San Gimignano

Toscana de carro: San Gimignano, Volterra e Vale do Elsa

San Gigmignano

San Gimignano (diga: Djiminháno) está no topo da lista de lugares incontornáveis de quem vai à Toscana. Dá para chegar de trem e ônibus. De carro, porém, San Gimignano fica fácil de combinar com outras cidades do Vale do Elsa, como Monteriggioni e Colle di Val d’Elsa, e também com Volterra, que é a dobradinha mais usual.

Mas veja bem: o roteiro completo, de quatro cidades, só funciona para os mais irrequietos, e que pulem da cama cedo. E façam o roteiro entre maio e setembro, quando há mais horas de luz solar. A dupla San Gimignano + Volterra toma fácil o dia inteiro. Se for fazer o tour completo, pense em Monteriggioni e em Colle apenas como paradas para esticar as pernas e enriquecer o álbum do seu Facebook.

Ah, sim: é possível também combinar San Gimignano com um passeio pelo Chianti. A Chiantigiana é a estrada que ziguezagueia pela região.

Sair de Siena ou de Florença?

A minha receita de Toscana ideal, para quem tem de 7 a 10 dias para investir na região, é dividir a estada em duas bases.

Começando em Florença

Uns dias em Florença, para curtir a cidade e fazer bate-voltas de trem e ônibus – a Pisa, Lucca e Assis e mais. Sair Florença para rodar a Toscana de carro aumenta só meia horinha no trajeto de ida e outra meia horinha no de volta (em comparação com sair de Siena) No caso das visitas a San Gimignano e a Volterra. O trânsito em volta da cidade chateia mas não inviabiliza o passeio.

O resto da temporada pode ser passado num hotel ou agriturismo nas cercanias de Siena (como o Laticastelli, onde fiquei e recomendo).

O circuito saindo de Siena

Começando em Siena

Siena está mais bem localizada para fazer os passeios panorâmicos de carro. Saindo de Siena (F, no mapa), o percurso total dá 125 km (tempo total de estrada estimado pelo Google Maps: 2h40).

Recomendo ir primeiro a Monteriggioni (B, 17 km), de lá a San Gimignano (C, 23 km), prosseguindo a Volterra (D, 30 km) e dando uma paradinha final em Colle di Val d’Elsa (E, 28 km). De volta a Siena (F) são mais 27 km.

O circuito saindo de Florença

Saindo de Florença (F, no mapa), o percurso total é de 175 km (3h15 de estrada, segundo o Google Maps). De lá eu iria direto a San Gimignano (B, 52 km), seguiria a Volterra (C, 30 km), passaria por Colle (D, 28 km) e Monteriggioni (E 12 km). A volta, direto pela autopista, dá 55 km (F).

Toscana de carro: Monteriggioni

Visível da auto-estrada entre Siena e Florença, Monteriggioni só perde em encanto para as do Val d’Orcia justamente por estar assim tão devassada para quem passa em alta velocidade. Uma vez dentro do borgo, porém, você esquece do asfalto. A muralha, perfeitamente circular, é das mais bem-preservadas da Itália. Há inclusive jardins, que na Idade Média foram usados como horta durante sítios à cidade.

val dorcia pienza

Toscana de carro: San Gimignano

San Gimignano

É a Manhattan italiana — nenhuma outra cidade construiu e conservou tantas torres. Erigidas pelas famílias ricas durante tempos particularmente prósperos na Idade Média, as torres de San Gimignano chegaram a ser 72. Destas, restaram catorze (as outras foram destruídas durante batalhas), que formam o skyline mais famoso da Itália.

San Gigminano


A cidade vale pela arquitetura, mas fica devendo em ambiente; por ser tão visitada, San Gimignano é demasiadamente voltada ao turismo, dando pouco a perceber de vida local. O lugar é imperdível, mas vai por mim: acho que você vai curtir mais a próxima parada, Volterra.

Toscana de carro: Volterra

Volterra


Mesmo que a cidade não fosse tão bonita, a ida a Volterra já se pagaria pelo caminho. As estradinhas são as mais bonitas que você vai encontrar nessa latitude toscana. As auto-estradas passam longe, e você naturalmente entra no clima slow travel.

Estrada de San Gimignano a Volterra

Volterra não tem a fama de San Gimignano, mas tem mais substância. Em vez de torres, oferece bons museus, como o Guarnacci, dedicado a tesouros etruscos, e a Pinacoteca. Vale a pena entrar na Catedral.

Volterrra

Um bom plano: chegar, almoçar, e então fazer a digestão batendo perna pela cidade.

Volterra

Arezzo

Toscana de carro: Colle di Val d’Elsa

Colle di Val d'Elsa

É fácil desdenhar Colle di Val d’Elsa: da estrada, a cidade é feiosa. Entrando, a coisa não melhora muito — você passa por um arrabalde industrial e chega a um centrinho insosso. Não desista: o que vale a pena ver está escondido acima do seu nariz: a cidade murada fica no alto da colina, e é originalíssima.

Colle di Val d'ElsaColle di Val d'ElsaColle di Val d'Elsa

A Colle di Val d’Elsa que você não percebe dali de baixo é um borgo comprido, cortado praticamente por uma rua só. Não, você não pode entrar com o seu carro por ali; só os moradores. Use um dos estacionamentos do lado de fora da muralha e dê uma passeadinha.

Por estar tão perto da auto-estrada Siena-Florença, Colle di Val d’Elsa rende também uma boa base para explorar a Toscana de carro.

Esta viagem teve o apoio de Pestana, Pousadas de Portugal, Accor, Mobility e Mondial.

Leia mais:


toscana montepulciano

Passagens mais baratas para Florença no Kayak

Encontre seu hotel em Florença no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Allianz Travel

Alugue carro em Florença na Rentcars em até 12x e sem IOF

Passeios e excursões em Florença com a Viator

Garanta ingressos para atrações em Florença com a Musement

392 comentários

Olá, qual festa medieval vc indicaria : Valterra ou Sangimignano? A partir daí fica perto ir a Valdorcia? Obrigada 😊

    Olá, Tayeda! Volterra e San Gigmignano são vizinhas, a distância ao Val d’Orcia é a mesma.

Olá! Me disseram que é p evitar San Gimignano aos domingos pq tem uma feira enorme na praça principal que tira toda a beleza do lugar. Essa informação procede?

    Olá, Mônica! Mercados dificilmente tiram a beleza de um lugar — apenas atraem mais gente. Em San Gimignano só seria um problema se ocupasse a cidade inteira e os toldos das barraquinhas impedissem a visão das torres. De todo modo, o dia de mercado na cidade é quinta-feira. Você pode googlar a vida inteira “sunday market san gimignano” ou “mercato domenica san gimignano” e não retornará nenhum resultado.

Ótimas dicas! Três perguntas: como é a Toscana em fevereiro? E em fevereiro faz sentido fixar base somente em Florença e de lá fazer os bate-voltas? Ou nessa época seria mais recomendável outra região da Itália? Muito obrigado

    Olá, Dionisio! Fevereiro estará frio, e as cidades menores, como as do Val d’Orcia, vão estar hibernando. Mas as cidades grandes (Florença, Pisa, Siena, Arezzo) e de porte médio (Lucca, Cortona, San Gimignano) estarão funcionando.

Olá, Boia! Vou fixar base em Florença nos primeiros dias de outubro, e realizar alguns bate-voltas: um dia para Pisa/Lucca; um dia para Siena; um dia para San Gimignano. Mas, pelo, que andei lendo, um dia inteiro é muito em San Gimignano, e achei esse post de vocês dando opção de combinar com outras cidades. Será que dá para conhecer Volterra em apenas um turno, depois de San Gimignano?
Também vi nos comentários que fica um pouco difícil ir de transporte público de San Gimignano para Volterra. Você indica mais contratar um tour para esse dia, já que precisa de carteira internacional para dirigir na Itália? Até porque vi os horários de partida dos ônibus, e, saindo de 12h27 de San Gimignano, só chega em Volterra às 15h35. Penso se ainda teremos tempo suficiente antes de escurecer…
O que você sugere?

    Olá, Renata! A carteira internacional não é necessária para alugar o carro. Apenas se você for parado pela polícia na estrada, ter a carteira pode poupar problemas. Entrar e sair de Florença de carro é complicado, você pode receber multas por trafegar em zona de tráfego limitado, e vai perder pelo menos uma hora do seu dia no processo de retirada do carro, além de ter que voltar antes do fechamento da agência da locadora no centro para não ter que pagar estacionamento à noite. (A alternativa é alugar/devolver no aeroporto, o que também faz incorrer em custos de transporte.) Nosso parceiro Viator vende um tour para as duas cidades saindo de Florença.

Existe algum mapa que identifique a zona de tráfego limitado a moradores em Florença? É que eu vi que tem uma rua onde se concentram boa parte das maiores locadoras (Via Borgo Ognissanti, mais perto da estação SMN), então imagino que ali seja possível pegar e devolver o carro… Ou devo ir pegar o carro no aeroporto mesmo?

    Olá, Sara! Não há sinalização clara. As locadoras ficam numa rua que obviamente não é zona de tráfego limitada, e têm uma saída segura. O problema é voltar e acertar a rota livre de multas. O mais seguro é pegar e devolver no aeroporto.

Olá, Bóia! Dá um pitaco aí no meu roteiro:
Dia 1: Chegaremos a Florença às 18:05, no trem que vem de Veneza (termos 3 dias em Veneza). Alugaremos um carro e sairemos imediatamente para dormir na Toscana.
Dia 2: Arezzo e Cortona
Dia 3: Val d’Orcia: Montepulciano, Pienza, San Quirico d’Orcia e Bagno Vignoni
Dia 4: Montalcino e Siena
Dia 5: San Giminiano e Volterra (com uma passadinha em Monteriggioni, se der tempo)
Dia 6: Região do Chianti. Entregamos o carro e dormimos em Florença
Dia 7: Florença
Dia 8: Florença
Dia 9: Florença até o meio da tarde e saída para Roma de trem.
Temos mais uns dias em Roma antes de voltar.

Vale a pena tirar a região do Chianti e colocar mais um dia para explorar o Vald’Orcia? Ou para Assis e Perúgia? Esse roteiro tá apertado demais?
Dá um pitaco aí! Obrigada!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.