Primeira viagem ao Leste Europeu: monte seu itinerário

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Leste Europeu itinerários: Praga

Praga

Está montando seu itinerário pelo Leste Europeu (ou, como eu prefiro chamar, Europa Central)? Neste post você encontra esquematizadinhos os deslocamentos mais racionais e convenientes entre Berlim, Munique e Viena e as principais cidades do antigo Leste Europeu -- Praga, Budapeste, Cracóvia, Varsóvia, Zagreb, Bratislava e Ljubljana.

As informações estão dividadas em três blocos:

  • Como comprar a passagem aérea internacional e escolher os trajetos entre trem, ônibus ou carro
  • Tempos de viagem entre as cidades principais
  • O itinerário mais redondo para uma primeira viagem à Europa Central/Leste Europeu

    Como comprar a passagem aérea

Com o fim, a partir de outubro, da rota direta entre São Paulo e Munique, o Brasil não será ligado por vôos diretos a nenhuma das cidades citadas neste post. Mas isso absolutamente não é problema. O ideal para qualquer roteiro picado pela Europa é comprar uma passagem na modalidade múltiplos destinos, oferecida por todas as cias. aéreas em seus sites (e também por algumas agências online).

Numa mesma passagem, você compra a ida para o primeiro destino a ser efetivamente visitado, e a volta desde o último destino a ser efetivamente visitado. O itinerário aéreo será resolvido com uma escala na ida e outra na volta. Por exemplo: uma passagem múltiplos destinos com ida Brasil-Budapeste e volta Berlim-Brasil comprada na KLM terá conexão na ida e na volta em Amsterdã; comprada na Lufthansa, terá conexão na ida e na volta em Frankfurt; e assim por diante.

Você economiza o tempo e o dinheiro (e eventualmente gastos com hospedagem) que precisaria investir nos trajetos entre o ponto de chegada/partida do vôo direto e os lugares que você vai efetivamente visitar. E tem a segurança de todas as conexões serem vinculadas e, por isso, garantidas: se o primeiro vôo atrasar e você perder o segundo, a cia. aérea se responsabiliza por encaixar você num outro vôo. Veja o passo a passo neste post ou use os serviços de um agente de viagem.

    Trem ou ônibus?

No antigo Leste Europeu, devido à precariedade das linhas ferroviárias, o transporte rodoviário sempre foi uma boa alternativa. Mesmo com a modernização de alguns trilhos, viajar de ônibus continua uma alternativa interessante -- mais econômica e com tempos de percurso equivalentes (e às vezes até mais rápidos) aos dos trens.

O Viaje na Viagem tem uma preferência quase ideológica pelo trem, por ser o mais europeu dos meios de transporte e proporcionar uma experiência inigualável de viagem. Mas em alguns trechos desta região o ônibus acaba se revelando a melhor alternativa, mesmo.

    Carro alugado é uma boa?

Nem todas as locadoras permitirão que você atravesse fronteiras no chamado Leste Europeu. Sempre pergunte sobre essa possibilidade, já que rodar por territórios não-autorizados pode implicar em multas previstas no contrato e anulação do seguro.

Dito isso, alugar um carro para fazer um roteiro entre cidades grandes não é uma boa idéia em lugar nenhum da Europa. Entrar e sair de cidades grandes, estacionar em cidades grandes, guardar o carro à noite em cidades grandes -- tudo isso toma seu precioso tempo de férias e encarece sua viagem.

Vai por mim: só alugue carro num país onde você vá percorrer estradas secundárias e rotas panorâmicas, fugindo das cidades grandes e das grandes estradas. Se o seu roteiro incluir o interior da Alemanha, da Áustria, da República Tcheca, da Eslovênia ou da Croácia, alugue e devolva o carro localmente, seguindo viagem de trem ou ônibus para a próxima capital.

    Leste Europeu/Europa Central: monte seu itinerário

De Berlim

De Bratislava

De Budapeste

De Český Krumlov

De Cracóvia

De Dresden

De Innsbruck

De Ljubljana

De Munique

De Praga

De Varsóvia

De Viena

De Zagreb

    Leste Europeu/Europa Central: o roteiro mais redondo

Este roteiro classicão não tem erro. A seqüência é bacana, os deslocamentos são fluidos. Siga as permanências mínimas recomendadas e sua viagem vai ser um sucesso.

  • Compre passagem aérea múltiplos destinos (veja aqui) com ida Brasil-Budapeste e volta Berlim-Brasil
  • Fique 3 ou 4 noites em Budapeste; vá de trem a Viena (2h40)
  • Fique 3 ou 4 noites em Viena; continue de trem a Praga (4h) ou vá de ônibus a Cesky Krumlov (3h30), fique uma noite e prossiga no dia seguinte a Praga de ônibus (3h)
  • Fique 3 ou 4 noites em Praga; siga de trem a Berlim (4h25); faça um pit-stop em Dresden
  • Fique 4 a 6 noites em Berlim; volte ao Brasil

 

Leia mais:

76 comentários

Ana Luisa
Ana LuisaPermalinkResponder

Show!!!!

Patricia Papp
Patricia PappPermalinkResponder

Que post bacana! Em maio fui para Budapeste, Belgrado e Saraievo (que AMEI MUITO). Viajei entre estes países de avião e acabou sendo bem prático. Nas cidades usei transporte público e caminhei muito. Quero escrever sobre todas mas por enquanto só fiz post com dicas de restaurante em Budapeste. Aliás, comi muito bem lá! Do café da manhã ao jantar, passando pelos wine bars!

http://viajocomfilhos.com.br/2016/05/restaurantes-em-budapeste-hungria/

Eliana Souza Conceição

Fizemos uma viagem ao leste Europeu abrangendo os países: Polônia, Eslováquia, Hungria e Bulgária. Cidades incríveis, lugares lindos e comidas deliciosas. O que posso falar de diferente de outros relatos é que fizemos todos os trajetos de ônibus. Partimos de Berlim e finalizamos a viagem na Grécia, sempre usando ônibus. Super fácil e barato. Veículos confortáveis e com mordomias inesperadas em algumas empresas. Vale à pena! Todos trajetos (fora os da Grécia) foram comprados online aqui no Brasil. Usamos as empresas Eurolines, Polskibus,Student Agency, Volanbusz, Arda Tour e Ktel! Uma ótima experiência!

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Adorei!!!
Gostaria de conhecer a Croacia que diz ser lundo.
Que pais mais poderia incluir numa viagem de 15 dias?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Claudia! Leia sobre a Croácia:

https://www.viajenaviagem.com/destino/croacia

alvaro
alvaroPermalinkResponder

Estou começando a pesquisar um passeio para o Leste Europeu em julho de 2017. Achei interessante esta proposta de roteiro que soma mais ou menos 19/20 dias.
Gostaria de saber mais detalhes deste roteiro e se possuem indicações de hospedagem (hotel, aluguel de apto ou casa).
Agradeço se puderem me ajudar.

Álvaro

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alvaro! Clique nos nomes das cidades em azul e você chegará às páginas de destino de cada cidade, onde encontrará mais informações.

Maria Bernadete Malerbo

Oi Alvaro, também estou pensando em fazer essa região em agosto 2017. caiu como uma luva, e as dicas são ótimas. Estive lá ano passado e usei mto onibus, trem somente uma vez. onibus dá certo sim. hospedagem usei bastante o booking; alugueis não são caros na Croácia (amamos esse país). procuro ficar em hostals, aptos e qto são bons e bem localizados ficamos no IBIS

Rita Vicente
Rita VicentePermalinkResponder

Gente, eu fui! Em 2007, sozinha, eu e minha câmera, comemorando minha aposentadoria. Sem pacote, nem guia. Planejei tudo eu mesma, reservei passagens e hotéis antes de sair daqui e fui para Varsóvia, Cracóvia, Budapest e Praga. Nessa ordem. Mas achei que deveria ter deixado a Polônia para o final porque os preços eram muito bons e eu deixei de comprar algumas coisas para não ter que ficar carregando. Sim, Praga é linda, mas é uma praga de turistas sem fim! Era outubro, fora de temporada, mas não dava para andar na rua! Para conseguir boas fotos, sem ninguém na frente, era um sacrifício. Budapeste é grande e linda. E eu amei a Polônia. O detalhe é que eles se separaram da União Soviética em 1990 e eu fui em 2007, ou seja, apenas os mais jovens falavam inglês. E eu não falo polonês! Decorei palavras como por favor, obrigado, quanto custa, onde fica... mas essas interrogativas não serviam para nada, já que eu não entendia a resposta mesmo, hehehe... Já o dedo indicador servia para muita coisa, principalmente nos restaurantes. E os doces de todos esses países são divinos! Enfim, fui, vi, amei, fotografei muito e curti de montão! E estou aqui, o que prova que é possível! Na dúvida, vá!

Maria Bernadete Malerbo

Rita, amei seus comentários. você está certa sim, nada é impossível, na dúvida faça mímicas. Iremos no proximo ano pra essa região e confesso q estava um pouco sismada com o idioma mas agora determinei: vou sim. e esse post está otimo.

Tuca Guimarães

Riq vc sempre arrasa. Objetivodade e informação quemte num post maravilhoso.vou partir de Veneza para Llubliana, depois Zagreb e de lá Budapest e seu roteiro redondo sugerido!

Regina Haiduk
Regina HaidukPermalinkResponder

Olá, dicas ótimas, já fiz Portugal e Espanha de carro, e é verdade, cidades grandes, com as capitais, Barcelona, Granada realmente é complicado e muito caro estacionar! Caminhar, locar uma bicicleta ou andar de ônibus ou metrô é muito mais viável e confortável! Uma dica, nós fizemos em 3 pessoas e foi bem legal, configure seu GPS para evitar autoestrada ou estradas pedagiadas, vcs terão a oportunidade de ver paisagens, vilarejos e lugares maravilhosos! A Nossa última aventura foi 9.000 km saindo de Curitiba, indo a Uruguaiana e depois para a Argentina, Chile e Uruguai, entrando novamente no Brasil pela cidade de Chuí. Foi fantástico!

Ana Leticia
Ana LeticiaPermalinkResponder

Boia, estou de viagem marcada para setembro deste ano. Passo por Budapeste, Bratslava, Viena, Salzburgo, Munique e Stuttgart. Não tive problemas para comprar passagens de trem na companhia alemã (Deutch Bahn), mas na austríaca e húngara/eslovaca, não consegui comprar online de jeito nenhum. Vocês têm algum tutorial para essas compras de passagem de trem? Ou vou ter mesmo que deixar pra comprar na hora? Outra coisa, quero ir para Hallstatt a partir de Salzburgo e, como chegar lá de trem e bem demorado, vocês têm alguma dica pacote/guia turístico? Obrigada!!! grin

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana! Temos um tutorial para compras no site austríaco, mas o layout mudou, então não serve mais. Mas é estranho você não conseguir comprar por esse site; todo mundo consegue. O site húngaro é embaçado mesmo. Você usou a URL que está aqui neste post? Se não conseguir comprar, passe na estação no dia da chegada.

Maria Fernanda

tutorial sobre compras na OBB (trem da Áustria):

http://www.vivaviena.com.br/youtube/viva-viena-videos/comprar-passagem-de-trem-austria/

Só consegui comprar IDA e VOLTA depois de ver esse tutorial. Perfeito e atual!

Ana Leticia
Ana LeticiaPermalinkResponder

Gente, muito obrigada! VnV sempre arrasa! grin

Luiza
LuizaPermalinkResponder

Oi Ana, eu fiz Salzburg-Hallstatt ano passado, o trajeto foi de ônibus até certo ponto, e aí na estação final pegamos um trem, não demorou mais que 1h30, mas não lembro bem cias, etc. Na volta fizemos Hallstatt-Vienna e não recomendo, foi bem salgado (em torno de 50 euros por cabeça). Minha dica é dormir em Hallstatt (e não do outro lado do lago), porque o vilarejo é fantástico à noite. Aproveite muito porque lá é incrível!

Dalton
DaltonPermalinkResponder

Viajei por 10 países do leste europeu no ano passado. Mas fiz uma viagem um pouco mais arrojada do que a proposta aqui. Fui de moto!!!!! Rodei pela Romênia, Bulgaria, Turquia, Grécia, Macedônia, Albânia, Montenegrego, Croácia, Bosnia e Servia. E não me arrependo. Lugares belos, estradas boas, povo acolhedor, preços honestos e muitas novas descobertas.
Descobri, por exemplo, que a língua inglesa é falada na maioria dos locais, seja por um frentista de posto de combustível no interior da Bulgária, seja por uma garçonete em um bar na Bósnia em região não turística, ou por um atendente do Burger King em uma cidade do interior da Romênia.
Descobri que são países pobres, mas não possuem a miséria que possuímos aqui, exceto quanto a Albânia.
Descobri que Montenegro é um país maravilhoso, com paisagens indescritíveis e um mar de azul incomparável.
Descobri uma Croácia muito bem preparada para receber o turista.
Descobri uma Bósnia se recuperando de uma guerra civil, com contrastes entre o moderno e o destruído. Muitas edificações ainda guardam as marcas do conflito.
Descobri uma Sérvia fortemente agrícola, com parte da riqueza deixada pela Iugoslávia.
Descobri uma Grécia, que apesar de estar “quebrada”, possui uma malha rodoviária excepcional. Não comparável a nenhuma região do Brasil.
Descobri uma Albânia muito parecida com o Brasil. Pobreza, miséria, pedintes e disparidade econômica e social. Muitas Mercedes, BMWs, Audis e Ferraris contrastando com enormes conjuntos habitacionais.
Sendo assim, por todas as novas experiências vividas em viagens que fogem do modismo turístico, eu recomendo a todos que conheçam a região. Seja de avião, de ônibus, de trem, ou quem sabe, de moto!!

Celeste A Santos

Adorei o post...Estou fazendo este roteiro agora em Setembro, e estava realmente precisando de umas dicas de deslocamentos internos.
Comprei pela CK um Transfer de Viena para Praga, com parada de 1/2 dia em Cesky Krumlov, espero aproveitar pelo menos um pouco Cesky Krumlov ....

Lara
LaraPermalinkResponder

Cheguei ontem do leste europeu! Fiz um dos trajetos de trem e o resto de ônibus com uma empresa que se chama Student Agency. Mil vezes melhor o ônibus! Sem a confusão de entra e sai dos trens, lugar pra por mala mais seguro, ar condicionado, televisão igual de avião e ainda ganhava uns cafezinhos e chazinhos! Mesmo tempo de viagem dos trens, muito mais barato e normalmente as paradas eram na frente das estações de trem (ou seja, bem localizadas, perto de lockers para as malas, bem conectadas de transporte público ao centro da cidade). Então, recomendo muitíssimo o ônibus!

Suzete Pereira Lot

Boa tarde. Bóia
Sábado estou indo para Praga, Áustria, Hungria
Vou usar o cartão dr crédito em Praga
Nesse blog, você diz que compra pouca moeda local e chegando lá vai em um caixa automático com cartão de conta corrente habilitado para saques internacionais
Fui no Banco do Brasil, onde habilitei meu cartão, e perguntei a gerente se ele já estava habilitado para saques
Falou que não e que fica muito caro
Paga 20,00 reais. IOf, tarifa de câmbio e tarifa de saque internacional
Não senti firmeza
Seria isso mesmo?
Mesmo assim, vale a pena? Parabéns pelo blog. Adorei

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Suzete! Ao contrário do que acontece nas casas de câmbio, no caixa eletrônico você nunca é enganada. A cotação é a mesma em qualquer dia da semana, a qualquer hora do dia ou da noite e em qualquer ponto da cidade, perto ou longe de pontos turísticos.

Por causa dessas tarifas, não é a alternativa mais barata; é uma alternativa cômoda para conseguir dinheiro local para pequenos gastos do dia a dia. Para reduzir a perda, a recomendação é fazer o maior saque disponível.

Para os gastos maiores, o cartão de crédito é uma opção melhor.

É a milésima vez que eu explico isso e não sei por que continuo me dando a esse trabalho. As pessoas ficam de consciência muito mais tranqüila quando perdem dinheiro na casa de câmbio do que quando pagam tarifas ou impostos em qualquer outra transação, mesmo se a perda nessa outra transação for menor do que nas casas de câmbio -- que no Leste Europeu são especialmente salafrárias.

Diógenes
DiógenesPermalinkResponder

Quero fazer parte desse roteiro em breve.

cyro
cyroPermalinkResponder

alguem teve problema com a emissao online na orange ways? me encaminha para o verified by visa e o servico similar do mastercard e nega minhas compras. estou tentando ocmprar zagreg budapeste e nao achei outra alternativa...desde já agradeco

Luiza
LuizaPermalinkResponder

Se tiver outra opção de empresa, não compre Orange Ways. Péssimos ônibus, todos velhos e sem marca, parece que vão sequestrar você, a sensação é horrível hahahaha. Fiz leste europeu ano passado com minha amiga e não indicamos Orange Ways de maneira alguma (eu sei que é baratinha, pois é). Como sai de Zagreb tente a Autotrans ou a Bus Croatia (fiz Croácia em julho agora e rodei muito com essas empresas, super aconselho, bons preços e ônibus okay, com wifi, etc).

Stephanie Oliveira

Ricardo, os trajetos a partir de Munique pras cidades que citou podem ser feitas de ônibus tranquilamente também! Assim não fica tão dependente do trem. Eu já fiz pra todas pelo FlixBus.
wink

rosimar
rosimarPermalinkResponder

Nota mil...um dos blogs mais completos que vi. Parabéns

Gesielly Martins

Parabéns! Post excelente!!!!! Vocês são 10!!!!!!!!!

Luiz Carlos
Luiz CarlosPermalinkResponder

Fizemos os transfers de Budapest - Viena e Viena - Praga de ônibus, pela FLIXBUS, passagens compradas hora com antecedência, hora com um dia de antecipação.
Foi a melhor opção. Não passamos pela aventura do trem, mas os ônibus da FLIXBUS são muito confortáveis. Embarques e desembarques em estações de metro, logo não tivemos que puxar/empurrar a bagagem por muitos metros até entregá-las ao motorista (mesmo esquema que no Brasil).
Não serviram nada, e não havia tv ligada, o que foi ótimo. As viagens duraram o mesmo que seriam nos trens, mas menos da metade do preço.

Mariana G.
Mariana G.PermalinkResponder

Bóia, existe algum risco de no inverno (em caso de neve) esses trechos de ônibus não puderem ser feitos?
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mariana! Com neve há risco de linhas ferroviárias e aeroportos fecharem também. Mas é bastante raro.

Claudia
ClaudiaPermalinkResponder

Olá, apenas p constar que usei os serviços da Goopty que fiquei sabendo através do VNV. Fiz o trecho veneza ljubjana ida e volta e recomendo. Pontuais, atenciosos, preços bons e muitas opçoes de itinerarios. Vale conferir.

Pedro
PedroPermalinkResponder

Bem mais certa a denominação "Europa Central". Fiz ano passado Varsóvia (indo a Auschwitz e voltando), Kaliningrado, São Petersburgo, Moscou, Yerevan, Tbilisi, Batumi, Odessa e Kiev (com uma passadinha em Chernobyl). Isso sim é "leste Europeu".

Erika - Blog próxima Trip

muito bom! Que trabalheira organizar esse post!!! grin Já visitei algumas dessas cidades, me deslocando de ônibus, trem e avião. Mas é bem simples, não tive nenhum perrengue. Só a pontualidade que não é igual à Suíça ou Alemanha, mas nada que comprometa.

Rafael Covre
Rafael CovrePermalinkResponder

Olá amigos do VnV! smile
Acompanho o blog a bastante tempo e sempre me ajuda tanto nas viagens! <3
Nesse nosso segundo mochilão a principio vamos fazer Berlim-Praga-Viena-Munich-Interlaken/Grindelwald e volta por Zurich (porque achamos passagem barata voltando por lá hehe)
A questão é que coincidentemente chegaremos em Munique no primeiro dia da Oktoberfest :O
A cidade ficará (ainda mais) cara. Não era nosso plano, mas foi o bateu certinho pelas passagens que já estão compradas porque conseguimos um ótimo preço.
A pergunta: pulo Munique e faço tipo Viena-Salzburg-Interlaken ou vale a pena a bagunça? haha
Somos um casal tranquilo que nem bebe direito :/ haha
Muito obrigado <3

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafael! A bagunça em Munique se restringirá ao parque da Oktoberfest mesmo... no resto da cidade é vida normal. Mas a cidade fica meio inviável mesmo para o budget mochileiro nesta época. De repente vale a pena pegar um quarto (não casa inteira) no Airbnb... ou deixar Munique para uma próxima viagem...

Rodrigo Madeira

Bóia, apenas para registro, a LuxExpress vai parar de fazer o trajeto Budapeste-Cracóvia. Eu já tinha comprado e recebi um e-mail dizendo que ela vai parar de atuar na Polônia.
Eu tentei usar a OrangeWays, mas o site é muito ruim e não consegui fazer o pagamento online. Além disso, ela é muito mal avaliada por vários viajantes.
Eu vou ter que tentar a PolskiBus. Dizem que os ônibus não são tão confortáveis quanto os da Lux, mas foi a alternativa que restou.
Abs

Patricia
PatriciaPermalinkResponder

Bóia, qual forma você recomenda para sair/chegar nos aeroportos de Budapeste e Cracovia para um casal com 1 mala média cada? Brigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Patricia! Em Budapeste pegue um táxi da FöTaxi. Em Cracóvia existe um ônibus gratuito que leva do terminal à estação de trem. De lá partem trens com freqüência para o centro de Cracóvia.

Patricia
PatriciaPermalinkResponder

Obrigada, Bóia!

Gabriela
GabrielaPermalinkResponder

Olá, Rita, será minha primeira viagem internacional sozinha e estava cheia de temores, mas adorei seu relato e entusiasmo. Juntamente com as dicas do VNV, me enchi de confiança. Obrigada!

TAMILIS MOTA CERQUEIRA

Bóia, é contra- mão iniciar por Berlim, ir descendo as cidades e volta ao Brasil por Budapeste? queria muito terminar em Budapeste, mas também não quero dificultar a viagem que já terá muitas cidades.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tamilis! A logística é igual -- não há vôos diretos do Brasil nem a Berlim, nem a Budapeste. A ordem que o Ricardo Freire indica é uma questão de gosto pessoal (e, por isso mesmo, discutível): ele acha que a viagem fica melhor desse jeito. Mas se você tem razões (e vontade é uma ótima razão) para terminar em Budapeste, não há nenhum empecilho de ordem prática para inverter o itinerário.

Fernando
FernandoPermalinkResponder

Eu já terminei o meu mas farei o caminho contrário chegarei por Berlim e volto por Budapeste....

Leila
LeilaPermalinkResponder

De Viena para Ljubljana minha sugestão é parar uma noite em Graz, a cidade é bonita e em uma tarde vc consegue ver. Mais de 5 hs de trem é cruel.
De Viena para Bratislava na época que eu fui, em 2012, tinha uma promoção, o Bratislove, comprei na estação de trem em Viena, além da passagem de ida e volta dava direito ao transporte público em Bratislava.

Andrea Raminelli

Irei para Praga/Bratislava/ Budapeste em outubro. Para comprar passagens de ônibus é fácil, ou preciso de antecedência? Estava pensando em comprar lá mesmo, quando chegasse.
De Bratislava para Budapeste, será que consigo comprar em Praga?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Andrea! Normalmente dá para comprar no local. Mas se você quer escolher horário e assento, e não ficar com o que sobrou, nem correr o risco de ônibus lotados no dia em que você quer viajar, compre com alguns dias de antecedência.

Janaina Rosa
Janaina RosaPermalinkResponder

Olá pessoal como vai? Em agosto farei um mochilão pelo leste europeu e como alguns por aqui já têm uma certa experiência, seria arriscado entrar somente com as reservas de hospedagem da primeira e última cidades? Entrarei por Lyon e voltarei por Copenhague.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Janaina! Você vai fazer imigração no primeiro aeroporto em que pousar. Na chegada é você e o agente de imigração. Ele tem poder ilimitado e pode te barrar sob qualquer pretexto. A regra manda ter reserva para todas as noites da viagem. Não procure a opinião de gaiatos na internet. A escolha é sua e quem vai arcar com as possíveis conseqüências é você, não quem te mandar aplicar o jeitinho brasileiro.

Aline Oliveira

Bom dia!!!
Então, dps de muito ler.. Não consigo descobrir a melhor forma de ir de Cracovia a Budapeste, trem noturno ou ônibus noturno? Qual o melhor custo benefício? As linhas de ônibus são Polski Bus e FlixBus, já li que Orange Ways nem pensar.... No trem noturno tem que fazer baldeação? Tb não consigo ver o preço do trem, no site da PKP manda me dirigir ao balcão e eu queria resolver com antecedência...
No ônibus dá pra dormir ou a poltrona nem reclina?
O que me aconselham?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aline! Viajar de trem à noite é mais inseguro do que de ônibus, por causa da facilidade de roubarem sua mala. Veja horários em http://www.bahn.de/international; existe um trem noturno sem baldeação. O ideal é não viajar de noite nem de ônibus nem de trem; uma noite maldormida tem efeitos no seu organismo e você vai chegar na próxima cidade cedíssimo sem possibilidade de acesso ao seu quarto de hotel até as 14h ou 15h.

Josiana
JosianaPermalinkResponder

Contratei a empresa Green Shuttle para um tranfer de Viena a Cesky Krumlov. Pagamos a reserva e recebemos a confirmação com bastante antecedência. Nossa partida seria dia 5/9 às 8h30. Como eles não fizeram contato, na véspera desde cedo comecei a mandar e-mails para checar se estava tudo ok. Eles me mandaram um e-mail somente às 19h cancelando o transfer e dozendo que me reembolsariam o valor da reserva. Acabamos conseguindo comprar um bilhete de trem para uma viagem que durou 4,5 horas, mas se fosse de novo oria de trem ou ônibus. Não vale a pena ariscar a contratar uma empresa que cancela o transfer com apenas 13 horas de antecedência, no meu caso já à noite, na véspera de uma partida no início da manhã. Achei um desrespeito. Se não tivesse conseguido a passagem de trem, teria perdido a diária já paga em Cesky Krumlov e a passagem já comprada de lá para Praga. Cheguei a pensar em comprar uma passagem de Viena direto para Praga, desistindo de Cesky Krumlov, mas em cima da hora a passagem estava caríssima e ainda tonha que ver se nosso hotel em Praga poderoa nos receber um dia antes. Foi muito estressante.

laiza rossi
laiza rossiPermalinkResponder

Em setembro último fiz a viagem Budapeste, Viena, Praga. Voei Lufthansa Rio/Frankfurt/Budapeste-Praga/Frankfurt/Rio. A companhia é ótima. Os trechos Budapeste/Viena e Viena/Praga fiz de trem porque tbm sou apaixonada pelas viagens de trem. Segui todas as dicas do blog quanto à hospedagem, itinerários, dinheiro e horários e deu tudo certo. A viagem foi muito tranquila. Comprei as passagens de trem pela internet. Só uma dica: os trens húngaros não são como os da Itália ou da Alemanha. Comprei passagem na segunda classe mas fiz upgrade para a primeira classe já no trem pq não deu para encarar a falta de conforto e os corredores lotados de malas. Fiquei hospedada em Budapeste e em Viena nos hotéis da rede K e K, bem localizados e com ótimo custo beneficio (500 e poucos euros por 4 noites). Reservei pelo Booking. Recebi os quartos logo que cheguei, por volta do meio-dia. Uma coisa que gostei foi o fato de aceitarem muito bem os cartões de débito daqui o que facilita numa hora de emergência. No mais, as cidades são lindas. Budapeste me surpreendeu em todos os sentidos. Obrigada ao blog por facilitar muito a nossa vida e nos dar o prazer de organizar nossa viagem

Soraia
SoraiaPermalinkResponder

Acabei de voltar da Croacia. Foi uma viagem maravilhosa. Fiz viagens rodoviárias entre as cidades. Tudo muito lindo. Com inglês da para se virar muito bem.

Giovanna
GiovannaPermalinkResponder

Não existe nenhum site, revista ou blog mais claro, objetivo, bem escrito e completo do que o VnV! É perfeito!
Obrigada por todas as dicas!!!

Simone Ferracin Bello

Vou fazer o roteiro Cracovia/Budapeste/Viena/Praga , 18 dias. Compensa comprar o passe de trem para os tres ultimos deslocamentos ? Custa cerca de 360 euros para 2 pessoas. Estou em duvida entre trem e ônibus, pois meu marido toma medicamentos e uriliza muito o banheiro, não sei se o ônibus tem.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Simone! Ônibus são desconfortáveis, prefira sempre o trem quando houver essa alternativa. Passes não valem a pena, você vai pagar muito menos comprando diretamente nas cias.

Camila
CamilaPermalinkResponder

Olá Boia!!!!
Farei esse roteiro em junho. Gostaria de saber com quanto tempo de antecedência é melhor para comprar as passagens de trem?
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Camila! Os trechos compráveis nas cias. alemã e austríaca podem ser comprados a partir de 90 dias de antecedência.

Simone
SimonePermalinkResponder

Eu e meu marido só podemos viajar em dezembro. E este destino, principalmente Budapeste está nos nossos planos. É muito arriscado por conta do frio? Nosso plano é rodar um pouco pelo leste Europeu....é viável?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Simone! Não é arriscado nem inviável. É só frio, mesmo, e com dias curtos.

Marcos Coimbra

Gostaria de saber o que o VnV ou demais viajantes que conheçam bem a região acham de incluir Amsterdã no início (antes de Berlim) OU Zagrebe ou Hvar no final (depois de Budapeste), considerando esse roteiro mais redondo que o VnV sugeriu no fim do post.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcos! Se você dispõe de mais dias, claro que pode acrescentar.

Ronald Barbosa Dantas

Ricardo / bóia, bom dia!!!! Mais uma temporada de consultas diárias no blog dessa vez p descobrir tudo do Leste Europeu no início de junho. Animado c o projeto da viagem porém, achando passagens caras (talvez seja a proximidade c a Copa naquela região). Pela sua experiência alguma perspectiva de baixa de preços? Algum outro destino interessante p essa época? Abs e sucesso. Sigam firme!!! Melhor blog, rs

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ronald! Não há nenhuma relação entre Copa do Mundo na Rússia e preço de passagens para a Europa ou para o Leste Europeu. As passagens à Europa ficaram bem mais caras ano passado, devido à melhora da economia no Brasil e à diminuição de vôos e assentos ocorrida durante a crise.

Ronald Barbosa Dantas

Valeu! Ficarei atento as dicas de vcs. Abs e obg

Ellen
EllenPermalinkResponder

Ei Bóia! Lindo esse roteiro, porém estou montando um com Hallstat.. queria saber se vale mais que Cesky Krumlov ou as outras que vcs colocaram aí! Dá um look e me ajude smile Viena3 dias/4 noites - Hallstat 1dia/1noite - Bratislava 2 dias/1 noite - Budapest 4 dias/5noites - Prague 5dias/4noites. Estou ficando dias demais em cada uma das cidades? Tem mais alguma interessante para colocar no meio do caminho? Queria muito visitar algum castelo daqueles bem bonitnhos no meio do nada! Será que acho? Detalhe, estou indo sozinha! Tem perigo? (vou em agosto)

Muito obrigada Bóia. Aguardando ansiosa!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ellen! Cesky Krumlov entra no roteiro básico por estar (mais ou menos) no caminho entre Viena e Praga e rentabilizar o itinerário. Hallstatt seria caminho entre Viena e Salzburg, está para o outro lado. São 3h20 de trem, com baldeação em Attnang-Puchheim. Claro que dá para fazer, mas você terá que voltar pelo mesmo caminho pelo qual foi. E para realmente aproveitar a parada, devido à duração da viagem (você vai chegar a Hallstatt já ao meio-dia), é melhor ficar duas noites.

Ellen
EllenPermalinkResponder

Muito Obrigada Bóia. Vou rever essa parte do roteiro. smile Tem algum castelo para indicar? E essa dsitribuição de dias está razoável? Valeu demais querida Bóia!

Fatima Damasceno

Olá Bóia, tenho consultado informações neste maravilhoso site, bem como no canal do YouTube, contudo preciso de sua sugestão experiente smile
Somos duas pessoas chegando em Roma 10/09, visitando algumas cidades e as dúvidas quanto a Itália, pergunto em um post sobre o país.
Saindo de Milão vamos curtir o trem panorâmico até St. Moritz onde ficamos uma noite. As dúvidas começam aqui:
Chegaríamos em Munique 26/09, em plena Oktoberfest! Já vi que os hotéis estão caros, e pensei em ir direto para Salzburgo, nos hospedar, e fazer dois ou três dias de bate volta à Munique.
Alem da Oktoberfest, queremos visitar o complexo da BMW, a Marienplatz, o Palácio de Nymphenburg e um giro pela cidade.
Em seguida, passeamos por dois dias em Salzburgo, em seguida vamos à Viena e terminamos em Praga.
Esse plano é viável? De trem? Ou seria mais interessante ficar em Munique mesmo, ainda que longe do centro turístico, do complexo da BMW?
E a viagem entre St. Moritz e Salzburgo, como procedemos?
Agradeço desde já a atenção e suas sugestões.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fátima! 1h30 de viagem para voltar ao hotel é pesado. Ache um bairro ou mesmo cidade mais próxima de Munique.

Fatima Damasceno

Muito obrigada Bóia, vou procurar pelos arredores de Munique mesmo.
E quanto ao deslocamento de St. Moritz para Munique?
Qual seria melhor opção de deslocamento?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fátima! A viagem mais curta (5h) envolve trem a Chur e ônibus bus de lá a Munique. Compre na https://www.bahn.com (vende o percurso inteiro).

Ellen
EllenPermalinkResponder

Bóia. Cá estou eu novamente..passagens compradas, porém com alterações..e queria orientação ou crítica.. pouso em Frankfurt e estou pensando nesse trajeto.. 1 dia em Munique(2noites), 1 Salzburg (1 noite), 1 halstatt (1 noite), 2 Viena (3 noites), 1 Bratislava, 4 Budapeste (4noites), Praga 4 (4 noites).. ta muito insano? Nas estações de trem/ônibus encontrarei guarda volumes? Vale a pena tirar alguma cidade pra ter mais respiro?? Obrigada bóia. ?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar