Praga

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

    Quantos dias em Praga?

As áreas mais turísticas de Praga são compactas e próximas umas das outras, então normalmente não é preciso ficar mais do que 3 dias inteiros para conhecer o básico. Mas a cidade garante uma bela recompensa a quem fica mais tempo e pode caminhar com calma, descobrir ruas escondidas, visitar bairros diferentes e entrar em atrações que (ainda) não são consideradas obrigatórias. Mais dias por lá também permitem alguns bate-voltas para cidades tchecas que merecem estar no roteiro de qualquer turista.

Voltar | Menu

    Roteiro para 3 dias de passeios em Praga

Dia 1 | Praça da Cidade Velha, Ponte Carlos, Malá Strana

Comece indo direto ao que interessa: a Praça da Cidade Velha (Staroměstské náměstí), onde estão algumas das atrações mais disputadas de Praga. A forma de chegar lá vai depender da localização do seu hotel, mas se você precisar pegar o transporte público, saiba que a estação mais próxima é a Staroměstská (linha verde no metrô; linhas 17 e 18 nos bondes).

O que fazer em Praga: Praça da Cidade Velha

Praça da Cidade Velha

Faça um passeio calmo e geral pela praça, veja tudo de longe e de pertinho. Se estiver próximo de alguma hora cheia, corra para a frente do Relógio Astronômico para ver o ritual que atrai tantos turistas. Se não for hora cheia, tente entrar na Igreja Nossa Senhora Diante de Týn, a maior e mais linda da área. Depois suba a Torre do Relógio para ver a cidade de cima pela primeira vez. Aproveite que o prédio é o mesmo e faça uma visita às salas históricas da Prefeitura da Cidade Velha e à capela, onde você pode ver os bonecos dos apóstolos que aparecem no relógio.

Antes de ir em direção à Ponte Carlos, visite a linda Igreja de São Nicolau. Ela pertence à Igreja Hussita Tchecoslovaca, uma dissidência da Igreja Católica, seguidora de Jan Hus, o homem no monumento no meio da praça.

Igreja N. Sra. Diante de Týn

  • Ingresso: gratuito (pede apenas doação) | Horário: de 3ª a sábado das 10h às 13h e das 15h às 17h; domingo, das 10h30 às 12h; fecha 2ª

Torre do Relógio

  • Ingresso: 250 coroas no guichê, 210 na internet | Horário: 2ª das 11h às 22h; 3ª a domingo, das 10h às 22h

Salas históricas e Capela

  • Ingresso: 100 coroas pelo tour das salas + capela, 30 coroas pelo tour somente à capela | Horário: agende sua visita guiada aqui.

Igreja de São Nicolau

  • Ingresso: gratuito | Horário: 2ª a sábado, das 10h às 16h; domingo das 12h às 16h)

Volte para a rua ao lado da Torre do Relógio e siga as placas que indicam a Ponte Carlos (Karlův most). Vá devagar no caminho, olhando para tudo ao seu redor e reparando nos detalhes nas fachadas das casas. Quando passar pela rua Husova, estique a cabeça para o lado esquerdo e veja a fachada do bar U zlatého tygra (a que tem um tigre dourado). Muitas figuras da história mundial beberam cerveja ali, como os ex-presidentes Václav Havel e Bill Clinton.

Siga adiante até a ponte. Suba na primeira torre para ver ao vivo uma das imagens mais famosas de Praga, com a Malá Strana e o castelo. Também olhe para o sentido oposto, em direção à Cidade Velha.

Atravesse a ponte, mas não saia dela sem passar a mão na parte dourada da escultura embaixo da estátua de São João Nepomuceno (a oitava à direita) para fazer um pedido e garantir que um dia você vai voltar a Praga.

Depois de passar pela torre no outro lado da ponte (que marca o início da Malá Strana) siga pela rua Mostecká até a Malostranské náměstí, na parte onde fica a entrada da outra Igreja de São Nicolau (sim, existe uma na Praça da Cidade Velha e outra aqui). Faça uma visita a ela também.

Volte em direção à ponte, passe pela torre novamente, saia pela esquerda na rua U Lužického semináře e siga pela direita dela até virar a rua Cihelná. Se você for fã, visite o Museu Kafka. Se não for, siga adiante e vire à direita numa rua que termina no rio, apenas para ver a Ponte Carlos de outro ângulo. Volte para a rua de antes e continue por ela até chegar na rua Letenská. Vire à direita em direção à ponte (Mánesův Most) e atravesse o rio mais uma vez.

No outro lado, passe em frente ao prédio Rudolfinum e caminhe até a estação de bonde e metrô Staroměstská, onde o seu dia começou. Se já estiver escurecendo, não perca a chance de ver a Praça da Cidade Velha iluminada.

Torre da Ponte Carlos

  • Ingresso: 90 coroas | Horário: diariamente das 10h às 22h (entre novembro e fevereiro, só até as 18h)

Igreja de São Nicolau

  • Ingresso: 70 coroas | Horários: diariamente das 9h às 17h (entre novembro e fevereiro, só até as 16h)

Museu Kafka

  • Cihelná 2b | Tel. 257-535-507 | Ingresso: 200 coroas | Horário: diariamente, das 10h às 18h

Dia 2 | Castelo e mais Malá Strana

Muita gente vai até o Castelo de Praga aproveitando uma visita a Malá Strana, mas isso significa subir o morro inteiro. Não, né? Também dá para ir até lá de metrô, mas a estação mais perto dele não é assim tão perto. O ideal mesmo é ir até a estação Malostranská (linha verde no metrô; linhas 5, 12, 18, 20 e 22 nos bondes) e pegar o bonde número 22 em direção a Bíla Hora, descendo na parada Pražský hrad. A partir dali as placas indicam o curto caminho que você deve seguir até entrar no complexo.

Falando em complexo, saiba que o castelo pode ser dividido em duas partes: a área aberta (por onde você pode passear gratuitamente) e as salas históricas, os museus, as igrejas, as torres e a Rua Dourada (que são atrações pagas). Os horários de funcionamento de cada parte são diferentes e alguns têm características particulares.

Praga o que fazer: catedral de São Vito

Catedral de São Vito

Os destaques entre as áreas pagas são a Basílica de São Jorge, a Rua Dourada (Zlatá ulička), a Catedral de São Vito (que tem uma pequena área gratuita) e a sua Grande Torre Sul, de onde se tem uma vista imbatível da cidade. Apenas a torre tem ingresso vendido separadamente; para os outros é preciso comprar no mínimo o Circuito B.

Nas áreas gratuitas, passeie pelos pátios internos, pelos jardins (que fecham entre novembro e março) e entre na área livre da Catedral de São Vito.

Castelo de Praga (Hrad)

  • Ingresso: gratuito para entrar no complexo; 350 coroas o Circuito A (Catedral, Museu, Palácio, Rua Dourada, Torre); 250 coroas o Circuito B (Catedral, Palácio, Rua Dourada, Torre); 150 coroas só a Torre | Horário: áreas gratuitas, diariamente das 6h às 22h; a maioria dos prédios históricos, entre 9h e 17h (entre novembro e março só até as 16h). Confira horários específicos aqui

Terminada a visita, saia pelo portão principal e siga pela rua em frente. Vire à direita na Loretánské náměstí e desça até o Loreto, cujo carrilhão dá show de hora em hora. Depois, volte para a rua lá de cima da ladeira e siga as placas que indicam o Mosteiro de Strahov (Strahovský klášter). Entre na área do mosteiro e faça uma visita à estupenda biblioteca. Mas aviso: uma visita normal não permite passear pela biblioteca e os turistas ficam apenas na porta (por isso todo mundo tem fotos do mesmo ângulo). Mesmo assim, vale.

Saia da biblioteca e vá em direção ao mirante, do lado de fora do muro do mosteiro, de onde se vê o Parque Petřín, o castelo e a cidade inteira lá embaixo. Faça suas milhares de fotos e desça pelo caminho que leva para a esquerda. Logo você vai estar na rua Úvoz, por onde você vai descer até a Malá Strana reparando bem nas casas com pequenas esculturas acima das portas, que antigamente serviam para identificar a profissão dos seus moradores.

Mosteiro de Strahov

  • Ingresso: 120 coroas | Horário: abre diariamente das 9h às 12h e das 13h às 17h

Quando chegar na Malostranské náměstí, vá para a direita e continue descendo até a Karmelitská. Entre nela, depois na Prokopská, na Lázeňská (por onde você vai seguir à direita) e passe pelo Muro de John Lennon am direção à pequena ponte que atravessa para a Ilha de Kampa. Vire à esquerda na Hroznová e vá até a linda praça da Na Kampě. Vá em direção à Ponte Carlos, suba as escadas e atravesse o Vltava em direção à Cidade Velha (que nunca é ruim de rever). Para terminar o dia em grande estilo, faça um passeio curto pela beira do rio, em direção ao Teatro Nacional (Národní divadlo) e coma algo no Café Slavia (Smetanovo nábřeží 1012/2), onde intelectuais revolucionários costumavam se encontrar no fim do comunismo.

Dia 3 | Bairro Judeu e Cidade Nova

Apesar de pequeno, o Bairro Judeu (Josefov) pode tomar horas do seu dia. Tudo depende do seu interesse pela história, pela religião e também por arquitetura, já que a área tem alguns dos prédios mais lindos da cidade (e olha que Praga é praticamente feita de prédios lindos). Para chegar nele, use de novo a estação Staroměstská (linha verde no metrô; linhas 17 e 18 nos bondes).

O que fazer em Praga: Sinagoga Espanhola

Sinagoga Espanhola

As principais atrações do circuito religioso do bairro são a Sinagoga Velha-Nova (Staronová synagoga), o Velho Cemitério Judeu (Starý židovský hřbitov) e a Sinagoga Espanhola (Španělská synagoga), que no conjunto compõem o Museu Judaico. Só a Sinagoga Velha-Nova vende entrada avulsa; o jeito é comprar o pacote completo.

O passeio pelas sinagogas já vai fazer você caminhar pelo bairro. Mas depois de terminar, faça mais algumas voltas para descobrir algumas pérolas ou vá direto para a rua Pařížská, a mais cara da cidade, repleta de lojas de grife e de prédios maravilhosos.

Caminhe pela Pařížská até a Praça da Cidade Velha, atravesse na diagonal até a rua Celetná e vá até a Casa Municipal (Obecní dům), passando antes pela Torre de Pólvora (Prašná brána) e subindo até o topo dela. Na Casa Municipal, faça o passeio guiado pelas salas internas, principalmente se você gosta de art nouveau, art déco e Alfons Mucha (290 coroas, 1h de duração, horários variados, é possível comprar pela internet).

Circuito judaico

  • Informações e reservas: Maiselova 38/15 | Ingresso: 530 coroas (Sinagoga Nova-Velha + Sinagoga Espanhola + Sinagoga Pinkas + Sinagoga Klausen + Cemitério + Galeria); 220 coroas (só a Sinagoga Nova-Velha) | Horário: domingo a 6ª, das 9h e 18h no verão, e das 9h às 16h30 no inverno; fechado nos feriados judaicos

Torre de Pólvora (Prašná brána)

  • Ingresso: 100 coroas | Horário: diariamente das 10h e 18h, de novembro a fevereiro; das 10h às 20h em março e em outubro; das 10h e 22h de abril a setembro

Casa Municipal (Obecní dům)

  • Visita guiada: 290 coroas | Horário: agende pela internet; duração do tour: 1 hora

Quando terminar o tour, siga para a rua Na Příkopě e caminhe por ela até chegar na Praça Venceslau (Václavské náměstí), a Champs-Élysées de Praga, o epicentro da Cidade Nova (Nové Město). Vá até a estátua de São Venceslau por um lado da avenida e volte pelo outro.

De volta à parte mais baixa, continue pela esquerda na rua 28. října, que vira Národní, e vá até a beira do rio, em frente ao Teatro Nacional. Siga pela esquerda, caminhando pela margem até a Casa Dançante (Tančící dům). Entre e suba até o bar no terraço (Jiráskovo náměstí 6; abre das 9h à 0h). A cerveja não é barata lá em cima, mas não é cara se você considerar a vista.

Voltar | Menu

    Mais dias

Se você tiver sido esperto e reservado mais dias, explore as seguintes regiões:

Vyšehrad

O que fazer em Praga: Vysehrad

Vyšehrad

O bairro onde ficava o outro castelo de Praga é um passeio maravilhoso. Vá até a estação de metrô Vyšehrad (linha vermelha) e apenas sigas as placas. Logo você vai começar a ver muralhas e passar por portões, indicando que já entrou no espaço do antigo forte. Caminhe por cima das muralhas olhando a vista da cidade e vá sempre em direção à Basílica de São Pedro e São Paulo. Depois de passear por tudo, desça até a avenida na beira do rio e caminhe até Praça Palackého (Palackého náměstí) e atravesse a ponte para o outro lado para chegar no bairro Smíchov.

Basílica de São Pedro e São Paulo

  • Vyšehrad | Ingresso: 60 coroas | Horário: entre setembro e março, 2ª a sábado das 10h às 17h, domingo das 10h30 às 17h; entre abril e outubro, 2ª a 4ª, 6ª e sábado das 10h às 18h, 5ª das 10h às 17h30, domingo das 10h30 às 18h

Smíchov e Parque Petřín

Smíchov é o bairro que fica ao lado da Malá Strana e você também pode chegar nele pela estação de metrô Anděl (linha amarela) ou com vários bondes. Vindo pela ponte Palackého, siga pela beira do rio em direção ao castelo e à Malá Strana. Quando chegar na ponte Legií, vire à esquerda, caminhe até o Parque Petřín e suba até o topo caminhando pelas trilhas ou pegue uma carona no funicular. Quando chegar lá em cima, siga as placas para a Torre Petřín (Petřínská rozhledna) e suba nela para ver a cidade desde o seu ponto mais alto. Desça caminhando, ainda aproveitando a vista.

Funicular

  • Parque Petřín | Horário: 9h às 23h20 | É preciso comprar um bilhete de transporte se você não tiver um passe

Torre Petřín (Petřínská rozhledna)

  • Ingresso: 150 coroas | Horário: 10h às 18h entre novembro e fevereiro; 10h e 20h em março e em outubro; 10h às 22h entre abril e setembro

Passeio de barco

Se você gosta de passear de barco e de ver a cidade por outro ângulo, embarque num dos cruzeiros pelo Vltava. O passeio pelo rio é tranquilo e permite que você descubra pontos que passam despercebidos quando vistos do nível da rua. Dependendo do trajeto escolhido (mais longo) você pode descobrir muito mais, até.

A parte chata é que o rio Vltava tem um desnível grande e é cheio de pequenas barragens que controlam o fuxo da água. Por causa destes "degraus", passeios mais longos fazem os barcos usarem eclusas para subir ou descer ao nível seguinte -- o que pode significar um bom tempo parado num lugar sem nenhum atrativo. O segredo para evitar isso é escolher passeios mais curtos (só nos arredores do centro mesmo) ou pedir uma cerveja e relaxar enquanto o barco não anda.

A melhor empresa, sem dúvida, é a Prague Boats, que oferece todo tipo de barcos e passeios, desde aqueles mais curtos (1 ou 2 horas) e sem nada para comer até aqueles enormes, com jantar e tudo que você tem direito.

Passeios a pé

O melhor app para encontrar formas de ir de um lugar a outro em Praga é mesmo o Google Maps. Pode confiar, porque o negócio é impressionantemente certeiro e chega a mandar você por vielas, passagens e cantinhos que você nunca descobriria sozinho nos labirintos da Cidade Velha.

Já para sugestões de passeios, o negócio complica. O escritório de turismo da República Tcheca tem um app gratuito com boas dicas (Terra de Histórias é o nome), mas ele é bem básico e praticamente todo em inglês. A melhor opção, segundo as opiniões publicadas, parece ser o app Prague Minos Guide (Google Play | AppStore). Ele é gratuito mas exige que você baixe nada menos que 400 MB de imagens e informações no celular.

Voltar | Menu

    Bate-voltas a partir Praga

Você pode fazer muitos bate-voltas saindo de Praga. Alguns são feitos confortavelmente num dia. Outros, porém, na verdade merecem uma noite. Veja e decida.

Český Krumlov

Cesky Krumlov

Český Krumlov

  • Como bate-volta: cansativo
  • Com pernoite, voltando a Praga: mágico
  • Com pernoite, vindo de ou indo a Viena: perfeito

Saindo de Praga, 3 horas de ônibus para ir, mais 3 horas de ônibus para voltar. Se Český Krumlov fosse uma cidade qualquer, tudo bem. Mas ela é um tesouro da República Tcheca. Uma jóia pequenina, romântica, bucólica e aconchegante que merece, no mínimo, uma noite -- até para você ver toda a beleza dela com a iluminação noturna. Se mesmo assim você quiser passar apenas o dia em Český Krumlov, pegue o ônibus cedo, para poder chegar lá a tempo de caminhar bastante antes de voltar. A melhor opção é a RegioJet (Student Agency), que tem saídas de hora em hora da estação ÚAn Florenc (linha amarela no metrô) e volta no mesmo intervalo, mas com chegada na estação Na Knížecí, perto da estação de metrô Anděl (também linha amarela no metrô). A ida e volta sai pouco mais que 400 coroas.

Dá para ir desde Viena, a caminho de Praga? Sim: a logística é imbatível -- você não precisa fazer uma longa viagem de volta pelo mesmo caminho a nenhuma das duas capitais. Há duas maneiras de fazer o trajeto. O jeito potencialmente econômico, de trem, é inconveniente: você vai precisar fazer de duas a quatro baldeações, e o percurso pode levar 5h (compre na Oebb; tarifas de 14 a 29 euros quando compradas com 60 dias de antecedência). A melhor maneira é usar os trânsfers compartilhados, como CK, Green Shuttle e Bean Shuttle, que fazem o percurso em 3h30 e cobram desde 800 coroas (ou 30 euros).

Karlovy Vary (Carlsbad)

Karlovy Vary

  • Como bate-volta: factível
  • Com pernoite, voltando a Praga: completo

É outro bate-volta que merece uma noite. Karlovy Vary é uma cidade termal repleta de prédios lindos e cheios de detalhes, cercada por morros cobertos de florestas, de onde você tem uma vista panorâmica da região. Ela é amada por turistas russos e é tão perfeitinha que vive servindo de cenário para filmes - 007-Cassino Royale, por exemplo, teve várias cenas gravadas lá. Também é a cidade-natal do licor Becherovka e você pode fazer um belo passeio pelo museu da marca (120 coroas; diariamente das 9h às 17h; tel. 359-578-142).

Para ir a melhor opção são os ônibus da RegioJet (Student Agency), mais uma vez. Eles partem de Praga de hora em hora e levam 2h15 para fazer o trajeto.

Plzeň (Pilsen)

  • Como bate-volta: desce redondo
  • Com pernoite, voltando a Praga: desnecessário

A cidade, que foi uma das capitais culturais da Europa em 2015, fica a apenas 1h de viagem de Praga. Vale visitar a cervejaria Pilsner Urquell (250 coroas; tours diários em inglês às 10h45, 13h, 14h45 e 16h30; duração de 100 minutos; horários variados; inclui uma cerveja de 300 ml) e passear pelo centro histórico. Se tiver fôlego, suba na torre da Catedral de São Bartolomeu (50 coroas; diariamente entre 10h e 18h). Para ir até a cidade, use os ônibus da RegioJet (Student Agency), que saem de hora em hora.

Terezín

  • Como bate-volta: de ótimo tamanho
  • Com pernoite, voltando a Praga: desnecessário

Para quem gosta de história, uma visita à pequena Terezín e ao antigo campo de concentração com o mesmo nome é uma opção de day trip. A cidade fica a 40 minutos de Praga e você pode ir num tour guiado ou de forma independente (ônibus saindo às 8h, 9h e 10h da estação Holešovice, pagamento direto ao motorista). O Museu do Gueto abre diariamente das 9h às 18h (17h30 entre novembro e março). O memorial Terezín, que é o antigo campo de concentração, abre diariamente das 8h às 18h (16h30 entre novembro e março). Os ingressos para visita conjunta custam 220 coroas.

Kutná Hora

  • Como bate-volta: enxuto
  • Com pernoite, voltando a Praga: desnecessário

A maior atração dela é o famoso ossuário Sedlec, mas a cidade é uma graça e também tem uma catedral incrível. O ossuário custa 90 coroas e tem horários diferentes ao longo do ano: entre novembro e fevereiro, abre todos os dias das 9h às 16h; entre abril e setembro, de 2ª a sábado das 8h às 18h e domingo das 9h às 18h; em março e outubro, diariamente das 9h às 17h. A Catedral de Santa Bárbara também é assim. Cobra 120 coroas pela visita e funciona de abril a outubro, das 9h às 18h; em novembro e dezembro, das 10h às 17h; em janeiro e fevereiro, das 10h às 16h; e em março das 10h às 17h. Kutná Hora fica a pouco mais de 1h de trem de Praga, com partidas freqüentes da estação principal (Praha hlavní nádraží).

Castelo de Karlštejn

  • Como bate-volta: enxuto
  • Com pernoite, voltando a Praga: desnecessário

No topo de um morro cheio de verde e com uma torre alta que você enxerga desde muito longe, o Castelo de Karlštejn consegue a proeza de rivalizar com o Castelo de Praga. Uma day trip até ele é fácil e rápida: são apenas 45 minutos de trem, saindo da estação principal (Praha hlavní nádraží). As visitas internas são obrigatoriamente guiadas e os horários variam bastante, assim como os preços. A parte chata é que os tours em inglês são escassos e o site oficial não mostra os horários. O melhor é ligar e reservar: 311-681-617.

Voltar | Menu

21 comentários

marina
marinaPermalinkResponder

O q posso dizer é para fugirem de pacotes prontos,pois não se conhecem os lugares de verdade. Pouco tempo livre.

Silvana
SilvanaPermalinkResponder

Obrigado Ricardo por esses roteiros redondinhos!!!!! Já fiz alguns e são sempre ótimos, sigo de olhos fechados!

Miriam Bruno
Miriam BrunoPermalinkResponder

Praga é linda mesmo, fiz essa viagem ao leste europeu e passei por lá três dias, foi magnífico!! Voltei faz pouco mais de um mês!!!

José isidio
José isidioPermalinkResponder

Conversão euros em coroas. Também dólar americano.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, José Isidro! Falamos de câmbio na página Como chegar: https://www.viajenaviagem.com/como-chegar-praga

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Posso fazer propaganda? No meu meio semi-morto blog, um dos trechos melhores é de Praga e região. Fiquei 6 dias por lá em 2010 - fiz até Cesky Krumlov como bate-e-volta e acho que valeu bastante a pena (dormindo na volta, claro): https://devoltaoutravez.wordpress.com/category/viagem/europa-viagem/rep-tcheca/

abraço.

Rejane
RejanePermalinkResponder

Para Cesky é melhor saindo e chegando pela estação Na Knizeci, menos de 3h e sem parada. Se for pela Florenc o tempo é muito maior e com paradas, perde-se o dia, além da passagem ser mais cara.

Marieh
MariehPermalinkResponder

Muito bom seu relato! Obrigada ?

Laercio
LaercioPermalinkResponder

No site https://prague.mobiletickets.cz cada ingresso para a torre do relógio está por CZK 210, e não CZK 110 que o que o post informa. O post é recente. Questão: houve aumento no preço ou seria um erro de digitação?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Laercio! Os preços certos são o do site oficial, claro. Note que a torre está fechada para visitas até novembro de 2017 para reformas.

paula
paulaPermalinkResponder

A opção de copiar/colar o texto do blog está bloqueada? Não entendi. Queria salvar algumas informações em meu roteiro e não foi possível.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Paula! Não está bloqueada não. Seu navegador está com problema.

Sergio Luis Aguiar

Para mim um dos melhores endereços na rede para se informar sobre turismo em geral. Parabéns ao Ricardo Freire. Desde seus comentários na rádio Bandeirantes FM, quem em Campinas não têm mais, suas dicas sempre foram e ainda são muito úteis, como essas de Praga, Abraços.

Elisa Araujo
Elisa AraujoPermalinkResponder

Segui o roteiro de Praga, onde fiquei 4 dias, e os itinerários estão bem redondinhos. Comprei o Prague Card para 4 dias (2080 CZK para adulto e 1520 CZK para criança), o que nos deu acesso ilimitado ao transporte público (usamos muito tram e metrô).

Acrescentei algumas atrações que fui achando durante a pesquisa pré-viagem:

- Apple Museum (Husova 21), no caminho entre a Igreja de São Nicolau e a Ponte Carlos. Para quem gosta de tecnologia ou é fã da marca a visita vale a pena. O acervo é incrível, indo do Apple I aos modelos mais recentes. Tem desconto de 25% para quem tem Prague Card (os ingressos custaram 218 CZK para adulto e 165 CZK para estudante, já com o desconto).

- Perto da Casa Dançante e quase em frente à rua Myslíkova, na beira do rio, há um ponto de aluguel de pedalinhos (no verão). Programa ótimo para quem está com crianças ou adolescentes. Custou 300 CZK por 1 hora de passeio. O acesso ao deck dos pedalinhos é por um parque tranquilo e com muito gramado para relaxar.

- Perto da Malostranské Náméstí e da outra Igreja de São Nicolau (em Malá Strana) existe um Museu da KGB (Vlašská 591/13) que me deixou bem curiosa, mas só consegui tirar foto na frente - havia um tour em andamento. Seguindo pela rua desse museu há um conjunto de ladeirinhas muito bonitas - e mesmo com a cidade lotada de turistas esse pedaço da cidade estava bem tranquilo e apreciável.

- Fiz o circuito Museu Judaico (muito interessante) usando o Prague Card (basta mostrar e os ingressos são gratuitos, exceto para a Sinagoga Nova-Velha, cuja entrada custou 200 CZK).

- Na Casa Dançante, prédio incrível, há um “bar de vidro” no último andar. O acesso ao bar e ao terraço (de onde a vista é espetacular) requer consumo de alguma coisa no bar.

Francini Meneghini Lazzari

Teu blog é demais, parabéns! está me ajudando muito a fazer meus roteiros, dicas ótimas! Obrigada smile

Flávia March
Flávia MarchPermalinkResponder

Boa tarde!
É tranquilo ir de ônibus para Cesky Krumlov com uma mala média? Para poder ficar duas noites lá.
Obrigada. Ótimas dicas!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Flávia! Sim.

Monica
MonicaPermalinkResponder

Adoro todas as dicas do blog e já me ajudaram muito no planejamento das minhas viagens. No momento estou em Cesky Krumlov e para quem está planejando passar 1 noite aqui, tenho um ponto a acrescentar: a cidade não tem vida noturna, então, acho uma boa opção o pernoite para casais. Se a viagem for para uma pessoa sozinha, eu faria bate-volta e chegando cedo é tempo suficiente para conhecer tudo.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Boa tarde,
Há a necessidade de comprar coroas tchecas ou o comércio em geral aceita euros?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Eduardo! Algumas lojas aceitam, mas não oferecerão uma boa cotação.

Leia sobre câmbio:
https://www.viajenaviagem.com/destino/praga/como-chegar-praga/#cambio

Nilton Rodrigues

Na minha estatia estava melhor usar Euro nas lojas em restaurantes ' nas trocas pela Coroa, o cambio perdia, mas existe muitos pontos de câmbios na centro comercial ' onde a comparacao fica fácil€¥

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar