Como chegar a Auschwitz e Birkenau: as dicas da Silmara

Birkenau

A Silmara esteve na Polônia em dezembro e fez uma escolha corajosa para um fim de ano: no dia 31 pegou um trem em Cracóvia e foi, sozinha, conhecer o memorial Auschwitz-Birkenau. Em resposta às dúvidas de outra leitora, deixou aqui um relato completo sobre a sua viagem e as dificuldades que encontrou no percurso. Para saber como chegar e circular por onde um dia funcionaram os campos de concentração, siga as dicas da Silmara:

Eu saí de Cracóvia, da estação central. É bom ficar de olho nos horários pois, quando eu fui, era uma espera grande entre um trem e outro. Detalhe: NINGUÉM falava em inglês lá. Tinha (ainda deve ter) apenas um guichê que é pra “viagens internacionais” e daí a atendente fala inglês. Mas não se engane: se você não vai fazer viagem internacional, ela não vai te atender.

Comprei a passagem, mas me venderam um ticket que era para o trem um minuto depois! Perguntei, em inglês, onde era a plataforma, número, etc. (estava tudo em polonês, claro) e a funcionária me respondeu em polonês. Resumo da ópera: corri feito doida, cheguei na lateral de um trem e fui conferir o destino dele. Não deu tempo, o trem fechou as portas e partiu. Perdi. Voltei no balcão da mulher “simpática” e que só fala em polonês contigo (como se fosse a língua mais fácil do mundo e supondo que eu sou obrigada a falar polonês). Tive que escrever num papel que eu havia perdido o trem e queria o próximo. Creio que tive de esperar por volta de duas horas ou mais lá. Frio… enfim…

De Cracóvia até Oswiecim (que é o nome original, em polonês, de Auschwitz) são mais ou menos duas horas de viagem de trem. Chegando na estação de Oswiecim, você pega um ônibus bem na frente mesmo dessa estação minúscula (é só perguntar que eles te informam). É rapidinho até lá. Daí você desce e é free, não paga nada. Leve sua água, algum alimento e lenço de papel. Sim, vai ser necessário. A não ser que seja um coração de pedra!

Estive lá no dia 31 de dezembro de 2011. Chovia e lá é MUITO grande! O caminho todo é feito de terra, portanto, se chover, você vai molhar os pés e talvez escorregar. Eu fui de bota, até porque estava com receio de que nevasse. Passei umas três horas lá, tirei várias fotos. É triste demais.

De lá, peguei um táxi para Birkenau, que é perto dali. Dedique um dia todo pra fazer esses dois roteiros (o meu trem — que eu perdi — era para 7h15, mas só cheguei às 11h). Fique atenta aos horários de encerramento. Me lembro que um fechava às 16h e o outro fechava antes. Então, confira antes de ir!

Birkenau é gigante. Andei muito mesmo. E, para mim, foi o mais horripilante. E eu fui sozinha, sem roteiro ou ajuda de ninguém. No fim do dia, estava muito cansada.

Para ir embora, peguei um ônibus na frente do campo de Birkenau (é só pedir informacão ali na torre de entrada — que era a torre do comando — e eles te informam, caso você não saiba onde pegar). E lá se foram mais duas horas de retorno para Cracóvia. Recordo que cheguei por volta de 20h.

Minha dica: se você for de qualquer lugar com destino a Auschwitz, comece pelo menos um dia antes esse roteiro, pois te garanto, você vai ficar muito cansado, fisicamente e psicologicamente. Tanto é que, quando cheguei no lugar que eu estava para dormir, eu não tive ânimo pra sair e festejar a virada do ano. Tomei banho, comi, falei com minha família pelo Skype e fui dormir. Simplesmente estava exausta e sem clima de festa!

Agradecemos as dicas, Silmara!

Leia também:

Varsóvia e Cracóvia pra Marcie

O emocionante carnaval da Marcie em Varsóvia

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email

40 comentários

Perto da estação de trem tem uma rodoviária – de lá saem vans que deixam praticamente na entrada do complexo… creio que saem a cada 30 ou 60 minutos, no máximo – foi tranquilaço quando fui. Mas… estou falando de 2009; vai saber o que houve d muanças de lá prá cá.

Coloquei a experiência em http://devoltaoutravez.wordpress.com/2010/10/29/auschwitz/

    Aproveitando: em Auschwitz creio que dá prá fazer as coisas sozinho – mas ir com um guia é imprescindível! Pegue tour lá na hora mesmo, que há em vários idiomas.

Eu fui ao leste europeu em outubro de 2012. Em Cracóvia estávamos com um grupo e o passeio Auschwitz/Birkenau era um opcional, mas para mim era fundamental, então nem pestanejei. Paguei cerca de 30 ou 40 euros por um tour guiado, que nos levou de ônibus de Cracóvia até Auschwitz e depois a Birkenau. Acho importante a presença de um guia, que dá informações preciosas e interessantíssimas sobre a história do lugar, com dados que jamais saberíamos apenas com a visitação por conta própria. Os locais são tristes, sem dúvida, principalmente Birkenau, onde entramos nos galpões em que os prisioneiros dormiam, naqueles beliches que vemos em filmes sobre a Segunda Guerra Mundial. Em Birkenau, ver o final da linha de trem, de onde saiam os prisioneiros em direção à morte, é arrepiante. Já Auschwitz funciona também como um museu, com grandes vitrines em que vemos objetos de uso pessoal dos prisioneiros: malas, escovas de cabelo, sapatos, os próprios cabelos dos prisioneiros (que, segundo o guia, eram utilizados para forrar travesseiros, entre outros usos) – é muito tocante, e o mal-estar é evidente, tanto que as pessoas ficam silenciosas e quase não conversam durante o tour. Acho que é importante relembrar para não repetir os erros dos nossos antepassados. De qualquer forma, é uma experiência que recomendo, e muito: você sai de lá diferente do que entrou.

Estivemos na Polonia em janeiro de 2012 e visitamos Varsóvia e Cracóvia.
Em Cracóvia usamos os serviços excelentes da krakowtrip.com. Daniel e Thomas nos deram toda a assessoria necessária para visitar Auschwitz-Birkenau, além das minas de sal de Wielisczka.
Eles contam todo o contexto his´torico da época e te dão um apanhado geral da historia da Polonia, tanto na época da 2a guerra quanto depois , sob o dominio socialista .
Outros lugares imperdíveis em Cracóvia são : Oskar Schindler’s factory, um museu super completo e emocionante , onde foi filmado a Lista de Schindler de Spielberg e o Rynek Underground, museu subterrâneo no centro velho de Cracovia.
Vale a pena conhecer..

Bom dia!
Recentemente eu também estive visitando Cracóvia e recomendo estes dois passeios imperdíveis! Minha dica é alugar um carro: com o GPS, dá pra fazer Birkenau/Auschwitz (chegando lá bem cedinho) e avançando até o começo da tarde. Depois, ir até Wielisczka, que é uma cidade próxima à Cracóvia onde há uma mina de sal (que não mais funciona) aberta à visitação. Além de conhecer algo que não é fácil de encontrarmos, uma mina de sal tem uma beleza particular que vale a pena ser visitada! E, no final do dia, devolve-se o carro alugado – se for 2 ou 3 pessoas já compensa! Não peguem os tours oferecidos em Cracóvia!!!

Exatamente porque a visita em Auschwitz tem de ser feito com os guias do museu, eu achei que não faria diferença ir com uma excursão (que se resume a levar e trazer as pessoas de Cracóvia e exibir uns vídeos no caminho, porque os guias da visita são os do próprio museu) e ganharia em praticidade.

Mas o problema foi Birkenau: lá, depois do passeio com guia, a pessoa pode caminhar pelo imenso campo e explorar o local por conta própria, como a Silmara descreveu. E foi aqui que senti falta dessa liberdade, pois, tendo ido com um grupo, o tempo foi bem limitado. Fiquei arrependida de não ter ido por conta própria e não recomendo excursão.

Fomos de excursão desde Cracóvia, e foi ótimo. Achamos que a diferença de preço não valia o trabalho de ir de ônibus, já que lá nos campos os passeios são obrigatoriamente guiados mesmo.
Fomos até a Polônia só por causa desta visita, e valeu a pena. É um passeio imperdível. Lembranças horríveis, que não podem ser esquecidas pra não serem repetidas.

Como alternativa ao roteiro que a Silmara fez:
Estive em Auschwitz (via cracóvia) no final de junho desse ano, mas optei por comprar o passeio no hotel. Escolhi a empresa See Krakow, e não me arrependi. As vantagens:
Eles pegam e deixam vc no hotel (o percurso dura 1h);
Providenciam o guia para a visita no campo (no verão só é permitida a entrada sem guia em determinados horários);
Fazem o traslado entre os dois campos (que ficam +ou- 3km um do outro).
O ponto negativo é que, claro, vc paga mais caro por isso.
O passeio todo, dura +ou- 7 horas.
Não é um programa fácil, mas acho que todos que tem a oportunidade deveriam conhecer.

acho que dei sorte, porque fiz esse passeio agora em junho e achei muito tranquilo. fomos na estação no dia anterior comprar as passagens. a moça realmente não falava inglês (só a do guichê de viagens internacionais), mas foi só dizer auschwitz que ela entendeu e mostrou uma tabelinha com os horários do trem.
no dia seguinte, chegamos em cima da hora da partida, mas encontramos o número da plataforma nas telas da estação e conseguimos pegar o trem a tempo. chegamos no campo umas 11 horas e pegamos o tour em inglês. pelo o que eu entendi, agora o tour guiado é obrigatório. depois que a guia nos mostrou a parte de auschwitz, pegamos um ônibus que estava incluso no ingresso até birkenau e fizemos o resto do passeio guiado. no final, o ônibus nos levou de volta ao primeiro campo e de lá fomo andando até a estação de ônibus. almoçamos ali do lado e pegamos o trem das 16h, se não me engano. a estação também tinha uma tabelinha com os horários do trem pra cracóvia.
achei bem fácil ir por conta própria e fica bem mais econômico do que pagar os tours que oferecem na cracóvia.

    Olá Carol, li seu comentário sobre Auschwitz e fiquei animado, pois, pelo relato da Silmara já tinha desistido,rsrsr
    Diga uma coisa, vc acha que é mt aventura prá quem não fala inglês? Ah vou de carro até lá, isso é possível ou só os trens ou os tours que levam até lá? Grato.

    Caro Valdemir, quando pretendes ir? Em janeiro de 2012 saí de carro de Berlin direto para Oswiecin. Fiquei 2 noites lá. O povo é bem amável e alguns lugares o espanhol quebra o galho. Peguei muita neve e frio, mas as estradas foram bem tranquilas principalmente na volta (fui por Brno e depois Praga). Aconselho a viagem pois é inesquecível. Breve colocarei nomBlog que estou organizando, pois o faço nas horas vagas.

    oi carol.
    moro em Joao pessoa/PB, estou indo pra polonia agora dia 09/set, volto dia 02/out, gostaria de saber se vc poderia me dar algumas dica s a mais, onde ir e como ir.
    abraços

    Henrique, pretendo ir ano que vem, se possível passe-me os custos, e o roteiro da viagem, mais ainda quanto a hospedagem se há famílias que hospedam turistas ficarei grato. Meu email: [email protected]. Samuel Weissemberg Nisc

    Estou viajando em grupo de amigos para fazer esse roteiro e reunimos alguns links para termos melhor assessoria por lá.
    Vamos fazer tudo com a Monika que é uma brasileira morando na Cracóvia. Vai ser tudo que precisávamos.
    Já cotamos todos os transfers e serviços de guia incluindo visita a Mina de Sal, que dizem ser imperdível, assim como um
    passeio em Zakopane que é conhecida como a capital de inverno da Polonia e recebe mais de 3 milhoes de turistas por ano.

    Receptivo em Cracóvia Monika – [email protected] – guia brasileira

    Receptivo em Cracóvia Marga guia de Cracovia”

    Cracovia excursiones NATALIA NOWAK – TRAVEL CONSULTANT http://www.krakowtraveltours.com [email protected]

    http://www.lovelybudapest.com/pt/

    Oi Fátima, você já fez essa viagem? como foi em Cracóvia e Auswitz?
    Obrigada
    Sheila

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.