Londres + Edimburgo + Highlands: o roteiro redondo da Andrea 1

Londres + Edimburgo + Highlands: o roteiro redondo da Andrea

Castelo de Urquhart, Lago Ness

A Andrea fez, nesse verão europeu, um tour bacanérrimo pelo Reino Unido com a família. Montou um roteiro independente combinando Londres com Edimburgo e as Highlands escocesas. Se em Londres a muvuca atrapalhou um pouco, nas montanhas deu para curtir bastante a paisagem e as paradas nas cidades de Inverness e Oban. Pena que as vaquinhas cabeludas que viu pelo trajeto estavam tão tímidas (mas vale a pena googlar “Highland cattle”, viu?). Aproveite o roteiro super detalhado da Andrea para montar a sua viagem:

Oi, Ricardo e equipe! Conforme prometido, este é o fidibeque da minha viagem à Escócia. Comprei a passagem pela British Airways, Rio de Janeiro – Londres, Londres – Edimburgo e Edimburgo – Rio de Janeiro (escala em Londres). Fiz com meu agente de viagens, que me deu o melhor preço. Comprando desta forma foi mais econômico e não tive que me submeter ao sofrimento de empresas de vôo low-cost (Ryanair, nunca mais… até raspadinha eles vendem na viagem!).

Londres

Bom, de Londres minha principal dica é: se puder ir em outra época que não sejam as férias de verão europeu, aproveite. Estava tudo cheiíssimo… A Oxford Street parecia shopping em véspera de Natal; tive que fugir da feira de Notting Hill, só via cabeça e mal conseguia me mover.

Se mesmo sabendo que vai ter que encarar a multidão, você (como eu) insistir em ir em julho ou agosto, tente comprar os ingressos das atrações turísticas pela internet, para não ter que ficar em filas. Fiz isto na London Eye, comprando um ingresso “fura-fila” (flexi-standard ticket). Foi mais caro do que o ingresso comum, mas valeu muito à pena! Sem ele, acho que estaria na fila até hoje!

Em Londres me hospedei em um flat (viajo com marido e filho adolescente), equipado com cozinha, o Space Apart Hotel. Reservei pelo Booking.com e recomendo muito.

É estilo flat mesmo, não tem serviço de limpeza diário e a portaria fica sem ninguém das 21 horas até a manhã seguinte, mas nada disso atrapalhou. O apartamento tem cozinha equipada, máquina de lavar louça e lavadora/secadora de roupas (ótimo para quem carrega malas pequenas). A localização é excelente, perto de restaurantes e do metrô, mas em uma rua tranqüila e silenciosa. Dormi como um anjo!

Fiquei cinco noites em Londres e parti para a Escócia. Aí começou o sonho!

Edimburgo

Old Town, Edimburgo

Old Town, Edimburgo

Cheguei em Edinburgh (lá se pronuncia “Edinbrá”, vai entender…) à noite, mas no verão só fica escuro depois das 22 horas.

Hospedei-me no Premier Inn Edinburgh Princes Street. Fica no coração da cidade, mas, mesmo assim, era super silencioso! É um hotel de rede, basicão mesmo – não tem cofre nem frigobar, mas é tudo bem limpo e arrumado. Achei uma boa opção para quem quer economizar sem abrir mão de conforto. O quarto era bem confortável para nós três.

Castelo de EdimburgoAo contrário de Londres, em Edimburgo tudo é mais calmo e as pessoas foram muito gentis, o que ajudou muito, já que o sotaque escocês não é das coisas mais fáceis de entender, pelo menos pra mim, que estou acostumada com o sotaque americano (morei em NYC três anos).

A cidade é linda de morrer, dominada pelo Castelo de Edimburgo, lá no alto.

Para entrar no castelo tem que pagar um ingresso. Também aconselho comprar pela internet pra não encarar fila. Lá de cima do castelo dá pra ver bem a cidade, que parece uma miniatura, de tão fofa!

Fiquei três noites em Edimburgo, o que foi suficiente para conhecer os principais pontos, mas, se tivesse mais tempo, teria ficado um mês… A cidade é deslumbrante, um lugar muito especial mesmo. Muito bem cuidada, tudo florido!

Edimburgo é dividida entre a cidade velha e a cidade nova. A “New Town”, na verdade, também é velha, ou seja, foi construída a partir de 1765.

New Town, Edimburgo

É uma cidade planejada, patrimônio da Unesco, sendo considerada uma verdadeira obra prima do planejamento urbano. As ruas e casas são intercaladas por praças, espaços verdes e enfeitadas por estátuas. Simplesmente perfeita!

Old Town, Edimburgo

A “Old Town” não fica a desejar e também é patrimônio da Unesco.

Em um momento “hoje posso gastar um pouco mais”, almocei no Jamie’s Italian, do Jamie Oliver – passei na porta, vi que os preços eram razoáveis e fiz uma reserva. O restaurante é muito bonito. Peguei um menu de almoço preço fixo a 15 libras por pessoa. Tudo muito bom, exceto o risoto, que estava um pouco fora do ponto (mole), mas nada que comprometesse.

De Edimburgo partimos para Inverness, onde se iniciou a aventura Highlands.

Highlands

InvernessFui de trem de Edimburgo para Inverness. Comprei a passagem no dia anterior. A senhora que me atendeu era muito gentil, e me explicou que o jeito que eu queria fazer a viagem – indo por um lado e voltando pelo outro – ficaria mais caro, mas era o que eu tinha planejado e, lá fomos nós, de trem para Inverness.

A paisagem no caminho é bonita, mas nem se compararia com o que eu iria encontrar depois…

Hospedei-me em outro Premier Inn, o Inverness Centre. Tudo correto, quarto silencioso, fiquei fã do Premier Inn.

Fomos comer e, depois de uma chuva (é, chove toda hora no verão escocês, levem suas capas), fomos recebidos com um duplo arco-íris!

Inverness fica a beira do Rio Ness e é o melhor ponto de partida para se explorar as Highlands. Mas não despreze a cidade!

Castelo de Inverness

Pequenina e simpática, é cheia de encantos e também tem um castelo (o que na Escócia é quase tão comum quanto a chuva), o qual estava fechado para visitas.

Agora, olhem a cor do céu…

Inverness

… e flores para todos os lados!

Inverness

Fiquei três noites em Inverness. Exploramos bem a cidade e fizemos um passeio que durou um dia inteiro, até as Ilhas de Skye. Reservei o passeio no dia anterior, morrendo de medo de não encontrar vaga, pois é muito concorrido! Felizmente havia vagas suficientes para minha família e lá fomos nós.

A empresa é a Highland Explorer Tours. Eles têm passeios de um dia e até três dias, as pessoas vão se hospedando no caminho nos passeios mais longos. Preferi fazer o passeio de um dia e depois seguir caminho de carro, por conta própria.

Eu simplesmente amei tudo deste passeio! O ônibus era pequeno e confortável, e o motorista ia fazendo a narração dos lugares. Apesar de ter chovido parte do tempo, a paisagem, cheia de névoa, é a coisa mais linda do mundo… Cenário de filme, parece que vão pular fadas e leprechauns dos lagos!

Primeiro o ônibus passa pelo famoso Loch Ness e pelas ruínas do Castelo de Urquhart. O Lago Ness é imenso e lindo, tem um cheiro de água limpa, flores e pinheiros…

O motorista contou várias histórias da lenda do lago e do seu suposto monstro, em um sotaque escocês que, felizmente, dava para entender bem. Mesmo afirmando o que todos sabem – que não existe o monstro – ainda deixou uma pontinha de dúvida, para manter a fantasia que tornou o lago tão famoso. Com ou sem monstro, a beleza do lago vale a visita.

Passeio pelas Highlands

No caminho passamos pelas famosas vaquinhas cabeludas das Highlands, mas estas, muito metidas, se negaram a se aproximar para minhas fotos!

Castelo Eilean Donan

O passeio dá uma parada para visita ao Eilean Donan Castle, que foi restaurado por uma família e está aberto à visitação.

Seguimos viagens por paisagens magníficas, lagos e mais lagos, a natureza deslumbrante das Highlands se desenhando na janela…

Passeio pelas Highlands

Como eu disse, o passeio durou o dia inteiro, com uma parada para almoço. Voltamos no final do dia, depois das 19 horas.

No dia seguinte, o plano era alugar um carro e descer pela estrada até Oban, nossa próxima parada. Entretanto, amarelamos para dirigir na mão trocada… As estradas são estreitas e a sensação nos pareceu muito ruim, parece que você está andando na contramão o tempo todo! Sendo assim, compramos passagens de ônibus e lá fomos nós, arrastando nossas malas até a estação. Fomos a pé mesmo, pois nossas malas são tamanho M, de quatro rodinhas (leitores do VnV não dão bobeira!).

A estrada entre Inverness e Oban é muito linda também! Além de lagos, castelos e ovelhas de carinha preta, temos uma paisagem marítima, do Atlântico Norte.
O fato de irmos de ônibus nos impediu de fazer paradas, mas conseguimos tirar boas fotografias, mesmo da janela. Por outro lado, acho que ficou mais econômico… Não sei, a esta altura meu orçamento já estava estourado mesmo.
O ônibus é bem confortável, tivemos que fazer uma troca em Fort William, mas foi bem tranqüilo.

Aí vão as fotos de um lago…

Passeio pelas Highlands

Castelo…

Passeio pelas Highlands

Ovelhas de carinha preta…

Passeio pelas Highlands

E o mar.

Passeio pelas Highlands

Em Oban fiquei hospedada no Barriemore Guest House. Foi um pouco mais caro para o meu orçamento, mas, como eu só fiquei um dia, achei que valia à pena ficar em uma pousada charmosa, pois já tinha economizado bastante nos Premier Inns. Chegando lá, vi que valeu mesmo!

Barriemore Guest House, Oban

O quarto era um mini apartamento, com dois quartos, sala e banheiro. Todo decorado antiguinho, a sala dava vista para o mar e o meu quarto vista para a floresta. Um luxo! Daí comecei a me arrepender de ter planejado apenas uma noite em Oban…

Eu tenho a regra de não ficar nunca menos de duas noites em cada lugar, mas imaginei que Oban seria apenas um pit stop em uma road trip, sem muitas atrações… Ledo engano, o lugar é lindo e elegante, balneário de férias elogiado até pela Rainha da Inglaterra!

Oban

Em Oban fiz minha melhor refeição da viagem, no restaurante Cuan Mor. Delicioso salmão escocês, deliciosa cerveja caseira, de fabricação própria.

Edimburgo

No dia seguinte partimos de volta a Edimburgo, onde passei a última noite, pois o avião saía cedo, 9 da manhã. Fui de trem, a viagem foi tranqüila. O trem vai até Glasgow, onde você tem que trocar para outro que vai até Edimburgo.

Esta última noite em Edimburgo teve uma pequena desvantagem e uma imensa vantagem… Explico.

A desvantagem é que não consegui vaga no Premier Inn Princes Street, estava tudo lotado por conta do Festival de Edimburgo, um evento cultural que lota a cidade. Reservei outro Premier Inn, o Edinburgh Central.

Para minha surpresa, este era pior. O quarto menor, a cama do meu filho pequena, o prédio mais velho, sem telefone no quarto. Também achei a localização pior, apesar de bem perto do castelo e do Grassmarket, local boêmio da cidade.

Mas o problema mesmo foi outro. Apesar de eu ter pedido, expressamente, um quarto silencioso, de fundos, me deram um quarto de frente para a rua. Além do barulho do trânsito, como era sábado, pessoas bêbadas gritaram na rua a noite toda. Um inferno! Dormi muito mal. Como a propaganda do hotel é “A good night’s sleep or your money back”, escrevi para eles, explicando a situação e pedindo meu dinheiro de volta. Até agora, não recebi resposta.

Entretanto, todas as mazelas do Premier Inn foram superadas pelo espetáculo que assisti neste último dia. Tive a sorte de conseguir ingressos para “The 2013 Royal Edinburgh Military Tattoo”, um espetáculo de bandas militares de vários países realizado na entrada do Edinburgh Castle. Simplesmente maravilhoso!

The 2013 Royal Edinburgh Military Tattoo

Quando entraram as bagpipes and drums tocando, saindo do castelo, meus olhos se encheram d’água… Há bandas de outros países também, que mudam a cada ano. Quem estiver na cidade na época do Tattoo não pode perder!

The 2013 Royal Edinburgh Military Tattoo

O espetáculo dura uma hora e meia e é ao ar livre. Soprava um vento frio, mas, por sorte, não choveu. Havia gente do mundo todo e também muitos escoceses. Eles são muito amistosos e, ao final, todos cantam juntos, dando as mãos cruzadas sobre o corpo.

Aqui termina meu relato sobre a Escócia, com um gostinho de quero mais… Agradeço às dicas do Viaje na Viagem, claro, e também à Celina Martins, do Mala de Rodinha e Nécessaire, que gentilmente respondeu às minhas perguntas, por email.

Muito obrigada pelo relato, Andrea!

Leia mais:

62 comentários

Não acredito que não li esse post na Época. Estava na Costa Amalfitana rs Eu tive um trabalho que me mandou 5 vezes para Edinburgh e 9 vezes a Londres. Lendo o que os leitores escreveram, vejo muita coisa que fiz com dica dos amigos escoceses. Na primeira vez um deles me levou na Glenfidich – amo o whisky deles desde então. Em Edimbrá (e eu nunca mais não consegui falar como os ingleses rs) a visita do Castelo é show e subir a Montanha onde fica a Coluna de Nelson é fácil e tem outra vista linda – vc chega a ver o navio do exército que fica lá parado e o castelo de Verão da Rainha. No caminho, eu visitava Newcastle que alguém comentou que não achou nada demais mas é una cidade agradável com um passeio à beira do rio onde a vida inglesa pulsa. Tenho lembrança inesquecivel de quando levei brasileiros lá para visitar universidades britânicas e bebemos vinho vendo a vida passar. Eu ia a Aberdeen também cidade cinza e de pedras onde haviam mais igrejas do que pubs então uma igreja virou pub rs Dundee foi onde eu comi o melhor salmão defumado da vida e onde senti o maior frio com vento cortante nas ruínas de um Castelo. Só não consegui ir a Inverness pq não estava de férias – fica para o desejo ao ler esse post.

amei seu relato. em 2017 estibe em edimburgo mas nao fui as terras altas. irei agora em setembro. seguirei todas as suas dicas. vou viaja r na sua viagem. obrigada

Adorei a dica- mas uma pena que já fiz com a agência de turismo porque é primeira vez e fiquei com medo , mas fiquei morrendo de vontade de ir para inverness- que não está no meu pacote. Mas irei aproveitar o máximo possível. Go to Scotland.

Excelente roteiro!! Fiz uma viagem agora em abril e segui tudo ao pé da letra, só a ordem das cidades que mudou um pouco. Fiz Londres, Dublin, Edimburgo, Inverness e Oban.
Os hotéis recomendados no post não existem mais, mas em Inverness fiquei em um hotel que era uma casa de 1578, um charme e com preço bem ok, a cidade é uma graça e vale muito a pena visita-la, só fiquei com dó porque não fui até as pedras Lallybroch.
Oban é lindíssimo, vale a pena ficar uns 3 dias, eu só fiquei 2, mas teria ficado mais 1 dia com o maior prazer, fiz uma refeição em um dos restaurantes que a Andréa recomenda, é super fácil de achar e uma delícia.
Em Oban fiquei em um hotel chamado Alexandra Mutu – com um visual maravilhoso, vale a pena.
Fui de trem de Edimburgo para Inverness, viagem tranquila e com um visual bem bonito, depois fui de ônibus para Oban e peguei um trem de Oban para Glasgow e de lá um avião para Londres.
Voltei apaixonada pela região de Highlands e quero voltar lá mais vezes, é tudo simplesmente maravilhoso.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.