Toscana sem carro: 5 bate-voltas de trem ou ônibus, saindo de Florença

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

San Gimignano

Há duas maneiras, proveitosas e complementares, de explorar a Toscana.

Quer passear a esmo pelas estradinhas dos vales, subindo aos vilarejos encarapitados nas colinas? Alugue um carro e monte base perto de Siena (de preferência, fora da cidade).

Quer explorar as cidades maiores sem se preocupar com estacionamento, zonas de tráfego restrito e quantidade de taças de vinho no almoço? Então passe um tempinho em Florença e aproveite o que pode ser visitado por trem e ônibus.


View Florença: bate-voltas de trem e ônibus in a larger map

--> SIENA, de ônibus

Siena

As cidades muradas do sul da Toscana são mal servidas por trem. As linhas são lentas; os horários, espaçados; e as estações normalmente ficam longe do centro (o que é natural: uma estação de trem no meio de um centro histórico medieval desfiguraria a cidade). Siena não escapa à regra. E a ligação a Florença por uma auto-estrada rápida faz com o ônibus seja uma opção bem mais interessante do que o trem.

Vale a pena comprar um Opa Si Pass, que dá direito a visitar o Duomo e a usufruir das vistas do Museo dell'Opera sem enfrentar filas. Perca-se pela cidade; pegue uma mesa num bar do Campo e imagine a praça num dia de Palio; escolha uma osteria para experimentar comida senese (eu adorei o pici -- macarrão toscano sem ovos -- com ragu de porco da osteria Il Campaccio).

Os ônibus fazem o trajeto em 1h15. Cada perna custa € 7,10. O último ônibus sai de Siena às 20h15. Veja os horários aqui.

--> PISA & LUCCA, de trem

Pisa

Nenhuma visita a Florença é completa sem o bate-volta regulamentar a Pisa. A viagem é facílima de fazer por conta própria. Os trens rápidos à estação Pisa Centrale levam apenas uma hora; de lá você sai caminhando (menos de meia hora), pega um ônibus (LAM Rossa ou Linha 4) ou um táxi (menos de 10 euros). Viajando com o trem regional, você leva um pouco mais tempo (1h30) mas salta na estação Pisa San Rossore, que está a cinco minutos de caminhada da Torre.

Subir na Torre não é essencial, mas se você tem intenção de sentir a tonturinha de rodopiar pelos anéis superiores do monumento, compre seu ingresso com hora marcada pelo site da Opapisa com 45 a 15 dias de antecedência. Leia mais aqui.

A visita à Torre de Pisa é facilmente combinável com uma escapada à cidade murada de Lucca, que fica apenas 20 minutos adiante, tomando o trem na estação Pisa San Rossore. A estação de Lucca fica próxima a uma das portas de entrada da cidade antiga (basta atravessar a rua). O barato ali é alugar uma bicicleta e usar a magrela para dar a volta nas muralhas.

A volta de trem a Florença leva 1h20.

Os preços das passagens são camaradíssimas. Florença-Pisa sai € 7,10; Pisa San Rossore-Lucca,  € 3; e Lucca-Florença, € 6,40. Não é preciso comprar as passagens com antecedência.

--> SAN GIMIGNANO, de trem + ônibus (com ou sem Pisa)

San Gimignano

San Gimignano, com suas torres altíssimas (é a Manhattan medieval da Toscana), está no topo da lista de desejos de quem vai a Florença. É uma cidade mais facilmente visitável de carro -- num passeio em que dá para combinar com Volterra, ou então com Colle di Val d'Elsa e Monteriggioni.

A viagem de transporte público também é perfeitamente factível; o único perrengue é ter que fazer baldeação em Poggibonsi, a 12 km da cidade murada. Você sai de Florença de trem ou ônibus (os trens são mais freqüentes) e em uma hora chega a Poggibonsi; lá pega um ônibus que leva mais 25 minutos a San Gigmignano. Um táxi leva 10 minutinhos.

Em San Gimignano, aproveite que não está dirigindo e tome uma taça de Vernaccia, o ótimo vinho branco local. Querendo ir no dia mais colorido, vá na quinta-feira, quando acontece o mercado na Piazza del Duomo (de manhã, claro!).

A passagem de trem Florença-Poggibonsi sai € 6,40; o ônibus Poggibonsi-San Gimignano,  €  3,20. O percurso inteiro de ônibus (Florença-Poggibonsi-San Gimignano) custa € 6,80; simule horários aqui. Se preferir o táxi entre Poggibonsi e San Gimignano, espere pagar € 20 em cada direção.

Quem estiver muito, mas muito apertado de tempo pode combinar San Gimignano com Pisa. A viagem leva 1h30, com baldeação em Empoli. A passagem desde Poggibonsi custa € 7,10. De Pisa você volta a Florença em uma hora. Leia mais sobre a Torre aqui.

Não é necessário comprar as passagens antecipadamente.

--> CORTONA, de trem (com Arezzo, se quiser)

Cortona

Sair de Florença para passar o dia no cenário dos livros de Frances Mayes não é nada complicado. O trem leva em 1h20 até a estação Camucia, que por sua vez está a 10 minutinhos de ônibus colina acima até a entrada da cidade.

Quanto mais cedo você chegar, melhor: Cortona é mais encantadora quando ainda está vazia de turistas. Explore depois o interior das igrejas ou pegue o mapinha no posto de informações turísticas e faça uma pequena escalada até Bramasole, a casa-personagem da sra. Mayes (a propósito: dizem que ela praticamente não fica mais lá; a família comprou uma segunda casa, Fonte delle Foglie, ali perto).

Caso dê Cortona por vista, você pode aproveitar a volta para dar uma passada em Arezzo, que oferece um contraste interessante, por ser maiorzinha e menos voltada para o turismo. Caso você programe esta parada com antecedência, não deixe de marcar hora para ver os afrescos de Piero della Francesca na Basílica de São Francisco (reserve aqui).

Leia mais sobre Cortona e Arezzo aqui.

Arezzo está a 18 minutos de trem de Camucia e a 1h de Florença.

O percurso completo Florença-Arezzo-Cortona, com ou sem parada em Arezzo, sai € 8,90 em cada sentido. Não é necessário comprar antecipadamente.

--> ASSIS, de trem

Assis

A duas horas e meia de trem, Assis é o menos confortável dos bate-voltas desde Florença. Provavelmente você passará mais tempo no deslocamento (cinco horas no total) do que na cidade de São Francisco. Mas para muitos visitantes isto é mais do que uma viagem: é uma peregrinação.

A estação fica fora da cidade, mas é ligada ao centro por um ônibus freqüente. A Basílica de São Francisco abre diariamente até as 19h; mas no domingo de manhã permite-se apenas a entrada de quem quer assistir à missa.

A bela cidade de Perugia fica no caminho, a apenas 20 minutos de trem. Num bate-volta desde Florença, porém, vai ser difícil sobrar tempo para visitar as duas. (Estando de carro, com base em Siena, o passeio combinado fica mais factível.)

A passagem de trem entre Florença e Assis sai € 11,85 em cada direção. Não é preciso comprar antecipadamente.

Leia também:

Pisa: como chegar, como subir, com o que combinar

Toscana de carro: um dia pelo Val d'Orcia

Toscana de carro: um dia entre Cortona e Arezzo

Toscana de carro: um dia entre San Gimignano e Volterra

Toscana de carro: os outlets Valdichiana e Prada

Cinque Terre num dia: de trem, a pé e de barco

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email

656 comentários

Atenção: perguntas que já estejam respondidas no texto e comentários ofensivos ou em maiúsculas serão deletados.

Cancelar
moises vitorino

Estou indo para Roma no final de Fevereiro, irei ficar de Sexta a Quinta ( regresso a Lisboa ), neste caso terei Sab / Dom / Seg / Ter / Qua, livres para aproveitar talvez bate-volta para conhecer algumas cidades e retornando para dormir sempre em Roma, o que poderia sugerir???

Grato

Antonio Rodrigues Henriques

Ja fui de Firenze a Lucca. `E extraordinario. `E muita arte. Os Italianos devem sentir muito orgulho pelo seu patrimonio. Parabens.