Pra que serve o blogueiro?

O blogueiro

Queridos trips, inicio hoje um novo tipo de atuação na caixa de comentários. Estou bastante animado.

Acabo de criar um segundo nome de usuário, Viaje na Viagem. Com uma bóia vermelha no avatar, o Viaje na Viagem tem com o função direcionar o visitante à página certa do site. (Mais adiante volto a falar da “página certa”.) Na grande maioria das vezes, a bóia vermelha apenas copiará um link velho de guerra — que vocês, habituês, provavelmente estarão riqfreires de conhecer. Por enquanto sou eu mesmo quem está por trás deste nome; mas a idéia é que essa tarefa seja feita por um assistente.

A partir de agora, o nome de usuário Ricardo Freire (prazer!)  fica reservado para intervenções que valham a pena ser lidas — frases com sujeito, verbo e predicado, que podem estar a serviço de perguntas originais ou de um saudável tricô com a diretoria.

Outra mudança: desde a implantação do novo Perguntódromo, há duas semanas, deixei de parar tudo o que estou fazendo para fazer pesquisas complicadas para o primeiro consulente que aparecer. As perguntas que não sei responder de supetão agora são rapidamente transferidas para o Perguntódromo, onde na maioria das vezes encontram uma resposta abalizada. As perguntas mais instigantes, claro, continuam perigando virar posts participativos e/ou pesquisados (ou pautas de viagem). O esquema tem funcionado melhor do que eu esperava.

O certo é que, do jeito que estava, não podia continuar. Eu vinha investindo entre três a quatro horas por dia na tarefa de responder perguntas. Em 80% dos casos, responder perguntas significa simplesmente encontrar um link dentro do próprio site ou repetir uma informação que já foi dada dez, vinte, cem vezes — tudo porque os perguntantes não se dão ao trabalho de ler os comentários anteriores (onde os mesmíssimos links já foram copiados ad nauseum). Há um limite para quantas vezes a pessoa consegue escrever “Eu não visitei todos os resorts de Punta Cana”, sobretudo quando esta frase está escrita em dez dos últimos quinze comentários da página. É especialmente dolorido quando o blogueiro escreve um post supermastigadinho e vem alguém e pergunta alguma coisa que está escrita com todas as letras no corpo do texto, alguns centímetros acima na tela do desktop.

O problema é que passar o jogo inteiro atuando como gandula me tira a chance de ser técnico, armador ou centroavante. Eu não posso ser ao  mesmo tempo o Amador Aguiar e a moça que orienta a fila do caixa eletrônico do Bradesco. Há muitos posts e um monte de páginas atrasadas. Eu não me perdoarei se não tiver passado todo o conteúdo de praias para o site ainda neste semestre. Se eu perder tempo batendo boca com neguinho que acha que eu sou o atendente de telemarketing do site, aí é que eu não vou terminar esse trabalho nunca.

Preciso também de tempo para linkar mais posts de blogs da comunidade. O ideal seria linkar pelo menos dois por dia; tenho linkado dois por semana — é muito pouco.

Por isso é que, junto com o usuário bóia-vermelha Viaje na Viagem, estréia no site uma nova postura nos bastidores. Em vez de entregar o sashimi com porção extra de wasabi e shoyu light, vou tentar ensinar a pescar. Pesquisar dentro do site pode parecer complicado no começo, mas depois que você aprende fica tãããão mais frutífero. Você pesquisa uma coisinha e fica sabendo de um monte de coisonas. A pessoa só perde a viagem — ops — se o destino que ela procura não existir no site. Mas se houver algum post no arquivo, ou algum link para um blog da liga viajandã, o consulente já tem um novelo pedaçudo para desenrolar.

Preciso também reverter a noção — talvez reforçada por mim mesmo, pelo jeito com que vim atuando nos últimos cinco anos — de que o consulente só estará devidamente atendido se eu parar tudo o que estou fazendo e lhe dedicar uma frase com sujeito, verbo e predicado. Eu não existo só no momento em que me manifesto na caixa de comentários. Escrevi centenas de milhares de frases com sujeito, verbo, predicado, educação e bom-humor; elas estão espalhadas por todo o site. Não escrevi nenhuma delas para mim: elas estão aí para quem precisar.

Por isso investi o dia de hoje — que poderia ter sido usado para fazer os posts atrasados de Barbados, Santiago, St. Maarten, St.-Barth, Aruba, Curaçao, Santo André da Bahia, Rota Ecológica, Vale do Loire… — para criar posts-pescaria que serão linkados a todo momento pela bóia vermelha em respostas a quem cair de pára-quedas.

Um deles, Como pesquisar no site, é um beabá detalhadinho de todas as maneiras de vasculhar o VnV. O segundo, Coisas que o blogueiro não pode fazer por você, estabelece limites realistas para as expectativas do leitor. E o terceiro, Pontos de partida para viajar na viagem, reúne os posts mais freqüentemente linkados por mim nas caixas de comentário; é praticamente um menu paralelo do site.

Nenhum desses posts têm caixas de comentários abertas. Não porque eu tenha receio de reclamações, mas porque quero evitar que o leitor formule suas novas perguntas ali, onde não ficarão indexadas no assunto correto.

Enfim: Ronald McDonald não frita mais hambúrguer!

O melhor efeito colateral disso é que, com a bóia vermelha do Viaje na Viagem se responsabilizando pelas respostas burocráticas, o blogueiro vai poder voltar a sorrir na caixa de comentários.

E para comemorar esse momento, então, libero pra galera o vídeo pirata da minha abdução (lembra?) por uma sósia de Josephine Baker em Emoções Baratas, um tempinho atrás…

E seguimos viagem!!!!


122 comentários

Ok, meu argumento é contraditório, porque isso só acontece com os posts mais badalados, e exatamente esses não precisam de pesquisa por já terem sido indexados por você :$. Não foi uma queixa nem uma crítica ao Perguntódromo, até porque leio as perguntas quase todos os dias. Apenas me ocorreu que, se o post do peguntódromo não fosse capturado pelas pesquisas, de qualquer maneira as respostas seriam pescadas, já na localização certa…

    Seria uma bagunça louca, Alice. Vai por mim, já passei por isso na Abril. O que o site precisa melhorar, e muito, é a parte do menu, com mais páginas de destino, e atualização das páginas (há muitos posts que precisam ser incluídos). Mas ano que vem se tudo der certo vamos ter equipe, e o conteúdo vai ficar cada vez mais organizado.

Riq, Não sei bem qualquer seria o local apropriado para fazer esse comentário, mas lá vai. O perguntódromo é uma ideia excelente, mas tenho notado que polui o resultado das pequisas. Por exemplo, se lanço as palavras: hoteis Buenos Aires, aparecem paginas e paginas do perguntódromo antes dos seus posts. Tem ficado mais fácil pesquisar pelo Google o “assunto pesquisado” + “viaje na viagem” do que pela caixinha do próprio site. Claro que isso só acontece com os destinos mais badalados, que se repetem reiteradamente no perguntódromo. Como o perguntódromo começou em agosto desse ano, acho que casa vez mais aparecerá nos resultados…Não sei se estou sendo impertinente, é só algo que notei.

    Alice, o Perguntódromo nos moldes atuais foi inspirado por uma sugestão do Augusto Takaschima, que sugeriu que se pudesse dar destaque às perguntas que duram minutos na lista dos últimos comentários e assim não são encontradas por quem pode responder.

    Concebi a nova fórmula do Perguntódromo e, modéstia às favas, acho do caramba. Só as perguntas inéditas são selecionadas, e as respostas são armazenadas nos posts de origem.

    Desculpe, mas se você está usando o quadradinho de busca para buscas super genéricas, está usando errado. O site é todo indexadinho por destino, e você tem acesso aos posts de qualquer lugar a partir do menu do alto. O exemplo que você citou, “hotéis Buenos Aires”, não pode ser mais claro. Eu tenho um trabalhão pra editar a página de Buenos Aires no menu Américas, indexando TODOS os posts de hotéis lá, na seção Dormir, e você vai procurar pela busca?

    O Perguntódromo fica como está, e num próximo template terá mais força ainda.

Só pra não deixar passar mesmo: Ricardo, sou leitora antiga do blog, quase nunca comento, mas você – e sua tripulação assídua – já me ajudaram muito com dicas preciosíssimas. Adorei as mudanças no blog, as dicas de outros blogs, outros olhares sobre um mesmo lugar, enfim. Parabéns. Patrícia

Benefício adicional das mudanças: com este novo “filtro”, os itens do Comentódromo assinados por “Ricardo Freire” voltaram a ser um convite pra ler algo relevante –- enquanto os assinados pela bóia vermelha podem ser solenemente ignorados. 🙂

É sempre bom acompanhar as evoluções do seu trabalho. Congrats!

    A idéia é essa mesma! Bom ver você por aqui de volta! Beijo na patroa e nos bacuris!

    Tenho conseguido passar por aqui de vez em quando, mas ainda está longe dos velhos tempos!

    Muito oportunas estas mudanças: agora tende a ficar mais otimizado pros trips enroscados e indisponíveis (presente!) acompanharem o que se passa… 😉

olá riq…
andei sumida daqui porque realmente aprendi a pesquisar e me aventurar em terras blogueiras.
sei que fiz perguntas absurdas, sim, reconheço. mas precisava de um ponto de partida, já que quando cheguei aqui não fazia nem idéia do que era post.
passado esse momento OUT TOTAL, fico feliz com essa evolução do VnV.
só fiquei mais fã.
hummmm…
próximas viagens… dando um feedback das dicas bacanas que peguei com os trips.
Embarcamos com a cria pra Praia do Forte em novembro. Depois, em maio, maridex e eu vamos desempacotar o que pudermos de Paris.
valeu Riq!!!!!

    Não deixe de conhecer o Castelo de Garcia D’Ávila. É na entrada da Praia do Forte, do lado direito. Estive lá em 2006 e achei a vista é imperdível e o local maravilhoso (acho que o pequeno vai gostar da acústica da Capelinha: você fala baixinho e o som sai bem alto.)

    http://www.fgd.org.br

Riq, discordo em um único ponto: vale a pena clicar nas respostas da boia vermelha, já que, normalmente, sucedem perguntas muito engraçadas (para mim, que não tenho que responder..rs).

Parabéns pelas mudanças e, juro!, li todo o “tutorial”.

Imagino como v tem trabalho com as perguntas dos sem-noção. Tem até que ensinar a usar o blog… Adoro seus pitis! Totalmente com razão. Até eu já quis responder malcriadamente 🙂 Tô sempre por aqui e nem preciso fazer perguntas, as respostas estão todas nos posts. Parabéns pelo blog, só melhorando!!!
Ah, tb quero me candidatar pra trabalhar na bóia vermelha 🙂

Parabéns por essa nova etapa. Tbm ficava me perguntando que horas vc dormia, tendo que responder a tantas (mesmas) perguntas.
Prometo ler tudo antes de fazer qualquer pergunta…tsc!

Riq

Estou com uma viagem programada pra Russia no final de Setembro e nao achei muita coisa no seu blog que fale de Moscou e St petesburgo.
Por acaso, vc ou algum outro passageiro frequente, teriam informacoes do que fazer nessas 2 cidades?
Ouvi dizer que tem um roteiro perto de Moscou chamado Golden Ring, alguem sabe se vale a pena?
Outra questao, seria se precisaria fechar algum pacote de hotel, translado e passeios, na Russia, visto que muita gente me disse que eh um pais complicado de se viajar por conta propria. Alguem tem alguma recomendacao?

mais uma vez obrigado e parabens pelo blog.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.