Curitiba Linha Turismo

Guia de Curitiba

Curitiba: como montar seu próprio city-tour com a Linha Turismo

Poucas cidades no Brasil são tão amigáveis para o turista quanto Curitiba.

Os ônibus de dois andares da Linha Turismo levam a todos os cartões postais, exatamente como nas grandes capitais do mundo.

Curitiba com a Linha Turismo

Linha Turismo

A Linha Turismo é a maneira mais esperta de passear pelas principais atrações turísticas de Curitiba.

São ônibus de dois andares que percorrem um circuitão de 26 atrações em cerca de 2 horas e meia (sem contar as paradas).

O esquema é hop-on hop-off, ou seja, você escolhe onde descer e onde subir. Menos engessado do que um city tour, e mais prático de usar do que um ônibus de linha, acaba levando você a mais atrações do que provavelmente visitaria.

Como funciona a Linha Turismo

O passeio com a Linha Turismo custa R$ 50 (crianças até 5 anos não pagam). É comprado diretamente no ônibus, com dinheiro vivo (cartões não são aceitos).

O ticket dá direito desembarques e embarques ilimitados por 24 horas a partir do primeiro embarque.

O primeiro ônibus sai pontualmente às 9h da Rua 24 Horas, mas o embarque pode ser feito em qualquer um dos 26 pontos (veja quais são, e os horários, aqui).

Os ônibus param em cada ponto em intervalos de meia hora, em horários fixos, e circulam todos os dias, com exceção das segundas-feiras.

Muitas das atrações contempladas têm entrada gratuita.

O meu roteiro

Cheguei à Rua 24 Horas um pouco antes das 9h, para pegar o primeiro ônibus do dia.

O meu roteiro já estava decidido: escolhi, entre as principais atrações da cidade, algumas das que ficariam mais distantes do centro, e que por isso seria mais prático visitar com a Linha Turismo do que por conta própria. Também elegi pontos espaçados, para poder esticar um pouco as pernas entre uma atração e outra.

As primeiras paradas da Linha Turismo são no centro de Curitiba. Meu primeiro desembarque foi no Jardim Botânico, o quarto ponto da Linha Turismo. O ônibus chega lá em menos de meia hora.

Jardim Botânico
Jardim Botânico

A estufa do Jardim Botânico é um dos grandes símbolos da cidade, e o bem cuidado parque convida a uma gostosa caminhada. A trilha do Jardim das Sensações é um teste para os sentidos: são 200 metros para percorrer de olhos vendados, por entre as plantas.

Museu Oscar Niemeyer

Novamente a bordo, segui rumo ao MON, o Museu Oscar Niemeyer. Foi uma parada em que me demorei bastante – por lá encontrei ótimas exposições, especialmente a das perspicazes gravuras de Jacek Sroka (em cartaz até o final de outubro), e a impactante Zero, que acontece dentro do olho e serviu muito bem ao espaço que ocupa (em cartaz até 3 de novembro).

Museu Oscar Niemeyer, exposição Zero

O MON também tem um café aconchegante para um lanchinho antes de seguir viagem. A entrada para o museu custa R$ 20.

Ópera de Arame

A terceira parada que escolhi foi a Ópera de Arame, outra atração que é símbolo de Curitiba.

Ópera de Arame

A Ópera de Arame é um grande teatro feito de tubos de aço e vidro, num cenário que é também incomum – a cratera de uma pedreira desativada. Em conjunto com a Pedreira Paulo Leminski, que é um grande espaço para shows ao ar livre, forma o Parque das Pedreiras.

Memorial Ucraniano

Seguindo adiante, minha próxima parada foi o Memorial Ucraniano, uma homenagem à colônia da Ucrânia em Curitiba.

Dentro da capela existe um pequeno museu que conta a dura história do povo ucraniano e exibe objetos típicos, como as pêssankas – ovos delicadamente pintados à mão, uma tradição de milhares de anos.

O Memorial Ucraniano é anexo ao Parque Tingui, para quem quiser esticar a visita com uma caminhada.

Setor Histórico

Encerrei o passeio na última parada do circuito: o Setor Histórico da cidade. Por ali, os antigos casarões e igrejas preservados quase fazem pensar que voltamos no tempo – não fosse um grafite aqui, uma lojinha de artesanato acolá.

Setor Histórico

Me pareceu o lugar ideal para encerrar o tour, novamente nos arredores do centro, e com uma boa xícara de café no Solar do Rosário, ou uma cerveja gelada nos muitos bares ao redor.

Setor Histórico

Meu tour terminou às 17 horas, ou seja, foram 8 horas de passeio com a Linha Turismo. Permaneci de 30 minutos a 1 hora e meia em cada local. Por isso, é aconselhável reservar um dia inteiro para passear.

Um segundo roteiro

Quem tiver disponível mais um dia para turistar pode investir numa segunda rodada com a Linha Turismo: visitar o Mercado Municipal de Curitiba, o Bosque Alemão, o Parque Tanguá, almoçar em Santa Felicidade e subir a Torre Panorâmica também fazem um programão.

Mais passeios em Curitiba

98 comentários

Vamos receber parentes, nao con hecem Curitiba , acho legal fazer um tur
pela cidade, estamos em dúvida de carro ou ônibus turismo, tem diferença de preços no ônibus doble e o outro, e tbem em número de descidas?

Compensa ir para Curitiba agora no final de novembro? ou melhor esperar tudo se normalizar? Vi que ainda estão com bastantes pontos fechados. Saberia informar oque já está funcionando?

boa noite, muito legal o roteiro, estarei indo no final de semana do feriado de 02/11, gostaria de saber da acessibilidade para cadeirante ♿, esse ônibus é adaptável? Os locais e os parques, são tranquilos?

    Olá, Ubaldo! Não sabemos se até o feriado a linha terá voltado. O andar de baixo do ônibus é adaptado.

Boa tarde!

Gostaria de saber se compensa alugar carro em curitiba?
Curitiba está aberta para turismo no feriado de outubro/2020?

Obrigada.

    Olá, Herica! Alguns parques já reabriram, mas não todos. Restaurantes e bares estão funcionando. A Linha Turismo ainda não voltou. As atrações em recinto fechado ainda não abriram. Não é possível saber o que estará aberto em outubro. Entenda que, antes da vacina, aquele turismo convencional estará prejudicado.

Gostei muito do seu roteiro. Vou dia 29 pela primeira vez. Voce conseguiu lugar na parte de cima do onibus? De qualquer forma , se descer arrisca não encontrar no retorno. É isso?

Os carros que fazem Uber ,funcionam bem em Curitiba?O preço é melhor que os taxis?

    Olá, Maria José! O preço do Uber é dinâmico. Em situações de muita demanda, pode ficar mais caro que o táxi. Mas na tarifa normal tende a ser mais barato.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.