Onde comer BBB em Paris

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Conta no Chartier, para dois: anotada na toalha

Não existe déjeuner grátis, mas você pode economizar fazendo sua refeição principal na hora do almoço. Todo restaurante de Paris tem sua “formule du jour”, um menu simplificado de dois pratos, às vezes com taça de vinho; dá para achar formules por menos de 20 euros.

[Mas evite todo lugar que anuncie “formule touristique”; a única comida turística recomendável são as crêpes e gallettes (crêpes de trigo sarraceno) preparadas noite e dia nas ruas.]

Segundo a Maria Lina do Conexão Paris, depois da crise muitos restaurantes aderiram, pelo menos na hora do almoço, a uma idéia totalmente exótica para os franceses: o almoço de prato único! mrgreen

O tema do post, porém, não é almoço; é jantar. Comer barato à noite é mais difícil, mas não impossível.

Para começar, tome cuidado com itens que podem encarecer bastante a nota (sobretudo quando o preço do menu ou formule é camarada).

Não é vergonha nenhuma pedir água da bica ("une carafe d'eau" -- ine carraf dô) para não pagar por água mineral de grife. (Só não esqueça do s'il vous plaît.) E todo restaurante não-metido vai ter um vinho da casa ("vin en pichet", vã õ pichê) compatível com a qualidade do cardápio (restaurantes vagabundos vão servir vinho da casa vagabundo; restaurantes melhorzinhos vão servir vinho da casa decente). Finalmente, abrir mão da sobremesa é fácil, quando estiver à sua espera no quarto do hotel aquele doce sensacional que você comprou na pâtisserie.

Aí vão umas dicas para seis noites de jantares em conta (com uma pequena extravagância no final), testadas na minha última estada parisiense, ano passado:

GRATINÉE NO PIED DE COCHON

Um dos três andares do Pied de Cochon

Gratinée

As brasseries – ao pé da letra, cervejarias – são grandes restaurantes informais, que atendem sem reserva. Uma das maiores pechinchas de Paris está na mais animada delas, o Pied de Cochon, um templo do kitsch que funciona 24 horas. Foi aqui, ao lado do antigo mercado de Les Halles (hoje um shopping), que nasceu a tradição de tomar sopa de cebola gratinada de madrugada. Custa apenas 6,90 euros (6 rue Coquillère; metrô Châtelet/Les Halles. Não fecha nunca).

CHARTIER

Chartier: bonito, barato e... bonzinho, vai

Tradicional, quase folclórico, o Chartier é point de turistas e estudantes que querem jantar pratos clássicos da cozinha francesa por preço de fast food (e qualidade só um pouquinho superior). A conta vai sendo anotada na toalha de papel (7 rue du faubourg Montmartre; metrô Grands Boulevards. Abre todos os dias).

COUSCOUS NO CHEZ OMAR

Chez Omar: couscous belle-époque

chezomar21

Chez Omar é um marroquino instalado num café belle-époque, na boca do Marais. Já esteve mais na moda, mas continua servindo um excelente couscous royal para duas pessoas por 24 euros. Sirva-se de semolina, regue com o caldo, acrescente os legumes, escolha as carnes -- o "royal" traz carneiro, lingüiça merguez e frango -- e bon appétit (47 rue de Bretagne; metrô: Filles du Calvaire ou Arts et Métiers. Fecha domingo no almoço).

ÉTNICOS

Le Cambodge

Siga aquela família de olhos puxados e você vai comer bem e barato. A rue de Belleville (metrô Belleville) é uma mina de restaurantes grandalhões com cardápios que passeiam por Vietnã, Laos, Tailândia e Camboja. Mais pertinho, eu segui uma boa dica do Time Out e me dei bem no Le Cambodge, na região do Canal St.-Martin. Você chega, põe seu nome na fila de espera (que sempre é extensa) e o atendente anota seu número de telefone. Daí você pode passear pelas redondezas; quando chegar a sua vez, você é avisado pelo celular. A comida é pedida em comandas que você mesmo preenche (é melhor do que pedir pelo número!). Gostei muito (10 av. Richerand; metrô Goncourt. Fecha domingo.)

BUTTE AUX CAILLES

Le Temps des Cerises

butteauxcailles11Neste pedacinho do 13e. arrondissement que testemunhou uma batalha durante a Comuna de Paris, os preços continuam mais ou menos socialistas. O restaurantes e cafés são animados; turistas, aqui, só os mais descolados. Entre na fila do Le Temps des Cerises – um restaurante-cooperativa – e jante bem numa mesa comunitária (18 rue de la Butte aux Cailles; metrô Corvisart ou Place d'Italie. Fecha sábado no almoço e domingo o dia inteiro).

LES COCOTTES

Magret de carnard poêlé

Caranguejo e alface sucrine

Não é baratíssimo -- mas vale a pequna extravagância, em se tratando de um restaurante de chef. Patrocinado pelas panelas Staub, o chef Christian Constant, dono do vizinho Violon d’Ingres (que já teve estrelas no Michelin) abriu um este bistrô-conceito, em que as entradas são servidas em copos (a 9 euros) e os pratos, em panelinhas (a 15 euros). Há bons vinhos em copo desde 3 euros. O Les Cocottes não aceita reservas; na noite que fomos, esperamos só um pouquinho. Nosso jantar, sublime, com duas entradas, dois pratos e duas sobremesas, com vinho, deu 81 euros. Fica pertinho da Torre Eiffel, e é um desfecho chiquérrimo para o passeio. (135 rue St.Dominique; metrô Pont de l'Alma ou École Militaire. Fecha domingo).

(Uma versão reduzida deste texto já saiu na minha página Turista Profissional, publicada toda terça no caderno Viagem & Aventura do Estadão.)

Leia também:

Dicas de restaurantes baratos no Conexão Paris, por Maria Lina

83 comentários

Iara
IaraPermalinkResponder

Vou uma segunda vez a Paris em Abril 1017
na pprima volta fomos almoçar na torre Eiffel mas estava chovendo não deu para ver direito a cidade la de cima
porém vamos comemorar eu meus 60 anos e Cris minha amiga que mora em Atlanda 50 anos combinamos de ir jantar na torre com direita a champagne uma pequena extravagância 450 reais por pessoa mas merecemos esse carinho <3

Paloma
PalomaPermalinkResponder

Ai que delícia!!! Merecem mesmo!! Aproveitem!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar