Foi a Machu Picchu já com as novas regras de visitação? Conta pra gente!

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Machu Picchu novas regras

Desde o dia 1º de julho estão em vigor as novas regras de visitação em Machu Picchu. Além de estabelecer dois turnos estanques de visita (um das 6h ao meio-dia, outro do meio-dia às 17h30), as novas regras instituem a obrigatoridade de um guia (privativo ou em grupo) para entrar na cidadela, e estabelece três circuitos de visita. A lista de novas normas é grande, e entre outros detalhes proíbe a entrada com pau de selfie e a re-entrada (sempre lembrando que só há banheiros do lado de fora da cidadela).

A implantação das novas regras, porém, coincidiu com um período conturbado na região, que culminou, dia 20 de julho, com o governo peruano decretando estado de emergência em Cusco, Ollantaytambo, Machu Picchu e Juliaca para garantir o acesso dos turistas aos sítios arqueológicos.

Ainda não estivemos em Machu Picchu depois das novas regras, mas pelo que dá para garimpar na internet, o cumprimento de muitos pontos ainda não está sendo exigido -- talvez por causa dos distúrbios, talvez porque sejam difíceis mesmo de vingar.

Visitas em dois turnos estanques

A nossa Natalie Soares e o Fred Marvila estiveram no Peru atualizando o conteúdo do Sundaycooks, e visitaram Machu Picchu antes do decreto da emergência; por causa dos bloqueios nas estradas (e ocasionalmente na estrada de ferro), o controle de horários estava frouxo naqueles dias. Eles fizeram um live no Facebook contando.

Vasculhando fóruns no TripAdvisor com relatos recentes (como este, este e este), fica claro que não está sendo feita nenhuma evacuação forçada da cidadela ao meio-dia. E vários contribuintes confirmam que portadores do ingresso do meio-dia têm entrada liberada a partir das 11h.

Obrigatoriedade de guia

Nos fóruns do TripAdvisor (como este, este e este), esse tópico não tem um feedback consistente. Há quem diga que a entrada com guia é obrigatória (geralmente são visitantes que entraram com guia), mas também há muitos depoimentos de que dá para entrar sem guia. O O Ute deixou seu relato aqui no Viaje na Viagem dizendo que a visita à parte alta da cidadela pode ser feita sem guia, mas que os outros circuitos só podem ser feitos com guia.

De todo modo, saiba que sempre deu para contratar guia na porta da cidadela, e assim continuará sendo. Um guia privativo sai entre 120 e 140 soles; em grupo, sai 30 soles por pessoa.

Meu conselho: se você entrar com guia, peça para ir primeiro à parte alta da cidadela (subida pela esquerda um pouco depois da entrada) e combine 10 minutos de silêncio lá em cima, para contemplar a vista clássica de Machu Picchu sem precisar prestar atenção no blablablá. (Durante as outras duas horas e meia do circuito ele terá a chance de explicar tudo para você.)

Re-entrada

Vários comentaristas do TripAdvisor dizem que uma re-entrada está liberada -- o que faz todo o sentido. O O O Ute saiu e entrou de novo -- na segunda vez, sem guia.

E você? Esteve em Machu Picchu depois das novas regras?

Conte pra gente como foi sua experiência: precisou entrar com guia? Teve que sair correndo ao fim do turno? Conseguiu sair e re-entrar? Compartilhe a informação, que tem muita gente querendo saber!

Leia mais:

17 comentários

Bruna
BrunaPermalinkResponder

Eu fui pra MachuPicchu dia 18 de julho. O meu ingresso era do período de manhã e eu fiquei até 14:00, não tem fiscalização sobre a hora que você sai. Na saída não tem ninguém do parque olhando, e pode entrar de novo no mesmo dia.
O guia me falou que essas são regras da UNESCO e que a cidade não liga muito, eles querem é faturar com os ingressos.
Quando fui mostrar o ticket na entrada me perguntaram quem era o meu guia. E pode voltar no mesmo dia.

Lívia Rebehy Queiroz

Estive em Machu Picchu no dia 23 de julho e na hora da compra do ingresso perguntei se precisávamos do guia para entrar. Ele foi até um pouco ríspido na resposta e disse que não. Entramos sem o guia

Paulo Cesar Nunes dos Santos

Visitamos Machu Picchu no dia 27 de julho, e constatamos que as novas regras não estão sendo aplicadas. Segundo o guia que contratamos previamente, elas só serão de fato implementadas pelo governo em julho/2018. Pode-se comprar ingressos no local, na hora da visita, sem limite de pessoas. Também há diversos guias disponíveis para contratação na entrada do sítio. Não há nenhum tipo de restrição a ficar o dia inteiro no sítio. Muito menos fiscalização. Mochilas não são revistadas. Entra-se com o que quiser, inclusive comida. Pode-se sair uma vez para ir ao banheiro e retornar se guia. O guia acompanha a visita por 2h30min. Depois, você pode circular sozinho pelo tempo que quiser. A sensação que tivemos é de que o objetivo imediato do governo é continuar ganhando muito dinheiro com os ingressos, e a questão da preservação fica secundarizada. Valeu muito a visita, mas é necessário que as regras fiquem mais claras e que de fato sejam cumpridas por todos.

Eliane Fernandes

Visitei Machupicchu dia 26/07 (quarta-feira passada) e não fiscalizaram nossas mochilas, não fizeram menção à necessidade de ter um guia para subir a montanha (nem contratei) e tampouco algum tipo de controle de horário. Endosso tudo o que foi relatado acima pelos demais viajantes : essas ´novas regras`não estão efetivamente sendo cobradas/cumpridas.

Célia Regina Costa

Minha experiência. Fiz Machu Picchu + Montanha no dia 21/07. Não precisei entrar com guia. Não tive que sair correndo ao fim do turno. Podia sair e re-entrar uma vez. O único controle, foi de acesso a Montanha, respeitando o horário entre 7 às 8 h. Entrei às 7, fiz a trilha da Montanha em 1h32, deci as 11h...Tinha um pessoal que chegou para subir a montanha nesse horário e não foi permitido. Explorei a cidade com calma e saí as 15:30, porque tinha passagem de trem comprada para às 16:36, de retorno a Cusco. Super tranquilo e Sensacional!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Fomos ao Peru em julho/2017 seguindo todas as dicas do Viaje na Viagem e foi perfeito! O roteiro que vocês indicam está no tamanho certo e bem completinho.
Quanto a Machu Picchu, seguindo as dicas daqui, já tinha comprado os ingressos em fevereiro, antes das mudanças, e por isso não tinha horário específico para entrar. Fomos de manhã, bem cedinho. Entramos na fila do ônibus as 5:30 e esperamos até as 7:00 pra conseguir subir. Perto das 10:30 da manhã já estávamos voltando.
Mais importante: não foi exigido guia para entrar, apenas verificaram o ingresso e passaporte. Falamos com alguns brasileiros que tiveram dificuldade para aceitarem a carteira de identidade; então, quem tem passaporte é melhor levar ao invés da ID.
Tinha várias pessoas com garrafinha de água de plástico, e não parecia haver limite de tempo para ficar no parque. Também não tinha nenhum tipo de proibição para tirar fotos, e tivemos liberdade para andar por todoo parque.
Aparentemente, a única mudança foi o horário de entrada, mas os guias de lá estavam falando que depois de entrar não tinha restrição para permanecer dentro do parque.

Larissa Gare
Larissa GarePermalinkResponder

fui semana passada ja com as novas regras e tudo ainda esta bem confuso....é possivel sim entrar sem guia e fazer suas fotos tranquilamente, sair, entrar novamente e contratar um guia. Os horarios na verdade sao de entrada, ou seja, se voce compra o ingresso de 6h as 12h, quer dizer que pode entrar ate as 12h...mas quando voce chega la ninguem sabe informar, tudo muito confuso ainda....
E o controle na porta nao esta sendo feito muito bem, ainda se ve gente com pau de self

Jamila
JamilaPermalinkResponder

Voltei do Peru dia 31 de julho e estive em Machu Picchu dia 28. Cheguei ao parque por volta das 6:50 onde próximo ao controle de entrada vários guias se ofereciam para fazer a visita guiada. Consegui entrar sem guia sem problema algum, mas meu ingresso era apenas para Machu Picchu - não sei qual é o procedimento para Wayna Picchu. Saí do parque pouco antes do meio-dia, mas ouvi de um guia que a regra dos horários dos turnos não vem sendo cumprida.

Liliane
LilianePermalinkResponder

Fui semana passada. Comprei ingresso para o 2o turno, não vi controle em relação a isso, muito menos na saída de quem estava lá no 1o turno. Estava bem cheio, como de costume. Festa de pau de selfie e sem necessidade de guia. Resumindo: na prática nada mudou!

Ute Rasp
Ute RaspPermalinkResponder

Olá Ricardo, lendo seu texto, a minha experiência e as contribuições de outros viajantes, posso concluir inicialmente que as regras ainda estão muito confusas. Quando compramos os ingressos já havia a obrigatoriedade da escolha dos horários de visitação mas parece que não estão seguindo à risca assim como os outros itens das nova exigências. Eu penso que tem a ver com a dinâmica das greves que estão rolando por lá, cuja estratégia é dificultar o acesso aos turistas impactando a economia do setor turístico e chamando a atenção para a causa deles. Diante desse quadro o governo deve ter percebido que não era momento para endurecer as regras diante do caos que se instalou por lá. Vou contar que a coisa foi muito tensa MESMO. Até hoje dia 3 de agosto de 2017 a coisa ainda não se resolveu por lá e eles ainda devem estar flexibilizando essas regras sim. Imagina Ollantaytambo totalmente lotada de microônibus, ônibus turísticos, carros de polícia, Samu gente se acotovelando na estação do trem e um engarrafamento monstro num sol de lascar até Cusco. Nossa sorte foi um taxista que ja estava combinado para nos pegar em Ollanta que cortou o caminho pelas montanhas, numa estrada de terra e uma paisagem de tirar o fôlego! Foi insólito, Cusco de verdade....vilas, povoados, ruinas, vilas, pastores de ovelhas, campos de trigo, vista da montanha nevada bem pertinho ...lindooo...tão fora do roteiro..., mas chegamos bem! Esse é o lado legal quando algo sai fora do script. Mas queria muito agradecer seu blog que muito utilizo nas nossas viagens. Fico muito feliz em poder retribuir com informações que podem ajudar outros viajantes. Viajar é uma riqueza sem tamanho que nos ajuda a compreender o mundo! Parabéns pelo seu trabalho e agregar tantas pessoas que se ajudam!!! Conte comigo sempre!!!! ??

Carla Abbamonte

Fui para Machu Picchu dia 7/7. Por estar ainda no início desta nova regra, achei que eles ainda estão tentando se adaptar. Entrei com guia, mas encontrei amigos que conseguiram entrar sem guia também. Também não há controle do tempo que você fica dentro do parque. Eu mesmo só fui embora porque tinha horário marcado no trem de retorno a Ollantaytambo.
O parque estava bem cheio e acho difícil eles terem esse controle ao longo do tempo.
Nas subidas das montanhas, eles tem um guia que pedem o ticket para comprovar que você pagou mesmo a subida. E outros ao longo do parque para evitar entrada em locais proibidos.

Waleria Amaral

Estive no Peru esse ano do dia 17/06 à 13/07, passei por Lima, Cusco, Urubamba, Ollantaytambo, Machu Picchu, Cusco novamente, Puno com Lago Titicaca e ilhas Taquile e Uros, Chivay no Vale do Colca, Arequipa e retornando por Lima. Fui sozinha e fiz toda minha programação sem problema algum. Fui à Machu Picchu no dia 1° de Julho, e meu bilhete era para o primeiro turno com subida à montanha Machu Picchu das 9:00 às 10:00 . Acordei às 4:30 da manhã como recomendado, mas quando cheguei na fila , parecia que aquele povo todo tinha dormido ali .
Tinha centenas de pessoas , e subia , subia e não achava o final da fila. Consegui garantir meu lugar já chegando na última pracinha no final da cidade...Tempão de fila e espera, mas antes das sete da manhã já estava dentro do ônibus . Mais uns 15 minutos de subida e finalmente cheguei. Entrei tranquilamente, sem nenhuma exigência e sem guia nenhum. Já estava explorando as ruinas com o meu guia impresso quando esbarrei em grupo de 10 de pessoas com um guia turístico que ofereceu para me juntar a eles por 10 soles. Topei , e fizemos um tour por mais de 2 horas. Terminando as explicações já próximo à saída. Paguei, saí, fui ao banheiro e retornei para minha exploração solo sem problema nenhum. E assim já eram 10:40 da manhã quando cheguei à portaria de entrada para subir a montanha Machu Picchu . Passei sem restrição ou mesmo questionamento algum do guardinha quanto ao horário já ultrapassado, que só conferia se realmente eu tinha o bilhete para subir a montanha. Sendo que minha entrada era das 9:00 as 10:00. Comecei a subida mas desisti, estava muito nublado e todos que já estavam voltando falavam que não tinha visibilidade nenhuma. Então resolvi aproveitar a cidade. Andei sem pressa , vasculhei tudo, cada canto, pesquisei no guia alguma dúvida. Explorei Machu Picchu por mais de sete horas . Saí às 14:20, porque começou uma chuva fina e ficou com bastante neblina. E a visibilidade estava muito ruim. Resumo: não teve fiscalização nenhuma dos horários. Saí e entrei de novo sem restrição alguma. Hora nenhuma vi ninguém tirando as pessoas do turno da manhã. Pelo tamanho da fila às 5:00 da manhã e pela quantidade de pessoas que estavam lá em cima na cidade, acho que as pessoas dos dois turnos foram pela manhã. Porque os ônibus na parte da tarde subiam e descia quase vazios.

Marcelo Vieira

Estive no dia 31/07. O ingresso indica o turno de entrada, mas não há nenhum controle sobre o horário de saída. É permitida uma reentrada na cidade. Não vi nenhum controle sobre a obrigatoriedade de guia ou sobre o que podemos levar para dentro da cidade.

INGRID
INGRIDPermalinkResponder

Estivemos em Machu Picchu no dia 28 de julho. As mudanças foram reais e ocorreram, se sair depois de 4 h da entrada não volta mais, entramos com um guia, mas muitas pessoas não usaram este serviço. Vá sempre no primeiro turno, existe sempre a chance de ver o nascer do sol.... tivemos sorte estava lindo!!!

Marcela Cosentino

Estivemos em Machu Picchu no dia 04/08. Compramos os ingresso para o turno da manhã. Chegamos na fila para o ônibus às 5h40 e só conseguimos sair às 7h15 (a fila era imensa!). Na entrada pediram o ticket e o passaporte e havia a informação de que era permitido apenas uma nova entrada na cidade e o ticket foi carimbado. Fizemos o tour com uma guia previamente contratada, mas tive a impressão que muitas pessoas entraram sem guia. Nossas mochilas não foram revistadas, entramos com pequenos lanches e água. Também vi muita gente com selfie stick, que diziam que era proibido. Após duas horas com a guia, saímos, usamos o banheiro e entramos de novo (dessa vez sem guia), o ticket foi novamente carimbado e andamos pela cidade tranquilamente. Pegamos o ônibus de volta à Águas Calientes por volta das 11h40. Pelo que vi as regras ainda não estão sendo aplicadas 100%...

Flora
FloraPermalinkResponder

Estive em Machu Picchu dia 8/8/2017. Cheguei por volta das 10h. Fiz uma primeira entrada com guia ( de aproximadamente 2 h e meia ). Após essa entrada , pude sair e entrar novamente antes das 14 h e ficar até as 16h.

Solange Moura
Solange MouraPermalinkResponder

Primeiramente quero agradecer as dicas do blog, seguimos o roteiro sugerido e foi perfeito! Estivemos em Machu Picchu dia 19/08. Realmente eles só conferem o bilhete e o passaporte, as mochilas não estão sendo revistadas.
É permitido sair uma vez somente e depois retornar. O uso do banheiro é pago, apenas 1 soles.
É aconselhável chegar muito cedo na fila do ônibus, nós chegamos às 5:15 da manhã e só conseguimos embarcar no ônibus das 7 horas.
Não esqueça do protetor solar e repelente, os mosquitos atacam na saída quando você está na fila do ônibus para descer.
Vista-se como uma cebola, embora seja frio de manhã cedo, o clima esquenta e o exercício do sobe e desce lhe dará calor!
Existem muitos guias na porta oferecendo seus serviços, se puder formar grupo com outros visitantes fica mais barato.
E mais importante, Machu Picchu vale todo o esforço para chegar até lá, você não terá vontade de ir embora.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar