O que é melhor: ficar em hotel ou em apartamento?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Hotel ou apartamento, o que é melhor?

Alugar apartamento de temporada é tão antigo quanto se hospedar em hotel. Mas depois do advento da internet, e sobretudo do surgimento do AirBnB, alugar apartamento ficou muito mais fácil. E mais cool, também. Alugar apê está na moda. Daí que muita gente pergunta:

Hotel ou apartamento, o que é melhor?

Alugar apartamento pode ser mais barato, mais proveitoso e mais gostoso que ficar em hotel. Mas repare no verbo: pode ser. Vai depender do tipo de viagem e do perfil do viajante.

Alugar apartamento requer um jeito diferente de viajar

Se você vai ficar um, dois ou três dias num lugar, não vale a pena alugar apartamento. Apartamento é para ficar mais tempo, para descobrir coisas fora do circuito turístico, para brincar de morador, apra descobrir facetas da cidade que passam despercebidas do hóspede de hotel.

Mas se você for com aquela agenda toda trabalhada no cronômetro com 5 pontos turísticos por dia que você precisar ticar, então o apartamento vai te atrapalhar. Porque ficar em apartamento toma tempo do seu dia, deixa o seu ritmo mais lento. E isso é ótimo – mas não quando você tem pressa.

Apartamento é uma experiência diferente, com uma rotina diferente

Por exemplo: você não chega em Paris, deixa a mala no apartamento alugado e sai correndo pra ter a sua primeira visão da torre Eiffel. Não. Você chega em Paris, deixa a mala no apartamento e desce para fazer compras -- suco de laranja, vinho, patê, pão, cerejas... hmm, o figo está na época... café, adoçante, queijo, presunto, Coca Light, iogurte, flores, água Perrier, que salada linda, será que essa lasanha é boa? No mínimo cê tem que dar um rolê na área para descobrir onde você consegue o quê.

Se você acha isso um saco, alugar apartamento não é para você. Agora: se isso abre uma nova perspectiva para sua viagem, então você deve experimentar pra ver se é a sua.

Outras diferenças entre hotel e apartamento que valem ser lembradas:

  • No hotel você chega e sai à hora que quiser: se você não puder ocupar o seu quarto, você deixa a mala no depósito do hotel, tanto antes do check-in quanto depois do check-out. Já no apartamento você precisa combinar direitinho a hora da chegada (para receber a chave), e os procedimentos de saída (para entregar a chave). E não existe nenhuma solução-padrão pro problemas das malas entre o momento da chegada e a ocupação do apartamento ou entre o momento da saída e a hora de ir para o aeroporto.
  • Num apartamento, se o vaso entupir, se a água não esquentar, se o wifi cair (essa é a maior das tragédias) ou se a geladeira vazar, não vai dar para ligar para a recepção 24 horas. Você vai ter que mandar um zap para o proprietário e ficar rezando para os dois vezinhos ficarem azuis e ele vir resolver ou mandar alguém
  • Arrumar a cama, limpar a bagunça da cozinha, passar um pano no banheiro depois de quatro dias -- no apartamento ninguém vai fazer isso por você. (Em alguns casos é possível contratar uma diarista eventual.)

Alugar apartamento é mais econômico que ficar em hotel?

Sim: na tal da ponta do lápis, alugar apartamento é mais econômico do que ficar em hotel. Mas veja bem: não alugue apartamento porque é mais econômico. Alugue apartamento se você comprar o pacote inteiro, a experiência completa.

E falando em economia, fuja de apartamentos que estejam muito mais baratos do que os de padrão semelhante na mesma cidade. Apartamento muito barato demais ou está detonado ou é muito mal localizado. Acredite: apartamento detonado é muito pior que hotel mequetrefe.

E se você não quiser fazer economia na diária, o apartamento pode virar um senhor upgrade para a sua viagem. Eu explico: se você se dispuser a gastar no apartamento a mesma verba que você gastaria em hotel você vai conseguir um apartamento bem mais bacana que o hotel.

Mas mesmo neste caso, a economia vai vir no que vem agregado ao apartamento: a possibilidade de fazer algumas refeições em casa, a descoberta de restaurantes de bairro, a permanência mais longa na cidade que ajuda a dispensar tour guiados, ônibus de 2 andares e outras soluções feitas para o turista apressado.

Apê para alugar não tem só no Airbnb, não

Caso você tenha se interessado em pensar numa viagem que seja apropriada pra alugar um apartamento, saiba que não precisa se limitar ao AirBnB: hoje já tem apartamento para alugar nos sites de reservas de hotéis também, como o Booking. Você pode pesquisar as duas categorias (hotéis e apartamentos) ao mesmo tempo. Caso você opte por apartamento, não vai precisar passar pelo processo de aprovação do seu perfil como acontece em muitos casos no Airbnb.

Onde o Airbnb é insuperável

O Airbnb, no entanto, continua imbatível num nicho muito interessante, que é o aluguel de quarto em casas onde more o anfitrião. Esse é o jeito mais inteligente de eocnmizar em hospedagem -- melhor até que hostel. Para dar certo, é só se dedicar a estudar as resenhas. Não só dos quartos, como também dos anfitriões, para achar um que tenha as características que você prefere -- ou reservado na dele, ou superpresente dando o caminho das pedras na cidade.

E você? Curte alugar apartamento, ou prefere viajar ficando em hotel?

Conta pra gente!

Leia mais:

27 comentários

CAIO
CAIOPermalinkResponder

Faltou dizer que no apartamento precisa pagar limpeza separadamente (ou ter que realizar atividades comuns/chatas como tirar lixo ou limpar a cozinha). Também tem que estar atento ao prazo que o dono pode cancelar sua estadia.

O apto vale a pena quando são muitos viajantes e o valor para muitos quartos fica inviável!

Já aluguei pelo Airbnb no Rio, Estocolmo e Edimburgo, todas ótimas experiências.

Lilian Routh Ramos Bernardo

Ei Ric, primeiro parabéns, você sempre fazendo colocações perfeitas, mas desta vez foi longe de ++++, se superou, excelente este texto que faço questão de comentar.
Como já viajei de todos os jeitos que comentou posso falar de carteirinha.
Na maioria das vezes viajo sozinha e por 1 mês então hotel se tornou impraticável em razão do custo.
Apartamento já aluguei por 1 mês em Florença e amei, foi exatamente como você falou , me senti uma italiana, indo na padaria local , supermercado abastecer o ap, comidinha em casa à noite e as vezes ate no almoço , e além de perambular muito pela cidade mesmo, como uma moradora local , fiz muitos bate e volta que valeram a pena
Aluguei um apartamento em Paris por uma semana e como ja tinha ido 3 vezes antes a Paris não estava mais atrás de pontos turísticos, e foi incrível sair sem rumo nesta cidade, descobri muitos cantinhos incríveis .
Estas 2 experiências foram fora do Booking e do AirBNB.
Em Florença fiquei em um ap que li em um texto de Mari Campos e em Paris descobri lendo muitos comentários na internet .
Já fiquei em apartamento alugado pelo AirBnB também e foi porque estava acompanhada com amiga ou irmã e também achei ótimo pois estava em cidades pequenas , de fácil e rápida locomoção , amo fazer o que você falou aqui, sair para descobrir o mercado do bairro , o supermercado, a padaria , etc e tinha lido todos os comentários, leio todos , sempre, antes de alugar , e nunca tive problemas maiores que não fossem resolvidos .
Agora na minha opinião a cereja do bolo está em ficar em um quarto na casa dos outros . Amo!!! Leio também todos os comentários antes , sempre procuro as residências onde o anfitrião é superhost para não ter erro, mas das vezes em que não eram também foi ótimo , sempre com o cuidado e paciência de ler os comentários dos hóspedes passados.
O dono (a) da casa ou donos passam para mim coisas e lugares que não tinha lido em lugar algum , dicas de um morador que é um nativo ou mora na cidade a muito anos e conhece a região na palma da mão .
Restaurantes e mercados (adoro um mercado) , feiras locais , cantinhos , etc que não tinha ideia que existiam apesar de ler muito na internet e principalmente aqui no seu site , sobre tudo dos locais que visito.
E as conversas a noite , depois de muitas caminhadas pela cidade ou de algum bate e volta , estas prosas são imperdíveis, damos muitas risadas juntas. E quando o morador também já viajou por muitos lugares no mundo , aí é a glória , uma troca de experiência e tanto , novas viagens nestas conversas, locais novos para conhecer no futuro próximo.
Quando sai países como Portugal e Espanha, por exemplo, fica bem mais fácil este bate papo da noite e do café da manhã também , quando está incluído. Mas se não for o caso, também é muito divertido apesar de meu inglês ser para o gasto, não consigo levar um papo em inglês, conversamos por aplicativo de tradução , cada um com um celular, traduzindo para língua nativa , e aí fica mais engraçado ainda , motivo de muitas risadas, em razão da tradução não ser exatamente o que queremos dizer, ainda mais o português nosso que é bem complexo.
Exemplo: fiquei um mês na minha última viagem e foi nas Ilhas Baleares, Espanha, fácil entendimento de idioma , para morador e hóspede, e aluguei carro em cada uma das 4 ilhas, Ibiza, Formentera, Maiorca e Menorca, e foi incrível a ajuda para conhecer a fundo cada uma destas ilhas, foi essencial. Em todas as casas que fiquei eram moradores nativos e que conheciam as 4 ilhas , foi imperdível , inesquecível. As 2 senhoras onde fiquei em Palma de Maiorca pegaram tanto um mapa de Palma como o mapa da ilha toda , porque da casa delas eu fiz toda a volta a ilha de carro passando pela linda Serra de Tramuntana, e ficando em mais 3 casas nesta volta a ilha, elas me indicaram lugares e cantinhos que não teria conhecido se não fosse assim, paradinhas inesquecíveis , os cuidados com cada estrada, as melhores praias , os melhores queijos, e por aí vai.
Em Formentera o casal tinha um restaurante e ele era nativo e ela de Menorca, eu almocei no restaurante deles todos os dias em razão das dicas e da comida ser caseira e muito boa . Ali já fiquei conhecendo muitas dicas legais de Menorca, ali ela ja pegou um mapa desta pequena ilha e arrasou . Em Menorca fiz 2 bases, Ciutadella primeiro e depois Maó, e posso dizer que não ficou nada que valesse a pena para trás .
Não posso reclamar do tempo que ficava em hotel e na maioria das vezes foi pelo Booking , onde eu também lia o máximo possível dos comentários para não ter erros , pois quando a maioria fala que o chuveiro sai pouca água ,por exemplo, pode acreditar que voce vai passar raiva, assim como o contrário também é verdadeiro .
Sabemos que temos que filtrar os comentários ruins como ja li em algum texto aqui no seu site, tem pessoas que tudo em ruim , nada presta , ou se algo menor, sem tanta importância, desagradar, detona com o hotel , mas se a maioria escreveu que é bom, estes comentários ruins são lixo.
Por motivo que ja descrevi aqui (custo) deixei hotel para o último caso , quando não encontro onde ficar pelo Airbnb ou quando o custo e o local compensam.
Prefiro sempre locais central e que além da fácil locomoção eu me sinto segura.
Exemplo , nesta mesma viagem as Baleares , fiquei em um hostel, pelo Booking, na cara do mercado San Miguel, muito mas muito simples , mas muito muito limpo , com banheiros compartilhados limpíssimos, um quartinho individual que mal cabia eu e a mala mas que somente para dormir foi perfeito , por um preço excelente que neste local estava imbatível, e como ja conhecia todos os pontos turísticos desta cidade fiquei uma noite na chegada a Espanha e outra no retorno ao Brasil e fiz caminhadas a pé e sem rumo por esta região mesmo e descobrindo e parando em lugares lindos (igrejas, museus em casas antigas, ruas e becos, praças , etc) e fotografando muito , uma paixão .
Sempre agradecida pela oportunidade de ler os seus textos e os comentários de outras pessoas neste site.

Fátima Catran

fiquei em apto alugado c/ amigos no Monte Estoril (Lisboa) e me arrependi muito. Longe do centro de Lisboa, gastei muito de táxis e trens e metrôs. A economia não valeu. Acabei mudando para hotel no centro e aí, sim, conheci Lisboa. Realmente o ritmo de apto é diferente e rotineiro. E eu qdo viajo, quero sair da rotina. Valeu a experiência mas não repito.

Rozi
RoziPermalinkResponder

Eu já viajei com as duas possibilidades, e definitivamente amo ficar em apartamentos ou casas, tenho tido ótimas experiências, casas novas, bem localizadas e com tudo que precisávamos. No geral para mim, saí mais barato e sem contar que voce pode cozinhar o que gosta com os ingredientes locais, orgânicos à sua escolha.

Andrea
AndreaPermalinkResponder

Eu concordo que depende. Tem lugares e situações que é melhor ficar em hotel. E outros em apto. Mas ultimamente tenho encontrado apto, chalés, casas no booking mais em conta que no Airbnb. Uma coisa um pouco chata, mas não impossível, é que muitos desses lugares que não hotéis, não aceitam cartão de crédito, tendo que fazer um depósito adiantado ou pagamento em dinheiro na hora do check in.

Aline
AlinePermalinkResponder

Bom dia Ricardo,
Como já disse nas suas redes, sou agente de viagens e super sua fã. Suas dicas são pertinentes e sem cair no senso do "diferentão" que causa custo desnecessário ou desconforto na viagem, coisa que está na moda em muitos blogs por aí. Outro dia você falou "se virou um dos pontos mais famosos do mundo, não podemos ser prepotentes e achar que foi modinha, é porque realmente é incrível" sobre a Torre Eiffel.
E esse seu post veio a calhar. Eu sempre comento exatamente isso: AirBnB é para quem tem perfil para esse tipo de viagem de experiência, exploração e com tempo, ou famílias. Não para quem quer mochilar. Aliás, nossas observações são sempre tão alinhadas que venho no carro com meu marido te ouvindo na Band News e vira e mexe eu antecipo o que você vai falar e combina. Outro dia disse "queria ser amiga do Ricardo Freire, ele pensa igual a mim" hahah. Meu marido respondeu "é que vocês dois tem experiência". Um grande beijo

Gustavo Belli
Gustavo BelliPermalinkResponder

Como morador de uma cidade turística, Florianópolis, que vive de aluguéis de temporada, acho bom e ruim, pois o proprietário não reinveste ou gera empregos na cidade como os hotéis, imóveis de aluguel no máximo movimentam as faxinas e geram o movimento farofeiro na cidade. Os "AirBnb ou Home Away" deveriam ter uma taxa turística e retorno ao destino.
Como cliente e viajando com crianças gosto da opção, mas nas últimas vezes que precisei utilizar foi mais barato e interessante hospedar em redes de Apart Hotel (usei em Miami e Paris), que possuíam os mesmos preços do AirBnb, mas com a segurança e algumas facilidades dos Hotéis.
@GusBelli

TATIANA WOLFF
TATIANA WOLFFPermalinkResponder

Eu gosto muito de alugar apt, e depois de ter filho então, apt é mil vezes melhor! Ter uma cozinha completa à disposição é quase que essencial quando se viaja com crianças novinhas...

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Eu detesto Apto. Tô de férias, não quero ter que limpar cozinha, arrumar cama e lavar banheiro, faço todos os dias do restante do ano.

Jetro
JetroPermalinkResponder

Para quem tem medo de ficar em uma casa, mas tem curiosidade, a experiencia mais facil de avaliar se é este o seu perfil, é reservar uma casa em Orlando, você vai estar com carro, então fica fácil ir a mercados e etc... Outro bom local para se iniciar em apartamentos é Buenos Aires, que tem muitas opções e locais maravilhosos para sair do roteiro turistico convencional.

Val
ValPermalinkResponder

eu sou #teamhotel!!!

JPAlceu
JPAlceuPermalinkResponder

Ric, muito preciso seu artigo. Tambem acho que a relação hotel vs. apartamento depende do perfil e quantidade de dias. Como em outro artigo aqui no VnV, sempre tento fugir da maraturista. Menos é mais. Prefiro ficar mais dias e aproveitar melhor, do que ficar correndo de um lado para o outro. E dentro desse contesto a locação de apartamento/quarto pelo Airbnb ou Windu ou qualquer outra plataforma, se torna muito proveitosa. Fazer o próprio café, ir ao mercado, bater perna sem rumo, acordar mais tarde porque se cansou muito no dia anterior, tudo isso é parte de uma experiência única, diferente e (na minha opinião) que aproxima as pessoas a conviver melhor. O VnV é uma "biblia" para mim. E sempre sigo as dicas e experiencias compartilhadas aqui. Vlw mais um post fantástico.

Marcelo Arrifano

Parabéns

Lore
LorePermalinkResponder

Como voce disse, 100rto como sempre, rsrsrs..., depende do tipo de viagem e eu acho, do tempo que vai ficar, se são 2 ou 3 dias o hotel é melhor, mas se tem mais tempo, apto bom e bem localizado para curtir os dias sem pressa e vivendo com um local, é maravilhoso

viviane
vivianePermalinkResponder

perfeito como sempre Ric... sempre digo que essa modinha "vou alugar ap pra me sentir como local e brincar de casinha" é a maior derrota, da pra se sentir como local dormindo num quarto de hotel, da pra ir na padaria, floricultura, feira, etc... o q eu acho é

Lais
LaisPermalinkResponder

rsrsrs sou desse time também.. Claro que cada caso é um caso, mas se eu estou de férias não quero ter que me preocupar com arrumar a cama ou limpar a cozinha..

viviane
vivianePermalinkResponder

continuando: o que eu acho é que as pessoas devem fazer o q têm vontade. e pensar no custo-benefício. toda vez que um hotel tiver mesmo preço e beneficios

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Viajando com crianças (especialmente as menores), apartamento ganha pela conveniência: você pode manter a rotina alimentar da criançada ou ao menos garantir o café da manhã e o leitinho antes de dormir do jeitinho deles, e espaço para as brincadeiras. E já que criança combina com viagem lenta, o apartamento casa bonitinho.
Eu aproveito apartamento também em cidade histórica ou murada, onde os hotéis costumam ser ou da idade da cidade e caídos, ou luxuosos e caros demais - um apartamentinho com boa localização, perto de uma praça legal, é delicioso. Adoro ver os turistas saindo do centro e indo pros seus hotéis, enquanto eu faço o caminho contrário wink

Nick
NickPermalinkResponder

Desde 2011 adotei a prática de ficar em apartamentos. Além de serem mais baratos que hotel, tem essa coisa de se sentir um local, indo a supermercados, etc...Uso frequentemente o AirBnb, e a partir de 3 noites acho que é viável sim. E concordo com o Riq, sobre lugares muito baratos, ano passado em Paris, busquei um apto bem localizado e estava com um preço razoável para outras cidades mas para Paris era realmente barato. Conclusão, foram 5 dias num cubículo abafado e sem a mínima condição de receber hóspedes.

Diego Maia
Diego MaiaPermalinkResponder

Preguiçoso demais pra ter que cuidar de apartamento durante as férias. Já aluguei e tive uma boa experiência em NY e no Yosemite, mas adoro descobrir hotéis novos, mordomias bestas e não ter que me preocupar com coisas tipo combinar checkin/checkout.

Casa dos outros: no way. Legal quando é de amigos. Com desconhecidos minha timidez estoura o fusível.

Isabel Oliveira

Oi Ric. Como sempre, mais um texto fantástico.
Ao que vc escreveu eu acrescentaria a facilidade com a língua da localidade. Se o hóspede não fala quase nada de inglês, a comunicação com o administrador do hotel fica quase impossível é, claro, estressante. Nesse caso, a opção deve ser mesmo o hotel, porque poucas serão as possibilidades de vc não conseguir ser atendido.
Abraços.

DIONISIO RENZ BIRNFELD

Sempre viajava parando em hoteis. Mas depois que me tornei pai, tenho optado sempre por apartamentos, principalmente em razão do maior espaço para a minha filha circular, brincar, bagunçar, isso a um preço mais baixo do que um quarto de hotel grandão.

Elizabeth
ElizabethPermalinkResponder

Gosto não se discute, o importante é viajar. Como sou "dona de casa", obviamente fico em hotéis, sempre baseados no VNV. E meu marido, como dirige todos os dias 200 km pra trabalhar, prefere trens e ônibus. Também não gostamos (ainda) de descansar, somos maraturistas, com muito prazer. Valeu VNV, sempre na nossa viagem.

Cintia Lonardoni

Minha primeira viagem à Europa teve um misto de hoteis e apartamentos via AIRBNB: para cidades rápidas de 1 dia apenas (Milão, Verona, Veneza e Florença) utilizei hoteis; para Paris e Roma (fiquei 3 e 4 dias respectivamente) aluguei apartamento. Eu adorei a experiência!!! Nos hoteis aproveitei os maravilhosos cafés da manhã e nos apês eu economizei bem porque estávamos em 5 pessoas. Os apartamentos eram ótimos - ficavam perto da Champs Elysees e do Coliseu! Amei! Enfim,dá pra alternar entre hotel e apê... tudo vai depender da quantidade de dias, da pressa do turista, da grana curta ou não, da comodidade e tal... mesmo ficando em apartamento por 4 dias não achei nada de mais a questão da limpeza... foi bem tranquilo... não achei nenhum martírio passar pano no banheiro ou lavar uma louça (estava só eu e meu marido rs). Porém, indico apê para apenas 3/4/5 dias, porque em períodos maiores eu não fico em apto nem pensar, pela questão do trabalho doméstico mesmo.... afinal, estamos em férias, né?

Malu Esper
Malu EsperPermalinkResponder

Concordo com você Mô e também, viajando quase sempre sozinha, penso que se eu passar mal de saúde não tenho ninguém para me ajudar. Já pensou demorar dias até encontrarem você no ap alugado caso fique impossibilitada de ligar para alguém? Tô fora! Adoro hotel!

Gabi Righetto
Gabi RighettoPermalinkResponder

Amo apto, e tem sido minha escolha nas ultimas viagens. E quem disse q tenho q arrumar a cama? nem na minha casa eu arrumo rsrsrs. E lavar dois pratos e copos eh o de menos, já que tbm não cozinho altos pratos e sim opto por comprar lanchinhos locais (queijos, enlatados, vinho, paes..) para algumas refeições. Não descarto hoteís, mas só para estancia bem curta mesmo e dependendo do preço.

Gabi Righetto
Gabi RighettoPermalinkResponder

Ah, também já fiquei em quartos dentro de casas pelo airbnb e adorei, mas essa opção só se estou sozinha ou com amiga, porque com meu marido prefiro ter a privacidade de um apto inteiro mesmo.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar