Atacama: onde você ficou? Com quem fez os passeios?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Lagunas Altiplânicas, AtacamaHá dois tipos de hospedagem no deserto do Atacama.

Os hotéis top seguem a linha inventada pelo Explora há algumas décadas, que combina muito conforto (com aparência rústica, para não destoar do ambiente). O próprio hotel oferece os passeios guiados que estão, na maioria das vezes, incluídos na diária.

Neste grupo, além do Explora, estão hotéis como o Alto Atacama, o Awasi, o Atacama Adventure e os dois hotéis que resenhamos aqui no VnV, o Tierra Atacama e o Kunza. São ótimos hotéis, que funcionam também como suas próprias operadoras de passeios, poupando o trabalho de procurar passeios para se encaixar. A contrapartida é que custam mais caro e você acaba naturalmente curtindo menos o vilarejo de San Pedro, já que a maioria inclui todas as refeições no pacote.

É possível também ficar em hotéis mais simples na cidade -- e alguns são bastante charmosos também. Você economiza, mas tem que se encaixar nos passeios disponíveis na cidade (lógico que os hotéis podem dar uma mãozinha antes de você chegar).

Bem -- dadas as explicações preliminares, o que a gente queria saber é: você que já foi ao Atacama, onde se hospedou? Recomenda? E como se virou com os passeios?


Mais sobre o Atacama:

108 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Mariana
MarianaPermalink

Olá!
Vou pro Atacama em Nov/2012 com meu namorado.Já fechamos as passagens, mas hospedagem e passeios ainda não. Vi vários comentários de lugar pra ficar, mas queríamos economizar e ficar em um lugar de custo/benefício bom. Vocês sabem qual a média de preço de albergues bons e hoteis? Lá os valores são em dólar?
Obrigada! Muito, muito legal o blog e as dicas de todos!Ajudou muito na minha listinha de dicas!

Pablo
PabloPermalink

Olá, fiquei no Lickana Hostal, super tranquilo, quartos limpos todos os dias, café da manhã básico e gostoso, e o mais importante: perto de tudo. Diária para casal: $ 30.000 por noite.

Atualmente com o dólar alto, tarifas, IOF.. compensa sacar o dinheiro (peso chileno) no caixa eletrônico em San Pedro com seu cartão de débito habilitado para uso no exterior (contei ao menos 4 caixas em funcionamento na cidade), mas atenção: para diluir a taxa de saque internacional retire uma boa quantia de uma vez só.

Dica para chegar via Calama: pegue o transfer Trans Licancabur no aeroporto e já marque seu retorno, o valor é de $ 12.000 p/p, muito melhor e mais fácil do que ir de táxi até o centro e ir de ônibus, não compensa o trabalho, táxi + ônibus saem por $ 9.000 e demora muito mais.

A maioria dos passeios fiz pela agência Inca North (na rua ao lado da igreja) os preços estavam excelentes e os guias foram fantásticos, peça para ir com o Diego ou o Jorge (foi ele quem guiou a equipe da Globo na última reportagem no Atacama), o Iphone dele tem milhares de fotos e vídeos incríveis de suas aventuras. O cara já guiou até a banda U2!

Outra agência boa porém cara é a TurisTour localizado na Caracoles.

Passeios imperdíveis: Valle da Lua e da Morte (a partir das 15h por $ 9.000 p/p, Lagunas Altiplanicas e Salar de Atacama (a partir das 6h por $ 25.000 p/p, Geysers el Tatio e Machuca (a partir das 4h por $ 15.000 p/p), Laguna Cejar y outras lagunas no salar (a partir das 15h por $ 8.000), Salar de Tara (a partir das 7h por $ 40.000), Vale do Arco Iris e Termas de Puritama (de manhã e a tarde por $ 10.000). Tudo isso é possível fazer em 4 dias.

Naty
NatyPermalink

Em Atacama me hospedei no Hotel las Dunas. O hotel é bem simples, mas é ótimo pra quem quer pagar pouco, mas quer um pouco de conforto e não quer ficar em hostel. Não tem TV nem frigobar, o café da manhã é simples e o banheiro e quarto são um pouco escuros, mas a cama e o chuveiro são bons, e é o que importa depois de um dia de passeios.
O valor da diária para casal é de 38.000 CLP e em dinheiro tem desconto de 15%.
Por indicação do próprio hotel, fizemos os passeios com a Andeswide. A agência é muito boa, os guias são experientes e os grupos geralmente são pequenos. Eles procuram fazer o passeio numa ordem diferente da maioria das agências, o que dá mais privacidade e fotos melhores, sem muita gente no fundo. Apenas em um dos passeios o serviço foi "terceirizado" e fomos com um grupo maior de outra agência.

Viviane
VivianePermalink

ATENÇÃO com insegurança na reserva do hotel: Através de dicas obtidas aqui no blog, fiz a reserva para a minha viagem ao Atacama em novembro, tendo escolhido o hotel ATACAMA ADVENTURE, super bem recomendado. A partir da confirmação da reserva recebida por e-mail no início de setembro, fechei a parte aérea e os passeios. Qual não foi minha surpresa quando recebi na semana passada (outubro) um e-mail informando que minha reserva não tinha sido confirmada em razão de OVERBOOKING. Contactei o hotel Atacama Adventure através de e-mail e fui informada que em nenhum momento eles tinham recebido minha reserva, quando eu a tinha feito pelo site próprio do hotel. Com tão pouca antecedência da viagem marcada, tive que procurar o booking e reservar em um dos pouquíssimos hotéis disponíveis, hotéis estes que não tinham o mesmo nível nem recomendação do que poderia ter encontrado à época da programação da viagem. Então, fica a dica, cuidado ao reservar pelo site do hotel Atacama Adventure. Tive muita dor de cabeça e a resposta do hotel foi: nunca recebemos a reserva, lamentamos. E eu lamento ter optado por este hotel e não pelos vários outros disponíveis no booking.com. E infelizmente não há nada que eu possa a fazer, senão meu relato de advertência aos viajantes blogados.

Fabricio Campos
Fabricio CamposPermalink

Após compilar o máximo de informações a partir do blog, irei para o Atacama na próxima semana e depois retorno para deixar meus comentários. Como há alguns anos o destino está em minha lista de desejos, percebi mais recentemente a preocupação em direcioná-lo ao público brasileiro. Um exemplo disto pode ser observado nos sites dos hotéis top onde há disponibilidade do português, onde antes havia somente espanhol e inglês. Não me lembro em qual post havia uma série de queixas sobre reservas em pousadas no Brasil, onde era necessário contatar o estabelecimento, receber confirmação por email, antecipar pagamento, etc, mas algo que também me chamou a atenção foi minha experiência com os hotéis de San Pedro de Atacama que pareceram padecer do mesmo modelo de negócios (ao menos neste ponto). Enfim, efetuei reserva no hotel Alto Atacama e tenho expectativa de serviço acima da média, apesar de certo receio para hotéis nesta faixa de serviços/preço, pois todo email que lhes enviei demoram cerca de 3 dias para serem respondidos, mas espero que seja falha pontual. Vi alguns relatos sobre o Awasi, além dos posts do Kunza e Tierra e espero poder falar um pouco mais sobre o Alto Atacama em meu retorno.

Eder Rezende
Eder RezendePermalink

Ola

ficamos no hostal Mama Tierra que fica fora da muvuca do centro de San Pedro.

Aqui vc tem todas opcoes: http://www.sanpedroatacama.com/

Leia nosso post sobre o Atacama para pegar mais dicas:

http://quatrocantosdomundo.wordpress.com/2011/03/03/os-desertos-da-minha-vida-%E2%80%93-atacama-%E2%80%93-parte-i/

Espero que goste, o lugar e maravilhoso

alex serpa
alex serpaPermalink

Olá! Alguém sabe me informar a média de preços dos passeios? Estou querendo ficar uma semana no carnaval e estou achando os hotéis com all inclusive absurdamente caros.

Viviane
VivianePermalink

Fiz com a Grado 10 os seguintes passeios:
Laguna Cejar; Valle de la Luna; lagunas altiplanicas e Geisers Del Tatio. O total por pessoa foi de 83 mil pesos. Fiz o Salar de Tara com a El Charrua (filiada a Cosmo Andino) que custou 60 mil pesos.

Sabrina
SabrinaPermalink

Como esses depoimentos foram fundamentais para a minha viagem, não poderia deixar de reportar o resultado!

Sobre hotel: ficamos no Domos los Abuelos e não gostei muito. É um camping/hotel afastado e parte do caminho a noite não tinha luz! Me encantei por ele, pois no site mostrava um banheiro novinho e tinha piscina. Doce ilusão, não tivemos tempo algum, ou vontade de perder tempo na piscina. Como era distante do centro, tínhamos que caminhar para o ponto de encontro das excursões debaixo do sol escaldante e a noite passar um frio danado pra chegar no quarto. Não recomendo! Como só vamos no hotel para tomar banho e dormir, realmente não vale a pena pagar os preços exorbitantes que alguns hotéis cobram. Na próxima vou procurar um bem baratinho no centro de San Pedro!

Passeios: Queria fazer todos os passeios com a Grado 10, pois as recomendações aqui eram ótimas e eles têm aquele caminhão especial, mas como a maioria aconselhava fechar os passeios lá, deixei pra quando chegamos e nos demos mal! Era um feriado nacional, a cidade estava cheia e a maioria das saídas da Grado estavam lotadas. Conseguimos fazer alguns passeios com eles e foram incríveis! "É um pouco mais caro, mas é muito melhor"! Os guias são ótimos, jovens, educados, o caminhão é o máximo, espaçoso e os lanches/tratamento que eles oferecem totalmente diferenciados das outras excursões. Tomamos pisco sour em taça de champanhe vendo o por do sol na Laguna Cejar, com aperitivos quando todas as outras excursões já tinham ido embora com seu sanduichinho. Então, se você pretende fechar com a Grado 10, faça suas reservas com antecedencia!!!
Fomos aos Geisers del Tatio com a Maxim, a guia também erá ótima, mas não se compara à Grado. O micro ônibus era muito muito micro e fiquei com muita pena dos homens grande e altos, eu mesma fui expremida com minha irmã nos nossos lugares.

Dinheiro: os tours e restaurantes aceitam cartão e visa travel money, mas não conte em sacar dinheiro lá. Os caixas eletrônicos têm um limite de saca por dia e quando acaba ninguém saca mais. Vi filas de desesperados para sacar dinheiro. Saquei todo o dinheiro que planejei usar em Santiago.

Transfer aeroporto-San Pedro: como muitos já disseram, fechar antes com a Licancabur. Funciona super bem. a gente desce do avião e as vans já estão aguardando, são novas, com ar condicionado e na valta eles marcam um horário que significa "a partir de" pois eles marcam o mesmo horário com todo mundo, então não entre em pânico se passados 20min do horário marcado eles não tiverem passado, eles passarão e sabem o horário certinho que devemos chegar no aeroporto.

Refeição: Os restaurantes da Caracoles mais descolados são realmente muito bons e caros! É bom deixá-los para jantar, pois a noite não tem muito o que fazer na cidade. Mas descobrimos o El toconar patio de comida, onde a maioria dos guias almoça e o menu com entrada, prato principal e sobremesa, muuuuito bem servido tudo custava 3.500 pesos. Virou nosso point para almoço.Fica no final da Caracoles, n 362
Já citado aqui e recomendado por todos os guias, um pouco fora do eixo restaurantes fica o Baltinache da chef Marta que faz uma fusion de ingredientes tradicionais da comida atacamenha e mapuche. É gourmet sem o preço da Caracoles! O end. é Domingo Atienza, 2, um pouco depois do hotel Kunza.

Tempo estadia: inicialmente planejei 3 noites por questão de economia de hotel, e tinha imaginado duas excursões por dia, cobrindo tudo. Mas, graças ao bom Deus, resolvi seguir a voz da experiencia do Ric Freire e fechei 5 noites. É bom ter uns espaços no dia, um dia um excursão só a tarde, outro só de manhã, para ter tempo de ficar pelo centrinho que é uma delícia, alugar uma bike e fazer o caminho até Pumara de Quitor, ou simplesmente descansar um pouco!

Aos viajantes, boa viagem a um dos lugares mais especiais e lindos em que estive. Aproveitem por mim!

A Bóia
A BóiaPermalink

Sensacional, Sabrina! Muito obrigada!

Fabricio Campos
Fabricio CamposPermalink

Como havia comentado acima, retorno para contar como foi a estada no hotel Alto Atacama. Fiquei por sete dias e digo que o hotel é realmente espetacular, completamente inserido na paisagem do local (vale do Catarpe). Mal é percebido pelas excursões que vão ao dito vale ou à Quebrada del Diablo, mas não escapa à vista dos que sobem à Pukara de Quitor e o veem de cima. É sim um pouco distante do povoado de San Pedro, mas se estiver no sistema all-inclusive, eles possuem transfer de ida e volta para a cidade até às 23:30. Se você for animado, são 3,5 km, com pouca iluminação. Creio que esta distância gerou uma das maiores supresas desta viagem para mim: o silêncio. Em vários momentos você não ouve absolutamente nada. Nem os pássaros que por ali estão. Apesar de mais de 40 quartos, você mal percebe os outros hóspedes, seja pela dimensão do hotel ou porque a maioria está em excursões durante todo o dia. O serviço é excepcional, com todos os funcionários do hotel bem treinados, tentando tornar sua estada mais agradável. O gerente recepciona todos os hóspedes tão logo eles chegam do transfer que os busca no aeroporto de Calama, em uma van com ar-condicionado e água gelada disponível, conforme alerta a atendente do hotel que já nos esperava dentro da sala de desembarque do aeroporto. Na recepção enquanto realizam seu checkin, lhe servem sucos de frutas locais. O próprio gerente apresenta as instalações do hotel e o quarto. Tão logo nos instalamos, tivemos um encontro com a chefe de excursões que nos explicou o “cardápio de excursões” onde fizemos um planejamento para todo o período, e ela ainda marcou de nos encontrar todos os dias para saber como estávamos nos sentindo (por questões de esforço na altitude) e saber se queríamos modificar alguma programação. No site do hotel, preveem excursões com 8 pessoas (dia inteiro) ou 10 pessoas (meio dia), mas o máximo que aconteceu foi sairmos com 6 pessoas em uma excursão de meio dia. Em uma excursão de van de dia inteiro fomos sozinhos com a guia e motorista e nos passeios de bicicleta de nível de esforço médio ou difícil (fizemos dois) somente nós e o guia. A sugestão de estada de no mínimo 5 dias feita pelo Ricardo Freire, que seguimos, nos parece a mais acertada para evitar Escolhas de Sofia. Pelos comentários feitos sobre o risco de algumas agências em San Pedro, alguns hotéis duvidosos e restaurantes caros, eu acho que valeu muito a pena o preço pago pelo sistema all-inclusive (U$ 960/dia), e se puderem cacifar, é uma excelente pedida. Como mesmo em algumas excursões de dia inteiro você retorna no meio da tarde (e no dia do Tatio, na hora do almoço), você pode aproveitar e ir à cidade, para um drink, compras, etc. ou ficar no hotel curtindo uma das seis piscinas, tomando pisco sour. Neste sistema, além das excursões, serviço de transfer na chegada e saída para o aeroporto de Calama, transfer para o vilarejo de San Pedro, estavam incluídas as comidas e bebidas. Quando estava fechando a reserva do hotel, ao final fiquei entre Alto Atacama, Kunza e Tierra Atacama. Descartei o Kunza, pois mesmo com todas as recomendações de evitar álcool nos dias dos passeios para altas altitudes, creio que deva ser critério do hóspede, acho pouco razoável que um hotel desta categoria faça ressalvas, limitando o consumo a uma taça de vinho nas refeições. Pela paisagem, optei pelo Alto Atacama e só posso lhe fazer elogios. Durante nossa estada estiveram presentes dois grandes grupos de empresas, o que poderia afetar o serviço, mas o gerente fez todos os esforços para minimizar o impacto. Aliás, estava presente em todas as instalações do hotel todo o tempo, verificando se estava tudo conforme a expectativa do hóspede (Álvaro).
Reserva – conforme comentei anteriormente, acho que deve ter sido falha eventual que um hotel desta categoria tenha deixado um cliente sem resposta, por duas vezes, por mais de três dias, tendo de ligar para confirmar recebimento de email.
Quarto - amplo, com iluminação indireta (suplício para alguns), cama king, frigobar com refrigerante e água mineral incluídos, terraço com vista para o vale. Turndown service.
Banheiro - enorme com duas pias, box de vidro com ótimo chuveiro, roupões disponíveis. Toalhas e amenities de boa qualidade.
Terraço - uma delícia para descansar entre as excursões, quando não quiser fazê-lo na área das piscinas. Duas poltronas e um banco, quase colchão, onde se consegue facilment cochilar.
Excursões – todas muito bem planejadas, com o hotel evitando os locais mais “muvucados” das atrações, tentando tornar a expeirência mais inesquecível. Os lanches e almoços durante as excursões são outro capítulo à parte, pois o cenário não poderia ser mais belo e regado a muito vinho, cerveja, sucos, salmão defumado, salada com abacate, queijos, embutidos, frutas, etc. Claro que alguns guias são melhores (Carolina foi a melhor), alguns mais preguiçosos, mas na média foram excelentes. As melhores foram Lagunas Altoandinas (em alguns lugares escrevem altiplânicas), Salar de Pujsa (cenário e distância próximos ao Salar de Tara, com flamingos, algumas outras aves e vicunhas), Quebrada de Kari e o passeio de bicicleta pela Quebrada del Diablo.
Comida – menus com entrada (duas opções), prato principal (três opções, sempre uma vegetariana) e sobremesa (quatro ou cinco opções). Sempre bem elaboradas visualmente, bem feitas, nem sempre memoráveis, mas excelentes para um all-inclusive de aventura.

Celso
CelsoPermalink

Estivemos em San Pedro de Atacama agora na metade de dezembro de 2012 e vou colocar aqui algumas dicas que podem ajudar os interessados nessa viagem espetacular:

- Transfer Calama/San Pedro: como já foi dito em outros posts, vale muito a pena reservar com antecedência pela Licancabur. Funcionam bem, foram pontuais e não teve nenhum problema. Detalhe: o guichê da empresa fica bem na primeira sala assim que você entra no aeroporto, perto das esteiras onde saem as bagagens. Nós saímos do portão e ficamos procurando pelo guichê do lado de fora e só depois de um tempo percebemos que fica dentro.

- Hotel: ficamos no Kunza e foi ótimo, o hotel é muito bom. Optamos pelo esquema meia-pensão (café da manhã e uma refeição) e achamos que valeu a pena, porque você não fica muito tempo no hotel, são muitos passeios. Além do que te dá a opção de comer no centrinho e conhecer os restaurantes locais. As refeições (almoço ou janta) eram muito fartas (entrada, prato principal e sobremesa) e tínhamos direito à usar as facilidades do hotel (piscina, sauna etc) e duas garrafinhas de água por dia, além de um welcome drink cada um. Também o hotel fornecia serviço de transfer com horários fixos (de ida e volta para o centro), mediante reserva. Muito prático.

- Passeios: assim que chegamos (era à noite), fomos ao centro reservar nosso primeiro passeio. Fomos na Lickan Antay, por indicação de alguns blogs, mas não ficamos muito satisfeitos, porque nos convenceram a fazer o Salar de Tara logo no primeiro dia (na verdade, na manhãzinha do dia seguinte). Perguntamos se havia o problema da altitude, porque tínhamos acabado de chegar e sabíamos que era um passeio difícil, mas falaram para nós que seria muito tranquilo, tudo plano, sem muita altitude. Quando fomos descobrimos que era exatamente o oposto: o passeio é longo, com um grande trecho andando na areia (muitos solavancos e balanços) e em grande altitude. Como nossa van não era das melhores (abafada e apertada), sofremos bastante. E ainda sentimos o mal da altitude, prejudicando o final do passeio, com dores de cabeça e ânsia de vômito. Decidimos não fazer os outros passeios com a Lickan Antay por causa disso. Então fica a dica: NÃO FAÇAM o passeio do Salar de Tara nos primeiros dias! Não importa o que digam, não façam. Assim como o do Geiser, é melhor deixar para os últimos dias, quando seu corpo já está adaptado à altitude. E sempre bebam muita água, é fundamental para suportar os efeitos.

O restante dos passeios fizemos com a Grado 10 e valeu muito a pena! Não tem comparação, a estrutura é muito melhor. O caminhãozinho é sensacional, os guias são animados e bem instruídos, e o lanchinho que oferecem não tem igual (crepe e sanduíches quentinhos, feitos na hora com a chapa que está acoplada no próprio caminhão). Recomendamos muito.

- Dinheiro: levamos um pouco de peso chileno do Brasil e trocamos mais dólares no aeroporto de Santiago e em San Pedro. O valor do câmbio não estava tão bom, mas era muito melhor do que no Brasil. Em San Pedro, a melhor cotação que encontramos foi de 475 pesos por dólar. As casas de câmbio no centro ficavam abertas até à noite (creio que eram quase 21hs quando trocamos dinheiro pela primeira vez).

- Clima e roupa: era verão então estava muito quente, no meio da tarde fazia mais de 35 graus com facilidade. Mas as manhãs e noites são frias. Nos passeios que começavam à tarde era possível ir de bermuda e camiseta, numa boa. Mas sempre levando uma jaqueta corta vento (essencial), porque no fim da tarde costuma ventar muito, principalmente no passeio do Vale da Lua. Eu fui só com uma malha no primeiro passeio, do Salar de Tara, e passei MUITO frio, mesmo com o sol escaldante. Tive que comprar lá mesmo uma jaqueta corta vento, depois disso foi outra coisa. Nos passeios que começam pela manhã é bom ir de calça e uma blusa, além do corta vento. Exceto no geiser, que é muito mais frio, aí vale colocar luvas, gorro, casaco de frio e roupas por baixo do tipo segunda pele.

- Detalhes práticos: no passeio da Laguna Cejar, depois de flutuarmos na lagoa salgada, não tinha lugar para trocar de roupa, só um banheiro que ficava meio longe. Então colocamos nossa roupa seca por cima da molhada mesmo. Mas no passeio do Geiser tem a opção de mergulhar nas águas térmicas e lá existem vários trocadores de roupa bem do lado da piscina. Então se quiserem levar troca de roupa dá para fazer tudo com tranquilidade.

Outro detalhe: em todos os passeios que saem pela manhã (como Lagunas Altiplanicas, Geiser e Salar de Tara) a empresa das excursões passam nos hoteis para buscar. E na volta também perguntam se você prefere ficar no hotel ou no centro. Era uma dúvida que tínhamos, porque nosso hotel ficava um pouco afastado do centro (teríamos que pegar outra van). Facilitou bastante a logística.

Bom, espero que essas dicas ajudem quem está pensando em fazer essa viagem magnífica!

Aline F.
Aline F.Permalink

Estive no Atacama em maio de 2012 e posso dizer que o local é tudo o que dizem e mais um pouco. Muito bonito! Como fui na baixa temporada, os passeios não estavam muito cheios e pude desfrutar como se deve o local. Fiquei hospedada no Hotel Kimal. Não recomendo. Tive diversos problemas lá. Primeiro: cheguei junto com outras 5 pessoas que vieram no transfer da Turistour (essa agência é muito boa; falarei dela depois) e a atendente não deu conta daquele movimento todo. Teve de chamar uma ajudante, por sinal muito enrolada. Tão enrolada que quase me registrou como chilena apesar do meu passaporte brasileiro que estava nas mãos dela. Vocês podem perguntar que diferença faz. Eu respondo: os chilenos pagam uma taxa que não é exigida dos estrangeiros.
Com boa vontade, creditei o equívoco ao fato da funcionária não estar acostumada a ficar no balcão. No entanto, os problemas continuaram. No segundo dia de viagem, a arrumadeira jogou fora o meu xampu miniatura durante a limpeza do quarto. Fiquei chateada porque viajo com xampu em miniatura para não fazer volume na mala e não ficar refém do xampu oferecido pelos hotéis. Reclamei com o funcionário da recepção, que fez pouco caso e disse que eu era uma hóspede incomum, pois "não gostava que o lixo fosse jogado no lixo". E ele falou isso na minha cara mesmo eu sendo fluente em espanhol (entendendo, portanto, tudo que ele falava)! Fiquei muito irritada e pedi o livro de reclamações (atenção, todos os hotéis no Chile são obrigados a tê-lo) para registrar a minha insatisfação.
Mas o pior estava por vir: às 18h do penúltimo dia da viagem, estava tomando banho quando a arrumadeira entrou no quarto e abriu a porta do banheiro, só saindo após eu dar um grito digno de Janet Leigh em "Psicose". Após eu conseguir me recompor do susto, fui fazer uma nova reclamação na recepção, registrando que, como a chave do quarto não estava lá no balcão, era sinal de que o quarto estava ocupado e era um absurdo a arrumadeira entrar sem sequer bater e permanecer no quarto mesmo após ouvir o barulho da água que vinha do banheiro. O recepcionista (aquele mesmo que disse que eu era uma hóspede incomum) tentou fazer pouco caso, mas, após uma hora de discussão, deu um desconto na minha última diária. Fico imaginando como seria se eu não soubesse falar espanhol. Em resumo: não fiquem nesse hotel!
Quanto à Turistour, só elogios. Os guias são ótimos, falam português e são superpontuais. Os carros são muito confortáveis e todos os passeios foram ótimos. Fiz com eles Lagunas Altiplánicas, Geiseres del Tatio, Salar de Atacama, Laguna Cejar com Laguna Tenbiquinche, Valle de la Luna, Valle de La Muerte, Povos Altiplánicos (Toconao e Machuca) e Valle del Arcoiris. Faria tudo de novo. Também fiz o Salar de Tara com a Cosmo Andino (que é boa, mas não tanto como a Turistour). O guia falava em inglês pois a maioria do grupo era de europeus. Também recomendo o tour astronômico da agência Space. É simplesmente imperdível! Eles só não fazem o tour se o céu estiver nublado (o que é raro) e se for noite de lua cheia). O dono da agência é um francês fofíssimo que ainda serve chocolate quente no fim. Depois de passar mais de uma hora no frio da noite desértica, você vai querer!

Aline F.
Aline F.Permalink

Ah, também fiz o tour da Pukara com a Turistour! Muito bom também. Como alguém falou acima, levem dinheiro para o Atacama pois é complicado sacar dinheiro lá. Alguns restaurantes maravilhosos, como o Delícias de Carmen (acho que é esse o nome, mas é só perguntar pelo restaurante da Carmen que todos os guias conhecem), só aceitam dinheiro. Outro restaurante muito bom é o La Estaka. Fiquei viciada! O dono do La Estaka também é dono do Adobe, outra ótima pedida.

Elisabeth
ElisabethPermalink

Que cuidados temos que ter com a pele e que tipo de vestimenta usar no mês de janeiro Atacama,

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Elisabeth! É o lugar mais seco do mundo, leve seus cremes e protetor solar e tome bastante água. Fará muito frio à noite, leve casaco. O dia amanhecerá frio mas no meio do dia estará quentíssimo.

Ana Maria
Ana MariaPermalink

Não conheço outros. Posso somente "desrecomendar" um hotel chamado Lodge La Aldeia. O quarto é razoável e a estrutura legal, mas muito mal administrado. Quando fui a piscina estava com água pelo somente pelo fundo e muito suja, cheia de folhas e terra. A mesma sujeira ficou lá todos os dias que estive lá -5 dias. O café da manhã foi muito pobre, sem contar os talheres mal lavados. Havia um gerador barulhento que ligava no meio da noite. E o pior de tudo. chegávamos cansados e sujos à noite dos passeios do dia e foi uma dificuldade conseguir água para tomar banho, especialmente água quente. Considerando que fui em Agosto e a temperatura à noite chegava a -15ºC, foi torturante.

Tania Freire
Tania FreirePermalink

Pessoal...estamos indo em grupo de 8 amigos para o Atacama em fevereiro (carnaval) e gostaria de saber sobre a temperatura...Dizem que de dia se usa bermuda e roupas frescas em geral,mas durante a noite como é? basta um casaco leve? e para os passeios que se iniciam pela manhã bem cedo....devemos utilizar o sistema cebola? casaco pesado, leve camiseta, etc? dizem que as agências possuem casacos para serem emprestados, essa informação procede? Obrigada a todos.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Tania! À noite estará frio. Leve casaco do Brasil.

Tania Freire
Tania FreirePermalink

Salve pessoal..... gostaria de saber sobre a temperatura em Atacama, pois eu e meu marido estamos indo com mais 3 casais para lá no período do carnaval. Li que durante o dia faz calor e no final da tarde começa a esfriar muito. Os passeios iniciados pela madrugada exigem roupas pesadas....é verdade que as Agências emprestam agasalhos? Obrigada desde já. abraço.

Tania Freire
Tania FreirePermalink

Obrigada ...Só para esclarecer .....os passeios como por exemplo dos geiseres, a temperatura chega a ser negativa nessa época do ano?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Tania! Compilamos as dicas dos leitores neste post:
https://www.viajenaviagem.com/2013/01/roteiro-atacama-50-dicas/

Veja o último depoimento. Um leitor viajou no verão e deixou suas impressões.

Meire Marcondes
Meire MarcondesPermalink

Oi pessoal, estou planejando ir com algumas amigas em Novembro, alguem sabe me dizer como é o clima nessa época do ano?

Obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Meire! Basicamente a diferença entre os meses é que no verão vai fazer mais calor durante o dia do que no inverno. O frio será grande o ano inteiro.

Leia:
Atacama: um roteiro completo em 50 dicas selecionadas

A Bóia
A BóiaPermalink

Leia as dicas organizadas neste post:

Atacama: um roteiro completo em 50 dicas selecionadas