NY Pass x NY City Pass: o Augusto e a Alessandra explicam

Não, o helicóptero não está incluído em nenhum dos dois...

Confesso: nunca estudei direito os passes de Nova York. (Até porque o melhor jeito de estudar um passe é comprar e usar, e eu não fiz isso das últimas vez que estive em NY.) Na Europa eu não curto os passes que incluem atrações privadas — acho que eles empurram um monte de porcaria dispensável, prefiro os passes de museus e transporte. Mas como em Nova York tudo é privado, até mesmo os museus, vale a pena considerar.

Uma pergunta da Denise sobre passes e filas ganhou respostas tão completas do Augusto e da Alessandra Fiorini que tinha que virar post.

Compilando a explicação dos trips:

– o New York Pass de uma semana custa US$ 200 (o de três dias custa US$ 150; o de um dia, US$ 85). Você pode visitar 80 atrações. É muita coisa para pouco tempo, diz a Alessandra. E o passe não livra você da fila, observa o Augusto, porque seus cupons funcionam como vouchers — você tem que entrar na fila da bilheteria e trocar o voucher pelo ticket de entrada.

– já o New York City Pass custa US$ 109 e é o preferido dos dois. Você tem nove dias para visitar seis atrações — o que, digo eu, é um bom plano, sem overturistagem. Você pode bater ponto no Metropolitan (e ir ao Cloisters no mesmo dia), no Moma, no Museu de História Natural, no Empire State Building (Observation Deck do 86º andar; para ir ao 102º paga-se um extra de US$ 15 no local), e escolher entre o Guggenheim OU o Top of the Rock, e o passeio à Estátua da Liberdade (sem subida à Coroa) OU um cruzeiro pela Circle Line. (Sim, esses dois últimos cupons são alternativos: você precisa optar entre uma das duas atrações do cupom.) O cupom funciona como ticket; é só apresentar na entrada de cada atração, sem precisar passar pela bilheteria, eliminando assim uma fila em cada visita.

Quer dizer: como o New York City Pass você só vai precisar passar na bilheteria uma vez, para trocar o recibo que você receber pela  internet pelo booklet de cupons. O Augusto recomenda que isso NÃO seja feito na bilheteria do Empire State, que é o que tem a fila maior.

Finalmente, a Alessandra lembra que o transporte não está incluído no passe e que o melhor é fazer um MetroCard de uma semana em qualquer máquina do metrô, por US$ 30. Assino embaixo.

Obrigado, Augusto! Valeu, Alessandra!

203 comentários

Olá senhores . Para as crianças há desconto tanto no passe quanto no metro ? Em qual idade ? Grato

    Olá, Gustavo! Criança até 44 polegadas de altura (1,11 m) não paga para andar de metrô. Acima dessa altura, paga como adulto.

P quem vai fkr apenas quatro dias compensa comprar o New York city pass?

    Olá, Ieda! Não é uma questão de dias, é uma questão de que passeios você quer fazer e se eles estão ou não incluídos no passe.

Caso alguém queira como eu não fazer a contribuição total nos museus que são pague o quanto quiser, fica a dica do “novo” NY CityPass, o C3 que você pode escolher como 3 atrações o Top of The Rock, o Empire State (e lá pagar 20 pra ir até o topo se quiser) e o Memorial de 11/09, saindo a 74 doletas, mais barato do que as 3 juntas (32+34+24= 90)

Pesquisei MESES sobre os passes, encontrei até site que faz comparação de passes de acordo com as atrações que se deseja ir. Porém, o tal site não leva em conta atrações com períodos de gratuidade ou em que não é obrigatório pagar tarifa cheia, como o Metropolitan ou o Museu de História Natural. E também ignora o passe que acabei utilizando.

Esses dois passes que todo blog de viagem fazem parecer que são os únicos me pareceram muito ruins: NY Pass ficaria com a sensação de que não vi tudo e não aproveitei o suficiente; e no NY City Pass, teria q escolher entre Guggenheim e Top of the Rock, ambos que gostaria de ir, e ao mesmo tempo não queria ir nem à Estátua nem fazer cruzeiro em pleno inverno com -10ºC e vento.

Assim, eu tive que montar na mão mesmo uma planilha comparando as combinações po$$íveis de atrações que eu e a patroa queríamos ir, e como cada passe poderia ser utilizado. Depois de muito pensar e pesquisar, a melhor opção foi o passe customizado do Explorer Pass. Coloquei as atrações mais caras e sem gratuidade, de modo a maximizar os descontos, mantendo o Metropolitan de fora do mesmo.

Esses dois limitam por tempo ou por um pacote praticamente fechado de atrações. Porém o Explorer Pass limita por quantidade de atrações, que vc mesmo escolhe. Há opções de quantidade fixa de atrações e do passe customizado, em que a partir de 4 atrações o desconto é fixo de 25%. Cada caso é um caso, mas creio ser importante divulgar que esses dois passes não são as únicas e opções.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.