Estações de trem de Viena: ligeiramente fora de mão

Wien Meidling

Este post está desatualizado. Para informações mais atualizadas, clique aqui:

Uma diferença sensível entre Viena e as grandes cidades da vizinha Alemanha é que suas estações de trem não muito centrais.  Para piorar, as linhas principais são divididas entre duas estações (sem ligação direta entre si ou com o aeroporto).

A situação deve mudar um pouco a partir de 2013, com a inauguração da Wien Hauptbanhof, a esperada estação central, que está sendo construída na área da antiga Südbanhof, desativada, e que deve concentrar todas as partidas e chegadas.

Por enquanto, saiba que vindo da/indo para a Europa Ocidental ou Budapeste você deve usar a Westbahnhof, uma estação que fica ao final da avenida Mariahilfer, um corredor comercial. Há hotéis nas redondezas (como o gigantesco Ibis Mariahilf, o Mercure Wien Westbanhof e o InterCity). A estação é servida por duas linhas de metrô; a U3 leva ao coração da cidade (a igreja de Santo Estêvão) em 5 estações.

Wien Meidling

A outra estação principal está improvisada em Wien Meidling, para onde foram desviados alguns trens que operavam na Südbanhof. Você deve usar Miedling se for para a República Tcheca, para a Polônia ou para a Itália (dependendo da rota; há trens que partem da Westbahnhof). É uma estação moderna mas acanhada, que originalmente serve à rede S-Bahn (trem metropolitano). Não há lugares sentados na área coberta para esperar seu trem nem aquela estrutura de comércio que você imagina encontrar numa grande estação. Meidling é servida pela linha S-15 da S-Bahn (vindo do Centro, venha pelo metrô U1 e faça baldeação em Südtiroler Platz; lá procure a plataforma 2) e pelo  metrô U6 (desça em Philadelphiabrücke, que é a estação contígua).

E uma última pegadinha [ATUALIZADA]: os trens para Bratislava estão partindo da estação temporária Ostbahnhof. A estação de metrô mais próxima é Südtiroler Platz, na linha U1 estão partindo novamente da Südbahnhof. (Os para Praga continuam saindo de Wien Miedling.)

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire


107 comentários

Gente… obrigado pelas respostas. Alex, eu já conhecia o teu blog e tô tirando muita informação de lá. Parabéns. Bia… chegou a vez de fuçar o seu .. hehehe… Se achar o e-mail de vcs eu vou escrever, ok? Vou fazer Budapeste-Viena-Praga-Paris(e arredores)-Bruxelas em Abril. Vou pertubar um pouco vocês dois…Parabéns tb ao álbum do Márcio. Campeão de qualidade e de audiência. Evelyn, se puder deixar o e-mail eu agradeceria. Valeu mesmo!!

Passe de transporte em Budapeste

Fui à Budapeste há 3 meses e o pagamento dos transportes era bem tranquilo. Os bilhetes de metrô também serviam para ônibus e eram preço único. Inclusive, valia muito a pena comprar os passes diários. O de 24 horas de uso custa HUF 1550 e o de 72 horas HUF 3850.
Assim sendo, mesmo para transporte não valia a pena o passe.
Em relação a museu, a casa do terror é imperdível, um museu interativo e arrepiante, apesar de triste.

Eu acho que depende… comprei o passe de 72 horas + Sissi Ticket. Até este ponto, acho que o Viena Card não valeria. Mas também tem o Schatzkammer em Hofburg, que é interessante. Tem o Belvedere – que gostei dos jardins, mas não dos lugares em si… ainda que quem gostar de Gustav Klint não tem como não entrar.

Além disto, acabei indo também a lugares que não tinha totalmente certo que iria – como o Haus der Musik e Mozarthaus (que num bilhete combinado ficam em 15 euros). Não fiz os cálculos, mas se você faz todos estes (ou alguns do Museum quartier), creio que começa a valer a pena o Viena Card, sim…

Já o de Budapeste, em todo lugar que li, é meio unânime dizer que não vale a pena, a menos que você vá em muitos museus (e a meu ver, só a “Casa do Terror” vale mesmo).
Mas todo mundo é unânime também que o passe de transporte ali vale, e muito. Isto porque os pagamentos no transporte em Budapeste são meio ‘diferentes’. Você paga pela quantidade de estações, ou pela quantidade de baldeações, pelo tempo… tem uma série de variáveis que influenciam ali em todas as paradas de metrô tem fiscal vendo seu passe na saída, para ver se pagou o correto. Para evitar problemas, compre passe de transporte.

Andre C,

Com relação ao Vienna Card, depende do número de atrações que vc pretende visitar….

Quando fui a Viena, ñ comprei esse card, pq ele só dá descontos, ñ inclui as entradas inteiras dos museus. Preferi comprar um Sisi Ticket + um passe de transporte livre por 72h. Se vc quisetr visitar só as atrações mais básicas, talvez valha mais à pena seguir esse esquema.

Colocando na ponta do lápis, com preços atuais:
O Sisi Ticket custa €22,50, e dá direito ao Hofburg, ao Schönbrunn e à coleção de mobília imperial. Já o passe de transporte de 72h sai por €13,60.

Somando tudo isso, sai mais barato do que o Vienna Card por €18,50, mais os tickets dessas atrações que eu citei com os módicos descontos que o card oferece.

Oi André,
Eu não fui à Viena, mas em relação a Budapeste, depende de quanto tempo vc vai ficar e o que quer visitar. Mas não se preocupe. Assim que desembarcar, o quiosque de informações turísticas te dá de graça dois livretos com todas as informações que vc precisa.
Lá vc aprende a história de Budapeste, lugares pra visitar com seus preços, restaurantes indicados, preço de transporte e o preço do Card. Eu não comprei o card, pois o que fiz saía mais barato separado.
No meu blog tem algumas dicas de restaurantes, mas ainda não escrevi sobre as experiências em Budapeste. Devo fazer ainda este mês.
Bjos

Vale a pena comprar o Vienna Card e o Budapest card? Algum tripulante pra me dar um help?

    Reforçando o que Alex Melo falou, comprar um passe de transporte em Budapeste é fundamental. O sistema do metrô de lá é super-complicado para quem não tem passe. Pelo menos era assim em 2002, quando fui a Budapeste. Com o agravante de as explicações serem em húngaro e não ser (ou pelo menos não era em 2002) garantido que se vá encontrar algum falante de inglês.

    Nós usamos o Vienna Card e achei que valeu a pena… inclusive usamos o “direito” de desconto até depois que já tinha dado a validade.

E é por esta mudança na estação de Bratislava que, depois de perder o ônibus, também não consegui pegar o trem prá lá no dia que queria fazer o bate-e-volta.
Quem mandou eu não atualizar os dados em tempo 🙁

Mas tudo bem… perdi o dia em Bratislava, mas aproveitei um bem mais tranquilo em Viena.

Quando comprei o bilhete de trem de Praga para Viena não encontrei esta tal de Wien Meidling no Google Maps. Tive que esperar chegar na estação para planejar meu itinerário de metrô até o hotel. No final deu tudo certo. Peguei trem na mesma estação para ir para Budapeste.

O trem passa por uma grande obra que imaginei que fosse uma estação de trens. Agora vi que era isso mesmo.

Trens para a Eslovênia e Croácia também partem de Meidling.

Realmente não é uma estação confortável, mas é provisória, e considerando o clima que faz agora ninguém passsa mais do que 30 minutos na plataforma. Só os corajosos fumantes!

No subsolo tem cafés, banheiros e temperatura suportável.
A Südbanhof tinha um restaurante que servia a melhor omelete que comi em minha vida. Saudades.

    Hehe, o pior é que a gente chegou cedo e FICOU 30 minutos na plataforma 🙂

Quando estive em Viena em 2003 a Südbanhof ainda existia e era muito bem localizada, mas ela estava bem caidinha mesmo. Estava muito velha e largada e não combinava com a modernidade da cidade. Apesar do transtorno, gostei de saber que eles a desativaram para realizar reformas, assim teremos uma estação de trem compatível com a cidade.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.