Florianópolis

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Florianópolis: onde comer

Veja onde comer em Florianópolis: no centro, na Lagoa, nas praias, em Santo Antônio de Lisboa e no Ribeirão da Ilha. Não deixe de procurar no cardápio as especialidades da região: pastel de berbigão (vôngole), ostras ao natural, vieiras, anchova (entre o inverno e a primavera), corvina (o ano inteiro), moquecas (que levam dendê e leite de coco, como na Bahia), lingüiças de Blumenau e cervejas artesanais do Vale do Itajaí. Se procura seqüência de camarão, dirija-se à avenida das Rendeiras, na Lagoa da Conceição.

    Centro

Mercado Público
Onde comer em Florianópolis: Box 32

Box 32

A grande novidade gastronônica do centro da cidade é a revitalização do Mercado Público de Florianópolis, que reabriu em 2015 com um elenco renovado de botecos. O clássico Box 32 (Box 32 da Ala Sul, tel. 48/3037-2661), famoso por seus petiscos feitos com matéria-prima selecionadíssima, continua ancorando a Ala Sul. O pátio entre as duas alas ganhou ares de Biergarten, com mesas atendidas pelos vários bares do entorno. Alguns dos novos ocupantes dão ênfase a cervejas artesanais e tapas catarinenses, como o Boteco Vai Quem Quer (Box 2 da Ala Norte, tel. 48/3037-2306), o Balcão do Mané (Box 1 da Ala Sul, tel. 3039-4443) e o Beer Boss (Box 14 da Ala Norte, tel. 48/3039-1014). Horário: de 2ª a 6ª das 7 às 19h, bares até 22h; sábado das 7h às 14h, bares até 17h; 1º domingo do mês das 7h às 17h; demais domingos, fechado. Confira horários atualizados na página do Mercado no Facebook.

Rua Bocaiúva e arredores
Onde comer em Florianópolis: Artusi

Artusi

A rua paralela à Beira-Mar Norte tem boa concentração de bares e restaurantes -- superconveniente para quem se hospeda no Centro. O Artusi (Bocaiúva, 2090, tel. 48/3037-2228) prepara boas massas, polentas e risotos, mas é procurado sobretudo por seus gnocchi. O veterano Toca da Garoupa (Alves de Brito, 178, tel. 48/3223-1220) é uma boa escolha para quem procura frutos do mar. Carnívoros podem ficar pelo Beiramar Shopping (Bocaiúva, 2468), que tem filiais das redes Outback (tel. 48/3039-0935) e Madero (tel. 48/3039-0388). O happy hour mais sofisticado é o do Emporium (Bocaiúva, 1901, tel. 48/3224-1670) -- mas se você procura uma muvuca mais convencional, basta passar em revista os megabotequins da Altamiro Guimarães, na lateral do shopping. Se você estiver pela região na hora do almoço, o esmeradíssimo buffet a quilo do Central (Bocaiúva, 2108, tel. 48/3222-9541) é imbatível. Para comidinhas mineiras, vá ao Uai di Minas (Bocaiúva, 1959, tel. 48/3224-0019); se quiser ficar só no suco e sandubas, dirija-se à filial manezinha do Balada Mix (Bocaiúva, 1925, tel. 48/3037-4848). Ah, sim: tem também os japas -- vários deles, por sinal. Eu gosto do Kanpai (Alves de Brito, 161, tel. 48/3028-6818), que atende por rodízio e à la carte. Mas se você quer um japa autoral, prepare a carteira e tente reservar uma das pouquíssimas mesas do Black Sheep, no topo do hotel Majestic (Beira-Mar, 2746, tel. 48/9189-1005; a marcação de reservas funciona de 4ª a sábado entre 14h e 21h).

Outros pontos do Centro

Desde que vi fotos no instagram do Marcelo Katsuki, fiquei com vontade de conferir o Centro Gastronômico Rita Maria (Henrique Valgas, 318, tel. 48/4009-2442), numa viela escondida onde a Beira-Mar faz a curva do Sul para o Norte; o cardápio tem pratos inventivos com ingredientes regionais. Para um jantar romântico, a meia-luz e os pratos clássicos do Bistrô do Jardim (largo Benjamin Constant, 663, tel. 48/3224-1137), numa linda praça em meio a uma área residencial do centro, não têm erro. E se bater vontade de comida da Terrinha, conte com as receitas de bacalhau e os doces autênticos do Delícias Portuguesas (Visconde de Ouro Preto, 559, tel. 48/3224-6448).

Continente

A orla de Coqueiros, na porção continental da cidade, oferece o que a Beira-Mar da ilha não tem: bares e restaurantes enfileirados com vista para o mar. Vale a pena atravessar a ponte para um happy-hour no Zé Mané (Desembargador Pedro Silva, 2369, tel. 48/32067726), o boteco com mais personalidade na área (experimente o "mocosadinho", versão manezinha do escondidinho). Dois blogs dão uma geral nas opções da região: o Destemperados e o Meus Roteiros de Viagem.

Mais adiante um pouco, o Centro Histórico de São José está se revitalizando com ares de pólo gastronômico. Reserve uma mesa no jardin do Jardins Restô Café (Gaspar Neves, 3153, tel. 48/3375-6800), experimente as massas da Osteria Dino (Praça Hercílio Luz, 177, tel. 48/3247-6900) ou fique para a balada do Divino GastroClub (Gaspar Neves, 3150, tel. 48/3249-9000).

    Lagoa da Conceição

Centrinho da Lagoa

Na muvuca do centrinho da Lagoa, três lugares se destacam.

Onde comer em Florianópolis: Sabor Perú

Sabor Perú

O Sabor Perú (Afonso Delambert Neto, 659, tel. 48/3065-5884) é um restaurante peruano de verdade (até alguns garçons e garçonetes são do Peru). No cardápio só senti falta do arroz con pato; de resto, ali estão ceviches, lomo saltado, arroz con mariscos, até tacu-tacu (um bolinho de arroz com feijão acompanhado de carne). Quando fui, pedi meu drink peruano favorito, o chilcano clásico seco (pisco com ginger ale e angostura) e veio como se tivesse sido feito no Peru.

Onde comer em Florianópolis: Black Swan

Black Swan

O Black Swan (Manoel Severino de Oliveira, 592, tel. 48/3234-5682) é um combo de pub, sports bar e boteco, com várias marcas de chopp nacional (artesanal) e importado, burgers, nachos, coxinha, pastel, ostras gratinadas, grelhados... depois das 9 da noite, a fila na porta costuma ser extensa.

Já o Books & Beers (Senador Ivo D'Aquino, 103, tel. 48/3206-6664) é um ótimo bar disfarçado de livraria (sim, existem livros à venda, no térreo). O forte aqui são as cervejas artesanais de garrafa, os petiscos autorais e a vista da Lagoa que se tem das janelas dos fundos.

Além desses três, o centrinho tem comida para todos os gostos (e bolsos): caminhe pela rua que vem (Afonso Dalembert) e pela rua que vai (Manoel Severino de Oliveira) e você vai encontrar pizzaria, japa, cantina, café (o Café Cultura, na Manoel Severino de Oliveira, 669), lanchonete, barzinho...

Canto da Lagoa

Antes de chegar ao centrinho da Lagoa, se você virar à direita vai dar no Canto da Lagoa, um bairro com ares descolados. A primeira parada obrigatória é na pizzaria Basilico (Laurindo Januário da Silveira, 647, tel. 48/3232-1129), que há quase vinte anos trouxe a pizza paulistana, de borda grossa, a Floripa.

Um dos restaurantes do momento (ainda não fui) fica um pouco adiante: o Bistrô Santa Marta (Laurindo Januário da Silveira, 1350, tel. 48/3371-0769), que funciona numa casinha centenária. Com apenas 8 mesas, requer reserva.

Quase no fim da rua, já no Morro do Badejo, o veterano Mar Massas (Laurindo Januário da Silveira, 3843, tel. 48/3232-6109) é o meu italiano favorito na ilha. E se você for almoçar (verifique os horários no site, estão sempre mudando), de quebra ainda tem a vista para um trecho da Lagoa que você nunca tinha visto antes.

Avenida das Rendeiras

Na orla principal da Lagoa você encontra vários restaurantes cujo forte são os peixes e a seqüência de camarão. Já faz um tempo que a seqüência perdeu para a degustação de ostras o posto de programa gastronômico mais característico da ilha. Mas se você curtir o esquema (em que vêm à mesa camarões ao bafo, depois ao alho e óleo, então à milanesa, e finalmente servindo de molho para um peixe), recomendo a tradicional Casa do Chico (Av. das Rendeiras, 1620, tel. 48/2104-4495).

Onde comer em Florianópolis: Toca da Lontra

Onde comer em Florianópolis: Toca da Lontra

Onde comer em Florianópolis: Toca da Lontra

Toca da Lontra

O endereço mais cultuado da Lagoa, porém, exige esforço físico (ou uma lancha!) para ser encontrado. Escondida num costão ocupado por residências, a Toca do Lontra (tel. 48/ 9122-9162) prepara peixes e frutos do mar fresquíssimos (a especialidade é uma lula recheada com camarão que vou te contar) num deck praticamente dentro d'água. Os moradores das casas vizinhas chegam de carro, mas não há lugar para forasteiros estacionarem (somente nas garagens das casas). O jeito é deixar o carro no estacionamento do fim da avenida das Rendeiras e continuar a pé pela trilhazinha imprensada entre duas cercas que começa à direita do Bar do Boni. 10 minutos de subidas e descidas depois, quando você achar que está perdido, você verá a placa da Toca. A volta é um pouquinho mais cruel do que a ida, mas a tarde que você passar ali terá sido inesquecível. O lugar não aceita cartão -- mas aceita reservas.

Fortaleza da Barra

Passando a Praia Mole, um pouquinho antes do centrinho da Barra da Lagoa, dois restaurantes merecem a sua atenção.

Um é o Fedoca do Canal (Laurindo José de Souza, 291, tel. 48/3234-4954), sucedâneo de um restaurante tradicional do centrinho da Lagoa, mas que aqui está numa situação muito mais charmosa, com um deck sobre o canal que liga a Lagoa à Barra. No cardápio, moquecas, pescados e frutos do mar.

O outro é o Bistrô Isadora Duncan (Manuel de Menezes, 2658, tel. 48/3232-7210), possivelmente o restaurante mais romântico de Floripa. Se você está pensando em pedir a mão da futura cara-metade durante essa viagem, reserve aqui (são apenas cinco mesas).

Costa da Lagoa
Onde comer Florianópolis: Costa da Lagoa

Aqui o seu almoço vira um passeio completo. Você atravessa a Lagoa da Conceição até um povoado isolado na margem interior da Lagoa da Conceição, num ponto acessível apenas por barco ou por uma trilha de uma hora. Barquinhos de madeira de cooperativas levam até lá, onde funciona uma meia-dúzia de restaurantes com mesas nos salões e nos decks. Você pode pedir para parar em qualquer um deles. O queridinho dos bacanas (você verá pela quantidade de lanchas estacionadas) é o Cabral (tel. 48/3335-3132), mas todos servirão um peixe honesto (atenção: ninguém aqui vende ostras, e seqüência de camarão não é o forte).

Há dois pontos de embarque: no Parque Florestal Rio Vermelho, entre as praias da Barra da Lagoa e de Moçambique (com estacionamento abundante) e também no centrinho da Lagoa da Conceição, ao pé da ponte (onde o estacionamento é extremamente difícil). A travessia do Rio Vermelho, feita pela Coopercosta (tel. 48/9104-8955) é curtinha (10 minutos); a do centrinho da Lagoa da Conceição, feita pela Cooperbarco (tel. 48/3232-8266) leva meia hora e vale por um autêntico passeio de barco. As embarcações saem de hora em hora nos dias de semana e de meia em meia hora no fim de semana. A travessia de ida e volta, embarcando em quaisquer um dos pontos, custa R$ 15 por pessoa.

Mirante da Lagoa

O correto japonês Kanpai (rodovia Admar Gonzaga, 4720, tel. 48/3337-6818) tem uma filial cravada no ponto do alto do morro no caminho entre o Centro e a Lagoa da Conceição em que todo mundo quer sair do carro para apreciar a vista: a Lagoa em primeiro plano, com as dunas da Joaquina e o oceano ao fundo. Para aproveitar a vista, venha durante a vigência do horário de verão e faça uma reserva para as 19h30: você vai começar o jantar ao entardecer e teminar ao lusco-fusco das luzes se acendendo.

    Santo Antônio de Lisboa

O vilarejo açoriano de Santo Antônio de Lisboa, a meio caminho entre o centro da cidade e as praias do norte, tornou-se um bairro gastronômico. Sua estradinha à beira-mar, que se estende até a vizinha Sambaqui, é o melhor lugar da cidade para um happy-hour ao pôr do sol.

Onde comer em Florianópolis: Bar Freguesia

Freguesia

Para traçar uma bandeja de ostras debruçado no mar, escolha entre o Freguesia Bar (15 de Novembro, tel. 3235 1098), a Marisqueira Sintra, um dos portugueses top da ilha (15 de Novembro, 147, tel. 3234-4219), o Chão Batido, que também tem uma varanda no sobrado em frente(15 de novembro, 103, tel. 3235-2186), o Bate Ponto (Gilson Rocha Xavier, 51, tel. 48/3235-2121) ou o Rosso (Gilson Rocha Xavier, 201, tel. 3206-7665).

O Ponto G Brasa & Fogão (15 de Novembro, 18, tel. 48/8815-0608), além de ostras, pescados e frutos do mar, prepara ótimas carnes na brasa. E o Villa do Porto (15 de Novembro, 123, tel. 48/3234-1000), montado num casarão histórico, serve ostras, tapas, frutos do mar e... pizzas. A Cervejaria Sambaqui (15 de novembro, 181, tel. 48/9946-4365) é o único bar que produz sua própria ceva.

A uma quadra da orla, pertinho da igreja, a Spaghetteria Santo Antônio (Cônego Serpa, 30, tel. 48/3235-2356) é um italiano charmosíssimo que também funciona como café.

Santo Antônio também oferece a maior aventura gastronômica para foodies: o Ponto G (Padre Rohr, 1717, tel. 48/8815-0608), que funciona na própria casa do chef Victor Gomes, aonde se chega por um caminho sinuoso e não-pavimentado. O restaurante funciona apenas às sextas e sábados, com menu confiance; nem pense em chegar sem reservar.

    Jurerê e arredores

Pouco a pouco, os beach lounges pé na areia foram se transformando em restaurantes convencionais -- apenas com a aura superburguesa que tanto combina com o bairro. Da orla, os mais gastronômicos são o Donna (av. dos Pampos, tel. 48/3282-1816), o 300 Cosmo (av. dos Salmões, tel. 48/3364-9101) e o novo La Serena (antigo Taikô, repaginado para famílias; av. das Lagostas, tel. 48/3282-9714). O Café de la Musique (av. dos Merlins, tel. 48/3282-1325) tem uma eterna vibe de balada. Gastronomicamente, porém, o restaurante incensado do bairro é o Jay Bistrô (av. dos Búzios, 1136, tel. 48/3364-5997), de ambiente rebuscado e cardápio contemporâneo.

Onde comer em Florianópolis: Lucila Bistrô

Lucila Bistrô

Na parte antiga do bairro -- 'Jurerê Tradicional' --, a Toca de Jurerê (Acácio Melo, 78, tel. 48/3282-1188) é a pedida de quem quer almoçar frutos do mar num ambiente mais rústico e praiano. Já a surpresa do bairro é um ótimo buffet a quilo para a hora do almoço: o Lucila Bistrô (al. César Nascimento, 322, tel. 48/3369-6113), num centrinho comercial à esquerda do acesso principal à praia.

A beira da SC 401, a meio caminho entre os trevos de acesso a Santo Antônio de Lisboa e Jurerê, fica a churrascaria mais elogiada dos últimos tempos, o Meat Shop Grill (SC 401, 10954, tel. 48/3234-9548). A especialidade é parilla argentina.

    Ribeirão da Ilha

Até a década de 90, este vilarejo do sul da ilha, a 24 km do Beiramar Shopping, era visitado apenas por sua herança açoriana. De lá para cá, tornou-se o maior pólo de cultivo de ostras de Floripa. Aqui se cria, aqui se prova: o Ribeirão da Ilha hoje é um centro gastronômico. A maioria dos restaurantes ao longo da rodovia Baldicero Filomeno têm decks ou mesmo píers avançando no mar de dentro.

Onde comer em Florianópolis: Ostradamus

Ostradamus

O píer mais bacana é o do pioneiro Ostradamus (nº 7640, tel. 48/3337-5711). Entre os outros restaurantes à beira-mar estão o Porto do Contrato (nº 5544, tel. 48/3337-1026), o o Rancho Açoriano (nº 5634, tel. 48/3337-0848), o Santa Figueira (nº 6300, tel. 48/3337-0598), o Umas & Ostras (nº 7680, tel. 48/3269-9270), e, com ênfase em moquecas, o Muqueca da Ilha (nº 7487, tel. 48/3232-7676).

17 comentários

giselle
gisellePermalinkResponder

Ótima matéria!! Uma correção apenas: o bairro de Coqueiros fica em Floripa, na parte continental - e não em Sao José.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Giselle! Obrigada pela correção, já está alterado.

Gustavo - Viajar e Pensar

Caramba, que resumão.

Parabéns pelo trabalho , olha tem coisa aí que nem eu conhecia.

@GusBelli

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Chegou em ótima hora! Hora de
Voltar! Rs

Denise godoy
Denise godoyPermalinkResponder

O Barba Negra
Rendeiras - lagoa
É uma excelente indicação

Ainda na Lagoa no Centrinho
Cantina da Freguesia
Espetacular!!!!

luciene moreira dossantos

Adorei suas dicas sempre q viajo consulto seu blog .Maravilhoso!!!

Rodrigo
RodrigoPermalinkResponder

Excelentes dicas! Já dá água na boca, estamos indo em Agosto e com certeza iremos aproveitar! Obrigatório consultar o blog antes das viagens, valeu mesmo!

Lidiane
LidianePermalinkResponder

Amei o post, muito completo e objetivo! Parabéns!

Consolação Magalhães

As dicas do VNV sao imbatíveis. Nao faço uma viagem sem antes passar por aqui. Semore recomendo o blog a todos os meus amigos que me pedem dicas de viagem.

Tereza Messina

O restaurante Toca da garopa é mesmo muito bom mas tem que preparar o bolso. Pagar R $150 ,00 em media por MEIA porção de um prato de peixe.. brasileiro não está podendo não....sugiro informar os preços quando indicar os lugares nesse post.

Tania Maria Granzotto

O Restaurante Ostradamus é maravilhoso! Quero deixar uma dica ótima de restaurante no centro, bem pertinho do Shopping Beira Mar que é a Macarronada Italiana. Quem gosta de massa com frutos do mar tem que comer um prato que eles fazem embrulhado no papel alumínio. Todas as vezes que vamos a Floripa jantamos esse prato todos os dias, é excelente! Fica a dica!!!

Lari
LariPermalinkResponder

Bóia,

Uma atualização:
Estes restaurantes fecharam:
Uai di Minas (Bocaiúva, 1959, tel. 48/3224-0019)
Balada Mix (Bocaiúva, 1925, tel. 48/3037-4848)
Ponto G Brasa & Fogão (15 de Novembro, 18, tel. 48/8815-0608)

Thiezy
ThiezyPermalinkResponder

Estive na Marisqueira Sintra e me decepcionei. Ambiente sujo, almofadas das cadeiras e toalha da mesa bem velhas, tivemos q pedir guardanapo e temperinho. As ostras tbm não estavam saborosas.

Victor Hugo
Victor HugoPermalinkResponder

Boia, ontem estive no Beer & Pork, novo bar em
Coqueiros do mesmo pessoal do Zé Mané. É lindo, descolado e delicioso. Vale a pena a visita.

Miguel
MiguelPermalinkResponder

Restaurantes em Florianópolis, preços estilo Europa, qualidade e atendimento zero!!! É uma grande enganação!!!

Emerson Yanaguisawa

Há dois pontos de embarque: no Parque Florestal Rio Vermelho, entre as praias da Barra da Lagoa e de Moçambique (com estacionamento abundante) e também no centrinho da Lagoa da Conceição, ao pé da ponte (onde o estacionamento é extremamente difícil)

Na verdade existe uma terceira saída dos barcos no Canto dos Araças. Ponto 3 da Cooperbarcos. Possui estacionamentos pagos.

alfredo
alfredoPermalinkResponder

parabens pela materia! ajudou muito!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar