Morro de São Paulo taxa de visitação

Morro de São Paulo volta a cobrar taxa de visitação: R$ 15

Morro de São Paulo taxa de visitação

Desde 1º de novembro de 2017, visitates a Morro de São Paulo têm que pagar R$ 15 como taxa de visitação. É a TUPA, ou Tarifa por Uso do Patrimônio do Arquipélago.

Visitantes até 5 anos e acima de 60 anos estão isentos da taxa. Estudantes e portadores de necessidades especiais pagam meia, R$ 7,50.

A cobrança é feita no píer de desembarque na ilha, uma única vez por permanência. O recibo será conferido também no píer de embarque aos passeios de volta à ilha. Quem tiver chegado à ilha por outro ponto (de avião ou pela ponta sul, atravessando o rio desde Boipeba), e for fazer passeio de barco, pagará sua taxa nesse guichê.

[h3]Mas essa taxa já não existia?[/h3]

Morro de São Paulo: taxa de visitação

A prefeitura de Cairu (o município onde está Morro de São Paulo) já cobrou uma taxa de visitação à ilha. Foi entre 2013 e 2016. A taxa se chamava TPA (taxa de preservação ambiental) e acabou impugnada pelo Tribunal de Justiça da Bahia.

Um ano depois de suspensa na Justiça, a taxa volta, agora com outro nome.

A idéia da prefeitura é estender a cobrança a outros destinos do município. A ilha de Boipeba, a praia de Garapuá e o centro histórico de Cairu também cobrariam a visita.


Morro de São Paulo volta a cobrar taxa de visitação: R$ 15 1
Burocracia praiana

Outras praias que cobram taxa

Barra Grande, na Península de Maraú, também cobra taxa de quem chega por mar.

Recentemente — desde setembro de 2017 — Jericoacoara, no Ceará, passou a cobrar uma taxa de visitação. Lá custa R$ 5 por dia de permanência).

O caso mais estabelecido de destino que cobra taxa de permanência é o de Fernando de Noronha. A taxa de Noronha começa em R$ 68 por dia (e baixa um pouquinho a partir do 5º dia).

Leia mais:


Moreré

28 comentários

Falta transparência no destino dos valores arrecadados, como tudo no Brasil o cidadão e impotente no quesito “taxas” ou paga ou não entra, assim que funciona, esta “Imposto” o tal de “Boia” só responde o que e conveniente para ele..

Fui 2x no ano passado 2019 e muito bonito porém se cobram essa taxa tinham que fazerreciclagem do lixo ,não jogar no lixão existente na ilha o meio ambiente já está contaminado e isso a mídia nao mostra. Assim num futuro próximo não haverá mais turismo muito triste isso procurem no you tube lixão do morreu de sp que você cês irão comprovar pois se os estrangeiros souberem tambem aí já era valeu por abrir comentário

Se o tribunal de justiça da Bahia, suspendeu a taxa, por que a prefeitura tem o direito de repor o caso ?

Na minha opinião, as praias eram para ser publica, mais sei que existem pessoas, com o mau caráter de sujar as nossa belíssima praias, mais não vem o caso.

Absurdo meu esposo é deficiente, passe livre, injusto criança abaixo de 5 e idoso é insento

Porque um deficiente físico paga meia , injusto , deveria ser inseto da taxa
.. Isso seria uma maneira de a prefeitura facilitar a igualdade social, e lazer para esses deficientes que muitas vezes são descriminado pela sociedade.
Principalmente aqueles que tem baixa renda.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.