Costa Amalfitana: um roteiro com 60 dicas selecionadas

  • 0
Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Costa Amalfitana

Capri

Hospedagem cara, longas escadarias, locomoção não tão simples e muitos turistas. Mesmo assim, a Costa Amalfitana é um destino de sonho. Como fazer a viagem dar certo? Em primeiro lugar, indo na melhor época: junho e setembro são os meses ideais. Depois, escolhendo transporte e base que tenham mais a ver com o seu estilo de viajar. Por fim, que tal incluir uma passadinha em Capri? Com pernoite, é claro, para poder desfrutar de todo o charme da ilha sem a turma do bate-volta. Para ajudar em tudo isso, reunimos 60 dicas de leitores, comentando acertos e erros neste roteiro. Aproveite as recomendações dos nossos viajantes (e não deixe de consultar o guia completo do Riq Freire). Buon viaggio!

Costa Amalfitana

A costeira

Locomoção

Paula
Capri é uma delícia, e para andar pela ilha, use o ônibus laranja, que sobe e desce o morro, para não se cansar. Relato completo aqui.

Marcelo
Há ônibus coletivo saindo do centro de Capri pra Anacapri. Demora uns 20 minutos, porque a estrada e muito estreita e beirando um penhasco! Relato completo aqui.

Cristina
Em Capri pegamos o ônibus para Anacapri com mala e tudo. Cada mala média custa 1,80 euros, o mesmo preço da passagem. Imagine a Avenida Niemeyer, no Rio de Janeiro, num ônibus pequeno, numa sexta-feira do último final de semana de férias ensolaradas dos italianos. Adicione viajar em pé. O nome disso é perrengue. Relato completo aqui.

Fabiana
Dormi uma noite em Nápoles e de manhã peguei o barco para Capri. Dormi uma noite só lá (mas seria melhor duas) e de lá peguei um barco para Positano. De Positano conheci Amalfi de barco e Ravelo e Sorrento de ônibus. Deu super certo. Relato completo aqui.

Vilma
Eu me hospedei em Sorrento. Para Capri fomos de lancha, 1 dia inteiro a 70 euros. É lindo, mas tão cheio de turistas! Para Positano e Amalfi fomos de ônibus. Se arrependimento matasse... Acho que deveríamos ter ido de lancha, pois aí sim veríamos a costa do mar. Relato completo aqui.

Antonio
Os ônibus da SITA têm compartimento para malas. Alguns são um meio velhos e alguns motoristas são um pouco mal educados. O bilhete você deve comprar antes de embarcar e são vendidos praticamente em todos os estabelecimentos próximos das paradas de ônibus. Na hora de comprar especifique o destino, pois alguns bilhetes não cobrem certos trechos. A SITA trabalha com o sistema de bilhetes temporizados que permite ao usuário pegar vários ônibus num intervalo de tempo, que pode variar de 1 hora, 1 e meia, 2 horas e etc. Alguns também integram trens e ônibus. Esses mesmos ônibus também são muito usados pelos habitantes locais e os idosos costumam pedir(algumas vezes exigir!) o assento. O macete é evitar os assentos perto das portas, onde eles geralmente querem sentar. Mas se possível seja cortês e dê o lugar! Estudantes identificados e os idosos têm prioridade para embarque. Em hora de pico, no começo de setembro, já esperei mais de duas horas numa fila para embarcar num SITA para Sorrento-Amalfi, saindo da estação de trem! Relato completo aqui.

Talitha
Resolvemos optar pela opção mais econômica, de ônibus, e nos demos mal! É roubada curtir a Costa Amalfitana, e ainda mais Positano, sem carro! Haja espera de ônibus, ônibus lotados e caminhadas, ou melhor, escaladas pelas ruas de Positano e ainda, no final de tudo, tivemos que contratar uma pessoa pra levar as nossas malas do hotel até o porto para pegarmos um barco pra Capri, pois era impossível levá-las pelas ruas verticais de Positano. Ah, e quem quiser “curtir” a Costeira de ônibus tem que sair cedo: o último ônibus de Sorrento pra Positano sai às 20h! Ou seja, considerem a possibilidade de gastar com táxi de uma cidade pra outra, o que nos aconteceu, e daí foram 60 euros muito mal gastos! Esperamos muito também pelo ônibus que ia a Ravello, que só sai de Amalfi. Conselho: alugar sempre um carro na Costa! Fomos de barco de Positano pra Anacapri e Capri, e voltamos também de barco pra Nápoles. Relato completo aqui.

Mônica
Montamos base em Sorrento e pegamos o ônibus da SITA pra Positano, Amalfi e Ravello. Gente, uma roubada! Não vale a pena, pelo menos em maio: os ônibus vão lotados, você não consegue entrar, é uma briga e confusão pra subir e descer. Aconselho alugar carro ou pegar os táxis que ficam perto do ponto inicial, que cobram entre €200 ou €250 e cabem 6 pessoas. Eles param nas cidades por bastante tempo e você vai sentado, com conforto, principalmente depois de tanta caminhada. Relato completo aqui.

Elizabeth
Alugamos um carro em Nápoles pra fazer a Costa Amalfitana. Vale muito a pena, você roda por tudo, e sempre tem um cantinho pra estacionar e fotografar. Peguei um Smart na Sixt do aeroporto. Cabem duas malas médias no porta-malas, surpreendentemente. Reservas pela internet garantem carro e preço bem melhores. Relato completo aqui.

A. L.
Quanto a se deslocar entre as cidades, a forma mais viável de fazer isso é partir cedo e chegar antes das multidões que vêm de Salerno e Nápoles. Ache um estacionamento, tome um brunch com calma, e esteja já “estabelecido” antes que metade da Itália chegue por lá. Relato completo aqui.

Meilin
Se for fazer base em Positano, procure deixar o carro parado no hotel: lá só tem uma rua, é um circuito de mão única e é proibido estacionar ao longo dessa rua. Uma linha de ônibus fica circulando pela cidade. Só use o carro para ir a outro lugar. Relato completo aqui.

Adriana
Dirigir por ali é terrível, e muita gente acaba planejando mal as distâncias, achando que 30 km dá pra se fazer em 30, 40 minutos e leva quase 2 horas. Relato completo aqui.

Fabiana S.
Não recomendo carro na costa, pois as curvas são incontáveis, mas o pior é que as ruas são super estreitas e o estacionamento é caro. E dependendo da época do ano acrescente muito trânsito. Eu aluguei o carro, mas depois o devolvi, pois se transformou em um mico e fiz tudo de ônibus e barco. Se for primavera ou verão e você tiver intimadade com motos, considere locar um motorino (lambreta). Menos mico e mais charmoso. Relato completo aqui.

José
Alugei uma scooter e rodei todas as cidades, muito melhor para estacionar. Mas cuidado: italiano de moto é tudo doido, eu vi uns dois acidentes com scooters em Sorrento nos 4 dias que fiquei por lá. Relato completo aqui.

Mariana
Não recomendaria ir de Vespa porque a estrada é perigosa. O ônibus é super seguro e dá tempo para aproveitar tudo. Talvez você possa alugar um carro pequeno. Meu ônibus não estava lotado, fiz o percurso durante a semana e adoramos. Relato completo aqui.

Emilia
O melhor transporte são os barcos do Metrò del Mare, que te levam para onde você quiser ir. Relato completo aqui.

Praiano

Praiano

Quando Ir

Andréa
Fui em maio, a temperatura estava ótima, sol de dia e friozinho à noite. Relato completo aqui.

Alessandra
Estive na Costa Amalfitana em junho, saindo de lá dia 30, início das férias européias, quando ainda não estava tão abarrotada de turistas. Relato completo aqui.

Mirian
A melhor época é junho mesmo, quando já está bom pra tomar banho naquele mar cristalino e Capri ainda não está lotada como em agosto. Além disso, junho é quando as árvores estão carregadas de frutas e limões sicilianos, e é tudo florido. Relato completo aqui.

Jacque
Realmente no início de novembro quase tudo fecha por lá, e só reabre em abril. Não entendo, pois a beleza continua lá, mas perguntei isso para muitas pessoas, e elas disseram que diminui o turismo e que o sol não aparece tanto, enfim, “aqui é bonito com sol” me disse um taxista em Capri. Relato completo aqui.

A.L.
De meados de outubro até dezembro chove demais na região. Frio, chuva e neblina não são os companheiros ideais de uma estrada de montanha, nem pelo suposto “perigo”, mas porque fica ruim de ver mesmo. Relato completo aqui.

Positano

Positano

Onde ficar

Priscila
Amei Capri, a cidade é poderosa de chique, rodeada das grandes grifes internacionais, restaurantes deliciosos. Fiquei no Hotel Weber Ambassador que tem como privilégio o acesso à praia da Marina Piccola. A vista é linda demais! Fiquei 2 dias cheios e achei o suficiente, pois ainda dei um pulinho em Anacapri que é bem ao lado. Relato completo aqui.

Andréa
Passei três noites em Anacapri num hotel maravilhoso: Caesar Augustus, que tem uma vista de tirar o fôlego. Adorei Capri, principalmente à noite, quando a maioria dos turistas vai embora e você se sente um morador da ilha. Depois fomos para Sorrento, alugamos um carro e fizemos a costa. Assim que conheci Positano, me arrependi imediatamente de não ter ficado lá. Relato completo aqui.

Mirian
Tinha reservado 2 dias em Capri, mas acabamos por ficar 5. Escolhemos um B&B muito bom: Il Giardino dell’Arte. Fica em Anacapri. A vista é maravilhosa, o quarto super confortável, os donos maravilhosos. Pegam você no porto e deixam você na volta também. Além de reservarem os melhores passeios e restaurantes. O Sr. Franco, o proprietário, é uma criatura maravilhosa e ama o que faz. Quando entrei no B&B eu perdi o fôlego e comecei a chorar de emoção, a vista mais linda do mundo aquela ali, com direito a pôr do sol com vista para Ischia. O café da manha é delicioso, no próprio terraço do quarto, cercado de árvores carregadas de pêssegos, cerejas, passarinhos, oliveiras e flores de todas as cores. O Sr. Franco deixa à disposição uma cozinha para uso dos hóspedes com uma geladeira super carregada de prosciutto italiano, frutas, água mineral, cerveja, vinho, limoncello, pães, bolos, biscoitos, sucos à vontade e não cobra absolutamente nada por isso. Passei 5 dias lá e não gastei um centavo com água mineral na ilha! O Giardino dell’Arte tem somente 5 quartos e é um charme, não trocaria por hotel nenhum. Relato completo aqui.

Luca
Em Capri fiquei hospedado no A Pazziella, um delicioso boutique hotel bem no coração da ilha. Em Sorrento fiquei no Parco dei Principi, que é considerado um dos primeiro design hotels da Itália, obra dos anos 60 pelo arquiteto Gio Ponti. Relato completo aqui.

Vagner
Sugiro muito o Excelsior Parco, em Capri. Na costa Amalfitana, eu fiquei em Praiano. Não foi ruim, mas achei meio paradão. Talvez fosse melhor ter ficado em Amalfi ou Positano. Se eu voltasse, ficaria em Amalfi. Relato completo aqui.

Jacque
Fomos para a Costa de barco. Montamos base em Positano (sem dúvida, o lugar mais charmoso da Costa). Ficamos no hotel Villa Rosa, maravilhoso, mas precisamos estar em uma ótima forma física, pois para chegar até o quarto tinha 175 degraus. A vista compensava, e o café da manhã na sacada também. Em Capri ficamos no hotel La Minerva, lindo e cheio de detalhes. À noite chegávamos no quarto com ele todo arrumado, e um som ambiente de jazz maravilhoso. Relato completo aqui.

Carol
Recomendo em Positano o hotel Poseidon. É um 4 estrelas com preço razoável mas com uma localização ótima! A vista dos quartos e da piscina é bárbara e os donos são 2 irmãos muito simpáticos que sempre estão pelo hotel. Dá para fazer tudo a pé em Positano e os barcos para Capri partem da praia principal que está a "alguns" degraus do hotel! Entre as cidades da Costa Amalfitana considero Positano a mais charmosa! Relato completo aqui.

Alessandra
Hospedei-me no Bucca di Bacco, em Positano. Hotel 4 estrelas, localização privilegiada – pé na areia – com café da manhã imbatível. Vale a pena pagar alguns euros a mais. Relato completo aqui.

Lúcia Helena
Em Positano sugiro o Florida Residence, é bom e barato, e próximo ao centro. Tem um terraço maravilhoso, você pode ver a costa toda e fotografar em vários ângulos. Positano é linda, o comércio é otimo, roupas de linho baratas, e o sorvete, delicioso. Em Sorrento me hospedei num B&B maravilhoso, Porto Salvo. Foi um antigo convento de capuchinhos, está todo restaurado e todo decorado, localização excelente. Relatos completos aqui e aqui.

Talitha
Ficamos por 3 dias na Costa Amalfitana hospedados em Positano, mais 2 dias hospedados em Capri, além de uma noite em Nápoles. Positano é linda, mas apenas se tiver carro e olhe lá, porque haja escadaria, coisa cara e só turistaiada. Amalfi é uma cidade muito mais viável para quem está de ônibus, pois não é tão íngreme, tem ótimos restaurantes e preços mais acessíveis, além de estar bem localizada. Sorrento achei a mais “cidadão” de todas, mas já fica meio fora do circuito. Duas noites foram suficientes nas belíssimas Anacapri e Capri. Fiquei em Positano por 3 dias na Pensione Il Canneto. É um hotel simples, mas confortável e com varanda pro mar e pro abismo que cerca Positano. Em Anacapri, fiquei 2 noites no B&B Il Sogno, uma graça, com varanda com vista pro Vesúvio e Nápoles. É bem perto da praça principal de Anacapri e de todas as atrações. Recomendo os dois. Fiz as reservas pelo Booking. Relatos completos aqui e aqui.

Mariana
Dormimos uma noite em Sorrento, vindo de Pompéia e Nápoles. Ficamos no Hotel Nice – bem simples, mas ao lado da estação de trem e era o que procurávamos para apenas uma noite. No dia seguinte, rumamos direto para Amalfi. Lá, ficamos duas noites no hotel Lidomare, em frente ao portinho. Recomendo. Hotel familiar, confortável, limpo e com bom café da manhã. Relato completo aqui.

Marcelo
Montei base em Sorrento, a cidade é uma delícia e super agitada à noite. Fiquei em um B&B muito bom e bem localizado, chamado Magi House. O meu era um dos apartamentos, pois estava com meus pais, mas os quartos são super bons. Relato completo aqui.

Emilia
Fiquei em Sorrento e adorei. Me hospedei no Grand Hotel Royal com praia particular, verdadeiro paraíso. Relato completo aqui.

Marco
Em Sorrento, o melhor hotel é o Excelsior Vittoria! De frente para o porto, fácil pra pegar o barco pra Capri! Relato completo aqui.

Regis
Eu fiquei no Hotel Il Nido, em Sorrento, que é barato e bem cotado no Trip Advisor. Positano é linda, mas é contramão para qualquer atividade fora da cidade e quase impossível de achar um hotel com garagem. Também suspeito que a cidade morre à noite. Então preferi Sorrento como base, que permite acesso fácil à costiera, Capri e Pompéia. Relato completo aqui.

Priscila
Recomendo a todos algo que infelizmente não fiz: fiquem em Sorrento! Falo isso devido ao melhor acesso de transporte para retorno a Nápoles, pois a linha de trem se localiza nessa cidade, ficando mais fácil a volta. Tem o fato da cidade ser mais ao nível do mar, o que evita subir tantas ladeiras com mala de um lado para o outro. Amei Positano, onde fiquei. Achei única e bem aconchegante, mas sinceramente, o romantismo acabava toda vez que tinha de voltar para o hotel subindo escadarias seguidas de uma seqüência de ladeiras! Meu hotel estava localizado na rua principal, logo atrás da famosa igreja, muito bom. O transtorno foi a volta para Nápoles, pois tive de pegar um ônibus para Sorrento e depois o trem que sai de lá. A linha de barco que sai de Positano não vai direto para Nápoles. Temos de ir para Sorrento ou para Capri. Por isso recomendo ficar logo em Sorrento como base de hospedagem. Relato completo aqui.

Ariel
Ficamos em Ravello, simplesmente maravilhosa, com um vinho regional muito bom e barato, paisagens incríveis, da pra ver toda a costa de cima. Ficamo nos apartamentos do Villa Casale. Tinha piscina, até horta tinha e ainda fomos atendidos pelos donos. Nos sentimos em casa. Ravello é pequeno mas é ideal para quem quer estar com a natureza e curtir uma lua de mel. Relato completo aqui.

Alessandra
Não dá para fazer Ravello de base. Imagine um estradinha onde só cabe um carro por vez, de um lado montanha de pedra e do outro precipício, só com uma gradinha protegendo. E tão sinuosa que há curvas onde fica um guardinha de cada lado, com uma placa, avisando que vem carro na outra mão (e você não tem visão disto) e que só passa um carro por vez. Isso quando um ônibus não inventa de passar por outro e os dois entalam. Mas sem dúvida é uma cidade para se conhecer e passar uns 2 dias. Relato completo aqui.

Adriana
Escolhemos Amalfi como base. O motivo principal é que poderíamos usar o transporte marítimo para vários lugares partindo dali e também ônibus pra Ravello e outras cidades. Ficamos num apartamentozinho ótimo, barato, super bem localizado. O nome é Hotel L’Antico Convitto. Dava tranqüilo para um casal com duas crianças. O café da manhã era incluído e ótimo. Relato completo aqui.

Sandro
Fiquei em Praiano, cidadezinha menor, próxima à Positano (cerca de 7 km). Ficamos no Hotel Margherita, que tinha tarifas um pouco mais em conta que os hotéis equivalentes em Positano. Para quem vai com carro alugado é bem tranqüilo fazer o trajeto de Praiano a Positano, cerca de 10 a 15 minutos apreciando a vista! Relato completo aqui.

Elizabeth
Ficamos em Praiano, no hotel Onda Verde. Maravilhoso, super recomendo. Não precisa tirar o carro do estacionamento do hotel pra nadar no Mediterrâneo, nem pra ir pra Capri! Tem passeios de barco que saem diariamente da “praia” situada abaixo do hotel para lá (somente de maio a agosto). Uma das empresas se chama La Sibilla, e dá pra contratar na véspera. Sai às 9h e retorna às 18h. Perfeito! O custo é de 60 euros por pessoa, fazendo a costa e volta à ilha com paradas pra mergulho. Se contabilizar, vale muito mais a pena que sair de Positano (muvuca + 35 euros + 17 euros pra dar a volta na ilha, se quiser + 20 euros de estacionamento). Relato completo aqui.

Edina
Fiquei em Praiano, no hotel Open Gate, que tem um excelente atendimento familiar. Só é possível ter dimensão da beleza do lugar estando aqui ao vivo. Relato completo aqui.

Sorrento

Sorrento

Itinerário e passeios

Priscila
Fui para Roma, de Roma fui de trem para Nápoles e de Nápoles peguei um barco para Capri. Passei três dias e achei ótimo! Depois peguei uma barco da linha Positano Jet e fui passar 4 dias cheios na Costa Amalfitana, tendo como base Positano. Visitei Sorrento, Amalfi e Ravello pegando o ônibus da linha SITA que custa 7,50 euros por 24 horas. Relatos completos aqui e aqui.

Andréa
Peguei um vôo Rio-Roma-Nápoles. Passei uma noite em Nápoles e no dia seguinte fui num barco rápido para Capri. Passei três noites. De Capri, pegamos um barco pra Sorrento. Nossa base foi lá. Depois de passar 3 noites na Costa, partimos pra Roma. Relato completo aqui.

Adriana
Ficamos em Amalfi. Amamos Ravello e voltamos no dia seguinte, com mais sol e usamos ônibus de linha mesmo. Fizemos uma caminhada guiada por Amalfi que é oferecida às quintas gratuitamente pela prefeitura, e foi bem legal. Não conseguimos ir à Capri porque era começo de outubro e o mar estava muito bravo, e como meu marido enjoa em barco, nos desaconselharam. Relato completo aqui.

Ariel
De Ravello, onde ficamos, passeamos por Maiori e Minori (não era grande coisa), fomos até Positano, passamos uma tarde lá, fomos também em Amalfi, compramos uns chocolates simplesmente maravlhosos, e achamos os italianos muito simpáticos, nos restaurantes e em todos os lugares que fomos. Relato completo aqui.

Eneida
Fiz base em Sorrento. Foram 3 noites e 4 dias. Primeiro dia: Positano. De ônibus que sai na frente da estação. Os bilhetes são vendidos nas Tabacchi. Tudo muito fácil. Segundo dia: Capri. 20 minutos de barco. Terceiro dia: Amalfi e Ravello. Ônibus até Amalfi, percorrendo toda a Costa, e outro para Ravello. Quarto dia: Pompéia (deixei a mala na estação, visitei as ruínas e segui para Nápoles, de onde peguei um vôo para a Sicília. A vantagem é que todos esses locais são mais próximos de Sorrento do que de Nápoles. Relato completo aqui.

Jacque
De Positano visitamos Amalfi, Atrani, Sorrento, Ravello, e depois fomos para Capri. Andamos muito em Capri, quase três horas de caminhada indo à Gruta de Matermania , depois resolvamos ir até a Marina Picolla a pé, quase loucura, mas valeu a pena, a Marina Picolla é o lugar mais bonito de Capri. Relato completo aqui.

Cristina
O preço do barco para turistas em Capri, sem parada, foi de 17 euros em agosto de 2013. O aluguel do seu próprio barco, 90 euros, e o barco com marinheiro variava de 100 euros (final do dia) a 150 euros (preço do barco do nosso hotel) por 2 horas, 2 pessoas. O barco para turistas faz um passeio de 1 hora ao redor da ilha e você pode escolher o tour sem parada na Gruta Azul. Não pára para mergulhar. Relato completo aqui.

Vladimir
Um lugar de Sorrento que vale demais uma visita é Capo di Sorrento. Um paraíso para um mergulho inesquecível! Pega-se o ônibus Orange no centro, e em menos de 15 minutos o motorista te deixa no ponto de onde você faz uma caminhada de cerca de 10 minutos até chegar no local. Relato completo aqui.


Penne Siciliana

Penne alla siciliana

Restaurantes

Jacque
Em Capri jantamos em um restaurante em meio aos limoeiros, Da Paolino (Via Palazzo a Mare, 11), onde comi a melhor massa al limone. Em Ravello, o restaurante Cumpà Cosimo (Via Roma, 44-6) vale a pena. Relato completo aqui.

Val
Vale sorvete? Buonocore Gelateria (Via Roma, 36), em Capri. O aroma da casquinha feita na hora é de morrer. Relato completo aqui.

Marcelle
Em Capri comemos pizza gostosa no restaurante Isidoro, que é bonitinho, e fica quase na piazzeta (Via Roma, 17). Não é exatamente barato (nada em Capri é barato), mas é gostoso. Cada pizza custou uns 10 euros, mas a água era 4,50 euros. Em Positano, recomendo o restaurante Capricci (Via Regina Giovanna, 12). De lá dá para ver a praia, porque é bem na ponta de uma descida para a orla. Tomei vinho branco, comemos 2 entradinhas, almoçamos massas gostosas e pagamos 40 euros o casal. Em Sorrento, a Pizzeria Aurora (Piazza Tasso, 10) tem massas gostosas e não é careira. No Bar Veneruso (que na verdade é um misto de delicatessen com restaurante) você vai tomar um dos melhores sorvetes de Nutella que já tomei. Fica na Corso Italia, 43/49. No Bougainvillea (Corso Italia, 16), você encontra desde sorvetes deliciosos, até uma pizza gostosa, sanduíches e comida de verdade. Relato completo aqui.

Gabriela
Em Capri, indico o Capri Pasta (Via Canale, 12) e os ravioli capresi (também os ravioli fritos, que são típicos de Capri). Fica bem perto da piazzetta e não é uma arapuca para turistas. O lugar é pequeno e não tem lugar para sentar, mas os ravioli eram deliciosos e o rapaz que nos atendeu (não perguntei, mas creio que seja o proprietário) era simpaticíssimo (o que não é exatamente uma regra por aqui). Outra dica imperdível é um restaurante em Cetara. Chama-se Al Convento (Piazza San Francesco, 16; o local era um antigo convento) e, além do altíssimo astral do proprietário e chef, Pasquale Torrente, o peixe é fresquíssimo, as receitas são as da tradição e o preço é justo. Acho que qualquer prato ali é bom, mas um dos mais famosos é a genovese di tonno e o spaghetti con colatura di alici ou os bucatini con pomodoro San Marzano. Há escolha também de sopas como a clássica di fagioli e cozze. Nós pedimos antipasto, primeiro e segundo pratos (um atum como eu nunca comi antes na vida), mais vinho e pagamos 40 euros por cabeça. Vou dizer ao Pasquale que capriche ainda mais para os meus compatriotas que forem lá seguindo essa minha indicação aqui no VnV. Se alguém for no esquema mais de sanduíche tem o Pane e Coccosa (Corso Federici, 3) na mesma rua do Al Convento. Relato completo aqui.

Fabiana S.
Em Positano indico o Caffè Positano (Via Pasitea, 168/170) e o  Il Ritrovo (é na verdade acima de Positano. As regiões de Nocelle Montepertuso têm restaurantes mais autênticos e menos turísticos). Fica na Via Montepertuso, 77. Relato completo aqui.

Meilin
O La Tagliata (Via Tagliata, 22) fica encarapitado no alto da montanha, em Positano. Peça ao restaurante uma van pra te apanhar, é de graça. A comida é típica, mas no final eles serviram um churrasco (!), não se se foi pra agradar os brasileiros, mas valeu muito o passeio. Lá de cima se pode observar os barquinhos iluminados no mar. Pode #sijogar nos antipasti e nas massas, são de primeira qualidade. Outro restô muito gostoso foi o C’era una Volta (Via Guglielmo Marconi, 127). O chef é um brasileiro gorducho e mega-simpático. Relato completo aqui.

Cristina
Em Positano, almoçamos e jantamos nos restaurantes da família da nossa pousada, Villa delle Palme, ambos na Via Pasitea: Saraceno D'Oro (nº 254) e Mediterraneo (nº 236), onde à noite eles têm um cantor muito engraçado que distribui instrumentos, alegrando o ambiente com músicas italianas, e onde comi a melhor pasta ao molho de peixe da minha vida: spaghetti preto e branco com pedacinhos pequenos e macios de peixes num molho sem igual. Em Anacapri indico o restaurante onde jantamos 2 das 3 noites porque gostamos muito do cardápio, do preço e do atendimento: Il Saraceno Di Cafiero Celestini, na Via Trento e Trieste, 18. Relato completo aqui.

Andréa
Para fazer a extravagância da viagem ou comemorar uma data especial, recomendo o La Sponda, restaurante do hotel Le Sirenuse, em Positano. Jantar super romântico à luz de velas e ao som de violinos. Reserve uma mesa próxima à janela e sinta-se protagonista do filme Only You. Relato completo aqui.

Nelson
Em Sorrento indico o restaurante Caruso (Via S. Antonino, 12), numa pequena travessa da praça principal, junto ao Hotel Palazzo Guardati. É também um pequeno museu com objetos e pôsteres do cantor Caruso. Quando estive lá, além de ter sido bem recebido, o auxiliar de cozinha veio nos cumprimentar, é um brasileiro de Minas. Relato completo aqui.

Vladimir
O restaurante que mais gostei nos dias em que ficamos na Costiera foi o Il Pontile (Via San Giovanni a Mare, 25), em Minori. Entrada, prato principal, vinho, sobremesas e café perfeitos! Almoçamos lá e foi tudo de bom! Relato completo aqui.

Carol
Em Amalfi destaco o restaurante Eolo (Via P. Comite, 3), simplesmente divino! Relato completo aqui.

Ravello

Ravello

Outras dicas

Meilin
Outra coisa que eu adorei foram as lojas de roupa. Tudo me pareceu lindo, esvoaçante, chique e fresquinho. Relato completo aqui.

Priscila
Tênis ou sapatilhas são de fundamental importância para sobreviver às escadarias! Relato completo aqui.

A.L.
Na Costa Amalfitana em si as praias são pedregosas demais, e os “lidos” (esses empreendimentos que alugam cadeiras por hora, preço varia conforme a localização) são apertadíssimos. Relato completo aqui.

Capri

Capri

Leia mais:

103 comentários

Maria Angela Teixeira

Olá Ricardo! Obrigada pelo seu site maravilhoso que muito tem me auxiliado por este mundão afora. Gostaria de saber se há um trem ou ônibus que saia de Positano ou de alguma outra cidade da Costa Amalfitana e que leve à Roma. Vou estar de carro na Costa e depois vou à Roma. Mas não gostaria de entrar em Roma de carro. Vi que normalmente eles saem de Nápoles, mas preferiria também não entrar de carro em Nápoles. Desde já, muito obrigada! Maria Angela.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Ângela! Quem responde é a Bóia. Você pode entregar o carro em Salerno. O tronco de trem rápido vai até lá.

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

Prezados Ricardo e Boia,

Mais uma vez, voltando para agradecer as fantásticas dicas e deixando minha contribuição para seus leitores.
Fiz um post (link abaixo) com muitas fotos da viagem que realizei em junho de 2015 pela Costa Amalfitana.

http://leoviajandao.blogspot.com.br/2016/10/costa-amalfitana-positano-amalfi.html

Adriana Junqueira

Já fomos a Costa Amalfitana há muitos anos atras, julho, calor. Eu, meu irmao, minhas cunhadas, meu sogro e minha sogra. Nao gostei nem de Napolis (cidade grande, confusa, barulhenta e com muito transito) e nem de Capri (bate-e-volta turistao, lotado, caro) e, me perdoem, mas também nao achei nada demais subir o Vesuvio. Por outro lado, valeu super a pena visita a Pompeia (muita história impressionante), Positano (onde ficamos hospedados), um dia de feira em Sorrento (linda, pequena, charmosa, colorida), Amalfi (igreja), almoco em Praiano (onde tomei uma bronca do dono do restaurante porque coloquei queijo ralado no spaguetti al mare! um pecado para os italianos - nunca, jamais colocar queijo em massa com frutos do mar, porque nao harmonizam!) e, passeamos nos castelos de Ravello. Este foi o climax da viagem, pois nesta epoca ocorria um festival de musica e acabamos assistindo a um concerto de orquestra de cordas montado ao ar livre, no alto do tal castelo. Na metade do concerto, logo após escurecer, surge a lua cheia atrás do palco, numa ilhota ao fundo, crescendo, crescendo e iluminando por completo a regiao. Na volta a Positano, pelas estradinhas sinuosas, escutamos Toquinho em italiano e observamos o rastro prateado da lua no mar. Será simplesmente inesquecivel!
Entáo, ficam as dicas: 1. para quem for a Europa no verao, procurar pelas programacoes culturais locais (usualmente ao ar-livre, muitas vezes gratuitas), porque os europeus aproveitam mesmo o clima fora de casa... 2: verao na Europa, para nós brasileiros, equivale a levar um agasalho leve para usar ao escurecer, porque, para nossos padróes, esfria mesmo.

Atenção: Bóia de férias! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 2 de outubro de 2017. Obrigado pela compreensão!
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar