O que fazer em Paris: 40 atrações explicadas

Guia de Paris

O que fazer em Paris: 40 atrações explicadas

Paris é inesgotável. Não importa quantas vezes você vá, sempre vai ter o que fazer em Paris.

Além das atrações que a gente ainda não visitou, tem também todas aquelas que a gente quer rever toda vez que volta.

Nesta página você vai encontrar a ficha de mais de 40 atrações de Paris, com horários e preços atualizados em junho de 2024.

As atrações estão divididas em 3 seções: as 10 atrações principais, com os ícones mais procurados da cidade, Mais museus, listando museus para você compor seus passeios (na maioria deles você consegue usar o seu Paris Museum Pass) e finalmente Mais atrações, fechando a lista das 40 ideias para o que fazer em Paris.

Para organizar seus itinerários entre elas, aproveite a página Roteiros de passeios em Paris, que é especialmente útil para quem faz sua primeira viagem a Paris, e também 10 passeios a pé por Paris, explorando os 10 bairros mais apropriados para a arte de flanar.

Em breve também teremos a seção Bate-voltas saindo de Paris (por enquanto, fique com o passo a passo para visitar a casa e jardins de Monet em Giverny).

O que fazer em Paris: mapa

10 atrações principais

Veja nesta seção os detalhes das visitas às 10 atrações mais concorridas de Paris. (Como está fechada até 7 de dezembro, por enquanto deixamos a Catedral de Notre Dame de fora da lista.)

São elas: Torre Eiffel, Museu do Louvre, Palácio de Versailles, Cruzeiro no Sena, Disneyland Paris, Opéra Garnier, Basílica do Sacré-Coeur, Arco do Triunfo, Beaubourg e Museu d’Orsay.

Torre Eiffel

A Torre Eiffel é simultaneamente a atração mais fácil e a mais difícil de Paris.

É a mais fácil porque pode ser avistada de muitos pontos da cidade – incluindo todos os mirantes. E fica ainda mais bonita quando aparece de surpresa. Você está passeando e, do nada, a Torre Eiffel surge no horizonte. Voilà!

Mas a Torre Eiffel também é a atração mais difícil de Paris, porque os ingressos online esgotam muito rápido – e comprar no próprio dia requer um calvário de duas a três horas na fila.

Há dois tipos de ingresso: para o Topo (276 metros de altura) e para o Segundo Andar (115 metros). Os ingressos para o Topo são os que esgotam praticamente no momento em que são postos à venda. Os ingressos para o Segundo Andar continuam disponíveis por mais tempo.

Cada ingresso tem dois preços: mais caro, para subida exclusivamente pelo elevador, e um pouco menos caro, fazendo o trajeto entre o térreo e o Segundo Andar de escada (40 minutos de subida). O trajeto entre o Segundo Andar e o Topo é feito apenas de elevador.

Se você não conseguir comprar online nem estiver com disposição de enfrentar a fila da bilheteria física, pode comprar um tour com agências credenciadas, pelo triplo do preço.

Para saber todos os detalhes de compra e acesso, incluindo a antecedência para conseguir comprar seu ingresso online a preço oficial, leia nosso dossiê 5 maneiras de subir na Torre Eiffel.

Caso você se contente em apenas avistar a Torre Eiffel, sem subir, aprenda a desdenhar: “a Torre Eiffel é o único mirante de Paris de onde não se avista a Torre Eiffel”.

Informações práticas – Torre Eiffel

Museu do Louvre

A história do Museu do Louvre se confunde com a de Paris. Começou a ser construído em 1190, inicialmente como fortaleza para defender a cidade. Você vai passar por resquícios das muralhas quando caminhar pelo subsolo.

Em 1365 o Louvre passou de forte a palácio, tornando-se residência da família real.

Mais tarde, em 1682, Luís XIV resolveu se mudar com a corte para o Palácio de Versailles, relegando o Louvre à função de guardar o acervo de arte da realeza.

Foi apenas depois da Revolução Francesa, em 1793, que o Louvre foi designado museu e aberto ao público – seu primeiro nome foi Museu Central das Artes da República.

Ainda assim, durante o Segundo Império, uma ala retomou funções palaciais – são os apartamentos de Napoleão III.

A última grande transformação do Louvre se deu em 1989, quando a pirâmide desenhada por I. M. Pei passou a funcionar como entrada principal e a ala Richelieu (onde estão os apartamentos de Napoleão III) foi incorporada ao museu.

Quanto tempo leva a visita ao Louvre?

O Louvre é o museu mais concorrido do mundo – em 2023, foram quase 9 milhões de visitantes.

Boa parte dessa multidão está em busca de um encontro tête à tête com a Mona Lisa – a obra de arte mais famosa da História. Mas há outras 33 mil peças expostas, de tesouros da Antiguidade à arte europeia clássica.

O Louvre é tão grande, que mesmo aquela visitinha rápida, para ticar as atrações mais populares, não leva menos de duas horas.

O ideal é estudar o que você quer ver e criar seu itinerário antes da visita.

Vale a pena investir mais tempo do que você costuma passar em museus, para ir além daquilo que você já conhece. Tente incluir coleções exóticas, como antiguidades do Oriente Próximo e arte islâmica.

(Ratos de museu, evidentemente, vão querer dividir a visita em pelo menos dois dias.)

Como se orientar no Louvre

O saguão principal, sob a Pirâmide, dá acesso às três alas: Denon, Sully e Richelieu.

Veja no site do Louvre as coleções expostas em cada ala e quais galerias estão abertas no dia da sua visita.

Ala Denon

Na ala Denon você encontra a Mona Lisa (no nível 1) e a escultura da Vitória Alada de Samotrácia, que representa a deusa grega Nike (no alto da escadaria Darun, no nível 1). Antiguidades romanas, pintura clássica, arte islâmica e não europeia completam o acervo.

Ala Sully

A ala Sully hospeda a esfinge de Tânis (no nível -1), guardiã da coleção de arte egípcia, e a Vênus de Milo (no nível 0), que reina entre antiguidades gregas dos anos 500 a 30 A.C.

Ala Richelieu

Os destaques da ala Richelieu são o Cour Puget, um pátio com teto envidraçado repleto de esculturas, o Cour Khorsabad, que leva à seção de antiguidades assírias, e os Apartamentos de Napoleão III, que mantêm intacto o luxo do Segundo Império.

O Louvre tem audioguia em português?

Sim, tem. É possível reservar na bilheteria online.

Como comprar ingresso para o Museu do Louvre

Reservar seu ingresso com antecedência é essencial para não ficar duas a três horas na fila.

Os ingressos têm hora marcada e podem ser comprados no site oficial a partir de 4 meses de antecedência. Normalmente você consegue comprar alguns dias antes da visita – mas se vai viajar nas férias de julho e agosto, procure comprar com 1 mês de antecedência.

Jovens até 17 anos, de qualquer nacionalidade, entram de graça – mas precisam reservar um ingresso grátis com hora marcada na mesma página dos pagantes.

Museu do Louvre com o Paris Museum Pass

Portadores de Paris Museum Pass também precisam reservar horário.

O site do Louvre tem uma página especial para reservas de portadores do passe.

É possível fazer reserva mesmo antes de comprar o Paris Museum Pass – você só precisa apresentar o passe na entrada.

Ingressos esgotados para o Museu do Louvre. O que fazer?

Ingressos no próprio dia

Se os ingressos para o seu dia estiverem esgotados, você pode entrar na fila dos sem-ingresso, que leva de 2 a 3 horas nos dias mais concorridos.

A fila principal é em frente à Pirâmide. Às vezes abrem uma segunda fila na galeria do Carroussel do Louvre.

Ingressos e tours com agências credenciadas

Agências também vendem ingressos simples (com sobrepreço) ou tours guiados para o Louvre.

Vale a pena dar uma olhadinha se os ingressos na bilheteria oficial estiverem esgotados para o seu dia, ou se você quiser um guia orientando seus passos no Louvre.

Algumas opções oferecidas pelos nossos parceiros:

Como entrar no Museu do Louvre

A entrada principal é pela Pirâmide.

Tem a fila para quem já tem ingresso (que leva 20-30 minutos por causa da passagem pelo raio X) e a fila para quem vai comprar ingresso, que é bem mais longa e serpenteia ao longo da Pirâmide.

Em alguns momentos são abertas as entradas da galeria Carroussel do Louvre (para quem não tem ingresso) e da Passagem Richelieu (para quem já tem ingresso).

Informações práticas – Museu do Louvre

Palácio de Versailles

  • Reserva de horário? Extremamente recomendável | Paris Museum Pass? Aceita |

O Palácio de Versailles começou, quem diria, como uma propriedade rural numa região pantanosa, que o rei Luís XIII usava para suas caçadas.

O lugar só se tornou um palácio durante o reinado de Luís XIV, que em 1682 se mudou do Louvre e, de quebra, trouxe toda a corte.

Declarado museu em 1833, o palácio passou por um período de decadência. Foi apenas depois da Primeira Guerra Mundial que se decidiu reconstituir o fausto das cortes de Luís XIV, Luís XV e Luís XVI para deleite dos visitantes.

Prepare-se para compartilhar sua visita com uma multidão: Versailles atrai 8 milhões de visitantes por ano. Entre maio e setembro o palácio fica tão cheio quanto o Vaticano.

Abstraia os coleguinhas turistas e siga em frente: Versailles é o palácio mais luxuoso onde a gente vai conseguir pôr os pés.

Como é a visita ao Palácio de Versailles

No Palácio de Versailles o ingresso com hora marcada não dispensa você da fila: todo mundo tem que passar pelo detector de metais. Chegue meia hora antes do horário marcado no seu ingresso e procure a fila do seu horário.

A entrada é pelo Pavilhão Dufour, à esquerda do portão principal. A partir dali todos os visitantes seguem na mesma direção.

O térreo contém os salões menos impressionantes do palácio – não precisa gastar muito tempo com eles. Você vai passar pelos apartamentos das “Mesdames” – duas filhas solteiras de Luís XV que não casaram e viveram em Versailles até a Revolução.

O circuito continua no primeiro andar, que é onde está o filé (ou o brioche?) de Versailles: os apartamentos do Rei (Luís XIV) e da Rainha (Maria Theresa), que são ligados pela Galeria dos Espelhos – o mais extravagante salão de festas jamais criado.

Lembra do Tratado de Versalhes, que marcou o fim da Primeira Guerra Mundial? Foi assinado neste salão.

Jardins de Versailles

Versailles não se limita ao Palácio. Seus jardins, desenhados por André Le Nôtre, criaram um estilo de jardinagem francesa que foi replicado mais tarde no Jardim das Tulherias e até hoje serve de modelo para jardins mundo afora.

Entre novembro e março o acesso aos jardins está incluído em todos os ingressos e também no Paris Museum Pass, sem necessidade de reserva específica.

Entre abril e outubro, entretanto, quando acontecem os shows musicais, é preciso comprar um passaporte completo ou, no caso de portadores do Paris Museum Pass, um ingresso complementar.

Os jardins abrem às 8h e podem ser visitados antes ou depois do Palácio. A hora marcada no ingresso vale apenas para o Palácio principal.

Trianon, Petit Trianon e Hameau de Maria Antonieta

Ao fundo dos jardins estão dois palacetes: o Trianon e o Petit Trianon, além do vilarejo rural que Maria Antonieta criou para se refugiar da vida da Corte.

O deslocamento entre o jardim e os palacetes pode ser feito a pé (30 minutos em cada sentido), pelo Petit Train (pago) ou com carrinho de golfe elétrico (alugado).

Esta área está incluída no ingresso Passaporte e também no Paris Museum Pass – mas portadores do passe precisam reservar um ingresso gratuito (chamado “Estate of Trianon” ou, em francês, “Billet Domaine de Trianon”).

Os palacetes abrem às 12h. Podem ser visitados antes ou depois do Palácio. A hora marcada do ingresso vale apenas para a entrada no Palácio principal.

Shows musicais nos jardins

Nos meses mais quentes, entre abril e outubro, os jardins de Versailles são palco de shows musicais e luminosos.

São três shows:

  • Les Jardins Musicaux: você passeia pelo jardim ao som de música barroca. Não há fontes dançantes. Acontece ao longo do dia, quase todos os dias da temporada, de terça a sexta. Consulte a programação.

Portadores do ingresso Passaporte têm direito ao show Les Jardins Musicaux sem pagamento extra.

  • Les Grandes Eaux Musicales: além de música barroca, as fontes estão ligadas e executam números de águas dançantes. Acontece ao longo do dia nos fins de semana e em alguns dias específicos durante a semana. Consulte a programação.

Portadores do ingresso Passaporte têm direito ao show Les Grandes Eaux Musicales sem pagamento extra.

  • Les Grandes Eaux Nocturnes: grande show de som e luz, música barroca, águas dançantes e fogos de artifício. Acontece ao cair da noite nos sábados e em alguns outros dias. Consulte a programação.

O show Les Grandes Eaux Nocturnes não está incluído em nenhum ingresso. É preciso comprar um ingresso separadamente.

Quanto tempo leva a visita ao Palácio de Versailles?

Se você só vai visitar o palácio principal, reserve entre 1h30 e 2h para o percurso, acrescentando 30 minutos para a fila do raio X.

Para visitar também os jardins e os palacetes – e fazer um lanche no local – você vai precisar de 4 a 6 horas. Nesse caso, não marque mais nenhum compromisso turístico no dia.

Versailles tem audioguia em português?

O audioguia para o Palácio está disponível em português. Para o Trianon e Petit Trianon, não (mas tem em espanhol). Você pode reservar o seu na bilheteria online.

Como comprar ingresso para o Palácio de Versailles

Garanta seu ingresso online. As vendas começam com 6 meses de antecedência. A reserva de horário é necessária até para quem usar o Paris Museum Pass.

Na baixa temporada, você consegue comprar online até na véspera (e em alguns horários, até mesmo no dia). Nas férias de julho e agosto, porém, reserve com algumas semanas de antecedência.

O site vende inúmeros tipos de ingresso, com diferentes combinações. Os principais são:

Passaporte

O ingresso Passaporte (Passport) dá direito a visitar todo o complexo:

  • O Palácio, com hora marcada
  • Os jardins, com horário livre (inclusive durante os shows diurnos Les Jardins Musicaux e Les Grandes Eaux Musicales)
  • O Trianon, o Petit Trianon e os domínios de Maria Antonieta, a partir das 12h

O ingresso Passaporte NÃO dá direito ao show musical noturno (Les Grandes Eaux Nocturnes).

Ingresso para o Palácio

O ingresso para o Palácio (Palace Ticket) permite visitar:

  • O Palácio, com hora marcada
  • Os jardins – somente durante os meses em que não há shows musicais (novembro a março)

Portadores do Paris Museum Pass podem reservar este ingresso.

Ingresso para o Trianon, Petit Trianon e Hameau de Maria Antonieta

O ingresso para o Trianon (Trianon Estate Ticket) garante acesso, a partir das 12h, a essas áreas:

  • Trianon, Petit Trianon e Hameau de Maria Antonieta
Ingressos para os shows musicais diurnos

Portadores do Paris Museum Pass ou do Palace Ticket precisam comprar um ingresso complementar para ter acesso aos jardins durante as apresentações musicais diurnas.

Há dois ingressos disponíveis. Ambos dão acesso aos jardins:

Portadores do Passaporte NÃO precisam comprar nenhum desses ingressos. Têm acesso aos jardins inclusive durante as apresentações dos shows diurnos.

Ingresso para o show musical noturno

O show Les Grandes Eaux Nocturnes não está incluído em nenhum outro ingresso (nem mesmo no Passaporte). É preciso comprar um ingresso separado para assistir.

Versailles com o Paris Museum Pass

Portadores do Paris Museum Pass precisam reservar seus ingressos gratuitos na mesma página dos outros visitantes. A reserva pode ser feita antes de comprar o passe – você só vai precisar dele na hora de entrar.

Para a visita completa, é preciso reservar o Palace Ticket e o Trianon Ticket separadamente.

Nos dias em que o jardim receber shows musiciais, você vai precisar comprar o ingresso do show para visitar o jardim.

Ingressos esgotados para Versailles. O que fazer?

Ingressos no próprio dia

É possível comprar ingresso na bilheteria do Palácio – mas não é garantido que você consiga.

Ingressos e tours com agências credenciadas

Agências também vendem ingressos simples (com sobrepreço) ou tours guiados para Versailles.

Algumas opções oferecidas pelos nossos parceiros:

Como chegar a Versailles

O jeito mais rápido e econômico de chegar ao Palácio de Versailles é com a linha C do trem suburbano RER.

Você pode embarcar na RER C nas estações Saint Michel-Notre Dame, Invalides ou Champs de Mars-Tour Eiffel. Salte na estação Château-Rive Gauche, que está a 10 minutos de caminhada do Palácio de Versailles.

Versailles está situado na zona 4 dos transportes parisienses. Para ir e voltar de metrô e trem e você dispõe de 4 alternativas:

  • Cartão Navigo Découverte carregado com passe semanal (€ 35)
  • Cartão Navigo Easy carregado com passe diário zonas 1 a 4 (€ 16,35)
  • 2 passagens avulsas entre as zonas 1 e 4 (€ 8,30)
  • Passe Paris Visite zonas 1 a 5 (desde € 29,25)

Leia sobre passes de transporte em Paris.

Informações práticas – Palácio de Versailles

Cruzeiro no Sena

O rio Sena funciona como uma avenida para contemplar cartões postais em série.

Boa parte dos ícones parisienses têm vista para o rio – e são vistos por quem passa de barco: a catedral de Notre Dame, o Louvre, a Place de la Concorde, o Museu d’Orsay, o Grand Palais, a Torre Eiffel. Sem falar das pontes: cada uma mais bonita que a outra.

Para contemplar Paris deslizando pelo Sena, você pode embarcar num dos cruzeiros panorâmicos de 1 hora, cacifar um cruzeiro gastronômico, esbanjar num cruzeiro privativo ou comprar um passe de 24 ou 48 horas no barco hop-on hop-off Batobus.

Cruzeiros panorâmicos

Várias cias. oferecem cruzeiros ao longo do Sena. O esquema é padrão: 1 hora de trajeto, indo por uma margem e retornando pela outra. Os barcos têm dois decks – o inferior fechado e o superior com pelo menos uma área aberta.

Todos oferecem narração do percurso em até 4 línguas.

O embarque é feito no atracadouro em frente à Torre Eiffel – com exceção da cia. Vedettes du Pont Neuf, que embarca seus passageiros na região central de Paris.

Entre as grandes operadoras, a que usa os barcos menores (e a única que leva guias de carne e osso fazendo a narração ao vivo) é a Vedettes de Paris.

As saídas são frequentes e normalmente dá para comprar até na hora. Mas se você quer fazer o cruzeiro ao entardecer, vale a pena comprar com antecedência para garantir o horário.

As mesmas cias. também oferecem cruzeiros com almoço ou jantar. Tenha em mente, porém, que os barcos são grandes e se você ficar numa mesa longe da janela vai ver pouco do trajeto.

  • Vedettes du Pont Neuf
    • Diferenciais: embarque na região central e possibilidade de marcar horário
    • Embarque: numa uma ilhota embaixo da Pont Neuf (metrô: Pont Neuf)
    • Preços: € 16 (4 a 12 anos: € 10 – até 3 anos: grátis). Oferece descontos no site
    • Site
    • Instagram
  • Vedettes de Paris
    • Diferenciais: barcos menores, guia narrando ao vivo e horário marcado
    • Embarque: em frente à Torre Eiffel
    • Preços: € 20 (4-11 anos: € 9 – até 3 anos: grátis)
    • Cruzeiro-aperitivo: a partir das 19h30, mesmos preços, inclui 1 taça de champagne ou vinho ou 1 cerveja
    • Site
    • Instagram
  • Bateaux Parisiens
    • Embarque: em frente à Torre Eiffel
    • Preços: € 18 (até 11 anos: € 10,50). Oferece descontos no site
    • Dá para reservar horário? Não
    • Site
    • Instagram
  • Bateaux Mouches
    • Embarque: em frente à Torre Eiffel
    • Preços: € 17 (4-12 anos: € 8 – até 3 anos: grátis). Oferece descontos no site
    • Dá para reservar horário? Não
    • Site
    • Instagram

Batobus: barco hop-on hop-off

Se o Sena tem tantas atrações às suas margens, por que não usar um barco para se deslocar entre elas?

O sistema Batobus (“barco-ônibus”) permite fazer um cruzeiro pelo Sena com 9 paradas pelo caminho. É o melhor passeio “hop-on hop-off”, já que não pega o trânsito dos ônibus e deixa você na porta de Notre Dame, do Louvre, da Place del a Concorde, da Torre Eiffel, do Museu d’Orsay, de St.-Germain-des-Prés e do Instituto do Mundo Árabe.

Os barcos têm cobertura de acrílico transparente e um pequeno deck aberto. Carregam passageiros sentados e em pé.

Os passes dão direito a 24 ou 48 horas corridas de uso ilimitado dos barcos, contando a partir do primeiro embarque. Os barcos costumam passar em intervalos de 15 minutos.

É melhor comprar online, porque nem sempre as bilheterias das paradas estão abertas.

  • Batobus
    • Passe 24 horas corridas: € 23 (3-15 anos: € 13 – até 2 anos: grátis)
    • Passe 48 horas corridas: € 27 (3-15 anos: € 17 – até 2 anos: grátis)
    • Site

Cruzeiros gastronômicos

Almoçar ou jantar durante um cruzeiro pelo Sena pode tirar a sua concentração da paisagem.

Mas se você quer viver essa experiência, que seja da maneira mais elegante – e com uma refeição compatível com a qualidade da gastronomia de Paris.

Essas são as cias. que operam cruzeiros pelo Sena com pretensões gastronômicas:

  • Le Calife
    • Embarque: sob a Pont des Arts (metrô: Pont Neuf ou Odéon)
    • Duração: 2h
    • Terraço descoberto: menu € 137, com bebidas € 179
    • Varanda coberta: menu € 117, com bebidas € 159
    • Deck inferior (vista por escotilhas): menu € 117, com bebidas € 159
    • Menu almoço: a partir de € 49
    • Site
    • Instagram
  • Ducasse sur Seine
    • Embarque: Port Debilly, na margem oposta à Torre Eiffel (metrô: Trocadéro)
    • Duração: 2h
    • Menu 4 passos: € 160, com bebidas € 265
    • Menu 5 passos: € 200, com bebidas € 305
    • Menu 3 passos (almoço): € 105, com bebidas € 165
    • Site
    • Instagram
  • La Marina
    • Embarque: em frente ao Museu d’Orsay (RER: Musée d’Orsay)
    • Duração: 2h
    • Menu “Romântico”: € 140 (com champagne)
    • Menu “Sabores”: € 85 (sem bebidas)
    • Menu almoço: € 68 (sem bebidas)
    • Site
    • Instagram

Uma experiência intermediária entre o cruzeiro panorâmico e o gastronômico são os cruzeiros com degustação de champagne da Ô Château.

  • Ô Château
    • Embarque: em frente à Torre Eiffel
    • Duração: 1h
    • Champagne cruise: € 69 (degustação de 3 taças)
    • Site

Cruzeiros privativos

Também é possível ter um cruzeiro para chamar de seu: só você e sua turma numa lancha pelo Sena. A cia. Green River oferece três itinerários incluindo vinho ou champagne.

  • Green River
    • Embarque: Péniche Maquereaux (metrô St. Paul) ou Péniche Playtime (metrô Gare d’Austerlitz)
    • Cruzeiro Alexandre III: 1h – € 330 até 6 passageiros
    • Cruzeiro Tour Eiffel: 1h30 – € 450 até 6 passageiros
    • Cruzeiro Statue de la Liberté: 2h – € 540 até 6 passageiros
    • Inclui 2 garrafas de vinho Chardonnay ou 1 garrafa de champagne por passeio
    • Permitido levar comida e bebida a bordo
    • Site
    • Instagram

Disneyland Paris

  • Reserva de data? Obrigatória | Paris Museum Pass? Não aceita |

Se você não abre mão de incluir a Disneyland Paris na sua viagem, saiba que não está só. A Disneyland Paris é a atração mais visitada da França – acima de Versailles, do Louvre e até da Torre Eiffel.

Por estar a menos de uma hora de trem do centro de Paris, a Disneyland Paris cabe confortavelmente num passeio bate-volta. Mas se você quiser dedicar mais de um dia a Mickey (e Ratatouille!), já vale a pena considerar se hospedar uma ou duas noites nos arredores.

Como é a Disneyland Paris

O complexo é composto por dois parques: a Disneyland e o Walt Disney Studios. Entre os dois fica a Disney Village, um shopping a céu aberto que funciona como centrinho entre os parques, a estação de trem e os hotéis do entorno.

A Disneyland tem 5 setores:

  • Main Street USA – bem na entrada do parque está a rua que leva ao Castelo da Bela Adormecida e recebe a Parada dos Personagens ao fim do dia
  • Fantasyland – as atrações mais tradicionais e fofinhas do universo Disney estão neste setor. Passando o Castelo da Bela Adormecida você encontra o Carrossel dos Dumbos, as Xícaras Malucas e o trenzinho It’s a Small World. Não perca o Curioso Labirinto de Alice, uma atração que você não encontra nas Disneys americanas.
  • Adventureland – a montanha russa de Indiana Jones e o área dos Piratas do Caribe são os âncoras deste setor. A atração exclusiva de Paris é a Passagem Secreta de Aladdin, que você percorre a pé.
  • Discoveryland – o setor futurista é capitaneado por uma dose dupla de Star Wars: a montanha russa Hyperspace Mountain e a experiência 3D Star Tours (ainda mais vertiginosa). No Buzz Lightyear Laser Blast os ocupantes de um mesmo carrinho competem para ver quem acerta mais alvos com uma pistola a laser.
  • Frontierland – o enclave do Velho Oeste tem como destaque a versão mais cultuada da montanha russa Big Thunder Mountain. A casa mal-assombrada Phantom Manor e o barco a vapor Thunder Mesa completam as atrações.

O Walt Disney Studios está sendo reformado para se tornar Disney Adventure World. Em meados de 2025, a grande atração vai ser o Mundo de Frozen. Por enquanto, o parque tem atrações dispostas em outros 4 setores:

  • Worlds of Pixar – os personagens da Pixar reinam nesta área, cuja grande atração é Ratatouille: The Adventure, que leva por um passeio por um restaurante sob o ponto de vista do ratinho Ratatouille. A turma de Cars protagoniza duas atrações: uma estradinha que você percorre a pé e um brinquedo rodopiante tipo xícaras malucas.
  • Marvel Avengers Campus – é o território dos super-heróis. Os brinquedos mais concorridos são a montanha russa Avengers Assemble: Flight Force e a experiência interativa 4D SpiderMan W.E.B. Adventure.
  • Toon Studio – no setor dos desenhos animados a grande atração são os encontros com personagens como o Homem Aranha e as princesas de Frozen. Aproveite para embarcar os pequenos no carrossel de tapetes voadores de Aladdin.
  • Production Courtyard – na pequena Hollywood do parque, a maior fila é para a Twilight Zone Tower of Terror, um brinquedo de queda livre ‘indoor’ que também faz sucesso em Orlando.

Quanto tempo leva a visita à Disneyland Paris?

A regra básica para grandes parques temáticos, seja em Orlando, Tóquio ou Paris, é “1 parque por dia”.

Ou seja: se puder, dedique dois dias à Disneyland Paris – um dia intenso para a Disney, outro dia mais light no Walt Disney Studios (aproveitando o tempo que sobrar para repetir alguma atração da Disney).

Caso só tenha 1 dia para este passeio, estude as atrações, selecione suas prioridades e monte um roteirinho prático começando num parque e terminando no outro. Nesse caso, consulte o FMI para ver se pode investir num passe fura-fila.

Como comprar ingresso para a Disneyland Paris

O site oficial vende dois tipos de ingresso: com data e sem data.

Compre ingresso com data, porque só é possível visitar a Disneyland Paris com reserva, e o número de visitantes por dia é limitado. Por isso, mesmo quem compra ingresso sem data precisa marcar uma data antes do passeio.

Depois de definir o tipo de ingresso (com ou sem data), você escolhe entre ingresso para 1 parque ou 2 parques no mesmo dia.

O preço dos ingressos sem data é fixo (€ 105 para 1 parque, € 130 para dois).

Já o preço dos ingressos com data marcada varia conforme a data – fica mais caro durante as férias escolares europeias. A inteira para 1 dia varia entre € 57 e € 130 para 1 parque e entre € 82 e € 155 para 2 parques. (O preço mais alto é sempre para a noite de 31 de dezembro.)

Crianças de 3 a 11 anos têm um pequeno desconto, e até 2 anos entram de graça. Veja todos os preços na caixa de Informações Práticas, logo abaixo.

Tem fura-fila na Disneyland Paris?

Sim, tem. Muitas atrações oferecem fila rápida para quem compra o Disney Premier Access.

Há dois tipos de passes fura-fila, ambos com preços variáveis conforme o dia da visita:

  • o Disney Premier Access Ultimate dá acesso à fila prioritária de todas as atrações disponíveis, sem limite de uso e sem marcação de horário. É bem caro: custa entre € 90 e € 190, e vale para os dois parque no mesmo dia.
  • o Disney Premier Access One permite escolher uma única atração e marcar hora para visitar usando a fila prioritária. Custa entre € 5 e € 18 por atração. Você pode comprar para várias atrações.

Os passes fura-fila estão disponíveis para compra no app da Disneyland Paris. Você precisa associar o número do seu ingresso já comprado.

Como chegar à Disneyland Paris

O jeito mais rápido e econômico de chegar à Disneyland Paris é com a linha A do trem suburbano RER.

Ir e voltar de RER apenas € 10 (€ 5 para crianças de 4 a 10 anos). E está incluído no passe semanal do cartão Navigo Découverte.

Também dá para chegar com o ônibus Shuttle Paris Disneyland Express ou com tours de agências. Veja também como ir dos aeroportos à Disneyland Paris.

Disneyland com o trem RER A

O complexo Disneyland Paris é servido pela estação Marne la Vallée-Chessy da linha RER A.

Estes são os tempos de viagem entre as estações centrais do RER e Marne la Vallée-Chessy:

  • Saindo de Châtelet-Les Halles: 42 minutos
  • Saindo da Gare de Lyon: 37 minutos
  • Saindo de Nation: 34 minutos

A estação Marne la Vallée-Chessy fica na própria Disney Village, o centrinho da Disneyland, a 5 minutos de caminhada das entradas da Disneyland e do Walt Disney Studios.

Marne la Vallée-Chessy está situada na zona 5 dos transportes parisienses. Para ir e voltar de trem você tem 4 opções:

  • Cartão Navigo Découverte carregado com passe semanal (€ 35)
  • 2 passagens avulsas entre as zonas 1 e 5 (€ 10)
  • Cartão Navigo Easy carregado com passe diário zonas 1 a 5 (€ 20,60)
  • Passe Paris Visite zonas 1 a 5 (desde € 29,25)

Crianças até 3 anos não pagam. Crianças de 4 a 9 anos têm 50% de desconto nas passagens avulsas e no passe Paris Visite.

Leia sobre passes de transporte em Paris.

Disneyland com o Shuttle Disneyland Paris Express

Ônibus especiais da Disneyland Paris saem de 4 pontos de Paris (Torre Eiffel, Opéra, Gare du Nord e Châtelet) entre 8h15 e 8h55 e chegam à Disneyland Paris até as 9h45. A saída da Disneyland Paris é às 21h.

O preço da viagem ida e volta é € 53. Crianças até 3 anos não pagam. O Shuttle é vendido no momento da compra do ingresso no site da Disney, como extra.

Pontos de partida:

  • Torre Eiffel: 14-16 rue Jean Rey (RER: Champs de Mars-Tour Eiffel)
  • Opéra: 8 place de l’Opéra (metrô: Opéra)
  • Châtelet: 1 place du Châtelet (metrô: Châtelet)
  • Gare du Nord: 116 rue de Maubeuge (metrô: Gare du Nord)
Disneyland Paris em tours de agências

Agências credenciadas vendem ingressos para a Disneyland Paris com ou sem transporte agregado. Veja algumas opções:

  • Get Your Guide
    • Ingresso sem transporte (desde € 56)
    • Ingresso + ida e volta no Disneyland Paris Shuttle Express (desde € 110)
Disneyland Paris saindo dos aeroportos

Se você vai diretamente dos aeroportos Charles de Gaulle ou Orly para a Disney, pode escolher entre o ônibus Magical Shuttle e trânsfers privativos. Do Charles de Gaulle também dá para ir de trem de alta velocidade TGV.

  • Saindo do aeroporto Orly
    • Ônibus Magical Shuttle: € 24 por pessoa, ou € 96 por grupo de 5-8 pessoas (1 hora de viagem)
    • Táxi: € 85 – €110 por carro (40 minutos de viagem)
    • Trânsfer privativo: € 90 por carro (40 minutos de viagem)

Onde se hospedar perto da Disneyland Paris

Planeja passear mais de um dia na Disneyland Paris? Considere hospedar-se perto do parque – assim você pode chegar mais cedo e aproveitar até a queima de fogos final, sem se preocupar com a viagem de volta a Paris.

Hotéis do complexo Disneyland Paris

Assim como acontece em Orlando e em Anaheim, a Disneyland Paris dispõe de hotéis próprios dentro do complexo.

São 7 hotéis – incluindo um na entrada do parque (o Disneyland Hotel) e um hotel com temática Marvel (Disney Hotel New York – The Art of Marvel).

Hospedar-se nos hotéis da Disney dá direito à Magical Extra Hour – entrada no parque uma hora mais cedo que o público. Com exceção do Davy Crocket Ranch, todos os hotéis têm acesso a pé e de ônibus gratuito ao parque.

Hotéis no entorno do outlet Val d’Europe

A 3 minutos da estação da Disneyland Paris pelo trem RER A, o outlet Val d’Europe tem hotéis e apartamentos de temporada no entorno que servem muito bem de base para visitar a Disneyland.

As tarifas são sensivelmente mais camaradas do que os dos hotéis Disney.

Hotéis em Bussy-St.-Georges

A 7 minutos da estação da Disneyland Paris pelo trem RER A, a pequena Bussy-St.-Georges é a melhor alternativa para se hospedar do ladinho da Disney numa cidadezinha de verdade.

Informações práticas – Disneyland Paris

Opéra Garnier

Inaugurado em 1875, o teatro da Ópera de Paris (fica mais gostoso em francês: a Operrá) atualmente é conhecido como Palais Garnier ou Opéra Garnier, para se diferenciar da Opéra Bastille, criada em 1989.

É sem dúvida a ópera mais bonita do planeta, modelo para vários teatros de outros países – incluindo três no Brasil: o Teatro Amazonas, o Municipal do Rio de Janeiro e o Municipal de São Paulo.

Por mais que seja copiada, as proporções da sua escadaria (a um só tempo elegante e monumental), o luxo do foyer e a beleza do afresco do teto pintado por Marc Chagall (adicionado em 1964) restam inigualáveis – você vai pecisar visitar para ver de perto.

Como comprar ingresso e visitar a Opéra Garnier

Todas as visitas têm horário marcado.

Como os lugares são limitados, compre seu ingresso com antecedência. A bilheteria oficial vende ingressos para os próximos 60 dias.

Há dois tipos de visitas: “autoguiada” (autônoma) e “guiada”.

Visita autoguiada à Opéra Garnier

A visita autoguiada têm ingresso para as horas cheias, das 10h às 15h.

Se o seu ingresso está marcado para as 10h, você pode entrar na Ópera até antes das 11h.

Não há limite de tempo para permanecer no teatro.

Adultos pagam € 15. Visitantes de 12 a 17 anos pagam € 10. Crianças até 11 anos não pagam ingresso.

Visita guiada à Ópera Garnier

As visitas guiadas acontecem em 4 horários por dia e duram 1h30 – com exceção do último tour, às 17h (depois que a Opéra fechou as portas às visitas autoguiadas), que dura 1h15.

O preço é € 23. Visitantes de 10 a 17 anos pagam € 16,50. Crianças até 9 anos pagam € 10. Na saída das 17h, todos pagam € 26.

Antes de selecionar seu horário, você escolhe a língua: há saídas em inglês, francês, espanhol e italiano.

A Opéra Garnier tem audioguia em português?

O audioguia da Opéra Garnier é um tablet multimídia chamado Revelacio. Tem versão em português, sim, e custa € 7 quando comprado online junto com o ingresso.

Ingressos esgotados para a Opéra Garnier. O que fazer?

Ingressos no próprio dia

A bilheteria da Opéra Garnier vende ingressos para o mesmo dia. Se os ingressos esgotarem online, entre na fila e torça para conseguir.

Ingressos e tours com agências credenciadas

Agências também vendem ingressos simples (com sobrepreço) ou tours guiados para a Opéra Garnier.

Algumas opções oferecidas pelos nossos parceiros:

Espetáculos na Opéra Garnier

O palco da Opéra Garnier hoje recebe sobretudo espetáculos de balé (as óperas foram para a Bastille).

Você pode comprar ingressos para os espetáculos no site da Opéra de Paris (verifique se o local da apresentação é o Palais Garnier – o site também vende ingressos para a Opéra Bastille)

Informações práticas – Opéra Garnier

Basílica do Sacré-Coeur

A Basílica do Sacré-Coeur (Sagrado Coração) ocupa o ponto mais alto da colina de Montmartre – e pode ser vista de muitos pontos da cidade.

Não se trata de uma igreja antiquíssima. Sua construção foi decidida depois da derrota da França na Guerra Franco-Prussiana de 1870.

Conservadores católicos achavam que a Revolução Francesa tinha provocado o declínio moral do país e que a derrota na guerra tinha sido um castigo divino. Erguer uma igreja dedicada ao sagrado coração de Jesus serviria como sinalização de seu arrependimento e contrição.

A basílica só foi consagrada em 1919 – e os trabalhos para concluir seu interior se estenderam até 1923.

Hoje em dia a Basílica do Sacré-Coeur atrai mais turistas do que peregrinos. Ainda assim, a maioria dos que chegam até lá para apreciar a vista acaba querendo entrar na igreja. Como todos os visitantes precisam passar pelo raio-x, a fila pode ser longa. A entrada é gratuita.

Subida à Cúpula da Sacré-Coeur

Querendo pairar 80 metros acima da colina e desfrutar de uma vista de 360º, encare a subida de 300 degraus até a Cúpula da basílica. A entrada é pela lateral da igreja e custa € 5.

Informações práticas – Basílica do Sacré-Coeur

Arco do Triunfo

Inaugurado em 1836 ao cabo de 30 anos de construção, o Arco do Triunfo comemora as vitórias militares de Napoleão. Na sua base está o Monumento ao Soldado Desconhecido – e no interior, suas colunas trazem o registro de mais de 100 batalhas e 500 generais.

O Arco do Triunfo é um dos maiores símbolos de Paris e serve de ponto focal para a monumental avenida dos Champs-Élysées. Sai bem na foto em qualquer distância.

Mas se você tiver disposição para encarar a subida de 350 degraus, vale a pena ir até o seu terraço. Dali você tem uma das vistas mais bonitas da Torre Eiffel – além do panorama completo dos Champs-Élysées até a Place de la Concorde (e também, na direção oposta, ao centro moderno de La Défense).

Para não enfrentar fila, compre ingresso com hora marcada online.

Arco do Trinfo com o Paris Museum Pass

Se você vai usar o Paris Museum Pass no Arco do Triunfo, não precisa de reserva: basta se dirigir à entrada com seu passe válido.

Informações práticas – Arco do Triunfo

Beaubourg (Centro Pompidou)

Aberto em 1977, o Centro Pompidou – mais conhecido pela sua localização, na rue Beaubourg – foi recebido com estranheza e rejeitado por boa parte dos parisienses.

Os arquitetos Renzo Piano e Richard Rogers criaram um prédio às avessas, com todas as estruturas aparentes e pintadas em cores vivas, o que destoava completamente da estética de Paris.

Mal sabiam os parisienses daquela época que o Beaubourg mudaria não só a história da arquitetura, como da relação entre museu e público. Muito antes do Guggenheim de Bilbao, o Beaubourg se tornou uma atração turística em si, não importando o que estivesse em exposição.

(A pirâmide do Louvre só existe porque 15 anos antes alguém aprovou o design esquisito do Beauboug.)

Mas não se limite a ver o Beaubourg por fora. O interior guarda um acervo de arte contemporânea e recebe ótimas exposições temporárias.

Não deixe de subir pelas escadas rolantes externas até o terraço. Mesmo que você não vá ao restaurante que há ali, curta a vista dos telhados de Paris com a Basílica do Sacré-Coeur ao fundo.

Ah, sim: antes de continuar o passeio, dê a volta completa por fora do edifício, para não perder a fonte com as esculturas fofíssimas de Nikki de St.-Phalle.

Para não enfrentar fila, compre ingresso com hora marcada online.

O Beaubourg deve fechar em setembro de 2025 e ficar 5 anos fechado para reforma.

Beaubourg com o Paris Museum Pass

Se você vai usar o Paris Museum Pass no Beaubourg, não precisa de reserva: basta se dirigir à entrada com seu passe válido. Para visitar as exposições temporárias, contudo, você vai precisar comprar um ingresso à parte.

Informações práticas – Beaubourg

Museu d’Orsay

Construída para a Exposição Universal de 1900, a linda estação ferroviária do Quai d’Orsay deixou de receber trens de longa distância em 1939. Depois de escapar a um projeto de demolição, tornou-se em 1986 a sede do Museu d’Orsay.

Graças à majestosa estrutura da estação, o Museu d’Orsay é o mais charmoso dos museus parisienses. Seu acervo é carismático, focado na arte francesa entre 1848 e 1914, quando o estilo dominante era o Impressionismo.

Van Gogh, Monet, Degas, Manet, Renoir, Gauguin, Cézanne – todos os ícones do Impressionismo estão representados, em meio a outros que você vai gostar de conhecer.

De quebra, a seção de artes decorativas traz uma coleção interessantíssima do mobiliário francês no ocaso do Art-Nouveau, já começando a transição para o Art-Déco.

Como é a visita ao Museu d’Orsay

Reserve pelo menos 90 minutos para sua visita – aficionados pelo Impressionismo podem passar uma manhã ou uma tarde inteira por aqui.

Os ingressos vendidos online são todos com hora marcada e dão direito às exposições temporárias. Os ingressos são postos à venda para o mês corrente e os três meses seguintes.

É possível comprar ingresso na bilheteria física do museu para o mesmo dia, sem hora marcada – mas o acesso às exposições temporárias vai estar sujeito à disponibilidade de lugares.

O Museu d’Orsay tem audioguia em português?

Sim, tem. Custa 6 e pode ser adquirido no junto com o ingresso online.

Museu d’Orsay com o Paris Museum Pass

Se você vai usar o Paris Museum Pass no Museu d’Orsay, não precisa de reserva: basta se dirigir à entrada com seu passe válido. Para visitar as exposições temporárias, contudo, você vai precisar comprar um ingresso à parte.

Informações práticas – Museu d’Orsay

Mais museus

Conciergerie

Junto com a igreja da Sainte-Chapelle, a Conciergerie constitui o que restou do antigo Palácio da Cidade (Palais de la Cité), residência dos reis franceses entre os séculos 11 e 14. Não pode haver endereço mais central em Paris: em plena île de la Cité, a principal ilha do Sena (onde está também a Catedral de Notre Dame).

Em 1365, no entanto, o rei Carlos V resolveu se mudar para o Louvre, transformado de fortaleza em palácio. A Conciergerie passou então a ter funções administrativas, e também a funcionar como prisão.

Durante a Revolução Francesa, a Conciergerie serviu de calabouço para todos os que estavam à espera da guilhotina – incluindo a rainha Maria Antonieta.

É a Conciergerie desta época que se revela para os visitantes: você visita as masmorras dos pobres e as celas dos ricos, que tinham direito até a serviçais. A cela de Maria Antonieta é o ponto alto do percurso.

É preciso comprar ingresso com hora marcada. A bilheteria online vende ingressos para o mês corrente e para os três meses seguintes.

Se você deixar para comprar na hora, vai enfrentar uma fila bem chatinha.

Conciergerie com o Paris Museum Pass

Se você vai usar o Paris Museum Pass na Conciergerie, vai precisar reservar seu ingresso gratuito na bilheteria online, selecionando a opção “I already have a ticket”.

É possível fazer reserva mesmo antes de comprar o Paris Museum Pass – você só precisa apresentar o passe na entrada.

Informações práticas – Conciergerie

Fondation Louis Vuitton

Desenhada por Frank Gehry (o mesmo do museu Guggenheim de Bilbao), a Fondation Louis Vuitton é um dos mais recentes marcos de arquitetura contemporânea de Paris.

Trata-se do braço cultural do conglomerado de marcas de luxo LVMH (leia-se: Louis Vuitton, Moët Chandon, Dior, Givenchy, Bulgari, Tiffany, hotéis Belmond…), que abriu as portas em 2014 na borda norte do parque Bois de Boulogne.

O acervo é de arte tão conceitual quanto o prédio. Você vai encontrar obras de personagens queridos pelo mundinho da moda, como Jeff Koons, Jean-Michel Basquiat e Gilbert & George, além de instalações assinadas por nomes como Olafur Eliasson, Adrián Villar Rojas e Janet Cardiff.

Como visitar a Fondation Louis Vuitton

Todas as visitas têm hora marcada. Você pode comprar online ou na bilheteria do local (sujeita a fila).

Há duas maneiras de chegar:

  • saltando no metrô Les Sablons (linha 1) e caminhando mais 1 km (15 min.)
  • usando o shuttle que sai a cada 20 min da saída 2 do metrô Charles de Gaulle-Étoile, que leva à porta do museu – gratuito (mostre o ingresso ao condutor)

Informações práticas – Fondation Louis Vuitton

Instituto do Mundo Árabe

Aberto em 1987 para reforçar a presença da cultura árabe na França, o Instituto do Mundo Árabe é um dos prédios modernos mais bonitos de Paris.

O arquiteto Jean Nouvel faz na fachada uma reinterpretação em metal e vidro da mashrabiyya (em português: muxarabi ou gelosia), o tradicional cobogó árabe que permite que se veja o exterior sem expor nada do interior.

O Instituto cobra entrada apenas para visitar o museu, no 7º andar, onde sempre há exposições temporárias.

Para subir ao terraço – que oferece um belo panorama da île St.-Louis e da Catedral de Notre Dame – não se paga nada.

Instituto do Mundo Árabe com o Paris Museum Pass

Se você vai usar o Paris Museum Pass no museu do Instituto do Mundo Árabe, não precisa passar pela bilheteria. É só apresentar o seu passe válido na entrada do museu.

Informações práticas – Instituto do Mundo Árabe

Receba a Newsletter do VNV

Serviço gratuito

    Invalides (Museu do Exército)

    A cúpula dourada do Hôtel des Invalides – mais conhecido como Les Invalides – reluz à distância: é um dos marcos de Paris.

    Erguido como hospital para feridos de guerra (daí os ‘inválidos’), hoje o imponente edificio abriga o Museu do Exército, onde você pode ver armas, armaduras, uniformes e histórias das principais guerras em que a França lutou.

    Para a maioria dos visitantes, porém, a grande atração está debaixo tal cúpula dourada. Desde 1861, ali repousa a tumba de Napoleão – um enome sarcófago de pedra postado no centro da cripta, circundado por esculturas de anjos.

    Os ingressos podem ser comprados online (sem hora marcada) ou na bilheteria física no local.

    Invalides com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass nos Invalides, não precisa passar pela bilheteria: basta se dirigir à entrada com seu passe válido.

    Informações práticas – Les Invalides

    Museu Carnavalet (Museu da História de Paris)

    Pouco visitado por turistas estrangeiros, o Museu Carnavalet é uma pequena joia instalada em dois palacetes contíguos no Marais.

    Seu assunto: a História de Paris, da pré-história aos dias de hoje. Artefatos, móveis, placas, quadros e esculturas contam a formação e transformação de Paris ao longo dos séculos.

    O Carnavalet talvez não caiba num roteiro corrido de primeira viagem a Paris, mas enriquece qualquer volta sua à cidade.

    A entrada é gratuita, basta chegar. Mas as exposições temporárias são pagas e requerem reserva de horário.

    Informações práticas – Museu Carnavalet

    Museu de Cluny (Museu da Idade Média)

    O Museu de Cluny é dono das instalações mais inusitadas entre os museus parisienses: ocupa o lugar de antigas termas romanas que foram incorporadas por uma abadia.

    É um ambiente perfeito para expor a arte medieval que compõe o acervo do museu.

    As estrelas da coleção são a série de seis tapeçarias “A Dama e o Unicórnio“, os vitrais da Sainte-Chapelle e da Basílica de St.-Denis e as esculturas de cabeças que já estiveram na fachada da catedral de Notre-Dame.

    Os ingressos para o Museu de Cluny não têm hora marcada e podem ser comprados tanto online quanto na bilheteria física.

    Museu de Cluny com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass no Museu de Cluny, não precisa passar pela bilheteria: basta se dirigir à entrada com seu passe válido.

    Informações práticas – Museu de Cluny

    Museu de l’Orangerie (Ninfeias de Monet)

    O Museu de l’Orangerie está instalado num galpão comprido nos Jardins das Tulherias – no canto oposto ao do museu Jeu de Paume.

    Originalmente o prédio era uma estufa. Foi erguido para armazenar vasos com pés de laranja no inverno (no verão eles eram transferidos para o Louvre, onde faziam parte da decoração). Por isso o nome ‘orangerie’ (laranjal).

    Hoje o Museu l’Orangerie expõe pinturas impressionistas e pós-impressionistas. Mas por mais reluzentes que sejam alguns nomes do acervo (Picasso, Renoir, Cézanne…), o que atrai a maioria dos visitantes são os 8 murais das ninfeias de Claude Monet, expostos em duas salas ovais concebidas pelo próprio Monet.

    Os ingressos têm hora marcada – é melhor reservar online.

    Para fazer o circuito completo do Impressoinismo e de Claude Monet, visite também o Museu d’Orsay, o Museu Marmottan Monet e a Fondation Claude Monet em Giverny.

    Museu de l’Orangerie com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass no Museu L’Orangerie, precisa reservar horário, como os demais visitantes. Ao reservar seu ingresso online, clique na opção “Musée de l’Orangerie – Free of charge reservation”.

    Informações práticas – Museu de l’Orangerie

    Museu Jeu de Paume (Fotografia e Cinema)

    O museu Jeu de Paume ocupa um ginásio de jogo de palma (antecessor do tênis moderno) construído em 1862 no Jardins das Tulherias – no canto oposto ao Museu de l’Orangerie.

    Desde 1909 é usado como museu. Em sua fase mais importante, o Jeu de Paume esteve dedicado ao Impressionismo – mas sua coleção acabou absorvida pelo Museu d’Orsay.

    Atualmente o Jeu de Paume cobre fotografia, cinema, vídeo e criação online. Mais do que o acervo permanente, o forte do museu são suas exposições temporárias.

    Por estar no Jardim de Tulherias, que será palco de esportes olímpicos, o Jeu de Paume só reabrirá dia 28 de setembro de 2024.

    Os ingressos podem ser comprados online (sem hora marcada) ou na bilheteria física no museu.

    Informações práticas – Museu Jeu de Paume

    Museu Le Bourget (Museu do Ar e do Espaço)

    • Reserva de horário? Apenas de data | Paris Museum Pass? Aceita |

    Localizado dentro do aeroporto executivo Le Bourget, o Museu Le Bourget do Ar do Espaço exibe mais de 100 aeronaves – entre balões, dirigíveis, aviões, helicópteros e foguetes, cobrindo toda a história da aviação.

    Durante a visita é possível visitar quatro aeronaves por dentro: um Boeing 747, dois Concordes e um avião de guerra Dakota usado na batalha do Dia D que encerrou a 2ª Guerra Mundial.

    O ingresso adulto (a partir de 26 anos) dá acesso ao interior das aeronaves. Visitantes até 25 anos entram de graça, mas precisam comprar um Boarding Pass para subir nos bólidos.

    Há atividades opcionais pagas à parte, como a área Planète Pilote, dedicada às crianças (com atividades lúdicas relacionadas à aviação e ao espaço) e o Planetário (aberto sábado e domingo).

    É possível comprar ingressos (incluindo Boarding Pass e atividades opcionais) tanto online quanto na bilheteria do museu.

    Museu Le Bourget com o Paris Museum Pass

    No Le Bourget o Paris Museum Pass o Paris Museum Pass dá direito à entrada e também ao Boarding Pass para embarcar nos aviões disponíveis.

    Como chegar ao Museu Le Bourget

    Para chegar ao Museu Le Bourget você vai precisar de uma combinação de RER ou metrô + ônibus.

    É mais rápido com o trem suburbano RER B, saltando na estação Le Bourget e ali pegar o ônibus 152 direção Gonesse Zac des Tulipes, saltando na parada Musée de l’Air e de l’Espace.

    Se você não tem passe semanal de transporte, fica mais barato ir com o metrô linha 9, saltando na estação La Courneuve e então pegando o ônibus 152 direção Gonesse Zac des Tulipes, saltando na parada Musée de l’Air e de l’Espace.

    Le Bourget está situado na zona 3 dos transportes parisienses. Para ir e voltar você dispõe de 5 alternativas:

    • Cartão Navigo Découverte carregado com passe semanal (€ 35)
    • Cartão Navigo Easy carregado com passe diário zonas 1 a 3 (€ 11,65)
    • 2 passagens avulsas entre as zonas 1 e 3 na RER + 2 ticket t+ para usar no ônibus (€ 11,40)
    • 4 passagens ticket t+ para usar no metrô e no ônibus (€ 8,60)
    • Passe Paris Visite zonas 1 a 3 (desde € 13,95)

    Leia sobre passes de transporte em Paris.

    Informações práticas – Museu Le Bourget

    Museu Marmottan Monet

    Instalado numa aristocrática casa de campo que foi engolida pela urbanização de Paris, o Museu Marmottan Monet detém a maior coleção de obras do impressionista Claude Monet, doadas por sua família.

    O passeio vale tanto pela visita ao palacete, decorado com objetos de arte, quanto pela imersão na obra de Monet, exposta em salas especialmente reformadas para isso.

    É possível comprar as entradas online ou no local.

    Informações práticas – Museu Marmottan Monet

    Museu Quai Branly (África, Américas, Ásia e Oceania)

    Aberto em 2006 num edifício projetado por Jean Nouvel, o Museu do Quai Branly expõe 3.500 objetos de arte provenientes de fora da Europa. A coleção total chega a 1 milhão de peças.

    A ideia por trás do museu é desmistificar o conceito de ‘arte primitiva’, igualando a arte autóctone de povos de África, Américas, Ásia e Oceania à arte clássica europeia normalmente encontrada em museus.

    O ingresso inclui acesso às exposições temporárias – desde que você reserve um ingresso conjunto. Você pode comprer seu ingresso online ou na bilheteria física no local.

    Museu Quai Branly com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass no Museu Quai Branly, não precisa passar pela bilheteria: basta se dirigir à entrada com seu passe válido.

    Informações práticas – Museu Quai Branly

    Museu Picasso

    Um passeio pelo Marais fica ainda mais rico quando você programa uma paradinha para visitar o Museu Picasso.

    Ocupando um elegantérrimo palacete (hôtel particulier) do século 17, o museu mostra a evolução da arte de Pablo Picasso. Você vai conhecer todas as fases de Picasso em ordem cronológica – incluindo os primórdios, quando ainda pintava à maneira tradicional.

    Além de pinturas, o Museu Picasso traz esculturas, desenhos e gravuras do mestre espanhol – todas peças do acervo da família, doado à França como alternativa ao pagamento de imposto de herança.

    No último andar há uma exposição de artistas contemporâneos de Picasso, da sua coleção particular.

    Para não enfrentar fila, vale a pena comprar seu ingresso com hora marcada online.

    Museu Picasso com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass no Museu Picasso, não precisa reservar horário: basta se dirigir à entrada com seu passe válido.

    Informações práticas – Museu Picasso

    Museu Rodin

    Se você precisa de alguma prova da importância do escultor Auguste Rodin para a França, saiba que o Museu Rodin foi aberto em 1919, apenas dois anos depois da sua morte.

    O museu está instalado num hôtel particulier do século 18 que Rodin usou como estúdio e residência parisiense nos seus anos finais. O artista doou a casa ao estado sob a condição de ser transfomada num museu exclusivo para sua obra.

    Comece pelo interior da casa, onde estão expostos desenhos, estudos (‘rascunhos’ já no formato de escultura) e algumas de suas peças mais famosas, como O Beijo, Narciso (Jovem Desesperado) e A Tempestade.

    Termine pelo jardim, onde reinam O Pensador, As Três Sombras e Ugolino e Seus Filhos.

    Os ingressos não têm dia nem hora marcada – valem para uma visita até 1 ano depois da compra. Para evitar perder tempo na fila na bilheteria, porém, vale a pena comprar online.

    Museu Rodin com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass no Museu Rodin, não precisa reservar horário: basta se dirigir à entrada com seu passe válido.

    Informações práticas – Museu Rodin

    Panthéon

    Erguido para ser uma igreja (de Santa Genoveva), o Panthéon acabou convertido na época da Revolução Francesa no que é hoje: um mausoléu em honra aos franceses e francesas mais notáveis. Ou seja, um panteão.

    O prédio, inspirado no Pantheon romano, é o mais imponente edifício neoclássico de Paris. Na sua cripta repousam 80 expoentes da cultura e da ciência francesas: Victor Hugo, Émile Zola, Marie Curie, Alexandre Dumas, Jean-Jacques Rousseau, Voltaire (e Josephine Baker também!).

    No térreo está exposta uma cópia do Pêndulo de Foucault, o experimento que demonstrou como a Terra gira no seu próprio eixo.

    E o Panthéon ainda tem um atrativo-surpresa: o Panorama.

    Panorama: o mirante do Panthéon

    Por um suplemento de € 3,50 você pode se encaixar num dos grupos que são guiados para o Panorama – o mirante localizado na área externa da cúpula.

    São 360ºC de vistas incríveis de Paris. Você vai se admirar: como pode um mirante tão pouco conhecido ser tão bacana?

    Panthéon com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass no Panthéon, não precisa passar na bilheteria: basta se dirigir à entrada com seu passe válido. Se quiser subir ao Panorama, precisa comprar no local.

    Informações práticas – Panthéon

    Mais atrações

    Cabaré

    Assistir a um show num cabaré parisiense é o equivalente a ir a um show folclórico num lugar exótico. Turístico? Sem dúvida. Mas se você tem vontade e 200 euros sobrando na carteira, por que não?

    Com o fechamento do Lido em 2022, os dois principais cabarés remanescentes em Paris são o Moulin Rouge e o Crazy Horse.

    Moulin Rouge

    Mais antigo cabaré de Paris, o Moulin Rouge foi o berço do can-can. É a escolha de quem quer um espetáculo mais comportado, ainda que no coração da boemia de Pigalle.

    Há dois shows por noite – um às 21h, outro às 23h30. É possível também comprar o combo jantar + show – neste caso, você ocupa sua mesa às 19h e assiste ao show das 21h.

    Informações práticas – Moulin Rouge

    Crazy Horse

    Famoso pelo estilo burlesco de seus shows, com dançarinas de seios à mostra, o Crazy Horse se situa na aristocrática av. George V.

    O jantar e o show acontecem em ambientes distintos.

    De 2ª a 6ª há dois shows: às 20h (jantar depois, às 21h45) e às 22h30 (jantar antes, às 20h).

    Aos sábados (e também às 6ªas entre outubro e dezembro) são três shows: às 19h (jantar às 20h45), 21h30 (jantar às 19h30) e 23h45 (jantar às 21h45).

    Informações práticas – Crazy Horse

    Castelo de Chantilly

    • Reserva de horário? Só de data | Paris Museum Pass? Aceita |

    O Castelo de Chantilly oferece uma experiência parecida com a que se tem nos castelos do Vale do Loire, só que muito mais perto de Paris – a meia hora de trem.

    Existente desde o século 15, o castelo de Chantilly foi destruído durante a Revolução Francesa e reconstruído no século 19. Seu interior guarda a uma das mais importantes coleções de pintura da França (pense em Rafael, Ingrès, Fra Angèlico) e uma belíssima biblioteca.

    As salas principais, com decoração de época, estão abertas à visitação geral. Para visitar os aposentos menores, porém, é preciso se encaixar num tour guiado em francês (vendido no próprio site, na seção “Guided Tours”).

    Você também pode passear pelos jardins e visitar os Estábulos, onde funciona o Museu do Cavalo e acontecem demonstrações e shows equestres.

    Demonstrações e shows equestres no Castelo de Chantilly

    Há dois tipos de espetáculos oferecidos no Estábulo do Castelo de Chantilly:

    • Os shows equestres são pagos. Duram 1 hora, são mais elaborados (uma vibe Cirque du Soleil) e acontecem às 14h30 de alguns dias na temporada. Em 2024 estão em cartaz os espetáculos Um dia em Paris e Equinoxe. Para assistir, é preciso comprar um ingresso que inclua o show (ou um ingresso à parte se você visitar com o seu Paris Museum Pass).

    É possível saber a programação no seu dia de visita no site do castelo.

    Castelo de Chantilly com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass no Castelo de Chantilly, não precisa fazer nenhuma reserva – apenas levar o seu passe válido.

    O passe dá direito às demonstrações equestres, mas se você quiser ver um dos shows (Um dia em Paris ou Equinoxe) vai precisar comprar um ingresso à parte.

    Quanto tempo leva a visita ao Castelo de Chantilly?

    Se você vai fazer uma visita simples ao castelo, reserve um turno inteiro de 5 horas (manhã ou tarde), incluindo o deslocamento.

    Caso queira assistir a um show equestre, tire o dia inteiro para o passeio.

    Como chegar ao Castelo de Chantilly

    O trem regional TER faz o percurso entre a Gare du Nord em Paris e Chantilly-Gouvieux em 25 minutos. As saídas são espaçadas – acontecem a cada 60-90 minutos.

    As passagens custam entre € 2 e € 12,40 por trecho, dependendo do horário e da antecedência da compra. O site mais amigável para comprar é o Trainline. Também dá para comprar o ingresso com transporte de trem incluído no site de Chantilly.

    Compre sua passagem com antecedência para planejar melhor o seu passeio e conseguir desconto na tarifa.

    Também é possível ir com o trem suburbano RER (linha D), mas como a estação de Chantilly-Gouvieux está fora da zona 5 você não pode usar passes de transporte. A tarifa é de € 10,05 por trecho e as saídas são infrequentes.

    Da estação de trem ao Castelo de Chantilly

    Em Chantilly-Gouvieux você embarca no ônibus 645 direção Senlis e salta na estação Notre Dame (€ 1 por trecho, pague ao motorista).

    Nos fins de semana e feriados há também um ônibus gratuito, a Navette Touristique.

    Também dá para fazer o percurso a pé (25 minutos de caminhada).

    Informações práticas – Castelo de Chantilly

    Castelo de Vincennes

    • Reserva de horário? Indisponível | Paris Museum Pass? Aceita |

    Construído no século 14, o Castelo de Vincennes é um castelo-fortaleza que já serviu de residência da família real.

    Seu maior atrativo é a facilidade de acesso: um castelo medieval que você visita de metrô! (Está no ponto final da linha 1, na direção leste.)

    Não espere muito do seu exterior: não há mobiliário ou decoração de época, apenas espaços em sua maioria vazios. Os destaques do complexo são a torre central (donjon), que é a mais alta entre os castelos medievais europeus, e a capela, que foi o modelo para a Sainte-Chapelle e tem bonitos vitrais.

    Castelo de Vincennes com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass no Castelo de Vincennes, não precisa passar na bilheteria: basta se dirigir à entrada com seu passe válido.

    Informações práticas – Castelo de Vincennes

    Catedral de Notre Dame

    Um dos maiores expoentes do estilo gótico francês, a Catedral de Notre Dame começou a ser erguida em 1160. Foi dessacralizada durante Revolução Francesa, reabilitada por Napoleão e restaurada no século 19, depois do interesse suscitado pelo livro O Corcunda de Notre Dame, de Victor Hugo.

    O grande incêndio de abril de 2019 fechou Notre Dame para obras de reconstrução. Deve ser reaberta para visitas em 8 de dezembro de 2024.

    Até lá, os tapumes da obra são usados para uma exposição sobre a história e a reconstrução da catedral.

    Ainda não há informações a respeito da retomada à subida na Torre de Notre Dame – até 2019, uma das atrações mais concorridas de Paris.

    Informações práticas – Catedral de Notre Dame

    Cemitério Père Lachaise

    Situado no topo de uma colina do 20º arrondissement, o Cemitério Père Lachaise se tornou atração turística por ser o endereço definitivo de uma constelação de celebridades.

    De Edith Piaf a Maria Callas, de Proust e Molière a Oscar Wilde, de Chopin a Jim Morrison, de Isadora Duncan a Yves Montand, de Gilbert Bécaud a Georges Moustaki, de Modigliani a Thierry Mugler, passando por Allan Kardec, a lista de nomes é impressionante.

    A farta arborização e a presença de tietes e turistas dão ao Père Lachaise uma atmosfera de parque – é um passeio super agradável. Você pode descobrir os túmulos dos famosos à moda parisiense – flanando – ou então procurando direto no mapa do Père Lachaise.

    A entrada é gratuita.

    Informações práticas – Cemitério Père Lachaise

    Galeries Lafayette

    Se é verdade que lojas de departamento são templos de consumo, então a Galeries Lafayette é a maior de todas.

    Afinal, sua cúpula art-nouveau revestida por vitrais coloridos lhe confere ares de catedral – e vale a visita mesmo que você não tenha intenção de gastar nenhum euro em compras.

    Como andar na passarela de vidro sob a cúpula

    Em dezembro de 2023 a Galeries Lafayette inagurou uma passarela de vidro, a Glasswalk, sob a cúpula, com acesso pelo 3º andar, a 16 metros de altura.

    Para percorrer seus 9 metros você precisa reservar um ingresso gratuito, com hora marcada, disponível com 10 dias de antecedência. A reserva é feita pelo site da Galeries Lafayette.

    Terraço da Galeries Lafayette

    Aproveite e suba até o terraço, de onde se tem uma linda vista para a Opéra Garnier, Basílica do Sacré-Coeur e Torre Eiffel. A subida é gratuita e não requer reserva.

    Galeries Lafayette Le Gourmet

    Atravessando o Boulevard Haussmann você chega ao prédio da Galeries Lafayette Le Gourmet La Maison, bem localizada para uma refeição rápida ou comprinhas gourmet.

    No subsolo funciona uma feira sofisticada. No térreo, stands de comida pronta para levar, e no primeiro andar, restaurantes informais de chefs de prestígio.

    Détaxe (tax refund) na Galeries Lafayette

    Se você fizer compras na Galeries Lafayette, aproveite o serviço de reembolso de impostos na própria loja.

    Estrangeiros em viagem pelo Espaço Schengen têm direito a 12% de devolução de IVA, normalmente feita no aeroporto ao sair, mas a Galeries Lafayette antecipa a devolução a seus clientes.

    Juntando notinhas de pelo menos € 100 de compras feitas em até 3 dias consecutivos em quaisquer das 3 unidades da Galeries Lafayette, dirija-se ao posto Les Concierges, no primeiro andar da loja principal.

    É preciso levar seu passaporte original (xerox da folha da frente ou carteira de identidade não valem). O reembolso pode ser retirado em dinheiro vivo ou creditado no seu cartão.

    Informações práticas – Galeries Lafayette

    Grande Mesquita de Paris

    A Grande Mesquita (Grande Mosquée) é a mais antiga de Paris em funcionamento contínuo. (Houve uma antes dela, perto do Cemitério Père Lachaise, mas foi fechada antes da Primeira Guerra.)

    As salas de oração são inacessíveis para não muçulmanos, mas é possível visitar o jardim.

    Há outros três ambientes que recebem visitantes: o restaurante, a casa de chá e o hammam (banho turco, exclusivo para mulheres).

    Tomar um quentíssimo (e dulcíssimo) chá de hortelã acompanhado por doces sírios é um programa a um só tempo exótico e autêntico.

    Informações práticas – Grande Mesquita de Paris

    Igreja da Madeleine

    Vizinha da Opéra Garnier e da Galeries Lafayette, a Igreja de Santa Maria Madalena, ou simplesmente La Madeleine, é uma igreja católica singular. A aparência é de templo grego, sem cúpula externa nem cruz na fachada.

    Sua construção foi iniciada sob Luís XIV, e ainda não tinha sido concluída quando sobreveio a Revolução Francesa. As obras foram paralisadas até a época de Napoleão, que resolveu modificar seu desenho para que fosse um monumento às forças armadas. Apenas depois da sua queda o edifício voltou a ter propósito religioso. A igreja só abriria em 1842.

    Por dentro, a Madaleine é uma igreja clássica, de linhas mais elegantes e simétricas do que a maioria. Curiosamente, o teto é composto por três cúpulas (não visíveis por fora), ricamente adornadas com afrescos.

    Concertos na Madeleine

    A Madeleine é linda sempre, mas fica especialmente bela quando é palco de concertos de música erudita.

    Alguns espetáculos são gratuitos, outros são pagos. Consulte a programação.

    Informações práticas – Igreja da Madeleine

    Igreja da Sainte-Chapelle

    Junto com a Conciergerie, a Sainte-Chapelle (‘Capela Santa’) é o que restou do antigo Palais de la Cité, a residência da família real no coração de Paris antes da mudança para o Louvre.

    Consagrada no século 13, desde a Revolução Francesa a Sainte-Chapelle não funciona mais como igreja.

    A visita começa na Capela Baixa, usada pelos servos do palácio. Uma escadinha estreita leva à Capela Alta, frequentada apenas pela nobreza.

    Com seus 15 vitrais altíssimos, de 15 metros de altura, a Capela Alta tem o dom de provocar vertigem em quem olha para cima. Cada vitral narra uma passagem bíblica por meio de mosaicos que devem ser vistos do mais baixo para o mais alto.

    Igreja da Sainte-Chapelle com o Paris Museum Pass

    Se você vai usar o Paris Museum Pass na Igreja da Sainte-Chapelle, vai precisar reservar seu ingresso gratuito na bilheteria online, selecionando a opção “I already have a ticket”.

    É possível fazer reserva mesmo antes de comprar o Paris Museum Pass – você só precisa apresentar o passe na entrada.

    Informações práticas – Igreja da Sainte-Chapelle

    Jardim das Tulherias

    Lindamente posicionado à beira do Sena entre o Louvre e a Place de la Concorde, o Jardim das Tulherias foi criado no século 16 como um jardim privado do (então) Palácio do Louvre.

    Seu traçado atual é fiel ao redesenho feito por Le Nôtre (o mesmo paisagista de Versailles) no século 17.

    É um parque comprido – do museu à praça dá 1 km de caminhada em linha reta. Espalhados pelos jardins você encontra esculturas (clássicas e modernas, de Rodin a Louise Bourgeois), lagos e até um arco do triunfo, o Arco do Carrossel (posicionado em perfeita perspectiva com o Arco do Triunfo dos Champs-Élysées).

    Além disso, o jardim hospeda dois museus importantes junto à Place la Concorde: o Jeu de Paume, de fotografias, num antigo ginásio, e o Orangerie, dedicado às ninfeias de Monet, numa antiga estufa.

    E para as crianças, as Tulherias oferecem um pequeno parque de diversões.

    As Tuilherias não são o parque mais gostoso de Paris para flanar (neste quesito, o Jardin du Luxembourg é imbatível). Mas é um caminho arborizado entre o Louvre e os Champs-Élysées.

    Informações práticas – Jardim das Tulherias

    Jardin du Luxembourg

    Situado no coração da Rive Gauche, o Jardin du Luxembourg é o mais charmoso de Paris. Foi aqui que apareceram as cadeiras verdes de metal que se tornaram marca registrada de alguns parques da cidade – como as Tulherias e o Palais-Royal.

    Lagartear ao sol lendo um livro sentado numa dessas cadeiras, à beira do lago ou num dos gramados, é uma das experiências mais parisienses que você pode ter.

    O palacete ao centro é o Palácio do Luxemburgo, sede do Senado francês. Espalhados pela propriedade você vai encontrar áreas de piquenique, esculturas, quadras de esporte e um teatro de marionetes que é um encanto.

    Marionetes no Jardin du Luxembourg

    O teatro de marionetes costuma funcionar às quartas, sábados e domingos, com duas ou três sessões entre 11h e 16h30. As peças duram 40 minutos, são apresentadas em francês e contam histórias como Os Três Porquinhos, Chapeuzinho Vermelho, As Aventuras do gato Minouchet e O Tesouro do Sultão.

    Veja a programação. Não há venda antecipada de ingressos – recomenda-se chegar meia hora antes do início da sessão.

    Informações práticas – Jardin du Luxembourg

    Marché aux Puces de St.-Ouen (Mercado de Pulgas)

    Operando de sábado a segunda, o Mercado de Pulgas de St.-Ouen (mais conhecido como “Les Puces de St.-Ouen”, ou simplesmente “Les Puces”) é o mais antigo do mundo em contínuo funcionamento.

    Localizado às portas de Paris junto à divisa com St.-Ouen, o Mercado de Pulgas tem acesso fácil pelo metrô. É um emaranhado de ruas estreitas com lojinhas autônomas e galerias compartilhadas por pequenos stands.

    Os vendedores de antiguidades, quinquilharias e roupas usadas se organizam em 16 mercados dedicados a diferentes artigos e por vezes especializados em épocas específicas.

    O ideal é se perder por lá – mas se você quiser um guia, use o folheto oficial das Pulgas de St.-Ouen, que descreve os mercados e traz um mapa detalhado. Dica: o antiquário do amigo de Assane, da série Lupin, fica no Marché Biron (que é considerado “o faubourg St.-Honoré das pulgas”).

    Como chegar ao Mercado de Pulgas de St.-Ouen

    Vá de metrô até o fim da linha 4, na estação Porte de Clignancourt. Ali você passa por uma feira de roupas e quinquilharias ao ar livre e atravessa a divisa de St.-Ouen a pé.

    Informações práticas – Mercado de Pulgas de St.-Ouen

    Marché d’Aligre

    Paris é uma cidade pródiga no quesito feiras, ruas gastronômicas e mercados. Mas talvez nenhum seja tão carismático quanto o Marché d’Aligre, no 12ème arrondissement, pra lá da Bastille.

    Funcionando todos os dias exceto segunda, o Marché d’Aligre é composto de uma parte coberta (chamada Marché Beauvau) e a feira ao ar livre na praça d’Aligre. Banquinhas de cacarecos e bares e cafés animados completam o ambiente.

    Para encontrar a feira ao ar livre funcionando, vá de manhã.

    Informações práticas – Marché d’Aligre

    Palais Royal

    Construído para ser residência do poderoso Cardeal Richelieu (e mais tarde tomado pela família real), o Palais Royal hoje é sede do Ministério da Cultura francês.

    No entanto, seu ‘pátio interno’ – na verdade, uma grande praça fechada – é aberto ao público. Como está escondidinho, poucos turistas acabam passando por ali. Pois estão perdendo um pequeno tesouro do centro de Paris – nos fundos do Louvre.

    Passe para apreciar os dois corredores de árvores com copas cuidadosamente aparadas. Sente-se nos bancos à sombra ou numa cadeira verde em torno do lago. Namore as vitrinas das lojas tradicionais sob as arcadas (e dê uma espiadinha no restaurante Grand Véfour, um dos mais antigos da cidade). Faça uma pausa para um expresso.

    E por fim forme uma opinião sobre as instalações no pátio da frente – as colunas listradas de Daniel Buren e a fonte de bolas prateadas de Pol Bury. Combinam ou destoam do lugar?

    Informações práticas – Palais Royal

    Torre Montparnasse

    • Reserva de horário? Vale a pena | Paris Museum Pass? Não aceita |
    • Perto: Catacumbas de Paris | Jardin du Luxembourg

    Há muitas opinões a respeito de qual seria o edifício mais bonito de Paris. Seu oposto, porém, é unânime: todo mundo concorda que a Torre Montparnasse é o prédio mais feio da cidade.

    Construída entre 1970 e 1973, com 210 metros e 59 andares, a Torre Montparnasse é totalmente desprovida de encanto arquitetônico.

    Por que está neste guia, então? Ora, porque oferece o segundo mirante mais alto da cidade – ou o mirante mais alto com vista para a Torre Eiffel. Além disso, é o único mirante de Paris de onde não avista a feiosa Torre Montparnasse! (A piadinha é clichê, mas exprime a verdade.)

    Outra qualidade da Torre é não ter fila para subir. Seu elevador é rapidíssimo, e em 38 segundos você chega ao 56º andar, onde está o Observatório. Mais três andares (de escada) e você chega ao Rooftop.

    Os ingressos dão direito aos dois andares. Compre com antecedência, porque os ingressos têm hora marcada e são vendidos com desconto online.

    Informações práticas – Tour Montparnasse

    Bate-voltas saindo de Paris

    Jardins de Monet em Giverny

    Leia sobre o bate-volta à casa e jardins de Claude Monet em Giverny.

    Um dia na Champagne

    Breve.

    Um dia (ou mais) no Vale do Loire

    Breve.

    395 comentários

    Oi, posso usar apenas um Paris Museum Passe para 2 pessoas? Não iremos ver muita coisa, então pensei em usar o Passe. Grata. Ah… gostei muito das sugestões, algumas são novidade para mim.

    O ingresso do Paris Museum Pass inclui o que em Versalhes? Porque no post do Pass se diz que não inclui os jardins, e neste post se diz que inclui “palácio + jardins + Grand Trianon + Domínios de Maria Antonieta”. Outra dúvida: o que mais vale a pena ver em Versalhes – somente o palácio, o palacio e os jardins ou tudo?

      Olá, Samara! Atualmente o passe não inclui os jardins. O palácio já é suficientemente grandioso.

      Mas inclui o Trianon e Dominios de Maria Antonieta?
      O app do audioguia gratuito funciona bem e supre a falta do aparelho audioguia de 8euros?

      Olá, Samara! Se você faz questão do Petit Trianon e dos aposentos de Maria Antonieta, compre à parte ou não compre o Paris Museum Pass.

    Vamos ficar 5 dias em Paris,e depois temos 4 dias livres antes de irmos para Barcelona.O que você nos indicaria fazer ,visitar ,nestes 4 dias?

      Olá, Wellita! Você pode pegar esses 4 dias e distribuir entre Paris e Barcelona.

    Terei um dia livre em Paris que quero fazer um bate e volta….estou em dúvida entre: Chantilly/Reims/Dijon/Giverny….por qual vc optaria em meu caso? Tem alguma outra sugestão?

    Obrigado pela atenção

      Olá, Fabio! Chantilly é o mais próximo, Giverny também é simples, Reims/Epernay requer um dia intenso que começa cedo e termina tarde, Dijon não temos este conteúdo.

    Bom dia, gostaria de saber se Pantin , comuna próxima de Paris é um local seguro, encontrei aptos próximos do metrô , dentro do meu orcamento

      Olá, Joel! Tome as precauções que você tomaria na sua cidade e acrescente precauções extras nos lugares turísticos de Paris e no transporte público, onde agem os pickpockets com os quais não somos acostumados.

    Adorei o roteiro Paris e especialmente os “Chans”, é o que gosto de ver em viagens!
    Acho que vou pegar uma parte emprestado. Estou rifando a Disney e Versailles, pq só terei 3 dias em Paris. Eu e meu marido , ja conhecemos, vamos levar nosso filho( ja adulto) para conhecer.
    1- Pergunta o Boat bus que vc compra para um ou 2 dias faz e sena e vc pode descer ou subir no caminho livremente? Se sim adorei a ideia.

    Olá,
    Duas perguntas:
    1)Posso reservar os passeios sem ter o Paris Museum Pass, e depois comprar no Aeroporto?

    Comprando no Aeroporto pago a taxa de serviço que o Site Oficial cobra? O que vc acha melhor?

      Olá, Wanderson! Você não precisa do número do passe para fazer reservas de horário. Se eu fosse você não perderia tempo com isso no aeroporto (ou em qualquer bilheteria).

    Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.

    Assine a newsletter
    e imprima o conteúdo

    Serviço gratuito