Guia de Galinhos

Guia de Galinhos

Galinhos

Galinhos, a 150 km do aeroporto de Natal, é um dos destinos de praia mais singulares do Brasil.

Imagine uma península de areia, entre o mar azul e um braço de mar de águas verdes. Um mangue viçoso, dunas de areia e de sal completam a paisagem.

Aproveite: esta beleza rústica ainda está fora do radar do turismo de massa — e é um destino perfeito para descansar com distanciamento social. Veja neste guia prático de viagem a Galinhos (RN):

Por que ir a Galinhos

Kitesurfista em Galinhos

Uma península de areia, com um farol na ponta, cercada por águas azuladas no mar aberto e esverdeadas no braço de mar (que os nativos chamam de rio). Entre o braço de mar e a praia, um povoado cujas ruas ainda são percorridas por charretes. E duas montanhas peculiares: uma duna de areia e outra de sal (esta, criada pela salina que existe atrás do mangue). Assim é Galinhos, um vilarejo de praia como nenhum outro.

Mesmo com tanta beleza e exotismo, Galinhos consegue a façanha de não ter mudado praticamente nada depois da chegada do turismo. Nos últimos 15 anos, a única mudança visível foi o calçamento (com paralelepípedo) de boa parte do vilarejo. No mais, até os grupos que fazem o bate-volta desde Natal (e que são cada vez mais numerosos) pouco afetam a rotina da vila: passeiam de barco pelo braço de mar, almoçam em Galos e só aparecem em Galinhos quando falta pouco para embarcar de volta.

A dificuldade de acesso, que é a qualidade comum a todos os paraísos preservados, em Galinhos ganha um reforço poderoso: a água no povoado é salobra — o que faz com que os banheiros das pousadas tenham um segundo chuveiro, acoplado a um galão de água mineral, para o enxágüe final. Funciona! Tanto para tirar o sal do corpo, como para frear um crescimento indesejado. E de lambuja, ainda seleciona o visitante que vai mais se identificar com Galinhos.

Quantos dias em Galinhos?

Praia em Galinhos

Para fazer os passeios principais você vai precisar de dois dias inteiros. Dias suplementares sempre serão bem-vindos se o seu objetivo for descansar e curtir praia.

Quando ir a Galinhos

Jangada em Galinhos

A região de Galinhos tem um dos (micro)climas mais secos da costa brasileira.

Alguma chuva: março e abril

Os meses mais chuvosos são março e abril, quando historicamente chove perto de 150 mm no mês. Ainda assim, é um volume baixo para época chuvosa (nas praias nordestinas da Zona da Mata chove mais de 300 mm nos meses mais úmidos).

Pouca ou nenhuma chuva: maio a fevereiro

Em janeiro, fevereiro, junho e julho pode ocorrer alguma chuva, entre 40 mm e 70 mm no mês. Mas é um volume irrisório.

Já em agosto, setembro, outubro e dezembro é muito raro cair chuva em Galinhos. O sol é praticamente garantido, com precipitação histórica abaixo de 20 mm por mês. É praticamente nada.

Temperatura em Galinhos

A temperatura não varia muito ao longo do ano: a máxima vai a 30ºC ou mais durante o ano inteiro, e a mínima fica entre 24ºC e 25ºC.

O segundo semestre é bem mais ventoso, o que ajuda a amenizar a sensação de calor (ao ar livre, na sombra, você nunca sentirá calor excessivo se houver vento) e também a espantar as nuvens.

Como chegar a Galinhos

Pelo asfalto, Galinhos está a 180 km da zona hoteleira da Ponta Negra, em Natal — e a 152 km do aeroporto de Natal. O asfalto chega até Pratagil, onde há um estacionamento, um bar e o píer. Dali é preciso fazer uma travessia de barco de 10 minutos.

Píer de Pratagil

As travessias ocorrem sempre que haja um mínimo de 8 passageiros. A passagem custa R$ 5. Caso não haja 8 passageiros, o barqueiro cobra R$ 30 pela travessia.

Vindo de Natal

O acesso a Galinhos é pela BR 406, a estrada que leva de Natal a Macau. O novo aeroporto de Natal fica no início dessa estrada.

A estrada está em estado bastante razoável. O movimento não é intenso e há poucas curvas, o que facilita as ultrapassagens. Não há radares fixos, mas há muitas lombadas nos trechos que cortam cidadezinhas.

De táxi, do aeroporto

Pela tabela oficial dos táxis do aeroporto, a corrida até Galinhos sai R$ 292 para até 4 pessoas (dezembro/2020).

De trânsfer

Sua pousada em Galinhos pode organizar seu traslado, desde o aeroporto ou seu hotel em Natal, por preços entre R$ 350 e R$ 450 (dependendo do carro) para até 4 pessoas. Nesta modalidade você terá um motorista de confiança (da pousada) esperando você com uma placa no desembarque do aeroporto.

De ônibus

Antes da pandemia, o Expresso Cabral fazia a rota entre Natal e Galinhos (Pratagil) três vezes por semana. Você pode se informar sobre a rota na época em que você viajar pelo telefone (84) 3205-4202.

Também é possível pegar qualquer ônibus Natal-Macau do mesmo Expresso Cabral e parar no trevo de entrada para Galinhos na BR 406. Você vai precisar combinar um traslado com a sua pousada; o carro para até 4 pessoas do trevo a Pratagil deve custar R$ 50.

A rodoviária de Natal fica na Av. Capitao Mor Gouveia, 1597, no bairro de Cidade Esperança (tel. 84 3205-2931. Um Uber do bairro de Ponta Negra à Rodoviária vai custar R$ 30.

Aproveitando um tour organizado

O passeio de dia inteiro a Galinhos é oferecido por todas as grandes agências de turismo receptivo de Natal. Custa desde R$ 100 por pessoa. Se você está sozinho ou viajando em dupla, é uma maneira eficiente e confortável de ir a Galinhos. Você vai precisar comprar dois passeios — um para o dia da ida, outro para o da volta — e combinar com a agência o horário e o ponto de encontro para o dia da volta (normalmente os passeios saem de Galinhos entre 15h e 16h).

No passeio da ida, você já aproveita para fazer o tour completo (mangue, salina, dunas e bugue). Fique dias suplementares para descansar e entrar no ritmo super-slow de Galinhos. Nesse esquema, você vai ser buscado no seu hotel em Natal e devolvido também em algum hotel. Não serve para voltar de Galinhos direto para o aeroporto.

Pela areia

É preciso registrar a alternativa de chegar pela areia — mas, pessoalmente, não recomendo. Considero o hábito de viajar pela praia, tão arraigado no Rio Grande do Norte e no Ceará, antiecológico e perigoso. Sou a favor da delimitação estrita de áreas para tráfego de bugues de passeio, fora das orlas de vilarejos ou de praias freqüentadas por banhistas.

Há agências que organizam a travessia de Natal a Fortaleza pela beira do mar, em três ou quatro dias. É também um passeio de bugue muito oferecido em São Miguel do Gostoso.

De 4×4, é possível evitar a travessia saindo da BR 406 logo depois de João Câmara, até a cidade de Caiçara do Norte, seguindo por mais 30 km pela areia, na maré baixa. Motoristas de Galinhos sabem como ir de Pratagil a Galinhos atravessando a salina, num percurso de 15 km off-road (não-recomendável para quem não conheça a região).

Vindo do Ceará

Galinhos está a 460 km de Fortaleza e 300 km de Canoa Quebrada.

Saia de Fortaleza pela CE 040 e prossiga na direção de Natal pela BR 304. Saia da BR 304 em Itajá e siga pela RN 118 (uma estrada da Petrobrás) até a RN 406, onde você continua no sentido Natal até a entrada para Pratagil/Galinhos.

Onde ficar em Galinhos

No píer há sempre charretes a postos para levar passageiros com bagagem. Cobram R$ 10 até a sua pousada.

Chalé Oásis (braço de mar)

Chalé Oásis

Para além de ser mais fofa das pousadas de Galinhos, a Chalé Oásis é também a mais bem-localizada: ao desembarcar, você não caminha nem 50 metros desde o trapiche. Provavelmente você encontrará na recepção os afabilíssimos Clara e Joca, que há 14 anos trocaram Portugal pelas areias de Galinhos.

Seu Chalé Oásis é uma vila de casinhas coloridas de madeira, postadas em torno de um jardim miraculosamente bem cuidado. As melhorias são uma constante: recentemente, a pousada ganhou uma nova piscina (com jacuzzi aquecida), e dois novos chalés (grandes e de alvenaria). O serviço é cortês e competente, mesmo nos breves períodos em que o casal não está na península.

A cozinha é um destaque da casa — tanto no cardápio do jantar, que tem espaço para receitas regionais portuguesas, quanto no café da manhã, que oferece de cuscuz a leite-creme (a crème brûlée lusa). A carta de vinhos tem rótulos portugueses escolhidos pelo Joca e vendidos a preços bastante razoáveis. Um mirante e um gazebo convidam a curtir a brisa e o visual do braço de mar. Nota no Booking: 9,1 (julho/2020).

Amagali (braço de mar)

Pousada Amagali

Para os padrões de Galinhos, a pousada Amagali é praticamente um resort: está num terreno enorme, á beira do braço de mar (a 400 metros do píer; vá de charrete). Um predinho de três andares (o arranha-céu da península) abriga 12 apartamentos (que estão com visual diferente da foto; as paredes agora são brancas). As acomodações mais charmosas são os dois chalés branquinhos com vista para o braço de mar. A piscina é uma lindeza; o restaurante serve pratos regionais e italianos. Nota no Booking: 8,4 (julho/2020).

Made in Aqui (na vila)

Galinhos 1

A simpaticíssima Made in Aqui foi montada por um casal franco-brasileiro numa estrutura que já existia.

É tudo muito bem-resolvido: a decoração criativa e a qualidade dos equipamentos conferem um belo upgrade a instalações simples. O quintal, também supertransado, está à sombra de uma velha amendoeira. O restaurante fica no segundo andar e funciona à noite como bar e pizzaria. Fica mais perto do mar do que do píer.

Mas o grande destaque da Made in Aqui é um sistema de filtragem que faz com que a água do chuveiro não pareça salobra. Testado e aprovado! Nota no Booking: 8,9 (julho/2020).

Brésil Aventure (beira-mar)

Brésil Aventure

Uma das pioneiras do pedaço, a Brésil Aventure é acima de tudo o camarote para assistir ao pôr do sol. O destaque são as áreas sociais com vista para o mar: o avarandado do bar e o mirante. As acomodações são básicas; há uma piscina, mas sem vista.

A pousada já conheceu dias melhores: a nota modesta no Booking indica que há ajustes a fazer. Nota no Booking: 7,5 (julho/2020).

Peixe-Galo (Galos)

Pousada Peixe Galo

A 5 km de Galinhos, a Peixe-Galo é bem-montada e tem uma linda piscina de frente para o braço de mar e as dunas. Sua vantagem é que a água em Galos não é salobra como a de Galinhos. Nota no Booking: 9 (julho/2020).

Onde comer em Galinhos

Frutos do Mar/Slow Food

Restaurante Frutos do Mar/Slow Food

O chef Lourimar Neto é a celebridade gastronômica de Galinhos. Seu Frutos do Mar/Slow Food funciona no salão da sua casa. Os carros-chefe são as moquecas e o polvo à lagareira. É bom reservar.

Frutos do Mar/Slow Food | Rua Prefeito Walfran Ribeiro (atrás do Correio) | Tel. (84) 99443-2228 | Instagram

Restaurantes de pousadas

As pousadas de Galinhos têm restaurantes de ótimo padrão. Servem também não-hóspedes (ligue antes de ir). No cardápio, pratos à base de peixe, frutos do mar, carne e massas. A pousada Made in Aqui tem uma pizzaria.

Chalé Oásis

Restaurante Chalé Oásis

Chalé Oásis | Tel. (84) 3552-0024 | Instagram

Amagali

Restaurante Amagali

Amagali | Tel. (84) 3552 0083 | Instagram

Made In Aqui (A Cantina)

Pizzaria Made In Aqui

Made in Aqui | R. Pref. Walfredo Ribeiro, 176 | Tel. (84) 99405-4834 | Facebook

Brésil Aventure

Restaurante Brésil Aventure

Brésil Aventure | R. Senador Dinarte Mariz, 123 | Instagram

Restaurante da Irene

Restaurante da Irene

Em Galos, o mais concorrido da hora do almoço é o buffet do Restaurante da Irene.

Restaurante da Irene | R. Candelaria, 9795 – Praia de Galos | Tel. (84) 99167-6945 | Facebook

O que fazer em Galinhos

No braço de mar

Os dias em Galinhos passam preguiçosamente, na praia da vila ou no braço de mar. Tire um dia para fazer o passeio de barco pelo mangue, salina e dunas.

Passeio de barco

Passeio de barco em Galinhos

O passeio essencial de Galinhos é um verdadeiro circuito pelo braço de mar. O barco sai da vila e passa por um mangue viçoso — até aí, nada diferente dos passeios de barco de outras praias. Só que o mangue é caminho para algo inusitado: a salina de Galinhos, uma magnífica duna de sal (que pode passar por montanha nevada se você caprichar no ângulo da foto). Na continuação do passeio, voltando pelo mesmo mangue, haverá uma parada para o barqueiro capturar o peixe-morcego, uma criatura pré-histórica que logo será devolvida à água. A próxima parada é junto à Duna do Capim, num visual meio Lençóis Maranhenses. Ali é a parada para banho. Dali o barco segue ao vilarejo de Galos, que é a parada do almoço, e finalmente de volta a Galinhos.

Este é o circuito básico, oferecido nos passeios bate-volta desde Natal e que pode ser contratado com barqueiros locais a partir R$ 200 por barco. Mas o passeio pode ser incrementado: nas dunas haverá bugueiros de plantão para oferecer o passeio de bugue das dunas a Galos (para a parada de almoço) e de lá a Galinhos. Ao chegar em Galinhos, quem quiser pode fazer o passeio de charrete até o farol. Bugue, almoço em Galos e charrete são pagos à parte.

Passeoi de barco do Júnior Tubarão

Querendo algo mais exclusivo, com toques sofisticados, recomendo os passeios do Junior Tubarão. Junior tem dois barcos que fazem apenas passeios privativos. Na parada do mangue, o marinheiro mergulha para colher ostras que serão servidas mais tarde. O almoço é servido na parada da duna: ostra, ceviche feito na hora, frutas. Os passeios vespertinos terminam com uma fogueira acesa na duna ao pôr do sol.

Junior Tubarão

Passeio de barco do Júnior Tubarão

  • WhatsApp: (84) 99439-3494
  • Passeio para 2 pessoas: R$ 350
  • Passeio para 3 pessoas (limite máximo por barco na pandemia): R$ 510
  • Bebidas cobradas à parte
  • Instagram

Passeios de bugue e charrete

Passeio de charrete

Os passeios de bugue, a Galos e às dunas do Capim, começam em R$ 60; o passeio de charrete até o farol ao entardecer sai R$ 30.

77 comentários

Estive em galinhos este mes (jan-2022), o lugar é lindo, paradiasiaco, porem com problemas. Falar da natureza, eh chover no molhado, vale muito a pena, eh lindo, por isso vou destacar os pontos negativos:
1) maus tratos com cavalos: charretes com cavalos debaixo de um sol escaldante, um absurdo nos tempos de hoje ainda permitirem esse tipo de transporte; sem falar q o pobre do bicho defeca livremente pela cidade.
2) Receptividade: agora no geral, rodei o RN de ponta a ponta, em geral o povo potiguar nao eh nada receptivo, a maioria o trata de forma fria, nao fazem a menor questao de serem simpaticos com o turista.. na maioria.
3) O pior do RN: Ponta Negra, em Natal (capital), onde fica o tal morro do careca; um lixo, orla totalmente favelizada, é tanta barra q vc n=sequer consegue ver o mar, total descaso; o tal morro do careca, maior propaganda enganosa, nada de mais, sem falar no engarrafamento 24 hs na orla. Horrivel.
4) O melhor do RN:
. Maracajau, nao deixem de ir, passeio aos parrachos eh maravilhoso, fiz pela marazul (nao eh propaganda) nota 10, sem falhas, perfeito, tem uma base maravilhosa onde voce pode passar o dia maravilhosamente bem.
. e em galinhos o passeio de barco com o Dario, excepcional, almoco no mar com direito a ostras q ele pega na hora, sem falar que o cara eh super gente boa.

    Olá, Carlos! O único problema que você apontou em Galinhos foram as charretes…

Olá, o roteiro do passeio de charrete dá pra fazer a pé, né? (Obviamente mais cansativo). Você sabe dizer por onde ela vai +-?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.