uma forma que a Latam e Avianca acharam para dar desconto aos residentes, compensando no valor da passagem dos estrangeiros, mas não sei se procede.. ou seja, ninguém sabe informar exatamente o que é a taxa, porque é cobrada, pra quem vai o dinheiro...

luiza dalle zotte carvalho

olá, bóia!
Retorno para avisar que no final das contas não foi necessário pagar a taxa. Na verdade, fomos ao balcão de check in da avianca em lima e nem tocamos no assunto, da mesma forma a atendente tbm não. Resumindo, a tal taxa não foi cobrada. Outros 2 grupos com quem eu mantinha contato a respeito do tema não foram cobrados. A data foi 23/08/2017. Obrigada por tudo.

MARCOS FAVARO
MARCOS FAVAROPermalinkResponder

Olá Ricardo!!! Gostariamos de agradecer as excelentes dicas e orientações. Eu e minha esposa viajamos no dia 05/05 e retornamos no dia 14 aqui para Curitiba. Seguimos exatamente seu roteiro, inclusive tomando o vôo indicado em São Paulo numa sexta. Prefeito, td ótimo! Ficamos encantados com o Perú. Cusco é uma cidade maravilhosa, três noites e a última noite do roteiro lá, selando a viagem no restaurante Limo, foi perfeito. Fizemos os passeios à partir de Cusco acertando com um táxi ( primeiro dia para o lado de Pisac e segundo dia para o lado de Morás, nos deixando no hotel em Ollanta). S/ 160/dia. Ainda combinamos com ele a volta de Ollanta para Cusco: nos apanhou na estação no horário combinado, apanhamos a bagagem no guarda volumes da Peru Rail e nos deixou em Cusco (+ S/80). Poderíamos ter pego o Vistadome antes, é perfeitamente possível visitar o Machu Picchu pela manhã) no entanto nosso ticket era para 15:48, estávamos de volta à Aguas Calientes às 12:00 e não conseguimos adiantar a partida por haver comprado a passagem na promoção. Em contrapartida almoçamos no excelente restaurate do Inkaterra hotel, próximo à estação, sem pressa conferindo as fotos do majestoso Machu Picchu.
Valeu! Agradecemos imensamente!!

catia
catiaPermalinkResponder

quero comprar o ingresso para Machu Picchu com o cartão VISA da minha irmã. Preciso apresentar o cartão de crédito que foi comprado o ingresso para ingressar no parque?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Catia! Nas letras miúdas dizem que sim, mas na prática não pedem -- só conferem o nome do ingresso com o nome do seu passaporte ou RG. Tire uma xerox do cartão para levar com você, caso peçam.

Claudia
ClaudiaPermalinkResponder

Ola Ricardo.Aproveitei muitas dicas suas para minha viagem ao Peru em junho. Mas fiz um roteiro invertido começando por Ollamta - Águas Calientes - Machu Picchu - Cuzco .... - Lima
Meu problema é que vou fazer os trens indo e voltando por estações distintas e vi que o limite de bagagem é de 5kg apenas. É tão rigoroso assim? sabe de há alguma alternativa?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Claudia! É sim. A alternativa é voltar por Ollanta também.

Ivan
IvanPermalinkResponder

Boa noite!
Acessei a página www.machupicchu.gob.pe para compra de bilhetes para Machu Picchu e encontrei as seguintes opções: Machu Picchu, Machu Picchu 2ºturno, Machu Picchu Vespertino 13:00 horas. Qual opção devo escolher já que pretendo ir no dia 11/08 no turno da manhã?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ivan! A visitação a Machu Picchu muda dia 1º de julho.

Se você for visitar em junho, poderá escolher entre Machu Picchu (que até 30 de junho permite visitar o dia inteiro) e Machu Picchu horário vespertino (com entrada a partir das 13:00).

Se você for visitar a partir de 1º de julho, só poderá escolher entre Machu Picchu (que passará a permitir visitas apenas entre 6h e 12h) e Machu Picchu 2º Turno (que permitirá visitas entre 12h e o fechamento).

Ao tentar comprar a opção 2º Turno para qualquer data até 30 de junho, você vai encontrar disponibilidade 0, porque essa opção não vale para esses dias. A mesma coisa acontece com a opção horário vespertino para visitas depois de 1º de julho. O menu oferece a alternativa, mas na hora de marcar você não consegue confirmar.

Para visitar pela manhã, em agosto, selecione a alternativa Machu Picchu. Você poderá visitar entre 6h e 12h.

Ivan
IvanPermalinkResponder

Muito obrigado! Parece que o site já está funcionando para vendas, imagino não ser preciso esperar até 01/06.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ivan! Sim, deve ter começado hoje, pelo jeito.

Fernando Pinto Coelho

Fizemos, eu Fátima, minha mulher, o roteiro de Viagem na Viagem, a exceção dos vôos e a dormida em Ollanta, por não ter conseguido tickets no Vistadome. Só tinha Poroy(Cusco)-Machu Picchu e vice-versa. Assim, tive que ir de Cusco à Pisac, Ollanta e Chinchero no mesmo dia. É cansativo. Mas, também não vi motivos para dormir em Ollanta. Ah, no dia da chegada em Cusco realmente não coma carne e nem beba, senão vai ter soroche no dia seguinte.
Na programação do trem, a grande vantagem foi que viajamos para Machu Picchu pela manhã no Vistadome. As paisagens são imperdíveis. Valorize isto no seu roteiro. À noite, a diversão do trem são os comissários. Você vai saber porque.
Dormimos em Machu Picchu Pueblo (Aguas Calientes) e subimos para o sítio às 8:00. Foi perfeito, pois só voltamos às 14:00 para pegar o trem de volta para Cusco às 17:00. Curta o sítio sem guia também. Se for contratar um guia, faça isto na entrada do sítio, inclusive há brasileiros. Fica mais barato do que contratar lá embaixo, como nós fizemos (S 150,00).
Como meu vôo foi Latam de SSA para Lima, via GUA, e pela Avianca Lima-Cusco-Lima, aproveitando milhas em ambas passagens, na volta para Lima as bagagens não embarcaram em Cusco por segurança (peso). Isto não é incomum. Assim, sugiro viajar na mão com kit 2 dias sem mala. Nossas malas só chegaram em SSA 1 dia depois do retorno, bem, sem nenhum tipo de problema.
Em Lima só fique em Miraflores. Curta happy hour no Larcomar. Restaurantes excelentes em Lima ($$$): PeScados Capitales, Lamar e Lima 27. Em Cusco: Chicha. Além dos famosos "cebiches" e comidas "criollas", tente experimentar cuy em cuyeria. Em restaurante não tem graça. Cerveja só Cusqueña e Pisco é imperdível.

yasmin pessoa
yasmin pessoaPermalinkResponder

Boa Noite, pessoal..

Estou usando o roteiro de vocês como guia para minha viagem, irei na primeira semana de agosto. Adorei as dicas .
Tenho uma duvida... moro em Belém e consegui um bom preço por milhas na Latam, Belem-Lima ida e volta,a questão é: é fácil comprar passagem lima-cusco ? fica muito mais caro ? Porque as passagens que eu estou achando pela internet,inclusive no Viajanet, as taxas estão mais caras que o valor da passagem em si. Por exemplo,vi uma passagem que custava 340,00 e a taxa 400.

Em contrapartida, achei passagem, pela avianca, gru-lima lima-cusco cusco-gru por 1800,00....Estou na duvida se já garanto as passagem, para evitar dor de cabeça, ou se compro apenas o trecho lima-cusco...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Yasmin! A passagem certa é aquela que cobre desde a saída da sua cidade até a volta para a sua cidade, passando pelos destinos que quer visitar -- seja comprada com dinheiro, seja comprada com milhas. Qualquer outra solução é enjambrada e vai sujeitar você a todo tipo de perrengues -- o principal deles, a falta de vinculação entre os trechos, que vai tornar todas as conexões arriscadas e não vai garantir assistência da cia. em caso de atrasos ou perda de vôos, eventualmente ocasionando a compra de uma nova passagem, pelo preço do dia.

Caso você queira se arriscar, arrisque-se, mas confira direitinho as letras miúdas da tarifa, veja o que pode não estar incluído e procure pernoitar em todos os lugares na véspera de pegar o vôo seguinte, já que as conexões serão precárias.

yasmin pessoa
yasmin pessoaPermalinkResponder

Entendi.

Mas e para comprar passagem em lima para cusco ? tem bastante opção por lá ?

Obrigada por responder

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Yasmin! Não se compra passagem na hora em lugar nenhum do mundo, a não ser em emergência. A tarifa sempre vai ser a mais cheia possível. Procure um agente de viagem, você ainda precisa ganhar um pouco de experiência antes de comprar passagem aérea complicada por conta própria.

Sheila
SheilaPermalinkResponder

Olá! Muito bom o roteiro de vocês, super completo, estou seguindo quase tudo no planejamento da minha viagem! smile Mas estou com um probleminha para comprar os ingressos de Machu Pichu, pois no site está sem disponibilidade de ingressos com subida para Huayna Pichu para o começo de julho, quando eu vou. Só aparecem ingressos disponíveis a partir do fim de agosto. Vocês sabem se nesse período está interditado o acesso à montanha, por algum motivo? Procurei alguma notícia nesse sentido, mas não achei...
Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sheila! É alta temporada e as vagas são limitadas para esse percurso.

Sheila
SheilaPermalinkResponder

Entendo, mas as vagas são concorridas a ponto de em 5 dias de venda de ingressos esgotarem todos os ingressos para os 3 meses seguintes? Me parece estranho...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sheila! Se parecem esgotados para os três meses seguintes, pode ser que não tenham sido postos à venda, então. Veja: o sistema está mudando. Vamos aprender só depois de 1º de julho como vai funcionar a visita a Huayna Picchu com o tempo limitado de seis horas de visita total ao santuário. As coisas estão confusas e a gente está em São Paulo, não em Machu Picchu.

Fabiano
FabianoPermalinkResponder

Ola, existe algum impedimento/problema de uma gestante ir a Machu Picho?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fabiano! Só quem pode dar opinião sobre isso é o médico da gestante. Não busque esse tipo de informação na internet.

celso petersen

Pessoal, muito legal as dicas. To indo agora em agosto pra Lima e Cusco.
No entanto, estou na duvida quanto a compra do bilhete pra visitação de MP. Sei que agora a política mudou e temos dois períodos de visitação (manha e tarde). Mas no site lá do governo não fica muito claro se temos opção de comprar um passe inteiro pra um dia ou se devemos comprar duas vezes Machu Picchu. Saberiam me informar? Valeu abss

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Celso! Depois de 1º de julho, se você quiser ficar o dia inteiro, vai ter que comprar dois ingressos. Um ingresso 'Machu Picchu' e outro ingresso 'Machu Picchu 2º turno'.

edgard tesser
edgard tesserPermalinkResponder

Olá Ricardo,
Estou seguindo teu roteiro de viagem Lima-Cusco-Olanta- Lima exatamente como sugerido,parabéns. Está sendo a viagem mais fácil de organizar, graças ao VnV.
Estou apenas com uma dúvida, comprei o trem Olanta-Machu Pichu no Vistadome. Ocorre que tem um limite de bagagens de 5 kgs. Estou viajando com mala pequena, mas que pesa uns 10 kgs. Será que passa? Alguém teria uma informação pra ajudar a entender como funciona a franquia de bagagem neste trem?

Grato,

Abraços.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Edgard! O embarque das bagagens é meio no olhômetro. Pergunte no seu hotel em Cusco se eles acham que a mala passa. Se ficar com receio, você tem duas opções: deixar a mala no hotel em Cusco (todos guardam) ou no guarda-volumes da estação de Ollanta (caso você desembarque ali na volta).

Luci Taveira
Luci TaveiraPermalinkResponder

Olá pessoal,
pretendo ir em agosto, mas posso ficar dois ou três dias a mais.
qual a melhor distribuição dos dias nesse caso?
Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luci! Você pode voar de Lima a Juliaca, dormir duas noites em Puno e ir de Puno a Cusco de ônibus.

Ou pode ir de ônibus de Lima a Ica, passar duas noites (para fazer oásis de Huacachina e passeio às ilhas Ballestras) e depois a Nasca, para uma terceira noite, fazendo o sobrevôo das linhas de Nasca, seguindo a Cusco no ônibus noturno.

ROGER
ROGERPermalinkResponder

Olá Pessoal
Uso o site de vcs p simplesmente todas as minha viegens. obrigado!
Queria só tirar 2 dúvidas:
1. Melhor fazer Lima-Arequipa-puño-cuzco-MP-Lima ou o contrario? Pq li o roteiro de vc e tbem outros e fiquei meio na duvida. Muitas pessoas indicam fazer esse ai. O que vcs indicam? tanto faz?
2. Em M.P., nessa nova modelagem de turismo, nós teremos autonomia de caminhar lá sozinhos ou teremos sempre que estar com um guia ao nosso lado e no meio de algum grupo. Fui la em 2006 e fiquei o dia todo perambulando para cima e para baixo sem ninguém
Valeu galera

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Roger! A gente acha que Machu Picchu é sempre o gran finale, desse jeito que está na sua pergunta 1. Não sabemos como vai funcionar na prática a visitação depois do dia 1º, se realmente vai ser exigida a companhia de um guia conforme está na nova regra.

ROGER
ROGERPermalinkResponder

Obrigado pela resposta
Eu fico somente preocupado com o clima. Vou no dia 4 de setembro e posso chegar em MP por volta do dia 7, mas também posso chegar por volta do dia 17. Quero acertar um dia excelente p ir la. Vou levar minha mulher que não conhece e espero fazer aquela surpresa! Eu fiquei deslumbrado com aquilo tudo! Valeu

ROGER
ROGERPermalinkResponder

Sim, e a 1 perguntar foi pq li que da para ir para arequipa, de lá ir p vale do colca e do vale ja ir p Puño e nao ter que voltar para arequipa. O contrario, Puño - Colca não é possível

Joaquim
JoaquimPermalinkResponder

Olá. Estou nesse exato momento (12/06/17) em Lima, 1real está valendo 0,90 sol e 1 dólar vale 3,25 soles. Estou em Miraflores e foram as melhores cotações.

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Olá! Estou tentando comprar machupicchu 1º turno e não aparece está opção. Apenas: Machupicchu, Machupicchu 2º turno, Machupicchu + montanhas .... e Machupicchu horário vespertino 13 horas. A pergunta é a primeira opção MACHUPICCHO é a opção matutino?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luciana! O primeiro turno é simplesmente "Machu Picchu".

ROGER
ROGERPermalinkResponder

Gente, pesquisando aqui um voo de Cuzco para Lima eu realmente vi que tudo que é tarifa econômica é só para peruano. Nós temos que comprar a tarifa cheia ou não promocional para fugir dos U$ 178,00. P exemplo, uma passagem pela Latam tem de U$ 97,00 para residentes e vai p U$ 159,00 para turistas. 97+178 num rola, então é ir nas tarifas cheias ou ir de buzão! valeu galera

Luci Taveira
Luci TaveiraPermalinkResponder

Oi pessoal, viajo em agosto e as dúvidas não param..vai lá:
vou de Lima a Nazca de ônibus, durmo uma noite e faço o sobrevoo na manha seguinte, e logo depois vou para cusco, acho que no ônibus noturno (será que o trajeto é perigoso?) a dúvida é: como incluir o lago Titicaca nesse trajeto?
ou tem algo mais interessante para ver entre nazca e cusco?
obrigada pessoal.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luci! O ônibus de Nasca a Cusco vai pelo interior. O percurso à noite num carro leito será menos estressante do que de dia. Para ir a Puno você teria que ir a Arequipa, é uma volta bem maior.

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Vamos pernoitar em Aguas Calientes, e pretendemos visitar Machu Picchu em um dia à tarde, e Huayna Picchu no outro dia pela manhã.
Ao comprar os ingressos, estou adquirindo apenas a entradas ao locais de visitação?
Como faço para chegar até estes locais?
A subida é feita por meio de ônibus ou totalmente a pé?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Juliana! Este é apenas o primeiro post da série. Por favor leia o post de Machu Picchu, que é o número 4 está linkado no começo e no fim do texto.
Vai mais uma vez aqui:

https://www.viajenaviagem.com/2016/04/machu-picchu-e-cusco

Obrigada.

Karen Cunha
Karen CunhaPermalinkResponder

Olá! Adoro o site!
Quero fazer Machupicchu e Waynapicchu no mesmo dia.
No entanto com a mudança de 2 turno (6-12:00 e 12-17:30), fiquei confusa.
O ticket no site de venda "Machupicchu e Waynapicchu", tanto 1G como 2G, obrigam o turista a sair do parque às 12 hrs?
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Karen! Entendemos que sim. Saberemos com certeza depois de 1º de julho.

ROGER
ROGERPermalinkResponder

Meu querido, você sabe se dá para fazer o tal percurso Chinchero, Moray e Maras nos tour vendidos por lá e ainda ver Ollanta ao final da tarde para depois disso pegar o trem de 20h p A. Calientes? Será corrido demais? To tentando organizar minha viagem e cheguei a essa dúvida: 1º.Cuzco-chinchero-Moray-Maras(tour)-Ollanta (trem p A. Calientes 19:04-20:45). 2º. MP-trem p Ollanta 18:20-20:05 (pernoite aqui). 3º Ollanta-Pisac (ruinas e feira)-Cuzco.
Mas tbem poderia ser que a gente fizesse essa ida a Pisac por nossa conta indo e voltando de Cusco em um dia isolado. Tbem pode ser legal (acho que pode ser mais legal mesmo) ir nos transportes locais e fugir do padrão tudo formatado né. Que vc me diz Boia. Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Roger! Ir a Pisaq depois de Machu Picchu... é isso que o Ricardo Freire tentou evitar ao montar esse roteiro. No capítulo do Valle Sagrado há a explicação de como ir a Pisaq por conta própria.

ROGER
ROGERPermalinkResponder

Ok. Essa parte eu entendi la no texto. É que seria depois de MP, mas num 3º dia. Ou partindo de Ollanta, ou voltando para Cuzco no 2º dia para no outro ir por conta própria. O que não sei é se dá para fazer esse roteiro de pisac saindo de ollanta, pois eu mandei alguns mails para algumas agências de la e eles não respondem. Ai queria saber só se vcs sabem se essas agências fazer esse tipo de roteiro quebrado... Mas o restante da viagem toda sera muito parecida com o roteiro de vcs.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Roger! Qualquer taxista negocia qualquer itinerário com você. Existem também vans que vão de Ollanta para Urubamba, em Urubamba você pega outra van que vá a Pisaq.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Note que subir em Ollantaytambo depois de zanzar boa parte do dia entre Chinchero, Moray e Maras, e ainda com a preocupação de pegar um trem e depois os perrengues para achar seu hotel em Aguas Calientes vão tornar esse dia mega-ultra-cansativo. O que era uma viagem zen, preparando você pouco a pouco para subir a Machu Picchu, vira uma maratona que não difere em nada dos tours de pacote que você está querendo evitar.

ROGER
ROGERPermalinkResponder

É. Vc tem razão. É que conversando com outros que fizeram esse passeio p Maras, Moray e Chinchero eu entendi que fosse um passeio muito leve, somente com paradas não muito cansativas. Sei que Ollanta é subida e mais subida mesmo. Fora que to muito curioso de ver os relatos das visitas em 2 turnos em julho... isso pode vir a mudar muita coisa nas aventuras seguintes

Yutaca Maeda
Yutaca MaedaPermalinkResponder

Comprei passagens Lima Cusco/Cusco Lima, por uma cia aérea colombiana, recentemente instalada no Perú. (bem recentemente).
Viagem era para início setembro/2017. Busquei horário compatível com conexão. E não é que a cia aérea cancelou os voos, através de email. Pedi então a troca para outro horário. No mesmo dia a minha chegada, não há mais voos (nenhum). No dia seguinte, os voos saem bem cedo e eu tenho previsão de chegada para 09:20 AM. Estou tentando reembolso para buscar outra cia aérea. Enviei email, responderam que só por telefone, me deram os telefones, não consigo ligar. E tem mais, minhas passagens eram com pacote "passeio", tudo incluso. Se eu quiser trocar por outro dia, tenho que pagar novamente o pacote "passeio" e as tarifas pois nos dão uma passagem "limpa ou crua". É só um alerta. Leiam o jornal "EL Comércio". Tem notícias dessa cia que tem cancelados voos sem motivo.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Yutaca! Lamentamos muito a sua situação. Mas infelizmente é mais uma evidência de que o melhor é comprar todos os trechos vinculados a um só bilhete. Não vale a pena comprar a passagem só até Lima, mesmo qu seja emissão com milhas, por causa da possibilidade de galhos assim.

Andrius Machado

Olá Bóia! Vou à Lima 26/09 e depois Cuzco e Machu Picchu, seguindo o roteiro de vocês aqui do post. Entretanto, quis pesquisar sobre a "esticada" de duas noites a mais e uma passagem por Nazca antes de Cusco e o link parece "quebrado". Ao menos não está sendo encontrado: https://www.viajenaviagem.com/2016/04/roteiro-3-dias-em-lima
Gostaria de saber como é o trajeto pois cita-se percurso de ônibus. Seria no caso Lima x Nazca / Nazca x Cuzco via terrestre? Obrigado mais uma vez!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Andrius! Sim, é esse mesmo. O trecho Nasca-Cusco é noturno. Você compra ambos na http://www.cruzdelsur.pe

Márcia Guido
Márcia GuidoPermalinkResponder

Fantástico suas dicas!
Me ajudou muitoooooo
São claras, objetivas, é muito seguras.
Estou muito tranquila para viajar com seu roteiro.
Muito obrigada!!!

ROGER
ROGERPermalinkResponder

Muito curioso para ler relatos de quem já foi la com as novas regras...

Élida
ÉlidaPermalinkResponder

Olá! Comprei semana passada passagem para esta viagem utilizando pontos Multiplus. O trecho mais barato está saindo a 16 mil pontos (para a data escolhida me custou 17 mil cada trecho). Se eu fosse acrescentar Lima-Cusco e voltar Cusco-Brasil, além de não conseguir fazer pelo site (essa opção só existe atualmente para compra em dinheiro - sério, até o cara da loja assustou-se pois foi me ensinar onde era e descobriu que não tem mais) de 17 mil iria para 37 mil cada perninha.
Portanto, deixo a dica de que em situações como a minha (brasileiro comum que demora muito a juntar trinta e poucos mil pontos no programa de fidelidade), vale a pena sim comprar Brasil-Lima-Brasil. O vôo Lima-Cusco-Lima está encaixando bonitinho no dia a mais que ficarei, pra mais uma voltinha por Lima, e tá custando R$480 ida e volta.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Élida! Só recomendamos comprar separado tomando esse cuidado que você tomou, de dormir em Lima na véspera da volta ao Brasil, sem arriscar uma conexão entre vôos não-vinculados no mesmo bilhete.

João Petry
João PetryPermalinkResponder

Olá povo! Excelente roteiro! Mas estou com umas duvidas em relação a hospedagem em Aguas Calientes, não aparece como opção nos sites de busca de hospedagem, é literalmente chegar e ir para um lugar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, João! Aguas Calientes = Machu Picchu Pueblo. No nosso post sobre Machu Picchu temos links para páginas de reserva no Booking de hotéis recomendados:

https://www.viajenaviagem.com/2016/04/machu-picchu-e-cusco

Andrea Possamai

Olá Bóia!
Muito obrigado pelas dicas! Fui agora em junho para o Peru e me guiei no seu formato de roteiro para montar o meu de 11 dias e fechar os passeios com agência e foi ótimo!
Cheguei a Lima numa quinta feira no horário do almoço e peguei o voo para Cusco na segunda feira. Deu pra aproveitar bem a cidade, conhecer pontos turísticos e restaurantes muito bons. Usamos bastante Uber e levei Reais que troquei nas casas de câmbio da Av Larco sempre por s/ 0,90 para R$ 1.
Segunda Feira: Primeiro dia em Cusco foi livre para aclimatar e dar uma volta pelo Centro Histórico.
Terça Feira: Segundo dia passeio pelos Sítios Arqueológicos em Cusco, Qoricancha, Catedral e Plaza das Armas.
Quarta feira: Valle Sagrado com Pisac e Ollantaytambo. Dormi no Valle Sagrado.
Quinta feira: Trem Vistadome para Águas Callientes, tour guiado em Machu Picchu de manhã, almoço no restaurante do Belmond Sanctuary Lodge, retorno para a cidadela que nesse horário está mais tranquila para caminharmos pelas ruinas.
Sexta feira: Segundo dia de visita a Machu Picchu para subida a Huayna Picchu no segundo horário, almoço em Águas Callientes e Trem Vistadome até Poroy. Transfer para nosso hotel em Cusco.
Sábado: Dia livre em Cusco para visitar museos e bater perna
Domingo: Mercado San Pedro. San Blás etc
Segunda feira: Voo Cusco - Lima - São Paulo
Escolhi ficar mais dias em Cusco pois a cidade estava em festa na semana que antecedia o Inti Raymi com desfiles. danças, shows ao vivo. Foi muito divertido!
Estou sempre vendo suas dicas por aqui para as próximas viagens!

ELENIR SEBBEN
ELENIR SEBBENPermalinkResponder

Gostaria de ajuda, primeira viagem ao Peru. Gostaria de fazer o trecho Cusco-Arequipa no novo trem de luxo. Alguma opinião , sugestão sobre este trem ?
Como encaixo este passeio neste trem no itinerário Lima/Cusco/Ollantaytambo/Aguas Calientes/Cusco ?
obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Elenir! Voe de Lima a Arequipa.

Cristina Ricco Rodrigues

Olá, parabéns pelo roteiro. Mas surgiu uma dúvida, como vou de Cusco a Ollanta? Esse transporte é caro?
Pq tb penso em ir de Poroy direto pra Águas Calientes.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristina! Essa série é composta por 4 posts. Por favor, leia os posts de Cusco e Machu Picchu.

Eliana
ElianaPermalinkResponder

Estivemos no Peru em junho, seguindo todas as dicas do site.
Deu tudo certinho! Obrigada!
Todos os detalhes facilitaram muito o nosso passeio, não tivemos problemas.
Acrescentamos um dia em Lima e um dia em Cusco.
Em Lima indico Huaca Pucllana, inusitado, uma pirâmide no meio da cidade. Muito lindo! Museu Larco tb. Na noite, o Parque das Fontes e a Praça de Armas tb. encantam.
Os demais pontos também são muito bonitos, mais comuns às grandes cidades.
Para nós faltou ficar mais um ou dois dias em Cusco.
Poderia ter explorado mais a cidade, as ruazinhas lindas e os pontos turísticos, com mais calma.
Vale sagrado e Machu Pichu na medida, de acordo com o sugerido.
Obrigada mais uma vez pelas informações detalhadas e muito valiosas pra planejar o passeio!
Até a próxima!

Eliana
ElianaPermalinkResponder

Em tempo: estivemos lá no dia de Corpus Cristi e domingo posterior. Quem tiver oportunidade de escolher essas datas, recomendo. Há a procissão, apresentações e desfiles lindos, animados e coloridos, mostrando a cultura local. Lindo. Vale a pena!

Pedro R.
Pedro R.PermalinkResponder

Excelente roteiro. Bem parecido com o meu em vários aspectos. Tratei Ollantaytambo apenas como trânsito, mas hoje vejo que deixei de conhecer coisas interessantes. E realmente, fazer Pero num feriadão é um não, não. smile

Domingos Costa

Olá gente
O que venho relatar aqui é uma experiência super desagradável de falta de sorte.
Planejei minha viagem seguindo as dicas e adaptando a programação ao meu interesse e da minha família (esposa, filha 17, filho 14). Tudo estava correndo bem até a terceira noite que estava em Lima quando recebo um email da Inka Rail informando que não sairiam trens para águas calientes nos próximos 2 dias, 12 e 13/07 devido a uma greve geral em Cusco e região. A partir daí o que era sonho virou pesadelo. Estávamos prontos as 19h para nos despedirmos de Lima jantando no Rosa Náutica,, mas ao invés disso passei as próximas 4 horas trocando as passagens do trem, cancelando hotel em Águas Calientes,pois iríamos dormir lá no dia 13/07 para visitar com calma Machu Picchu no dia 14/07 pela manhã. Consegui marcar o trem de Ollantayamo para Águas Calientes para as 12:36 para chegar lá e ter apenas 2h de visitação trocando também o ingresso para o turno da tarde. Depois de muito custo e me conformado com toda está mudança fomos para Cusco. Para sair do aeroporto já estava difícil, mas Francis do hotel Casa de Mayte ( muito atenciosa por sinal) conseguiu um táxi corajoso para nós levar até o hotel. Bem, dia 14/07( dia da maior frustração da minha vida) partimos cedo para Ollantayamo de táxi ( caro, $300,00 Soles ida e volta, pois além de está ainda perigoso) estaríamos de volta as 11h no último trem do mesmo dia, pois nosso vôo de volta é e está sendo dia 15/07. Bem chegamos em Ollantayamo cedo, fizemos um lanche e quando entramos na estação, nenhum trem havia saído desde as 10h da manhã. Durante o período que ficamos na estação vimos 2 trens partir e o terceiro não conseguiu sair pois bloquearam novamente a ferrovia. Cada minuto na estação seria o tempo a menos em Machu Picchu... até que o relógio apontou que mesmo que partissemos naquele momento não teríamos chance nem de tirar uma foto lá..... Voltamos para Cusco em outro táxi sem ter visto Machu Picchu.
E o problema continua. Recebemos um Whatsapp de uma chilena que estava no hotel que ficamos disse do que também ontem dia ,15/07 não conseguiu partir para Águas Calientes. Outros disseram que foram de ônibus/van e que correram risco de morte na perigosa estrada e que não aconselha ninguém a ir.
Sugiro que ninguém viaje até que as coisas se acalme por aqui, pois é muito sonho e dinheiro jogado fora.

Izabela
IzabelaPermalinkResponder

Excelentes dicas! Estou em Lima agora e acabei de sair da loja da Claro. Só complementando/atualizando sua informação: a loja da Claro da Avenida Larco abre somente às 10h e fazem a recarga de créditos lá mesmo. 2GB válidos por 30 dias a 30 soles, ou 1GB por 20 soles. Valeu!

Priscila
PriscilaPermalinkResponder

Izabela, já que você está no Peru, quando estiver em Cusco poderia me informar se a greve em Cusco continua?

Fernando
FernandoPermalinkResponder

Voltei ontem (16de julho) da região de Cusco e vivi situação parecida com a do Domingos. As manifestações estão parando estradas e linhas férreas, tornando um caos qualquer viagem para a região. Como não há perspectiva de resolução, sugiro fortemente não visitar Cusco e Machu Picchu neste momento. A chance de dar tudo errado é enorme, infelizmente.

Edson Jr.
Edson Jr.PermalinkResponder

Olá, primeiramente parabéns pelo site.
Ótimas dicas pretendo seguir esse roteiro muito em breve, porem quando cheguei na parte (IV) “Primeira viagem ao Peru (IV) | 2 noites entre Machu Picchu e Cusco” está dando erro 404 dizendo q a página não foi encontrada, será quem teria a possibilidade de arrumar ou eu conseguir ler de uma outra forma recebendo por e-mail ou algo do tipo.
E mais uma vez Parabéns pelo conteúdo.

Alex Silveira
Alex SilveiraPermalinkResponder

Bom dia, estou indo agora para Lima e não consegui esse roteiro com os voos intercalados, consegui apenas uma escala de um dia em Bogotá.
Vou comprar o trecho Lima-Cusco e pesquisei bastante, se eu comprar na latam do Peru sai por volta de 500 reais, e na latam brasileira daqui está cerca de 1200, vocês acham o caso eu comprar na hora que chegar em Lima essa viagem diretamente de lá? Vi que a latam tem muitos voos diários com esse roteiro, e tem preços mais baixos lá no Peru, só que para residentes lá.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alex! A busca da tarifa mais baixa a qualquer preço, na maioria dos casos, dá chabus como esse seu. Não compensa.

Na hora, em qualquer lugar do mundo, você paga tarifa cheia e se sujeita a não ter lugar. Faz pelo menos 10 anos que não é assim que se viaja. Cuidado com as tarifas exclusivas para peruanos, se você selecionar essa tarifa vai pagar multa e diferença tarifária no check-in. A maneira certa de comprar a passagem é comprar todos os trechos incluídos no mesmo bilhete.

Maria do Carmo Lage Gomes de Assis

Bom dia ! Comprei uma passagem pela Viajanet, voo LATAN, com todos os trechos incluidos ( SP - Lima - Cusco - SP). Quem foi recentemente, saberia me dizer , se terei que pagar taxa aeroportuaria para estrangeiros, no embarque de Lima para Cusco? Lembrando, que ficarei em Lima por quatro dias , na ida.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria do Carmo! Não vai precisar não.

Edgard
EdgardPermalinkResponder

Valeu.... obrigado.

ROGER
ROGERPermalinkResponder

Bom Dia Galera
Alguém já tem notícias desse novo sistema part time em M.P.? To curioso para saber como funciona o esquema de ter obrigatoriamente que andar com guia...
abraço

Marisa Costa
Marisa CostaPermalinkResponder

Bom dia!
somos três amigas sexagenárias que viajarão para conhecer Machu Picchu em setembro (de 6 a16). Vamos direto a Cusco, onde permaneceremos 4 noites, dali vamos para Àguas Calientes, onde nos hospedaremos por uma noite para visitar MP no outro dia pela manhã. Depois da visita, vamos para Ollantaytambo, onde permaneceremos por 1 noite, sendo que no dia seguinte rumamos direto de Ollantaytambo para o aeroporto de Cusco para pegar vôo para Lima, onde
permaneceremos por 4 dias mais. E agora minha dúvida: levei um susto ao ler nos posts do site que nos trens da Peru Rail e Inca Rail com vista panorâmica o limite de peso da bagagem é de 5kg. Estamos cada uma planejando levar uma mala com aproximadamente 15kg, que nos acompanhará em todo o trajeto. Isso não é possível? Em nosso roteiro não vamos retornar a cidades já visitadas, então não temos como pegar bagagem em guarda-volumes de hotel anterior.
Agradeço muito se puderem nos orientar sobre alguma alternativa de como proceder.
Abraços
Marisa

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mariza! Organize sua viagem para retornar ao ponto em que você vai deixar sua mala grande. Não dá para embarcar com mala, só com uma mochilinha ou bolsa de até 5 kg.

No nosso roteiro explicamos tudo direitinho, dá para deixar a mala no hotel em Cusco ou na estação em Ollanta.

Marisa Costa
Marisa CostaPermalinkResponder

É o que temíamos. Muito obrigada! Vamos ter que alterar um pouco nosso roteiro.
Abraços

Geber Zanardi Cortez

Vou à Machu Picchu seguindo esse roteiro do site. Demorei para comprar passagem de volta ( MP a Ollantaytambo). O que consegui foi os horários das 19 horas ( saída de MP) para chegar em ollantaytambo as 20:30. Nesse horário terá vans para eu chegar até Cusco?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Geber! Vai ter sim.

Natália Jorge

Cusco vai ser minha primeira viagem sozinha, estou fazendo tudo sozinha e apanhando um pouco. rs
Pretendo passar uma noite em Ollantaytambo. A dúvida é: como ir de Cusco a Ollantaytambo??
Obrigada desde já!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Natália! Este é apenas o primeiro post da série. Aqui estão reunidas as considerações iniciais e todas as providências que precisam ser tomadas antes da viagem.

Leia o post de Cusco para saber os detalhes que não estão nesta introdução, incluindo deslocamentos, passeios, hospedagem. Obrigada.

Tamara
TamaraPermalinkResponder

Boa noite! Tenho muitas milhas LATAM prescrevendo no final do ano e gostaria de usá-las comprando uma passagem para Cusco em abril 2018. Eu e o meu marido já conhecemos Lima e amamos. Só que, dessa vez, queríamos levar o nosso bebê que terá 1 ano e 8 meses nessa data. Acha possível?! Desaconselhável?! Ou o que?! Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tamara! Pergunte ao seu pediatra. Não entregue a saúde e o bem-estar do seu filho a curiosos na internet.

Mari
MariPermalinkResponder

Fui à Machu Picchu em julho/17 e as dicas do Vnv e de seus leitores me ajudaram muito. Por isso, vou contribuir um pouco com a minha experiência da viagem.
 
Seguimos a maior parte das sugestões desse roteiro. Mas em vez de ir primeiro para Lima, fomos antes para Cusco, pois, era a parte da viagem que exigia mais esforço, planejamento, cumprimento de horários, etc. Então deixamos Lima para o final e fomos mais livres para simplesmente descansar, além disso, nos livramos da demorada conexão de volta do trecho Cusco – Lima – SP
 
Chegamos em Cusco no início da tarde (um táxi até o centro deve custar algo em torno de 25 soles, vão te oferecer um preço muito mais caro que esse, então negocie ou procure outro taxista) e aproveitamos para conhecer os arredores do Centro. Uma pequena dose de chá de coca e não sentimos nada da altitude. 
Neste dia, vale providenciar o boleto turístico, câmbio (tem uma pequena diferença entre uma e outra agência, pra trocar bastante dinheiro, vale a pena pesquisar – nós trocamos dólares por soles a uma cotação de 3,24) e pesquisar agências de city tour. Muito fácil encontrar tudo isso por lá, fica tudo na Av. Sol. Você encontrará facilmente essas informações lá. O que eu senti é que tudo tem que ser negociado, eles chutam primeiro um preço e depois vão baixando.. Tudo vai depender da sua disposição de procurar e regatear.
 
No dia seguinte, tínhamos a intenção de visitar os sítios históricos ao redor de Cusco (Saqsayhuaman, Qenqo, etc). Nos informaram que era bem perto do centro e dava pra ir a pé. E assim o fizemos e nos demos mal. Até que dá pra ir a pé mesmo, mas foi um desgaste desnecessário e tomou um tempo precioso do nosso passeio, andamos tanto que só vimos Saqsayhuaman e desistimos do resto. Pelo que eu vi, vale a pena tomar um daqueles ônibus turísticos/panorâmicos. Você economiza tempo e esforço, consegue conhecer muito mais lugares e é baratinho.
 
No outro dia fomos para Pisaq (tomamos um tour que seguiria até Ollantaytambo, mas combinamos com a agência um preço menor para ficar em Pisaq, a primeira parada do tour, pois, faríamos um outro tour pra Ollanta no dia seguinte). Visitamos o sítio e a van nos deixou na cidade e nos indicou onde pegaríamos um transporte local de volta para Cusco (foi muito fácil e custou 5 soles/pessoa). Passamos o dia em Pisaq e visitamos o mercado/ feira de artesanato lá (é bem grande e foi onde encontramos os melhores preços). Voltamos para Cusco com tempo de visitar algum museu ou o mercado San Pedro.
 
Na manhã seguinte, fizemos o check-out do hotel e deixamos nossas malas guardadas lá (todos os hotéis guardam, eu estava preocupada com isso antes de viajar, mas isso pra eles é o básico do básico) e partimos para o tour Chinchero – Moray – Maras – Ollanta. Negociamos esse tour por 50 soles/pessoa (incluindo o almoço), mas nem sei dizer se esse é um bom preço ou não, pois, as negociações lá são tão elásticas que a gente fica sem saber o preço “justo” das coisas, além disso, depois de pesquisar uns 3 lugares, você já tem dificuldade de diferenciar as ofertas.
Os passeios acontecem naquele estilo de turismão empacotado, com os minutos contados para cada parada, mas no caso de Chinchero, Moray e Maras, eu não me importei, já que são lugares pequenos e dá pra aproveitar toda a atração mesmo com cronômetro apertado. O problema é que nesse tour a passagem por Ollanta é muito rápida, não dá pra desfrutar de todo o passeio se você tiver que voltar com o tour ou tiver que embarcar no trem para Aguas Calientes. Ficamos contentes de ter aproveitado a dica de passar a noite em Ollanta, então, antes de entrar no sítio, o guia do tour nos indicou um quiosque de guarda-volumes, deixamos nossas coisas lá e entramos no sítio junto com o tour, assim pudemos aproveitar as explicações do guia, mas não precisamos sair com eles e ficamos no sítio até cansar. Ollanta é bem pequeno, você vai encontrar tudo lá bem facilmente e a uma curta caminhada.
 
No dia posterior, visitamos as ruínas fora do sítio que está no boleto turístico. Qualquer pessoa vai saber te informar como chegar lá e não paga nada pra entrar. A subida pode parecer complicada, mas não é. Em pouco mais de uma hora dá pra ir e voltar com tranquilidade. Neste dia, pegamos o trem para Águas Calientes/ Machu Picchu. Nosso erro deste dia: fizemos o check-out do hotel, pegamos nossas malas e fomos a pé para estação de trem e almoçaríamos ali em um restaurante qualquer a caminho da estação. Calculamos um intervalo de um pouco mais de uma hora para almoçarmos tranquilamente e tudo o que não ficamos foi tranquilos. Os restaurantes lá são suuuuper demorados e quase não deu tempo.
A viagem de trem durou cerca de 1h30, mas percebi que esse tempo pode oscilar um pouco, pois, o trem faz umas paradinhas aleatórias no meio do caminho. A viagem é agradável, mas isso é o mínimo se você pensar no preço da passagem. Em outros tempos, quando fazia viagens mais aventureiras, eu teria feito o caminho alternativo que muitos fazem, ir de ônibus até o povoado da hidrelétrica e de lá caminhar longamente até Machu Picchu – na verdade, eu nem sabia que existia essa opção, então se te interessa uma via muito mais trabalhosa e muito menos cara, saiba que há alternativa.
Assim, como em Ollanta, localizar-se em Aguas Calientes também é moleza, é pequeno, tudo é perto, tem várias opções de restaurantes e o artesanato é o mais caro de todos.
 
Acordamos às 4h no dia seguinte para pegarmos o ônibus e ir a Machu Picchu. Nós e todo mundo. A fila pro ônibus é imensa, mas anda rápido logo que os ônibus começam a sair. Enquanto minha família esperava na fila, eu fui até o guichê comprar os blihetes do ônibus. Para encontrar o guichê, vá caminhando em direção ao início da fila e leve o passaporte de todos os passageiros que estão com você, eles não vendem esse bilhete sem o documento.
Bem, como fui em julho, bem no mês da mudança da política de ingressos com divisão de horários, e outras questões, li muitas suposições esquisitas sobre essas mudanças e estava bem preocupada com alguns detalhes que espero dismistificar, principalmente para aqueles que vão à MP pela 1a vez.
 
- divisão de turnos: eu fui de manhã e achava que iam me expulsar de lá pontualmente ao meio-dia e com isso eu perderia metade do passeio (já que antes era o dia inteiro, agora tinham cortado o passeio ao meio).
Na verdade, ninguém fiscaliza se vc está excedendo o seu horário, mesmo porque, a maior parte das pessoas acaba saindo antes do turno terminar oficialmente. Meio turno é muito mais do que o suficiente pra ver tudo com tranquilidade.
 
- obrigatoriedade de guia turístico: tinha lido em alguns lugares que era obrigatório entrar (e sair) com um guia contratado. Não é. Você pode entrar sem guia, se preferir. Nós contratamos uma guia por 20 soles por pessoa e valeu muito a pena. A não ser que você conheça muito bem a história de MP e da civilização inka, vc pode dispensar. Mas eu gostei de ter alguém pra me explicar sobre os detalhes das construções, do costume, da história, etc. Coisas que eu não saberia pela simples observação do lugar. Além disso, esse passeio acontece com calma e tranquilidade suficiente para fotos, observações, perguntas e tudo mais.  O guia faz todo o percurso com o grupo e no final, quem não fez a subida às montanhas tem direito a reentrada, caso queira voltar e contemplar sem a visita guiada.
  
- compra do ingresso para Machu Picchu: não tínhamos cartão de crédito Visa, então usamos o cartão pré-pago Visa Travel Money. Funcionou direitinho e de primeira. Compramos com uns 20 dias de antecedência. Não pediram pra eu apresentar o cartão.

- garrafas de plástico: nem sequer olharam

- para sair de MP: a guia nos alertou para estarmos de volta à saída para tomar o ônibus para Machu Picchu Pueblo com uma antecedência mínima de 2h da partida do nosso trem, pois, costuma congestionar com todo mundo saindo do parque ao mesmo tempo e formam filas pra pegar os ônibus. Isso não aconteceu com a gente, esperamos um ônibus por menos de 10 minutos, mas é bom tomar cuidado pra não comprar um bilhete de volta de trem muito cedo. Nós tomamos o trem das 16h. Deu tempo de ver Machu Picchu com calma, descer de volta a Aguas Calientes, almoçar calmamente, passear, pegar as coisas no hotel e partir pra estação.
Desembarcamos na estação de Ollantaytambo e na porta da estação tomamos uma van até Cusco (ficam várias vans e taxistas oferecendo o serviço na saída da estação. A viagem custou 15 soles/pessoa (detalhe: tínhamos perguntado no dia anterior e custava 10 – esteja preparado pra esse tipo de “mutreta”). Chegamos em Cusco um pouco depois das 20h. Dormimos essa noite em Cusco e no dia seguinte fomos pra Lima.

Se você chegou até aqui, percebeu que não tem nenhuma boa dica de restaurantes. Infelizmente, não tem mesmo. Não anotamos as dicas que tínhamos lido e experimentamos lugares aleatoriamente, e pra nossa falta de sorte, não encontramos nenhum lugar fantástico que valha recomendar. No geral, não achamos a comida cara, mas também, não era sensacional.

Sobre hospedagem, ficamos no: Siete Ventanas/ Cusco: gostei, voltaria e recomendo. Terra Nostra/ Ollanta: amei, voltaria e recomendo. Gringo`s Bill/ Aguas Calientes: detestei e não voltaria nem de graça

Então, é isso. Espero que essas dicas possam ajudar muitos viajantes, assim como as dicas que li me ajudaram também. smile

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar