Onde ficar em Nova York: hotéis nas melhores regiões

Central Park

Eu costumo dizer que não há localização ruim em Manhattan (a ilha que convencionamos chamar de Nova York, e que não inclui Brooklyn, Queens, Bronx ou Long Island). Na ilha, de um modo geral, onde tem hotel, dá para ficar. Eu só evitaria hotéis acima da rua 90 — a não ser que você esteja interessado em turismo antropológico no Harlem.


View Nova York: hotéis bem localizados in a larger map

De todo modo, você não ficará preso à região onde estiver hospedado, já que necessariamente vai precisar zanzar de metrô ou táxi (e também a pé, claro) para cobrir tudo o que vai querer ver. Mas dependendo do seu estilo ou do que você planeja fazer na cidade, dá para escolher uma região onde você vai ser mais feliz — sobretudo à noite, quando é mais chato voltar de longe.


Como ponto de partida para a sua escolha de hotel, dá para dividir Manhattan em duas regiões distintas: Midtown, onde mora a Nova York que temos na cabeça (os luminosos da Times Square, o trecho dos teatros da Broadway, a parte mais chique da 5a. Avenida, e ainda o Central Park e os museus, que tecnicamente já estão em Uptown); e Downtown, a parte sul da ilha, um pouco menos turística (mas onde há bairros divertidos como Chelsea, Meatpacking District, East Village, Soho, Lower East Side, além de estar a um pulinho de Williamsburg, o pedaço mais gostoso do Brooklyn).

MIDTOWN

Times Square

–> PRÓXIMO AO CENTRAL PARK

É bom porque: você estará na fronteira com Uptown, onde estão Central Park, os melhores museus da cidade e os espetáculos do Lincoln Center. Vai também poder ir a pé à Broadway e fazer caminhadas pela região do comércio chique e lojas de departamento (5a. avenida, rua 57, Madison, Lexington), e também à Times Square. É imbatível para quem é rato de museu: dá para ir a um por dia, depois do café, num excelente aproveitamento para suas manhãs. Também é gostoso andar pelas áreas residenciais dos dois lados do parque — o Upper East Side e o Upper West Side.

Pegadinha: se você não faz jogging, não supervalorize a proximidade do Central Park. Numa estada de uma semana, é improvável que você vá mais de duas vezes ao parque. A melhor vista — para quem não cacifou um hotel de frente para o parque — é a do mirante Top of the Rock, aberto para quem está hospedado em qualquer região da cidade…

.

Onde ficar: o Hudson (58 entre 8a. e 9a.) compensa os quartos minúsculos com um ambiente divertido (tanto no bar do lobby, que vira balada, quanto no do terraço) e com a proximidade da estação Columbus Circle do metrô, que é conveniente para todos os cantos da cidade (linhas 1, A, B, C, D). O AKA Central Park fica numa quadra mais chique (58 entre 5a. e 6a.) e tem cozinha no quarto, ótimo para quem quer fazer o café em casa. Já no comecinho do Upper West Side, o Empire (63 entre Broadway e Columbus) é recém-reformado, badaladinho e está a meia quadra do parque (e do Lincoln Center). Quer se hospedar na cara do gol? Reserve um apartamento com vista no JW Marriott Essex House (Central Park South, entre 6a. e 7a.). Com orçamento mais limitado, considere o Park Central (7a. entre 55 e 56), que tem quartos grandes e está a meia quadra da Carnegie Deli; o Salisbury (57 entre 6a. e 7a.), um hotel antigo que tem muitos fãs entre os leitores; ou o básico Holiday Inn Midtown (57 entre 9a. e 10a.).

–> ENTRE CENTRAL PARK E TIMES SQUARE

É bom porque: você está a meio caminho entre os dois ícones mais poderosos da cidade. A Broadway e o trecho mais emblemático da 5a. Avenida também estarão à mão.

Pegadinha: não é uma região residencial, então não conte em achar estrutura “de bairro”.

.

Onde ficar: o trecho é habitado por hotéis de redes que você conhece, como o Sheraton (na 7a. com 53), o Hilton New York (6a. com 53, próximo ao Rockefeller Center) e o Novotel Times Square (52 quase Broadway). Os leitores elogiam bastante o Flatotel (52 entre 6a. e 7a.). Nas cercanias do Rockefeller Center, considere o Club Quarters opposite Rockefeller Center (51 entre 5a. e 6a.), o The Jewell facing Rockeffeler Center (51 entre 5a. e 6a.) e o Michelangelo (51 esquina 7a.). Mais para o oeste, confira os preços do Hampton Inn Times Square North (8a. esquina 51; café da manhã incluído).

–> MIDTOWN EAST

É bom porque: você estará numa região bastante central da ilha, mas fora da muvuca overturística da Times Square. A Lexington e a Madison oferecem compras de alto nível, o MoMA está por ali e na região entre a 2a. e 3a. Avenidas você vai encontrar muitos restaurantes simpáticos.

Pegadinha: talvez você sinta falta de néons; e a Broadway fica na outra direção.


View Hotéis em Midtown East in a larger map

.

Onde ficar: um campeão de recomendações é o Affinia 50 (50 entre Lexington e 3a.), com apartamentos com cozinha equipada e a uma quadra do metrô. Outro achado dos leitores é o Carvi (55 entre Lexington e 3a.), que tem decoração moderna e algo muito valorizado: atendimento em português do Brasil. O darling dos moderninhos é o Pod Hotel (51 entre 3a. e 2a.), que tem quartos minúsculos, alguns com beliches e sem banheiro no quarto, outros com cama de casal e banheiro; mas a freqüência é descolada e a região é gostosa à noite. Para famílias, o Doubletree by Hilton Metropolitan (51 com Lexington) vale por ter muitos quartos com duas camas grandes.

–> TIMES SQUARE E ARREDORES

É bom porque: você se sente dentro do cartão-postal. A Broadway estará na porta; o Central Park, a quinze minutinhos de caminhada.

Pegadinha: tudo é bastante voltado para o turista; é difícil encontrar lugares autênticos e restaurantes interessantes nesse miolão.

.

Onde ficar: querendo ter os luminosos da Times Square como sua primeira visão ao sair do hotel, pense no Marriott Marquis (Broadway com 45), no W New York Times Square (Broadway com 47), no Crowne Plaza (Broadway entre 48 e 49), no Renaissance (7a. entre 47 e 48) e no Doubletree Suites by Hilton Times Square (7a. com 47; todos os apartamentos são suítes com sofá-cama na saleta).

Gosto de cinco hotéis moderninhos a meia quadra da neonlândia: o espanhol Room Mate Grace (45 entre 7a. e 6a.), o pretinho básico Night (45 entre 7a. e 6a.) e os estilosos The Muse (46 entre 7a. e 6a.), Stay (47 entre 7a. e 6a.) e Time (48 quase Broadway).

Procurando pechinchas no olho do furacão, pense no vovô Edison (47 quase Broadway; os quartos são grandes mas só os “signature” são renovados — os outros continuam antigões), no moderno-vintage Paramount (46 entre 7a. e 8a.; quartos apertadíssimos, mas com visual Philippe Starck) ou no grandalhão Milford Plaza (8a. entre 44 e 45; quartos recém-reformados, mas prédio ainda em reforma). Quer Times Square na porta + cozinha equipada? Reserve com antecedência o Radio City Apartments (49 entre 7a. e 6a.).

Alargando um pouco o raio, são boas opções o Hilton Garden Inn Times Square (8a. entre 48 e 49; café da manhã incluído), o Hilton Times Square (42 entre 7a. e 8a.) e o Holiday Inn Express Fifth Avenue (45 entre 6a. e 5a.; café da manhã incluído). Se a sua vontade de ficar perto da Times Square for muitíssimo maior do que o seu orçamento, dê uma olhadinha no preço do simplório EconoLodge Times Square (47 entre 8a. e 9a.; café da manhã incluído).

Caso a vizinhança da rodoviária Port Authority não corte o seu barato (a propósito: é de lá que saem os ônibus para Woodbury), por ali há uma série de hotéis com bom custo x benefício a considerar: Staybridges Times Square (40 entre 8a. e 9a.; cozinha equipada, café da manhã incluído), Fairfield Inn by Marriott Times Square (40 entre 8a. e 9a.; café da manhã incluído); Candlewood Suites Times Square (39 entre 8a. e 9a., cozinha no quarto), Hampton Inn Manhattan Times Square South (39 entre 8a. e 9a., café da manhã incluído) e Comfort Inn Times Square South Area (39 entre 8a. e 9a., café da manhã incluído). A área também tem dois hotéis de estilo básico-contemporâneo a preços abordáveis, bastante elogiados: o Distrikt (40 entre 8a. e 9a.) e o Element (39 entre 8a. e 9a.).

Para terminar este tópico, já meio fora da área de influência da Times Square, mas ainda assim perto, há um enclave de hotéis chiques na rua 44 entre 5a. e 6a. avenidas: o legendário Algonquin, o starckiano clássico Royalton e o confortável Sofitel.

–> HELL’S KITCHEN

É bom porque: é a área mais descolada nas proximidades da Times Square. Você estará perto do coração turístico de Nova York mas não se sentirá tão turistão assim. A região está desbancando Chelsea como o novo epicentro da vida gay em Manhattan. A 9a. Avenida, entre as ruas 45 e 42, é ótima para escolher restaurantes despretensiosos e bons.

Pegadinha: a região é mal-encarada, sobretudo à noite; mas não há perigo.


View Hotéis em Hell’s Kitchen in a larger map

.

Onde ficar: num ponto mais careta do bairro, bastante perto da zona de restaurantes da 9a. Avenida, o 414 Hotel (46 entre 9a. e 10a.) faz o gênero boutique. Na parte mais erma ficam justamente duas novidades de maior sucesso: o básico-badalado Yotel (10a. entre 41 e 42), de quartos ultracompactos e bar do terraço fervidíssimo, e o assumido The Out NYC (42 entre 10a. e 11a.), o primeiro grande hotel gay de Nova York, com projeto charmoso (bar no terraço, jardim interno, spa) e quartos confortáveis (incluindo uma ala de quádruplos, com beliches e banheiro privativo).

–> PENN STATION & GARMENT DISTRICT

É bom porque: as diárias costumam ser menos caras do que mais acima. Você estará meio que na fronteira entre Midtown e Downtown. É prático para vir dos aeroportos JFK e Newark de trem, descendo na Penn Station, e para repetidas compras na rua 34, que concentra todas as lojas que você procura (capitaneadas pela Macy’s).

Pegadinha: a região não é propriamente charmosa, mas não consigo pensar em outros inconvenientes, não.

.

Onde ficar: a vantagem do notório Pennsylvania (7a. entre 32 e 33) é estar exatamente em frente à Penn Station, mas é preciso ser muito desencanado para não achar o lugar deprê. Nas redondezas da estação eu escolheria o renovado Affinia Manhattan (7a. entre 30 e 31), o básico Holiday Inn Express Madison Square Garden (29 entre 7a. e 8a.; café da manhã incluído), o sólido New Yorker (8a. entre 34 e 35) ou o funcinoal Tryp Times Square South (35 entre 8a. e 9a.), que tem “family rooms” para 4 e 6 pessoas.

Mais perto da Macy’s, a rua 35 entre 5a. e 6a. é point de hotéis básicos, como o Hilton Garden Inn West 35th Street (café da manhã incluído), o Hampton Inn 35th St./Empire State (café da manhã incluído) e o Comfort Inn Manhattan. Na 32 entre Broadway e 5a., considere dois hotéis bem resenhados: o Radisson Martinique e o NYMA (este, no meio de Korea Town).

Um pouco mais ao sul encontram-se alguns hotéis que se intitulam “Chelsea” sem estar realmente no bairro. Caso ofereçam bom preço, porém, não devem ser desdenhados: Doubletree by Hilton Chelsea (29 entre 6a. e 7a., com muitos quartos com duas camas grandes), Hilton Garden Inn Chelsea (28 entre 6a. e 7a.; café da manhã incluído), Fairfield Inn & Suites by Marriott Chelsea (28 entre 6a. e 7a.; café da manhã incluído) e Indigo Chelsea (28 entre 6a. e 7a.). Um dos hotéis mais hypados do momento em Nova York fica por ali: o Ace Hotel (29 entre Broadway e 5a.), que tem quartos pequenos, um bar bombado e também funciona como hostel.

DOWNTOWN

Chelsea

–> CHELSEA

É bom porque: oficialmente, você ainda estará em Midtown (já que o Downtown só começa na rua 14), mas o astral já é de do sul da ilha. O comércio e os restaurantes têm personalidade e não parecem estar ali em função dos turistas. O High Line Park acompanha o bairro até o Meatpacking District. O trecho entre a 7a. e a 9a. avenidas tem um grande contigente de moradores gays.

Pegadinha: a região é mais cult do que glamourosa.


View Hotéis em Chelsea in a larger map

.

Onde ficar: os únicos hotéis efetivamente localizados no bairro são o ótimo Gem Hotel Chelsea (22 esquina 8a., novinho, num ponto perfeito; mas evite os quartos menores), o bed and breakfast GLS Colonial Inn (22 entre 8a. e 9a.) e o caidíssimo, mas econômico, Chelsea Savoy (23 esquina 7a., em frente ao Eataly; café da manhã  incluído).

Ligeiramente acima da rua 23, porém, você encontra hotéis confortáveis que podem servir de base, como o Hampton Inn Manhattan Chelsea (24 entre 7a. e 6a.; café da manhã incluído) e o Four Points by Sheraton Manhattan Chelsea (25 entre 7a. e 6a.).

–> MEATPACKING DISTRICT

É bom porque: tem o High Line Park, tem lojas bacanas, tem bons restaurantes, tem balada — e tem metrô na rua 14 para Williamsburg, no Brooklyn. Dá para ir a pé a Chelsea e ao Village.

Pegadinha: a hospedagem é carinha.


View Hotéis no Meatpacking District in a larger map

.

Onde ficar: os vizinhos Maritime (já um pouco rodado) e Dream Downtown (novinho), na 9a. com 16, estão num ponto excelente para curtir tanto Meatpacking quanto Chelsea. A localização mais sexy é a do The Standard, que se ergue por sobre o High Line Park. O primeiro hotel de luxo a repovoar a área foi o metálico Gansevoort (9a. esquina Gansevoort) — mas o mais metido do pedaço é o Soho House New York (9a. esquina 13), onde para se hospedar você precisa primeiro se associar.

Quer se hospedar baratinho no Meatpacking? A saída é um quarto estreito com banheiro compartilhado no The Jane (Jane quase esquina Washington) ou o bed & breakfast Chelsea Pines Inn (14 entre 8a. e 9a.).

–> VILLAGE

É bom porque: tem um charme residencial e alternativo que não foi afetado pela exploração imobiliária ou pela invasão de lojas de rede. A NYU (New York University), instalada no bairro, contribui para esse astral. O West Village é mais elegante, o Greenwich Village, mais alternativo, e o East Village, boêmio.

Pegadinha: há poucos hotéis; é um lugar interessante para alugar apê.


View Hotéis no Village in a larger map

.

Onde ficar: no West Village, perto do Meatpacking, tem o bed & breakfast chique Abingdon House (8a. entre Jane e 12). No coração do Village fica um dos meus hotéis favoritos na cidade, o Washington Square Hotel (Waverly entre 6a. e 5a., na esquina do Washington Square Park; ótimo café da manhã incluído). O East Village tem dois hotéis trabalhados no hype: o novíssimo Standard East Village (Cooper Square quase esquina rua 5) e o The Bowery (Bowery esquina rua 3), que tem um charme retrô e está já na boca do Lower East Side.

–> SOHO

É bom porque: não tem ponto da cidade mais gostoso para caminhar. A densidade demográfica das calçadas é bem menor que a de Midtown, e as vitrines, mais interessantes. Lower East Side, Chinatown, Tribeca e mesmo Meatpacking estão a uma gostosa caminhada de distância.

Pegadinha: o bairro não tem mais aquela vibe de vanguarda de antigamente.


View Hotéis no Soho in a larger map

.

Onde ficar: na última década houve um boom hoteleiro na área. O mais bem localizado é um dos pioneiros: o Mercer (Mercer esquina Prince; para mim, continua o mais charmoso). Ainda no miolo do bairro estão o discreto 60 Thompson (Thompson entre Broome e Spring), o novo The James (Grand entre Thompson e 6a.) e o simpático Soho Grand (West Broadway entre Grand e Canal).

Boa parte dos novos hotéis está a oeste da 6a. Avenida, onde o comércio é mais esparso. Por ali estão o envidraçado Trump Soho (Spring entre 6a. e Varick), o Courtyard by Marriott Manhattan Soho, bom para famílias (Varick entre Charlton e King; alguns quartos têm duas camas grandes); o Four Points by Sheraton Soho Village (Charlton entre Varick e Hudson); e o econômico Hampton Inn Manhattan Soho (Watts entre 6a. e Varick; café da manhã incluído).

–> NOLITA, CHINATOWN & LOWER EAST SIDE

É bom porque: Nolita mantém o charme do Soho de antigamente, enquanto o Lower East Side ainda está em processo de aburguesamento. Já Chinatown… bem, tem bons preços.

Pegadinha: Chinatown morre completamente à noite, e 90% dos restaurantes de Little Italy são tão fajutos quanto os perfumes vendidos na Canal Street.

.

Onde ficar: A localização mais interessante da região é a do Nolitan (Kennmare esquina Elizabeth; café da manhã incluído). Já o grifado Mondrian Soho (Crosby entre Howard e Grand) fica numa zona cinza entre Little Italy e Chinatown — assim como o modesto Solita (Grand entre Lafayette e Centre). Em Chinatown o Best Western Bowery Hanbee (Grand quase Bowery; café da manhã incluído) está no caminho da noite da Bowery e do LES; já o Holiday Inn Soho (Lafayette entre Howard e Canal), o Azure (Lafayette esquina Canal) e o Tribeca Blu (Canal entre Lafayette e Broadway), estão pertinho de Tribeca.

No Lower East Side, os mais tchãs são o Thompson LES (Allen entre Houston e Stanton) e o Hotel on Rivington (Rivington entre Ludlow e Essex). Boas opções intermediárias: o Gem Soho (E Houston entre Forsyth e Eldridge) e o Off Soho Suites (Rivington entre Chrystie e Bowery). Alternativa baratinha: Comfort Inn Lower East Side (Ludlow entre Rivington e Stanton; café da manhã incluído).

–> TRIBECA & FINANCIAL DISTRICT

É bom porque: a ponta sul da ilha tem um ritmo e oferece uma perspectiva diferente do resto da ilha. Os preços de hospedagem ficam camaradas no fim de semana no Financial District.

Pegadinha: não espere o clima de bairro de Chelsea ou do Village nem o comércio atraente do Soho.

.

Onde ficar: em Tribeca, o Tribeca Grand (6a. entre White e Walker) e o Hilton Garden Inn Tribeca (6a. entre Ericsson e Laigh) ficam coladinho no Soho; o Smyth (West Broadway entre Warren e Chambers) tem a grife Thompson e o Cosmopolitan (West Broadway entre Chambers e Reade) é uma opção com bom custo x benefício para quem curte um hotelzinho de estilo europeu.

No Financial District, procure por promoções de fim de semana em cinco estrelas como o Ritz-Carlton Battery Park (West esquina Battery Place) e o Andaz Wall Street (Wall entre Water e Pearl).

Leia mais:

Página-guia de Nova York no Viaje na Viagem

Nova York: terra, água e ar

Nova York: um dia em Williamsburg, no Brooklyn

100 hotéis em Nova York comentados pelos leitores

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


424 comentários para “Onde ficar em Nova York: hotéis nas melhores regiões”

  1. Olá, Bóia.

    Primeiramente, parabéns por disponibilizar aqui tantas informações.
    Estarei em férias ainda este mês e – acredite – nem sei onde vou ficar em NY!! Os preços estão muito altos. Por isso, numa situação dessas, gostaria de saber onde poderia me hospedar, considerando:
    - Quero fazer compras;
    - Higiene;
    - Não precisa ser perto da área comercialmente ‘quente’, mas que eu não precise pegar várias conduções (um ônibus e um metrô, por aí, mesmo que demore pra chegar, terei 12 dias lá);
    - Que haja transporte próximo do hotel, mesmo que não seja metrô;
    - Que não seja um bairro meio ‘ruim’, barra pesada (tipo zona leste de São Paulo onde eu moro.. rsrs);
    - Não curto balada.

    Como os preços variam conforme o período, estou tendo dificuldades em encontrar algo ‘viável’, por exemplo, uns U$200 a diária…
    Agradeço muito pela sua ajuda.

    1. Olá, Edu! Infelizmente você só encontrará tarifas de US$ 200 em Manhattan entre janeiro e março. Querendo pagar esse valor em outras épocas, ou você reserva um hotel com banheiro compartilhado ou se hospeda em Long Island City (Queens) ou Jersey City.

      Para fazer compras, economizando na hospedagem, recomendamos Orlando ou Miami (hospedando-se na região de Doral, longe da praia).

    2. Realmente $200 fica dificil.
      Tente sites como Priceline(”Express Deal”) ou Hotwire, onde pode encontrar alguma “barbada”com hotel 3 estrelas, mas só saberá o nome depois. Vc pode limitar regiões e vê a avaliação media do hotel.
      Tem a opção de dar lance e ver se algum hotel banca.
      Outra opção é o Air BnB, onde vc pode alugar um quarto fora da Ilha a um preço melhor(ainda mais negociando desconto para 12 dias). Acho melhor que albergue.

  2. Vcs acham a região de Murray Hill, onde está o Pod 39, ruim?

    1. Olá, Bia! Murray Hill é um bairro interessante entre Midtown e Downtown. Fica à altura da rua 30, no lado leste. É para quem curte a vibe Downtown.

      1. Obrigada. Procurei pelo Pod 39 aqui no site, mas não achei depoimentos. Reservei por lá e queria mais infos.

        1. Olá, Bia! Temos a opinião de uma leitora aqui:
          http://www.viajenaviagem.com/2012/11/como-escolher-hotel-nova-york/comment-page-1/#comment-248697

          Você pode ler mais depoimentos de ex-hóspedes do Pod 39 no Booking.

          1. Valeu!
            qdo retornar volto pra deixar minha opinião e contribuir com os leitores. Mto obrigada!

  3. Pessoa, boa tarde!!!

    Estou indo a NYC em agosto e tô pensando em ficar no Z Hotel, no Queens. O que acham dessa região? É verdade que após às 23hs os táxias não cruzam mais a ponte para essa região? Obrigada!

    1. Olá, Thayene! Apesar de o hotel ter pinta de ser bacanão, insistimos em dizer que ir para Nova York e não ficar em Manhattan, principalmente sendo uma primeira vez na cidade, não é o ideal.

      Apesar de não gostarem, os taxistas não podem negar uma corrida se você já estiver dentro do táxi. O trajeto irá te custar mais ou menos uns 20 dólares de Manhattan até Long Island City (Queens).

      Leia resenha de ex-hóspedes do Z Hotel no Booking.

      1. OI pessoal, estou buscando dicas também. E sobre a questão do Queens achei um hotel de uma rede que conheço e é bem legal, o Country Inn, fica a um quarteirão da Queensboro Station, claro que não tem o hype de Manhattan, mas e’bem próximo à ponte Queensboro, então acaba ficando interessante, não acham?

        1. Olá, Claudio! A gente ainda acha que é melhor ficar em Manhattan, mas temos relatos de leitores que ficaram no Queens aqui: http://www.viajenaviagem.com/2013/07/enquete-nova-york-hoteis-fora-de-manhattan/

  4. Olá Boia !!!! Toda vez que vou viajar, seja para que canto for, entro aqui para ver suas dicas! Amo !!!!
    Estou indo para NY semana que vem e vou ficar na Madison Ave com 32st: Hotel The Roger. Busquei muito por aqui e não achei nenhum comentário sobre ele. Tens algo a comentar ?!!! O ponto eu curti! Nem perto e nem longe. O que acha ?!!!
    Abraços! Renata

    1. Olá, Renata! Não tem tantas vantagens logísticas quanto o lado oeste (Penn Station, área de compras da rua 34), mas é charmosa.

      Clique e leia o que dizem do hotel no Booking.

  5. Olá Boia.. Estou indo em agosto/2014 com família, mas meus filhos não são parceiros para caminhadas longas. Tem alguma dica com bares e baladas próximas para que possam curtir a cidade enquanto faço alguns programas com a esposa. Algum hotel para dica ?
    Abs!! Wagner

  6. Olá Bóia
    Gostaria de saber qual o hotel em Midtown mais próximo do aeroporto de Nova Yorque? E a que distancia fica?
    Abs
    Elzita

    1. Olá, Elzita! A distância de Midtown para o aeroporto é de aproximadamente 30 km. Ficar em Midtown East ou Times Square, por exemplo, não vai fazer muita diferença em relação à distância do aeroporto.

  7. Estou em NY, volto hoje para o Brasil fiquei 8 noites hospedada no NYMA Hotel, na 32sd Street, quase esquina da 5a. Av. Hotel bom, diária com café da manhã, localização excelente, tanto pra metro, ônibus ou para os caminheiros. Da janela do meu quarto via o Empíre State! Minha primeira vez na cidade em viagem solo, não poderia ter feito escolha melhor de hospedagem. Dificuldade zero em fazer os passeios, em andar pela belíssima grande maçã.

    1. Cândica gostaria de saber quanto é a diária nesse hotel!

      1. Olá, Victoria! Você pode ver quanto custam as diárias do Nyma para a data da sua viagem no Booking.

1 ... 3 4 5

ATENÇÃO:
Antes de perguntar, veja se a dúvida já não está respondida no texto. Perguntas redundantes e comentários em maiúsculas serão apagados. Obrigado!