Nova York

Viagem ao centro da Terra
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Outras cidades têm cartões-postais e monumentos. Nova York também: o skyline de Manhattan, a ponte do Brooklyn, a estátua da Liberdade. Mas o Empire State não tem aqui a mesma importância da Torre Eiffel em Paris. A moça com a tocha na mão é um ícone, não é assim nenhum Coliseu.

Porque Nova York não está nos cartões-postais: está na rua.

A gente bate perna em Nova York não em busca de beleza, mas à procura de energia. Nova York está ligada na tomada, e o grande barato é estar exposto à sua vibe.

A maior novidade da ilha é a transformação do trecho entre Chelsea e Meatpacking, entre as ruas 30 e 12 Oeste, com o surgimento do High Line Park -- um jardim suspenso, plantado numa espécie de Minhocão abandonado, que tornou este ponto tão valorizado quanto o entorno do Central Park.

Mas o hype não mora mais só de Manhattan: na outra margem do rio East, o Brooklyn é o endereço de alguns dos bairros mais badalados do momento, como Williamsburg.

Minha dica: mesmo que seja a sua primeira vez na cidade, dê uma escapadinha dos luminosos de Times Square, das vitrines da Quinta Avenida e do verde do Central Park para dar uma espiadinha nessa outra Nova York.

603 comentários

Cris
CrisPermalinkResponder

Boa tarde! Há algum hotel em Nova Iorque que cobre só a taxa de resort? Estou procurando um hotel mas estou vendo que o total das taxas é maior que as diárias ? obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cris! "Resort tax" é uma taxa extra, cobrada por alguns hotéis. É somada à diária.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar